AutorizaçÃO



Baixar 267.77 Kb.
Página1/3
Encontro15.04.2018
Tamanho267.77 Kb.
  1   2   3



APOSTILA DE METODOLOGIA CIENTÍFICA PARA O CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO BASEADA NO LIVRO: “METODOLOGIA E PESQUISA CIENTÍFICA PARA CIENCIAS SOCIAIS (MICHEL, M. H.; Editora ATLAS, 2005)”

Prof. M. Sc. Cláudio Garcia Durán Alvarez



BARREIRAS

2009

CIÊNCIA E CONHECIMENTO

OBJETIVO: apresentar e discutir um conjunto de conceitos teóricos, necessários à compreensão dos tópicos da disciplina Metodologia Científica.

Conceito de Ciência – do latim SCIENTIA, “saber que se adquire pela leitura e pela meditação,

conjunto organizado, conhecimentos, adquiridos pela observação e análise e um método

próprio, ciente, conhecimento, saber, informação”. Dicionário Melhoramentos.

A importância de se conhecer os fatos do passado para se preparar para o futuro.

O homem na antiguidade (Terciário, Quaternário, Recente).


  • Terciário – 1 a 10 milhões de anos;

  • Quaternário – 600.000 a 1 milhão de anos

  • Recente – 600.000 anos.



O trigono: “magia, religião, ciência”. A importância do “medo do desconhecido” no surgimento

da ciência.



Antiguidade Clássica (600 a.C. – século IV d.C.).
Os gregos – século V a.C.; surgimento do conceito de rede (network) entre cidades (não havia conceito de país); mesmo idioma entre as cidades (facilidade na compreensão de textos concebidos em qualquer cidade); rejeição à tecnologia, menos preocupação com soluções práticas. A ciência produzida era voltada para a explicação do mundo (filosofia – “Amor pela à sabedoria”); não havia preocupação em mudar o mundo, mas sim em explicá-lo; apesar de grandes apreciadores dos prazeres terrenos, não exercitaram suas mentes para buscar progresso material; importantes contribuições para o avanço da proto-ciência e da filosofia. Aristóteles (“todo bem material já havia sido inventado”).
Os romanos – menos intelectualizados que os gregos; um povo mais prático, organizado e preocupado com o bem estar e com a vida material; copiaram muitos conceitos da arte, da proto-ciência e da medicina dos gregos; desprezo pelo “amor e ciência”; criação de aterros sanitários, aquedutos, aparelhos sanitários, hospitais e serviço médico público, engenharia civil e militar; Igreja Católica, leis do direito.

Idade Média
- O apego às coisas do espírito, a preocupação em discutir e explicar “a razão do ser do

homem”, sua natureza e finalidade, abrem caminho para a dominação da religião.



  • As pessoas como um rebanho submisso e escravo dos dogmas religiosos. O acesso a todo o conhecimento principalmente o grego foi proibido ao homem, sendo todo o conhecimento encarcerado nas bibliotecas do clero. (P. das T.).

  • As únicas verdades eram as da igreja (sofrimento como caminho para a salvação.) “OBSCURANTISMO”.

  • Nascimento da “Santa Inquisição” (séc. XIII à XV) devido a um renascimento geral pelo interesse das práticas e conhecimentos de qualquer natureza.


Renascimento (meado do séc. XV).


  • A igreja começa a dar sinais de ser incapaz de deter o impulso natural do homem pela curiosidade de entender e explicar o mundo e a existência.

  • O período caracteriza-se por ser à volta, o retorno ao direito do homem de pensar racionalmente, de fazer ciência livre e adquirir conhecimentos.

  • FRANCIS BACON (séc. XVI): “Chega de filosofia e poesia, é hora de dedicar-se ao progresso da vida cotidiana”.

  • LEONARDO DA VINCI: “observação e experimentação”.

  • Invenção da BÚSSULA, PÓLVORA, ÓCULOS, IMPRENSA, RELÓGIO, ESFERICIDADE DO PLANETA, GRANDES DESCOBRIMENTOS.

  • CRIAÇÃO DO MÉTODO CIENTÍFICO (séc. XV): Copérnico, Bacon, Galileu, Descartes.

  • A partir do séc. XVI a ciência desenvolve mais o espírito crítico e objetivo do homem.

  • A GRANDE DISSEMINAÇÃO DO MÉTODO EXPERIMENTAL DENTRE TODAS AS CIÊNCIAS.


Idade Moderna


  • RACIONALISMO: confiança na razão humana para a solução dos problemas.

  • Insinua-se a dúvida e a esperança que a razão pudesse compreender e justificar o “desconhecido” e dominá-lo.

  • Iluminismo (séc. XVIII): “século das luzes”. Grandes descobertas, Revolução Industrial, máquina a vapor, eletricidade, progresso na física, filosofia e biologia; contudo as artes a as letras não apresentam grandes mudanças além das conquistadas no Renascimento.

  • Séc.XIX: novos conhecimentos sobre evolução das espécies (DARWIN), átomo, magnetismo, energia.

  • Séc.XX: métodos objetivos e exatos promovem desenvolvimento da pesquisa em todas as áreas da física e do ser humano, inclusive pesquisas aeroespaciais.

  • A importância dos métodos e dos instrumentos de investigação como mola propulsora das descobertas.



CIÊNCIA: refere-se a um tipo de conhecimento que se propõe a revelar a verdade através do levantamento e análise das causas, podendo por isso ser explicado. “Corpo de conhecimentos” que trabalha com técnicas especializadas de verificação, interpretação e inferência da realidade, resultando em domínio da natureza.

CARACTERÍSTICAS DA CIÊNCIA

1. – DISTINÇÃO ENTRE ESSÊNCIA E APARÊNCIA





  • O espírito científico sempre parte do princípio de que nada se revela na aparência.

  • A ciência, através de metodologia rígida, permite penetrar na essência dos fenômenos perceptíveis pela inteligência humana, chegando à sua verdade.

  • O uso de métodos científicos diferencia a ciência das outras formas de conhecimento.

  • Nada é verdadeiro se não for comprovado, e todas as interpretações podem a qualquer momento serem revistas.

2. – COMPROMISSO COM A VERDADE




  • POR QUÊ? PARA QUÊ? COMO? = Questionamentos da ciência.

  • Investigação cientifica deve ter suas hipóteses levantadas e suas conseqüências lógicas submetidas a rigorosos testes de equivalência com a realidade e com outras hipóteses sugeridas.

3.- DESMITOLOGIZAÇÃO E DESSACRALIZAÇÃO DO MUNDO




  • RACIONALIDADE ACIMA DE TUDO

  • Queda de mitos e lenda para se passar a enxergar a verdade.

  • A religião como fato de impedimento da busca pela verdade.

4.– COMPROMISSO COM A TEORIA, A ANÁLISE E A POLÍTICA.




  • TEORIA – conjunto de conhecimentos para um número limitado de fenômenos.

  • ANÁLISE – a ciência se ocupa da explicação, da análise e da aplicação dos princípios teóricos (busca comprovações).

  • POLÍTICA – compromisso ético de orientar como as coisas devem ser feitas ou não, visando resultados para o bem da humanidade.

  • Transição do “que é” para “como deve ser”.


MODALIDADES DA CIÊNCIA

1 – DESCOBERTA




  • Referem-se aos resultados de pesquisa que investigam explicar os acontecimentos.

  • Busca explicação para a existência e o funcionamento dos organismos vivos, além dos fenômenos naturais do universo.

  • Ex: Raio Laser.

2 – INVENÇÃO




  • Visam à aplicação das descobertas, para buscar soluções que possam melhorar a qualidade de vida.

  • Aplicação do conhecimento com um fim definido.

  • É patenteável (Ex: Aplicar Laser p/ curar doença)

3 – INOVAÇÃO / TECNÓLOGIA




  • Pertencem ao ramo da invenção, pois atuam sobre conhecimentos descobertos e inventados.

  • Visam modificar p/ proporcionar melhoria, maior eficiência (desenvolvimento de máquina de laser para curar doença).

  • As modalidades dependem umas das outras;

  • Todas devem receber recursos p/ que nenhuma possa parar, o que poderia comprometer o desempenho do ciclo científico.


A ÉTICA
ÉTICA: (conceito) – do grego éthikos: Estudo da moral. É à parte da filosofia que estuda os valores morais da conduta humana, estabelecendo um conjunto de princípios para os conceitos do bem e do mal, válido p/ um grupo social, profissional, político e cultural determinado, em determinada época.


  • Não há ciência de verdade sem ÉTICA, pois sem ela não conseguimos separar o tendensiosismo que há em nós em relação aos nossos sentimentos, e ao que a observação nos revela;

  • Todo o conhecimento pode ser utilizado para o bem ou para o mal, de acordo com a ética que rege o ser humano;

  • Dimensão de equilíbrio entre natureza e a pessoa, entre a ciência e a tecnologia e a vida humana.

1–ÉTICA PESSOAL (convicção) X ÉTICA SOCIAL (RESPONSABILIDADE)




  • Código de valores que regem a vida e a conduta pessoal da cada pessoa;

  • São valores que fazem parte do caráter, da personalidade de cada um, estruturando sua moral;

2 – ÉTICA SOCIAL (RESPONSABILIDADE)




  • Código de valores determinados pela cultura de um povo, um grupo social, uma organização, em torno dos quais indivíduos se orientam e se comportam;

  • Podem não coincidir com os valores pessoais, com a ética de cada um;

3 – ÉTICA DO VALOR ABSOLUTO




  • Código de valores válidos para toda e qualquer situação, que não admite exceções, nem está condicionado a análises de mérito;

  • São valores inquestionáveis, resistem a quaisquer situações, tentações e pressões;

4 – ÈTICA DO VALOR RELATIVO




  • Código de valores válidos para situações específicas;

  • Existe a presença de atenuantes;

  • É a ética do “depende”;


O CONHECIMENTO


  • Diferença entre informação e conhecimento!

1 – CONHECIMENTO TÁCITO




  • Forma pessoal como cada pessoa interpreta a realidade que a cerca;

  • Contexto individual e SOCIAL;

  • Práticas adquiridas pelo treinamento;

2 – CONHECIMENTO EXPLICITO




  • É o conhecimento do indivíduo que foi exposto, explicitado, estendido, compartilhado com pessoas do mesmo grupo social através do processo de informação transmitida.

Formas de “conhecer”




  • Apesar de frágil, o homem “se sai” devido à sua inteligência;

  • A capacidade e reflexibilidade do homem;

  • Conceito de “saber”: criação de teorias, métodos, sentimentos e valores, que permitem ao ser humano criar comportamentos e objetivos que o fazem melhorar sua qualidade de vida.



OUTROS TIPOS DE CONHECIMENTO
1 - CONHECIMENTO DOGMÁTICO (CONHECIMENTO TEOLÓGICO)



  • Conjunto de verdades que as pessoas interiorizam, assimilam, não com o auxilio da inteligência, mas mediante a aceitação da revelação divina.

  • Verdade sem explicação, ou comprovação, mas sim por inabalável fé e crença em alguém.

  • Doutrina, imposição, aceitação (prática da religião).

2 – CONHECIMENTO EMPÍRICO




  • Baseado no bom senso ou experiência;

  • Conhecimento baseado no “senso comum”;

  • A verdade está no que se experimenta com o que se convive;

  • Ametódico e Assistemático, está ligado à realidade; aos fatos, às experiências do cotidiano e à tradição;

  • É obtido por acaso e transmitido por tradição (erros e acertos).

3 – CONHECIMENTO FILOSÓFICO





  • Baseado em modelos mentais;

  • A verdade é idealizada e o conhecimento é proposto;

  • Concepção (mental) da natureza das coisas, não dos fatos; contudo obedece a lógica das coisas;

4 – CONHECIMENTO CIENTÍFICO




  • Consulta a bases teóricas (bibliografias);

  • Análise criteriosa e testes para comprovar as conclusões;

  • Forma mais pura e correta de se obter a verdade das coisas;

  • O sentimento que poderia gerar tendensiosismo inexiste;

  • Conhecimento gerado de maneira racional, e ampliável;

  • Investigativo, baseia-se em fatos explicados, comprovados;

  • Necessita de roteiro, caminho (que é o método);

  • Todas as formas de “conhecer” têm valor em dada situação a depender da maneira que o homem entende o mundo;


O COMPORTAMENTO CIENTÍFICO



  • Faz-se necessário a utilização de métodos e técnicas adequadas ao problema proposto, visando sua solução;

  • Atitude e disposição de alguém que busca solução verdadeira e coerente para um problema, usando métodos adequados;

  • Comportamento relacionado à crítica dos fatos, ao questionamento, que levarão ao discernimento;

  • O crítico não julga “a priori”, mas só aceita o que é possível de prova;

  • O espírito científico não aceita “eu acho”; “dizem que” “a religião manda que”;

  • Humildade p/ saber que o conhecimento nunca estará pronto (“Quanto mais sei dar coisas, descubro que menor sei do mundo”);


ÁREAS DO CONHECIMENTO CIENTIFICO



  • Abrangem todas as áreas do saber acumulado pela humanidade;

  • As áreas do conhecimento são divididas em áreas de concentração;

  • Áreas do Conhecimento: Ciências físicas, naturais e tecnológicas; ciências da vida; letras; ciências humanas e sociais;




  • Áreas de Concentração:

  1. CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA / TECNOLOGIA

  2. CIÊNCIAS BIOLOGICAS E CIÊNCIAS AGRÁRIAS / SAÚDE HUMANA.

  3. LETRAS E ARTES.

  4. CIÊNCIAS HUMANAS / CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS.


PARTICULARIDADES DA ÁREA DE CIÊNCIAS SOCIAIS (CS)


  • Reflete sempre algum contexto social;

  • Produto é fruto da realidade social onde foi gerado o conhecimento (CS);

  • Métodos utilizados na pesquisa de CS são diferentes das ciências físico-naturais;

1 – OBJETO HISTÓRICO.





  • As entidades estudadas nas C.S. sofrem acentuado desgaste temporal;

  • As coisas (historicamente nunca “são” definitivas, mas “estão” sempre em passagem, mudança);

  • Refletem e orientam as práticas históricas;

2 – CARÁTER IDEOLÓGICO X IDENTIDADE ENTRE SUJEITO E OBJETO PESQUISA.





  • O objeto de pesquisa das C.S. é o próprio homem;

  • Seres humanos investigando seres humanos (problemas);

  • Possibilidade de o estudo não ser objetivo;

  • Importância do método cientifico;

  • Impossível pesquisar assuntos da C.S. sem se posicionar ideologicamente (teorias).

3 – MANIFESTAÇÕES MAIS QUALITATIVAS QUE QUANTITATIVAS.





  • A realidade social é capturada de maneira mais efetiva com a aproximação, a vivência, do que com a teoria;

  • Objeto de estudo da C.S. está sempre inacabado;

  • Em C.S. a realidade deve ser comprovada através de avaliação robusta e consistente, não por comprovação matemática.


A PESQUISA E A CIÊNCIA



  • Qualquer escolha ou busca de solução para problemas ou por mera curiosidade, envolve conscientemente ou não, uma atividade de pesquisa;

  • O avanço técnico-científico depende necessariamente de um trabalho de pesquisa desenvolvido mediante a utilização de métodos que permitem separar o verdadeiro do falso;


CONCEITO: PESQUISA: informar-se a respeito de: empregar meios para se chegar ao conhecimento da verdade; busca, indagação, investigação. É a geração de conhecimento, a atividade cientifica pela qual descobrimos a realidade;


  • A realidade não se apresenta com clareza na superfície;

  • A pesquisa é um conjunto processo interminável, pois as formas humanas de se ver (enxergar, compreender) a realidade, são inesgotáveis;

OUTRO CONCEITO: PESQUISA: É um fenômeno de busca de conhecimento constituído de aproximações sucessivas e nunca esgotado; ou seja, não é uma situação definitiva diante da qual não haveria mais o que descobrir;



  • Explorar e estudar o mundo físico e entendê-lo;

ESTUDO EXPLORATÓRIO OU PESQUISA BIBLIOGRÁFICA


  • É uma fase da pesquisa, cujo objetivo é auxiliar na definição dos objetivos e levantar informações sobre o assunto objeto de estudo;

  • Recorre a documentos que possam preencher uma dúvida, lacuna;

  • Procura explicar um problema a partir de referências publicadas em documentos, o que permite dispensar a elaboração de algumas hipóteses;

  • Pode ser feito isoladamente ou como parte da pesquisa científica descritiva ou experimental, não para resolver o problema em si, mas para ajudar a entendê-lo melhor;

  • Criação de conhecimento necessário e básico pára a realização de estudos monográficos;

  • Constitui-se através de anotações, registros, notas, uma memória para a redação do trabalho;


PESQUISA QUALITATIVA X PESQUISA QUANTITATIVA

PESQUISA QUANTITATIVA

- Utiliza a quantificação tanto nas modalidades de coleta de informações, quanto no tratamento destas, através de técnicas estatísticas, desde percentual e desvio-padrão até coeficiente de correlação e análise de regressão linear;



  • Visa garantir a precissão dos resultados, exatidão;

  • Os resultados são obtidos e comprovados pelo número de vezes em que o fenômeno ocorre, ou com a exatidão em que ocorre;

  • Resposta numérica;

  • Na pesquisa quantitativa o pesquisador descreve, explica, prediz;



PESQUISA QUALITATIVA



  • É baseada na discussão da ligação e correlação de dados interpessoais, na co-participação das situações dos informantes, analisados a partir da significação que estes dão aos seus atos;

  • A verdade é comprovada através da experimentação empírica;

  • Em C.S., os fatos são significados sociais, por isso, a interpretação não pode ficar reduzida a números sem contextualização com a realidade;

  • Interferência social e temporal na interpretação do texto; trabalho;

  • Na pesquisa qualitativa o pesquisador participa, compreende e interpreta;

* Um tipo de pesquisa pode complementar a outra, porém com cautela, para se evitar distorções na interpretação dos fatos.



TIPOS E MODALIDADES DE PESQUISA

1 – PESQUISA TEÓRICA




  • Critica e reconstrói teorias existentes;

  • Baseia-se em estudos anteriores, valorizando o uso da razão e da lógica;

  • Não admite a especulação pura e simples;

  • Guia-se por procedimentos: 1- domínio de obras clássicas; 2- domínio de bibliografia fundamental; 3- Cerne crítica;

  • Base de conhecimento necessário para futuras aplicações e investimentos;

2 – PESQUISA PRÁTICA OU EXPERIMENTAL




  • Faz-se através do teste prático de possíveis idéias ou proposições teóricas, através do controle e manipulação dos fatores que interferem no acontecimento de um dado fenômeno;

  • Testa a teoria para descobrir novas realidades;

  • Baseia-se na experimentação, na comparação e na verificação de condições favoráveis ou necessárias à sua comprovação;

  • Mais aplicável a outras áreas da ciência, nas C.S. apenas em situações simuladas;

3 – PESQUISA EMPÍRICA




  • Voltada para a face vivenciada e observável dos fatos;

  • Traz a teoria para a realidade concreta;

  • Constrói modelos a partir de análise de experiências;

  • Por ter o seu aprendizado relacionado à tradição;

  • “tentativa e erro”.

4 – PESQUISA AÇÃO





  • É um tipo de investigação social empírica, isto é, vivenciada, onde os pesquisadores e os participantes da situação estão envolvidos de modo participativo;

  • O envolvimento do pesquisador da pesquisa na ação, é fundamental;

  • Exemplo: motivação, treinamento de pessoal, vendas, etc...;

  • É bem sucedida na medida em que os testes das variáveis são aceitos e incentivados pelo grupo envolvido na proposta de solução do problema;

5 – PESQUISA DESCRITIVA




  • Procura conhecer situações que envolvem o ser humano em aspectos sociais, econômicos e culturais;

  • Os fatos devem ser capturados da vida real e analisados à luz que o ambiente exerce sobre eles;

  • Pesquisa de opinião, estudo de caso, pesquisas de campo;

*As descobertas provém das pesquisas teóricas e básicas, as invenções das pesquisas aplicadas, e as inovações das pesquisas tecnológicas; isso porque a pesquisa é a atividade básica da ciência, e os modos de se fazer pesquisas estão diretamente relacionados com os modos de se fazer ciência.

6 – PESQUISA BÁSICA


  • NÃO É IMEDIATAMENTE APLICÁVEL;

  • Tem compromisso apenas com a geração de novos conhecimentos;

7 – PESQUISA APLICADA





  • Utiliza os conhecimentos adquiridos na pesquisa básica para um fim útil;

  • Destina conhecimento para produção de elemento que possam melhorar a qualidade de vida;

8 – PESQUISA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA





  • Conhecimento aplicado, para muitos autores não é uma forma de ciência;

  • É a transformação do conhecimento adquirido pela ciência em produtos tecnológicos.



PESQUISA DE CAMPO X PESQUISA DE LABORATÓRIO


  • Pesquisa em C.S. tem como objeto de estudo o homem, seu comportamento e experiências, inserido no determinado contexto social, por isso, necessita de instrumentos que possibilitem coletar dados na vida real;

  • A pesquisa Laboratorial permite a investigação em condições Experimentais;



METODOLOGIA DA PESQUISA



  • Citar DESCARTES (Discurso do Método);

  • Preocupa-se em auxiliar a ciência a entender a realidade, através da “pesquisa científica”;

  • Citar THOMAS EDSON;

  • Tratado dos métodos, conjunto de métodos e técnicas utilizadas numa investigação; maneira de conduzir uma pesquisa, cuida dos procedimentos, caminho.

  • O conhecimento científico para ser válido, pressupõe o conhecimento e o domínio da metodologia cientifica.



MÉTODOS DE PESQUISA

1 – MÉTODO CIENTÍFICO





  • Procura descobrir a verdade dos fatos; que guiam o uso do método;

  • Nunca deve ser normativo ou prescritivo, mas sim orientador;

  • Visa gerar ao pesquisador, maior racionalidade e coerência na obtenção de seus objetivos;

  • Princípios que regem o comportamento científico são descritos por Descartes;

  • Não é fórmula mágica; é um conjunto de procedimentos que direcionam a investigação, uma ferramenta de trabalho;

  • Um conjunto de técnicas define o método científico;

  • O método pode ser visto como a filosofia de ação, e a técnica como a tática utilizada:

2 – MÉTODO DIALÉTICO




  • Arte de discutir, a argumentação dialogada;

  • Válida para todas as formas de investigação e área do conhecimento;

  • Pressupõe que a investigação da verdade em qualquer ciência vai exigir do homem um pensamento dialético, pois sempre ocorrem avanços na tentativa de auto-superação;

  • TESE + ANTITESE = SINTESE (São os questionamentos de sala de aula);



Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal