Andando no Espírito :: Adorar



Baixar 1.04 Mb.
Página3/20
Encontro05.12.2017
Tamanho1.04 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   20

1- A Existência de Anjos:
a) O ensino das Escrituras.
A existência de anjos é ensinada em, pelo menos, 34 livros da Bíblia. A palavra "anjo" ocorre mais de 250 vezes.
b) O ensino de Cristo.
Cristo sabia da existência de anjos e a ensinava claramente (Mt 18.10; 26.53).

2- A Criação dos Anjos:
a) O fato.
O fato de sua criação é demonstrado em Colossenses (1.16).
b) O tempo.
Antes da criação do mundo (Jó 38.6,7).
c) O Estado.
Foram criados em santidade (Jd 6).

3- A Personalidade dos Anjos:
a) Intelecto (1Pe 1.12).
b) Emoções (Lc 2.13).
c) Vontade (Jd 6)

4- A Natureza dos anjos:
a) São seres espirituais ( Hb 1.14).
b) Não se reproduzem segundo a sua espécie (Mc 12.25).
Os anjos são mencionados nas Escrituras são designados pelo sexo masculino (Gn 18.1,2).
c) Não morrem (Lc 20.36).
d) São distintos dos seres humanos ( Sl 8.4,5).
e) Têm grande poder (2Pe 2.11).

5- O Número dos Anjos:
São inumeráveis (Hb 12.22).

6- Organização dos Anjos:
a) Um Arcanjo é mencionado.
Miguel (Jd 9)
b) Primeiros Príncipes (Dn 10.13).
c) Principados e Potestades (Ef 3.10).
d) Anjos da Guarda.
Para todos (Hb 1.14).
Para crianças ( Mt 18.10).
e) Serafins (Is 6.1-3).
Ligados à adoração a Deus.
f) Querubins (Gn 3.22-24).
Ligados à santidade de Deus.
g) Anjos Eleitos (1Tm 5.21).

7- Os Ministérios dos Anjos:
a) A Cristo.
1- Predisseram o Seu nascimento (Lc 1.26-33).
2- Anunciaram o Seu nascimento (Lc 2.13).
3- Protegeram a criança (Mt 2.13).
4- Fortaleceram a Cristo depois da tentação ( Mt 4.11).
5- Estavam preparados para defendê-lO (Mt 26.53).
6- Confortaram-nO no Getsêmani (Lc 22.43).
7- Rolaram a pedra que fechava a entrada ao sepulcro (Mt 28.2).
8- Anunciaram a ressurreição (Mt 28.6).

b) Aos Crentes.


1- Seu ministério geral é de ajuda (Hb 1.14).
2- Estão envolvidos com as repostas às orações (At 12.7).
3- Observam a experiência dos crentes (1Co 4.9; 1Tm 5.21).
4- Encorajam nas horas de perigo (At 27.23-24).
5- Estão interessados nos esforços evangelísticos (Lc 15.10; At 8.26).
6- Ministram aos justos na hora de sua morte (Lc 16.22; Jd 9).

c) Às Nações.


1- Miguel parece ter um relacionamento estreito com Israel (Dn 12.1).
2- Os anjos parecem ser agentes de Deus na execução de Sua providência (Dn 10.21).
3- Os anjos estarão envolvidos nos juízos da tribulação ( Ap 8, 9 e 16).

d) Aos Descrentes.


1- Anunciam juízos eminentes (Gn 19.13; Ap 14.6,7).
2- Infligem o juízo divino ( At 12.23).
3- Agem como ceifeiros na separação definitiva no fim dos tempos (Mt 13.39

ANJOS

O mundo invisível é constantemente descrito na bíblia como algo constantemente presente em nosso meio, não como uma realidade distante, mas como algo presente entre nós. Os anjos não estão apenas ocasionalmente presentes na Bíblia; eles estão constantemente presentes! O termo “anjo” ocorre mais de 250 vezes nas páginas da revelação eterna de Deus das Escrituras, não apenas descrevendo o que ele têm feito mas também mostrando as coisas que eles fazem em nosso dia-a-dia, além do que têm feito no passado.

“Não são, porventura, todos eles espíritos ministradores, enviado para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação?” Hb 1.14

A resposta da Bíblia é “Sim”, isto significa que o seu ministério aplica-se a nós – Hoje!



1. Cinco aspecto do ministério dos anjos

"Bendizei ao SENHOR, todos os seus anjos, valorosos em poder, que executais as suas ordens e lhe obedeceis à palavra. Bendizei ao SENHOR, todos os seus exércitos, vós, ministros seus, que fazeis a sua vontade." Sl 103.20,21

Os anjos existem para servir a Deus de cinco maneiras, pelo menos.

2. Variedade na aparência dos Anjos.

"Então, a mulher foi a seu marido e lhe disse: Um homem de Deus veio a mim; sua aparência era semelhante à de um anjo de Deus, tremenda; não lhe perguntei donde era, nem ele me disse o seu nome." Jz 13.6

Dependendo da sua ordem da criação, os anjos aparecem em diferentes formas.

3. Estrutura organizada no mundo dos anjos.

"pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele." Cl 1.16

Os anjos constituem uma sociedade estruturada.

4. A influência dos anjos sobre as nações.

"Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; porém Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu obtive vitória sobre os reis da Pérsia." Dn 10.13

Alguns anjos tem influências sobre as nações.



5. Anjos como mensageiros.

 "Um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Dispõe-te e vai para o lado do Sul, no caminho que desce de Jerusalém a Gaza; este se acha deserto. Ele se levantou e foi." At 8.26

Os anjos continuam ativos na edificação do reino de Deus, na qualidade de mensageiros.

6. Anjos da guarda – Cuidando de nós.

"Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra." Sl 91.11,12

Cada fiel tem seu anjo que o guarda.



7. Jesus e os anjos.

"Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer e que ele, enviando por intermédio do seu anjo, notificou ao seu servo João, o qual atestou a palavra de Deus e o testemunho de Jesus Cristo, quanto a tudo o que viu." Ap 1.1,2

Jesus está diretamente associado com os anjos por ocasião do seu nascimento, nos quarenta dias de jejum, em sua agonia na noite em que foi traído, na Ressurreição, na Ascensão e na sua segunda vinda.



8. Anjos caídos.

"Houve peleja no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e seus anjos; E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos." Ap 12.7-9

A mente e a compreensão dos anjos caídos foram tomadas por grande engano, tornando-os instrumentos da rebelião de satanás.

9. Espíritos Ministradores.

"Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?" Hb 1.14

Os anjos são espíritos ministradores.



10. Os serafins.

"Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobria o rosto, com duas cobria os seus pés e com duas voava." Is 6.2

Os serafins estão constantemente glorificando a Deus, supervisionando a adoração celestial.



11. Os querubins.

"E, expulso o homem, colocou querubins ao oriente do jardim do Éden e o refulgir de uma espada que se revolvia, para guardar o caminho da árvore da vida." Gn 3.24

Os querubins guardam o trono de Deus e estão diretamente relacionados com a presença e retirada da glória de Deus.



12. Os arcanjos.

"Contudo, o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo e disputava a respeito do corpo de Moisés, não se atreveu a proferir juízo infamatório contra ele; pelo contrário, disse: O Senhor te repreenda!" Jd 9

Arcanjo significa: Ser o primeiro. Representa o mais alto grau na hierarquia das hostes celestiais.

13. Lúcifer.

"Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo." Is 14.12-14

Satanás era um anjo, que sucumbiu ao orgulho.

14. Crentes acompanhados por anjos.

"Aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos para o seio de Abraão; morreu também o rico e foi sepultado." Lc 6.22

Os anjos acompanham os fiéis na presença de Deus, por ocasião da sua morte e os congregam diante de Cristo por ocasião do seu retorno.



Anjos, Querubins & Serafins

1- ANJOS

Seres celestiais mais elevados do que o homem em dignidade, Sl 8.6; Hb 2.7, que não se casam nem se dão em casamento, Mt 22.30. Pela sua natureza, são chamados filhos de Deus, pelo menos em poesia, Jó 1.6; 37.7, e pelo seu caráter, são chamados santos, Jó 5.1; Si 89.5,7. O seu oficio é determinado pela palavra anjo. Em outros livros da Bíblia, há indícios de duas categorias de anjos em oficio e dignidade, como sejam os arcanjos (chefes) e outros de inferior posição, 1Ts 4.16; Jd 9. Estas duas classes não são as únicas. Há os anjos caídos e os que não caíram; há tronos e domínios, principados e potestades, Rm 8.38; Ef 1.21; 3.10; Cl 1.16; 2.15. Querubins e Serafins, todos os quais parecem pertencer à classe angélica. As forças inanimadas da natureza pelas quais se opera todo o movimento econômico do universo são mensageiros de Deus, Sl 104.4. A pestilência e a morte, quando obedecem a atos especiais do governo divino, são representadas como operando sob a direção dos anjos, 2Rs 24.16; 19.25; Zc 1.7-17. Escapando à vista humana, acampam-se a roda dos que temem a Deus, Sl 34.7; Gn 28.12; 48.16; 2Rs 6.17; Is 43.9. O Anjo do Senhor apareceu em forma humana a Abraão, a Agar, a Ló, a Moisés e a Josué; aos israelitas em Boquim, a Gideão e a Manoé. Um anjo do Senhor apareceu a Elias e a Daniel. Os anjos ocupam lugar saliente na história de Jesus, anunciando o seu nascimento e o de seu precursor, proclamando o seu advento aos pastores, servindo-o depois de sua vitória no deserto e de sua angústia no jardim, Lc 22.43, Foram ainda os anjos que deram as boas novas aos discípulos na ressurreição e ascensão. Um anjo assistiu a Pedro, outro a Paulo. Alguns destes mensageiros de Deus são conhecidos pelos seus nomes, como Gabriel, Dn 8.16; 9.21; Lc 1.19,20: e Miguel, Dn 10.13,21; Jd 9; Ap 12.7. Há alguns anjos, enviados a executar ordens divinas, que são chamados Anjo do Senhor, 2Sm 24.16: 1Rs 19.5-7. Também se menciona um anjo, que em certas circunstâncias parece ser distinto de Jeová e que, no entanto se identifica com ele, Gn 16.10,13,14,33; 22.11,12,15,16; 31.11,13; Ex 3.2,4; Js 5.13-15; 6.2; Zc 1.10-13: 3.1,2. Assim, em Gn 32.30, se menciona um anjo em que se revelava a face de Jeová que tinha o nome de Jeová, e cuja presença equivalia a presença de Jeová, Gn 22.11; Ex 32:14: 33.14; Is 63.9. O anjo do Senhor aparece como uma manifestação de Jeová, um com ele e, todavia diferente dele.



2- QUERUBINS

Nome do guardião que o Senhor pôs à entrada do Éden para impedir que nossos primeiros pais se aproximassem da árvore da Vida, depois de serem expulsos do Paraíso, Gn 3.24. Quando se construiu a Arca para o Tabernáculo, foram trabalhados dois querubins, feitos de puro ouro, e colocados sobre a arca com as faces voltadas um para o outro, e cobrindo-a com as asas estendidas, Ex 25.18-20; 37.7-9. Simbolizavam a presença de Jeová, cuja glória se manifestava entre eles, Lv 16.2, e que habitava no meio de seu povo, estando presente no tabernáculo para receber a sua adoração, Ex 25.22; Lv 1.1. Há freqüentes referências à habitação de Jeová entre querubins, Nm 7.89; 1Sm 4.4; 2Sm 6.2; 2Rs 19.15; Sl 80.1; 99.1; Is 37.16. As cortinas do Tabernáculo eram bordadas com as figuras de querubins, Ex 26.1. No oráculo do Templo foram postos dois gigantescos querubins de quase seis metros de altura, cujas asas estendidas tinham igual comprimento à altura. Eram feitos de pau de oliveira e cobertos de ouro, 1Rs 6.23-28; 8.7; 2Cr 3.10-13; 5.7,8; Hb 9.5.

As paredes do Templo eram esculpidas em roda de entalhes e molduras, com querubins e palmas, 2Rs 6.29, Em um poema, Davi representa Jeová montado sobre querubins e voando sobre as asas dos ventos, 2Sm 22.11; Sl 18.10. Ezequiel teve uma visão de querubins perto do rio Cobar, cada um deles tinha quatro faces e quatro asas, Ez 10.1-22; comp. 9. 3. Os quatro querubins parecem ser idênticos às criaturas que ele viu, cada uma com quatro faces com rosto de homem, rosto de leão, rosto de boi e rosto de águia, cp. 1.5-12; com 10.20,21. Estes querubins sustentavam o trono de Jeová, 1.26-28; 9.3. Finalmente, o apóstolo João descreve no Apocalipse quatro animais com rostos semelhantes aos já descritos, Ap 4.6-9. Em toda a Bíblia os querubins são apresentados como seres, entes animados, com a inteligência de homem, com a força do boi, com a coragem do leão e com movimentos livres como a águia para dominar o espaço. Eles representam uma ordem de anjos.

3- SERAFINS

Nome de entes celestiais que estavam à roda do trono de Deus, na visão de Isaías. Cada um deles tinha seis asas: com duas cobria a face, e com outras duas cobriam os pés e com duas voavam. E clamavam um para o outro, e diziam: “Santo, Santo, Santo, Senhor Deus dos Exércitos cheia está toda a terra da sua glória”, Is 6. 2,3. Tendo o profeta confessado ser homem de lábios impuros, um dos serafins voou para ele levando na mão uma brasa viva, que havia tomado do altar com uma tenaz, e tocou com ela a boca do profeta dizendo: “Eis aqui tocou esta brasa os teus lábios, e será tirada a tua iniqüidade, e lavado será o seu pecado”.A Escritura nada mais diz a respeito de serafins, senão o que se contém nesta passagem. Quem eram eles? Os serafins eram uma ordem superior de anjos, segundo o entendimento dos judeus.


ANJOS DA GUARDA

Segundo os praticantes e estudiosos das filosofias esotéricas, estamos vivendo no terceiro milênio que é regido por aquários. São tempos altamente espiritualizados, nos quais vemos o surgimento e a expansão de seitas ou filosofias espiritualistas que propagam aos quatro cantos da terra (revistas, rádio, tv e internet) as suas capacitações espirituais. O ser humano é fascinado pela dimensão espiritual e o diabo aproveita esta vocação natural para levantar inúmero feiticeiros e bruxas, que amenizam suas práticas intitulando-se de gurus, videntes, etc. As mídias poderosamente propagam seus ensinamentos e crenças. Notadamente, é o cumprimento das profecias a respeito do fim dos tempos.


Entre as correntes esotéricas, existe uma especifica voltada para os anjos. Estes feiticeiros e bruxas, recebem orientações dos espíritos malignos mentirosos, também chamados de “espírito de luz”, que os “capacitam” a identificar e fornecer informações sobre os Anjos (anjo da guarda). Tais como: nome, personalidade, gostos e como agem. Com certeza, estes anjos a que se referem são demônios, que tem como finalidade principal enganar e destruir o homem.

E muitos cristãos, no afã de serem diferentes dos praticantes de tais crenças, descartam de forma prematura tudo o que se referem aos anjos. É como se fizesse a seguinte afirmação:


“Anjos existem, mas estão restritos às regiões celestiais! Não interferem na vida do homem.”
Esta forma taxativa e precipitada, revela na verdade incredulidade na Palavra Divina, pois ela nos afirma que são reais e são citados mais de 200 vezes.
Há vários aspectos na natureza divina que só vamos conhecer claramente quando estivermos na glória. Muitas vezes o homem tem tropeçado por julgar e subestimar o Seu poder e sabedoria excelsa.

Os anjos, comumente não são aceitos por inúmeras igrejas (doutrinas) como seres capazes de intervir na vida humana; acham que eles estão restritos apenas às regiões celestiais e impossibilitados de serem usados nos propósitos divinos na terra. Os que pensam assim, certamente, menosprezam a Palavra do Senhor e como donos da verdade, querem impor suas próprias idéias; ou ainda, elevar acima da palavra sagrada os preceitos doutrinários criados por homens.


Os anjos são entre os homens Ministradores do Senhor, instrumentos usado para manifestar em algumas oportunidade o Seu livramento e glória. Na Bíblia, existem mais de 250 referencias sobre eles; entre estas duas centenas de citações, transcrevo algumas para mostrar esta realidade

Eles foram criados por Deus nos dias eternos (Cl 1.16), com a finalidade de serem Seus assistentes, mensageiros e ministradores entre os homens (At 12.7; Dn 6.22; Hb 1.14; Sl 91.11; Ex 14.19 etc.). Estes seres celestiais são representados na figura humana alada, mas, na verdade a Bíblia não nos dá muitos detalhes quanto à sua aparência. Em alguns relatos, vemos que eles se apresentaram como homens comuns, conseguido confundir as pessoas que foram contatadas.(Gn 16.7-14; 19.1-5; Jo 20.11-13). Há também citações nas quais se apresentam revestidos de majestade e glória (Dn 10.5,6; Lc 24.4). São desprovidos de sexo.


Estão continuamente em contato com o Criador e são capazes de reconhecer a glória, e prestar-Lhe adoração (Fp 2.9-11; Hb 1.6). Entre os homens são mensageiros e ministradores da vontade de Deus, abordando-os e manifestando a vontade soberana do Senhor. (1Rs 19.5; At 12.7; Dn 10.11; Mt 2.13,20; Lc 1.19; At 5.19,20; Ap 1.1). Em nossos dias continuam agindo e muitos têm testemunhado o livramento que foi concedido por meio deles. Eles não agem por vontade própria, e não devem receber nenhum tipo de oração ou honra de lábios humanos. Estão sujeitos às ordens do Senhor e vivem em obediência total aos Seus desígnios (Mt 6.10; Sl 103.20). Nos céus, entoa louvores eternamente ao todo poderoso (Sl 148.2; Is 6.3; Lc 2.13,14; Ap 5.11,12; 7.11,12). E por serem íntimos do Senhor, conhece com profundidade a Sua obra de restauração, sofrimento e humilhação passada por Jesus em nosso favor. Alegram-se com a restauração do homem de forma intensa, impossível de ser relatada (Lc 15.7,10). São criaturas santas, mas, adorá-los ou ainda, prestar-lhe qualquer forma de culto, veneração ou honra e proibida (Cl 2.18; Ap 19.10). Com certeza existe entre eles, hierarquia como em um exercito, estão classificados em diferentes ordens (Is 6.2; 1Ts 4.16; 1Pe 3.22; Ap 12.7). São dotados de qualidade, tais como: mansidão, sabedoria, poder, santidade. (2Pe 2.11; Jd 9; 2Sm 14.20; Sl 103.20; Mt 25.31). São milhares e milhares, os números de anjos existentes, são incontáveis! (Jó 25.3; Hb 12.22).

Para muitos que professam a fé cristã, ANJO DA GUARDA é ficção! Coisa de esotéricos. E não aceitam a existência destes seres escolhidos especialmente para ministrar a cada vida em separado. Mas, como negar um fato! A Bíblia Sagrada atesta esta realidade em muitos textos claríssimos (Ex 23,20; Dn 6.22; 10.13-20; Sl 34.7; 91.11,12; Mt 18.10). Estão prontos a guardarem o homem e também a igreja.


É preciso que a Bíblia seja aceita na sua totalidade pelos seguidores do Senhor, sem reservas ou explicações mirabolantes. Os relatos de contatos com os anjos são muitos e estes foram abençoados (Gn 32.1; Nm 22.31; Jz 2.1; 6.11; 13.3,13; Zc 1.9; 2.3; Mt 1.20; 2.13; 28.2; Lc 1.11,28; 2.9; Jo 20.12; At 8.26; 10.3)

Os anjos são reais! São seres espirituais criados em tempos eternos com finalidades definidas e que estão ao derredor dos escolhidos do Senhor, livrando-os e conduzindo-os no dia-a-dia. Não devem ser adorados, cultuados. Em relação a eles cabe a nós a certeza do grande amor de Deus, que de todas as formas procura amparar os seus filhos e propiciar-lhes uma vida de vitórias.


Ansiedade & Preocupação

A ansiedade é uma sensação de receio, preocupação e de apreensão, decorrente da excessiva excitação do Sistema Nervoso Central, sem causa evidente. Ela é parente próximo do medo (muitas vezes onde a diferenciação não é possível), é distinguida dele pelo fato de o medo ter um fator desencadeante real e palpável, enquanto na ansiedade o fator de estimulo teria características mais subjetivas. Concluindo: Aos olhos de Deus é um pecado!

A seguir, dirigiu-se Jesus a seus discípulos, dizendo: Por isso, eu vos advirto: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer, nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Porque a vida é mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes.” Lc 12.22,23 (Veja também: Lc 12.11,12,25,26; 1Co 7.32; Fp 4.6; 1Pe 5.7)

No texto de Lucas, encontramos o Senhor Jesus chamando a atenção dos discípulos para a necessidade de uma vida isenta de preocupações, mostra-lhes ainda, que a excessiva ansiedade não produz nenhum fruto proveitoso na edificação espiritual, pelo contrário, manifesta-se como resultado de uma vida desprovida de fé na providência divina.

Nos dias contemporâneos o quadro não é muito diferente. A ansiedade tem entrado nos corações com muita força, roubando o lugar reservado ao Espírito Santo de Deus; as causas são as mais diversas, entre elas:

1- Dificuldade financeira (geralmente provenientes de negócios e ações realizadas por impulso, sem a devida analise de rendimentos. É muito fácil comprar, são os crediários, cartões, etc. Mas, são compromissos que vencem e precisam ser honrados.);

2- Situação Profissional (Emprego no Brasil é extremamente difícil);

3- Família (Educação de filhos, problemas conjugais, etc.);

4- Espiritual (É comum encontrarmos irmãos ansiosos por verem as promessas de Deus cumprir-se em suas vidas);  etc.

O mandamento de Deus para nossas vidas em relação à ansiedade / preocupação é extremamente claro, Ele proíbe que seus filhos abram seus corações para tais frutos da carne, que são portas abertas para a ação do inimigo.

Por isso eu digo a vocês: não se preocupem com a comida e com a bebida que precisam para viver nem com a roupa que precisam para se vestir. Afinal, será que a vida não é mais importante do que a comida? E será que o corpo não é mais importante do que as roupas? Vejam os passarinhos que voam pelo céu: eles não semeiam, não colhem, nem guardam comida em depósitos. No entanto, o Pai de vocês, que está no céu, dá de comer a eles. Será que vocês não valem muito mais do que os passarinhos?  E nenhum de vocês pode encompridar a sua vida, por mais que se preocupe com isso”. Mt 6.25-27

O servo deve cultivar em seu coração a fé e a perseverança em Deus, confiando na Sua bondade e amor; jamais somos desamparados! Seja qual for à situação, por mais séria que possa mostrar-se, a confiança deve ser inabalável nEle. (“Por acaso faltou a vocês alguma coisa quando eu os enviei sem bolsa, sem sacola e sem sandálias? —Não faltou nada! —responderam eles.” Lc 22.35) Afinal, quando aceitamos o Eterno como Salvador, entregamos a nossa vida integralmente, isto significa que abrimos mãos da vontade própria, submetemo-nos aos seus desígnios, em conseqüência, somos agraciados por sua promessas (“Contentai-vos com as coisas que tendes; porque ele tem dito: De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei.” Hb 13.5).

A ansiedade sempre nascerá nos corações dos santos, mas, não podemos deixá-la frutificar.  (“Bendito o homem que confia no SENHOR e cuja esperança é o SENHOR. Porque ele é como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e, no ano de sequidão, não se perturba, nem deixa de dar fruto”. Jr 17.7,8) Esta é a descrição de uma vida cheia do Espírito Santo e amparada pelo Pai. Quando a ansiedade frutifica, ela destrói a fé, a comunhão é abalada e abre espaço para o desespero. Ao primeiro sintoma de sua presença, devemos lançar-nos aos pés de Cristo, depositando sobre Ele os fardos pesados. (“Entregue os seus problemas ao SENHOR, e ele o ajudará; ele nunca deixa que fracasse a pessoa que lhe obedece.” Sl 55.22; “Portanto, sejam humildes debaixo da poderosa mão de Deus para que ele os honre no tempo certo. Entreguem todas as suas preocupações a Deus, pois ele cuida de vocês.” 1Pe 5.7,8).

Uma vida tomada por ansiedades e preocupações é inútil à Obra do Senhor. O principio de nosso compromisso é a confiança, se não há confiança (fé) é impossível agradar a Deus (“Sem fé é impossível agradar a Deus...” Hb 11:6)  e conseqüentemente, sermos instrumentos úteis em Suas mãos. Amados, não permitam que o diabo vós engane, fechando vossos olhos para a grandiosidade da misericórdia de Deus, mostrando-lhe uma realidade desprovida da graça de Deus.

Tens problemas? Dificuldades? Provações? Falta-lhes alguma coisa? Olhe para o Senhor! Clame, busque, pague o preço de uma vida santa, reta e justa. Seja íntimo de Deus!

(”Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças.” Fp 4.6)

Aos fiéis está reservada a vitória.

Elias R. de Oliveira

Arrependimento, atalho para o avivamento

"Como será que podemos fazer com que este avivamento venha rápido? Como atrair a Glória de Deus para que Ele faça chover sobre nós de uma forma tremenda nestes dias?

Oh!!! Deus nós precisamos de avivamento por favor apresse o seu derramar sobre nos!!!Como podemos achar um atalho para o avivamento?"

Tenho dito e percebido que o arrependimento é um sinal de avivamento e creio que também é uma chave para o mesmo. A mensagem de João o Batista era:

" arrependei-vos pois esta próximo o Reino dos céus"

O primeiro sermão de Jesus, em Mateus 4:17 foi

"Arrependei-vos, pois esta próximo o reino dos céus"

Somos um ministério missionário e vivemos da obra, colabore! Invista em missões sem gastar nada!

Em outras palavras: João e Jesus estavam dizendo que o reino esta próximo mais precisamos de arrependimento, creio que nestes dias nós podemos dizer que o avivamento esta próximo mas nós precisamos de arrependimento, quando o Espírito Santo veio sobre a igreja primitiva a primeira mensagem que foi liberada naquele dia foi uma mensagem de arrependimento, atos 2:37 muitas vezes nós.

Temos pregado sobre avivamento, mover de Deus vinho novo e etc..., as pessoas começam a pensar que avivamento é cantar ou gravar cds ou fazer conferências ou ter a igreja cheia, nós só vamos experimentar verdadeiro avivamento quando uma onda de arrependimento vier sobre nós um clamor por santidade invadir as nossas reuniões; em Ez.9 : 4 Deus manda marcar aqueles que tem um peso por santidade que não suportam a impureza na casa do Senhor .

Jesus, a palavra diz a respeito dele que: "- O zelo pela tua casa me consumiu", Deus esta procurando homens e mulheres estes dias aos quais o zelo pela a santidade os consumam, eu não quero que Deus passe por nossa geração e espere por outra que esteja disposta a gemer e pagar um preço por Santidade . Se, queremos avivamento, precisamos mudar nossa temática ARREPENDIMENTO precisa voltar para as nossas pregações as lágrimas de arrependimento precisam voltar, quem nunca ouviu falar do famoso sermão de Jonanthan Edwards: "- Pecadores nas mãos de um Deus irado" enquanto ele lia o sermão na Igreja as pessoas se agarravam nas pilastras clamando por arrependimento com convicção de pecado.

Oh!!!! Deus traga de volta momentos como estes onde tenhamos convicção de pecado e aos berros se preciso for, clamemos por Perdão, Perdão... Quantas vezes amamos mais as coisas do que pessoas; mais aos prédios do que ao Senhor; colocamos o mármore antes de almas; granito antes das nações e etc, etc...

Meu coração tem fervido com este tema, precisamos de avivamento para que as nações sejam tocadas, Deus tem abençoado a igreja Brasileira nestes dias e vai abençoar muito mais o que faremos com o que o Senhor nos der, construiremos grandes impérios ou o Reino de Deus na terra, muitas vezes precisamos parar e perguntar: " - Qual reino estamos edificando: o nosso, o da nossa denominação, ou o Reino do nosso Deus?"

Precisamos nos arrepender por gastar os recursos que o Senhor tem nos dado em coisas que ele não nos mandou fazer.

O tema arrependimento não e um tema muito atrativo, mas eu estou convencido de que o arrependimento genuíno vai abrir uma enchente do mover de Deus cidades inteiras serão transformadas, o arrependimento traz contrição e quebrantamento, e nós sabemos que Deus não resiste ao contrito e quebrantado de coração, o arrependimento nos leva de volta ao caminho que não deveríamos ter saído o caminho da Santidade, pureza, renúncia, humildade, etc ...

Você talvez ao ler isto está pensando:

"Mas arrepender do quê eu estou jóia" "não tem nada para me arrepender", provavelmente vou começar a falar um pouco sobre tipos de arrependimentos que encontramos na bíblia .

Parte ll

Efeitos do arrependimento:

Efeitos de um arrependimento genuíno: Em ll crônicas 7:14 diz "Se o meu povo que se chama pelo o meu nome ..." é interessante olhar este texto de uma perspectiva diferente; O Senhor aqui esta dizendo não importa a situação se houver retorno para mim se voltar para mim, em outras palavras se houver arrependimento a situação pode ser revertida. A mais ou menos uns dois anos atrás , ouvia-se uma palavra de que viria uma onda de arrependimento sobre a Igreja, mas ao mesmo tempo se falava de avivamento parecia um paradoxo mas agora, dois anos depois estamos começando a entender que o arrependimento abre ou rompe uma grande porta para avivamento. Vamos analisar alguns textos de Lucas 15:

Aqui Jesus começa a citar três parábolas. A primeira Ele se refere a um pastor que tinha cem ovelhas e uma delas se desviou do caminho e ficou perdida ele deixou as outras e foi atrás da perdida e quando a encontrou ficou cheio de alegria, voltou com ela nos seus ombros, e disse ele que há alegria nos céus por um pecador que se converte. O interessante com esta parábola que tanto conhecemos é que Jesus não esta falando de alguém que nunca foi ovelha ele fala de uma ovelha que foi ovelha daquele pastor e se desviou, é obvio que este texto também se aplica as pessoas que se encontram com Jesus a primeira vez mais é importante entendermos que Jesus falava de alguém que era ovelha e o arrependimento produziu alegria nos céus.

1- Arrependimento causa alegria nos céu

Jesus continua, citando a história de uma mulher que tinha dez dracmas e perdeu uma ficou completamente desesperada varreu o chão da casa buscou com diligencia até encontrá -la e quando a encontrou chamou as amigas e vizinhas e celebrou fez festa. Você pode perceber que aqui também fala sobre arrependimento Jesus cita no verso 10 que há alegria diante dos anjos , ele afirma que quando existe o arrependimento ele libera alegria nos céus .

Como se não bastasse o mestre continua o capitulo com mais uma parábola sobre desviados a famosa parábola do filho pródigo e que mais uma vez eu me surpreendo por encontrar coisas novas e tão maravilhosas todas as vezes que me deparo com esta palavra, Jesus cita como o filho mais novo saiu de casa e foi viver sua vida e depois " caindo em si" Arrependendo-se voltou com o desejo de ser apenas servo.

Uma das coisas que sempre me intriga em pessoas que se dizem arrependidas e voltam para pedir perdão é que elas muitas vezes dizem me perdoe mas... você também fez isto ou aquilo , na minha opinião no arrependimento não há lugar para mas... mas, ou justificativas , o filho pródigo estava realmente arrependido pois ele voltou com o desejo de ser Servo.

Em reposta a este arrependimento sincero o pai o viu de longe E correu ao encontro do filho, o texto diz que o pai lançou-se ao pescoço do filho e o beijou, Oh....!!!! que cena maravilhosa o filho pródigo voltando para casa desejando apenas ser servo, ainda nem havia chegado de longe o pai correu ao encontro do filho, o Arrependimento move o Pai a correr em nossa direção, e se lança ao nosso pescoço, quando o pai está presente então há avivamento, festa alegria , e restauração .

Nós vimos que o arrependimento move os céus, os céus se alegram quando há arrependimento, O senhor se alegra quando há arrependimento genuíno Ele corre em nossa direção, talvez você pergunte porque em nossas reuniões (Cultos) nós oramos e pedimos para que o Senhor venha e muitas vezes nós saímos da mesma forma que entramos, talvez a resposta seja que nós não estamos vivendo uma vida de arrependimento, quebrantamento e contrição. Precisamos pedir ao Espírito Santo para gerar arrependimento em nossas vida.

Que Deus nos abençoe





1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   20


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal