As transformaçÕes e as mudanças globais



Baixar 1.04 Mb.
Página4/34
Encontro12.12.2017
Tamanho1.04 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   34

A TERAPIA FLORAL SE BASEIA EM QUE? POR QUE CURAM?


As essências escolhidas como remédios curativos se fundamentam, no processo alquímico, na compreensão de que as estruturas e processos físicos da plantas expressam os mesmos princípios universais que se manifestam nas formas e princípios humanos. O objetivo é fazer com que realizemos uma comunhão com o reino da natureza e que através deste recebamos não só nutrição física das substâncias da terra, mas também que possamos absorver conscientemente as qualidades anímicas do ser vivo Terra.

As plantas sempre estão conectadas à energia do cosmos, e podem promover no ser humano a sua real religação.

Os florais ao contrário dos remédios químicos, deixam a alma em liberdade. Apenas encorajam a mudança, ao invés de forçá-la, agindo através da ressonância vibracional e não da intervenção bioquímica.

Essas mudanças desencadeiam mudanças profundas de nossa alma a nível emocional e mental que poderão produzir alterações fisiológicas, nos deixando livre para desenvolver as nossas capacidades inatas.

Essas mudanças se tornam duradouras na consciência e continuarão a fazer parte de nossa vida mesmo depois que pararmos de tomar as essências.

O reino vegetal é o mais evoluído dos reinos (mineral e animal). e as flores são a parte mais desenvolvida da planta.

Paracelso na sua Doutrina das Assinaturas já compreendia que há uma correspondência entre as formas físicas externas e as qualidades interiores que elas expressam.

Goethe insinua 100 anos após Paracelso, que a trajetória de crescimento de um vegetal reproduz simbolicamente o processo que a humanidade teve de atravessar em sua evolução, desde que saiu do paraíso, e as cores florais atestam que os vegetais já atravessaram a sua extrema condensação da seiva, sua idade de ferro, e já estão caminhando e sugerindo a volta a antiga casa celestial.

Alguns métodos científicos modernos, como a Kirliangrafia, comprovam a atividade energética dos medicamentos florais. E os resultado clínicos comprovam de maneira definitiva realmente medicamentos dessas “aguinhas”, que embora atualmente não possíveis de comprovação científica (devido principalmente ao atual estágio ainda materialista da ciência) apontam par o futuro de terapêutica, e certamente através dos conhecimentos da Físicas Quântica em breve terão seu mecanismo de ação perfeitamente comprovado e aceito.

FLORAIS, FITOTERAPIA, HOMEOPATIA E ÓLEOS ESSÊNCIAS.


Muita confusão se tem feito a respeito dessas terapias, o leigo não faz diferença entre elas, os que fazem não sabem classificá-las, é comum encontrarmos pessoas que estão tratando pela fitoterapia e dizem que estão tomando homeopatia, e vice versa. Quando questionados, dizem que é tudo igual. Daremos aqui algumas diferença entre essas terapias.

FLORAIS E HOMEOPATIA.


Os florais, não contêm princípio ativo, age nos corpos sutis, são escolhido, (indicados) visando os corpos sutis. São preparados com as flores, considerada a parte mais desenvolvida da planta. Diferem dos remédios homeopáticos, embora ambos tenham natureza vibracional e ambos ajam no doente, não na doença.

Bach não usou grupos de experimentadores sadios, fez experimento em si, descobriu que a essência floral Holly produzia um sentimento de união e amor na alma perturbada pela inveja e ciúme e o ódio. Clematis intensificava a qualidade de presença em pessoas sonhadoras e desincorporadas.

Ele acreditava que as essências florais agiam através da lei dos contrários no interior da alma humana, mas após muita pesquisas, ao longo de 16 anos, chegou-se à conclusão que ao invés de agirem por semelhança ou contrários, a ação é transformadora, é uma expressão da integração das polaridades no interior da nossa psique, tal como entendido pela alquimia e pela psicologia Junguiana.

Ex.: O floral Mimos dirige-se ao medos da vida cotidiana; ela não cria o medo quando dada em grandes doses a um indivíduo saudável que não tem esses medos, como seria de se esperar se ela seguisse a lei dos semelhantes, e tão pouco eliminam o medo, como faria uma droga tranqüilizante que operasse pela lei dos contrários da alopatia. Quem toma Mimos torna-se mais agudamente consciente da existência de um estado de medo, talvez antes oculto da sua percepção consciente. Ao mesmo tempo Mimosa encoraja tal pessoa a trabalhar esses medos, despertando seus potenciais internos necessários ao entendimento desse medo.

Podemos dizer que Mimosa trabalha com a polaridade medo/coragem, ao invés de eliminar o medo, vai ajudar a ter coragem para trabalhar o medo.

O preparo de ambos é diferente, floral usa flores e são usadas somente em primeira ou segunda diluições que é solução de estoque e solução de uso. Atingindo diretamente a mente e as emoções. Atinge a psique de maneira suave deixando, em geral a consciência escolher livremente como responder a sua influência.

Os remédios homeopáticos são n vezes diluídos e dinamizados. Às vezes necessitam ser usadas potências muito elevadas para afetarem os estados mentais e emocionais. Muitos terapeutas acreditam que ela atua sobre a psique de maneira mais persuasiva do que os florais. Foram experimentados em homens sadios. Seu uso de forma incorreta poderá causar patogenesia (doença artificial).

Os remédios de baixa potência trabalham mais diretamente com os aspectos físico e os corpos mais desos.

A homeopatia é feita dos três reinos: mineral, animal e vegetal, usa-se toda a planta.

As essências florais combinam a segurança dos remédios homeopáticos de baixa potência com a capacidade de estimular a consciência dos remédios de potência alta. Criam um diálogo com a alma, em vez de lhe ditar ordens.

A homeopatia procura catalogar sintomas de alta hierarquia, os sintomas mentais, emocionais e físicos para encontrar a melhor combinação do remédio para o doente, retrata corpo e alma.

Os florais correlacionam a mensagem ou arquétipo de uma planta com uma qualidade específica da alma ou psique humana, retrato da alma.

Os fitoterápicos agem no corpo físico. Tem princípio ativo, utiliza toda a planta.

Os óleos essenciais são produtos altamente concentrados, da destilação natural dos óleos aromáticos de substâncias vegetais e constituem, um tipo especial do remédio fitoterápico.

Pode ter forte efeito sobre o corpo e a alma, mas seu caminho é através dos sentidos e do corpo físico, em vez dos campos vibracionais usados pelas essências florais. Funcionam bem em parceria, terapia floral e aromoterapia. São complementares – do corpo para a alma e da alma para o corpo.

Todas essas terapias compartilham de usar ingredientes puros e naturais.

Essas são as diferenças básicas, mas não são todas.






Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   34


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal