A seguir, em novembro no cine-teatro de estarreja



Baixar 270.68 Kb.
Página6/10
Encontro02.12.2017
Tamanho270.68 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10

DIEGO FIGUEIREDO JAZZ TRIO


DO CLÁSSICO AO JAZZ
www.diegofigueiredo.net

www.myspace.com/diegofigueiredoguitar

www.youtube.com/watch?v=EtSOJFpjMSM

www.youtube.com/watch?v=tuTJTc7vdok

www.youtube.com/watch?v=SMsWMDjO0jU 

www.youtube.com/watch?v=5Yz5w_vx9Hk

Guitarras: Diego Figueiredo

Teclados: Alexandre Piu

Percussão: Marcilio Garcetti
Vencedor de diversos festivais e competições como Icatu Hartford, Premio Visa, Festival De Montreux entre outros, Diego Figueiredo, natural de São Paulo (Brasil), apresentou-se com muito sucesso em Janeiro de 2007 no Cine-Teatro de Estarreja. Depois dessa data, foi novamente premiado em Segundo Lugar no concurso de guitarristas promovido pelo Festival de Jazz de Montreux, na Suíça, no passado mês de Julho. O júri foi composto por medalhões da música como George Benson, Vernon Reid (guitarrista do Living Colour), e Al Jarreau. O instrumentista foi seleccionado entre centenas de músicos do mundo inteiro para a fase final, onde George Benson chorou depois da sua performance, afirmando que era muito difícil escolher um vencedor entre os três da rodada final porque os estilos eram muito diferentes.
Diego Figueiredo regressa agora ao palco do Cine-Teatro para apresentar o espectáculo Do Clássico ao Jazz acompanhado do percussionista Marcilio Garcetti e do pianista Alexandre Martins.

Realmente um músico ímpar onde o virtuosismo e a expressão conduzem a um verdadeiro espectáculo instrumental de tirar o fôlego... Um espectáculo de técnica e sensibilidade com um fino repertório de jazz, MPB (música popular brasileira), chorinho e clássico.


O que diferencia Diego Figueiredo na guitarra é o tocar com a mão tirando um som limpo com técnica própria apurada e arranjos e melodias elaboradas com uma complexidade que é a sua característica; sendo reconhecido no meio como um músico com qualidades para brilhar em qualquer palco internacional e nos mais prestigiados festivais de jazz.
Diego Figueiredo
Nascido em Franca SP em 1980, aos quatro anos o pequeno Diego já fazia pose para fotos com seu violãozinho. Com seis, ganhou um bandolim que ocupava um lugar de destaque em sua casa entre os outros instrumentos. Diego brincou com vários instrumentos antes de optar pela guitarra quando tinha doze anos de idade, já tocando em teatros e bares locais, onde já se revelava na difícil arte de improvisar e harmonizar. Aos 15, dominava palcos de teatros e casas nocturnas de diversos estados brasileiros, tocando solo ou acompanhado por renomados músicos.
Durante alguns anos actuou em bandas de diferentes estilos entre elas a Banda Gênese e a Squema Seis de Brasília onde morou por algum tempo.
Estudou violão erudito, MPB e jazz em conservatórios de Franca, Ribeirão Preto e Tatuí.
Em 1999 ganhou em primeiro lugar na América do Sul, através de concurso, uma bolsa de estudos para Berklee College of Music onde a comissão julgadora ficou impressionada com seu estilo. Mas por outros motivos não pode desfrutar desta bolsa.
Em junho de 2001, Diego Figueiredo conquistou o segundo lugar no Prémio Visa de MPB instrumental tendo honrosos elogios do corpo de jurados, dentre eles: o maestro Nelson Ayries, Guinga, Paulo Bellinati, Arrigo Barnabé, Ulisses Rocha, Rodolfo Stroter, Benjamim Taubkim, Mário Zaccaro entre outros.
Foi finalista do Prémio Icatu Hartford no Rio de Janeiro sendo dito pelos jurados, dentre eles (Marco Pereira e Cristóvão Bastos) como um dos grandes guitarristas solo da atualidade.
Actualmente acompanha e faz parceria com o cantor e compositor Belchior em tournées pelo Brasil e exterior. Tocou também e dividiu palco ao lado de Al Di Meola, John Scofield , Yellow Jackts, Hermeto Paschoal, Geraldo Azevedo, Sebastião Tapajós, Demônios da Garoa, Vanusa, Renato Borgueti, Osvaldo Montenegro, Chico de Abreu, Elomar, Toquinho, Tunai, Paulinho da Viola, Nando Cordel, Edson Cordeiro, Yamandú Costa, Marco Suzano, Dominguinhos, Moraes Moreira, Fafa de Belém, Amelinha, Los Hermanos, Ednardo, Beto Guedes, Zeca Baleiro, Jairzinho, Miyazawa entre outros. Diego já se apresentou em impotantes programas de TV e Radio como: Jovens Tardes (Rede Globo), Raul Gil, Ratinho, Rony Von, Leda Nagli, EPTV, Ione, Amaury Junior, Metrópole, Jornal da cultura, All TV, Record internacional, Talentos (TV Câmara), Tv Assembléia, Tv senado, Radio CBN, Eldorado entre outros.
Além de guitarrista, Diego é produtor, arranjador, orquestrador, multi-instrumentista e recentemente produziu e arranjou o álbum duplo “As varias caras de Drumond” em que Belchior musicou os poemas de Drumond, e foi lançado pela revista Caras.
Diego tem participado de importantes projectos como:


  • MPB Petrobrás. Local: Teatros em Recife/ Fortaleza/ Aracaju/ Maceió/ João Pessoa/ Natal/ Salvador. Data: 08/2005.

  • Projecto Pixinguinha. Local - São Paulo. Data - Julho de 2003.

  • Pernambuco cultural. Local - Instituto Ricardo Brenant-Recife. Data - outubro de 2004.

  • Projecto Carlos Drumond de Andrade. Local - Universidade Livre de Berlim-Alemanha. Data - Julho de 2003.

  • Jobim de los Andes. Local - La Paz - Bolívia. Data - Junho de 2004.

  • Festival de Montreux. Local - Montreux - Suíça. Data - Julho 2005.

  • Banco do Brasil cultural. Local - São Paulo. Data - Junho 2003.

  • Projecto Encontros da Musica. Local - Franca-SP. Data -Janeiro de 2004.

  • Passeata da paz. Local - Feira de Santana - BA. Data –Dezembro de 2003.

  • Encontro de Trovadores. Local – Quixeramobim - CE. Data –Agosto de 2004.

  • Festival de Inverno de Campos do Jordão. Local - Campos do Jordão - SP. Data - Julho de 2004.

  • Festijazz. Local - La Paz - Bolívia. Data - Setembro de 2005.

  • Projecto Seis e meia. Local - Natal, João Pessoa, Recife. Data – Julho de 2004.

  • Copesul cultural. Local - Porto Alegre. Data - Novembro de 2003.

  • Festa nacional da música. Local: Canela –RS – Maio 2006.

Em shows pela Europa, principalmente Alemanha, Diego impressionou com sua técnica e sensibilidade se apresentando na Universidade livre de Berlin, no Quasimodo (este dividiu palco com John Scofild e Yellow Jackets) e na Embaixada Brasileira. Em 2001, 2002, 2003, 2005, Se apresentou no La Paz Festijazz, realizado na Bolívia. No primeiro ano foi em duo com o gaitista Gabriel Grossi , depois foi em quarteto com Daniel Santiago, Amoy Ribas e Gabriel Grossi e neste ultimo ano juntamente com o pianista Alexandre Piu, foi convidado pela orquestra Sinfônica de La Paz, para uma gravação ( CD e DVD) e para fazer alguns shows em uma homenagem a Tom Jobim, intitulada (Jobim de los Andes).


Diego estará lançando este semestre alguns trabalhos: um disco erudito, um disco de composições em que toca vários instrumentos, um disco que produziu de uma cantora Boliviana, e um livro sobre Improvisação intitulado “New Patterns”.
Em Julho de 2005, Diego foi um dos ganhadores e considerado pelo Montreux Jazz Guitar Competition (Festival de Montreux, Suíça) um dos três maiores guitarristas do mundo, em um júri presidido por Al Di Meola e organizado por Quince Jones.
Diego esteve recentemente em Nova Iorque onde foi convidado especial para ministrar workshop e fazer 3 shows dentro do IAJE- International Association for Jazz Education.
Diego Figueiredo acaba de lançar o disco autoral “Autêntico” e está fazendo shows por todo Brasil e exterior. Acompanhado por grandes músicos, Diego apresenta um incrível espectáculo de sensibilidade, técnica e emoção que impressiona e contagia o público por onde passa. É considerado hoje pela crítica especializada divulgada na imprensa um dos maiores guitarristas da atualidade.


  • Ele é para brilhar nos mais sofisticados palcos do mundo” (O Estado de São Paulo) por Paulo Bellinati.

  • É um dos maiores harmonizadores que eu já vi. É um monstro. Fico feliz de ser contemporâneo deste génio”.(Rádio Eldorado) por Guinga.

Diego Figueiredo não é de Franca, ele é do Mundo”. (Hermeto Paschoal) “Prêmio Visa”.

  • Diego é uma luz para a música brasileira”. (Belchior).

  • É uma revelação. Poucos guitarristas podem fazer o mesmo com tamanha segurança e imaginação. Tira um som puro e complexo como Joe Pass e Hélio Delmiro”. (Mauro Dias).

  • Seus arranjos percorrem trilhas inéditas e virtuosas”. (Lauro Lisboa: Estadão).

  • Nunca vi um guitarrista tão criativo e com uma técnica tão limpa”. (Roberto Menescal).

  • De zero a dez eu dou vinte. O guitarrista que escutar com detalhes o CD segundas intenções vai tirar uns meses de férias com certeza”. (Mauricio Einhorn).

  • Foi a guitarra mais bem tocada que eu vi na minha vida” (Paulinho Nogueira)

  • Caro Diego: Escutei seu Cd “Segundas Intenções” e foi um momento Mágico. Quando eu for ao Brasil, gostaria de tocar com você”. (Pat Metheny).

  • Diego é um músico singular”. (Al Di Meola).



BRASILEIRO É 2º EM COMPETIÇÃO DE GUITARRISTAS DE MONTREUX

Paulista Diego Figueiredo foi premiado no tradicional festival de jazz.

Júri contava com George Benson e guitarrista do Living Colour.

O músico brasileiro Diego Figueiredo ficou em segundo lugar no concurso de guitarristas promovido pelo tradicional Festival de Jazz de Montreux, na Suíça. O resultado foi anunciado nesta quinta-feira (12).

O júri foi composto por medalhões da música como George Benson, Vernon Reid, guitarrista do Living Colour, e Al Jarreau. A competição foi vencida pelo italiano Federico Casagrande.

Natural de Franca (interior de São Paulo), o instrumentista de 26 anos contou, por telefone, que foi seleccionado entre centenas de músicos do mundo inteiro para a fase final, com sete guitarristas de países como Estados Unidos, Israel, França, Croácia e Itália.

"Para a apresentação final toquei 'Brigas nunca mais' [Tom Jobim/Vinicius de Moraes], 'Round midnight', de Thelonious Monk, e 'Blue rondo a la turk', de Dave Brubeck", disse Figueiredo, que também já havia ficado segundo lugar no Prémio Visa de MPB, na edição vencida pelo violonista Yamandu Costa.

"O George Benson chorou depois da minha performance. E disse que era muito difícil escolher um vencedor entre os três da rodada final porque os estilos eram muito diferentes", afirmou.

O Festival de Jazz de Montreux começou em 6 de Julho e vai até o próximo dia 21. Neste sábado (14), é a vez da tradicional noite brasileira do evento, que terá neste ano Alceu Valença, Beth Carvalho, Tribahia com Ninha, Xexéu e Patricia, além de Olodum.

Confira Diego Figueiredo interpretando "Asa branca" de Luiz Gonzaga.



Globo Repórter – 13/07/2007 - http://g1.globo.com/Noticias/Musica/0,,MUL69081-7085-6899,00.html

SEX 19 OUT 23H00

MÚSICA | BAR CTE 1,50€ | ENTRADA LIVRE PARA ESPECTADORES DO FILME ALTERNATIVO (CLIMAS)

TRADICIONAL | WORLD

OUTONALIDADES’ 07

EVENTO INTEGRADO NO PROGRAMA DAS 1ªS JORNADAS CLÍNICO-SOCIAIS DA CIDADE DE ESTARREJA



Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal