Chamada para seleçÃo de candidatos às disciplinas isoladas 2º semestre de 2018



Baixar 48.08 Kb.
Encontro28.12.2018
Tamanho48.08 Kb.


CHAMADA PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS ÀS DISCIPLINAS ISOLADAS

2º SEMESTRE DE 2018

O Programa de Pós-Graduação em Artes da UEMG comunica a abertura das inscrições para a seleção de interessados em cursar disciplinas isoladas, no segundo semestre de 2018, atendendo normatização contida no artigo 32 de seu Regimento Interno, disponível em http://ppgartes.uemg.br/.


Período de inscrição presencial: 16/07/2018 a 03/08/2018
Resultado da Seleção: 14/08/2018
Matrícula presencial: 16 e 17/08/2018
Horário de funcionamento da Secretaria PPG Artes: de 9:00 às 18h

Local: Rua Paraíba, 232 - Bairro Funcionários - Belo Horizonte - MG


NÚMERO DE VAGAS: As turmas de cada disciplina serão organizadas após a matrícula dos alunos regulares, obedecendo o número máximo de até 16 (dezesseis) alunos.
DOCUMENTOS NECESSÁRIOS E INFORMAÇÕES PARA INSCRIÇÃO:
• Requerimento de matrícula

• Cópia de CPF

• Diploma e histórico escolar de curso superior finalizado (cópia para cada disciplina pretendida)

• Carta de interesse na disciplina escolhida

• Currículo Lattes comprovado (cópia para cada disciplina pretendida)

• Cópia do passaporte, se candidato estrangeiro


Das Disposições Gerais
- As disciplinas ofertadas são as elencadas no Anexo I

Para uma descrição completa do conteúdo programático da disciplina, veja http://navedauemg.weebly.com/coleta-anaacutelise-e-registro-multimiacutedia.html
-Cada candidato poderá requerer matrícula em até 2 (duas) disciplinas por semestre.
-A matrícula em disciplina isolada não assegura nenhum vínculo com o curso regular, portanto, os candidatos aceitos não farão jus a identidade estudantil ou bolsa de estudos.

- O aluno matriculado em disciplina isolada ficará sujeito às normas exigidas para o aluno regular, com relação à frequência e à avaliação do aproveitamento concedido


- Caso selecionado, o candidato deverá apresentar cópias dos seguintes documentos para efetivação da matrícula:
• Certidão de nascimento ou casamento
• Título de eleitor e comprovante de quitação eleitoral
Dos Critérios de Seleção
A seleção será realizada pelos professores responsáveis por cada disciplina, considerando o número de vagas disponíveis e atendendo aos seguintes critérios:
• Análise da carta de interesse dos candidatos considerando a argumentação apresentada e sua afinidade com a ementa da disciplina (50 pontos)
• Análise do Currículo Vitae/Portfólio considerando a área de formação e atuação do candidato, sua produção acadêmica e artística, sua atuação profissional e a adequação de seu perfil à ementa da disciplina (50 pontos)

Resultados:
Os resultados serão divulgados no site do Programa no dia 14/08/2018 e as matrículas efetuadas no período de 16 a 17/08/2018
Belo Horizonte, aos 09 de julho de 2018.

Professor Dr. Luiz Alberto Bavaresco de Naveda

Coordenador do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Artes

ANEXO I


Disciplinas


Tópicos Especiais II: Diálogos entre Etnomusicologia e Educação Musical

OBS: Esta disciplina é ofertada, conjuntamente, pelo PPG Música da UFMG e pelo PPG em Artes da UEMG


Professora Dra. Helena Lopes da Silva e Professora Dra. Lúcia Campos

Dia e Horário: Quinta-feira 10h - 12h30

Carga Horária: 30 horas - 02 créditos

Ementa:

Esta disciplina visa propor pontos de contato, de diálogo e de debate entre estudos em etnomusicologia e estudos em educação musical, tangenciando também referências da sociologia da música. Foco será dado ao estudo da transmissão de saberes e fazeres musicais em contextos diversos e à relação desses saberes com a escola regular, no contexto brasileiro. Além de leituras de textos teóricos e de estudos de caso, vamos propor experiências práticas em sala de aula e a reflexão situada sobre essas experiências. Vamos discutir o que seria uma abordagem antropológica da educação musical, que problematize as concepções de “música” e de “ensino” utilizadas em textos, métodos de ensino e pelo próprio educador. Do ponto de vista da educação musical, teremos a oportunidade de refletir sobre concepções e abordagens da arte e da cultura em projetos sociais e na escola regular no Brasil. Nesta disciplina, a sala de aula transforma-se em um “campo” para a etnomusicologia, em sua necessidade de ser constantemente problematizada.



Bibliografia Básica:

ARROYO, Margarete, 2000. Um olhar antropológico sobre práticas de ensino e aprendizagem musical. Revista da ABEM, vol. 8, n. 5, 2000, p. 13-20.

ARROYO, Margarete; LUCAS, Maria Elizabeth ; STEIN, Marília ; PRASS, Luciana, Entre congadeiros e sambistas: etnopedagogias musicais em contextos populares de tradição afro-brasileira. Revista da Fundarte, Montenegro, RS, v. 3, n.5, 2003. p. 4-20.

BONDÍA, Jorge Larrossa. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação. N.19, Jan/Fev/Mar/Abr,2002. p.20-28.

CAMPOS, Lúcia, 2016. Entre la roda de choro brésilienne et l'atelier: les enjeux de la transmission musicale transculturelle. Cahiers d'Ethnomusicologie, v. 29, p. 125.

DENORA, Tia, 2000. Music in everyday life. Cambridge: Cambridge University Press.

DEWEY, John, 2005. Art as Experience. New York: The Berkeley Publishing Group.

FREIRE, Paulo, 2006. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra.

GREEN, Lucy, Pesquisa em Sociologia da Educação Musical. Revista da ABEM. Bahia: Associação Brasileira de Educação Musical, n. 4,1997, p.25-35.

GREEN, Lucy, 2001. How Popular Musicians Learn. London: Ashgate.

GUIMARÃES, César et al. Por uma universidade pluriepistêmica: a inclusão de disciplinas ministradas por mestres dos saberes tradicionais e populares na UFMG. Tessituras, Pelotas, v. 4, n. 2,jul./dez. 2016.p. 179-201

HIJIKI, Rose Satiko Gitirana, 2006. A música e o risco : etnografia de performance de crianças e jovens participantes de um projeto de ensino musical. São Paulo : EDUSP.

HUIZINGA, Johan, 2010. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva.

IAZZETTA, Fernando, 2009. Música e mediação tecnológica. São Paulo: Pespectiva: Fapesp.

INGOLD, Tim, 2001. From the transmissions of representations to the education of attention, In H. Whitehouse, dir.: The Debated Mind. Evolutionnary Psychology versus Ethnography. Oxford: New York, Berg: 113-153.

KLEBER, Magali, 2014. A prática de educação musical em ONGs : Dois estudos de caso no contexto urbano brasileiro. Curitiba : Editora Appris.

KRAEMER, Rudolph-Dieter. Dimensões e funções do conhecimento pedagógico musical. Revista Em Pauta. Vol 11. N 16-17. PPG Música, UFRGS, 2000.

LABORDE, Denis, 1998. Musiques à l’école. Paris : Editions Bertrand Lacoste.


LUCAS, Glaura; QUEIROZ, SILVA, Luís Ricardo; PRASS, Luciana; RIBEIRO, Fábio Henrique; AREDES, Rubens de Oliveira, 2016. Afro-Brazilian Musical Cultures: Perspectives for Educational Conceptions and Practices in Music. The World of Music (Wilhelmshaven), v. 5, p. 135-158.

MATEIRO, Teresa; ILARI, Beatriz (Orgs.), 2016. Pedagogias Brasileiras em Educação Musical. Curitiba: Intersaberes.

PRASS, Luciana, 1998. Saberes musicais em uma bateria de escola de samba: uma etnografia entre os "Bambas da Orgia". Dissertação (Mestrado em Educação Musical) - IA/PPG-Música, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

PENNA, Maura, 2015. Música(s) e seu ensino. Porto Alegre: Editora Sulina.

QUEIROZ, Luís Ricardo. A música como fenômeno sociocultural: perspectivas para uma educação musical abrangente. In.MARINHO, Vanildo; QUEIROZ, Luís R.(Orgs.) Contexturas: o ensino das artes em diferentes espaços. Editora UFPB, 2005. p.49-66.

SANDRONI, C. Uma roda de choro concentrada: reflexões sobre o ensino de músicas populares nas escolas. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MUSICAL, 9., Belém. Anais... Belém: ABEM. 2000. p. 19-27.

SILVA, Helena Lopes da. Música no espaço escolar e a construção da identidade de gênero: Um estudo de caso. Dissertação. PPG Música: Mestrado e Doutorado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, 2000.

SILVA, Helena Lopes da; ZILLE, José Antônio Baeta (Orgs.), 2015. Música e educação. Barbacena: EdUEMG.

SILVA, Lucilene, 2014. Eu vi as três meninas: música tradicional da infância na aldeia de Carapicuíba. São Paulo: Zerinho ou Um.

SOUZA, Jusamara (Org.), 2012. Aprender e ensinar música no cotidiano. Porto Alegre: Editora Sulina.

TRAVASSOS, Elizabeth, 2005. “Apontamentos sobre estudantes de música e suas experiências formadoras”. Revista da ABEM, n°12. p.11-19.

TUGNY, R. 2014. A educação musical nas escolas regulares e os mestres das culturas tradicionais negras e indígenas. Música & Cultura (Salvador. Online), v. 09, p. 1-15.





Tópicos Especiais III: Poéticas do Tempo: Irrupções & Anacronismos das Imagens na Arte.

Professora Dra. Angélica Adverse

Carga Horária: 45 horas - 03 créditos

Dia: Toda Terça-Feira pela manhã

Ementa: Estudo sobre Imagem a partir dos princípios postulados por Walter Benjamin e Aby Warburg. Reflexões sobre a experiência do tempo na arte

Bibliografia Básica:
BENJAMIN, Walter. Passagens. Belo Horizonte: UFMG, 2007.
WARBURG, Aby. L’Atlas Mnémosyne. Paris: L’Écarquillé, 2012.
WARBURG, Aby. História de Fantasmas para Gente Grande. São Paulo: Cia das Letras, 2015.




Teorias da Produção e Recepção Imagens na Arte.

Professor Dr. Alexandre Rodrigues da Costa

Carga Horária: 60 horas - 04 créditos

Dia: Toda Segunda–Feira pela manhã

Ementa: Fundamentação teórica envolvendo questões da estética, análises críticas, noção de autoria e poéticas contemporâneas. Tem como objetivo aprofundar estudos sobre as obras de arte dentro do seu contexto de produção e de recepção e pensar as propostas artísticas através dos conceitos abordados.

Bibliografia
BARTHES, Roland. A Morte do Autor. In: O Rumor da Língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004.
BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. In: ______.Obras escolhidas. Magia e técnica, arte e política. 1ª ed., 10a. reimpressão. São Paulo: Brasiliense, 1996.
DUCHAMP, Marcel. O ato criador [1961]. In: BATTCOCK, Gregory. A nova arte. 2. ed. São Paulo: Perspectiva,

1986, pp. 71--‐74.


ECO, Umberto. Interpretação e Superinterpretação. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

____________. A Obra Aberta. Perspectiva: São Paulo, 1991.


ELIOT, T.S. A tradição e o talento individual. In: Ensaios de doutrina crítica. Lisboa: Guimarães, 1962.
FOUCAULT, M. O que é um autor?. In: ______. Ditos & Escritos III. Trad. Inês Autran Dourado Barbosa. Rio

de Janeiro: Forense Universitária, 2009. p. 264--‐298.


LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo, Editora 34, 1999. JAUSS, Hans Robert. A história da literatura como provocação à teoria literária. Trad.Sérgio Tellaroli. São Paulo: Ática, 1994.
PLAZA, Julio. Arte e interatividade: autor--‐obra--‐recepção. ARS (São Paulo) vol.1 no.2 São Paulo, Dec. 2003.

SONTAG, Susan. Contra a interpretação. Porto Alegre: L&PM, 1987.





Coleta, Análise e Registro Multimídia

Professor Dr. Luiz Alberto Bavaresco de Naveda

Carga Horária: 60 horas - 04 créditos

Dia: Toda Sexta-Feira pela manhã

Ementa: Introdução ao registro de mídia digital: áudio, vídeo, imagem. Manipulação, catalogação, proteção, e disseminação de informação. Extração de informação de registros digitais. Anotação automática e semiautomática. Planejamento e projetos envolvendo mídia digital.

Bibliografia
LÉVY, P. tecnologias da inteligência, As. Editora 34, 1993.
WANDERLEY, M. M. Instrumentos Musicais Digitais-Gestos, Sensores e Interfaces. Em Busca da Mente Musical. Curitiba: Editora da Universidade Federal do Paraná.

< http://idmil.org/_media/wiki/instrumentos_digitais_final. pdf, 2006.
FARNELL, Andy. Designing sound. [s.l.]: MIT Press Cambridge, 2010.
ALTEN, Stanley R. Audio in media. [s.l.]: Cengage Learning, 1990.
EARGLE, John. The microphone handbook. [s.l.]: Elar Publishing, 1981.
PAULETTO, S.; HUNT, A. A toolkit for interactive sonification. Proceeding of The 2004 International Conference on Auditory Display, 2004.
NOBLE, Joshua. Programming interactivity. [s.l.]: O’Reilly Media, Inc., 2009.
CANAZZA, S.; ORCALLI, A. Preserving Musical Cultural Heritage at MIRAGE. Journal of New Music Research, v. 30, p. 365–374, 2001.
BANZI, Massimo. Getting Started with Arduino. [s.l.]: O’Reilly Media, Inc., 2009.

PPGArtes UEMG

Rua Paraíba, 232 -Bairro Funcionários

Belo Horizonte MG - CEP: 30.130.142



Fone: (31) 3029-5255 - E-mail: ppgartes@uemg.br




Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal