As transformaçÕes e as mudanças globais



Baixar 1.04 Mb.
Página5/34
Encontro12.12.2017
Tamanho1.04 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   34

A SELEÇÃO DOS FLORAIS


A Homeopatia nos guia através dos sintomas raros e peculiares. É indicado um remédios de cada vez.

Nos florais temos de identificar as questões chaves da alma.

Devemos considerar as experiências passadas que refletem no presente e irão influenciar o futuro. Experiências na infância de abandono, abuso sexual, negligencias. Respostas às expectativas dos pais e da sociedade. Sentimentos profundos de raiva, pesar, tristeza, desespero experimentados desde a infância. Devemos também rever o momento presente, particularmente área do trabalho e relacionamento pessoal e considerarmos o objetivo futuro.

Perguntas como: o que quero da vida e como isso irá influenciar no meu trabalho diário? Qual seria a próxima etapa, qual o próximo passo para conseguir os meus desejos? Como é meu relacionamento com o outro, como me sinto, esse relacionamento me enriquece ou me empobrece? Estou conseguindo perceber o momento que estou vivendo, estou tirando proveito do que está acontecendo ou estou deixando passar essa oportunidade?

Muitas essências irão nos ajudar no relacionamento físico, outras vão auxiliar a alma a se desprender da sua conexão terrena.

Vamos resumir 10 pontos básicos para seleção das essências:

1 – Não sobrecarregar o paciente com um composto que possa criar mais confusão.

2 – Indicar 3 a 6 essências para situações mais comuns.

3 – quando percebemos que há uma situação onde é rotineira. Essência única central para falar com a personalidade do paciente.

Ex. pessoas resistentes a mudanças.

4 – Afinidade entre essências para um foco único podendo ser 12 no máximo.

5 – trabalhar com a polaridade, essências para aspectos conflitantes da alma (confiança/medo).

6 – Acrescentar essências numa combinação para regular a velocidade e o ritmo de atuação (aumentar ou diminuir).

7 – Tomar as essências em intervalos curtos (4 gotas de 1 em 1 hora) podendo ser 10 em 10 minutos ou espaçar o intervalo para minimizar.

8 – Quando existem muitas questões a serem trabalhadas, trabalhar a mais urgente primeiro.

9 – Combinações diferentes para durante o dia e a noite.

10 – Tempo de terapia, precisa sempre ser avaliado e mudado, composto se necessário. Essa avaliação deverá ser feita uma vez por mês, mas o composto poderá ser tomado de 3 a 6 meses, para fixarmos bem o que desejarmos.

Combinações já prontas para iniciar um tratamento é recomendável em certas situações. Tem o objetivo de abranger os miasmas emocionais que necessitam serem clarificados.

Para iniciar: Buquê da Transformação.

Para muita confusão mental: Buquê de 5 Flores, não dar por muito tempo, 1 mês é o bastante.

Os florais podem ser utilizados por pessoas de qualquer idade, desde bebês recém-nascidos até pessoas bem idosas. Pode-se utilizar também nas plantas, animais e em ambientes.

Pode-se colocar nos banhos dos bebês e nos vaporizadores.

Para alcoólatras e bebês, pedir para fazer com o mínimo possível de conhaque.

A quantidade a ser ministrada é 4 gotas de 4 a 6 vezes ao dia nos tratamentos normais, administrar sub-lingual, longe das refeições.

Nas emergências podemos usar 4 gotas de 10 em 10 minutos, até que haja equilíbrio da situação.

Por que 4 gotas? Em decorrência do ciclo respiratório completo (4 pulsações).



COMO FOI CRIADA A MATÉRIA MÉDICA DOS FLORAIS.


Bach viajava extensamente por toda a zona rural procurando e observando as energias das plantas, o método exato usado por ele para pesquisar as plantas permanece envolto em mistério, já que deliberadamente destruiu suas notas de pesquisa e muito de seus escritos. Através da observação das plantas, seu formato, sua cor, onde e como se desenvolve na natureza. Seu padrão de crescimento, seu habitat.

As essências Florais de Minas, são usados os relatos alquímicos de cada planta, procurando relatar a história de cada vegetal e sua múltiplas interações com os deuses, os homens e os animais. Através dos relatos nos compêndios de fitoterapia, do conhecimento Bioquímico de Dr. Breno e a parte extra-física é de responsabilidade de Ednamara. O efeito das flores é captado através de sua para-normalidade.

Observação da própria planta e sua relação com o meio ambiente: cor, forma, habitat, padrões de crescimento e ciclos sazonais.

Relação desta com as outras plantas ao redor e com o mundo animal que a visita.

Seu desenvolvimento desde a semente até a floração, amadurecimento, frutos, etc.

Tradição fitoterápica e uso medicinal, tradição popular, uso na alimentação humana e animal.

Relações botânicas (classificação da espécie e sua relação com outras plantas).

Sintonia com a planta, compreensão sensorial, mental, meditativa, imaginação e intuição (que deve vir alicerçada pela observação física); muitas vezes observação para desenvolver a sensibilidade e a clareza.

Estudos de casos clínicos, fornecidos por terapeutas e usuários.

VIDA E OBRA DE BACH.





  • Médico inglês Edward Bach, nasceu em 24 de setembro de 1886 em Moseley – Inglaterra.

  • Tinha um grande amor pela natureza, desde pequeno.

  • Formou-se em Medicina – 1912.

  • Formou-se em bacteriologia e patologia em 1913.

  • Saúde pública – 1914.

  • Foi assistente clínico na Escola de Medicina até 1919.

  • Aos 31 anos foi operado de um câncer, deram para ele 3 meses de vida.

  • Nessa época conheceu a homeopatia através do Organon da Arte de Curar – escrito 100 anos antes.

  • Trabalhou no Hospital Homeopático de Londres.

  • Passou a preparar suas vacinas com a metodologia homeopática e a administra-las por vias oral.

  • Publicou 1926 – Cronic Disease – a Working Hypothesis. (Doenças Crônicas um funcionamento Hipotético).

  • Nessa época os nosódios intestinais conhecidos como nosódios de Bach eram utilizados em toda Grã Bretanha e outros países.

  • 1928 – Tentou substituir os nosódios por medicamentos preparados de plantas utilizando o método homeopático (diluições e dinamizações).

  • 1930 – largou toda sua rendosa atividade em Londres – Hospital/consultório/laboratório para buscar a natureza.

  • Tinha 44 anos, partiu para Gales, ao chegar descobriu que levara por engano uma mala com calçados no lugar de uma com material necessário para o preparo do medicamento homeopático: almofariz, vidros, etc. isso o impulsionou mais rapidamente para a descoberta de um novo sistema de extração das virtudes medicamentosas das plantas.

  • Numa manhã de maio do mesmo ano, quando caminhava pelo campo o que fazia sempre, observa gotas de orvalho sobre as pétalas de flores, imaginou que o Sol incidindo sobre elas poderia extrair seus poderes curativos antes de faze-las evaporar. Experimentando-as em sim mesmo, foi descobrindo o que elas tinham de curativo.

  • Escreveu Cure-se Sozinho, que inicialmente chamou de Liberdade pela Luz do Sol.

  • 1932 – Escreveu Liberte-se e os doze grandes remédios.

  • 1933 – Os quatro auxiliares.

  • 1934 – Os sete auxiliares.

  • Faleceu em 27 e novembro de 1936, com 50 anos em Sotweel.

O meio médico se mostrou resistente em aceitar seu método terapêutico, ele passou a difundir os medicamentos na imprensa leiga, de uma maneira simples, de modo que qualquer pessoa pudesse fazer uso dele.

Citando aqui Schopenhauer: “As grandes verdades passam por três fases, no início são ridicularizadas, depois são ferozmente combatidas para no final, serem aceitas como verdades inquestionáveis”, a terapia floral está entre a primeira e a segunda.

Seu trabalho foi continuado por: Nora Weeks e Victor Bullen, criaram o Dr. Bach Center em Mount Vernon no início dos anos 60. Nickie Murray e seu irmão John Ransell juntaram-se ao Centro Bach posteriormente.



Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   34


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal