A verdade por trás da Cola



Baixar 11.92 Kb.
Encontro26.02.2018
Tamanho11.92 Kb.








Título do Vídeo: “A Verdade por trás da Cola”

Nome dos participantes: Ana Pereira, Beatriz Martins, Inês Farias, Maria Ferreira

Professor responsável: Álvaro Folhas

Escola: Escola Secundária Adolfo Portela

E-mail: ana.pereira98@icloud.com

Resumo

Ao longo da experiência procura-se mostrar que, apesar de elevada acidez da Cola, esta contém significativas quantidades de açúcar que passam despercebidas.

Para proceder à demostração prática mede-se um determinado volume de Cola e igual volume de água onde foram posteriormente dissolvidos cerca de 26g de açúcar. As amostras são aquecidas até se verificar a precipitação de açúcar na amostra e água e a formação de caramelo na amostra de Cola. Verifica-se que, de facto, a quantidade de açúcar e caramelo obtidos são idênticos o que corrobora a hipótese inicial em que se especulava encontrar elevadas quantidades de açúcares num volume de aproximadamente 200mL de Cola.

Conceitos

O pH é uma grandeza que fornece informação acerca do maior ou menor grau de acidez ou alcalinidade das soluções. É nesse conceito que toda a experiência de baseia.

Ao medir o pH da Cola verificamos que este é aproximadamente 2,7 o que indica uma elevada acidez da mesma. No entanto, no dia-a-dia, não conseguimos detetar ao ingerir Cola essa característica.

De facto, são as elevadas quantidades de açúcar adicionadas à solução que permitem “camuflar” a acidez da Cola e evitar que a contiguemos detetar.

Com esta experiência conseguimos, em comparação relativamente a um determinado volume de água, obter um valor aproximado da quantidade de açúcar dissolvido nas Colas.

Protocolo Experimental (máximo de 250 palavras)

Segurança:

Nada a referir



Reagentes:

Material:

Procedimento:

Para explicar a origem da acidez das Colas, enchemos dois tubos de ensaio com água e em cada um deles colocámos algumas gotas de tinta azul de tornesol, tendo em conta que na presença de soluções ácidas esta muda a sua cor para cor-de-rosa. Através de uma palhinha, lançamos dióxido de carbono, proveniente do processo de expiração, para a água de um dos tubos.

Tendo verificado que a solução presente nesse tubo passou a ser cor de rosa, concluímos que o dióxido de carbono seria a causa provável da acidez das colas. Então, não esquecendo o toque doce que estas apresentam quando são ingeridas, procurámos demonstrar a quantidade de açúcar necessária para compensar a acidez.

Aplicações (máximo de 100 palavras)

Em termos industriais, é importante ter em consideração a preparação da Cola de forma a ser agradável e comercialmente bem recebida. Daí a necessidade de adição de açúcar devido às elevadas quantidades de dióxido de carbono que as Colas contêm.



No entanto, na área da saúde torna-se relevante o conhecimento por parte dos consumidores terem conhecimento da elevada acidez das Colas e, além disso, da elevada quantidade de açúcar que é acrescentada na sua composição para a tornar doce. É importante estar informado e tomar conhecimento destas características da Cola para nos ser dada a possibilidade de controlar a nossa saúde e evitar doenças como diabetes resultantes, por vezes, do ingestão e elevadas quantidades de derivados de açúcares.

Conclusões (máximo de 100 palavras)

Apesar de ser uma experiência simples, com reagentes e materiais usuais, foi fundamental para a compreensão de conceitos como alcalinidade e acidez e compreensão de que na no nosso quotidiano existem muitas vezes camufladas diversos produtos que, embora por vezes prejudiciais à nossa saúde, nem sempre são alvo do nosso conhecimento.

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal