Canais de marketing



Baixar 63.44 Kb.
Encontro23.12.2017
Tamanho63.44 Kb.





O uso de Terapia Combinada entre Ativos Cosméticos Adcos e Hygialux KLD no tratamento de Acne Grau III: um estudo comparativo.

The use of combinated therapy between Adcos Actives Cosmetics and KLD Hygialux in treating Acne Grade III: a comparative study.
Ana Carolina Marqueti da Silva - aninhamarqueti@hotmail.com

Thaís Cardoso Assaiante – thaisc.assaiante@hotmail.com

Thamiris Rodrigues dos Santos - thamiris_msn@hotmail.com

Graduandas em Bacharel em Estética – Pesquisadoras Assistentes

Patricia Maris Vedroni Belmar Nascimento

Prof. Orientador – Terapeuta Ocupacional – patbelmar@hotmail.com





RESUMO
A acne é uma afecção dermatológica que acomete o folículo pilossebáceo devido a multiplicação de germes, sobretudo o Propionibacterium Acnes e classifica-se em graus diversos. A acne grau III, conhecida como acne cística, apresenta intensa reação inflamatória, com presença de grandes ou pequenos nódulos, cistos, pústulas e pápulas. Existem numerosas formas de tratamento para essa patologia, mas neste experimento foi utilizada a terapia por ativos cosméticos, substâncias químicas ou biológicas (sintéticas ou naturais) que atuam sobre as células teciduais e fototerapia, tratamento através da luz que por sua vez, interage com os tecidos biológicos, através de eventos fotoquímicos e fotofísicos. O objetivo deste experimento foi comprovar a eficácia da terapias utilizadas de forma combinada sobre as terapias feitas de forma isolada. Foram recrutados oito voluntários acometidos por acne grau III com idades entre 15 e 21 anos, ambos os gêneros, divididos em 3 grupos. O grupo experimental A, que utilizou a terapia combinada, e os grupos controles B e C, utilizando as terapias isoladamente. Foram utilizados ativos da linha Acne Solution (ADCOS) devido à sua ação secativa e o equipamento de LED Hygialux (KLD) com propriedades bactericida e antiinflamatória. Os dados obtidos foram avaliados através de registros fotográficos. pré e pós-tratamento. Os resultados com a terapia combinada ao final do tratamento foram satisfatórios, pois observou-se uma melhora nas afecções inflamatórias em menor prazo comparada as terapias feitas de forma não combinada. Nos três grupos houve uma melhora no aspecto da pele e a diminuição do grau da acne.
Palavras-chave: Acne Grau III. LED. Ativos Cosméticos.
ABSTRACT
Acne is a skin disease that affects the pilosebaceous follicle (sebaceous gland) due to the multiplication of germs, especially Propionibacterium acnes and the ranks to varying degrees. Acne Grade III, known as cystic acne, presents intense inflammatory reaction with the presence of large or small nodules, cysts, pustules and papules. There are many forms of treatment for this disease, but this experiment was used for cosmetics actives therapy and phototherapy. Active ingredients are chemical or biological substances (natural or synthetic) that act on the tissue cells and phototherapy is a treatment by light which in turn interacts with the biological tissues through photophysical and photochemical events, and has been used in aesthetic treatments. The objective of this experiment was to prove the efficacy of the therapy used in combination above therapies made on alone. Eight volunteers were recruited affected by this disease aged 15 to 21 years, both genders, divided into 3 groups. In the experimental group, who used the combination therapy and control groups B and C using therapies alone. Was used actives of Acne Solution line (Adcos) due to its drier action and the Hygialux LED device (KLD) with antibacterial and anti-inflammatory properties. The data were evaluated using pre recorded photos and post-treatment. The results with combination therapy at the end of treatment were satisfactory, as we observed an improvement in inflammatory conditions in the shortest time compared therapies made of non combined. In all three groups there was an improvement in skin appearance and decrease acne degree.
Keywords: Acne Grade III. LED. Cosmetics Actives.



INTRODUÇÃO
Segundo Dal Gobbo (2010), a acne popularmente conhecida como espinha, é uma doença dermatológica que acomete o folículo polissebáceo (glândulas sebáceas) e atinge muitas pessoas em graus e períodos variáveis (comumente nos adolescentes e em algumas ocasiões no paciente adulto).

Conforme Kede e Sabatovich (2009), a acne vulgar é uma doença crônica, multifatorial e inflamatória da unidade pilossebácea e geralmente surge na puberdade, em ambos os sexos, correspondendo, nesta faixa etária, a aproximadamente 80% da queixa dermatológica nos consultórios médicos.

A fototerapia é um tratamento através da luz e vem sendo utilizada em tratamentos estéticos. Os efeitos da interação da luz com os tecidos biológicos, através de eventos fotoquímicos e fotofísicos, são aqueles relacionados às mitocôndrias celulares que sofrem modificações estruturais e metabólicas. (MANOEL, 2014).

A bactéria responsável pela inflamação na acne produz naturalmente um resíduo químico denominado Coproporphyrin III, a maior porfirina endógena de P. Acnes que é sensível à luz. O LED azul leva a fotoexcitação da porfirina bacteriana endógena, produção de radicais livres de oxigênio e consequentemente a destruição das bactérias. Quando combinado com o LED vermelho que possui propriedade anti-inflamatória, ajuda a minimizar a vermelhidão das lesões causadas pela acne melhorando a pele. (FITZPATRICK, 2011).

De acordo com Kede e Sabatovich (2009), “A terapia fotodinâmica é uma terapêutica promissora alternativa para distintas dermatoses. Embora seus princípios tenham sido observados desde o início do século passado, com o aprimoramento tecnológico das fontes emissoras de luz e a elaboração de agentes fotossensibilizantes mais específicos, ela tem ocupado um lugar de destaque na dermatologia contemporânea”.

A linha Acne Solution da ADCOS possui ação secativa da acne, funcionando como um redutor do excesso de oleosidade, pois possui em sua fórmula ativos com propriedades comprovadas, como o Ácido Lactobiônico e o Zinco, que atuam de maneira a potencializar o resultado final do sistema de cuidados com a pele acneica. (ADCOS, 2014).




  1. CONCEITOS PRELIMINARES




    1. CONCEITOS, FISIOPATOLOGIA E CLASSIFICAÇÕES DA ACNE

Conhecida como espinha, a acne é uma doença dermatológica que acomete o folículo pilossebáceo (glândula sebácea), atingindo várias pessoas em diferentes graus, durante períodos diversos da vida (comumente nos adolescentes). É uma patologia cutânea, benigna, não contagiosa e pode estar relacionada a problemas hormonais, ao estresse e a hereditariedade. (DAL GOBBO, 2010).

A genética influencia fortemente o desenvolvimento desta patologia cutânea, assim como outros fatores, por exemplo, a hiperplasia das glândulas sebáceas e produção de sebo em resposta ao aumento da quantidade de andrógeno adrenal na puberdade; hiperqueratinização do folículo pilossebáceo com obstrução e formação de microcomedão como resultado da mistura de sebo e epitélio descamado; proliferação do Propionibacterium acnes, um anaeróbio que usa os lipídeos presentes na secreção sebácea como nutrientes liberando lípases, que hidrolisam os triglicerídeos do sebo, liberando ácidos graxos, que são irritantes à parede do folículo formando processos inflamatórios e caracterizam-se por pápulas, pústulas e, nas mais graves, por abcessos, cistos e cicatrizes em graus diversos e resposta imune com produção de numerosos mediadores de inflamação. (RIBEIRO, 2010).

Para Azulay e Azulay (2004)


(...) o sebo é retido na glândula em virtude da obliteração acroinfundibular por ceratose focal, formando-se assim o comedão; com a retenção do sebo, há uma multiplicação dos germes, sobretudo o Proprionibacterium acnes, que produz lipase; esta por sua vez, atua sobre os triglicerídeos, liberando ácidos graxos livres; estes tem uma capacidade irritativa, estabelecendo-se assim, a inflamação com formação da pápula-pústula (p 326).
Existem vários tipos de acne, por exemplo: acne infantil, ocupacional, solar ou estival, medicamentosa e mecânica que é provocada pela ação de traumas físicos repetidos na pele. (KEDE & SABATOVICH, 2009).

A acne classifica-se a partir do predomínio de uma ou mais lesões.

Grau I: acne com presença de comedões abertos ou fechados iniciando processos inflamatórios. (DAL GOBBO, 2010).

Grau II: predominam lesões pápulo-pustulosas com reações inflamatórias. (CUCÉ & NETO, 2001).

Grau III: conhecida como acne cística, apresenta intensa reação inflamatória, com presença de grandes ou pequenos nódulos, cistos, pústulas e pápulas. (DAL GOBBO, 2010).

Para Ribeiro (2010), “A acne grau III é considerada uma acne moderada com presença de muitas pápulas e pústulas com nódulos e cistos.” (p 245).

Grau IV: acne inflamatória com presença de todas as lesões anteriormente citadas, alem da presença de cicatrizes profundas e severa reação inflamatória. (DAL GOBBO, 2010).

Grau V: acne fulminans ou fulminante é uma forma catastrófica da afecção que vem acompanhada de sintomatologia geral como fadiga, febre, mal-estar, artralgia, leucocitose e lesões osteolíticas em pontos dolorosos. (AZULAY e AZULAY, 2004).

As lesões da acne podem ir além da estética, levando o indivíduo a depressão, ansiedade e a outros problemas psicológicos. (RIBEIRO, 2010).

Compreender os quatro passos principais da fisiopatologia da acne, conduz aos princípios de tratamento. Os mecanismos de ação da maioria dos tratamentos da acne podem ser divididos da seguinte maneira: Corrigir o padrão alterado da ceratinização do folículo; Diminuir a atividade da glândula sebácea; Diminuir a população bacteriana folicular, principalmente o P. Acnes e exercer um efeito anti-inflamatório. (FITZPATRICK, 2011).




    1. RECURSOS ELETROTERÁPICOS UTILIZADOS NA INTERVENÇÃO DE ACNE

Para o tratamento da acne podem ser utilizados diversos tipos de aparelhos, cada qual atuando beneficamente de acordo com sua respectiva função.

a) O vapor de ozônio utiliza o princípio do calor por meio do vapor quente que em contato com a cútis provoca emoliência da camada córnea, facilitando a extração de comedões. (DAL GOBBO, 2010).

b) A iontoforese consiste no uso de corrente elétrica para introduzir produtos solúveis em água que permite a transferência de íons da solução aplicada para as camadas mais profundas da pele. (MILADY’S STANDARD, 2011).

c) Alta frequência é um aparelho que gera ozônio, o que provoca uma ação germicida na pele, sendo utilizada após as extrações. (MILADY’S STANDARD, 2011).

d) LED (light emitting diode) são uma forma de terapia por radiação luminosa emitida em uma faixa de comprimento de onda dentro da porção eletromagnética do espectro e sua medida é feita em nanômetros (nm), que

foi o aparelho abordado nesse experimento.

O espectro eletromagnético é a fonte da maioria das modalidades da eletroterapia. Recebendo radiações solares, o corpo humano é capaz de separar seletivamente cada componente de acordo com sua composição anatômica e necessidade, além de absorver comprimentos de onda do espectro para efeitos fisiológicos específicos de acordo com o comprimento ou frequência da onda, a fim de estimular a mitocôndria a produzir mais ATP, sendo assim, a célula ganhará mais energia acelerando a troca de nutrientes como também a eliminação mais ágil de toxinas do organismo. (KAHN, 2001).

A irradiação no fotorreceptor gera uma cascata de respostas celulares resultando em modulação da função da célula, proliferação e reparo de células comprometidas. O termo que descreve esse processo de “potencialização da função celular” é chamado de fotobiomodulação. (KLD BIOSSISTEMAS, 2011).

Os LED são uma forma de fototerapia que produz um resultado semelhante ao fornecido pelo tratamento invasivo, porém sem os inconvenientes que essas modalidades trazem. (KLD BIOSSISTEMAS, 2011).

- Luz vermelha: A radiação com comprimento de onda de 620-750 nm atinge o extrato córneo, epiderme, junção derme e epiderme. Estimula os fibroblastos, aumenta a síntese de procolágeno, diminui a ação da enzima colagenase e acelera a degeneração dos mastócitos. Essa cascata de reações ocorre dentro da célula e promove a produção ordenada do colágeno e elastina conferindo à pele um aspecto menos rugoso. Possui ação anti-inflamatória e analgésica. (KLD BIOSSISTEMAS, 2011).

- Luz azul: A radiação de luz azul com comprimento de onda de 450-470 nm atinge o extrato córneo, epiderme superficial e epiderme. As bactérias causadoras de acne produzem pigmentos fluorescentes chamados de porfirinas. A luz azul atua nessas porfirinas causando um estresse oxidativo que induz a apoptose das células afetadas. Também utilizada no tratamento de manchas, induzindo a degradação dos cromóforos presentes na pele. (MANOEL, 2014).

Ainda, segundo Manoel et. al. (2014, p. 73) “[...] tanto a luz azul quanto a vermelha promovem o tratamento da acne, devido sua absorção pela porfirina que é produzida pela bactéria P. acnes [...]. Outros fatores que auxiliam no tratamento da acne é o leve aquecimento propiciado pelos LED azuis que abre os poros e acelera as reações químicas e a associação aos LED vermelhos e infravermelhos para efeito anti-inflamatório, analgésico e cicatrizante”.
1.3 ATIVOS COSMÉTICOS UTILIZADOS NO TRATAMENTO DE ACNE
Princípios ativos são substâncias químicas ou biológicas (sintéticas ou naturais) que atuam sobre as células teciduais. Enquanto o veículo é responsável pelo transporte, pela forma cosmética e por garantir uma melhor penetração na pele. O princípio ativo em uma formulação pode ter efeito cosmético e possuir propriedades anti-inflamatórias, anti-sépticas, cicatrizantes, hidratantes entre outros (GOMES; GABRIEL, 2006).

Existem diversos tratamentos para a acne, que podem ser tanto medicamentosos quanto sistêmicos. Os cosmecêuticos (cosméticos com propriedades terapêuticas) podem ser vendidos sem prescrição médica e ajudam na alteração de alguns mecanismos de formação da acne.



  1. Linha de produtos acne solution

É uma linha de produtos para os cuidados da pele acneica ou com tendência a acne. Tem ação secativa e reduz o excesso de oleosidade. Os principais ativos que atuam no combate a acne contidos na formulação da linha em questão são o ácido lactobiônico e o zinco.

Ácido Lactobiônico (NeoStrata) é um ácido orgânico obtido a partir da oxidação química ou microbiana da lactose e é composto por uma molécula de galactose unida a outra de gluconolactona através de uma ligação semelhante ao éter. Possui ação antioxidante, hidratante, rejuvenescedora e cicatrizante. (SOUZA, 2009).

O Zinco (Zincidone UCIB – Nome INCI: Zinc PCA) é um elemento presente em grande quantidade nos seres humanos e é essencial para a nutrição, desintoxicação e para combater o envelhecimento celular. Controla a oleosidade, reduzindo a excreção das glândulas sebáceas por agir na origem da produção do sebo ao inibir a 5-alfa-redutase, enzima que catalisa a transformação dos esteroides. Tem efeito bactericida, bacteriostático, fungicida e possui atividade antimicrobiana contra diversos microrganismos, inclusive Propionibacterium acnes e Staphylococcus epidermidis que exercem papel importante no desenvolvimento da acne. (SOUZA, 2009).

Possui em suas fórmulas, ativos como:

a) Sabonete esfoliante: Ácido Glicólico, Ácido Lactobiônico, Gluconolactona, Ácido Mandélico, Sebaryl e Zinco PCA. Funções: Promove esfoliação química; diminui a espessura da camada córnea, promovendo a redução da coesão entre os córneócitos; normaliza a hiperqueratinização; Ação antisseborreica.

b) Máscara secativa: Argila, Alantoína, Ácido Lactobiônico, Óxido de Zinco, Extrato de Hamamélis, Extrato de Tília e Sebaryl.


Funções: Ação adstringente, tônica e adsorvente da oleosidade; ação remineralizante, antisséptica, anti-inflamatória e antisseborreica; suavizante; ação cicatrizante e antioxidante.

c) Melange lipossomada secativa: Alantoína, Ácido Glicirrízico, Zinco PCA, Biosuphur, Ácido Lactobiônico e Sebaryl.


Funções: Controla a oleosidade; ação cicatrizante. Seu veículo lipossomado permite o uso em eletroterapia (ionização e eletroporação), o que potencializa a permeação dos ativos e acelera a obtenção dos resultados.

d) Loção secativa FPS 15: Ácido lactobiônico, Gluconolactona, Óxido de Zinco e Enxofre solúvel. Funções: Possui ação secativa, antisséptica e adstringente; promove a renovação celular, que minimiza a obstrução dos poros; efeito mate; ação antirradicais livres; possui FPS 15 e não é fotossensibilizante; eficaz na correção da acne e na prevenção de novas lesões.




  1. EXPERIMENTO

    1. METODOLOGIA

Trata-se de um estudo longitudinal com experimentos "pré - pós", com três grupos utilizando protocolos distintos. Os grupos experimental e controle B e C, foram medidos antes e após o experimento. A terapia combinada de Hygialux e Acne Solution Professional foi utilizada apenas no grupo experimental, denominado grupo A. Fizeram parte desta pesquisa dois grupos controles utilizando as terapias de forma não combinada, ou seja, o grupo B utilizou apenas a terapia com LED e o grupo C, apenas com ativos. O estudo foi realizado no Laboratório de Estética do Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium - UNISALESIANO e Clinica Corpo e Mente LINS, SÃO PAULO.

A pesquisa foi realizada conforme a Resolução 466 de 12/12/2012 do Conselho Nacional de Saúde, por envolver seres humanos no estudo, aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa do Unisalesiano e submetido pela Plataforma Brasil n. 698.545 data 30/06/2014.

Para o ensaio clínico foram recrutados 8 (oito) voluntários com idades entre 15 a 21 anos, que possuem acne grau III (sendo este também o critério de inclusão), identificado através da anamnese com exame visual e tátil, para participarem do tratamento. Estes voluntários foram selecionados de acordo com sua disponibilidade, pois houve muitas desistências ao longo do processo da pesquisa.

Os critérios para a exclusão foram a faixa etária e o grau de acne; portadoras de próteses metálicas na face, marca-passo, epilepsia, hipertensão descompensada, problemas cardíacos, hipersensibilidade aos ativos utilizados, gestantes, câncer de pele e pacientes que fazem ou já fizeram tratamento com isotretinoina tópica e oral.

Foi entregue aos pacientes o termo de consentimento livre e esclarecido sobre o procedimento, documento que foi posteriormente datado e assinado pelos mesmos. Aplicou-se um questionário (anamnese), para obter outras informações clínicas a respeito dos participantes, seguidas de avaliação tátil que possibilitou a identificação de nódulos, cistos, pápulas e pústulas e visual para identificação do grau da acne, a fim de dar início ao experimento. Para registrar o experimento, utilizou-se câmera CANON Power Shot A2500, para posterior estudo dos resultados e possível comprovação da técnica de terapia combinada dos LED e ativos cosméticos.

Estabeleceu-se um protocolo de vinte sessões, sendo elas realizadas três vezes por semana, num total de sete semanas, com duração de uma hora cada sessão. Contudo, devido a problemas técnicos com o aparelho de LED, teve-se que reduzir a quantidade de sessões do grupo A e B, para dez.

Segundo Dal Gobbo (2010), a frequência do tratamento da pele acneica é de uma ou duas sessões por semana inicialmente e depois uma vez ao mês, para prevenir a inflamação.

Todos os voluntários dos três grupos, passaram por um mesmo protocolo de limpeza de pele prévio, de apenas uma sessão, para melhor permeação de ativos e potencialização do tratamento, uma semana antes de dar início ao experimento, com a seguinte sequência: Higienizar com sabonete líquido ADCOS retirando as sujidades superficiais da pele; Fazer emoliência (dilatação dos poros) facilitando a extração; Extrair acnes (espinhas) e comedões (cravos) com o auxílio da cureta; Tonificar com uma loção tônica suavizante para equilibrar o pH da pele devido à agressão da extração; Aplicar o aparelho Alta Frequência (assepsia e cicatrização); Aplicar argila verde com propriedades adstringentes e cicatrizantes e deixar agir por 20 minutos; Hidratar com hidratante facial ADCOS; Aplicar protetor solar FPS 15.

Para o grupo experimental utilizou-se o seguinte protocolo: Higienização profunda com acne solution sabonete esfoliante, deixando-o agir por um minuto, retirando-o com algodão umedecido; loção tônica: Oily Solution para equilibrar o pH da pele e prepará-la para as próximas etapas com auxílio de um algodão; aplicação de uma Máscara Secativa para absorver a oleosidade excessiva da pele facilitando a absorção dos LED pela pele, deixando agir por 15 minutos e retirando com algodão umedecido em água. Em seguida, aplicação tópica do produto Melange Lipossomada Secativa, uma solução com alto poder de permeação, que auxilia na redução de inflamações e na cicatrização da pele acneica, massageando suavemente até completa absorção; na sequência foi aplicado o aparelho Hygialux utilizando os dois tipos de LED, azul (470 nm) e vermelho (630 nm), com intensidade a 100%, modo contínuo a 100 Hz e com ciclo ativo a 50%, com 7 minutos cada, devido as suas ações bactericida, antiinflamatória e cicatrizante; finalizando com loção secativa FPS 15 que mantém a pele hidratada e protege dos danos causados pela radiação UVB.

Para o grupo B utilizou-se o seguinte protocolo: Higienização com sabonete esfoliante; loção tônica: Oily Solution para equilibrar o pH da pele; aplicação dos LED, azul (470 nm) e vermelho (630 nm), com 7 minutos cada, com os mesmos parâmetros citados anteriormente; loção secativa FPS 15 Acne Solution.

Para o grupo C, utilizou-se um protocolo semelhante ao do grupo experimental, exceto pela ausência dos LED.




  1. ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS

Através das fotos registradas pré e pós-tratamento e da avaliação visual e tátil, foi possível verificar melhora na textura da pele, obstrução dos óstios, atenuação da oleosidade, diminuição da inflamação causada pela bactéria Propionibacterium acnes, além do aumento da autoestima dos participantes. Em alguns voluntários, observou-se relevante melhora comparado a outros, que não seguiram o tratamento como foi proposto ou não frequentaram a quantidade de sessões recomendadas.

No grupo Experimental, denominado grupo A, onde foi utilizada a terapia combinada para o tratamento da acne grau III (acne inflamatória), constatou-se uma melhora na inflamação da acne em razão da ação dos LED, gerando uma oxidação celular e ocasionando a apoptose, e a ação antioxidante, bactericida, fungicida, cicatrizante e controladora da excreção das glândulas sebáceas proporcionada pelos ativos.

A terapia combinada entre os LED e os cosméticos podem potencializar os efeitos terapêuticos, pois a luz propicia o aumento da circulação sanguínea, favorecendo a penetração dos princípios ativos. Este processo é denominado Terapia Fotocosmética ou Terapia Cosmética Fotoativa. (MANOEL, 2014).

Grupo experimental A - Terapia combinada (Voluntários 1, 2 e 3)

Voluntário 1 Voluntário 2



1º sessão 10º sessão 1º sessão 10º sessão

Fonte: Elaborado pelas autoras, 2014

Voluntária 3



1º Sessão 10º Sessão

Fonte: Elaborado pelas autoras, 2014
No grupo de controle B, onde foram utilizados apenas os LED, observou-se melhora na inflamação da acne devido à ação fotossensibilizante da luz azul nas porfirinas, gerando espécies reativas de oxigênio capazes de agredir constituintes celulares e ocasionar a morte celular por necrose ou apoptose (KEDE e SABATOVICH, 2009).

A luz vermelha por sua vez, tem propriedades bioestimulantes e biomoduladoras com ação anti-inflamatória e analgésica.

De acordo com Manoel et. al. (2014), “LED que emitem luz azul (415 nm ou 470) combinados com a luz vermelha (630 nm ou 660 nm) [...] são utilizados para o tratamento da acne [...], pois as porfirinas apresentam banda de absorção na faixa de 400-630 nm. Os efeitos terapêuticos resultam em efeito bactericida e fungicida”.

Grupo controle B com apenas LED (Voluntários 1, 2 e 3)

Voluntária 1 Voluntária 2

1º sessão 10º sessão 1º sessão 10º sessão


Voluntário 3

1º sessão 10º sessão

Fonte: Elaborado pelas autoras, 2014
No grupo C, onde se utilizou apenas os ativos cosméticos, observou-se uma melhora significativa na acne inflamatória (pápulas e pústulas), comprovando suas propriedades secativas que atuam nas células teciduais desempenhando ação antioxidante, bactericida, fungicida e cicatrizante, além de controlar a oleosidade, reduzindo a excreção das glândulas sebáceas por agir na origem da produção do sebo.

A Propionibacterium acnes faz parte da microbiota do ser humano e está presente na flora facial. Sua proliferação dá-se devido ao acúmulo de sebo formado por secreção lipídica excessiva e hiperceratose no infundíbulo. Quanto maior a umidade da pele, mais fácil é a multiplicação de bactérias. (DAL GOBBO, 2010).

O zinco desempenha papel importante na diferenciação celular elevando à atividade de cicatrização da pele. Combate o desenvolvimento de infecções microbianas em função de suas propriedades antissépticas tratando de várias condições de dermatoses inflamatórias. Catalisador enzimático e regulador da secreção sebácea. (BUONA VITA, 2010).

O Ácido Lactobiônico promove uma esfoliação na superfície da pele com efeitos umectantes, antioxidante e comedolítico. (DRAELOS, 2009).


Grupo controle C com apenas ativos cosméticos (Voluntárias 1 e 2)

Voluntária 1 Voluntária 2




1º sessão 20º sessão 1º sessão 20º sessão
Fonte: Elaborado pelas autoras, 2014



  1. LIMITAÇÕES DO ESTUDO

Os voluntários foram selecionados de acordo com sua disponibilidade, pois houve muitas desistências ao longo do processo da pesquisa e o protocolo de vinte sessões que foi estabelecido, teve que ser reduzido para dez, para os grupos A e B, devido a problemas técnicos com o aparelho de LED.





  1. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A presente pesquisa acadêmica foi realizada com o objetivo de demonstrar a eficácia de tratamentos estéticos para amenizar as afecções inflamatórias da acne, utilizando recursos eletroterápicos e cosmecêuticos.

Constatou-se uma melhora significativa da acne Grau III no grupo que utilizou a terapia combinada, em um menor prazo, a partir da 7º sessão, comparado aos outros grupos, associando o ativo Ácido Lactobiônico e Zinco, contidos em formulações cosméticas aos LED azul (470 nm) e vermelho (630 nm), com intensidade a 100%, modo contínuo a 100 Hz e com ciclo ativo a 50%, com 7 minutos cada, proporcionando resultados satisfatórios nas afecções da acne devido à suas propriedades terapêuticas como descrito na teoria. Observou-se que a terapia utilizada de forma não combinada dos ativos e dos LED, com os mesmos parâmetros, obtiveram resultados semelhantes, porém só pode observá-los em um longo prazo. No caso dos ativos, os resultados só puderam ser observados a partir da 17° sessão.

Apesar dos resultados satisfatórios, acredita-se que seja necessário que exista uma sequência nos estudos e tratamentos com um número maior de participantes.



REFERÊNCIAS
ADCOS. Acne Solution Professional. 2014.

ALMA, J.M.; ALVARES, D.B.; TABORDA, V. B. A.; Acne vulgar: avanços na técnica combinada de limpeza de pele associada ao peeling ultrassônico e a fotobioestimulação com LED. 2012. Salusvita, Bauru, v. 31, n. 1, p. 71-80, 2012.

AZULAY, D.R.; AZULAY, R.D. Dermatologia. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S.A., 2004

BAUMANN, L. Pele saudável: a fórmula perfeita para o seu tipo de pele. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

BUONA VITA. Cosméticos científicos. Manual Técnico. 2010

BORGES, F. S. Dermato-funcional: modalidades terapêuticas nas disfunções estéticas. 2. ed. São Paulo: Phorte, 2010.

CUCÉ, L.C. ; NETO, C.F. Manual de dermatologia . 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2001.

DAL GABBO, P. Estética Facial Essencial: Orientação Para o Profissional de Estética. São Paulo : Atheneu, 2010.

DRAELOS, Z.D. Cosmecêuticos. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

GOMES, R. K.; GABRIEL, M. Cosmetologia: descomplicando os princípios ativos. 2. ed. rev. e ampl. São Paulo: Livraria Médica Paulista, 2006.

KAHN, J.; Princípios e prática de eletroterapia. 4. ed. São Paulo: Livraria Santos Editora, 2001.

KEDE, M.P.V.; SABATOVICH, O. Dermatologia estética: Revisada e ampliada. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2009.

KLD. Biossistema Equipamentos Eletrônicos Ltda. Manual de Operação . LLt 0601. 2011.

MANOEL, C.A. et. al. Conceitos fundamentais e práticos e Fotoestética. São Carlos: Compacta Gráfica e Editora, 2014.

RIBEIRO, C.J. Cosmetologia aplicada a Dermoestética. 2. ed. São Paulo: Pharmabooks Editora, 2010.

SOUZA, V.M.; JÚNIOR. D. A. Ativos dermatológicos: guia de ativos dermatológicos utilizados na farmácia de manipulação para médicos e farmacêuticos. Revisado e ampliado. vol. 1 a 4. São Paulo: Pharmabooks Editora, 2009.



WOLF, K. et al. Fitzpatrick: tratado de dermatologia. 7 ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2011. V.1-2

Universitári@ - Revista Científica do Unisalesiano – Lins – SP


Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal