Antropologia II: cultura e sociedade



Baixar 11.23 Kb.
Encontro23.12.2017
Tamanho11.23 Kb.

Instituto de Ciências Humanas

Departamento de Ciências Sociais

ANTROPOLOGIA II: CULTURA E SOCIEDADE


Código: CSO042

Carga horária: 60 horas/aula



Ementa

Os conceitos de cultura e de sociedade como matrizes do pensamento antropológico. A crítica historicista de Franz Boas e seus desdobramentos na escola cultural norte-americana. Método indutivo e relativismo cultural. Cultura e personalidade. A escola sociológica francesa e o pensamento antropológico. Indivíduo e sociedade. Representações coletivas e morfologia social. Magia e religião.Fato social total, dádiva e troca.



BIBLIOGRAFIA

BENEDICT, Ruth, s/d. Padrões de cultura (1935). Lisboa: Livros do Brasil.

BENEDICT, Ruth, 1972. O Crisântemo e a espada (1946). São Paulo: Perspectiva.

BENEDICT, Ruth, 1970. “Configurações de cultura” (1932), in D. PIERSON, org., Estudos de organização social. São Paulo: Martins.

BOAS , Franz, 1947. Cuestiones fundamentales de antropologia cultural. Buenos Aires: Lautaro (tradução de 1911, revista em 1938, The mind of primitive man. Nova York: Macmillan).

BOAS, Franz, 1940. Race, language and culture. New York, The MacMillan Company.

BOAS, Franz, 2004. “As limitações do método comparativo da antropologia” (1896), “Os métodos da etnologia” (1920), “Alguns problemas de metodologia nas ciências sociais” (1930) e “Os objetivos da pesquisa antropológica” (1931), in Antropologia cultural. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

BOAS, Franz, 2004. A formação da antropologia americana 1883 - 1911: antologia (G. W. Stocking Jr., org..). Rio de Janeiro: Contraponto/Ed. UFRJ.

BRUMANA, Fernando G., 1983. Antropologia dos sentidos: introdução às idéias de Marcel Mauss. São Paulo: Brasiliense.

DUMONT, Louis, 1985. “Marcel Mauss: uma ciência em devenir”, in O individualismo: uma perspectiva antropológica da ideologia moderna. Rio de Janeiro: Rocco.

DURKHEIM, É. & MAUSS, M., 1981. “Algumas formas primitivas de classificação: contribuição para o estudo das representações coletivas” (1903), in M. MAUSS, Ensaios de sociologia. São Paulo: Perspectiva.

DURKHEIM, Émile, 1989. As formas elementares da vida religiosa (1912). São Paulo: Paulinas.

EVANS-PRITCHARD, E. E., 1978. Antropologia social da religião. Rio de Janeiro: Campus.

HERTZ, Robert., 1980. “A preeminência da mão direita: um estudo sobre a polaridade religiosa”. Religião e Sociedade, 6: 99-128.

KROEBER, A. L., 1970. “O superorgânico” (1917), in D. PIERSON, org., Estudos de organização social. São Paulo: Martins.

KROEBER, A. L., 1993. A natureza da cultura. Lisboa: Edições 70.

KUPER, Adam, 2002. Cultura: a visão dos antropólogos. Bauru: Edusc.

LÉVY-BRUHL, Lucien, 1927. L’âme primitive. Paris: Félix Alcan.

LINTON, Ralph, 1962. O homem: uma introdução à antropologia. São Paulo: Martins.

MAUSS, Marcel, 2003. “Ensaio sobre a dádiva. Forma e razão da troca nas sociedades arcaicas” (1923-1924), in Sociologia e antropologia. São Paulo: Cosac & Naify.

MAUSS, Marcel, 2003. “Ensaio sobre as variações sazonais das sociedades esquimós: estudo de morfologia social” (1904-1905), in Sociologia e antropologia. São Paulo: Cosac & Naify.

MAUSS, M. & HUBERT, H., 2003. “Esboço de uma teoria geral da magia” (1902-1903), in Sociologia e antropologia. São Paulo: Cosac & Naify.

MAUSS, M. & HUBERT, H., 1981. “Ensaio sobre a natureza e a função do sacrifício” (1899), in M. MAUSS, Ensaios de sociologia. São Paulo: Perspectiva.

MEAD, Margaret, 1979. Sexo e temperamento (1935). São Paulo: Perspectiva.



Van Gennep, Arnold, 1978. Os ritos de passagem. Petrópolis: Vozes.

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal