CaracterizaçÃo hidrogeológica da gleba 02 lagoa silvana – município de caratinga, mg



Baixar 6.55 Kb.
Encontro15.04.2018
Tamanho6.55 Kb.

ESTUDO E CARACTERIZAÇÃO DOS ATRIBUTOS FÍSICOS DO SOLO DA GLEBA 02 DA LAGOA SILVANA PARA CRIAÇÃO DE UMA RESERVA PARTICULAR DO PATRIMÔNIO NATURAL (RPPN) – MUNICÍPIO DE CARATINGA, MG
Júlia Maria de Paula Alves 1; Rafael Freitas Rodrigues 2; Fernando Masato Nakai 3; Lucas Augusto de Castro Bastos4; Amintas Torres Silva Neto5; José Augusto Costa Gonçalves 6

1 Geologia BVP Engenharia-Belo Horizonte-MG; 2 Mestrando Geotecnia/UFOP-Ouro Preto-MG; 3 Ciências Biológicas/UNILESTE-Ipatinga-MG; 4 5 Engenharia Ambiental/UNILESTE-Ipatinga/MG; 6 Doutorando Geologia, UFOP/Ouro Preto-MG - (jaucosta@gmail.com).
A gleba 02 da Lagoa Silvana, pertencente a Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais - USIMINAS S.A. com cerca de 840 ha, está localizada às margens da Lagoa Silvana, no município de Caratinga – MG, na área de influência do Parque Estadual do Rio Doce.

Para atender a condicionante n° 05 da licença de operação n° 501 de 27 de julho de 2000 da Fundação Estadual de Meio Ambiente de Minas Gerais – FEAM, o presente trabalho foi executado visando a implantação da Reserva Particular de Patrimônio Natural – RPPN em uma área de 300 ha.

Foram realizados trabalhos de estudo e caracterização das propriedades físicas do solo por serem as mesmas diretamente ligadas à erodibilidade e carreamento de partículas, devido ser a estruturação do solo a principal responsável pela recarga e fluxo de água subterrânea para a lagoa. A região da gleba 02 da Lagoa Silvana está inserida na região do Médio Vale do Rio Doce o qual apresenta um complexo e peculiar sistema de lagos naturais considerado como um dos mais importantes do Brasil, formados por barramentos de sedimentos. A Lagoa Silvana é única e exclusivamente reabastecida pelas chuvas através do escoamento superficial e subsuperficial. Desta forma, buscou-se conhecer a relação entre o escoamento e a infiltração das águas pluviais com a recarga da lagoa.

Foram coletadas 41 amostras de solo ao longo de toda a área de estudo, em pontos localizados nos topos dos morros e nas baixadas com espaçamento de 200 metros. A pesquisa foi dividida em duas etapas: na primeira os trabalhos foram realizados em campo onde foram coletadas as amostras deformadas e indeformadas de solo ao longo da área estudada. A segunda etapa foi realizada em laboratório onde as amostras foram submetidas a ensaios específicos para análise física do solo. A pesquisa teve seu foco nas propriedades físicas que tratam da textura, densidade aparente (valor mínimo: 0,89 g/cm3; valor médio: 1,08 g/cm3; valor máximo: 1,29 g/cm3), densidade real (valor mínimo: 1,33 g/cm3; valor médio: 2,60 g/cm3; valor máximo: 4,49 g/cm3), porosidade (valor mínimo: 17,63 %; valor médio: 53,04 %; valor máximo: 77,21 %), teor de matéria orgânica (valor mínimo: 10,73 %; valor médio: 40,41 %; valor máximo: 82,37 %) e cor. O solo da região da gleba 02 da Lagoa Silvana apresentou características típicas de solos de granulação fina, visto que 90% das amostras submetidas ao teste granulométrico apresentaram teores elevados de silte e argila. A textura “grumosa” destes solos confere aos solos da área de estudo uma taxa de infiltração extremamente elevada, o que demonstra ser de areia média e grossa as frações granulométricas predominantes, entretanto quando as amostras foram defloculadas constatou-se um teor elevado de silte e argila.



Agradecimentos: USIMINAS S/A e FUNDAÇÃO GERALDO PERLINGERO.

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal