Confederação Brasileira de Tiro Esportivo Carabina, Pistola e Rifle Regulamento 2011



Baixar 257.81 Kb.
Encontro13.06.2018
Tamanho257.81 Kb.

Confederação Brasileira de Tiro Esportivo

Carabina, Pistola e Rifle
Regulamento 2011

Revisto em 19/09/2011






Veja no Anexo B - relação de alterações deste documento com suas respectivas datas
I. Finalidade
Estabelecer normas e regular as atividades de Carabina, Pistola e Rifle no ano de 2011.
II. Objetivo
a. Incentivar a prática do Tiro Esportivo, em âmbito nacional, através de competições realizadas de forma presencial em lugares pré-definidos e pelo sistema do Provas On-Line, com a unificação dos resultados;
b. Reduzir custos com deslocamentos, hospedagem e alimentação, facilitando a participação de atletas que competem na sua própria cidade ou proximidades e tendo seus resultados comparados a nível nacional;
c. Estimular a prática do Tiro Esportivo visando a captação de novos praticantes e promovendo a evolução de talentos.
III. Desenvolvimento
a. Definições



a.1) Organizador

Local onde será realizado um evento do calendário da CBTE.


a.2) Provas Olímpicas

Pistola de Ar Masculino, Pistola de Ar Feminino, Pistola 50m Masculino, Pistola de Tiro Rápido Masculino, Pistola 25m Feminino, Carabina de Ar Masculino, Carabina de Ar Feminino, Carabina Deitado Masculino, Carabina 3 Posições Masculino e Carabina 3 Posições Feminino.


a.3) Provas ISSF

Pistola de Fogo Central Masculino, Pistola Standard Masculino, Carabina Deitado Feminino e Pistola 25m Masculino (Júnior e Para-atleta), Fuzil Livre Deitado Masculino, Fuzil Standard Masculino.


a.4) Provas Especiais

Duelo 20 Segundos (todas as divisões), Carabina Mira Aberta de Ar, Carabina Mira Aberta 25m - Calibre Menor e Carabina Mira Aberta 50m - Calibre Maior, Field Target (todas as divisões), Hunter Field Target (todas as divisões), Fuzil 3 Posições Masculino, USBR (todas as divisões), F-Class (todas as divisões) e NRA (todas as divisões).


a.5) Recorde

Maior pontuação atingida em uma modalidade e categoria durante evento de competição oficial.


b. Categorias e Classes
b.1) Categorias
Todas as provas serão disputadas de forma específica para atletas masculinos e femininos, nas seguintes categorias, com exceção das especificadas nos item b.1.1 e b.1.2:
Homens

Juvenil Masculino

até 15 anos

Júnior Masculino

de 16 a 20 anos

Sênior

de 21 a 55 anos

Máster Masculino

de 56 a 64 anos

Veterano Masculino

a partir de 65 anos



Mulheres

Juvenil Feminino

até 15 anos

Júnior Feminino

de 16 a 20 anos

Dama

de 21 a 55 anos

Máster Feminino

a partir de 56 anos


Portadores de necessidades especiais (Homens e Mulheres)

Para-atleta

todas as idades

A condição de para-atleta deve ser avaliada e certificada, por um avaliador credenciado pela CBTE, quando da sua associação.


b.1.1) Nas seguintes provas todos os atletas participarão de uma mesma categoria (Principal), independente de sexo ou idade, e serão divididos em classes, com exceção dos para-atletas que permanecerão em uma categoria separada:


      • Carabina Mira Aberta de Ar

      • Carabina Mira Aberta 25m - Calibre Menor

      • Carabina Mira Aberta 50m - Calibre Maior

      • Duelo 20 Segundos - Pistola Calibre Menor

      • Duelo 20 Segundos - Pistola Calibre Maior

      • Duelo 20 Segundos - Revólver Calibre Menor

      • Duelo 20 Segundos - Revólver Calibre Maior

b.1.2) Nas seguintes provas todos os atletas participarão de uma mesma categoria (Principal) e não serão divididos em classes, independente de sexo ou idade, com exceção dos para-atletas que permanecerão em uma categoria separada:




      • Fuzil Standard Masculino

      • Fuzil Livre Deitado Masculino

      • Fuzil 3 Posições Masculino

      • Field Target - Gás de Baixa Potência

      • Field Target - Gás de Alta Potência

      • Field Target - Mola de Baixa Potência

      • Field Target - Mola de Alta Potência

      • Hunter Field Target - Gás

      • Hunter Field Target - Mola

      • NRA Sporting Rifle Ilimitada Mira Metálica

      • NRA Sporting Rifle Ilimitada Mira Ótica

      • NRA Sporting Rifle Oficial Mira Metálica

      • NRA Sporting Rifle Oficial Mira Ótica

      • F-Class F-T/R

      • F-Class Open

      • USBR Ar Comprimido CO2

      • USBR Ar Comprimido Competição

      • USBR Ar Comprimido Ilimitada

      • USBR Ar Comprimido mola

      • USBR Ar Comprimido PCP

      • USBR Custom

      • USBR Sporter

      • USBR Sporter Semi-auto

      • USBR Unlimited


b.2) Classes
b.2.1) A categoria Sênior será dividida em três classes: A, B e C nas seguintes provas:


      • Carabina de Ar Masculino

      • Pistola de Ar Masculino

b.2.2) A categoria Dama será dividida em duas classes: A e B nas seguintes provas:




      • Carabina de Ar Feminino

      • Pistola de Ar Feminino

b.2.3) A categoria Principal será dividida em três classes: A, B e C na seguinte prova:




      • Carabina Mira Aberta de Ar

b.2.4) A categoria Principal será dividida em duas classes: A e B nas seguintes provas:




      • Carabina Mira Aberta 25m - Calibre Menor

      • Carabina Mira Aberta 50m - Calibre Maior

      • Duelo 20 Segundos - Pistola Calibre Menor

      • Duelo 20 Segundos - Pistola Calibre Maior

      • Duelo 20 Segundos - Revólver Calibre Menor

      • Duelo 20 Segundos - Revólver Calibre Maior

b.2.5) Para a definição da classe de um atleta, será tomada como base a média dele no ranking final do ano anterior. Atletas que não figuraram neste ranking, terão sua classe definida pela pontuação de sua primeira participação no ano vigente.


b.2.6) Todos os atletas que atingiram no ano anterior uma média qualificada na classe superior ou inferior a sua, serão automaticamente transferidos para esta outra classe.
b.2.7) Mediante correspondência à Diretoria de Carabina, Pistola e Rifle, um atleta poderá solicitar sua troca de classe para uma superior, não podendo mais voltar à anterior até o final do ano, independente dos resultados. Essa solicitação deverá sempre acontecer antes do início da primeira competição do ano.
b.2.8) Seguem as tabelas de pontos correspondentes para classificação em classes dos atletas que figuraram no ranking do ano anterior ou para os novos atletas a serem classificados em sua primeira participação.
Carabina de Ar Masculino (Sênior)

Sênior A

acima de 570 pontos

Sênior B

de 549 até 570 pontos

Sênior C

até 548 pontos


Carabina de Ar Feminino (Dama)

Sênior A

acima de 365 pontos

Sênior B

até 365 pontos


Pistola de Ar Masculino (Sênior)

Sênior A

acima de 562 pontos

Sênior B

de 539 até 562 pontos

Sênior C

até 538 pontos


Pistola de Ar Feminino (Dama)

Sênior A

acima de 359 pontos

Sênior B

até 359 pontos


Carabina Mira Aberta de Ar

Classe A

acima de 284 pontos

Classe B

de 266 a 284 pontos

Classe C

até 265 pontos



Carabina Mira Aberta 25m - Calibre Menor

Classe A

Acima de 309 pontos

Classe B

até 309 pontos


Carabina Mira Aberta 50m - Calibre Maior

Classe A

Acima de 160 pontos

Classe B

Até 160 pontos


Duelo 20 Segundos - Pistola Calibre Menor

Classe A

acima de 183 pontos

Classe B

até 183 pontos


Duelo 20 Segundos - Pistola Calibre Maior

Classe A

acima de 166 pontos

Classe B

até 166 pontos


Duelo 20 Segundos - Revólver Calibre Menor

Classe A

acima de 182 pontos

Classe B

até 182 pontos


Duelo 20 Segundos - Revólver Calibre Maior

Classe A

acima de 187 pontos

Classe B

até 187 pontos


c. Regularização de atleta
O Atleta deverá estar cadastrado e em dia com a CBTE e a uma das federações filiadas. As Federações deverão comunicar expressamente à CBTE caso tenham algum atleta inadimplente ou apresentando qualquer outra irregularidade estatutária. No período de inadimplência do atleta, confirmado pela sua Federação estadual, seus resultados não serão computados no Ranking da CBTE. O período de inadimplência se inicia no momento da comunicação à CBTE pela Federação. Anterior ao aviso, os resultados do atleta já realizados, se manterão no Ranking.

d. Inscrições
Todos os atletas devem realizar suas inscrições, preferencialmente, através do site da CBTE, quando será cobrado o valor total da inscrição por meio de boleto bancário, conforme explícito nas tabelas publicadas no site da CBTE.
A parcela do valor dedicada aos organizadores de cada Local de Competição é repassada pela CBTE até o quinto dia útil subseqüente ao encerramento da competição.
Inscrições locais, anteriores ao início da prova desejada, podem ser feitas no local de competição, respeitando os valores publicados nas tabelas no site da CBTE.
O atleta que fizer sua inscrição prévia através do site deverá apresentar o comprovante de pagamento no ato da confirmação da inscrição no local da prova. Atletas que não apresentarem este comprovante poderão ter um acréscimo no valor da inscrição, conforme tabelas publicadas no site da CBTE.
O valor da inscrição será restituído caso tal solicitação ocorra até o dia do término das inscrições via site. Não haverá compensação em provas futuras de inscrições não utilizadas, exceto em casos de cancelamento da prova pelo Organizador. A parcela devida aos organizadores locais será repassada pela CBTE através de depósito bancário efetuado até o 5° dia útil após o evento.
e. Definição ou escolha dos locais das provas
A Federação ou Clube que desejar ser Organizador do Provas On-Line, deverá enviar e-mail específico à Diretoria de Carabina, Pistola e Rifle, com a relação dos eventos do calendário que deseja realizar durante o ano ou, se preferir, com 30 dias de antecedência de cada evento. Em caso de dois ou mais candidatos a Organizadores numa mesma região, a CBTE fará a distribuição das datas de cada um, caso eles já não tenham feito essa distribuição entre si.
f. Aprovação dos Organizadores
O Organizador deverá atender os requisitos mínimos para realização de uma etapa do Provas On-line, sob risco de não serem computados no Ranking da CBTE, os resultados das provas realizadas nesse local.
Requisitos Mínimos:

  • Presença de um Delegado da CBTE. Todos os custos com o Delegado serão do Organizador. A listagem de delegados e árbitros nacionais e internacionais, acreditados pela CBTE, estará divulgada no site da CBTE.




  • Mínimo de um árbitro local para cada prova realizada. A função de árbitro poderá ser desempenhada pelo Delegado da CBTE e/ou um atirador local, desde que este não esteja participando da prova em que atuar como árbitro. No caso de provas presenciais somente árbitros nacionais poderão desempenhar a função.




  • Apresentação da Ficha Técnica do Local de Competição à CBTE relatando as condições do estande de tiro. A Ficha Técnica é fornecida pela Comissão Técnica de Carabina e Pistola em cada evento.




  • Uma pessoa exclusiva para lançar os resultados no Sistema do Provas On-Line logo que forem apurados.




  • Disponibilidade dos Equipamentos Mínimos para o local de competição, listados na alínea “j” deste capítulo.


g. Premiação do Provas On-line


Premiação Local

Toda a premiação (medalha, troféus, certificados etc.) será de responsabilidade dos organizadores das provas. Serão obrigatoriamente premiados os atletas classificados até o terceiro lugar, dentro de cada categoria e classe, levando-se em conta os resultados das finais olímpicas, quando acontecerem.


Em todos os locais, o Delegado da CBTE será obrigatoriamente o responsável pela premiação de todas as provas, salvo se houver autoridade local destacada para este fim. Entretanto, será de sua responsabilidade cuidar para que a premiação ocorra dentro dos padrões da CBTE.
Toda premiação deverá ocorrer até 30 minutos após a divulgação do resultado de cada prova.

Premiação Nacional

O atleta poderá emitir pelo site da CBTE, um certificado de participação com autenticação eletrônica de qualquer etapa do Provas On-line, estejam eles no local presencial obrigatório ou não. A certificação será feita de acordo com o resultado nacional da etapa, ou seja, serão levadas em conta as pontuações atingidas em cada local e todas juntas formarão uma única classificação nacional. A autenticação eletrônica permite que o certificado seja validado a qualquer momento, através da digitação do código único fornecido na ocasião de sua impressão. Os certificados poderão ser emitidos a partir das 18h do primeiro dia útil após o evento.


h. Documentação da Competição
O Organizador, através do Delegado responsável, deverá enviar por e-mail à Diretoria Técnica de Carabina e Pistola, para conferência e arquivamento, um Relatório de Incidentes, onde quaisquer problemas operacionais ou protestos devem ser registrados, tendo sido julgados no local ou não.
É dever do Delegado e do organizador local, no caso de ocorrência de protestos ou recordes, reter os alvos do(s) atleta(s) envolvido(s) para remessa à CBTE se isso for solicitado para análise e homologação.


  1. Lançamento dos Resultados

Os resultados obtidos nas provas deverão ser lançados, preferencialmente, imediatamente após cada série de 10 tiros. Isto dará uma maior realidade e interação entre os competidores e público em geral.


Os resultados das provas Olímpicas e ISSF, só poderão ser lançados até as 18:00h do dia de competição conforme o programa nacional, obedecido o horário de Brasília, a partir do qual o sistema será bloqueado não aceitando mais lançamentos. Os resultados das provas especiais, poderão ser lançados até as 18:00h do último dia de competição do evento, obedecido o horário de Brasília, a partir do que o sistema será bloqueado não aceitando mais lançamentos.


  1. Equipamento Mínimo para Locais de Competição




  • 2 (dois) Computadores com acesso à Intranet da CBTE, via banda larga, no local da competição com visibilidade para todos os participantes do evento;




  • 1 (um) Telão ou equipamento similar que permita boa visualização coletiva dos resultados;




  • 1 (uma) Impressora.




  • 1 (uma) Máquina eletrônica de apuração de alvos caso esteja realizando provas olímpicas com exceção para as provas Pistola 50m Masculino, Pistola 25m Masculino, Pistola 25m Feminino e Pistola de Tiro Rápido. A apuração de alvos com calibradores manuais poderá ser alternativamente usada quando tal procedimento estiver a cargo de um árbitro nacional credenciado pela CBTE ou internacional credenciado pela ISSF.

Não serão aceitos locais de competição que não atendam rigorosamente a esses itens e, em caso de descumprimento, o local será retirado da realização do sistema do Provas On-line e somente poderá retornar quando cumprir estas condições e forem liberados pela Diretoria de Carabina, Pistola e Rifle.




  1. Programação dos Locais de Competição

k.1) No Anexo A, é mostrado o programa que será cumprido no CNTE, local de referência oficial para todos os outros locais de competição do país, salvo quando da realização de Campeonatos Regionais, em outras sedes.


k.2) Quando realizadas Finais Olímpicas no Provas On-line estas serão compostas pelos atletas classificados, independente de classe ou categoria. A premiação da prova após a final é exclusiva e independente da classificação e premiação dos atletas nas suas categorias ou classes.
k.3) Haverá finais olímpicas de Carabina e Pistola de Ar quando o número de atletas na prova, independente de classe ou categoria, for igual ou superior a oito.
k.4) Um local de competição virtual poderá adaptar o horário do programa de Provas Especiais, conforme suas necessidades e orientações regionais. As provas Olímpicas e ISSF, devem respeitar o programa nacional apresentado no Anexo A. Para tanto, fica sob sua responsabilidade divulgar no local qualquer alteração ou diferença nos horários do programa, desde que este seja aprovado pela Comissão Técnica de Carabina e Pistola com um mínimo de 15 dias de antecedência.
l. Classificação
l.1) Para classificação dos atletas nas diferentes categorias e classes, serão divulgadas relações contendo as séries e o total de pontos obtidos.
l.2) As relações de classificação devem ser divulgadas até 30 minutos após o término da prova, salvo casos emergenciais de apuração manual, devidamente relatados no Relatório de Incidentes.
l.3) Desempate nas provas On-Line (evento não presencial)
l.3.1) Provas Olímpicas e ISSF

Sempre se verificará a série de maior valor em ordem regressiva, da última para primeira. Permanecendo o empate os atletas que dele participam ocuparão a mesma classificação.


l.3.2) Provas Especiais

Não haverá desempate. Os atletas que obtiverem a mesma pontuação ocuparão a mesma classificação.


l.4) Desempate em Provas Presenciais

Seguirá os critérios vigentes no regulamento ISSF, seja para premiação de uma prova, seja para definição de posições em finais.


l.5) Desempate por Equipes

Nos Campeonatos Regionais e Brasileiro, o desempate de equipes se dará pela comparação do somatório da última série de cada atirador. Permanecendo o empate, tomar-se-á a penúltima série e assim sucessivamente.


m. Ranking
m.1) Ranking Geral

Serão considerados para o Ranking Geral por prova, os 4 melhores resultados registrados no tempo de observação de 10 meses. Salvo as provas de Fuzil Standard Masculino, Fuzil Livre Deitado Masculino e Fuzil 3 Posições Masculino nas quais serão apenas os 2 melhores resultados.


Pontuações obtidas em Treinamentos Centralizados ou Provas Seletivas à Seleção Brasileira não serão computados para o Ranking Geral.
Serão elaboradas duas tabelas, uma geral por prova, independente de categoria ou classe, e outra por categoria e classe. Os Para-atletas, por competirem em situação diferenciada, não terão seus resultados lançados no Geral, e serão classificados conforme regulamentação especifica.
O desempate na classificação será feito levando-se em consideração o maior resultado dos últimos 10 meses. Caso permaneça o empate será considerado o segundo maior resultado neste período. Caso ainda permaneça o empate será considerado o terceiro maior resultado neste período, e assim sucessivamente. Levar-se-ão em consideração todos os resultados do ranking dentro dos 10 (dez) meses móveis. Se após esta análise ainda prevalecer o empate, então será utilizado o sorteio a ser combinado entre as partes (diretoria técnica e atletas com pontuação empatada) na ocasião do mesmo.
m.2) Ranking Qualidade
Seguindo orientações do COB para o planejamento do Ciclo Olímpico de 2016, a Comissão Técnica de Carabina e Pistola da CBTE criou um segundo ranking denominado Ranking Qualidade, com o objetivo de fazer uma análise mais técnica e real dos atletas de alto rendimento.
O Ranking Qualidade será apurado paralelamente ao Ranking Geral, com as seguintes normas:
m.2.1) Em eventos no Brasil, só terão computados os resultados no Ranking Qualidade, os atletas que participarem de provas em locais presenciais estabelecidos no calendário. Os resultados dos atletas que tenham sido registrados fora dessas condições serão computados somente no Ranking Geral. As provas regionais (Norte-Nordeste, Cenbra e Sulbra) e a prova final do Campeonato Brasileiro, serão sempre consideradas provas presenciais. No decorrer do ano, a Diretoria Técnica poderá determinar alguma outra prova do calendário como prova presencial.
m.2.2) Em provas fora do Brasil, todos os resultados obtidos pelos atiradores, serão computados no Ranking Qualidade e Ranking Geral, inclusive resultados de provas eliminatórias, quando houver.
m.2.3) O Ranking Qualidade classificará os atletas tomando por base a observação dos últimos 6 meses móveis em que houverem provas. Deste período serão tomados os 3 melhores resultados das últimas 4 provas computadas para o Ranking Qualidade de cada atleta.
m.2.4) Os resultados do atleta no Ranking Qualidade também serão computados no Ranking Geral, desde que atendam suas normas. Nas etapas nas quais aconteçam provas qualificatórias para definição da Seleção Brasileira ou equipe destinada a uma competição internacional, ou seja, onde o atleta possa obter mais de um resultado, será considerado para o Ranking Geral somente aquele que for registrado na prova inserida no programa de competição da etapa.
m.2.5) Somente resultados do Ranking Qualidade serão tomados para calcular a média e somar aos resultados das respectivas seletivas.
m.2.6) Conforme a disponibilização de verbas específicas a cada evento, a Diretoria Técnica de Carabina e Pistola da CBTE divulgará regras para a participação nos treinos e nas provas presenciais, na possibilidade de criar um plano de incentivo e custeio aos primeiros colocados do Ranking Qualidade.
m.2.7) Durante o processo de composição e convocação de equipes para participação em alguma competição internacional, caso alguma categoria ou modalidade não possuir atletas suficientes relacionados no Ranking Qualidade, a CBTE buscará como segundo critério, o posicionamento de atletas no Ranking Geral.
n. Recordes
n.1) Recorde Brasileiro

Serão reconhecidos como “Recorde Brasileiro”, aqueles igualados ou superados em eventos oficiais de competição da CBTE, compreendendo:




    • Etapas do Campeonato Brasileiro;

    • Campeonatos Regionais;

    • Provas contidas nos Treinamentos Centralizados;

    • Provas Seletivas à Seleção Brasileira;

    • Provas Internacionais organizadas pela:


Confederação Americana de Tiro (CAT)

  • Campeonato das Américas ou Campeonato Pan-Americano de Tiro


Federação Sul-Americana de Tiro Esportivo ou ISSF

  • Campeonato Sul-Americano Hugo de Sá Campello

  • Campeonato Andino


ISSF/COI

  • Jogos Olímpicos

  • Jogos Olímpicos da Juventude

  • Campeonato Mundial

  • Copas Mundiais

  • Campeonatos Continentais

  • Campeonato Ibero-Americano

  • Jogos Olímpicos Universitários


Nota: Quaisquer outros eventos criados pelas instituições supracitadas que aqui não tenham sido explícitamente listados, terão sua validade para reconheciemento de recordes, mediante análise e decisão extraordinária da Comissão Técnica de Carabina, Pistola e Rifle, e aprovada pelo Presidente.
n.2) Guarda de Prova Física

Em provas no território brasileiro, sempre que o Recorde for atingido em um local de competição fora do CNTE, cabe ao Organizador do local de competição entregar os alvos e respectiva lista de partida que identifique o atleta, ao Delegado Técnico da CBTE naquele estado. Este os manterá retidos para qualquer análise se porventura este procedimento seja necessário. Nenhum recorde poderá ser homologado sem que os documentos citados tenham sido entregues à Comissão Técnica ou seus Delegados Técnicos estaduais.


n.3) Homologação e Registro

Os integrantes da Comissão Técnica de Carabina, Pistola e Rifle, são responsáveis pela análise e reconhecimento do recorde após cada evento, sua publicação no site da CBTE e emissão do Certificado impresso e assinado pelo Presidente ou substituto.


Quando um atleta Juvenil, Júnior, Master ou Veterano competir em provas internacionais formando a equipe principal do Brasil, sem distinção de categorias, suas pontuações serão reconhecidas como recordes individuais em suas categorias originais.
O reconhecimento de Recordes Para-Olímpicos é responsabilidade do Comitê Para-Olímpico Brasileiro, mesmo que atingidos em eventos regidos pela CBTE e sua organização.
o. Índices de Referência
São indicadores que servem de referência adicional para convocação dos atletas que participarão de seletivas ou que comporão a representação brasileira no exterior, não sendo, portanto, fatores determinantes para convocação. Para tanto, serão observadas as pontuações registradas somente dentre as 4 utilizadas para cálculo do Ranking Qualidade.


Provas

ISSF

MQS

Índices

América

Mundo

Olímpico

Masculinas

Carabina de Ar

570

580

589

592

Carabina Deitado

587

587

592

594

Carabina 3 Posições

1135

1135

1145

1163

Pistola de Ar

563

571

576

580

Pistola 50m

540

546

552

558

Pistola de Tiro Rápido

560

565

576

580

Pistola 25m (Júnior e PA)




560

565




Pistola de Fogo Central




580

582




Pistola Standard




557

568




Fuzil Standard




555

565




Fuzil Deitado




575

580




Femininas

Carabina de Ar

375

384

388

394

Carabina 3 Posições

555

550

560

577

Pistola de Ar

365

370

377

382

Pistola 25m

555

560

570

575

Carabina Deitado




570

580









Provas Olímpicas




 

Provas ISSF


p. Campeonatos Regionais
p.1) Competições e Locais

41° Campeonato Norte e Nordeste (AM, PA, MA, CE, RN, PB, PE, AL, TO e BA)



Recife - PE
36° Campeonato Centro-Brasileiro (RJ, MG, SP, DF, GO, MS, MT e ES)

CNTE - Rio de Janeiro - RJ


38° Campeonato Sul-Brasileiro (RS, SC e PR)

Curitiba - PR


Observações:

Por ocasião dos Campeonatos Regionais, não será realizado o Provas On-line nos Estados pertencentes às respectivas regiões. Todos os atiradores federados nesses estados deverão ter participação presencial no estado sede ou, se optarem, poderão participar em qualquer outro local de competição, sem que seus resultados sejam considerados para o respectivo campeonato regional e/ou Ranking Qualidade.


p.2) Vinculação de atletas para competições

O atleta disputará as competições regionais pela Federação a qual esteja cadastrado na primeira prova do calendário anual da CBTE. Quaisquer transferências realizadas durante o ano terão validade, para fins competitivos individuais e de equipe somente para o ano subseqüente ao da transferência.


p.3) Premiação
p.3.1) Individual

Serão premiados os atletas classificados até o terceiro lugar em todas as categorias e classes.


p.3.2) Equipe

Para a classificação dos estados tomar-se-á por base o soma dos pontos obtidos individualmente pelos atletas dentro de cada categoria, conforme tabela abaixo:




Classificação

Provas Olímpicas e ISSF

Provas Especiais

1º Lugar

10

5

2º Lugar

6

3

3º Lugar

4

2

4º Lugar

3

1

5º Lugar

2

-

6º Lugar

1

-

Troféus para os três estados classificados até 3º Lugar na competição geral.
q. Campeonato Brasileiro

O Campeonato Brasileiro transcorre pelo sistema do Provas On-line observado o calendário estabelecido pela CBTE e tem sua etapa final, presencial, realizada no CNTE.


q.1) Competição e Local

40° Campeonato Brasileiro

CNTE - Rio de Janeiro - RJ
q.2) Vinculação de atletas para competições

O atleta disputará o Campeonato Brasileiro pela Federação à qual esteja cadastrado na CBTE.

q.3) Premiação (a cargo da CBTE)
q.3.1) Individual

Serão premiados os atletas classificados até o terceiro lugar nas respectivas categorias e classes quando existirem.


A regra de classificação final do Campeonato Brasileiro é a média do Ranking Geral, constituído dos 04 (quatro) resultados computados até a competição imediatamente anterior ao Campeonato Brasileiro, somada ao resultado da prova presencial do Campeonato Brasileiro.
q.3.2) Por Equipes
q.3.2.1) Troféus para as três Federações classificadas até o 3º Lugar.
q.3.2.2) Certificados para os três atiradores que formarem as equipes das respectivas Federações, classificadas até o terceiro lugar.
q.4) Todas as provas serão disputadas seguindo as normas e regulamentos da ISSF e CBTE
q.5) O resultado por equipe será obtido pelo somatório dos resultados dos 03 (três) atletas de maior pontuação, de cada Federação, independentemente de sua categoria ou classe.
q.6) Para efeito de classificação das Federações só serão computados os pontos de equipes completas, três atletas, e que tenham completado integralmente a prova.
q.7) Composição de Equipes

Masculinas

Pistola 25m (mista de Junior e Para-atleta) Pistola de Ar, Carabina Deitado, Pistola 50m, Pistola de Tiro Rápido, Pistola de Fogo Central, Pistola Standard, Carabina de Ar e Carabina 3 Posições.


Femininas

Pistola de Ar, Carabina Deitado, Pistola 25m, Carabina de Ar e Carabina 3 Posições.


Mistas

Duelo 20 Segundos (Revólver Calibre Maior e Pistola Calibre Menor), Carabina Mira Aberta de Ar, Carabina Mira Aberta 25m Calibre Menor e Carabina Mira Aberta 50m Calibre Maior.


q.8) Classificação das Federações

Para a classificação das Federações tomar-se-á por base a soma dos pontos obtidos pelas equipes, conforme tabela abaixo:



Classificação

Provas
Olímpicas e ISSF


Provas
Especiais


1º Lugar

10

5

2º Lugar

8

4

3º Lugar

6

3

4º Lugar

5

2

5º Lugar

4

1

6º Lugar

3

-

7º Lugar

2

-

8º Lugar

1

-

q.9) Desempates


q.9.1) Desempate de equipes

Empate na prova

Será desempatado pelo melhor resultado dentre seus atletas, caso persista o empate será utilizado o segundo melhor resultado e depois o terceiro melhor resultado.


Empate no resultado geral

Será desempatado pela maior quantidade de 1º Lugar por equipe, caso persista o empate será utilizado a maior quantidade de 2º Lugar por equipe e depois pela maior quantidade de 3º Lugar por equipe.


q.9.2) Desempate individual

Será desempatado pelo melhor resultado obtido na prova. Caso persista o empate pela média do ranking anterior ao Campeonato Brasileiro, persistindo pelo melhor resultado utilizado para formar o ranking e assim sucessivamente.


r. Campeonato Brasileiro de Juniores Novos Talentos
O Campeonato Brasileiro de Juniores Novos Talentos é uma iniciativa da CBTE para revelar novos atletas com potencial alto de desempenho no futuro. Ele é organizado pelo sistema do Provas On-line, nas categorias juvenil e júnior, durante o calendário estabelecido pela CBTE e tem sua etapa final, presencial, realizada no CNTE.
r.1) Competição e Local

1° Campeonato Brasileiro de Juniores Novos Talentos



  • 1° Etapa On-Line

  • 2° Etapa On-Line

  • 3° Etapa On-Line

  • 4° Etapa - CNTE - Rio de Janeiro - RJ

r.2) Vinculação de atletas para competições

O atleta deverá disputar as competições somente pela Federação pelo qual esteja cadastrado no ranking atual da CBTE. Para inscrição nas provas será necessária a apresentação da Carteira de Estudante ou outro instrumento de comprovação de atividade escolar. Durante o mesmo ano o atleta poderá proceder uma única transferência de Federação.
Não poderão participar desta competição atletas que tenham se classificado nas 3 primeiras colocações da categoria júnior do Campeonato Brasileiro nos últimos 3 anos, imediatamente anteriores. Os atletas inclusos nesta condição disputarão a categoria júnior do Campeonato Brasileiro na sua forma regular.
Os campeões anuais das provas desta competição na categoria júnior não poderão mais participar no ano seguinte, e passarão a disputar a categoria júnior do Campeonato Brasileiro na sua forma regular.
Não há qualquer restrição de participação para atletas da categoria juvenil.
r.3) Premiação (a cargo da CBTE)

Serão premiados os atletas classificados individualmente até o terceiro lugar nas respectivas categorias com medalhas e certificados.


A classificação individual do Campeonato Brasileiro de Juniores será feita sem realização de Final Olímpica e considerando o somatório das provas realizadas, desconsiderando o pior resultado. Desta forma somar-se-á os 3 melhores dos 4 resultados.
Caso existam empates no computo final, o desempate será feito pela pontuação de maior valor obtida, permanecendo o empate verificar-se-á as séries regressivas desta melhor prova dos atletas em evidência.
Não haverá disputa por equipes. Contudo a CBTE ou patrocinador do programa, realizará premiação especial às instituições responsáveis pelos atletas campeões.
r.4) Provas

As provas serão disputadas nas categorias júnior e juvenil, sem distinção de sexo.


Estarão em disputa provas adaptadas para facilitar a participação e ingresso de novos atletas:
Pistola de Ar Júnior 40 tiros Juvenil 20 tiros 5 tiros por alvo / 1 alvo ensaio

Carabina de Ar Júnior 40 tiros Juvenil 20 tiros 1 tiros por alvo / 1 alvo ensaio

Carabina Mira Aberta de Ar Júnior 30 tiros Juvenil 20 tiros 5 tiros por alvo / 1 alvo ensaio
r.5) Inscrições

Os atletas registrarão suas inscrições no sistema On-Line, e pagarão R$ 10,00 ao organizador local da competição.


s. Bolsa Atleta

As provas que servirão como credenciamento para o programa Bolsa-Atleta 2012 do Ministério dos Esportes são:


Nacional: 40° Campeonato Brasileiro - CNTE - Rio de Janeiro - RJ

Internacional: 28° Campeonato Cel . Hugo de Sá Campello Filho - Santiago - CHI

Atletas de Base: 1° Campeonato Brasileiro de Juniores - CNTE - Rio de Janeiro - RJ
A CBTE seguirá rigorosamente as normas do Programa Bolsa Atleta do Ministério dos Esportes na certificação dos atletas contemplados.
t. Comissões

t.1) Comissão Técnica de Carabina e Pistola

Ricardo Brenck

Ronaldo Silva Freire

Daniel Devesa
t.2) Comissão de Arbitragem

Arnaldo Mendonça

Thom Erik Sirdhal
t.3) Técnico de Pistola:

Silvio Aguiar


t.4) Técnico de Carabina:

Oleg Mikhailov

Rio de Janeiro, 19 de setembro de 2011.
Paulo Antonio Guedes de Lima e Silva Ricardo Brenck

Administrador Judicial Diretor Técnico de Carabina, Pistola e Rifle



ANEXO A

Programa de Provas


  1. As Provas Olímpicas e ISSF deverão ocorrer necessariamente nos dias definidos.

  2. Algumas Provas Especiais estão previstas para mais de um dia e caberá ao local de realização a escolha do(s) dia(s) em que deseja executá-las.

  3. O local de realização poderá também definir que provas deseja realizar em uma etapa, com exceção do local sede presencial que executará todas.

  4. Os itens 2 e 3 podem ocorrer somente se houver aviso prévio do local de realização a todos os seus atletas.

E - Especiais M - Masculino F - Feminino



Dia

Linha

E

Prova

M

F

Sexta

10m

X

Carabina Mira Aberta de Ar

X

X

25m

X

Duelo 20 Segundos

X

X




Pistola de Tiro Rápido Masculino

X







Pistola Standard Masculino

X




X

Carabina Mira Aberta 25m

X

X

50m




Carabina Deitado Feminino




X

X

Carabina Mira Aberta 50m - Calibre Maior

X

X

 

Sábado

10m




Pistola de Ar Masculino

X







Pistola de Ar Feminino




X

X

Carabina Mira Aberta de Ar (prioridade para Pistola de Ar)

X

X

25m

X

Duelo 20 Segundos

X

X




Pistola de Fogo Central Masculino

X







Pistola 25m Masculino (Para-atleta e Júnior)

X




X

Carabina Mira Aberta 25m

X

X

50m




Carabina Deitado Masculino

X







Carabina 3 Posições Feminino




X




Carabina 3 Posições Masculino

X




X

Carabina Mira Aberta 50m - Calibre Maior

X

X

X

USBR

X

X

FT

X

Field Target e Hunter Field Target

X

X

300m




Fuzil Livre Deitado Masculino

X

X




Fuzil Standard Masculino

X

X

X

Fuzil 3 Posições Masculino

X

X

X

NRA

X

X

X

F-Class

X

X




Domingo

10m




Carabina de Ar Masculino

X







Carabina de Ar Feminino




X

X

Carabina Mira Aberta de Ar (prioridade para Carabina de Ar)

X

X

25m

X

Duelo 20 Segundos

X

X




Pistola 25m Feminino Feminino




X

X

Carabina Mira Aberta 25m

X

X

50m




Pistola 50m Masculino

X




X

Carabina Mira Aberta 50m - Calibre Maior

X

X

X

USBR

X

X

FT

X

Field Target e Hunter Field Target

X

X

300m




Fuzil Livre Deitado Masculino

X

X




Fuzil Standard Masculino

X

X

X

Fuzil 3 Posições Masculino

X

X

X

NRA

X

X

X

F-Class

X

X

ANEXO B

Controle de Alterações deste Documento
12/01/2011 - Criação deste documento
20/01/2011 - Divisão de algumas provas especiais em classes de acordo com o item III b.2.8
Inclusão das provas de USBR, Field Target, Fuzil, NRA e F-Class
Alteração do Programa de Provas no Anexo A
04/05/2011 - Normatização do nome de prova - passa a se chamar Carabina Mira Aberta 25m - Calibre Menor para esclarecer o calibre permitido nos eventos do Campeonato Brasileiro
Nova redação para o item n que regula o assunto Recorde Brasileiro.
19/09/2011 - Normatização do item q. - Campeonato Brasileiro


Página de



Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal