Anais da XI semana de humanidades



Baixar 1.37 Mb.
Página1/32
Encontro05.12.2017
Tamanho1.37 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   32





XI SEMANA DE HUMANIDADES
ANAIS

SUMÁRIO


OBJETIVO 3

CERIMÔNIA DE ABERTURA 4

GRUPOS DE TRABALHOS 5

MINICURSOS & OFICINAS 255

PAINÉIS 268

MOSTRA DE VÍDEOS 322

OUTROS EVENTOS 326

LANÇAMENTO DE LIVROS, REVISTAS E JORNAIS 336

ESTATÍSTICAS 339

OBJETIVO:

A XI Semana de Humanidades visa congregar e divulgar o trabalho de pesquisadores (professores, fucionários e alunos) do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).



CERIMÔNIA DE ABERTURA: segunda-feira, 19 de maio, 16h, no Setor de Aulas II.

Com coquetel e apresentações artísticas.


PALESTRA DE ABERTURA

A Sociedade Internacional e a União Européia no Pós-Guerra do Iraque

François D’Arcy


Professor Emérito da Universidade de Grenoble (França). Doutor em Direito Público pela Universidade de Paris. Foi, até 2000, professor do Instituto de Estudos Políticos de Grenoble, do qual foi diretor de 1987 a 1995. Lecionou em diversas universidades no mundo, como a Yale University, a UQAM (Montreal) e a UNESP. Publicou vários livros. Hoje reside no Brasil e colabora com várias universidades.

GRUPOS DE TRABALHO

(GTs)

Grupos de Trabalho (GTs): terça e quarta-feira, 20 e 21 de maio, 14:00-18:00h (com exceção de GTs de Psicologia, que acontecerão pela manhã), nos auditórios do CCHLA e Setor de Aulas II.

. Os GTs reunirão apresentações de trabalhos sobre um mesmo tema. O Coordenador do GT presidirá a mesa, estabelecerá o tempo de cada apresentação (a sugestão é de que seja em torno de 20 minutos), o dia e a ordem das apresentações, e o formato do debate (se seguido a cada apresentação ou ao final de cada dia). O GT será realizado em dois dias, num total de 8 horas. O número de trabalhos aceitos pelo Coordenador do GT deverá levar em consideração esta limitação.

. As propostas de GTs serão feitas por professores dos departamentos que compõem o CCHLA e deverão ser enviadas para a Coordenação da XI Semana de Humanidades, sala 119 (fone: 2153573), até o dia 7 de abril. As propostas deverão ser entregues em disquete ou pelo email ( humanidades@cchla.ufrn.br ), com cópia em papel, contendo as seguintes informações: nome do(a) professor(a) coordenador(a) – máximo de dois por GT –, endereço eletrônico (email), departamento, título do GT, resumo com no máximo 20 linhas de 75 toques (ver modelo em anexo). Os GTs poderão ser interdepartamentais. A Coordenação da XI Semana de Humanidades divulgará a relação de GTs, com seus respectivos coordenadores e emails de contato, na página do evento (www.cchla.ufrn.br) e quadros de avisos. Serão aceitas apenas as 22 primeiras propostas de GT dada a limitação de espaço disponível.

. Os proponentes de trabalho para os GTs deverão, até a quarta-feira 30 de abril, entrar em contato com os coordenadores dos GTs, através dos emails divulgados, fornecendo as seguintes informações: nome do proponente, departamento ou instituição, título do trabalho, resumo (máximo 20 linhas de 75 toques, em Times New Roman, 12)(ver modelo em anexo). Os proponentes de trabalho para os GTs serão informados pelo Coordenador do GT da aprovação de sua proposta. Os Coordenadores de GTs fornecerão à Coordenação da XI Semana de Humanidades a lista completa dos trabalhos a serem apresentados no GT, por dia de apresentação, na ordem de apresentação, até o dia 5 de maio. A lista incluirá: título do GT, resumo do GT, nome(s) do(s) coordenador(es), seguidos de cada um dos trabalhos a serem apresentados, incluindo as seguintes informações: título, nome do(a) apresentador(a) do trabalho, nome(s) do(s) autor(es) e resumo. A lista será entregue em disquete ou pelo email ( humanidades@cchla.ufrn.br ), com cópia em papel, na fonte Times New Roman, 12. (Ver modelo anexo.) Os Coordenadores de GTs devem informar até o dia 5 de maio se necessitarão de cópias-xérox e transparências. Haverá apenas três auditórios equipados com data-show. Estes serão alocados aos três primeiros proponentes de GTs. Todos os demais auditórios/salas onde serão realizados os GTs terão retroprojetor. Quem necessitar de projetor de slides e/ou TV-Vídeo deverá informar à Coordenação até o dia 5 de maio.

. A participação nos GTs é aberta a todos os interessados. Aqueles que desejarem receber Certificado de Participação deverão assinar a lista de presença, fornecendo o nome completo.

ATENÇÃO: Os certificados serão entregues aos apresentadores de trabalho pelos próprios Coordenadores dos GTs, no local da apresentação, ao final do dia de trabalho. Receberão certificados apenas os apresentadores de trabalho. Co-autores não receberão certificados. Orientadores de trabalhos apresentados por graduandos e mestrandos não receberão certificados. Os Certificados de Participação serão entregues a partir do dia 17 a 31 de junho na sala 119 do CCHLA.

RESUMOS DOS

GTs
GT-01: COMUNICAÇÃO, CULTURA & MÍDIA

Coordenadores:

Prof. Dr. Adriano Lopes Gomes (Departamento de Comunicação)

Profª. Drª. Olga Maria Tavares (Departamento de Comunicação)

E-mail: comidia@cchla.ufrn.br

Local/horário: Sala 229-CCHLA, mini-auditório de Comunicação Social, 25 lugares, terça e quarta, 20 e 21 de maio, 14:00-18:00h.

O GT tem o objetivo de apresentar estudos e reflexões relacionados com

o fenômeno da comunicação e suas vertentes, privilegiando análises da linguagem midiática sob a perspectiva das Teorias da Comunicação e da Semiótica.

Serão consideradas propostas de trabalhos que estejam inseridos sob estas áreas de concentração:

1. Comunicação e leitura

2. Comunicação e meio ambiente

3. Comunicação e linguagem publicitária

4. Comunicação eletrônica: rádio, tv e mídia digital

RESUMOS

1. Da Coca-Cola Ao Absorvente – Desvendando a Alma do Negócio

Cilene Alves Menezes de Freitas

François de Oliveira Ferreira

Joyce de Oliveira Lessa

Vinícius Nascimento de Albuquerque

Ao longo da sua história, a publicidade procurar se adequar à época em que está inserida. O produto divulgado é colocado como sendo parte da sociedade, como se ele fosse algo inerente ao consumidor. O presente trabalho visa comparar as peças publicitárias de alguns produtos no início da década de 40, anos 70 e final do século XX, início do XXI. O texto publicitário, qualquer que seja a mensagem implícita, é o testemunho de uma sociedade de consumo e conduz a uma representação da cultura a que pertence, permitindo estabelecer uma relação pessoal com a realidade particular. Seu intuito primeiro e explícito é o estímulo à venda e à compra de um produto, vindo logo a seguir a ênfase colocada em determinado aspecto de uma cultura, como um projetor poderoso, sem deixar de criar em torno de si algumas zonas de sombra.



2. Rádio AM em Natal: História e Possibilidades

João Paulo Azevedo de Araújo

Este trabalho tem por finalidade traçar um perfil da realidade das emissoras de rádio AM da cidade de Natal. Para tanto, será feito um breve estudo sobre a história das rádios que atuam hoje na capital potiguar. Contudo, o trabalho não se restringe a descrever a história dessas emissoras e a fazer uma análise de suas programações como é comum nos poucos trabalhos publicados sobre o assunto. O objetivo é fazer um estudo sobre a realidade hodierna desse segmento da radiofonia em Natal, analisando as condições tecnológicas e comerciais das emissoras, servindo-se para isso de referências a sua história e a sua programação.

3. O Ser Humano sob o Olhar dos Fotógrafos Sebastião Salgado e Joel Peter-Witkin

Ana Paula Costa da Silva

Brunno Ralph dos Santos

Caio Khayam Neves de Souza e Nunes Dias

Jorge Ricardo Dias Santiago

Kaline Sampaio de Araújo

Lianne Pereira da Motta Pires

Verônica Nogueira Campos

Este trabalho faz uma análise comparativa entre dois fotógrafos contemporâneos: Sebastião Salgado e Joel Peter-Witkin. O primeiro, natural de Minas Gerais, nasceu em 1944. O segundo, natural de Nova York, nasceu no ano de 1939. Um dos maiores fotógrafos brasileiros de todos os tempos, Salgado passou a se dedicar ao ofício somente em 1973, quando abandonou a Economia. Witkin, conhecido mundialmente por suas fotografias, iniciou sua carreira aos 17 anos, em um circo de horrores de Coney Island. Sebastião Salgado realizou inúmeras viagens por países devastados pela fome, pela miséria e pela guerra, fotografando as vítimas da desigualdade e da exclusão social, podendo ser considerado, portanto, um adepto da “fotografia engajada”. Joel Peter-Witkin fotografa temas visualmente chocantes, sendo considerado por alguns como macabro e sensacionalista. Retrata desde imagens de mutilados e hermafroditas a cadáveres ou seus pedaços. Fundamentado nos pressupostos teóricos da análise de conteúdo, bem como levando em consideração as técnicas de fotografia, o contexto da imagem e a história de vida dos fotógrafos, este trabalho analisa algumas das principais obras dos dois autores, relacionando-as entre si na forma como retratam o ser humano.

4. O Jogo da Esquerda: O Marketing Eleitoral do Partido dos Trabalhadores (PT) e as Eleições para o Governo do Estado

Sandra Pequeno

A análise do Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral – HGPE – na campanha para o Governo do Estado em 2002 apresentou alguns avanços em relação à de 1998, em especial no que se refere ao nível da argüição dos debates políticos dos programas eleitorais. Porém, apesar disso, alguns problemas persistiram, principalmente aqueles relativos ao uso das estratégias de marketing dos programas, em especial, a utilização do marketing eleitoral promovido pelo PT, tema desta pesquisa. De certo, no ano de 2002, observamos o crescimento do Partido dos Trabalhadores no âmbito nacional. Neste contexto, coloca-se o Marketing político e eleitoral como um dos constituintes da vitória do PT na disputa nacional. Resta saber, se tal contribuição atingiu aos demais pleitos a qual o partido disputava, em especial no Estado do Rio Grande do Norte, e mais precisamente, a disputa para o Governo do Estado. O presente estudo empreende uma análise da visão acerca do marketing político e eleitoral apresentado pelo Partido dos Trabalhadores do Rio Grande do Norte (PT/RN) nestas eleições, mas especificamente, o estudo do HGPE. Objetiva, desta forma, analisar as diretrizes que deram vazão ao trabalho articulado pela coordenação de comunicação do partido, de que forma foi trabalhado o paralelo entre “tecnólogos e ideólogos” dentro de um projeto de comunicação que necessitava ultrapassar as barreiras do anonimato e apresentar o seu candidato ao governo do Estado.

5. Barcelona Virtual: Nunca Foi Tão Acessível a um Pequeno Município ler Sobre Si Mesmo.

Adriano Medeiros Costa

A pesquisa é uma revista virtual (www.barcelonarn.hpg.com.br) que tem um enfoque jornalístico e educacional. Procurando analisar as características artísticas, históricas, geográficas, econômicas, lingüísticas e sociológicas do município de Barcelona, Rio Grande do Norte, Brasil. O site é dirigido à população de Barcelona, mas também é útil a qualquer pessoa interessada em assuntos ligados ao sertão do nordeste brasileiro. No site destaca-se a aparência tipicamente sertaneja, ela é resultado do compromisso com o Movimento Armorial. O que difere o site de Barcelona de outros é que ele não é turístico, nem sua preocupação é a de formar professores, mas orientar comunidades inteiras através da notícia e da informação. A preocupação não é a de fornecer notícias didaticamente para uso em sala de aula, embora também tenha essa utilidade, mas possibilitar que pequenas comunidades se conheçam, tenham consciência de sua própria realidade e sua cultura para que tenham visão própria (tendo por base sua cultura) da realidade em que vivem. Para que cientes dos problemas, vantagens e potencialidades, passem a agir pela melhoria de suas condições de vida. Isto é, usar o Jornalismo como instrumento de mudança e de consciência.

6. A Ressurreição Anarquista: Breve História Fenomenológica da Noção de Estado e a Possibilidade de sua Desconstrução Através de uma Aliança Estratégica da Mídia com o Terceiro Setor.

Marcelo Bolshaw Gomes

Não se trata de retomar o anarquismo insurrecional de Bakunin ou de Proudhon. Este texto pretende discutir a situação atual do Estado, investigando sua evolução histórica, teórica e, principalmente, o desenvolvimento do conflito entre as esferas pública e privada. É intenção deste demonstrar que o atual impasse entre os modelos de 'Estado da Providência', de inspiração keynesiana, e de 'Estado Neoliberal' aponta para uma terceira solução, um 'Estado Mínimo Social', em que a esfera pública interferir seletivamente no mercado e na vida social, uma sociedade democrática em que as instituições gozem do máximo de autonomia em relação ao estado e em que os indivíduos desfrutem do máximo de autonomia pessoal em relação às instituições. O anarquismo contemporâneo é ancorado na teoria da complexidade e na possibilidade de desenvolvimento máximo das liberdades. Diferentes visões estruturam discutem a crise do Estado nas Ciências Sociais contemporâneas. Destaco aqui três contribuições: Adam Przeworski (1995), que articula a questão do Estado ao conflito entre o mercado e a democracia; Peter Evans (1993), discute se o Estado é um problema ou uma solução para sociedade; e, finalmente, Boaventura de Souza Santos (1996), que apresenta a hipótese de que o Terceiro Setor possa oferecer uma solução ao impasse existente entre a esfera estatal e o mercado. No entanto, como veremos, essas são respostas ainda parciais à questão da crise atual do Estado, mas apontam para necessidade de uma reforma social (uma desconstrução da esfera pública) e para a aliança estratégica entre os meios de comunicação e o Terceiro Setor. Para compreender esta discussão, porém, é preciso antes retroceder no tempo e pensar primeiro na evolução histórica do Estado e de seus principais pensadores.

7. Mídia e Imaginário: O Poder das Telenovelas na Cidade de Caicó/RN

Márcio Roberto de Sousa Brito

Neste início do século XXI, mais do que nunca, a televisão é uma das representações culturais que mais interfere no cotidiano das pessoas implementando ritmos diferenciados a funcionalidade citadina. Se na década de 60 espaços públicos como praças, calçadas desempenhavam a função de aglutinar pessoas, hoje é a televisão, localizada nos espaços privados das residências detém o poder de seduzir, direcionando as ações dos indivíduos em termos espaço-temporais. É fato que o desenvolvimento e aperfeiçoamento das “tecnologias da inteligência” possibilitaram uma ampliação e disseminação da informação da sociedade. O nosso conhecimento está sendo adquirido cada vez mais através de imagens transmitidas pela televisão. A telenovela, por exemplo, tem mobilizado diariamente milhares de pessoas. A novela revela debates, discussões sobre problemas do nosso cotidiano domina, portanto, a programação nacional. Nesse contexto, a emissora que mais produz novela é a Rede Globo de televisão. A nossa pretensão é realizar um estudo a partir de um corpus televisivo, do poder que as imagens, sobretudo as veiculadas pelas telenovelas e sua interferência no território de Caicó, no imaginário coletivo de seus habitantes. Partindo do pressuposto que nessa era do espaço virtual, da imagem, o território, o nosso conhecimento, vêm sendo alimentado e influenciado pela mídia. Com base no que foi exposto, o trabalho busca compreender como o imaginário social é trabalhado pela mídia televisiva a partir das telenovelas da Rede Globo, veiculadas no horário das 20hs, no período de setembro de 1999 a fevereiro de 2003.

8. Memória Social, História, Cultura e Representações Sociais – SIP As Representações de Manoel Rodrigues de Melo e a Casa Euclides da Cunha, No Rio Grande Do Norte

Maria da Salete Queiroz da Cunha

A pesquisa tem por objetivo (re)constituir as representações da Casa Euclides da Cunha, instituição cultural voltada para estudos regionais, idealizada e fundada pelo escritor potiguar Manoel Rodrigues de Melo, com a colaboração de intelectuais contemporâneos e cujo órgão de divulgação foi a revista BANDO, que circulou na década de 1949-1959, articulando os intelectuais potiguares em torno do movimento que ficou conhecido nos meios literários norte-rio-grandenses e nordestinos como Bandoleirismo. METODOLOGIA: Através de estudos teórico-metodológicos, ancorados na vertente interpretativa da Nova História Cultural, estão sendo interpretadas as práticas culturais do intelectual potiguar Manoel Rodrigues de Melo e a repercussão dessas práticas no âmbito de um novo pensamento da realidade norte-rio-grandense e nordestina. RESULTADO: Constata-se no decorrer da pesquisa a contribuição dos estudos do intelectual-bandoleiro, através de um trabalho de pesquisa das raízes nordestinas brasileiras, sob os aspectos social, histórico, etnográfico e folclórico. CONCLUSÃO: A Pesquisa, em fase de conclusão,, deixa entrever claramente os relevantes serviços prestados à cultura brasileira pela Casa Euclides da Cunha, no que diz respeito à fomentação e divulgação de uma nova representação da realidade norte-rio-grandense e nordestina, com repercussões diretas no processo de educação formal e informal do Rio Grande do Norte.

9. Análise Semiótica do filme “Matrix”

Olga Maria Tavares

Sob a perspectiva da oposição semântica Real vs Virtual, o filme “Matrix” apresenta elementos que revelam a produção de sentidos de suas imagens e os efeitos de sentido que elas evocam. A estratégica fílmica é toda construída em cima de arquétipos míticos do nosso imaginário, de situações do nosso cotidiano e de visões estéticas metalingüisticas. A análise que se propõe é desvelar esse percurso narrativo do texto fílmico para que se possa apreender o seu significado e compreender o universo cinematográfico que os diretores, os irmãos Larry e Andy Wachowsk, idealizaram na sua completude. Nesta frenética ficção científica existe uma trajetória narrativa imagética que não prescinde dos fatores que complementam a condição humana nas suas necessidades mais elementares, como o sonho, a religião, a dúvida existencial. Há, no texto fílmico, um poder de metamorfosear a miserável existência do não-saber na possibilidade de poder-ser e, assim, modificar tanto o indivíduo comum quanto o mundo ilusório que ele próprio criou e não suporta.

10. Weblog– Ferramenta de Comunicação e Tribalização na Sociedade Pós-Moderna

Frankjarbe Vitorino

O presente trabalho tem como principal objetivo analisar uma nova modalidade de comunicação que surgiu há algum tempo na internet, os weblogs, também conhecidos como diários virtuais. Através desta ferramenta os usuários tem total liberdade para publicar o que quiser na rede mundial de computadores. Além disso observa-se que este novo serviço contribui para o desenvolvimento de um fenômeno social já profetizado por alguns estudiosos da pós modernidade, a tribalização. Os blogs dão a oportunidade de aproximar as pessoas que compartilham as mesmas idéias, mesmo que estejam separadas geograficamente. Também são um importante veículo de comunicação que vem ganhando a adesão de profissionais como os jornalistas que podem transmitir suas próprias opiniões, isenta da tão aclamada imparcialidade, a exemplo do que aconteceu recentemente no último conflito iraquiano.



11. Ensaio Foto-Radiográfico – Natureza Oculta

Eliel de Souza

O autor apresenta um ensaio “foto-radiográfico” que trata de um novo processamento imagético oriundo da associação da radiografia de alta resolução de uso médico com a digitalização imagética, tendo como assuntos: pequenos animais, componentes vegetais, insetos etc. Visa o autor agregar elementos que corroborem os estudos de espécimes nas áreas da botânica, zoologia, entomologia, agronomia, arqueologia, antropologia e outros campos do saber, propiciando, inclusive, a aplicação do novo método na produção artística, tendo por base a fusão de conhecimentos médicos com os recém adquiridos conhecimentos na disciplina de Fotojornalismo do Curso de Comunicação Social da UFRN.

12. Moda é Memória

Sarina de Albuquerque de Sena

Algumas de nossas peças de roupas nos fazem lembrar de momentos especiais de nossas vidas. Elas possuem o poder de desencadear na gente uma série de lembranças de algum momento ou ocasião na qual estávamos vestidos com elas. Outras roupas são capazes de nos fazer lembrar de alguma época ou de uma famosa personalidade. Como é fácil se lembrar de Marilyn Monroe ao olhar um vestido branco, decotado e esvoaçante, tal qual o usado pelo mito. Ou então associarmos a minissaia aos anos 60. Entretanto, a moda é capaz de nos trazer muito mais que mera lembranças. A moda carrega consigo a história de uma época, a memória daquele momento, refletindo acontecimentos sociais, políticos, culturais e tecnológicos. Como um breve exemplo dessa afirmação, voltemos à minissaia dos anos 60. Além dela nos remeter àquela época, ela nos informa da busca da liberdade daqueles anos, do predomínio do jovem na sociedade, da liberação sexual feminina proporcionada pela invenção da pílula anticoncepcional. Assim, pretende-se com esse estudo evocar a memória que a Moda suscita.

13. No Ar: Um Projeto de Incentivo à Mídia Eletrônica

Alexandre Ferreira dos Santos

Este trabalho pretende relatar um projeto desenvolvido pelos alunos do curso de comunicação social nas habilitações de jornalismo e radialismo, vinculado à base de pesquisa “Comunicação, cultura e mídia”. O projeto toque de rádio tem por objetivo tornar mais dinâmico o veículo rádio, já que trata-se de uma área pouco explorada e de potencialidades reconhecidas. e por ser o rádio um veículo pouco procurado pelos concluintes do curso, havendo mercado profissional e uma real necessidade de estudos e melhor capacitação dos futuros profissionais, este projeto busca desenvolver atividades práticas e de pesquisa, propiciando um maior interesse e gosto por essa atividade profissional. O toque de rádio se propõe a funcionar como uma espécie de laboratório para os alunos que cursam comunicação social na ufrn. nele será possível , estudar, produzir programas e aliar teoria á prática. este projeto, sem dúvidas, contribui para promoção deste meio de comunicação de massa, presente na vida social e subestimado quanto á sua importância na sociedade.

14. Publicidade em CD-Rom: Um Panorama de sua Evolução e Linguagem

Taciana de Lima Burgos

Os meios de comunicação desde os tempos mais remotos sempre imprimiram nas sociedades características distintas de linguagem, onde cada época apresenta-se marcada pelo surgimento e evolução de um determinado meio comunicativo, cujas características incorporam uma maneira particular de representar o universo através da linguagem. Atualmente encontramo-nos na “era do computador”, aonde a interatividade vem a lume como palavra de ordem, passando a introduzir novos códigos comunicativos. Neste contexto surge a Publicidade em CD-ROM, uma nova forma de publicitar conceitos, produtos e serviços, caracterizada por uma composição lingüística impar, e que a cada dia ganha mais destaque graças a popularidade e versatilidade da mídia CD-ROM. A inclusão do CD-ROM na esfera publicitária evoluiu a mídia para novos formatos, tamanhos e capacidades de armazenamento; características que constituíram maneiras diferenciadas e inovadoras de comunicar publicitariamente; além de criar uma nova modalidade de publicidade digital interativa. Dessa maneira publicitar em CD-ROM marca a aplicação de uma linguagem diferenciada, a hipermídia, como também a união de elementos constituintes do design as linhas gráficas da publicidade tradicional. Dentro desse novo perfil lingüístico e comunicativo o presente trabalho tem como objetivo fomentar um estudo evolutivo do CD-ROM e dos elementos que compõem a linguagem utilizada na construção de conteúdos publicitários para essa mídia; como também contribuir cientificamente para elucidar mais uma modalidade lingüística oriunda da evolução comunicativa, publicitária e tecnológica.



  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   32


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal