Apoio ao planejamento municipal



Baixar 0.62 Mb.
Página1/4
Encontro25.01.2018
Tamanho0.62 Mb.
  1   2   3   4




Plano municipal de

Desenvolvimento

Rural Sustentável

2010 - 2013


Município de
TAMBAÚ



PLANO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL
Prefeitura Municipal de TAMBAÚ

Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural

Casa da Agricultura de TAMBAÚ

Escritório de Desenvolvimento Rural de São João da Boa Vista
Período de vigência: 2010 a 2013
Apresentação:

A elaboração do PMDRS (Plano Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável) é de grande importância para o município, sendo um documento norteador das ações a serem executadas, visando o desenvolvimento rural sustentável do município. O Plano foi elaborado e atualizado a partir da realidade e das necessidades dos agricultores. Nele estão incluídas ações para atender as demandas locais e apoiar o fortalecimento da agricultura familiar.

O Plano Municipal de Desenvolvimento foi realizado através de metodologias participativas, pelo método FOFA (Fortalezas, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças) e identificação das principais cadeias produtivas

do município, pelo CMDR (Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural) do qual fazem parte todas entidades municipais com representação da prefeitura, secretarias, conselhos, associações de produtores rurais do município e das Microbacias Hidrográficas, sindicatos, cooperativa de crédito, produtores representados dos setores municipais, que se reuniram para colher informações e debater futuras ações na construção do plano. Com a necessidade de oportunizar que um número maior de pessoas participasse e contribuísse na construção do PMDRS foi realizado um questionário, em que cada representante dos setores, ficou responsável de coletar o maior número possível de dados junto às comunidades rurais as quais pertencem, e, na sede do município, uma pesquisa de campo.

Este trabalho foi coordenado pelos Engenheiros Agrônomos, conveniados da Casa da Agricultura de Tambaú, em conjunto com a Prefeitura Municipal, Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural (CMDR) e suporte da CATI-Regional de São João da Boa Vista.
1. Identificação e Caracterização do Município
1.1 Histórico:

Tambaú é nome de origem Tupi que quer dizer "Rio das Conchas” (Tamba-hy-rio das conchas ou dos mariscos). Tal designação foi conseqüência da identificação com que os índios nomeavam os lugares onde habitavam ou tinham sua região de caça ou pesca. O nome rio Tambaú adveio de tais circunstâncias de toda a extensão onde se localiza. O município de Tambaú seria um vasto campo de caça de alguma tribo. Objetos indígenas encontrados em locais da zona rural (pontas de lanças ou flechas, machadinhas, mão de pilão, e outros) confirmam essa hipótese, assim como as "conchinhas bivalves", encontradas no leito arenoso do córrego Tambaú.

Fundada em 27 de julho de 1886, foi elevada à condição de município em 20 de agosto de 1898. Seu desenvolvimento econômico teve inicialmente contribuição da monocultura da cana, a qual foi substituída pela monocultura do café.

Até o final do século XIX, a região desempenhou importante papel no desenvolvimento do país, de tal sorte que a mudança de produção de cana de açúcar para a de café se deu sem grandes investimentos de capital fixo e sua expansão contribuiu para a fixação da população na região.

A expansão das plantações de café provocou o desenvolvimento da região urbana, ligada às atividades de estocagem, transporte e comercialização, assegurando o desenvolvimento do município e dinamizando as atividades comerciais e prestadoras de serviços.

Até a primeira metade do século XX, a economia municipal caracterizou-se por uma forte concentração das atividades agrícolas, sofrendo os reflexos de uma economia primária e exportadora.

Esse período marcou também o início do processo de industrialização do município, com a instalação de algumas empresas dos setores alimentícios, metalúrgicos e minerais não metálicos.

A absorção de mão-de-obra decorrente da diversificação da produção agrícola e o processo de industrialização mantiveram até 1.950 o crescimento industrial, acentuando o processo de urbanização.

O município vem passando por esse processo de urbanização em decorrência do fluxo migratório campo-cidade e também pela absorção de novos contingentes populacionais de outras cidades.

As atividades desenvolvidas no setor urbano são as indústrias cerâmicas para a produção de materiais de construção (telhas, tijolos, lajes, ladrilhos, tubos e suas conexões, pisos e pastilhas de revestimento, etc.), papel, papelão, aguardente de cana, indústrias de máquinas, de derivados de milho, serralherias, móveis e outras.

O desenvolvimento da cidade passou a oferecer novos recursos econômicos, em 1905 instala-se a primeira cerâmica produzindo utensílios domésticos, utilizando-se da disponibilidade de argila local. Mas em 1917 foi fundada a primeira cerâmica de telha, foi o início da instalação do PÓLO CERÂMICO DE TAMBAÚ.

Atualmente com mais de 100 empresas instaladas, são fabricados os mais diversos produtos cerâmicos: tijolos, telhas, lajes, elementos vazados, tubos, pisos, revestimentos, etc., obtendo assim a denominação CIDADE DA CERÂMICA.

As atividades da zona rural estão ligadas à produção de citros, cana-de-açúcar, milho, feijão, café, soja, fruticultura, silvicultura e outras. A pecuária leiteira e de corte, avicultura de corte e crescendo a caprinocultura e ovinocultura.

A pecuária no município está representada principalmente pela bovinocultura de leite e avicultura de corte.

Na pecuária há ainda a bovinocultura de corte e também a caprinocultura, e ovinocultura e em escala menor suinocultura que é explorada de forma rudimentar e de subsistência.

Quanto à agricultura, hoje há uma bipolaridade de importância entre a citricultura e a canavicultura.

A citricultura tem ocupado duas áreas distintas no município, uma de terras mais pobres, localizada próximo à Rodovia Padre Donizetti, no sentido Santa Rosa de Viterbo e outra nas proximidades do Rio Pardo, São Pedro dos Morrinhos e Rodovia Vicinal Tambaú-Mococa.

A maioria das propriedades citrícolas pertence a empresas ou pessoas sediadas ou residentes fora do município de Tambaú e não tem nenhuma empresa beneficiadora.

A cultura da cana ocupa hoje uma grande área do município, representada por terras arrendadas para usinas ou destilarias da região, localizadas nos municípios de Santa Cruz das Palmeiras, Santa Rosa de Viterbo, Porto Ferreira, Santa Rita do Passa Quatro, Mococa e Pirassununga.

Outra atividade que cresceu em importância nos últimos anos foi a silvicultura exótica para fornecimento de matéria-prima à indústria cerâmica do município. Com a fundação da Associação de Reposição Florestal do Pardo Grande-Verde Tambaú, que iniciou um processo de recuperação das reservas florestais de eucalipto do município, a partir do ano agrícola 90/91. Essas florestas exóticas começaram a ser cortadas e utilizadas pelo parque cerâmico, a partir do ano de 1996.

Houve inicialmente, a partir da implantação do PEMBH do Ribeirão das Conchas, um acréscimo da área irrigada, principalmente naquela região, mas que tem diminuído provavelmente devido ao não prosseguimento do programa e fatores econômicos desfavoráveis.

1.2 Dados Geográficos:


Mapa do estado com localização do município (em anexo)
Latitude: -21º 42’ 18,00’’ S
Longitude: -47º 16’ 27,40’’ O
Altitude: 700 m (marco zero) ALTITUDE MÁXIMA: 1.005 m

ALTITUDE MÍNIMA: 550 m


Área total do município: 56.179 hectares (IBGE)
Área rural: 54.920 hectares (IBGE)
Área urbana: 1.250 hectares
População:


População

2000

2007

Total

22.258

21.913

Masculina

11.258

10.882

Feminina

11.005

10.287

Urbana

19.044

19.287

Rural

2.214

2.626

Fonte: IBGE

Clima:


Segundo a classificação de Koppen, o clima do município de Tambaú é do tipo Cwa, Mesotérmico (C) e Tropical (A) que estabelece duas estações bem definidas, de inverno seco em que a temperatura média do mês mais frio é inferior a 18º C e a do mês mais quente não ultrapassa 22ºC e de verão chuvoso onde no mês mais quente apresenta temperaturas entre 22°C e 24°C.

O clima é favorável as principais culturas instaladas no município, com difícil ocorrência de geadas, possibilitando as colheitas em períodos secos e cultivos de lavouras na entressafra.


Gráfico 1 – Climatologia de Tambaú




Fonte: Tempo Agora


Pluviometria: 1.100 e 1.700 mm
Temperatura:


Máxima

Mínima

Média

24º C

8º C

18-20º C

Relevo:
A geomorfologia predominante na região de Tambaú apresenta um relevo de Colinas médias, com interflúvios entre 1 e 4 Km, topos extensos e aplainados com perfis de vertente convexos a retilíneos. As condições do relevo favorecem o uso da mecanização agrícola.


Porcentagem de Ocorrência encontrada no Município:


Classes de Declive

%

0 – 2%

34,90

2 – 6%

18,90

6 – 12%

27,79

12 - 20%

12,18

20 - 40%

5,39

> - 40%

0,85

Total

100,00

Fonte: I.P.T, 2006.
Mapa em anexo
Tipos de solos:
A geologia compreendida no município apresenta algumas unidades geológicas representadas pelas formações; Aquidauana, Corumbataí, Pirambóia, Serra Geral e por ultimo sedimentos quartenários.


SOLOS

%

GX - GLEISSOLO HÁPLICOS ou GLEISSOLO MELÂNICO

15,06

PVA – ARGISSOLO VERM. ou VERM. AMARE. Distroférrico

3,05

PVP – ALISSOLO CRÔMICO Argilúvico ou ARGISSOLO VERM.- AMARE

5,14

RL – NEOSSOLOS LITÓLICOS

11,88

LE – LATOSSOLO VERM Distrófico

2,05

LV – LATOSSOLO VERM Distroférrico

21,99

RQ – NEOSSOLOS QUARTZA RÊNICOS

4,92

TOTAL

100%

Fonte: I.P.T, 2006.
Mapa em anexo
Hidrografia:
Tambaú pertence à Bacia Hidrográfica do Rio do Pardo, tendo assim o município como principais rios, o Rio Tambaú, Córrego Arrependido (bacia de captação de água do município), Ribeirão Quebra Cuia e o Rio Pardo.

O território tambauense está dividido em duas subbacias as quais possuem como divisor de água a Serra Santa Vitória

Foram encontradas no município 842 nascentes com 842 rios de primeira ordem, 250 de segunda ordem, 28 de terceira ordem, 14 de quarta ordem, 4 de quinta ordem e 1 de sexta ordem ( Rio Tambaú ).

Na ultima década houve um intenso uso da água superficial para irrigação.

Mapa em anexo
Bacia hidrográfica (UGRHI):
O município está inserido na Bacia hidrográfica do Pardo Grande UGRHI 4.
Malha viária municipal:
a-) Rodovias de acesso à Tambaú:

- SP 330: Via Anhanguera

- SP 332: Rod. Padre Donizetti
b-)Vicinais:

- Tambaú – Mococa (Hermano Rigoli): 48,7 Km – 1 hora e 12 minutos

- Tambaú - Casa Branca (estrada de terra): 24,6 Km – 39 minutos
c-) Distância entre Tambaú e os municípios vizinhos:

- Tambaú - Santa Cruz das Palmeiras: 14,3 Km – 16 minutos (SP 332)

- Tambaú - Casa Branca: 37 Km – 41 minutos (SP 215)

- Tambaú - Mococa: 71,6 Km – 1 hora e 8 minutos (SP 340)


d-) Distância entre Tambaú e demais municípios:

- Tambaú – São João da Boa Vista: 74,4 Km -1 hora e 13 minutos (SP 215 e SP 344)

- Tambaú – Vargem Grande do Sul: 56,4 Km - 53 minutos (SP 215)

- Tambaú – Espírito Santo do Pinhal: 101 Km -1 hora e 33 minutos (SP 342)

- Tambaú – Aguaí: 68,8 Km -1 hora e 3 minutos (SP 340)



DENOMINAÇÃO

CÓD

EXTENSÃO

(KM)


PAVIMENTADA/

TERRA


ESTADO CONSERV.

PONTOS

CRÍTICOS


SERVENTIA

Estrada Tambaú – Santa Rosa de Viterbo – Via Bairro São Pedro dos Morrinhos


TAM 010



18

Pavimentada

Em estado ruim



70% de pontos críticos



Escoamento da produção agropecuária, industrial e transporte escolar da área rural.



TAM 126


08


Terra


Bom estado



Ponte Córrego Santa Bárbara; Ponte da entrada do Bairro São dos Morrinhos.

TAM 216


03


Terra


Bom estado



Próximo ao açude (após bairro São Pedro dos Morrinhos)

TAM 318

07

Terra

Bom estado

Aterro em frente entrada propriedade de Baltazar Bandeira; próximo à entrada do Sr. Pedro Grotta.

Estrada Municipal Tambaú – Santa Rosa de Viterbo

Estrada Municipal Tambaú – Santa Rosa de Viterbo



TAM 040


TAM 040

26

26



Terra


Terra

Regular


Regular


Subida do Bicão; próximo entrada Sítio Palmital; Subida da Cachoeirinha; Reta da Fazenda Santa Vitória; próximo a entrada do Sítio Córrego Grande; descida da Fazenda São José do Sobreira até divisa no Córrego Quebra Cuia.

Escoamento da produção agropecuária, industrial e transporte escolar da área rural.

Escoamento da produção agropecuária, industrial e transporte escolar da área rural.

Estrada Municipal Tambaú – Casa Branca


TAM 248

10

Terra

Regular


Subida da Fazenda Monte Alegre e Ponte próxima à Granja Santo Antonio; ponte próxima a entrada da Fazenda Graminha.

Escoamento da produção agropecuária, industrial e transporte escolar da área rural.


Vicinal Tambaú – Santa Rita do Passa Quatro


TAM 030

08

Pavimentada


Ruim

Próximo a Serralheria do Sachetto; ponte Córrego Pitas; baixada da represa da Lúcia; reta do Campo de Aviação.

Escoamento da produção agropecuária, industrial e transporte escolar da área rural.



Vicinal Hermano Rigoli (Tambaú – Mococa)

TAM 010


18


Pavimentada



Regular

Pavimentada: 70% de pontos críticos;


Escoamento da produção agropecuária, industrial e transporte escolar da área rural.

Rodovia Padre Donizetti Tavares de Lima (Sentido Tambaú – Santa Cruz das Palmeiras)

SP 320

4,5

Pavimentada

Regular

Trechos sem faixa adicional para treminhões e sem manutenção do acostamento; Entrada da Avenida José Gato; trecho em frente ao Ipê Tênis Clube.



Escoamento da produção agropecuária, industrial e transporte escolar da área rural.

Rodovia Padre Donizetti Tavares de Lima (Sentido Tambaú – Santa Rosa do Viterbo)

SP 320


20


Pavimentada



Regular


Reta em frente faz. Montreal; Curva da Maria Lepri.

Escoamento da produção agropecuária, industrial e transporte escolar da área rural.

Vicinal Tambaú – Distrito de Santa Cruz da Estrela




TAM 020


06


Pavimentada



Regular

Reta ADC Atlas.


Escoamento da produção agropecuária, industrial e transporte escolar da área rural.

Fonte: Prefeitura Municipal de Tambaú

.

Mapas (anexos)



1.3 Dados Sócioculturais:
População rural:


População

Rural


2000

2007

2.214

2.626

Fonte: IBGE
A população rural é constituída principalmente por agricultores familiares (mais de cem) e trabalhadores rurais, constituídos por pessoas de idade média abaixo de 60 anos. Existem dois bairros rurais (São Pedro dos Morrinhos e Faveiro) com aglomeração de pessoas.

Acesso da População Rural a Serviços Básicos:


Assistência Técnica e Extensão Rural:
A Casa da Agricultura possui prédio próprio com instalações como salas de atendimento, copa, banheiros masculino e feminino, garagem, deposito de sementes que estão em boas condições necessitando de alguns reparos.

A unidade possui boa estrutura contando com 03 computadores, 01 fax, 02 veículos próprios sendo um Fiat Uno e um Ford Escort, ambos em boas condições, além de outros equipamentos necessários para realização de atividades.

Do quadro de funcionários da CATI possui 01 Técnico de Apoio Agropecuário e 02 Oficial de Apoio Agropecuário, 02 Engenheiros Agrônomos, 01 Técnico Agrícola e 01 servente, que são municipalizados conveniados.

A Casa da Agricultura sede espaço para Inspetoria de Defesa Agropecuária de Casa Branca, onde existe uma sala na Casa da Agricultura que esta reservada para época de vacinação de aftosa.

A Casa da Agricultura presta os seguintes serviços: orientação e assistência técnica através de visitas as propriedades rurais, consultas, venda de sementes e mudas, conservação do solo, encaminhamento e interpretação de analise de solos, receituário agronômico, credito rural, ensaio regional de cultivares de milho do estado de São Paulo, desenvolvimento do Programa Estadual de Microbacias Hidrográficas, arborização urbana, serviços ambientais para prefeitura. Devido a grande numero de serviços realizados pela Casa da Agricultura são atendidos diversos tipos de publico desde agricultores familiares, médio e grandes produtores, munícipes e industriais.

Além da assistência técnica oficial o município e região contam com assistência técnica e extensão rural do Sindicato Rural de Tambaú e outras empresas privadas do município e região.


Crédito rural e microcrédito:
Os produtores rurais têm acesso a crédito nos agentes financeiros locais compostos pelas agências do município. Atualmente, os mais expressivos em crédito rural são: Banco do Brasil S/A, Santander, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Banco Nossa Caixa, Banco do Povo e Credicoonai.

Para os agricultores familiares os acessos a crédito são oferecidos as linhas do PRONAF e do FEAP, pelo Banco do Brasil e Banco Nosso Caixa.




Agropecuária e Produção Florestal - Crédito Rural Agricultura (Em reais de 2008)

Tambaú

17.475.302

Fonte: Fundação SEADE

Os principais problemas no acesso ao credito rural são de natureza burocrática como documentação, garantias e o alto custo de registro dos documentos nos cartórios.


Educação:
A grande maioria dos alunos da zona rural estuda na cidade, sendo transportados por ônibus escolares até a cidade onde a cidade tem uma escola estadual e municipal de segundo grau, e 05 escolas municipais de ensino fundamental, sendo uma escola e pré-escola no bairro de São Pedro dos morrinhos. Existem no municipal três escolas particulares de ensino médio e fundamental. A escola Técnica Municipal (Dr. Ataliba Amadeu Sevá) de Ensino profissionalizante tem a partir de 2010 curso de Técnico em Agricultura noturno, que é o único da região, melhorando a capacidade técnica de produtores e pessoas interessadas no assunto.
Saúde:
O município disponibiliza para a população rural as seguintes unidades de saúde:

- Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Tambaú

Endereço: Cel. Manoel de Souza Meirelles nº 40

Diretor: Domingos Silva

e-mail: stacasatambau@itelefonica.com.br

tel.: (19) 3673-2054


- Centro de Saúde “Dr. Wilson Martins Lara”

Rua Treze de Maio s/nº

Coordenador: Marcionilo Pereira de Souza Filho

e-mail: saúde@tambau.sp.gov.br

tel> (19) 3673-9250

- Centro Odontológico

- Pronto Socorro – atendimento de emergências
Possui também várias clínicas médicas particulares e instituições tais como:


  • Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Tambaú

CNPJ: 50.073.808/0001-77

Endereço: Avenida Angelina Lepri Biasoli nº 22

Responsável: Marcos Stocco

Tel: (19) 3673-1777

e-mail: apaetambau@netsite.com.br


  • Associação de Proteção à Maternidade, à Infância e à Família de Tambaú - APMIT.

CNPJ: 46.373.379/0001-89

Endereço: Avenida Angelina Lepri Biasoli nº 709

Diretor: Jadis Dalton F. Viella

Tel: (19) 3673-1263

E-mail: apmitambau@netsite.com.br


  • Casa Dia de Tambaú

CNPJ: 05.662.026/0001-19

Endereço: Rua Campo Salles nº 120

Diretor: Carlos Fernando Alves

Tel: (19) 3673-1527




  • Associação Beneficente Francisco de Assis

CNPJ: 56.981.707/0001-80

Endereço: Rua Guerino de Sordi nº 517

Diretor: Tarcídio José dos Santos

Tel: (19) 3673-2500




  • Sociedade Espírita Beneficente Francisco de Paula Victor

CNPJ: 44.727.295/0001-78

Endereço: Rua Acre nº 130

Diretor: Lídia Aparecida das Dores Antonio Zampolo


  • Serviço de Obras Sociais de Tambaú

CNPJ: 44.727.824/0001-33

Endereço: Rua Santo Antonio nº 246

Diretor: Rodrigo Teixeira Joaquim

Tel: (19) 3673-2073

E-mail: sostambau@strnet.com.br


  • Centro de Convivência Infantil “Marcely Martinelli Cerquetani”

CNPJ: 54.016.654/0001-32

Endereço: Rua Dois n 214- Bairro Rural São Pedro dos Morrinhos

Diretor: Antonio Carlos de Souza

Tel: (19) 3673-2502

E-mail: edinhabertelli@ig.com.br


  • Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Tambaú

CNPJ: 72.052.350/0001-02

Endereço: Cel. Manoel de Souza Meirelles nº 40

Diretor: Domingos Silva

e-mail: stacasatambau@itelefonica.com.br

Tel: (19) 3673-2054


  • Lar São Vicente-Obra Padre Donizetti

CNPJ: 48.182.422/0001-51

Endereço: Rua José Silvestre nº 397

Diretor: Padre José Roberto Gonçalves

e-mail: obrapadredonizetti@terra.com.br

Tel. (19) 3673-1879.


  • Grupo Espírita Pai da Humanidade

CNPJ: 56.985.849/0001-16

Endereço: Rua Goiás nº 510

Diretor: Tereza Márcia Bernardini Vieira

E-mail: grupoespiritapaidahumanidade@hotmail.com

Tel: (19) 3673-1653


  • Fundo Social de Solidariedade de Tambaú

CNPJ: 46.373.445/0001-18

Endereço: Rua Campo Salles nº 141

Diretor: Maísa de Lourdes Giacomini Agassi

Tel: (19) 3673-3542

E-mail. fundosocial@tambau.sp.gov.br


  • Casa CADA DIA – Casa de Apoio ao Drogado e Alcoólatra de Tambau e Região

CNPJ: 10.348.277/0001-63

Rua: Cel. José Bittencourt, 158.

Bairro Centro

CEP 13710-000

Tel: (19) 3673-3818

Responsável: César Augusto Ribeiro




  • Grupo de Valorização do Desenvolvimento Humano – Casa Mãe

CNPJ: 08.562.307/0001-98

Rua Capitão David, 112 – Centro.

CEP: 13710-000
No Bairro São Pedro dos Morrinhos, possui disponibilidade de transporte para a população do bairro e trabalhadores rurais do entorno.
Segurança:
Não há um programa especifico, mas os atendimentos são conforme solicitação e ocorrências. As ocorrências mais freqüentes são roubos e furtos nas propriedades de veículos, maquinas, equipamentos, agrotóxicos e principalmente de animais.

Transporte:

O município possui malha viária contando hoje, unindo todos os municípios em contorno com aproximadamente 300 Km de estradas rurais de qualidade regular, que são responsáveis pelo escoamento da produção agropecuária do município e trafego da população rural, através de linhas de leite, transporte escolar, escoamento da produção agrícola, de cana de açúcar, laranja entre outras bem como a realização dos atendimentos por parte do poder publico.

Possui também rodovias, e linhas de ônibus intermunicipais, que dão acesso aos principais pólos comerciais e industriais do Estado e também a outros Estados, visto que o município está próximo de Minas Gerais.

O município de Tambaú mantém distancia de 40 km de Casa Branca, 175 km de Campinas, 100 km de Ribeirão Preto, 100 km de São Carlos, 124 km de Poços de Caldas, 80 km de São João da Boa vista (sede do EDR), 55 km de Mococa, 53 km de soa José do Rio Pardo, 50 km de Pirassununga. 27 km de Santa Rita do passa Quatro, 33 km de Santa rosa de Viterbo, 15 km de Santa Cruz das Palmeiras e 260 km de São Paulo.

O município de Tambaú também esta servido da estrada de ferro que liga Campinas a Araguari e assim para todo o Brasil.

Saneamento:
Algumas propriedades localizadas nas microbacias hidrográficas receberam incentivos do Programa Estadual de Microbacias Hidrográficas e construíram fossa séptica biodigestora, num total de 37 unidades. No restante das propriedades rurais e nos bairros rurais de São Pedro dos Morrinhos e Faveiro o esgoto é despejado em fossas negras o que poderá haver contaminação.
Abastecimento de água:
No Bairro de São Pedro dos Morrinhos, possui uma ETA (Estação de Tratamento de Água-Bairro São Pedro dos Morrinhos), mantido pela Prefeitura Municipal de Tambaú.

No Bairro do Faveiro o abastecimento de água é através do transporte por caminhão pipa, da ETA do município, duas vezes ao dia, onde é colocada em um depósito de distribuição do bairro. Este transporte é realizado pela Prefeitura Municipal de Tambaú.

Nas propriedades rurais o abastecimento é proveniente de nascentes e poços, de uma maneira geral esta água é de boa qualidade.
Energia elétrica:
Grande percentual, 74,0 %, das propriedades é servida pela eletrificação rural, pela ELEKTRO, onde esta possui um local de distribuição no município. Existe também programa de governo para que isto seja ampliado, tais como Luz para todos. O número de consumidores de energia elétrica rural no município até julho de 2009 é de 557.

Indicadores de Energia Elétrica – 2004 e 2009



Consumidor

2004(dezembro)

2009(julho)

Energia Elétrica Rural

596

557

Indicadores de Energia Elétrica em Kwh Medido – 2004 e 2009




Consumidores (em Kwh)

2004 (dezembro)

2009

(julho)


Energia Elétrica Rural

455954

511478


Meios de Comunicação:
O município possui Agência dos Correios e Telégrafos, uma emissora de radio FM, 01 emissora AM, 02 Jornais semanários, e um quinzenal e a Prefeitura tem o jornal oficial do município com tiragem mensal e jornais regionais. A telefonia rural no município ainda é precária, possuindo linhas fixas que atende pouco na zona rural o que dificulta o acesso à internet. As linhas existentes de celulares não funcionam em determinadas regiões do município. As linhas de transporte de leite também são utilizadas para comunicação.
Lazer:
Caminhada ecológica anual realizada em parceria com o Sindicato Rural de Tambaú. Campos de futebol comunitário, Centro comunitário bairro Faveiro e São Pedro dos Morrinhos com eventos ocasionais.
Organização Rural:
Com o Programa Estadual de Microbacias Hidrográficas vários produtores têm buscado alternativas para melhoria de suas atividades agropecuárias através de subvenções agrícolas, melhorando a qualidade de vida dos produtores com aumento de renda familiar.

As microbacias trabalhadas no município pelo PEMH (Programa Estadual de Microbacias Hidrográficas do Estado de São Paulo) são:


1) Microbacia Hidrográfica Córrego Arrependido - área: 3.302,44 ha com 180 produtores.

Principais explorações: Pecuária Leiteira, laranja, avicultura de corte, milho, cana-de-açúcar, eucalipto, café, apicultura e bubalinocultura.



Classif. do Produtor

Número

% Sobre o Total

Condição de Uso da Terra

Proprietário

Arrendatário



% do Total



% do Total

Pequeno

98

54,44

97

98,98

01

1,02

Médio

82

45,56

80

97,56

02

2,44

Grande

-

-

-

-

-

-

TOTAL

180

100,0

177

98,33

03

1,67


Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal