Bilac, Olavo



Baixar 397.28 Kb.
Página5/6
Encontro29.11.2017
Tamanho397.28 Kb.
1   2   3   4   5   6
    Navegue nesta página:
  • Julho






VI



Junho

Coro de crianças:
Passem os meses desfilando!

Venha cada um por sua vez!

Dancemos todos, escutando

O que nos conta cada mês!


Junho:
Em chamas alviçareiras,

Ardem, crepitam fogueiras...

— E os balões de São João

Vão luzir, entre as neblinas,

Como estrelas pequeninas,

Entre as outras, na amplidão.


Não há casinha modesta

Que não se atavie, em festa,

Nestas noites, a brilhar:

Não se recordam tristezas...

Estalam bichas chinesas,

Estouram foguetes no ar.


Fogos alegres, pistolas,

Bombas! ao som das violas,

Ardei! cantai! crepitai!

Num largo e claro sorriso,

Seja a terra um paraíso!

Folgai, crianças, folgai!


Coro de crianças:
vem Julho, o mês do frio...

Vamos os corpos aquecer,

Acelerando o rodopio...

— Pode outro mês aparecer!



VII




Julho




Coro de crianças:
Passem os meses desfilando!

Venha cada um por sua vez!

Dancemos todos, escutando

O que nos conta cada mês!


Julho:
Mais curtos são os dias...

As noites são mais frias,

E custam a passar...

Que cômodo o descanso,

Na calma, no remanso,

Na placidez do lar...


Que paz, e que franqueza,

Quando, ao redor da mesa,

À luz do lampião,

A gente se congrega,

E ao júbilo se entrega

De doce comunhão!


Amigos, estudemos!

E esta estação saudemos

Bondosa, que nos traz

As longas noites calmas

Que dão às nossas almas

O Amor, o Estudo e a Paz!


Coro de crianças:
O mês de julho oculta o rosto...

O seu encanto se desfez...

Entre na roda o mês de agosto!
Entre na dança o oitavo mês!

VIII



Agosto


Coro de crianças:
Passem os meses desfilando!

Venha cada um por sua vez!

Dancemos todos, escutando

O que nos conta cada mês!


Agosto:
Com as chuvas derradeiras,

Molham-se as verdes palmeiras

E os canteiros do jardim.

Já que o tempo não melhora,

Deixemos em paz lá fora

O balanço e o trampolim...


Depois das lições, abramos

Livros de contos; leiamos

As ardentes narrações

De aventuras, de viagens

Por inóspitas paragens

E por selvagens sertões...


— De explorações arrojadas

Feitas em zonas geladas,

Em zonas de vivos sóis;

E percorramos a História,

Honrando e amando a memória

Dos justos e dos heróis!


Coro de crianças:
Fugiu Agosto! Pede entrada

Um novo mês que nos vai dar

A Primavera perfumada!

É o nono mês que vai entrar!




IX
Setembro

Coro de crianças:
Passem os meses, desfilando!

Venha cada um por sua vez!

Dancemos todos, escutando

O que nos conta cada mês!


Setembro:
Eu trago a primavera;

Trago a aprazível era

De universais festins;

Mais belas, mais viçosas,

Surgem sorrindo as rosas

E as dálias nos jardins.


Sou o jovial setembro!

E as brasileiros lembro

A data sem rival,

Em que o Brasil potente,

Ficou independente

Do velho Portugal.


As vozes elevemos

Em hinos, e beijemos

O pavilhão gentil,

Que nos seu lema encerra

O ideal da nossa terra,

A glória do Brasil!


Coro de crianças:
Adeus, setembro! Já descubro,

Cheio de flores, a cantar,

Lépido e alegre, o mês de Outubro,

Que em nossa roda quer entrar!



X
Outubro

Coro de crianças:
Passem os meses desfilando!

Venha cada um por sua vez!

Dancemos todos, escutando

O que nos conta cada mês!


Outubro:
Foi neste mês que, por mares

Cheios de névoas e azares,

Cristóvão Colombo viu

Um novo e esplêndido Mundo

Surgir do Oceano profundo...

E a América descobriu.


As intrigas, os perigos,

A inveja dos inimigos

Não o puderam vencer;

Viu passarem as procelas

Sobre as suas caravelas,

Sem a esperança perder.


Glória ao Gênio destemido,

Que navegou conduzido

Pela sua intrepidez!

Ergamos a voz em festas

Àquele que estas florestas

Viu pela primeira vez!


Coro de crianças:
Um outro mês já pede entrada:

Deixem-no entrar, que é sua vez!

Em nossa roda bem formada,

Entre cantando um outro mês!




XI
Novembro

Coro de crianças;
Passem os meses desfilando!

Venha cada um por sua vez!

Dancemos todos, escutando

O que nos conta cada mês!


Novembro:
Neste mês, compremos ramos

De belas flores, e vamos

Aos cemitérios orar!

pode ser bom na vida

Quem, com calma comovida,

Sabe os mortos respeitar.


Visitemos os finados,

— Aqueles, que, descansados,

Dormem o sono final!

— Mas, logo depois, cantemos!

E com hinos celebremos

Nossa data nacional!


Pátria que todos amamos!

Aos teus pés depositamos

Saudações e flores mil!

Sempre sobre a tua história

Fulgure a estrela da Glória!

Deus engrandeça o Brasil!


Coro de crianças:
Dançai, dançai mais vivamente!

Saia Novembro, e entre, a cantar

O mês querido que, contente,

As férias vem anunciar!




XII



Dezembro

Coro de crianças:
Passem os meses desfilando!

Venha cada um por sua vez.

Dancemos todos, escutando

O que nos conta cada mês!


Dezembro:
Deixemos as coisas sérias!

Sou o belo mês das Férias,

O belo mês do Natal!

Crianças! tendes saudade

Da casa, da liberdade,

Do carinho maternal?


Sou o belo mês da Infância!

— Quem trabalhou com constância,

Debalde não trabalhou:

As aulas estão suspensas;

Tem prêmios e recompensas

Todo aquele que estudou.


Quem estudou, finalmente,

Recebe a paga, contente,

Do sacrifício que fez...

— Férias, colégios fechados

E livros abandonados!...

Eu sou das férias o mês!


Coro de crianças:
Inda uma vez dancemos rindo!

Vamos às casas regressar...

O ano acabou! Dezembro é findo!

Vamos agora descansar!





Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal