A seguir, em novembro no cine-teatro de estarreja



Baixar 333.34 Kb.
Página8/14
Encontro12.01.2018
Tamanho333.34 Kb.
1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   ...   14

IN LOKO


CARLOS BARRETTO | MÁRIO DELGADO | JOSÉ SALGUEIRO | BERNARDO SASSETI | JOÃO MOREIRA | S. SCHERIFF
Contrabaixo e efeitos electrónicos: Carlos Barretto

Guitarra eléctrica e efeitos electrónicos: Mário Delgado

Bateria: José Salgueiro

Piano Fender Rhodes e efeitos: Bernardo Sassetti

Trompete e efeitos electrónicos: João Moreira

Percussões: Sebastian Scheriff


Projecto de cariz universalista que pretende aglomerar as estéticas do jazz, do rock e da electrónica num diálogo transgressor e (ao mesmo tempo) consensual. A arquitectura dos ritmos e "groove" de batida pujante, é contaminada por sonoridades abstractas e improvisação colectiva, criando matéria aparentemente caótica mas orgânica, conduzindo a viagem a bom porto. De Jimmy Hendrix a Stockausen, tudo é permitido.


Carlos Barretto inspirou-se em conceitos estéticos de dois dos mais consagrados génios da arte do séc. XX - Picasso e Miles Davis (no seu período eléctrico dos anos 70): ambos declararam que a criação artística não deve excluir os incultos e os leigos, antes pelo contrário, devemos partir de algo que seja suficientemente acessível ao comum
dos mortais, dar-lhes referencias que os ajudem a situar-se (no seu limitado conforto), conduzindo-os a fazer uma viagem a partir de elementos formais que já conhece, em direcção ao desconhecido, ao novo, à criação em estado puro.
O projecto In Loko é assim o resultado de uma busca incessante das ideias de Barretto na tentativa de aproximação às correntes estéticas musicais actuais, sem perder de vista a acessibilidade de ouvidos menos informados.
Carlos Barretto tem trabalhado activamente com Mário Delgado e José Salgueiro desde 1997. Entre concertos, digressões e edição de vários CD’s, desenvolveram correntes estéticas cada vez mais originais e arrojadas, compondo e improvisando música em crescente grau de cumplicidade, fazendo deste ensemble um dos mais personalizados do nosso país nos últimos anos.
Numa busca incessante de novas cores e ambientes, Barretto sentiu a necessidade de alargar o núcleo duro, passando de trio a sexteto, com a inclusão de piano eléctrico Fender-Rhodes (Bernardo Sassetti é um entusiasta deste instrumento), trompete (com componentes electrónicos por João Moreira) e percussões (Sebastian Scheriff) criando assim uma música orgânica, ritmicamente pujante, em que o elemento “efeito electrónico” estará na ordem do dia, deixando muita liberdade para cada um se expressar.
Carlos Barretto nasceu em 18 de Julho de 1957. Aprendeu a tocar guitarra com seis anos aos dez passou para o piano, no Conservatório Nacional. Mais tarde optou pelo contrabaixo. Concluído o curso do Conservatório, foi aperfeiçoar a técnica instrumental na Academia Superior de Música de Viena, na Áustria, estudando com Ludwig treischer.

De regresso a Lisboa ingressou na Orquestra Sinfónica da RDP e participou em concertos de jazz com vários artistas. Em 1984, mudou-se para Paris, para se dedicar inteiramente à música improvisada, onde teve ocasião de se apresentar em concertos, festivais, clubes de jazz, emissões de rádio e televisão, com artistas de renome internacional.

Novo regresso a Lisboa (1993). Formou os seus grupos, para os quais compõe, tendo vários CD’s em seu nome. A sua discografia conta com treze títulos.

Horace Parlan, George Cables, Kirk Lightsey, Alain Jean Marie, Mal Waldron, Brad Mehldau, Lee Konitz, Barry Altschul, George Brown, Cindy Blackman, Joe Chambers, Jordy Rossy, Aldo Romano, Don Moye, Richard Galliano, Tony Scott, Glenn Ferris, Steve Grossman, Karl Berger, John Stubblefield, Steve Potts, Steve Lacy, Gary Bartz, Art Farmer, Jack Walrath, Marlon Jordan, John Betsch, Gerard Presencer, são alguns dos nomes com quem Carlos Barretto trabalhou.

SÁB 24 NOV 23H00

MÚSICA | BAR CTE 1,50€ | ENTRADA LIVRE PARA ESPECTADORES DO ESTARREJAZZ

JAZZ | ALTERNATIVA | EXPERIMENTAL

OUTONALIDADES’ 07 | AFTER-HOURS ESTARREJAZZ 2007


POLITONIA



www.myspace.com/politonia

Guitarra: Zé Soares

Sax soprano, alto, tenor e flauta: Guto Lucena

Bateria: Carlos Miguel

Contrabaixo: Mário Franco
O Projecto Politonia nasceu como um projecto individual do guitarrista Zé Soares em 1990, começando por ser um motivo para procurar algo de novo dentro do jazz e da música improvisada. Para esta procura muito contribuíram os músicos que por lá passaram, entre os quais: Jorge Reis, Acácio Salero, Franco Piccinno, tendo este último participado no 1º disco - Lisboa - editado em 1999 pela Up Beat Records.

A ideia de Politonia, como o próprio nome indica, é a de politonalidade, ou seja, a ideia de explorar as influências e a experiência de cada um dos elementos do grupo, culminando num objectivo comum. Este trabalho só se tornou realidade graças ao encontro das ideias e das cumplicidades dos quatro elementos que formam este quarteto. O repertório do grupo constrói-se sobre várias formas, procurando sempre uma abordagem musical alternativa, sem deixar de parte a tradição, mas criando situações surpresa como muitas daquelas que nos acontecem no dia-a-dia.

Desde a sua formação em 1994, o projecto Politonia actua regularmente em espaços que acolhem o melhor do Jazz em Portugal, destacando-se o Hot Clube de Portugal, o Centro Cultural de Belém, o B Flat Jazz Clube em Matosinhos, o Espaço Jazz em Pombal e o Jazz ao Centro Clube, em Coimbra , entre outros. Têm participado em diversos festivais de jazz nacionais tais como: Festival de Jazz do Bombarral em 1996, Noites de Jazz em Leiria em 1998, JazzMin em 2002 em Aljustrel, entre outros. Em 2001 e 2003 integraram a programação do Seixal Jazz Clube, paralelamente ao Festival Internacional de Jazz do Seixal. Em Julho de 2004 Zé Soares foi convidado para compor uma obra original para a inauguração de pintura da artista plástica São Nunes, onde se assistiu a um momento de música e pintura ao vivo interpretada pelo grupo Politonia na Galeria das Salgadeiras no Bairro Alto, em Lisboa, a 18 de Setembro de 2004.
Politonia editou o seu segundo trabalho discográfico, Periférico, no dia 1 de Outubro de 2004, Dia Mundial da Música, no Hot Clube de Portugal. Deste trabalho vale a pena salientar uma invulgar parceria com um grupo de cantares, os Ganhões de Castro Verde, no tema Verdes são os Campos. Esta bem sucedida fusão entre o jazz e a música tradicional portuguesa constitui uma experiência singular no panorama musical da música improvisada em Portugal. Mais recentemente, em Abril 2005, este último trabalho foi apresentado em Granada no palácio Dar-all-horra integrado no evento Uma semana com Saramago.

Zé Soares (Guitarra)
Nasceu em Castro Verde em 1965.

Iniciou os seus estudos musicais em 1984 na Academia de Música de Beja, tendo completado posteriormente o 8º grau de Guitarra Clássica, com o Professor Piñero Nagy, e o 8ºgrau de Formação Musical na Academia de Amadores de Música em Lisboa. Estudou Guitarra Jazz com Eddie Goltz e posteriormente no Hot Clube de Portugal com Mário Delgado. Participou em Workshops com Ron Jackson e Billy Kilson. Em 1998 participou no Workshop orientado pelo Compositor Henry Martin de Análise e Técnicas de Composição Jazz.

Como compositor, formou o seu próprio Projecto de originais na área do Jazz , em 1994, com o nome de Politonia, tendo sido editado em Outubro de 1998 o primeiro trabalho discográfico Lisboa, apresentado em 2000 no programa televisivo A Outra Face da Lua de Júlio Isidro. Em 1998 compôs a Música original para a inauguração da Exposição de Pintura «Tons e Sons» da artista plástica São Nunes, em Lisboa. Mais recentemente, foram-lhe encomendadas pela «Porto 2001» 5 composições originais, para serem integradas no 1º Real Book Português.

Trabalhou com músicos como: Melissa Walker, Dulce Pontes, Jorge Reis, José Menezes, Massimo Cavalli, Naná Sousa Dias, Dave Gaudsen, Chris Alexander, António Palma, Franco Piccinno, Maria Viana, António Ferro, Carlos Azevedo, Paulo Bandeira, Bruno Pedroso, Nelson Cascais, Emílio Robalo, Xico Zé, Davide Zaccaria, Guto Lucena, Sandra Fidalgo, Mário Gramaço, Laurent Filipe, Maria Anadon, Carlos Carli e Jaime Muela, entre outros.


Guto Lucena (Sax Soprano/ Alto/ Tenor/ Flauta)
Nasceu no interior do estado de São Paulo, Brasil, em 1973.

Iniciou os seus estudos aos 13 anos de idade com Rodrigo Botter Maio e Josette Feres na Escola de Música de Jundiaí-SP, onde posteriormente leccionou saxofone e teoria musical durante 6 anos. Estudou saxofone e improvisação com David Richards, Carlos Malta, Idriss Boudrioua, Mané Silveira, Roberto Sion, e arranjo com Cyro Pereira e Ian Guest. Graduou-se bacharel em música popular na Faculdade de Música da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Participou em festivais internacionais de música em Brasília, Curitiba, Campos do Jordão, Seixal e Matosinhos. Das suas participações destacam-se nomes como: Melissa Walker, Jane Duboc, Nelson Faria, Lilian Carmona, Vinícius Dorin, Edsel Gomes, Dulce Pontes, Carlos do Carmo, Paulo de Carvalho, Benoit Charest, e também Hermeto Pascoal, Ficções, Tora Tora Big Band, e também da orquestra residente do programa televisivo Herman SIC.
Mário Franco (contrabaixo)
Nasceu em Outubro de 1965.

Aos 4 anos iniciou os seus estudos musicais no Centro de Estudos Gregorianos de Lisboa. Posteriormente, na Academia de Amadores de Música, estudou Contrabaixo com Fernando Flores e Composição com Pedro Rocha. Desde muito cedo interessa-se pelo Jazz. Depois de ter estudado baixo eléctrico com António Ferro, começa a ter aulas com David Gausden na escola do Hot Clube de Portugal. Participou em diversos workshops com Rufus Reid, Niels Henning Orsted Peterson, Eberhard Weber, etc...

Desde 1984 toca Jazz e música improvisada em Portugal e no estrangeiro com os seguintes músicos: António Pinho Vargas, Mário Laginha, Bernardo Sassetti, Tomás Pimentel, Maria João, José Peixoto, João Paulo Esteves da Silva, Tommy Halferty, Carlo Morena, Carlos Martins, Daniel Erdmann, Andy Sheppard, Jarmo Savolainen, John Wadham, Jim Leff, Ralph Peterson Jr., Peter Epstein, Paolo Fresu, Ralph Towner, entre outros.
Carlos Miguel (bateria)
Nasceu em Maio de 1971.

Iniciou os seus estudos musicais aos 18 anos, ingressando na Escola de Jazz do Hot Clube de Portugal, onde frequentou o Curso durante 3 anos (1989/1992). Teve como professores André Sousa Machado, Mário Delgado, Sérgio Plágio, João Moreira e Pedro Madaleno, entre outros. Frequentou workshops com o Pianista/ Vibrafonista Karl Berger e com os bateristas Dom Famularo, Rod Morgenstein, Sonny Emory e Virgil Donnati, entre outros.

Acompanhou artistas como Rui Veloso) e Dulce Pontes, Joel Xavier, Jorge Palma, Mafalda Veiga, Paulo de Carvalho, Carlos do Carmo, Sara Tavares, Nuno Guerreiro, Adelaide Ferreira, Carlos Nunez , Kepa Junkero, Chris Alexander e António Palma, entre outros.

Tem participado em diversos festivais como: Festival de Jazz de Matosinhos (2002), Grupo Ficções - Festival de Jazz de Curitiba (Brasil, Setembro/2002), Grupo Ficções - Festival de Jazz de Lagoa (Junho/2003), com a conceituada cantora de Jazz canadiana Melissa Walker e o Pianista português António Palma.

SEX 30 NOV 23H00

MÚSICA | BAR CTE 1,50€ | ENTRADA LIVRE PARA ESPECTADORES DO FILME ALTERNATIVO (PINTAR OU FAZER AMOR)

TRADICIONAL | FOLK

OUTONALIDADES’ 07




1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   ...   14


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal