Boletim ano1/n0



Baixar 21.9 Kb.
Encontro09.04.2018
Tamanho21.9 Kb.

BOLETIM TÉCNICO

Ano I / No 0

Agosto/95


A

PRESENTAÇÃO DO BOLETIM


Este Boletim visa criar um canal de comunicação periódica entre os pesquisadores, técnicos, bombeiros, empresas, etc, interessados na segurança contra incêndio.

O Boletim tem caráter técnico e científico, procurando divulgar, resumidamente, trabalhos de pesquisa, teses, dissertações, etc. além de discutir temas da atualidade na área da segurança contra incêndio. É reservada uma área no final de cada Boletim para divulgação de informações gerais.

Para facilitar a impressão e arquivamento dos trabalhos, estes devem ser enviados em disquete na forma de Word for Windows 2.0 ou superior, com desenhos e planilhas importadas para o mesmo.

O artigo técnico é de inteira responsabilidade do autor e deverá ter cerca de 9.000 toques ou 1.000 palavras.

A seguir, apresentamos um exemplo de texto com os ítens a serem fornecidos para publicação no Boletim.


Título: Fumaça - Produtos Gasosos da Combustão

Autor: Alexandre Itiu Seito

Entidade a que pertence: GSI / NUTAU - USP

Resumo:

A problemática da fumaça no incêndio começou a ser estudada na decada de 70 quando se inicia o desenvolvimento dos materiais sintéticos pelas indústrias de materiais de construção, acabamento, móveis, estofamentos, tecidos e eletrodomésticos.

Concomitantemente inicia-se a fase de pesquisas sobre as propriedades físicas da fumaça tais como o obscurecimento da luz, densidade ótica específica, concentração letal, quantidade de fumaça produzida, condições de queima na produção da fumaça, etc.

Desde então, a fumaça do incêndio tem sido um tema obrigatório nas principais conferências internacionais sobre segurança contra incêndio, principalmente após os dados estatísticos demonstrarem que aumentava o número de vítimas fatais devido a fumaça. Atualmente, o índice de vítimas fatais devido a fumaça é em torno de 80%, nos paises que fazem estatísticas de incêndio.



Texto:

Poucos paises do mundo tem em seus Códigos de Edificações ou na de Segurança contra Incêndio capítulos que tratam da problemática da fumaça produzida pelos materiais utilizados na edificação.

O código japones limita a toxicidade da fumaça dos materiais utilizados ao da fumaça desenvolvida pela madeira “Lauan”.

A toxicidade da fumaça é determinada por um ensaio específico que utiliza ratos de laboratório e o conceito LC50, ou seja, a concentração letal para 50% das cobaias morrerem.

O código canadense limita a densidade ótica específica da fumaça desenvolvida pelos materiais.

A determinação deste parâmetro é feita pela norma ASTM E662 - Standard Test Method for Specific Optical Density of Smoke Generated by Solid Materials.

Este ensaio é feito no Brasil pelo Laboratório de Ensaios de Fogo do IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo S.A.

...


(este texto é descontínuo por se tratar de um exemplo)

...


O Uniform Building Code e Basic Building Code dos Estados Unidos da América também tem alguma coisa a respeito.

Como pode se ver, o assunto é tratado de maneira bastante superficial, não citam os gases ou vapores tóxicos e nem fixam valores da toxicidade das substâncias que são geradas na combustão dos materiais.

Alguns setores, como a Marinha , tem na sua regulamentação a limitação dos gases tóxicos produzidos pelos materiais utilizados na construção de embarcações. Os gases são nominados e sua concentração limitada.

Os vários estudos sobre a produção de produtos tóxicos na combustão de materiais envolvidos no incêndio levou a conclusão que mais de duas centenas de substâncias são desenvolvidas em forma de gases, vapores e partículas finamente subdivididas, algumas com diâmetro de algumas micras.

A pesquisa sobre os tipos de substâncias gasosas que podem ser produzidas no incêndio é bastante complexa se forem levadas em consideração os tipos de materiais envolvidos no incêndio, a temperatura atingida, duração do incêndio, a oxigenação do fogo, etc.

Obsevações: Não contêm nenhuma figura importada.

Bibliografia: Rasbash D.J. (1967) Smoke and toxic products at fires .Plastic Inst. Trans. J. Conf. Suppl. nr 2, 55-62

Robertson A.F. (1975) Estimating smoke production from rooms and furnishings .C.I.B. Symposium on the Control of Smoke Movement in Building Fires, Building Research Establishment, Garston, England



Resumo Biográfico do Autor: Engenheiro Químico, professor na Faculdade de Engenharia Mackenzie, ex-chefe do Agrupamento de Segurança ao Fogo do IPT.

O GSI

HISTÓRICO

Durante os últimos vinte e cinco anos um grupo de pesquisadores vêm desenvolvendo estudos na área de prevenção de incêndio junto ao Departamento de Tecnologia da FAUUSP (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo) e do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo).

Numa primeira etapa foi dada prioridade à formação de pessoal técnico e implantação dos laboratórios de segurança contra incêndio junto à extinta Divisão de Habitação do IPT. Nesta fase tivemos uma perda irreparável no grupo com o falecimento do Prof. Teodoro Rosso que preparava a tese “Arquitetura e Incêndio” visando obter o título de livre-docente.

No últimos cinco anos o grupo vem dando prioridade à formação de mestres e doutores em segurança contra incêndio, no exterior e junto ao curso de pós-graduação da FAUUSP.



INTRODUÇÃO:

Atualmente ao nível internacional a área de segurança contra incêndio, composta de medidas de prevenção e medidas de proteção, na edificação vem se desenvolvendo para atender à crescente complexidade das atividades humanas e concomitante aumento do risco.

Em nosso País as medidas de prevenção de incêndios é praticamente inexistente, o que se verifica é a existência de um pequeno grupo de pesquisadores e especialistas para uma grande demanda, aliada a uma insuficiência de normas enquanto as medidas de proteção contra incêndio, em virtude de se ter fabricantes de equipamentos de combate a incêndio, está difundida. Diversos esforços tem sido feitos no sentido de: divulgar, organizar seminários e fundar associações de classe, entretanto, é na área de pesquisa que encontramos a maior lacuna. A USP sem dúvida é um dos ambientes propícios para a implantação de pesquisas nesta área do conhecimento.

OBJETIVO:

Verificando a necessidade do aprofundamento do conhecimento na área de Segurança contra Incêndio, que engloba as medidas de prevenção e a de proteção, em edificações em nosso País, o NUTAU criou um grupo de pesquisa nesta área.



EXECUÇÃO:

A denominação do grupo é GSI - Grupo de Pesquisa para Segurança contra Incêndio.

Para implantação do grupo o NUTAU designa a comissão organizadora composta por:

Prof. Dr. Ualfrido Del Carlo - Professor titular de Tecnologia da Arquitetura. Ex-Diretor da FAUUSP - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Pesquisador junto ao CSTB - Centre Scientifique et Tecnique du Batiment, Ex-chefe do Agrupamento de Tecnologia Ambiental do IPT onde implantou os Labortatórios de Ensaios de Fogo, Acústica e Higrotermia. Ex-Presidente do Grupo de Acústica Latinoamericanos Autor dos livros: Controle do Ruido Industrial e Nível de satisfação em conjuntos habitacionais da Grande São Paulo

Eng. Alexandre Itiu Seito - Professor na Faculdade de Engenharia Mackenzie no curso de pós-graduação de especialização em engenheiros de segurança, Ex-Presidente do CBPI - Comissão Brasileira de Preteção contra Incêndio da ABNT. Ex-chefe do Agrupamento de Segurança ao Fogo do IPT. Consultor do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo. Cursos nos Estados Unidos e Japão sobre técnicas laboratoriais de ensaios de reação ao fogo e resistência ao fogo.

Cel. Alfonso Gill - Ingressou no Corpo de Bombeiros de São Paulo em 1967 e formou-se em engenharia mecânica e engenharia de segurança. Estagiou em vários Corpos de Bombeiro da Alemanha e ocupou cargos de diretor no Serviço de Atividades Técnicas e na Escola de Bombeiros. Atualmente, é sub-comandante do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo.

MISSÃO DO GSI:

O Grupo se propõe a desenvolver e difundir o conhecimento científico e tecnológico através da pesquisa e formação acadêmica de mestres e doutores nos cursos de pós-graduação no âmbito da USP.

O grupo para realizar sua missão deverá:

1. propor e negociar projetos e pesquisas na sua área de atuação;

2. preparar publicações para revistas especializadas, artigos para divulgação, livros, etc ;

3. organizar reuniões técnicas, seminários e congressos;

4. organizar a vinda de especialistas nacionais e estrangeiros;

5. dar consultoria e assessoria técnica;

6. participar da elaboração de normas;

7. participar de eventos ligados à área, e

8. preparar e dar cursos de segurança contra incêndio.

COMPOSIÇÃO DO GSI:

O Grupo será formado inicialmente pelos pós-graduandos em segurança contra incêndio e profissionais que atuam na área de pesquisa de segurança contra incêndio cuja seleção e convite é de responsabilidade da Comissão Organizadora.





Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal