19 de setembro de 2005



Baixar 96.07 Kb.
Página1/3
Encontro15.07.2018
Tamanho96.07 Kb.
  1   2   3



19 DE SETEMBRO DE 2005


046ª SESSÃO SOLENE EM HOMENAGEM AOS “30 ANOS DA Embrapa - PECUÁRIA SUDESTE”
Presidência: BETH SAHÃO e ÍTALO CARDOSO
Secretário: EDSON GOMES

DIVISÃO TÉCNICA DE TAQUIGRAFIA

Data: 19/09/2005 - Sessão 46ª S. SOLENE Publ. DOE:

Presidente: BETH SAHÃO/ÍTALO CARDOSO


HOMENAGEM AOS "30 ANOS DA EMBRAPA - PECUÁRIA SUDESTE"

001 - BETH SAHÃO

Assume a Presidência e abre a sessão. Nomeia as autoridades. Informa que esta sessão solene foi convocada pela Presidência efetiva, a pedido desta Deputada e dos Deputados Ítalo Cardoso e Edson Gomes, com a finalidade de homenagear os 30 anos da Embrapa Pecuária Sudeste. Convida todos para, de pé, ouvirem a execução do Hino Nacional.


002 - ÍTALO CARDOSO

Assume a Presidência.


003 - JOSÉ CARLOS ROSSETTI

Coordenador da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral - Cati, aponta a importância que teve o agronegócio para manter a economia do Brasil de pé. Fala do trabalho que feito em conjunto com a Embrapa por demanda dos produtores rurais.


004 - ARTUR CHINELATO DE CAMARGO

Pesquisador da Embrapa, agradece às entidades e pessoas que trabalham em conjunto com a instituição, com quem divide a homenagem desta sessão.


005 - CARLOS PAGANI NETTO

Diretor Regional da Cati de Catanduva, detalha a parceria Cati/Embrapa em projeto cujo objetivo é promover o desenvolvimento sustentável da atividade leiteira.


006 - EVARISTO EDUARDO DE MIRANDA

Chefe-Geral da Embrapa Monitoramento por Satélite, recorda o contexto histórico da agricultura e pecuária no Brasil, onde se insere a empresa.


007 - LADISLAU MARTIN NETO

Chefe-Geral da Instrumentação Agropecuária da Embrapa, destaca a tecnologia como um fator decisivo para o desenvolvimento da nossa agropecuária. Afirma que temos hoje a melhor pesquisa agrícola da região tropical. Vislumbra o futuro brilhante que podemos ter com a produção de energia sustentável, sendo necessárias para isso a pesquisa e a inovação.


008 - LIBERATO ROCHA CALDEIRA

Prefeito da cidade de Valentim Gentil, fala da importância que a Embrapa tem para o nosso país, responsabilizando-a pelo sucesso do agronegócio.


009 - NELSON JOSÉ NOVAES

Chefe-Geral da Embrapa Pecuária Sudeste, representando o Diretor-Presidente da Embrapa, Dr. Sílvio Crestana, elenca as parcerias vitoriosas entre a Embrapa e o Estado de São Paulo, como o Projeto de Viabilidade de Produção de Leite em Pequenas Propriedades, o trabalho sobre a produtividade e qualidade de carne em raças e cruzamentos diversos, pesquisas em biotecnologia, pesquisas sobre nutrição animal e um projeto de produção de carne ovina no Estado. Menciona que o Estado de São Paulo abriga sete unidades da Embrapa.


010 - EDSON GOMES

Comemora o aumento de produtividade obtido pela tecnologia, exemplificando com os casos do leite e da soja. Parabeniza o Sr. Artur, reconhecido em toda parte por seu trabalho, a Embrapa e a Cati.


011 - Presidente ÍTALO CARDOSO

Conduz a entrega de placas alusivas à comemoração dos 30 anos da Embrapa Pecuária Sudeste.


012 - BETH SAHÃO

Elogia a Embrapa e suas parceiras porque têm ajudado não só o agronegócio, mas os pequenos proprietários e a agricultura familiar. Assevera que a instituição prova que uma empresa pública no Brasil pode dar certo, sendo lucrativa e tendo responsabilidade social.


013 - Presidente ÍTALO CARDOSO

Enaltece a Embrapa por trabalhar com alma e dedicação a sua missão. Defende o incremento dos investimentos na empresa e na agricultura por parte dos governos federal e estadual. Agradece a todos que colaboraram para o êxito da solenidade. Encerra a sessão.


* * *
A SRA. PRESIDENTE - BETH SAHÃO - PT - Havendo número legal, declaro aberta a sessão. Sob a proteção de Deus, iniciamos os nossos trabalhos. Convido o Sr. Deputado Edson Gomes para, como 2º Secretário “ad hoc”, proceder à leitura da Ata da sessão anterior.
O SR. 2º SECRETÁRIO - EDSON GOMES - PFL - Procede à leitura da Ata da sessão anterior, que é considerada aprovada..
* * *

A SRA. PRESIDENTE - BETH SAHÃO - PT - Gostaria de nomear as autoridades presentes: Deputado Ítalo Cardoso, proponente desta Sessão; Deputado Edson Gomes; Dr. Nelson José Novaes, Chefe-Geral da Embrapa Pecuária Sudeste, representando o Diretor-Presidente da Embrapa, Dr. Sílvio Crestana; Sr. José Carlos Rossetti, Coordenador da Cati - Coordenadoria de Assistência Técnica Integral.


Srs. Deputados, minhas senhoras e meus senhores, esta Sessão Solene foi convocada pelo Presidente desta Casa, Deputado Rodrigo Garcia, atendendo solicitação desta Deputada e dos Deputados Ítalo Cardoso e Edson Gomes, com a finalidade de homenagear os 30 anos da Embrapa Pecuária Sudeste.

Convido todos os presentes para em pé ouvirmos o Hino Nacional Brasileiro, executado pela Camerata da Polícia Militar do Estado de São Paulo, sob a regência do Maestro 2º Tenente Músico PM Luís Ricardo Gomes.


* * *


  • É executado o Hino Nacional Brasileiro.

* * *
A SRA PRESIDENTE BETH SAHÃO - PT - Esta Presidência agradece à Camerata da Polícia Militar do Estado de São Paulo.


* * *


  • Assume a Presidência o Sr. Ítalo Cardoso.

* * *
O SR. PRESIDENTE - ÍTALO CARDOSO - PT - Boa noite. Saúdo a todos e agradeço ao nobre Deputado Edson Gomes e à nobre Deputada Beth Sahão, Presidente da Comissão de Agricultura e Pecuária desta Casa, que aceitaram realizar e organizar este evento, necessário e importante para que a Assembléia Legislativa possa também homenagear a Embrapa na figura de todos os seus funcionários e técnicos pelos brilhantes trabalhos que este Estado e este país devem ao trabalho dessas pessoas maravilhosas, que não poupam esforços para que o seu saber chegue desde ao grande produtor rural até o mais humilde agricultor nos cantos do Estado e do país.

Gostaria de anunciar e também agradecer pela presença: o Sr. Liberato Rocha Caldeira, prefeito de Valentim Gentil; Sr. Fábio Quadros, neste ato representando o Presidente do Tribunal Regional Eleitoral, Desembargador Álvaro Lazzarini; o Sr. Leny Pereira Sant’ana, Diretor da Faesp, neste ato representando o Dr. Fábio Meirelles, Presidente da Federação da Agricultura do Estado de São Paulo; o Sr. José Benedito Sacomano, Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia de São Carlos, neste ato representando o prefeito da cidade, Newton Lima Neto; o Sr. Carlos Pagani Neto, Diretor Regional da Cati - Catanduva; Sra. Maria Olímpia de Oliveira Resende, neste ato representando o Diretor do Instituto de Química de São Carlos, o Sr. Douglas Wagner Franco; o Sr. Evaristo Eduardo de Miranda, Chefe-geral da Embrapa de Monitoramento por Satélite; o Sr. Alfredo Ribeiro de Freitas, Chefe de Pesquisas e Desenvolvimento da Embrapa Pecuária Sudeste; o Sr. Airton Manzano, Chefe-adjunto de Administração da Embrapa Pecuária Sudeste; a Sra. Maria Amélia Lofrano, neste ato representando o Vereador da Câmara Municipal de São Paulo Attila Russomanno; o Sr. Artur Chinelato de Camargo, pesquisador da Embrapa; o Sr. Ladislau Martin Neto, Chefe-geral da Instrumentação Agropecuária da Embrapa.

Esta Presidência convida o Sr. José Carlos Rossetti, Coordenador da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral para fazer uso da palavra.


O SR. JOSÉ CARLOS ROSSETTI - Boa noite a todos. Cumprimento o Presidente da Sessão, Deputado Ítalo Cardoso, a Deputada Beth Sahão, o Deputado Edson Gomes, os nossos companheiros da Embrapa aí representados, e cumprimentando o Nelson gostaria de estender esse cumprimento a todos os funcionários da Embrapa que estão aqui presentes, Liberato; Poder Público municipal presente, nossos colegas e companheiros de trabalho que estão aqui, da Cati, produtores rurais.

Inicialmente gostaria de demonstrar o contentamento da instituição Cati. Digo isso não apenas do corpo técnico e administrativo, dos funcionários, mas dos produtores, que são nossos parceiros, que são nossos companheiros do dia-a-dia e motivo principal de todo o nosso trabalho. Parabéns à Assembléia pela sensibilidade deste evento.

Tínhamos até há pouco tempo a agricultura como uma coisa caipira, meio jeca. Não era muito convencional você homenagear alguma coisa relacionada à agricultura. Quando viramos agronegócio melhorou um pouco. O termo já ficou mais bonitinho e as pessoas começaram a prestar um pouco mais de atenção àquilo que era do dia-a-dia e nem percebíamos sua importância.

Mesmo hoje - tenho conversado com alguns jornalistas - preferem mais aquela notícia estrondosa, porque aquela do dia-a-dia é tão normal que não vira notícia. Por isso que pessoas ligadas a esse setor têm trabalhado muito. E a resposta está aí nos jornais.

Hoje todos dizem da importância que teve o agronegócio para manter a economia do Brasil de pé. Hoje somos, graças a Deus, motivo de orgulho. Não temos mais vergonha de assinar um documento e escrever que era um estudante ou era outra coisa, para não falar que era agricultor. Quando se recebia uma proposta ruim dizia-se “Você quer me mandar para roça?” Isso caiu em desuso e hoje me sinto companheiro não apenas da Embrapa Sudeste, mas de todos as unidades existentes no Estado de São Paulo. A instituição tem tido o apoio dessas unidades de extensão rural.

Fico extremamente satisfeito por participar de uma sessão que até pouco tempo atrás não era nem pensada. Portanto, parabenizo os Srs. Deputados pela sensibilidade em homenagear a Embrapa Pecuária Sudeste. Todos nós nos sentimos homenageados, todos os produtores do Estado de São Paulo.

Estava me lembrando de uma frase de Goethe que dizia que a alegria não está nas coisas. Ela está em nós. Então falar simplesmente do órgão Embrapa seria muito pouco, porque quem fez a Embrapa foram as pessoas. As pessoas é que determinaram o rumo, o sentido, a direção que se devia caminhar. Se o projeto deu certo é porque alguém pensou direito, porque temos aí grandes instituições e infelizmente ficam estagnadas no tempo porque as pessoas não se preocuparam.

Quero ainda dizer do trabalho que temos feito em conjunto por demanda dos produtores rurais. Estamos vendo que não é mais conversar com boi, nem mais fazer carinho em pé de capim, porque isso não adianta mais. Você dar assessoria para o pé de capim ensinar como planta capim, como é que vacina o boi, como é que anda com o boi para lá e para cá, o boi esquece, a vaca esquece; o capim é comido, rebrota e ele segue o ciclo dele. Quando trabalhamos com as pessoas com quem cuida, aí resolvemos realmente.

Portanto, a pesquisa é importantíssima para se determinar qual a tecnologia, qual a melhor forma de se trabalhar, como é que você deve proceder para ganhar dinheiro. Isso é importantíssimo. Mas a forma de você colocar essa pesquisa no campo é que faz a diferença.

Hoje todo mundo sabe, das pessoas que conhecem alguma coisa do projeto, que estamos cuidando é de gente. Esse projeto não trabalha com vaca, nem com pé de capim, porque isso inclusive é a parte mais democrática do projeto. Dentro da ditadura imposta pelo nosso amigo Artur, vocês podem ter certeza de que é uma ditadura brava mesmo. Ele chega e vai fazendo as recomendações. É uma ditadura terrível.

A parte mais democrática é essa. Você escolha a vaca que quiser. Nós estamos recomendando “você precisa fazer isso”. Eu já ouvi perguntarem muitas vezes: “Qual o capim que eu uso?” “Usa qual você quiser.” E depois a velha crítica: “Ah, o Artur não gosta muito de ração, ele gosta mais de capim.” “Espera aí, eu não. Eu gosto é de carne, quem gosta de capim é vaca. Eu estou dizendo que ele é mais barato.” Então isso fica nas costas do produtor. E me parece que eles gostaram de ter a responsabilidade de dirigir a própria vida, porque é muito fácil fazer uma pesquisa, estabelecer uma tecnologia e depois dizer: “É essa daqui. Faça.”

Não. Você é produtor rural, você é proprietário não apenas da sua terra. Você precisa ser dono da sua vida. É isso que estamos precisando um pouco mais nas pessoas que ditam o destino das coisas. É transferir a responsabilidade para quem de direito.

“Eu não quero mais trabalhar com esse negócio, vou montar uma farmácia.” Vai montar uma farmácia. Você é dono da sua vida. Se você quiser fazer, nós o apoiamos. É essa a diferença da condução. Por isso eu disse que é melhor falar das pessoas do que da instituição.

Falar da Embrapa é chover no molhado porque sabemos a importância que teve essa instituição para o desenvolvimento do país. E isso se traduz naquilo que eu disse: quando você respeita as pessoas para ser respeitado, não é aquela parceria com a qual as pessoas estão acostumadas, a parceria do bife à cavalo, que entra a galinha com o ovo gloriosamente, o boi com o bife e alguém entra só com o nome. Não adianta porque essa parceria é de cacunda. A parceria que estamos dizendo é ombro a ombro e é isto que estamos fazendo dentro do projeto de pecuária de leite, aquele convênio que temos com a Embrapa Pecuária Sudeste.

Recompondo mais de dez milhões de hectares que tem o Estado de São Paulo com a lotação de 0,7 unidades de animais por hectare, são animais de trezentos quilos. Isso não é lotação, isso não é pastagem. E o Estado de São Paulo, o maior estado da Federação, não pode simplesmente ignorar esse fato. Por isso a tecnologia vem para devolver a dignidade daquelas pessoas que estão trabalhando no campo, do mais humilde por sinal.

Estava conversando agora pouco de uma produtora que tem um hectare e meio de morro. Achou que tinha muita terra e doou um pedacinho para fazer a igreja. Tem a casa e o curral. Já está com cinco ou sete cabeças de gado e vai aumentar para poder sobreviver daquela propriedade. E está sobrevivendo e numa alegria incomum, segundo o Artur me disse. Isso é que dá um soco na boca do estômago, como disse o Artur, nas pessoas, essa demonstração de qualidade de vida que as pessoas estão procurando, essa obrigação de o Poder Público devolver esse apoio para as pessoas trabalharem.

Estou dizendo do projeto pecuário de leite como exemplo, mas vale para qualquer atividade que a pessoa estiver conduzindo. Você respeite e dê oportunidade para aquelas pessoas gerenciarem a própria vida, decidirem o rumo que vão tomar.

Estava em Dracena conversando com um produtor, dentro do programa de micro-bacias hidrográficas, um programa com essa concepção de apenas apoiar na infra-estrutura e as pessoas decidirem, porque o diagnóstico é participativo e os projetos são adequados de acordo com a orientação do próprio produtor. Ele participa ativamente de todas atividades que forem executadas no programa.

Um senhor era proprietário de uma terra. Foi feita uma bacia d’ouro comunitário - graças a Deus a Assembléia aprovou em junho deste ano a lei de alteração do uso do solo retomando os incentivos do programa. Esse senhor já estava procurando emprego para o filho e, segundo testemunho dele, na varanda da casa dele, eu levantava, me sentava nesta cadeira e não sabia o que ia fazer naquele dia.

A área totalmente degradada. Para estragar é rapidinho, mas para devolver é muito caro. O produtor não pode jogar nas costas dele simplesmente a obrigação dele recuperar essa área. E uma bacia d’ouro foi feita para o vizinho, que queria entrar no projeto de leite e ele precisava de água, porque ele precisava irrigar o pastinho dele. Precisou de mais companheiros. E ele entrou no projeto exatamente para isso, para dar o apoio para o outro. Ele já tinha recuperado a área dele.

E o que me deixou mais contente foi ver nas costas da camiseta do filho o nome da faculdade de Zootecnia que ele estava cursando em Dracena. Além de recuperarmos, seguramos mais uma pessoa no campo, mostrando que é importante isso.

Para citar um autor nacional, mais precisamente Chico Xavier, eu guardei uma frase e acho que ela se adequava muito bem a esse projeto. Chico Xavier disse que ninguém é tão infeliz que não possa produzir alguns pensamentos de bondade, nem tão pobre que não possa distribuir alguns sorrisos e boas palavras ao seu companheiro de luta cotidiana. Psicografado de Emmanuel por Chico Xavier. Não vejo nenhuma frase tão feliz para esse projeto.

Quando você vê produtores de um hectare, de dois hectares, felizes, gerando emprego e renda, nós vemos que realmente temos de acreditar na humanidade, temos de acreditar nas pessoas.

Acho de uma felicidade ímpar este evento homenageando a Embrapa e não me sinto nem um pouco diminuído, porque me considero participante desta homenagem feita para os técnicos que trabalham em agronegócio, para os produtores e para os dirigentes de órgãos públicos que têm de ditar o rumo. Parabéns Assembléia Legislativa. Parabéns Embrapa pelo seu aniversário.


O SR. PRESIDENTE - ÍTALO CARDOSO - PT - Passo a palavra ao Sr. Artur Chinelato de Camargo, pesquisador da Embrapa.
O SR. ARTUR CHINELATO DE CAMARGO - Boa-noite, senhoras e senhores. É uma emoção muito grande estar na Assembléia Legislativa e agradeço por essa homenagem aos Deputados Ítalo Cardoso, Edson Gomes e Beth Sahão. Quero agradecer a outras entidades presentes e que fazem parte desse trabalho em conjunto com a Embrapa, como bem disse o Dr. José Carlos Rossetti, da Cati, que fazem com que aquelas pesquisas que desenvolvemos na Embrapa sejam efetivamente utilizadas pelo produtor para benefício dele, da sua família, do município, do Estado e do Brasil.

Como entidades que trabalham conjuntamente, cito a Cati, principalmente; o programa sai do Sebrae-; o Sindicato Rural de Guaratinguetá; a Federação da Agricultura do Estado de São Paulo; a Federação dos trabalhadores da Agricultura do Estado de São Paulo; a Cooperativa Conai, de Ribeirão Preto e Franca; a CLG, Cooperativa de Laticínios de Guaratinguetá; o Itesp.

São muitas as entidades, as associações e as empresas privadas, como a DeLaval que tem nos auxiliado bastante nesse trabalho do campo, resgatando a auto-estima e a dignidade do produtor. São muitas as pessoas, como os empregados da Embrapa, que têm nos apoiado de forma direta ou indireta.

Agradeço também a algumas pessoas por quem tenho muita consideração: o Profº Vidal Pedroso de Faria, da Esalq, o meu pai do ponto de vista profissional; os meus amigos André Luiz Monteiro Novo, da Embrapa, e Edson Gonçalves, que também labuta nessa área de desenvolvimento da pecuária; aos produtores de uma forma geral, mas principalmente à minha família. Tenho a satisfação de ver no plenário a minha mãe, que veio junto com as minhas primas e a minha irmã para prestigiar esse evento, e representando a minha esposa e o meu filho que não puderam estar presentes, mas que dão total apoio a esse trabalho. Sem esse respaldo lá em casa eu não poderia me ausentar de casa toda a semana para levar alguma mensagem a esses produtores.

Uma vez, um produtor disse: “Você tem uma missão muito especial, que é a de trazer um pouco de esperança para nós porque já estamos desestimulados. Estava para abandonar a minha propriedade, ir embora para cidade e engordar a fila do êxodo rural. Hoje estou ganhando dinheiro, isso é muito importante, mas o mais importante que você trouxe para mim e a minha família foi paz, a união da minha família. E isso não há preço que pague. Deus o abençoe e que dê saúde para você continuar levando essa mensagem de esperança para mais e mais famílias, não só no Estado de São Paulo, mas a outros estados também.”

Já estamos trabalhando no Rio de Janeiro, com a Senar, e no Paraná, com a Confepar.

É isso que nos move a continuar, e espero ter saúde para prosseguir esse trabalho nos próximos vinte e poucos anos. Depois, vamos cuidar do nosso sitiozinho. Obrigado pela homenagem à Embrapa. Agradecemos muito, mas quero dividir com todas essas pessoas que têm nos ajudado a construir esses 30 anos de Embrapa. Obrigado. (Palmas.)
O SR. PRESIDENTE - ÍTALO CARDOSO - PT - Aproveito também para informar de alguns telegramas que recebemos, de pessoas importantes que foram convidadas, mas que não puderam comparecer e enviaram as suas mensagens: do Presidente do Tribunal de Contas do Município de São Paulo, Dr. Antonio Carlos Caruso; do Secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Deputado Duarte Nogueira; do Secretário de Estado da Cultura, Sr. João Batista de Andrade; do Gabinete do Sr. Governador Geraldo Alckmin; do Reitor José Tadeu Jorge; do Dr. Sílvio Crestana, representado pelo Dr. Nelson; do Deputado Estadual Carlos Neder; da Primeira-Dama do Estado, Sra. Maria Lúcia Alckmin; do Procurador-Geral de Justiça do Estado de São Paulo, Dr. Rodrigo César Rebello Pinho; do Deputado Marcelo Bueno. Todos enviam saudações a todos os presentes nesta homenagem.

Passo a palavra para o Sr. Carlos Pagani Netto, Diretor Regional da Cati de Catanduva.


O SR. CARLOS PAGANI NETTO - Boa-noite a todos. Gostaria inicialmente de dizer que hoje é um dia muito feliz. Quero repartir essa felicidade com todos os técnicos envolvidos nesse projeto, com todos que trabalham conosco juntamente com a Embrapa.

Cumprimento o Presidente da sessão, Deputado Ítalo Cardoso, a Deputada Beth Sahão, minha amiga de Catanduva, e o Deputado Edson Gomes, que propuseram essa homenagem, e agradeço o respeito e a consideração pelo nosso trabalho.

Agradeço também à Embrapa na pessoa do nosso amigo Nelson, que proporcionou a realização dessa parceria. Não poderia deixar de agradecer ao nosso amigo, Coordenador da Cati, José Carlos Rossetti, que lutou muito para que essa parceria se viabilizasse, e que hoje se tornou realidade.

Hoje estamos trabalhando, Cati/Embrapa, em mais de cem municípios paulistas. Estão sendo treinados pela Embrapa aproximadamente 250 técnicos, incluindo veterinários, agrônomos, zootecnistas, técnicos agrícolas. Embora seja um processo bastante dinâmico, podemos dizer que cerca de mil propriedades estão sendo trabalhadas com essa tecnologia.

Essa parceria é extremamente vitoriosa, como foi dito pelo Dr. José Carlos Rossetti. Ela trabalha com o indivíduo e não com a produção. O objetivo do projeto, inicialmente, é promover o desenvolvimento sustentável da atividade leiteira, resgatando ao produtor aquela vontade de trabalhar, a dignidade que ele havia perdido em função de não conhecer a tecnologia adequada.

E hoje a Embrapa nos proporcionou essa parceria juntamente com a Cati, passando praticamente esses 30 anos realizando pesquisa agropecuária. Nós temos mais de 30 anos de experiência na área de extensão rural e assistência técnica. Por isso, essa parceria é muito vitoriosa.

Para que consigamos motivar o produtor, também temos de estar muito motivados e treinados. Temos recebido esse treinamento de maneira muito inteligente pelos pesquisadores da Embrapa. Gostaria de, neste momento, fazer um agradecimento especial ao meu amigo Artur Chinelato, em nome de quem agradeço a toda equipe técnica da Embrapa, que muito tem feito pelos nossos produtores. Sabemos o quanto Artur conhece esses programas. Ele tem consciência dessa importância, do que ele representa, usando muito bem essa experiência para nos motivar e nos dar segurança para conseguir realizar esse trabalho.

Agradeço muito a todos, à Assembléia. Parabéns, Embrapa, pelos seus 30 anos. Como o Artur disse lá na festa da Embrapa, no dia 26, podíamos contar com a Embrapa, digo que podem contar conosco. Muito obrigado, que Deus nos ilumine! (Palmas.)


O SR. PRESIDENTE - ÍTALO CARDOSO - PT - Convido para fazer uso da palavra o Sr. Evaristo Eduardo de Miranda, Chefe Geral da Embrapa em monitoramento por satélite.
O SR. EVARISTO EDUARDO DE MIRANDA - Boa noite a todos. Nobres Deputados Ítalo Cardoso, Beth Sahão e Edson Gomes; Prefeito Liberato Rocha Caldeira; em nome dos colegas do Embrapa cumprimento o nosso amigo Nelson e todas as autoridades presentes.

Sou Chefe-Geral da Embrapa - Monitoramento por Satélite, que fica em Campinas e é uma outra unidade da Embrapa. Considerando o que já foi dito, farei uma pequena consideração sobre o simbolismo do que está acontecendo aqui, hoje à noite.

Não creio que vocês vieram aqui por acaso. Ninguém está aqui por acaso. Existem razões. Algumas pessoas que poderiam ter vindo não vieram. Alguns que gostariam de ter vindo não puderam vir. E outras pessoas não quiseram vir. Vocês quiseram vir. Vocês estão aqui e nós estamos aqui.

A história da agricultura da Região Sudeste e do Brasil começa por volta de 1530, quando aqui chegou Martim Afonso de Souza, com 1.500 pessoas. Instalaram-se em São Vicente para desenvolver a agricultura. Mandaram que eles desenvolvessem a agricultura no Brasil. Ele não pediu cesta básica durante dois anos. Ele não pediu apoio para a comercialização. Ele não pediu verba, nem crédito, nada. Eles vieram daquele jeito, sem garantia de compra da safra, nada.

Pois bem, esses 1.500 homens desembarcaram em São Vicente e a primeira providência que tomaram foi derrubar as árvores para conseguir madeira, e construíram dois prédios: a capela e a câmara. Eles votaram, elegeram os vereadores e Martim Afonso passou para a câmara, na época - poderíamos chamar de Câmara Municipal, mas era como se fosse o congresso do Brasil, o poder civil, religioso, militar e penal. E esses homens começaram a governar. Nós estamos aqui numa câmara e não é gratuito.

Ali também começou a agricultura do Brasil. Chegaram os primeiros bois ao Brasil. Chegou a pecuária e a tentativa da cana-de-açúcar no litoral.

Vejo um grande simbolismo que estejamos aqui hoje, porque isso tem a ver com uma longa história. Estamos aqui não gratuitamente. Estamos inseridos numa longa história. Quando o Rossetti falou da qualidade humana, do relacionamento, da maneira de estar junto aos produtores, isso vem de longe, não podemos perder isso. Quando o colega Artur evocou as famílias, a genealogia, isso também está na nossa tradição. Nós nos inseridos nessa tradição.

A Embrapa Pecuária Sudeste, que tem 30 anos, conta com pessoas que têm mais de 30 anos de experiência em pesquisa e em administração. É verdade que se a Embrapa tem mais de 30 anos, a pesquisa agropecuária no Brasil, no sentido moderno do termo, tem mais de um século. Temos aqui instituições representadas no Estado de São Paulo com essa tradição. Temos também, no sentido amplo, mais de 200 anos de história de pesquisa agropecuária.

Portanto, se estamos hoje aqui, nos inserimos numa história marcada por perseverança e por uma certa confiança nas lideranças. A Pecuária Sudeste já teve uma grande contribuição da liderança do Nelson e de todos aqueles que têm funções lá. A nossa câmara continua com seus líderes. Essa mesma história que estamos reproduzindo. É muito provável que talvez nos reunamos daqui a meio século aqui e de novo vão se encontrar o Poder Legislativo, os que fazem a base da sociedade, a confiança em Deus, enfim, são traços da nossa história.

Em nome dos pesquisadores, dos técnicos, dos funcionários administrativos da Embrapa Monitoramento por Satélite, gostaria de cumprimentar realmente os colegas por este dia e particularmente vocês, da área administrativa, que aqui vieram. Acho que o cotidiano que vocês fazem é fundamental. Nós que somos da Embrapa conhecemos esse cotidiano e sabemos que não é fácil de ser levado atualmente, diante das dificuldades que temos na empresa e no país.

Não podemos desistir. Temos uma longa história, uma história de civilidade, de civilização marcada pela perseverança. Se a cana-de-açúcar não deu certo aqui no início, hoje ela deu certo no Estado de São Paulo. A pecuária se desenvolveu no nosso estado. Fizeram experimentos, ensaios e coisas impressionantes ao longo desses séculos e estamos inseridos nessa corrente.

É uma alegria estar participando de uma coisa que lida com a vida. Se estamos vivos aqui é porque comemos, nos vestimos e tudo isso é fruto do trabalho da agricultura.

Parabéns a todos por esta data, por essa feliz iniciativa do Poder Legislativo de fazer esta cerimônia. Parabéns a todos! Muito obrigado. (Palmas.)



Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal