Anexo IV (Substituído pela in 25, de 23/05/2006)



Baixar 89.88 Kb.
Encontro02.05.2018
Tamanho89.88 Kb.

ANEXO IV

(Substituído pela IN 25, de 23/05/2006)

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO RURAL

SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇAO DE CULTIVARES

Requisitos Mínimos para Determinação do Valor de Cultivo e Uso de Feijão (Phaseolus vulgaris), para a Inscrição no Registro Nacional de Cultivares - RNC
I - Ensaios
A) Número de locais: 3 (três) locais por região edafoclimática de importância para a cultura, para cada época de cultivo (águas, seca e outono-inverno).

B) Período mínimo de realização: dois anos.

C) Tratos culturais: recomenda-se não efetuar o controle de doenças, exceto o tratamento de sementes. As pragas deverão ser controladas sempre que necessário. O uso de irrigação é recomendado somente para o estabelecimento da população inicial de plantas ou quando esta prática for usual no sistema de produção utilizado. Se houver interesse por parte do requerente/responsável pela cultivar, dados adicionais de ensaios conduzidos com controle químico de doenças poderão ser apresentados.
II - Delineamento experimental
A) Blocos casualizados com no mínimo três repetições, ou outro delineamento com igual ou maior precisão experimental.

B) Dimensão das parcelas: as parcelas deverão ser constituídas de no mínimo quatro fileiras de 4 metros de comprimento desprezando-se as duas fileiras laterais.



C) Testemunhas: deverão ser utilizadas no mínimo duas cultivares inscritas no RNC, por grupo de cor, sendo que a escolha deverá obedecer os seguintes critérios: a) Cultivar mais plantada na região ou a cultivar com maior potencial de rendimento e b) cultivar de livre escolha.

D) Análise estatística: Os ensaios deverão ser analisados estatisticamente, sendo que serão considerados aqueles que apresentarem coeficiente de variação (CV) de no máximo 20%.

III - Características a serem avaliadas:


  1. Descritor (item 8 do formulário): preencher no caso da cultivar não estar protegida no Brasil.

  1. Antocianina no hipocótilo: ausente, presente;

b) Flor - cor da asa: branca, rosa, roxa;

c) Flor - cor do estandarte: branca, rosa, roxa;

d) Sementes - venações na testa: ausente, presente.

B) Características agronômicas (item 9 do formulário):



  1. Hábito de crescimento: determinado ou indeterminado;

  2. Porte: ereto, semi ereto ou prostrado, a ser determinado na maturação fisiológica;

  3. Comprimento médio da guia: curta, média, longa (Obs.: poderá haver dupla opção);

  4. Cor da flor: uniforme, desuniforme;

  5. Cor do hipocótilo;

  6. Cor das vagens na maturação fisiológica;

  7. Cor das vagens na maturação de colheita;

  8. Vagem - forma da seção transversal (somente para feijão vagem);

  9. Vagem - presença de fio (somente para feijão vagem);

  10. Vagem - textura da superfície (somente para feijão vagem);

  11. Cor do tegumento (coloração predominante e quantificar em percentagem as possíveis variações);

  12. Cor do halo (quantificar em percentagem as possíveis variações);

  13. Forma da semente;

  14. Brilho da semente;

  15. Peso médio de 1000 sementes;

  16. Grupo comercial:

- Carioca - (Ex.: Carioca, Rudá, Pérola, Princesa, IAPAR-14, IAC-Carioca);

- Preto - (Ex.: Rio Tibagi, Diamante negro, IAC-Una, IAPAR-44, FT-Nobre, IPA-10);

- Mulatinho - (Ex.: IPA-7, Corrente da Bahia, Bambui);

- Rosinha - (Ex.: Rosinha G2);

- Bico de Ouro - (Ex.: IAC Bico de Ouro);

- Branco - (Ex.: Ouro Branco);

- Manteiga - (Ex.: Jalo EEP 558, Jalo Precoce, Novo Jalo, Bagajó, Carnaval);

- Roxo - (Ex.: Roxo 90);

- Outros - (vermelhos, rajados, pintados, enxofre, pardo) - (Ex.: Irai, Emgopa 201-Ouro, IAPAR 31, Vermelho 2157).


  1. Ciclo - número médio de dias da emergência ao florescimento;

  2. Ciclo - número médio de dias da emergência a maturação fisiológica.

C) Reação a doenças (item 10 do formulário):

  1. Antracnose (Colletotrichum lindemuthianum): resistente, intermediária, suscetível;

  2. Crestamento bacteriano comum (Xanthomonas campestris pv phaseoli): resistente, intermediária, suscetível;

  3. Ferrugem (Uromyces phaseoli var. typica): resistente, intermediária, suscetível;

  4. Mancha angular (Isariopsis griseola): resistente, intermediária, suscetível;

  5. Mosaico comum (BCMV): resistente, suscetível;

  6. Mosaico dourado (VMDF, BGMV): resistente, intermediária, suscetível, sem informação;

  7. Murcha de Fusarium (Fusarium oxysporum): resistente, intermediária, suscetível, sem informação;

  8. Observação: qualquer informação adicional poderá ser acrescentada;

D) Reação a adversidades (item 11 do formulário):

  1. Reação a seca;

  2. Reação a baixas temperaturas;

  3. Reação a altas temperaturas, ocorridas durante a fase reprodutiva;

  4. Outros fatores.

E) Avaliação da produtividade (item 12 do formulário):

O rendimento do ensaio será a média do peso total dos grãos das parcelas úteis, transformado em kg/ha e ajustado para 13% de umidade. As médias obtidas sempre serão comparadas com a média das testemunhas do ensaio.

Será inscrita no RNC a cultivar que, nos ensaios de VCU, tenha obtido, estatisticamente, uma produtividade, no mínimo, igual ao da média das cultivares testemunhas. Caso contrário, o interessado na inscrição, deverá indicar a existência de outras características importantes que justifiquem a sua inclusão no RNC.

F) Avaliação da qualidade tecnológica/industrial (item 13 do formulário):

a) Tempo médio de cozimento: determinado no cozedor de Mattson (Proctor e Watts, 1987);

b) Sólidos totais no caldo: determinado pelo método de Plhak et al. (1989) e Garcia-Vela e Stanley (1989);



  1. Percentagem de grãos inteiros após o cozimento: (Plhak et al., 1989; Garcia-Vela e Stanley, 1989);

  2. Percentagem de absorção de água pela amostra antes e após o cozimento (Plhak et al., 1989; Garcia-Vela e Stanley, 1989);

  3. Coloração do caldo (para feijão preto)

- Referência para caldo escuro - Ex.: Rio Tibagi;

- Referência caldo claro - Ex.: Macanudo;

f) Teor de proteína: a concentração de proteína é estimada a partir do conteúdo de nitrogênio total do grão determinado pelo método microKjeldhal utilizando-se o fator 6,25 para converter o nitrogênio em proteína (AOAC, 1980).
IV - Atualização de informações

Novas informações sobre a cultivar, tais como: mudanças na região de adaptação, reação a pragas, doenças, limitações, etc., devem ser enviadas, nos mesmos modelos do VCU, para serem anexados ao documento de inscrição.

V - Observação: no preenchimento do formulário, sempre que necessário, utilizar folhas anexas.
VI - Referências bibliográficas.
ASSOCIATION OF OFFICIAL ANALYTICAL CHEMISTS - AOAC. Official analysis. 13 th ed, 1980.

GARCIA-VELA, L.A. & STANLEY, D.W. Water-holding capacity in hard-cook bean (P. vulgaris): effect of pH and ionic strenght. J. Food Science 54(4): 1080-1081, 1989.

PLHAK, L.C.; CALDWELL, K.B.; STANLEY, D.W. Comparision of methods used to characterize water imbibition in hard-to-cook beans. J. Food Science 54(3): 326-336, 1989.

PROCTOR J. R. & WATTS, B. M. Development of a modified Mattson bean cooker procedure based on sensory panel cookability evaluation. Can. Inst. Food Science and Tecn. Journal, 20(1): 9-14, 1987.





MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO RURAL

SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇAO DE CULTIVARES

Formulário para Inscrição de Cultivares de Feijão (Phaseolus vulgaris L.) no Registro Nacional de Cultivares





1. Denominação da cultivar:



Protocolo (para uso exclusivo do SNPC/SDR)


2. Requerente:

Nome:


CGC/CPF:

Endereço:


Município: UF: País:

Caixa Postal: CEP:

Telefone: Fax: E-mail:


3. Responsável pelas informações:  Representante legal  Procurador  Técnico

Nome:


CGC/CPF:

Endereço:


Município: UF:

Caixa Postal: CEP:

Telefone: Fax: E-mail:


4. Instituição(ões) responsável(eis) pelo(s) ensaio(s):  requerente  contratada  conveniada

 Outras (citar):

Nome:

CGC/CPF:


Endereço:
Município: UF:

Caixa Postal: CEP:

Telefone: Fax: E-mail:
Técnico(s) responsável(eis) pelo(s) ensaio(s):

Obs.: Se necessário utilizar folha anexa.



5. Informações complementares:

  1. Cultivar protegida: sim  (nº certificado) não 

Em caso positivo indicar o(s) país(es):.....................................................................

  1. Cultivar transferida: sim  não 

5.2- Cultivar estrangeira: sim  não  País de origem:....................................

  1. Cultivar essencialmente derivada: sim  não 

5.4- Organismo geneticamente modificado: sim  não 

- Em caso positivo, anexar documento comprovando a desregulamentação do referido OGM.



  1. Origem da cultivar:

6.1 - Instituição(ões) ou empresa(s) criadora(s) ou detentora(s):

6.2 - Melhorista(s) participante(s) na obtenção/introdução:


6.3 - Cruzamento:

- ano de realização:

- local (país, estado, município):

- instituição que realizou:


  1. Genealogia:

- parentais imediatos:

- relatório técnico do processo de seleção: apresentar no caso da cultivar não estar protegida no Brasil.


6.5- Denominação experimental ou pré-comercial:


7. Avaliação da cultivar:

7.1. Locais de avaliação:

- Município, UF:

- Altitude:

- Latitude:

- Época de plantio:

- Outros fatores bióticos/abióticos:
7.2. Região de adaptação: apresentar indicadores da adaptação da cultivar em relação a altitude, latitude, época de plantio e ou/ outros fatores bióticos/abióticos, a critério do responsável pelo ensaio/requerente.


I. Descritores mínimos: preencher no caso da cultivar não estar protegida no Brasil.

Presença de antocianina no hipocótilo: ....................................................................

Flor - cor da asa: ..................................................................................................

Flor - cor do estandarte: ................................................................................

Sementes - venações na testa: .............................................................................


II. Características agronômicas

Hábito de crescimento: .....................................................................................

Porte: ..................................................................................................................

Comprimento médio da guia: ..................................................................................

Cor da flor: .............................................................................................................

Cor do hipocótilo: ..................................................................................................

Cor das vagens na maturação fisiológica: .........................................................

Cor das vagens na maturação de colheita: ........................................................

Vagem - forma da seção transversal: ...................................................................

Vagem - presença de fio: ...................................................................................................

Vagem - textura da superfície: ................................................................................

Semente - cor do tegumento: .................................................................................

Semente - cor do halo: ...........................................................................................

Forma da semente: ....................................................................................................

Brilho da semente: ......................................................................................................

Peso médio de 1000 sementes: ....................................................................................

Grupo comercial: ......................................................................................................

Ciclo - da emergência ao florescimento: ......................................................... dias

Ciclo - da emergência à maturação fisiológica: ............................................. dias


10. Reação a doenças

10.1. Locais de avaliação

Casa de vegetação  Campo 
10.2. Doenças: preencher conforme códigos da tabela a seguir:





Código

Reação







1

resistente







2

intermediário







3

suscetível







4

sem informação - para Mosaico dourado e Murcha de Fusarium




10.2.1. Antracnose: 

10.2.2. Crestamento bacteriano: 

10.2.3. Ferrugem: 

10.2.4. Mancha angular: 

10.2.5. Mosaico comum: 

10.2.6. Mosaico dourado: 



10.2.7. Murcha de Fusarium: 



11. Reação a adversidades: preencher conforme códigos da tabela a seguir.





Código

Conceito







1

tolerante







2

intermediário







3

suscetível







4

sem informação




  1. Reação a seca: 

  2. Reação a baixas temperaturas: 

  3. Reação a altas temperaturas, ocorridas durante a fase reprodutiva. 

  4. Outros fatores:



12. Produtividade: rendimento relativo de grãos, em kg/ha, da cultivar avaliada em relação à média das testemunhas, por local, época e ano, preencher de acordo ao modelo a seguir:

Local

Época

Ano

Cultivar

Testemunhas (kg/ha)

Rendimento relativo à

C.V.










(kg/ha)

A

B

média das testemunhas

(%)

























































































































Média água (1º)






















Média seca (2º)






















Média out-inv. (3º)






















Média geral






















13. Qualidade tecnológica/industrial:

13.1. Tempo médio de cozimento:

13.2. Sólidos totais no caldo:

13.3. Percentagem de grãos inteiros após o cozimento:

13.4. Percentagem de absorção de água pela amostra antes e após o cozimento:

13.5. Coloração do caldo

13.6. Teor de proteína:



14. Produção de Semente:
14.1. Estoque de semente disponível por ocasião da inscrição no RNC:

- Semente genética:...............................................................kg

- Semente básica:..................................................................t
14.2 - Início de comercialização (ano)...................................................


15. Informações adicionais:
15.1. Sistemas de produção sugeridos para a cultivar:

15.2. Aspectos em que a cultivar apresenta vantagens em relação às outras em uso quando a mesma apresentar produtividade inferior às testemunhas:

15.3. Condições de cultivo e de uso que devem ser evitadas:

15.4. Outras informações que o detentor/obtentor considerar importantes:




Local, data:


Assinatura do Requerente ou Responsável

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal