As transformaçÕes e as mudanças globais



Baixar 1.04 Mb.
Página3/34
Encontro12.12.2017
Tamanho1.04 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   34

“A instabilidade, a indecisão e a fraqueza de propósito ocorrem quando a personalidade se recusa a ser guiada pelo EU Superior e tal condição não seria possível se tivéssemos dentro de nós o conhecimento da Divindade Inconquistável, Invencível que, na realidade, somos nós mesmos.

“A ambição conduz ao desejo de poder. É uma negação da liberdade e individualidade de toda a alma.

“Estes são exemplos da verdadeira doença, a origem e a base de todo o nosso sofrimento é a aflição. Cada um produzirá um conflito que necessariamente irá se refletir no corpo físico, produzindo seu tipo próprio e específico de doença. O orgulho dará origem a doenças que produz rigidez no corpo. A dor é resultado da crueldade e o paciente aprende, através do sofrimento pessoal, a não infligi-la aos outros, seja do ponto de vista físico, seja do mental. As penalidades para o ódio são a solidão, o temperamento violento incontrolável, as perturbações mentais e situações de histeria. As doenças de introspecção – neurose, neurastenia e condições semelhantes – que roubam a alegria da vida de tantas pessoas, são causadas pelo excesso de Amor-próprio. A ignorância e a falta de sabedoria trazem suas próprias dificuldades na vida diária e, se houver persistência na recusa de enxergar a Verdade quando há oportunidade, a miopia, a redução da visão e audição são conseqüências naturais. A instabilidade da mente conduz ao mesmo problema no corpo, com várias desordens que afetam o movimento e a coordenação motora. O resultado da ambição e da dominação dos outros leva a doenças que tornarão o seu portador um escrava do próprio corpo, com desejos e ambições refreados pela doença. Além disso cada parte do corpo afetada não é por acidente, mas está de acordo com a lei de causa de efeito e é um guia para nos ajudar.


“Como há uma grande causa-base de todas as doenças – o egoísmo – há um método bastante seguro para o alívio de todo o sofrimento: a transformação do egoísmo em altruísmo. Se desenvolvermos suficientemente a qualidade de nos fundirmos no amor e no cuidado para com aqueles que estão ao nosso redor, alegrando –nos com a glória venturosa de alcançar conhecimento e ajudar os outros,nossas tristezas e sofrimentos rapidamente chegarão ao fim. Este é o grande objetivo final: a perda de nossos próprios interesses no serviço da humanidade. A cura do egoísmo acontece quando direcionamos aos outros o cuidado e a atenção que estamos devotando a nós mesmos. Isso nos torna tão absorvidos em porporcionar-lhes bem estar que nos esquecemos de nós. Segundo uma grande norma da fraternidade, “alcançamos o consolo de nossa própria aflição” e não há nenhum caminho mais seguro para a cura do egoísmo e das desordens que o seguem do que este método.

“Muitos de nós, no começo da vida ou durante a infância, estão muito mais próximos da própria Alma do que nos anos posteriores e têm, então, idéias mais claras a respeito de sua tarefa na vida, dos esforços que se espera que façam e do caráter que precisam desenvolver. A razão disso é que o materialismo, as circunstâncias do nosso tempo e as personalidades com as quais nos associamos nos afastam da voz do nosso Eu Superior e nos prendem firmemente no lugar-comum, com sua ausência de ideais, tão evidente nesta civilização. Na maior parte dos últimos dois mil anos, a civilização ocidental atravessou uma fase de intenso materialismo, e a compreensão do lado espiritual de nossas naturezas e existências perdeu-se enormemente na atitude mental de colocar acima das verdadeiras coisas da vida, as posses, as ambições, os desejos e os prazeres. A verdadeira razão da existência do homem na Terra foi encoberta por sua ansiedade em obter na sua encarnação apenas benefícios materiais. A real natureza de nosso Eu Superior a atual tem pouco significado para nós, ao invés de serem o guia e o estímulo de cada uma de nossas ações. Temos nos desviado muito das grandes coisas e tentado tornar a vida mais confortável possível, retirando o supra físico de nossas mentes e dependendo de prazeres materiais para nos compensarmos de nossas aflições. Assim, ter posição, riqueza e posses materiais tornou-se o objetivo destes séculos e, como todas essas coisas são transitórias e só podem ser obtidas e mantidas com muita ansiedade e concentração em coisas materiais, a verdadeira paz interior e felicidade das gerações passadas têm permanecido infinitamente abaixo daquilo que é direito da humanidade.

“A verdadeira paz da Alma e da mente está conosco quando estamos progredindo espiritualmente e não pode ser obtida unicamente pelo acúmulo de riqueza. Mas os tempos estão mudando, e são muitas as indicações de que esta civilização está começando a passar da era do puro materialismo para o da verdade de obter as realidades e verdades do universo. O interesse geral que vem aumentando rapidamente hoje pelo conhecimento das verdades metafísicas, o número crescente daqueles que estão buscando informações sobre existências anteriores e posteriores a esta, a descoberta de métodos de cura pela fé e através de meios espirituais, a busca dos antigos ensinamentos e da sabedoria oriental, todos são sinais de que as pessoas deste tempo já vislumbraram a realidade das coisas. A cura também terá de manter o passo com estes tempos e mudar seus métodos, passando daqueles de um materialismo grosseiro para aqueles de uma ciência baseada na Verdade e governada pelas mesmas leis que regem as nossas verdadeiras naturezas.

“A menos que a profissão médica compreenda estes fatos e progrida com o crescimento espiritual das pessoas, parece bastante possível que a arte de curar passe para as mãos das ordens religiosas ou das pessoas que verdadeiramente nasceram capacitadas para curar e que existem em todas as gerações.”



O QUE É TERAPIA FLORAL?


Bach a definiu como: “Portas capazes de mobilizar as energias da cura”: para abri-las é necessário a chave exata. Ele selecionou 39 chaves que são arquétipos humanos. Mas cada pessoa deve decidir se o momento certo é aquele, se quer ou não, se agüenta ou não transformar o sofrimento em qualidades inerente a experiência. Cada porta que se abre pode trazer novas perspectivas na forma de sintomas físicos e/ou emocionais, de acordo com a sensibilidade de cada um.

Elas podem nos ajudar em situações comuns do dia-a-dia e nos casos de sofrimento físicos e emocionais mais profundos.

Todos estamos imersos numa força vital: Deus, Universo, Natureza Superior, Força criadora. Princípio Universal da vida que nos rodeia, que pertence a nós e que nos constitui.

Segundo Bach, somos constituídos de 2 elementos: a Alma que é a nossa essência, o nosso núcleo, que é imortal, por fazer parte dessa energia universal e a nossa personalidade, que é temporal e material. Ambos têm de estar em harmonia.

A Alma “sabe” para que viemos a este mundo, e sabe que “não é apenas para comer, beber, dormir, fazer sexo e possuir bens”. Se a personalidade não estiver ligada a esse “conhecimento”, ela atuará de forma errônea quanto a essa unicidade ou harmonia.

Se a personalidade não aceitar a existência da Alma, a pessoa apresentará certo desequilíbrio, certa dissociação, podendo chegar a se destruir.

Se a personalidade se sintoniza com a Alma, vai aproximar-se das qualidades arquetípicas de ser humano, vinculando-se ao ser Superior. As virtudes do nosso ser Superior são a sabedoria, o bem-estar, a felicidade, a bondade, o equilíbrio, a firmeza, a coragem, a constância...a saúde.

“Paracelso e Hahnemann nos ensinaram a não prestar demasiada atenção aos detalhes da doença, mas a tratar da personalidade, do interior do homem, tomando conhecimento de que, se a nossa natureza espiritual e a psíquica estão em harmonia, a doença desaparece”. (Edward Bach).

Dentro do que chamamos holismo, a saúde vem através da aceitação da vida com todas as suas imperfeições e contradições e sermos saudável é sermos completamente nós mesmos.

Mauro Kwiko define terapia floral como a : “Medicina dos Pensamentos e dos sentimentos auxiliando a evolução do ser”.

Breno Marques como: “Terapia Floral, Síntese para uma Medicina de Almas”.

De um modo geral os florais sempre se dirigirão para o perfeito equilíbrio da alma: eles buscam a força e significados interiores, mas também trabalham na construção de um sensibilidade compassiva pelos outros; ampliam a consciência, mas também foca-a na atividade prática e enraizadas (estar consciente dos mundos mais elevados e sutis, mas também estar presente no mundo físico e no corpo físico). Prove um relacionamento dinâmico entre o interior e o exterior, o pessoal e o social, o mundo humano e o mundo natural, a percepção consciente e a consciência transcendente.





Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   34


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal