Ácido úrico-pp



Baixar 52.3 Kb.
Encontro01.02.2018
Tamanho52.3 Kb.

Inserir o nome do Laboratório

Procedimento Operacional Padrão

DETERMINAÇÃO DO TEMPO DE PROTROMBINA

Página de

POPBIO 070

Revisão: 00




TROMBOPLASTIN
FUNDAMENTO

O teste consiste na comparação da velocidade de formação da fibrina entre o plasma de referência e plasmas de pacientes, representando a medida da atividade dos fatores do complexo protrombínico (fatores ll, V, Vll, X). Baseia-se na medida do tempo de coagulação do plasma depois de se adicionar uma fonte de fator tissular (tromboplastina) e cálcio.

A recalcificação do plasma na presença de fator tissular gera o Fator X ativado e posteriormente um coágulo de fibrina.

A formação de fibrina é macroscopicamente demonstrada pelo aparecimento de um coágulo.


APLICAÇÃO CLÍNICA

O teste é muito empregado para monitorar pacientes fazendo uso de anticoagulantes orais devido à redução na atividade dos fatores vitamina K dependentes (II, VII, IX, X, Proteína C e Proteína S).


AMOSTRA

Preparo do Paciente

Colher sangue pela manhã após jejum de 4 horas, salvo orientações médicas.


Amostras utilizadas


Plasma colhido em citrato.

A qualidade da amostra é fundamental para a exatidão de resultados.


Coleta da amostra


O procedimento que se segue é recomendado pelo ICSH2.

No controle da terapia com anticoagulantes orais é importante que o paciente tome o medicamento sempre no mesmo horário e que as amostras sejam coletadas sempre no mesmo horário.

NOTA: Recomendamos que a coleta, preparação, armazenamento e descarte das amostras biológicas sejam realizadas seguindo as recomendações das Boas Práticas de Laboratórios Clínicos.

Enfatizamos que os erros provenientes da amostra podem ser muito maiores do que os erros ocorridos durante o procedimento analítico.



Volume ideal utilizado para análise

(Definir o volume ideal a ser encaminhado para análise).



Volume mínimo utilizado para análise

(Definir o volume mínimo a ser encaminhado para análise).



Critérios para rejeição da amostra

Fazer referência ao manual ou POP de coleta, separação e distribuição de material.
REAGENTE UTILIZADO

TROMBOPLASTIN CAT. 310 MS 80022230146

GOLD ANALISA DIAGNÓSTICA LTDA

CNPJ – 03.142.794/0001-16

Av. Nossa Senhora de Fátima, 2363

Belo Horizonte – MG – Brasil
Farmacêutica Responsável: Ludmilla Parreiras Campos CRF-MG 5463

Componentes do kit

Conservar entre 2-8 ºC.



  1. Tromboplastin SI - Contém extrato liofilizado de cérebro de coelho e cloreto de cálcio ajustado para atender os requerimentos do teste.


Estabilidade

O reagente é estável até o vencimento da data de validade impressa no rótulo do produto e na caixa quando conservado na temperatura recomendada, bem vedados e se evite a contaminação durante o uso.



Precauções e Cuidados Especiais

  1. Aplicar os cuidados habituais de segurança na manipulação dos reagentes e amostra biológica.

  2. Recomendamos o uso das Boas Práticas de Laboratórios Clínicos para a execução do teste.

  3. De acordo com as instruções de biossegurança, todas as amostras devem ser manuseadas como materiais potencialmente infectantes.

  4. Descartar os reagentes e as amostras de acordo com as resoluções normativas locais, estaduais e federais de preservação do meio ambiente.

Interferências


Substâncias como corticosteróides, EDTA, contraceptivos orais, asparaginase, clofibrite, eritromicina, etanol, tetraciclina e anticoagulantes (heparina e varfarina) podem aumentar o Tempo de Protombina (TP).

Substâncias como anti-histamínicos, butabarbital, cafeína, contraceptivos orais, fenobarbital e vitamina K podem diminuir o TP.



EQUIPAMENTOS


Procedimento Técnico Manual

  • Tubos e Pipetas;

  • Cronômetro ou Coagulômetro.


Procedimento Técnico Automatizado

Citar nome, modelo e o local onde se encontra o equipamento; Fazer referência ao manual ou POP para utilização do mesmo.


Procedimento Técnico Alternativo

Citar o equipamento alternativo e os procedimentos para medição dos ensaios. Indicar as possíveis diferenças quando os procedimentos manuais substituírem os procedimentos automatizados.



Procedimento em Analisadores Automáticos

Mencionar o manual ou POP para utilização do equipamento analítico. Anexar o guia de aplicação dos reagentes para o sistema automático.



Preparo do Reagente de Trabalho


Reconstituir cada frasco de Tromboplastin SI com exatamente 2 mL de água destilada. Agitar suavemente até dissolução completa. Não congelar o Reagente de Trabalho.

O Reagente de Trabalho é estável por 7 dias entre 2-8ºC ou 24 horas entre 15-30ºC. Quando não estiver sendo utilizado, conservar o Reagente de Trabalho entre 2-8ºC.


Técnica para obtenção da amostra biológica

  1. Obter o sangue por punção venosa e evitar garroteamento prolongado, hemólise, formação de bolhas e aspiração de liquido tissular (fator III). A agulha deve penetrar diretamente na veia e na primeira tentativa (punção venosa “atraumática”). O sangue deve fluir livremente sem que seja necessário aplicar demasiada força ao êmbolo. Não realizar o TP em amostra cuja punção for difícil (punção venosa traumática).

  2. Remover a agulha e misturar 9 partes de sangue com 1 parte de citrato trissodico 109 mmol/L ou 3 mL de sangue e 1 gota de Citrato (Gold analisa Cat.345). Não usar oxalato, pois o Fator V é muito sensível com este anticoagulante. Ver observação 3.

  3. Usar seringa de plástico e centrifugar em tubos de plástico. O uso de material de vidro ativa os fatores da coagulação através do contato e reduz falsamente os TP.

  4. Centrifugar o mais rápido possível a 3000rpm durante 10 minutos. não é necessário remover o plasma do tubo. Manter o tubo tampado até a execução do exame.

  5. Realizar o TP até 4 horas após a colheita. Não refrigerar o plasma, pois pode haver ativação do Fator VII pelo sistema Calicreina, reduzindo falsamente o TP. O plasma pode ser congelado se houver possibilidade de se obter congelamento rápido.

  6. Tubos a vácuo contendo citrato devem ser usados com cautela. Em caso de resultados duvidosos ou para técnicas especiais, realizar a coleta com seringas de plástico.

  7. A formação de microcoágulos reduz consideravelmente o TP por ativação auto-catalítica dos fatores, enquanto que a coagulação mais intensa produz elevação do TP por consumo dos fatores e fibrinogênio. Em caso de duvidas filtrar o sangue através de gaze. A presença de coágulos implica na recusa da amostra.



Procedimento


Procedimento Técnico Manual

Testar as amostras testes e controles em duplicata.



Preparo de Amostras de Referência


Preparar um pool (referência) misturando plasmas citratados obtidos de, no mínimo 3 indivíduos sadios. Não usar plasmas de portadores de doenças hepáticas ou de mulheres grávidas ou em uso de contraceptivos orais.

Técnica de Análise


1- Realizar o teste em tubos de vidro rigorosamente limpos.

2- A temperatura do banho-maria deve estar entre 36,5 - 38,5 ºC.

3- Testar as amostras testes e de referência em duplicata.

4- Pré-aquecer o reagente Tromboplastin SI a 37°C.

5- Seguir o esquema abaixo:


Tubos pré-aquecidos

Teste

Referência

Plasma do Paciente

100 µL

-------------

Plasma Referência

------------

100 µL

Incubar os tubos a 37°C por 3 a 5 minutos.




Tromboplastin SI

200 µL

200 µL

6- Acionar o cronômetro. Misturar suavemente a manter no banho-maria por 9 segundos.

7- Remover o tubo, incliná-lo periodicamente e observar a formação de coágulo. Travar imediatamente o cronômetro e anotar o tempo.
CÁLCULOS E RESULTADOS

Calcular a média do tempo da determinação de TP das duplicatas para cada plasma e anotar.


Os resultados do Tempo de Protrombina (TP) podem ser expressos em Atividade% do normal ou em RNI (Relação Normalizada Internacional).
1- Relação dos Tempos de Protrombina (RP)

RP = Tempo em segundos (TP) do plasma do paciente dividido pelo Tempo em segundos (TP) do plasma de referência.


2- Atividade de Protrombina (A%)

Utilizar a tabela anexa. Tabela 1 - Cálculo da Atividade (A%) - Conversão de TP em segundos para Atividade (A%).

Relacionar o tempo em segundos do plasma de referência com o tempo em segundos do plasma do paciente e encontrar o valor de Atividade (%).
3- Relação Normalizada Internacional (RNI)

Para obter os resultados em RNI, temos 2 processos:


3a- Utilizar a tabela anexa. Tabela 2 - Cálculo da RNI - Conversão da Relação do TP para RNI.
Relacionar a Relação dos Tempos de Protrombina (RP) calculada no item 1 de Cálculos e Resultados com o ISI (Índice Internacional de Sensibilidade) informado no rótulo do produto.
Atenção: O ISI pode variar de lote a lote.

Exemplo


TP do plasma de referência = 12 s

TP do plasma do paciente = 13 s



1- RP = 13  12 = 1,08  1,1

2- Utilizando a Tabela 1 – Interconversão de Tempo (s) X Atividade% .

Atividade de Protrombina (A%) = 82%


3- Utilizando a Tabela 2 – Convesão para RNI

Se ISI = 1,22  1,2

RP calculado = 1,1

RNI = 1,12


3b- A RNI pode também ser calculada através das seguintes fórmulas:

RNI = RPISI ou RNI = antilog (log RP x ISI)



CONTROLE DA QUALIDADE

Materiais

Identificar os materiais de controle interno e externo da qualidade, citando fabricante e número de catálogo.

Referenciar POP para limpeza e secagem dos materiais utilizados.

Controle Interno

Descrever a calibração periódica de pipetas, equipamentos utilizados, controle de temperatura ambiente e geladeiras para armazenamento dos kits.

Citar a utilização de soros controles (nível normal –código --------- e patológico –código -------) nas análises realizadas juntamente com a freqüência da utilização dos mesmos. Descrever o procedimento de verificação de novos lotes de controles e reagentes.

Citar POP para controle interno.



Controle Externo

Descrever os procedimentos utilizados nas avaliações de qualidade feitas por programas de comparação entre laboratórios ou outros controles de qualidade: PNCQ-SBAC e/ou PELM-SBPC



Gerenciamento dos dados obtidos no Controle Interno e Externo

Definir como os dados de controle são arquivados e gerenciados.

Fazer referência ao manual ou POP de garantia da qualidade.

VALORES DE REFERÊNCIA


Os valores de TP dependem do reagente utilizado e, portanto, estão sujeitos a variações significativas entre os laboratórios. Portanto, é importante que os resultados sejam expressos em RNI para corrigir essa variabilidade de resultados entre os laboratórios.

1- Tempo de Protrombina (TP): 10 a 14 segundos.

2- Atividade (A%) de Protrombina: 70 a 100%. Valores acima de 100% não têm significado patológico.

Monitoração Laboratorial de Terapia com Anticoagulantes Orais


Para maximizar os efeitos terapêuticos desejados e minimizar sangramentos, a OMS recomendou o emprego da Relação Normalizada Internacional (RNI) para padronizar o teste de tempo de protrombina e o respectivo tratamento.

Os resultados em RNI corrigem a variabilidade existente entre os diversos reagentes de tromboplastina utilizados nos laboratórios.

O Índice Internacional de Sensibilidade (ISI) é a medida da sensibilidade entre tromboplastina/ instrumento para fatores de coagulação. Os valores de ISI são determinados por comparação a um material de referencia de tromboplastina primária. Reagentes com alta sensibilidade possuem valores de ISI baixos.

A tabela fornecida no Instrução de Uso original é para determinar o RNI relativo ao TP obtido com o Tromboplastin em diferentes valores de ISI. É aconselhável que pacientes em terapia estabilizada com anticoagulante oral devam ter seu RNI mantido entre 2,0 e 3,5 dependendo da indicação clinica.


RNI recomendada em algumas doenças/condições1


1- RNI de 2,0 a 3,0

Prevenção de trombose venosa (alto risco), tratamento de trombose venosa, tratamento de embolismo pulmonar, arteriopatia periférica, anticoagulação pré e per-operatória, cirurgias diversas, prevenção de embolismo sistêmico, prótese de válvulas cardíacas teciduais.


2- RNI de 2,5 a 3,5

Prevenção de infarto do miocárdio recorrente, redução de mortalidade no infarto do miocárdio, prótese de válvulas cardíacas mecânicas (alto risco).



SIGNIFICADO CLÍNICO


O tempo de protrombina (TP) é empregado para avaliar as alterações congênitas e adquiridas de fatores da via extrínseca da coagulação, no controle da anticoagulação oral e como teste de triagem pré-operatória.

O TP está prolongado nas deficiências de fatores da via extrínseca da coagulação (I, ll, V, Vll e X), durante o uso de anticoagulantes orais, na presença de inibidores específicos circulantes, em doenças hepáticas, nas desordens do metabolismo da vitamina K (deficiência de síntese ou absorção), na doença hemorrágica do recém-nascido, icterícia obstrutiva, distúrbio da absorção intestinal, antibioticoterapia, insuficiência hepática, fibrinólise e coagulação intravascular.

O teste é muito empregado para monitorar pacientes fazendo uso de anticoagulantes orais devido à redução na atividade dos fatores vitamina K dependentes (II, VII, IX, X, Proteína C e Proteína S).
LIMITAÇÕES DO MÉTODO

Os resultados deverão ser usados em conjunto com informações disponíveis da avaliação clínica e outros procedimentos diagnósticos.



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


1. Hirsh, J., Dalen, J.E., Deykin, D., Poller, L.: Oral Anticoagulants: Mechanisms of Action, Clinical Effectiveness and Optimal Therapeutic Range, 1992. Chest 102 (Suppl.): 312S-326S

2. International Committee for Standardization in Hematology.Thromb Haemostas 1976;36:237-238.

3. International Committee for Standardization in Hematology and International Committee on Thrombosis and Haemostasis. Thromb Haemostas 1985;53:155-156.

4. National Committee for Clinical Laboratory Standards: Collection, Transport, and Processing of Blood Specimens for Coagulation Testing and Performance of Coagulation Assays, 1991. NCCLS Document H21-A2

5. Musgrave, K.A., Bick, R.L.: Quality assurance in the hemostasis laboratory. In Bick, R.L, et al., editors: Hematology, Clinical and Laboratory Practice. Vol. Two. St. Louis, MO. 1993. Mosby, pp. 1309-1315

6. Quick AJ, Leu M.J Biol Chem 1937;119:73-84.



  1. TROMBOPLASTIN, Instruções de Uso, Gold Analisa Diagnóstica.







Nome

Assinatura

Data

Elaborado por:







___/___/___

Aprovado por:







___/___/___

Implantado por:







___/___/___

Substitui POP:




Revisado por:







___/___/___

Revisado por:







___/___/___

Revisado por:







___/___/___

Desativado por:







___/___/___

Razão:







Número

Destino

Cópias








Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal