Andando no Espírito :: Adorar



Baixar 1.04 Mb.
Página7/20
Encontro05.12.2017
Tamanho1.04 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   ...   20

Asaph Borba

fonte:
www pontesdeamor.com.br

Chamados para servir

Deus criou todas as coisas com um propósito específico. No livro de Gênesis encontramos a expressão, “o maior para governar o dia, e o menor para governar a noite”, referindo-se ao sol e a lua.
 

Gên. 1:16 Por fim, criou o homem à sua própria imagem e semelhança, estabelecendo também um propósito bem específico para “aquilo” que poderíamos chamar de a obra prima da criação.

 

Passado o triste episódio do pecado e com advento do Messias prometido, o homem é devolvido à condição original, só que agora à semelhança do Cristo, acerca de quem o apóstolo Pedro declarou, “ele deixou-nos o exemplo para que sigamos suas pisadas...” I Pe 2:21 Portanto, Jesus é o modelo de tudo o que Deus quer sejamos. Devemos imitar ao Senhor em tudo.



 

Agindo assim, estaremos cumprindo o propósito criacional divino.

 

A importância do chamado

 

O chamado é o começo de tudo. Podemos pensar que ele acontece no momento da conversão ou também após. At. 9:3-9 De qualquer forma, é uma experiência marcante e decisiva que muda nossa vida e nossa trajetória. Há alguns casos bem conhecidos na Bíblia como José, Abraão, Moisés, Isaías dentre outros.



 

Em todos esses casos houve uma mudança radical na vida e trajetória dessas pessoas, ou seja, 1. eles nunca mais foram os mesmos. 2. seus destinos foram determinados pelo Senhor Deus. 3. suas vidas obedeceram um programa divino. Rom. 8:30

 

Novamente, chama-nos a atenção a pessoa de Jesus. Ele tinha muito clara a visão do seu chamado, a ponto de dizer “minha comida e minha bebida é fazer a vontade do meu pai que está no céu”.



 

De fato, o chamado de Deus para nós, torna-se a razão da nossa vida... II Cor 5:14-15; I Cor. 10:31

 

 A importância de ser servo



 

Antes de pensarmos em serviço ou ministério, precisamos pensar se somos ou não servos. Infelizmente, essa palavra praticamente caiu em desuso. Quase não se ensina a respeito deste assunto. Por essa razão, a maioria dos cristãos não vivem como servos.

 

O já falecido presidente Abraham Lincoln disse, “quem não vive para servir, não serve para viver.”



 

No livro dos profetas, Jesus é chamado “ o Servo do Senhor”. O evangelho de Marcos também focaliza esse perfil do Senhor. Na condição de servo por excelência, em Mt. 4:10 Jesus faz a citação do primeiro mandamento dizendo, “ está escrito ao Senhor teu Deus adorarás e só a ele servirás”

 

Primeiramente devemos prestar serviço a Deus, e depois aos homens (começando por nossa família). Gal. 5:13 O ser servo, vem antes do ter um ministério.



 

 A importância do amor

 

O amor é a essência da vida, é a causa de tudo, é a vida cristã. Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito. Não é possível pensar em vida cristã sem amor. Uma não existe sem a outra. Jesus disse que nos tornaríamos conhecidos no mundo através do amor. O amor é credencial dos discípulos de Cristo.



 

A ocasião em que mais nos parecemos com Deus, é quando amamos. Jo 3:16; I Jo 3:16.

 

Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor. Quem não ama a seu irmão está morto e não tem a vida eterna. Sabemos que passamos da morte para a vida porque amamos os irmãos. I Jo 4:7-8; 3:14 Jesus foi o maior exemplo de amor. Se definitivamente o imitarmos, o curso da história será mudado.



 

Eu e você fomos chamados para servir em amor. Este é o nosso destino e a razão da nossa existência para a glória de Deus!

 

Adhemar de Campos


Fonte: Adorar.net


Como nós conhecemos a Deus?

Como nós conhecemos a Deus? Só existe uma maneira de conhecer a Deus que é através de Jesus, o único e vivo caminho que nos conduz ao Pai.

A palavra diz que todos se extraviaram, o homem natural pela sua própria força, pela sua própria vontade não pode conhecer a Deus. Por isso o mundo está cheio de religião. Até mesmo na igreja existem pessoas religiosas. Mas através de uma experiência pessoal de salvação, de redenção e de entrega de vida, de um nascer de novo, de entrar pela porta, de trilhar o caminho e andar para o alvo, assim nós podemos conhecer a Deus. Por isso cantamos tanto: "Senhor, eu quero te ver", "Senhor, quero te tocar", para podermos chegar mais perto de Deus. E Deus está preparando a sua igreja, o Senhor está preparando a noiva, para que a revelação de Cristo chegue à vida da igreja. Para que esta se torne cada vez mais íntima de Deus.

Somente através de Jesus nós conhecemos a Deus. E, consequentemente, conhecemos a Deus através da sua palavra. Conhecemos a Jesus pela fé e recebemos a verdade. O conhecimento de Deus vem através do verbo revelado pela fé ao nosso coração e o verbo revelado através da palavra. A palavra de Deus é revelada ao homem de Gênesis a Apocalipse. Na Bíblia está a revelação de Deus. Quem quer conhecer a Deus precisa conhecer a Bíblia. Quem quer conhecer a vontade de Deus precisa ir para a palavra.

Conheci um pastor no Marrocos que me contou como ele conheceu a Deus. Era um radical fundamentalista do Islamismo, mulçumano roxo. Fazia Letras na faculdade e numa disciplina ele precisava se corresponder com alguém de outro país e se comunicar na língua desta pessoa. E ele começou a se corresponder em francês com uma moça da França. Nesta troca de correspondência ela perguntou se ele gostaria de conhecer alguma coisa sobre a pessoa de Jesus. Ele respondeu que gostaria de conhecer se ela também se dispusesse a conhecer sobre Alá. E essa moça cheia do Espírito Santo disse: "Eu topo! Eu quero conhecer Alá." Então, prosseguindo nesta conversação, ele escreveu informando uma parte de um texto do alcorão que ela deveria ler. E ela respondeu imediatamente enviando o evangelho de Lucas para ele ler. Ele então começou a ler o evangelho de Lucas e quando terminou de ler, ele se rendeu a Jesus.

Isso aconteceu porque Deus é revelado através da sua palavra. Por isso que o diabo nos tira da palavra constantemente. Uma de suas estratégias é nos desestimular a ler a Bíblia. Tem muito cristão que não lê a palavra. Porque o diabo quer roubar a revelação de Deus. E quanto mais se lê a palavra, mais Deus vai se revelando.

Certa vez em um dia de chuva indo para o aeroporto, ficamos atrás de um fusca que não andava de jeito nenhum e estávamos com muita pressa, então pudemos ler no vidro do fusca um adesivo onde estava escrito: "queremos Deus". E aquela frase contristou tanto nosso coração que começamos a louvar e agradecer a Deus dizendo: "é isso mesmo que queremos, queremos Deus." E ficamos ali atrás daquele fusca louvando ao Senhor sem se importar com a chuva, com a pressa. A palavra de Deus vivifica. Ela vai revelando Deus. O verbo se fez carne, a palavra se fez carne e habitou entre nós. E essa palavra tem poder. Tem poder de transformação, a bíblia é o poder de Deus revelado à igreja. Por isso que toda a nossa vida tem que estar de acordo com a palavra de Deus.

Tenho ouvido testemunhos poderosos da palavra. Outro testemunho que me tocou muito também vem do Oriente Médio. Em uma vila no interior do Irã. Toda aquela vila era convertida ao cristianismo e um missionário se interessou em saber como toda aquela vila tinha se convertido no interior do Irã, um lugar tão inóspito ao cristianismo. E entrando em contato com os líderes locais, eles informaram que tinham conhecido a Jesus por intermédio de algumas folhas de papel. E aquele líder mostrou ao missionário algumas folhas e pedaços da Bíblia. "Foi através destas folhas que conhecemos a Deus." E aquele missionário ficou intrigado porque eles tinham pedaços do livro de Salmos, pedaços do livro de Reis, pedaços do evangelho, partes da Bíblia. Então esse missionário ficou sabendo que há muitos anos atrás um carregamento de Bíblias foi confiscado no outro lado do deserto onde essa vila existia. Os guardas que fizeram o confisco e descobriram as Bíblias, começaram a rasgá-las e as jogaram numa fogueira. Um vento forte soprou sobre aquela fogueira e espalhou as folhas rasgadas das Bíblias por todo aquele deserto e chegou neste lugar, nessa vila. E aquelas pessoas quando viram aqueles pedaços de papel, começaram a ler e lendo aqueles fragmentos da palavra se converteram.

A palavra é o poder de Deus que nos leva a conhecê-lo. Essa palavra que está aí a nossa disposição, nas nossas casas, na nossa mesa de trabalho, no nosso computador. Essa palavra é o poder de Deus revelado ao homem.

Quero incentivá-los a lerem a Bíblia, a meditarem na Bíblia, a chorarem sobre a palavra e conheceremos dia a dia mais de Deus e de seu propósito.

Deus abençoe

Asaph Borba
Compondo Cânticos

Hoje em dia, encontramos muitas pessoas com coração desejoso em compor músicas ao Senhor. Muitas delas tentam expressar sua gratidão a Deus, contar experiências vividas, etc., porém muitas vezes não conseguem terminar uma letra ou criar uma melodia. Vários são os obstáculos encontrados ( como veremos mais adiante ), mas todos querem chegar a um ponto em comum: compor uma bela canção. Eu gosto de dividir as composições em dois ramos bem básicos: as composições divinas e composições naturais.

Composições divinas

As composições divinas são aquelas que são totalmente reveladas por Deus. Ele compõe a letra e a melodia e a entrega a uma pessoa. Esta pessoa tem apenas o trabalho de publicar ou tornar a canção conhecida. A revelação pode acontecer através de um sonho, visão, vigília, oração, reunião de adoração, no meio de cânticos espirituais, etc. Foi o que aconteceu com Benedito Gomes, quando recebeu a música "Ao único" em sonhos.

As composições divinas dependem da vontade de Deus, quando Ele quer agir em seu povo enquanto ele estiver cantando determinada música. Deus pode revelar uma canção de júbilo quando um servo seu está alegre, e toda igreja pode desfrutar do mesmo cântico. Deus pode revelar um cântico de cura a um servo, para que ele ensine a igreja, e Ele possa agir neste cântico.

Composições naturais

As composições naturais são aquela que provém do dom natural musical de uma pessoa. Elas não são necessariamente inspiradas por Deus. Tomemos como exemplo as músicas não cristãs: hinos nacionais, jingles, trilhas sonoras, etc. Elas não vêm de Deus, mas vêm da capacidade musical de uma pessoa de compor melodias.

Assim chegamos a conclusão de que para compor uma música de forma natural basta ter vontade e dom musical. A prova disso são os milhares de cânticos e corinhos que conhecemos atualmente. Muitos deles têm origem no livro de Salmos, onde encontramos muitos poesias de louvor que chegam a ter rima e métrica.

Problemas enfrentados

Nesta parte vou listar abaixo os obstáculos que atrapalham a criação de uma música. Observe os principais abaixo:

Letra sem melodia nem ritmo: este é um caso comum onde a pessoa consegue criar uma uma belíssima letra ( bem poética ), mas não encontra melodia nem ritmo que encaixe. A pessoa passa horas e horas combinando harmonizações e mudando o ritmo, mas nunca chega a lugar algum.

Melodia bonita com mensagem sem profundidade: neste caso a pessoa consegue criar uma bonita melodia mas não consegue encontrar um tema ou uma mensagem para encaixar nesta melodia. Muitas vezes acaba completando a música com chavões: pá pá pá, tchurá, iéééé, ná ná ná, lá lai á, etc. Ou acaba compondo uma mensagem sem criatividade usando frases repetitivas como: Jesus é bom, Jesus tem poder, glórias a Deus, etc.

Falta de técnica musical: a falta de técnica musical pode fazer uma pessoa criar melodias simples como as músicas infantis, onde são usados acordes bem básicos. Este problema ocorre geralmente com cantores que não sabem tocar nenhum instrumento. Eles acabam tendo que recorrer a um músico para resolver a questão da melodia e do ritmo mais adequado.

Letra da música sem métrica: às vezes uma pessoa consegue escrever uma bonita poesia ou mesmo um texto cristão, e deseja fazer disto uma canção. Neste caso é comum acontecer o problema da métrica do texto, que não se encaixa em ritmo nenhum. Frases são curtas ou longas demais, tornando a batida rítmica inconstante.

Começando a compor

Apesar de todos estes problemas mostrados acima, não é difícil para uma pessoa que possui dom musical, compor uma bela canção. Abaixo estão algumas dicas:

Criar melodia, depois letra - Um bom exercício é formar seqüências musicais básicas em algum instrumento ou até mesmo assobiando, e da "edição final" criar uma melodia completa. Uma boa dica para treinar isto é inventar melodias com a voz, utilizando palavras como "lá, lá, lá" ou com a boca fechada cantarolar "hum-hummmm". Depois de ter criado uma melodia, escreva uma letra que se encaixe no ritmo que você escolheu.

Ter a letra, para inventar melodias - Neste caso você já tem um texto escrito ou até mesmo uma poesia. Se você não tiver, basta ir ao livro de salmos e escolher uma poesia que fale diretamente a você ou a sua igreja e crie uma melodia em cima do texto. Não receie em mudar algumas palavras ou frases, para que a música esteja dentro do ritmo, porém sempre tenha cuidado em não mudar no sentido.

Pedir inspiração a Deus - Se você almeja receber uma música de Deus (composição divina), tudo o que você tem a fazer é exercitar a sua adoração. Exemplo: entre no seu quarto com um violão, qualquer instrumento ou à capela, e comece a entoar hinos espontâneos ao Senhor. Hinos de agradecimentos, de engrandecimento, etc. Crie suas frases e, com apenas dois ou três acordes, louve ao Senhor de coração. Peça para Deus te inspirar cânticos, melodias ou apenas letras.

Vamos a algumas dicas:

Se você deseja compor um cântico para cantar na sua comunidade, evite palavras pouco utilizadas, melodias e harmonias difíceis de serem cantadas, etc. A música deve ser simples o bastante, que todas as pessoas entendam e consigam cantar (por isso se chama cântico comunitário);

Seja criativo! O povo de Deus deve ser mais artístico. Evite compor músicas ou corinhos tachados como "bregas" no mundo. Vamos tirar a imagem que a música cristã tem de ser chata e ruim, criando letras inteligentes e melodias lindíssimas;

Seja original! Não copie parte de melodias, letras ou arranjos de outros compositores, principalmente os do mundo. Novamente, seja criativo!

Nunca componha músicas em tom alto ou baixo demais, isto para que a execução da música não seja difícil;

Não desanime se não conseguir compor uma melodia em um determinado momento e não jogue fora a letra que você criou. Há certos momentos que temos "estalos" de inspiração, e muitas vezes falta letra para encaixar em nossa inspirada melodia...;

Adore ao Senhor, esteja em Santidade, cultive o seu relacionamento com Ele. Pode ter certeza de que Ele é fonte inesgotável de inspiração!!!

Conclusão

Espero que com este artigo você possa ter aprendido um pouco mais sobre composições. Oro para que todos que lerem este estudo sejam inspirados em compor belíssimos cânticos para a honra e a glória de Deus!!!

Um abração em Cristo Jesus


Ramon Tessmann

www vidanovamusic.com/ramon


Crentes de braços dados com o mundo

Tenho acessado e sido convidado para fazer parte de grupos de bate papo gospel na Internet e confesso que tenho ficado assustado com os tipos de conversa e os tipos de imagens e fotos que tenho presenciado nestes ambientes. Salvo alguns que não têm se dobrado, me parece que a grande maioria está cega.

Grupos de cristãos ou sei lá “pseudocristãos”, tem apresentado com grande orgulho e alegria fotos e imagens em shows do Rappa, Ana Carolina, Ivete Sangalo, Lenine e outros artistas da música popular.

A minha indignação não é contra estes cantores, mas contra os que se dizem cristãos e a eles se submetem. O que os cantores e artistas pregam e profetizam em cima dos palcos não é e nem faz parte da mensagem que Cristo ordenou que nós anunciássemos.

Alguns desses “cristãos” querem se justificar através de argumentos furados como:

“Não tem nada a ver! É cultura brasileira.”

Confesso que nem tudo da nossa cultura brasileira deve ser desprezado. Porém o argumento que “não tem nada a ver” é diabólico. Nos tornamos tão naturais que negligenciamos e ficamos cegos a respeitos das realidades espirituais que acontecem antes, durante e depois destes shows mundanos. O espiritual discerne as coisas espiritualmente. Também percebo nas Escrituras que a cultura do povo de Deus é bem diferente da cultura do Egito, da Babilônia, de outros povos e do resto do mundo. Também percebo na história que homens e mulheres que querem fazer a diferença, decidem não se contaminar nem ser participantes de práticas pagãs.

Outros levantam o seguinte argumento:

“Jesus andava, comia e bebia em meio aos pecadores. Se ele agiu assim eu também posso, pois sou livre.”

Com certeza você também pode fazer o que quiser, mas todas as vezes que Jesus freqüentava certos lugares Ele tinha um propósito e uma direção de Deus. Ele não buscava suprir seus próprios desejos e prazeres, mas testemunhava e manifestava a glória de Deus. Pessoas eram tocadas, libertas e curadas mesmo nestes lugares. Quando “cristãos” se dirigem a estes lugares, querem manifestar a glória ou se distrair e satisfazer seus próprios desejos? Quantos testemunhos de “cristãos” você conhece que alcançaram bons frutos nestes shows? Se Deus te deu uma direção quem sou eu para intervir, mas sinceramente não tenho visto bons testemunhos.

Não quero trazer nenhuma palavra que expresse apenas religiosidade, falsa santidade ou proibições do que se pode ou não se pode fazer, mas sinceramente é desnecessário dizer que nenhum filho de Deus verdadeiramente nascido de novo tem um desejo de ir a um show, danceteria, ou outros lugares de divertimento mundano, porque ele se sente bem deslocado naquela atmosfera. Algumas coisas não podem de maneira alguma andar de mãos dadas com uma vida cristã consagrada e reta.

Luzes deslumbrantes, lindas roupas, a aparência de vida e alegria, ritmos de música dançante, podem parecer muito atraentes, porém uma vez mais está exposto em Provérbios 23.32: “No seu fim, morderá como a cobra e, como o basilisco, picará.” Em tais lugares e em tal atmosfera quantos jovens têm marchado para dentro da armadilha de Satanás sorrindo e dançando, para depois seguir-se uma vida de pecado, desilusão e desespero. O que você tem feito a respeito destas coisas?

Se você esta lendo este artigo e se enquadra dentro desta situação, e também levanta estes e outros argumentos, a última coisa que tenho para lhe dizer é: “Na verdade ou na mentira quem decide é você.”

Sinceramente, não tenho tempo para freqüentar certos lugares. A vida tem sido um corre-corre de casa para o trabalho e do trabalho para casa. Tenho me esforçado para testemunhar nestes lugares e o precioso tempo que me resta quero dedicar a Deus e a minha família.

O evangelista batista Vance Havner uma vez disse: “As mesmas pessoas que gritam como um bando de índios no jogo de futebol ou num show aos sábados, sentam-se como estátuas na igreja aos domingos”.

Michael Brown diz que “isso não tem nada a ver com ser conservador. Tem mais a ver com o lamentável fato de que muitos crentes são mais entusiasmados com o mundo do que com o Senhor.”

Nós só temos uma vida. Gastemos duma forma mais digna e que produza mais frutos. Se você estiver ocupado fazendo coisas boas e proveitosas no Reino, nunca nem ao menos sentirá falta desses chamados prazeres.

Mais uma vez quero deixar bem claro que não estou pregando um evangelho cheio de jugos e proibições, no entanto, na verdade não tenho visto na vida dos “cristãos” ou “pseudocrístãos” que freqüentam certos ambientes uma preocupação em viver o verdadeiro evangelho do Reino e em corresponder ao desejo do coração de Deus.

Não tenho visto na vida destes o desejo de adquirir folhetos e distribuir em hospitais, asilos, orfanatos, presídios e em outros lugares onde milhares de pessoas jazem e morrem todos os dias na mais completa solidão. Não tenho visto nenhum destes compartilhar de leituras e porções bíblicas que realmente mudaram seu coração. Não tenho visto nenhum deles compartilhar de testemunhos e experiências vividos em períodos profundos de oração e busca pela presença de Deus.  Não tenho visto nenhum deles compartilhar de momentos onde a palavra foi pregada e vidas foram salvas em ambientes de trabalho, estudo e em sua própria casa. Diz a Palavra que a boca fala do que o coração está cheio. Com você tem enchido o seu coração?

Deus está à procura de homens e mulheres que queiram dedicar seu tempo completamente a Ele, a fim de serem usados nesta geração.

 
Fábio Veríssimo Correia
ministeriorios.com.br

Mais que evangélicos - Discípulos!

Temos vivido como Igreja, o maior e mais expressivo crescimento já visto antes. Porque não dizer também, uma das fases mais belas do Evangelho em nossa terra. Há alguns anos atrás éramos chamados, pejorativamente, de protestantes; éramos então, aqueles que estavam fugindo da até então regra religiosa do país.

Mas o tempo passou e isso se amenizou, passamos a ser conhecidos como “crentes”, e ainda éramos motivo de muitas chacotas e preconceitos. Na escola, lembro-me como se fosse hoje, quando se perguntava se tinha algum crente, uns dois com muita vergonha levantavam a mão entre risos preconceituosos dos colegas. Que tempo esse! E o que se tinha era um estereótipo... cabelos compridos, roupas longas e bíblia debaixo do braço. Éramos também os “irmãos”. A religião do “tudo não pode”. Tempos difíceis de manifestar a fé.

Hoje estamos numa fase mais tranqüila, que por um lado nos dá privilégios, mas por outro nos traz muitas responsabilidades. E é sobre esses cuidados que precisamos ter nessa fase tão gloriosa, mas ao mesmo tempo tão perigosa; que queremos falar com vocês.

Estamos hoje entre as nações mais evangelizadas do mundo, e Rondônia está entre os estados onde há o maior número de evangélicos do país. Portanto, somos o povo que mais conhece o Evangelho no mundo. Isso sem falar que somos também o país com o maior número de crentes batizados com o Espírito Santo do mundo.

Mas é um momento delicado porque será vergonhoso para nós se com tudo isso não fizermos diferença. Se ainda formos corruptos, sensuais, idólatras e etc. Hoje somos tão aceitos; porém, não sabemos até que ponto é porque conquistamos espaço e caímos na graça do povo como em Atos 2 ou porque crescemos apenas numericamente, mas nos acomodamos e cedemos nos valores e princípios, e por isso não incomodamos mais. Até somos moda hoje! As vezes esse é o risco desse momento de junto com o espiritual vir muita coisa misturada. Vi esses dias um grupo de música indecente dizer que eram evangélicos. Veja se pode isso! O inimigo é estratégico. Sabe aquele dito... se você não pode vencê-los junte-se a eles?? Pois é. Além disso, muitas vezes temos visto uma barganha, no afã de arrebanhar mais gente ainda, se negocia a qualquer preço e passamos a mostrar às pessoas um evangelho barato... Venha do jeito que está e permaneça assim, basta mudar pra nossa religião. Porém a Bíblia diz: “Se separarmos o santo do profano, seremos a boca de Deus.” Jr 15.19 e “Se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” II Co 5.17.

Portanto, não basta sermos a maior religião do país, até porque Evangelho é muito diferente de religião. Religião é esforço humano pra tentar alcançar Deus (impossível!), e Evangelho é obra da graça de Deus pra nos alcançar. (“Ninguém vai ao Pai se não por mim”). Aleluia! Por isso o chamado do Pai para nós é para sermos discípulos.

E meditando sobre isso, me veio quais os critérios da Palavra para sermos discípulos de Jesus. Ele disse: “Se alguém quiser ser meu discípulo, negue-se a si mesmo, tome a cada dia a sua cruz e siga-me.” Mc 8.34

Para sermos discípulos é necessário:



1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   ...   20


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal