A veracidade



Baixar 0.58 Mb.
Página8/12
Encontro05.07.2018
Tamanho0.58 Mb.
1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   12

“O que poderia ter impulsionado tal avanço radical?”


“De onde veio este extraordinário bestiário, e por que ele apareceu tão rápido?”

“Por que esta explosão evolutiva, tão impressionante em termos de velocidade e

extensão, jamais foi igualada?”

A simples resposta é que o Deus Todo-Poderoso da Bíblia criou o mundo para

Seus propósitos e glória. Pode zombar se quiser. Grandes multidões de homens

de toda a esfera da sociedade aceitam isso sem hesitação, incluindo inúmeros

homens com diplomas científicos. A evolução é um conto de fadas, tão pouco

científico quanto o mito hindu.


O relato bíblico sobre a criação está de acordo com todo fato científico conhecido

e observável. A Bíblia diz que um Deus eterno, totalmente sábio e Todo-Poderoso

fez surgir vida inteligente do nada. A criação testifica isso. O homem nunca

observou vida inteligente surgindo de uma matéria ininteligente. Se a Bíblia não for

verdadeira, e se Deus não criou o mundo como diz a Bíblia, o homem jamais

saberá como isso aconteceu, pois o processo nunca se repetiu. Cientistas

admitem que os processos evolutivos não agem hoje. A razão é que eles nunca

agiram.
A Bíblia diz que Deus criou o homem à parte dos animais; o homem foi feito à

imagem de Deus com uma consciência e habilidade para comunicar-se com Deus;

os animais constituem um tipo bem distinto de criaturas, feitos para as

necessidades e deleite do homem (Gn 1–2). Isto é visível; o homem não é como o

reino animal. Ele é um tipo de criatura totalmente diferente. A Bíblia diz que todo

ser vivente na criação foi criado para reproduzir a sua espécie, e somente a sua

espécie (Gn 1.12,21,24,25). É isso que exatamente vemos. Ninguém nunca

observou uma cenoura produzir algo que não fosse uma cenoura, ou uma ave

gerar algo que não fosse uma ave.


A Bíblia diz que os céus declaram a glória de Deus e o firmamento proclama a

obra das Suas mãos (Sl 19.1). É isso que exatamente vemos. A incrível

complexidade e intricada inter-relação da criação apontam conclusivamente para

um Criador Todo-Poderoso e totalmente sábio.


Louve ao Senhor pela fé de crer na Bíblia e rejeitar a “assim falsamente chamada

ciência”.


O terceiro relato que mencionamos no começo deste artigo é do campo da ciência

lingüística. Apareceu em The Story of English (A História da Língua Inglesa), de

Robert McCrum e Robert MacNeil. Considere:
“Há dois séculos um juiz inglês na Índia observou que várias palavras em

sânscrito eram muito parecidas com algumas palavras em grego e latim. Por

exemplo, o termo sânscrito para ‘Pai’, pitar, era muito parecido com o termo ‘pater’

em latim. UM ESTUDO SISTEMÁTICO REVELOU QUE MUITAS LÍNGUAS

MODERNAS DESCENDERAM DE UMA MESMA LÍNGUA-MÃE, e que

desapareceram porque nada foi escrito. Identificando termos similares, lingüistas

sugeriram o que chamamos de uma língua-mãe indo-européia, falada até 3.500 a
2.000 a.C.” (Robert MacNeil, sinopse de The Story of English).

Novamente, uma vez que retiramos as suposições da ciência lingüística, temos

uma descrição perfeita do relato de Gênesis sobre como as línguas multiplicaramse e

espalharam-se na terra. No início havia uma língua comum (Gn 11.1). Por

causa da rebelião do homem em Babel, Deus multiplicou as línguas para dividir os

homens e confundi-los em seus maus intentos (Gn 11.2-9). A partir de Babel, os

homens espalharam-se para diversos lugares e estabeleceram nações distintas

com base em uma língua comum. Tudo o que a ciência lingüística sabe com

certeza está de acordo com o relato bíblico.
Não faz muitos anos cientistas diziam que “as raízes das diferentes famílias de

línguas indicam distintas fontes para as primeiras tribos de homens”. Agora

admitem que isto está errado.
Podemos ver que, desde o começo, a Bíblia estava certa. A escolha é clara.

Podemos edificar a nossa vida sobre a rocha sólida da verdade bíblica ou edificála

sobre a areia movediça da assim chamada ciência.
Autor: Pr. David Cloud
Tradutora: Valéria Lamim Fernandes
http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-

InspiracApologetCriacionis/CientConfBMasNCre-DCloud.htm


RESPOSTA AOS ESPERTOS QUE QUEREM "CORRIGIR" A BÍBLIA
Em Josué 10:13 encontramos um das mais formidáveis e estupendas

intervenções do Deus Todo-Poderoso no curso da natureza. Após a oração de

Josué, o Senhor parou o curso do inteiro sistema solar! O escritor sacro, usando

uma linguagem de aparência inspirada por Deus, declarou: "E o sol se deteve...e a

lua parou..." (Jos. 10:13). O "espertinhos e sabidos", entretanto, não se

conformam com a inerrância, infalibilidade e simplicidade genial do texto e

achando que são mais inteligentes do que Deus, dizem que a Bíblia não é um livro

de ciência, e portanto nessa matéria, deveríamos confiar nos cientistas que nos

dariam respostas melhores, mais inteligentes e mais confiáveis. Vejamos como

essa insinuação ímpia é falsa e racionalista e como a ciência é completamente

incompetente sem a Bíblia para discernir as questões sobrenaturais e das origens.
Dizem eles que o texto deveria ser:
1. "A terra parou..." Será mesmo que seria isso o correto?

Isto estaria ERRADO !


Se a Bíblia tivesse caído na armadilha dos críticos insensatos, aí sim estaria

incorrendo em flagrante erro, pois se tivesse dito que a terra tivesse parado, isso

seria um tremendo disparate astronômico: a lua e todo o sistema solar sairiam em

disparada a 500.000 milhas por hora, deixando a terra a "ver navios"!


2. "A terra parou de girar..."

Isto também estaria ERRADO !


Se a Bíblia tivesse caído na outra armadilha dos críticos insensatos, aí sim estaria

novamente incorrendo em outro flagrante erro, pois se tivesse dito apenas que a

terra tivesse parado de girar, isso seria um outro tremendo disparate astronômico:

a lua teria continuado a sua órbita em torno da terra e o sol também não teria

ficado imóvel no céu.

3. "A terra parou em relação a sua órbita"

Isto também estaria ERRADO !
Se a Bíblia tivesse caído na outra armadilha dos críticos insensatos, aí sim estaria

novamente incorrendo em outro flagrante erro, pois se tivesse dito apenas que a

terra tivesse parado em relação à sua órbita, isso seria um outro tremendo

disparate astronômico: a lua teria continuado a sua órbita em torno do sol e não

teria ficado imóvel no céu (como declarado no texto)e sairia a 66.000 milhas por

hora em torno do sol.


4. "A terra e a lua pararam em relação a suas órbitas"

Isto também estaria ERRADO !


Se a Bíblia tivesse caído nessa quarta armadilha dos críticos insensatos, aí sim

estaria novamente incorrendo em outro flagrante erro, pois se tivesse dito apenas

que a terra e a lua tivessem parado em relação às suas órbitas, isso seria um

outro tremendo disparate astronômico: a lua poderia ter continuado a rotação em

torno do seu eixo e a terra também, desacreditando completamente o milagre

relatado no texto Bíblico, ficando então de acordo com o ilustrado na figura acima,

fenômeno insuficiente para cessar o movimento do sol no céu.
5. "A terra, a lua e o sol pararam de se mover em relação a suas órbitas cessando

a translação e pararam a rotação em torno do seus respectivos eixos e todos os

outros possíveis movimentos"

Isto também estaria ERRADO !


Se a Bíblia tivesse caído nessa outra armadilha dos críticos insensatos, aí sim

estaria novamente incorrendo em outro flagrante erro, pois se tivesse dito

qualquer conceito humano semelhante ao declarado acima estaria pecando pelo

excesso de verborréia. Deus não precisaria incluir na Sua Palavra infindáveis

fórmulas matemáticas de mecânica celeste de todos os astros, só para convencer

os ímpios blasfemos. Milhões mais estariam no inferno antes de chegarem à

conclusão de que tudo estaria correto e a Bíblia seria uma enciclopédia de

milhares de volumes!


A linguagem de aparência como usada em Josué e em outros textos como "o pôrdo-sol" ou "o

nascer-do-sol" é uma linguagem plenamente científica. Já que

ninguém sabe onde é o centro do universo e TODOS os movimentos conhecidos

pelo homem, são movimentos RELATIVOS e como tal, a declaração Bíblica está

em perfeita harmonia com a lógica, o bom senso, pois o ponto de referência da

linguagem de aparência deve ser o mais CONVENIENTE para o observador!

Obrigado Senhor! Veja a genialidade e simplicidade da científica e infalível Palavra

de Deus:


" E o sol deteve-se e a lua parou..."
( Josué 10:13)
E cale-se o ímpio! E deixe a Palavra de Deus em paz se não acredita nela!
Elaborado por: JPMA

http://www.baptistlink.com/creationists/josue.htm


PODEMOS CONFIAR NO QUE A BÍBLIA ENSINA?
Rev. John Yates
No coração do conflito dentro da Igreja Episcopal está uma questão única,

simples, que todos os que crêem em Jesus Cristo deveriam responder por si

mesmos:
São as Escrituras verdadeiras?
Podemos nos assegurar de que o que lemos na Bíblia é verdadeiro? Quando os

autores das várias porções das Escrituras as escreveram, escreveram a verdade?

São as Escrituras que lemos hoje as mesmas que as originais? Como Episcopais

dizemos que nós cremos na autoridade das Escrituras, mas o que é que isso

significa?
A popular novela O Código de DaVince, que já vendeu mais de 4 milhões de

cópias, foi escrita sob a premissa de que o nosso Novo Testamento é falso, que

outros documentos provam que Jesus era, de fato, um homem casado, e que

Maria Madalena era sua esposa. Isso claramente não era verdade, de acordo com

os quatro evangelhos, mas milhões de pessoas, de qualquer maneira, acreditam

que foi assim.





Compartilhe com seus amigos:
1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   12


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal