Ata da video-conferência do gt trabalho em altura



Baixar 25.36 Kb.
Encontro08.06.2018
Tamanho25.36 Kb.

TERMO DE REFERÊNCIA – DRHS 02/2010
REQUISITOS TÉCNICOS PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA MINISTRAR CURSO DE TÉCNICA PARA TRABALHOS EM ALTURA PARA OPERADORES DE SUBESTAÇÃO.

1. Objetivo:
Definir os requisitos necessários para contratação de empresa a fim de ministrar o treinamento de técnica para trabalhos em altura para 25 (vinte e cinco) operadores de subestação.
As atividades, realizadas pelos operadores, que envolvem trabalhos em altura são:

  1. Coleta de óleo isolante em comutadores sob carga, altura variável de 2,5 m à 5m;

  2. Inspeção de atuação de relé de gás, altura de até 6 m;

  3. Isolamento de radiadores de trafos, altura de até 6 m;

  4. Limpeza de porcelana de equipamentos, altura de até 5 m;

  5. Inspeção em parte superior de trafos e reatores desenergizados, altura de até 6m.

  6. Inspeção de atuação de proteção em bancos capacitores série de 500 kV, altura de até 5m.


2. Documentação para Habilitação Técnica:
2.1 Atestado, emitido por pessoa jurídica de direito público ou privado, comprovando que a Proponente está habilitada para realização de treinamento de técnicas para trabalho em altura.
3. Documentação Complementar:
A Proponente deverá apresentar referentes aos instrutores que irão ministrar os treinamentos, os seguintes documentos:


    1. Certificado de realização dos cursos básico e complementar, constantes na NR-10, caso o treinamento seja realizado na zona controlada.

    2. Certificado de curso de primeiros socorros e atendimento em emergências.

    3. Certificado de conclusão em Curso Técnico de Segurança do Trabalho, e registro no Ministério do Trabalho e Emprego.

    4. Experiência comprovada de, no mínimo 10 (dez) anos, na realização da atividade (justificativa no item 9.6).

    5. Um (01) dos instrutores deverá possuir o reconhecimento do profissional de Acesso por Corda Nível 03 pela ABENDI – Associação Brasileira de Ensaios Destrutivos e Inspeção.

O profissional certificado para o Nível 03 de Acesso por Corda deve:

a) Ser capaz de assumir responsabilidades por planejamento e execução de trabalho de acesso por corda,

b) Possuir experiência em técnicas de trabalho por acesso por corda e conhecimento sobre análise de risco e legislação,

c) Ser capaz de demonstrar todas as habilidades e conhecimentos requeridos pelos níveis 1 e 2,

d) Possuir conhecimento avançado de técnicas de resgate,

e) Possuir treinamento de primeiros socorros


4. Período/Carga Horária:


  • Período: 08 a 12 de novembro de 2010.

  • Carga Horária: 40 horas, sendo 12 horas/aula de teoria e 28 horas/aula de prática.


5. Público Alvo:


  • Profissionais que realizam atividades em altura superior a 02 metros de altura, onde haja risco de queda.



6. Conteúdo Programático:
O curso deverá possuir, no mínimo, o seguinte conteúdo programático:
Parte teórica

  • Legislação aplicada ao trabalho em altura (NRs, NBRs, ABNT)

  • Análise de riscos inerentes ao trabalho em altura;

  • Apresentação dos equipamentos para trabalho em altura;

  • Especificações técnicas dos EPI utilizados na Chesf;

  • Orientações sobre responsabilidades, uso, guarda, conservação e inspeção dos EPI para trabalho em altura;

  • Fator de Queda e suas conseqüências;

  • Apresentação teórica da técnica a ser ministrada;

  • Confecção de nós utilizados na técnica (oito simples e oito duplo guiado)

  • Procedimentos no uso de andaimes e escadas (NR-18) e NBR 6494 - Segurança em Andaimes.


Parte prática


  • Utilização correta dos equipamentos (cinto de segurança, talabartes, trava-quedas etc.);

  • Posicionamento com o talabarte regulável.

  • Ancoragem pessoal e equalização com fitas conectoras

  • Procedimentos para montagem e desmontagem de linha de vida horizontal e vertical;

  • Procedimentos para montagem e desmontagem de andaimes.

  • Procedimentos para acesso em escadas.



6.1. Cronograma de Treinamento
1º Dia

Carga horária: 08h

Atividade: Parte Teórica

Local: Auditório Eunápio Peltier – Pituaçu - Salvador


2º Dia

Carga horária: 04h

Atividade: Continuação da Parte Teórica

Carga horária – 04h

Atividade: Utilização correta dos equipamentos, orientação sobre posicionamento com talabarte e ancoragem pessoal.

Local: Subestação do Matatu - Salvador


3º Dia

Carga horária: 08h

Atividade: Equalização com fitas conectoras, procedimentos para montagem e desmontagem de linha de vida horizontal e vertical.

Local: Subestação do Matatu - Salvador


4º Dia

Carga horária: 08h

Atividade: Procedimentos para montagem, desmontagem e estaiamento de andaimes; para trabalhos com escada; procedimentos para acesso aos trafos.

Local: Subestação do Matatu - Salvador


5º Dia

Carga horária: 08h

Atividade: Procedimentos para acesso aos transformadores (TC e TP); exercício simulado e avaliação final.

Local: Subestação do Matatu - Salvador



7. Material Didático
A empresa deverá fornecer a cada participante uma apostila ilustrada abordando todos os assuntos do conteúdo programático.

8. EPI
A empresa contratada deverá utilizar durante os treinamentos, equipamentos de segurança em conformidade com o caderno de Especificações técnicas dos equipamentos individuais para movimentação vertical e horizontal de trabalhos em altura – Revisão 10, adotado pela CHESF.

A Proponente deverá informar no Plano de Segurança, os C.A (Certificado de Aprovação) dos EPI a serem utilizados no treinamento.

O setor de segurança do trabalho, durante a aprovação do Plano de Segurança, averiguará o atendimento às Especificações Técnicas da Chesf.

Caso os serviços sejam realizados dentro de zona controlada, a Proponente deverá utilizar durante o treinamento, vestimenta sem componentes metálicos de acordo com a NR-10.





  1. Considerações Finais




    1. A Proponente deverá comparecer ao setor do contratante, 05(cinco) dias úteis após a data da assinatura do contrato para uma reunião de compatibilização, a fim de:

  • Inspecionar o local da aula prática, receber orientações sobre a elaboração do PEX/ APP e apresentar o procedimento do trabalho.

  • Definição dos períodos de realização dos cursos.




    1. A empresa Proponente deverá prever, no mínimo, 01 (um) instrutor para cada grupo de 08 (oito) participantes ou fração. Os instrutores devem fazer parte do quadro funcional da Proponente.




    1. A empresa contratada deverá aplicar um teste de avaliação para os alunos e fornecer Certificado a todos os participantes que forem considerados aprovados no treinamento.




    1. Todos os custos referentes ao transporte aéreo e terrestre, hospedagem e alimentação dos instrutores, bem como custos com transportes de materiais serão de responsabilidade da Contratada.




    1. Ao final do treinamento, a empresa contratada deverá apresentar um relatório de avaliação do treinamento para a segurança do trabalho local.




    1. A necessidade da exigência de comprovação de no mínimo dez anos é justificável por se tratar de uma prestação de serviço onde pode haver risco de morte acentuada se não for contratada uma empresa com capacidade reconhecida no mercado e experiência comprovada.




TR DRHS 02/2010




Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal