Analec e os mercadores de liçÕES



Baixar 2.76 Mb.
Página1/37
Encontro02.12.2017
Tamanho2.76 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   37

COMENTÁRIOS DE LUZIRMIL – PARA AO RECANTO DAS LETRAS



10/12/2010 08:14

Grande! Caro Aldemar! Brilhantes palavras definindo cada filosofia! Voltei em sua página, desta vez para, além de ler suas deliciosas inspirações cordelísticas, agradecer-lhe pela sua atenciosa visita. Pelo que notei você achou interessante eu abrir uma janela para consultas de meus leitores às minhas publicações. Hoje vou abrir outra, entretanto só dos comentários que tenho enviado. O E-Livro vai intitular-se "OS COMENTÁRIOS DO LUZIRMIL" Um abraço a você, ó nobre colega.

Para o texto: ELA ESTÁ EM TODA PARTE. (T2661836)


De: aldemaralves

Apagar

10/12/2010 08:06

É grande Ysolda! Aparelho-te contigo em suas humildes palavras ao nosso Grande Amigo. A gente é tão inconstante! A própria lua, uma pedra bruta e redonda, mantém sua órbita para controlar a terra em sua inclinação para as estações do ano, e os cientistas comprovaram que se não houvesse a lua para tal controle nós deixaríamos de existir! Até a LUA Ele fez para muitos sentidos nossos, a começar das inspirações poética, como para a nossa própria sobrevivência, nesse planeta bizarro em que vivemos! Obrigado pela visita. Sou um assíduo leitor seu e por conseguinte seu fã, e um fã ao receber a atenção de seu ídolo se sente feliz. Abraços e parabéns por suas letras em geral e por esta belíssima oração.

Para o texto: HARMONIOSA PAZ (T1535086)


De: Ysolda Cabral

Apagar

08/12/2010 19:25

Esse seu poema do sono me deixou triste! Tenho dormido tão pouco que meu peso está diminuindo cerca de dois gramos por dia! Se continuar, em algumas centenas de dias, estarei tão magro, que só haverá osso! Quando durmo bem eu engordo, mas nos tempos atuais...ah...seu poema, oh! Que vontade de dormir, mas algo está errado aqui ó, dentro na piolhenta. Você saberia me receitar algo? que me ajudasse a esquecer da vida e dormir? Ah! As vezes penso que é a radiação alfa do monitor, já troquei o de tubo de raios catódicos pelo LCD há cinco anos atrás, e recentemente pelo de Leds, contudo parece que as radiaçãos estão sempre presentes. Quanto a opinião sobre publicações de textos, eu fiz igual as firmas que mandam combranças para alguém que já pagou, ainda bem que eles escrevem em baixo, "se já foi paga, ignore esta notificação" Eu digo o mesmo aqui querida Elenite, se você já sabia, ignore o que lhe instruí, e continue a seu gosto, que aceitarei e vou continuar comentando, como estou fazendo aqui...sempre com o incorrigível costume de estendê-los. Abraços do Lu.

Para o texto: DESLIGANDO... (T2658020)


De: elenite araujo

Apagar

08/12/2010 18:40

Dou a mão para o Ineifran. Luna, Luninha! Ficou nervosa com alguns papos. Não se estresse com as mazelas da política. Mas até que achei legal, sua bronca. Ainda bem que só votei na Dilma, mas me arrependi tarde, quando soube que ela vai por um tal ex-ministro (daqui da terrinha) para dirigir, "num sei u que" em seu governo. Acho que tem muita gente boa, novatos e inteligentes para ajudá-la a dirigir a nação. Colocar tijolos velhos e de má qualidade numa construção, é perder tempo para construir, pois vai ruir. Oh! Eu dando palpites!? Que horror! Logo vou me estressar também Luna. Deixa isso pra pra lá /vem pra cá / que é que tem? Esse papo de política / sempre faz mal para alguém./ Que o ex e o deputado / possam viver em nobreza. E vamos encher seus bolsos / com uma bela riqueza! Mas compor nossos poemas / defendendo a natureza!

Para o texto: Pois é... O cúmulo da falsidade humana (parecer) (T2660724)


De: Luna Di Primo PRIMA LUA

Apagar

08/12/2010 15:17

Ihh! Eu pensei que era biomassa? Muito bom cara Poetisa! Ah! Elenite, gostaria de lhe dar uma instrução, pois talvez não saibas. Clic em preferências e durante o tempo em que você pode de vez em quando acessar suas páginas no RL, escolha publicar comentários sem moderar, assim quem comenta o publica imediatamente pra ver ver se não ficou algum erro. Quando você for fazer alguma viagem, dê preferência a moderação, pois você nunca sabe o que vão comentar em nossos textos ao estarmos ausentes alguns dias. Estando porém sempre a acessar, podemos apagar qualquer comentário inadequado que se apresentar. Esse daqui, por exemplo, vou agora te enviar, porém não terei certeza se receberás ou não; mesmo aparecendo a mensagem "Seu comentário foi recebido com sucesso" mas o ou a comentarista fica sempre desconfiado/a que nada enviou! Bem, você é quem sabe! De qualquer forma continuo sendo seu admirador! Abraços.

Para o texto: PROBLEMAS DE B.I.O.M (T2565710)


De: elenite araujo

Apagar

08/12/2010 15:06

Ao ler a gente sente a virtude de suas orações, principalmente quando contém belos acrósticos, que para criá-los nos esquenta o cérebro! Fernanda seus elogios são como abraços apertados. Sinto-me espiritualmente aconchegado a sua alma! Obrigado, querida pelas palavras de incentivo. Você já leu o meu jogo dos sete? Se ainda não leu vai lá. Um abraço de irmão, somos filhos de Deus e nos amamos na fraternidade divina.

Para o texto: DEUS TE GUARDE (T2660257)


De: Fernanda Xerez

Apagar

08/12/2010 14:58

E vamos nos encontrar na eternidade, querida Elenite. Tudo que você pensou e escreveu neste seu poema, eu penso e escrevo manuscritamente quando estou lááááá...no norte de minas em meio ao cerrado, mormente nestes dias autuais (a semana passada estive lá) quando as diversas qualidades de árvores se apresentam verdíssimas; um verde escuro pouco contrastando com o azul escuro do céu tropical. Ah! Elenite! Se eu tivesse dinheiro para ficar só em meio às matas! Puxa vida! Tudo lá é delicioso, o ar puro dá uma força ao coração, enquanto que aqui, como agora mesmo, me dá é muita palpitação, tudo por que o oxigênio está num nível baixo para a respiração! Uahaha,uahaha,uahaha...choro de vontade voltar. Vá ler meus dois cordéis que publiquei agora há pouco, foram tirados de minhas reflexões de hoje mesmo, pela lembrança da viagem que fiz, foi a de número 85 desde 1982 às regiões de Januária, longe de Ribeirão cerca de 1100 km. Chega de tomar seu tempo. Um beijo, e obrigado pelo carinho da visitas. Até!

Para o texto: PARAÍSO NA TERRA. (T2660195)


De: elenite araujo

Apagar

08/12/2010 12:59

Acho que nosso anjo é o mesmo Renato! Que lindo cordel! Mexeu no depósito de minhas lágrimas! Parabéns, ó venerável artista! Mas o pastor passou apertado contigo, não resta dúvida. És uma alma pura. Uma mistura de poeta e anjo. Um abraço do Lu, e obrigado pelo elogio.

Para o texto: Meu segredo. (T2659982)


De: Renato Lima

Apagar

08/12/2010 11:28

Que beleza, cara Elenite! Mexeu com meus sentimentos cristãos! E eu pensando que era algo relacionado a erotismo. Não precisas mudar o tema, mude de "poesias" para "orações". Convictos em Cristo, não apreciam palavras, como gozo, nudez, carnalidade e muitas outras, usadas para os prazeres do corpo, no meu caso reservadíssimos entre eu e minha esposa, Bla, bla, bla, etc. Te amo Elenite e te admiro muito. Considero-te como uma das CONVICTAS cristãs. Entre um ateu e um convicto há a simples diferença de serem avessos um ao outro!

Para o texto: NUA. (T2656369)


De: elenite araujo

Apagar

08/12/2010 11:12

Puxa vida! Ysolda. Enquanto eu ia com o milho, você já vinha com a farinha prontinha! Eu indiquei-te em meu jogo dos sete, mas estava muito atrasado. Entretanto fiquei maravilhado em ler seu texto. Entretanto passa-me a mente que na sexta frase de seus sonhos renegas alguma porcentagem deles...Bem continuo ser seu admirador, sempre no bom sentido, sentido da intelectualidade. Parabéns.

Para o texto: O JOGO DOS "SETE" (T2644486)


De: Ysolda Cabral

Apagar

08/12/2010 10:42

Elenite, no bom sentido: Eu te amo! Que bom vê-la de novo em minha página. E que maravilhosas palavras apontando a distância como um fator reflexivo para o amor. Parabéns. E muito obrigado pela observação em meu tema sobre o convite. Vou correndo mudar o convie para convite. Um abraço apertado pra você.

Para o texto: DISTÂNCIA. (T2658045)


De: elenite araujo

Apagar

08/12/2010 09:51

Que bacana! caro Aldemar. Você, sempre com sua alegria e argúcia poética-cordelista. Parabéns nobre colega, li agora ha pouco diversos textos seus. É uma delícia ler seus arranjos! E muito obrigado pela visita ao "COPO, A MORINGA E O GALÃO". O caminhoneiro entregador de água tem sido um tal de peregrino, que realmente já se viu às voltas com algum anjo. Um grande aperto de mão pra você.

Para o texto: QUATRO COISAS INCORRETAS. (T2659718)


De: aldemaralves

Apagar

08/12/2010 07:07

Bom dia Malu. Vim aqui substituir meu comentário sobre o jogo dos sete pelo fato de ter percebido no texto conotações com minha exaltação pessoal. Bem, sobre o texto eu fiquei maravilhado, por ver que você é uma autêntica recantista. Uma poetisa de primeira linha, que gosta de levantar antes das seis, que se aborrece com a falta de ética e odeia indiferenças. Isso tudo eu também sou contra. Sobre o comentário apagado, logo você vai ler um cordel com o sentido absoluto nas três vasilhas, porém sem me aparecer como o "bonzinho", mas será um texto divertido de ler. Envio-lhe mais um abraço e mais parabéns.

Para o texto: Jogo dos sete (T2646059)


De: malu Dab

Apagar

07/12/2010 22:07

É mesmo, cara Anabailune. Encontrei os sete textos de sete frases, entretanto com dez convites! Ora bolas, não vi lá o famoso Luzirmil!! (famoso na boca das organistas e pianistas de minha região, onde sempre vivo fazendo algum reparo em órgãos ou afinando algum piano velho) Mas vamos ao número sete. Há na Bíblia Sagrada a citação de que aquele número é um número divino, e por sinal, ele, na crença da numeralogia enigmática, define o dom dos poetas, enquanto que o número seis, define o dom dos macumbeiros. Macumbeiros e poetas são amigos, porém desconhecidos, uns dos outros. São semelhantes aos números seis e sete, que parecem próximos, mas ficam completamente desconhecidos quando transformados em conjuntos numéricos. Mas acho que, não só a crendice na força dos números, mas tudo que se relaciona à crendices, não passa de uma das PERNAS da mãe LITERATURA contendo gangrena, contaminada com letras misturadas às equações matemáticas que fazem das raízes quadradas algo assombroso, até para quem entende! Sete pra cá, sete pra lá, deixa quem vem, deixa que vá, mais num deixa o seis entra! Um abraço do Lu, cara Ana.

Para o texto: JOGO DOS SETE (T2640020)


De: anabailune

Apagar

07/12/2010 12:24

Grande tema, gigante Poema! Parabéns Renato! E veja se participa do jogo dos sete! Serão centenas de colegas se conhecendo melhor. Um abraço do Lu e obrigado pelo Email enviado.

Para o texto: O castelo da fé (T2658160)


De: Renato Lima

Apagar

07/12/2010 12:17

Grande e reflexivo pensamento querida Ana! No último parágrafo senti-me abraçado por suas palavras! Justamente hoje, dia 7 de dezembro de 2010, que eu, ao acordar me vi envolvido por uma névoa de incerteza. Meus parabéns pela bela redação. Me vi envolvido com o passado num tempo em que morei, (quando criança, lá pelos anos de 1954) numa casa que continha uma janela bem ao lado de minha cama de dormir. Muitas vezes eu ficava em pé sobre a cama, olhando pela janela o mato crescido da rua mal cuidada, porém florida, com flores cor de laranja. Eram muitas e eu achava-as uma lindeza, como uma lindeza achei sua palavras. Bem, você não vai participar do jogo dos sete? Faço-te um convite e me sentirei honrado se aceitar. Visite o meu e procure publicar o seu que imediatamente estarei lendo. Um beijo do Luzirmil, com carinho especial de muita consideração.

Para o texto: Reflexão Matutina (T2657876)


De: anabailune

Apagar

06/12/2010 21:17

Foram diversas as vezes, (lá pela década de cinquenta) que eu via passar numa rua aos fundos do meu arraial, uma tropa de burros. Quando eles passavam já aguardávamos para ver, dentro do uns dois ou três dias, uma enorme quantidade de bois tocados pelos valentes boiadeiros. Eu os achavam tão poucos a conduzir tanto gado. A tropa era uma espécie de guia que passava adiantada. Eu ficava admirado quando algumas vezes via, cerca de uns quatro quilômetros do arraial, atravessarem um rio. Era impressionante! Oh! Que nostalgia senti ao me lembrar daqueles animais, tanto da manada de burros, como da boiada! Que sofrimento! Lembrei-me de uma música do Jair Rodrigues por nome DISPARADA e da história que um velho boiadeiro me contou. até assentei em e um de meus livros, contendo duzentas páginas cujo título é "DUAS LUZES NO HORIZONTE" Parabéns Renato e grato pela terna recordação que me trouxeste do meu tempo de menino. Uma abraço. E participe do jogo dos sete.

Para o texto: Tropeiros no Brasil (uma homenagem aos tropeiros.) (T2579462)


De: Renato Lima

Apagar

06/12/2010 21:03

Para nós, poetas e escritores brasileiros é a mais perfeita linguagem. Nunca fica pela metade as suas definições e nem de trás para a frente. Ela um dia será a linguagem do mundo! Parabéns Renato e participe do jogo dos sete.

Para o texto: A última flor do Lácio. (T2611581)


De: Renato Lima

Apagar

06/12/2010 20:59

Eta bagunça de policial! A coisa deve ter se encrespado no pedaço da rodoviária. Você é dez, Renato. Parabéns.

Para o texto: Remédio pra bebedeira (humor) (T2618521)


De: Renato Lima

Apagar

06/12/2010 20:55

Muito sentimental, Renato. Palavras em versos bem colocados dão um desfecho de perfeito entendimento do caso. Parabéns.

Para o texto: Amor de negro. (T2623046)


De: Renato Lima

Apagar

06/12/2010 20:51

Eu acabei foi rindo muito, viu Renato. Parabéns nobre colega.

Para o texto: O obreiro da palavra. (T2624616)


De: Renato Lima

Apagar

06/12/2010 20:48

Dura vida, certamente viveram, não Renato? Mas penso que era até legal, viver daquela forma! Parabéns, caro amigo.

Para o texto: O homem das cavernas. (T2631862)


De: Renato Lima

Apagar

06/12/2010 20:43

Bem lembrado Renato! Acho que vai ser uma chave para abrir alguma porta àqueles combatentes anônimos, que devem ter sofrido muito sob as chibatas dos sargentos comandantes. Ainda bem que deles também não há lembranças. Um abraço, caro amigo. Esperei você ajuntar alguns cordéis para lê-los de uma vez como estou fazendo agora. Ah! indiquei seu nome no jogo dos sete. Me leia lá e volte a me comentar. Faça o seu também. Um grande abraço de seu admirador - Luzirmil.

Para o texto: Soldados da borracha (homenagem aos seringueiros) (T2647344)


De: Renato Lima

Apagar

06/12/2010 19:05

Beleza! Juliana! Você é o retrato da dinâmica Joana Dark, a guerreira revolucionária da história. Parabéns pela bela apresentação de seus valores, mesmo nos negativos, (que seriam os defeitos) os incidem em si mesma, sendo uma forma de sabedoria aplicada para ao próximo não incluir. Fiquei feliz em ter sido visitado por ti novamente. Desejo-lhe tudo de bom, um feliz Natal e um Ano Novo cheio de sucessos. Abraços do luzirmil.

Para o texto: O JOGO DOS 7 (T2656809)


De: Juliana S Valis

Apagar

06/12/2010 13:59

Pois é Tânia. Eu dos espanhóis só tenho lembranças negras lidas nas histórias do mundo, quando os descobridores vindos daquela região báltica acabaram com a civilização maia. Não tenho nada contra, mas sua reportagem me aumentou a repulsa pelos dirigentes daquela nação. Mas enfim, sua crônica foi muito boa. Um abraço e obrigado pelo elogio ao jogo dos sete.

Para o texto: CRÔNICA DE VIAGEM À TERRA DE CERVANTES (T2655307)


De: Tânia Meneses_1

Apagar

05/12/2010 22:49

O pior é que não adianta contar carneirinhos. Mas colocar uma cortina entre os pensamentos e o raciocínio você pode fazer: é simples: desligue a parte superior da inferior, vire ao avesso o depósito de pensamentos e eles te deixarão dormir, depois ao acordar é só reinverter a operação. Ora, nem sei o que falei! Mas eu procuro dormir esquecendo tudo. Na verdade faço uma força tremenda, mas quando estou quase me cansando, durmo. Abraços a você e feliz insônia. Cérebro que muito se exercita adquire este dom, o dom de não dormir muito.

Para o texto: POEMINHA QUE NÃO DORME... (T2654114)


De: Juliana S Valis

Apagar

05/12/2010 21:40

Que lindeza, cara Betânia! Te conhecer acirrou-me a alegria por te contar entre os leitores de meus textos. Muito obrigado pela visita, Um forte abraço pra você e a todos os seus entes queridos.

Para o texto: JOGO DOS SETE (T2641067)


De: Betânia

Apagar

05/12/2010 21:29

Nossa Juliana! Os advogados são senhores dessa supremacia. Hoje recebi um email, sobre os advogados materialistas! Credo, o Dr. perdeu um braço num acidente e ficou sentido pelo sumiço de seu relógio Rolex que estava no braço arrancado!Puxa vida Juliana! Oh! querida! você sumiu de minha escrivaninha. Deu-me tanto valor que jamais a esquecerei. Ah! você conhece o Jogo dos sete. Coloquei seu nome nos meus indicados. Vá lá, me leia e participe que vou urgente te ler.

Para o texto: SUPERAR... (T2629097)


De: Juliana S Valis

Apagar

05/12/2010 21:18

Excelente, cara Sílvia! Agora te conheço melhor. Parabéns e obrigado pela participação.

Para o texto: JOGO DOS SETE - (Entrevista com Silvia Regina) (T2640479)


De: Silvia Regina Costa Lima

Apagar

05/12/2010 21:10

Uai, Tânia, por que você fez isto? Há alguma melhoria? Se houver vou abrir uma também. Bom, de qualquer forma vou visitá-la, não tenha dúvida. Um abraço do Luzirmil.

Para o texto: AVISO AOS AMIGOS DO RL (T2655311)


De: Tânia Meneses_1

Apagar

05/12/2010 21:07

Só os advogados ganham em mentira grandiosa, caro Otávio. Entretanto aprendem nas universidades, mas um dia vamos acabar com isto, vamos sim, ora se vamos! Obrigado pela visita e participe do jogo dos sete, que estão levando a cabo no RL. Leia meu texto "O JOGO DOS SETE" e escreva um. Todos estão lendo os tais textos. Um abraço do Luzirmil.

Para o texto: Falado e pensado (T2649580)


De: OTAVIO JM

Apagar

05/12/2010 20:36

Como sempre, bem inspirada, querida Sílvia. Na Luz dos olhos meus, lá no profundo, está minha alma que te ama fraternalmente e com alegria, por ter uma poetisa amiga. E o jogo dos sete? Se não foi convidada faço-lhe um convite assim nos conheceremos melhor no Recanto. Um forte abraço pra você e parabéns pelo novo e belo soneto.

Para o texto: NA LUZ DOS OLHOS MEUS - (Soneto n.169) - Silvia Regina (T2654998)


De: Silvia Regina Costa Lima

Apagar

05/12/2010 15:42

Rosa! A profundidade de seu poema sangrou meu coração! Palavras eruditas, temperadas com inteligentes colocações me fizeram lembra das guerras que a gente assiste em filmes, mas que certamente vai acontecer algum dia. Olha fiz apenas esta visitinha rápida, mais para lhe agradecer ao seu metódico comentário em minha página. Um abraço pra você e aguarde, que assim que eu me desocupar de alguns deveres a cumprir por aqui, estarei te lendo e comentando. Até mais.

Para o texto: AOS HERÓIS DO RIO (T2654297)


De: ROSA SERENA

Apagar

05/12/2010 06:54

Bom dia Miguel. Que bom que vim te encontrar logo cedo num belíssimo cordel, inclusive dotado de filosofia e conselho. Parabéns colega, pela linda disposição das frases. Um abraço e visite-me a qualquer hora.

Para o texto: BONITA VACA MALHADA (T2654184)


De: Miguel Jacó

Apagar

05/12/2010 06:49

Só o amor constrói. Se ele estiver vivo e livre haverá progresso em todos os sentidos, principalmente no sentido de bem querer ao semelhante. Muito linda sua mensagem, querida Cícera. Minha primeira leitura de hoje foi o seu: "NÃO DEIXE O AMOR MORRER..." para cujo texto envio-lhe meus parabéns e um abraço a você. Visite-me e ouça-me em áudios no RL; e vamos avivar o amor para não deixá-lo morrer.

Para o texto: NÃO DEIXE MORRER..... (T2654182)


De: Cicera Luisa Alves

Apagar

04/12/2010 21:55



  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   37


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal