Confissões de um pastor



Baixar 1.21 Mb.
Página1/14
Encontro16.01.2018
Tamanho1.21 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   14



CONFISSÕES DE UM PASTOR – ‘A SAGA DE UMA SEITA MALÍGNA’ – DE: PAULINHO SOUTO MAIOR


CONFISSÕES DE UM PASTOR

A SAGA DE UMA SEITA MALIGNA
PAULINHO SOUTO MAIOR

EDITORA:
UNNO RECORD DO BRASIL LTDA.

CNPJ 01981284/0001-07



RADASHI DISTRIBUIDORA
radashidistribuidora@gmail.com

CAPA:
Jaquellinne Rockfeler
jaquelinnerockfeler@hotmail.com

DESINGN:
revistadoestudante@pop.com.br

EDITORAÇÃO:
cclube@gmail.com
REVISÃO:
Elaine Cleide
COLABORADORAS REVISÕES:
Lívia Evangelista
Heloísa Prado

ESTA HISTÓRIA É BASEADA EM FATOS REAIS

QUALQUER SEMELHANÇA NÃO EXISTIRÁ HIPÓTESE

DE COISCIDÊNCIA.

CONFISSÕES DE UM PASTOR


A SAGA DE UMA SEITA MALÍGNA

PAULINHO SOUTO MAIOR

Toda mulher sábia edifica a sua casa; mas a tola a derruba com as próprias mãos.

Provérbios 14.1




DEDICATÓRIA
In memória
Dedico essa obra, àquela que escreveu toda a história de minha vida, sem esta pérola preciosa, a vida para mim não teria qualquer significado.

Paulo Roberto Souto Maior



PREFÁCIO

Em meio a tantas violências e turbulência sociais em nosso país, vivemos como que sem tempo de alimentar nosso espírito com palavras que vêm direto do coração de Deus. Percebemos em nosso dia a dia, que; cada vez mais, aglomeram-se literaturas que denigrem a alma e o caráter do ser humano.

O Pr. Paulo Roberto, no entanto, o polêmico e ousado escritor e aspirante a cineasta Gospel, presenteia-nos com um novo estilo literário.

Quem já leu ou lê as obras de Paulinho, como carinhosamente o tratamos, conhece a sabedoria e os incomensuráveis tesouros que afloram de seu interior. Seus assuntos são abordados de maneira consciente e de fácil entendimento. ‘Confissões de um pastor’, não foge desse princípio. É mais que um livro: é uma obra de arte.

Com eloqüência e dedicação a tudo que faz, e; a vida que viveu, Paulinho sempre extraiu de uma maneira simples, a pureza do amor, da sinceridade e a transparência do seu seguimento de evangelho, de modo que, até seus atos, muitas vezes são confundidos e condenados. E isso dado o fato de alguns preferirem conviver como hipócritas religiosos a terem a companhia de alguém que verdadeiramente desteme se apresentar como é – sem medo de rótulos ou julgamentos – . Confissões de um pastor não é apenas um livro, mas O LIVRO. Uma literatura que prende, ensina e emociona. Mas que isso, é parte vivida, sofrida e sentida de um homem que teve vários bloqueios em sua vida, onde seus ideais e objetivos, encontraram-se por diversas vezes frustrados por lideres evangélicos que o chantageavam tentando delinear a vida que Paulinho deveria viver e não a que ele de fato pudesse viver.

Não foram apenas pastores e lideres evangélico, santos ou pagãos, satanistas e padres, que transtornaram e tornaram a vida desse homem num inferno. Em um outro sub -‘mundo’ – espiritual – anjos e demônios interferiram na história de vida desse homem, e o usaram como marionetes e objeto de seus planos, usurpando de Paulinho o direito de ser ele mesmo e de viver livre a sua vida como qualquer pessoa desse mundo.

Mesmo assim, jamais vi esse homem perder o seu brilho de lutar e encarar a vida com muito esmero e muita garra.

Confissões de um pastor é uma obra que mexe com quase todos os valores de alguém, o ético, social, e; acima de tudo, o emocional.

Com singeleza, Paulinho abre o seu coração e narra coisas jamais conhecidas por milhares e milhares de pessoas no mundo.

Sua transparência em seus escritos, mostra de fato, a face da religião que se apresenta ante o mundo como uma ovelha inocente, mas que tem em seu caráter e personalidade, a monstruosidade de um animal selvagem, que sem amor ou piedade, destrói o coração e a alma daqueles que nele se aprofundam e tentam desmascará-la.

Amor, ira, suspense, drama, comédia, esses são alguns dos “ingredientes” que nos fazem viajar por essa brilhante história.

Confissões de um pastor é uma obra prima que deve ser lida não só por leitores leigos ao assunto, mas por povos de todos os tipos e camadas sociais. Porque não dizer também por líderes eclesiásticos, para que entendam melhor a Saga de uma Seita maligna.

Pr. Alcebíades Louzada da Fonseca

Ministério Radashi do Rio Grande do Sul

INTRODUÇÃO

Para entendermos um pouco do que seja a vida, é necessário conhecermos o PORQUÊ de nossa existência, isto PORQUE milhões de pessoas vivem a questionar o PORQUÊ dos PORQUÊS.

Logo, quando criança, após nossos primeiros passos – devido à vasta curiosidade infantil, as tagarelices começam a surgir e, com elas, as indagações dos PORQUÊS das coisas, e essas perguntas são dirigidas primeiro AOS PAIS:


  • O que é isso, mamãe? E por quê?

  • O que é aquilo, papai? Por quê?

Embora os pais tenham as respostas mais claras e objetivas, os porquês sempre surgirão como incógnitas sem soluções na mente surrealista de cada criança.

  • Mas... Por quê? E por quê?

E assim, sucessivos PORQUÊS nos fazem rir, porque esgotam nossas respostas e não temos razão nem justificativa para entender o PORQUÊ dos PORQUÊS nas mentes infantis...

Então, a adolescência chega também cheia de questionamentos, e com ela, um mundo novo também se apresenta para nós. É quando começamos a entrar em choque com tudo. As perguntas surgem (as mais adversas possíveis), mas, agora, não mais bombardeamos nossos pais com questionamentos – e se nos direcionamos a eles para indagarmos algo, fazemo-lo sempre em tom de rebeldia. Isso ocorre porque os maiores questionamentos agora são dirigidos A NÓS MESMOS: - “Por que nasci? Por que vim a este mundo? Por que não posso fazer isso ou aquilo? Por que meus cabelos são assim?”.

Com um pouco de paciência e as opiniões dos colegas, vamos tocando o barco para frente e aceitando tudo com grande esforço.

Mas a vida adulta chega e nem sempre corre tão bem conforme nós almejamos. Então, entre dúvidas e incertezas questionamos, agora, à VIDA:



  • Por que isso não dá certo para mim? Por que é tão difícil? Por que eu não consigo realizar esse objetivo? Por que não consigo ser feliz?

Logo percebemos que o clima de insatisfação nos assola de longa data. Então, para preenchermos esse vazio em nosso interior, tentamos empurrar a “vida com a barriga”, entrando no supérfluo sistema que o mundo nos mostra.

Nesse clima de interrogação, buscamos para nós algo que preencha o PORQUÊ que nos falta. Como? Apegando-nos às mazelas milenares com as quais os chamados “gurus” ou ditos “mentores e mestres espirituais” nos engodam.


SABENDO...
Vivemos no conhecido “mundo cão”... Faz sentido. E a verdade é que nos sentimos como que jogados nesse “universo de meu Deus” e perdidos nesse imenso cosmo, apenas para fazer “figuração”.

A desavença entre Deus e o diabo no reino celestial tornou o homem o objeto da competitividade. Satanás tornou-se inimigo de Deus, e, agora, os dois Supremos disputam carne e unha para ver quem consegue arregimentar mais seres humanos para seus reinados.

Somos alvos de dois reinos e de dois deuses extremamente opostos. Parece até que nós, os humanos, somos marionetes. Os mamulengos terráqueos.

O interessante é que mais da metade da população humana desconhece como terminará essa jornada da primeira vida e com quem iremos viver nossa eternidade.

O tabuleiro foi armado no Céu, o jogo começou no universo, a partida é aqui na terra e nós somos as peças. Mas quem será o vencedor? Deus alega ser o Autor da vida eterna, mas... o diabo também. E daí? Não viveremos até o Dia do Juízo para ver como tudo terminará, pois quem assistirá essa peleja é nosso espírito. Mas para nós que ainda estamos vivos, o que importa é que queremos ser felizes aqui. “Que se dane o outro lado da vida”.

Como alcançar tal felicidade? Só Deus sabe! E será que sabe mesmo? Se souber, precisamos arrancar dEle a verdade oculta. Mas Deus não é Deus do oculto, então como tirar dEle essa verdade? Mas se Cristo é a verdade absoluta, e agora? A verdade é Cristo e pára por aí?

Sabemos que essa peleja entre esses Supremos saiu do Céu, ultrapassou o Universo e veio para a Terra. Logo, temos uma única certeza: existem duas opções de credos e dois seres brigando por nós.

Embora não tenhamos muito entendimento sobre o assunto, isso afeta nossa vida tanto no campo material como no espiritual. Além de sermos disputados “a tapas” por Deus e por Satã, estes enviam seus seres espirituais como representantes legais para pelejarem por nossas vidas.

Além do mais, somos também disputados ainda pelos sistemas de seitas e de credos religiosos – ou seja, seitas, religiões e heresias se infiltraram como objetos de representações desses Supremos e participam da grande disputa pela conquista das almas humanas.

Então, concluímos que: não são apenas Deus e seus anjos, e Satã e seus anjos quem lutam para nos arregimentar para sua glória de final de campeonato. Temos também a religião, com seus mentores, líderes, mestres e gurus espirituais, auto-intitulados representantes desses deuses para arregimentar soldados e alistá-los numa guerra que no final terá por nome de: ARMAGEDON.

Como ficaremos imunes a esses ataques dos deuses, dos anjos ou de seus representantes? Como nos livraremos dos seus adeptos nesse pequeno planeta? Será que conseguiremos deserdar, antes de nos arregimentarem em seus grupos? Sei não...

Seja na rua, no trabalho, através dos meios de comunicações (como rádios, revista ou televisores), seja em nossos lares, nos veículos de transporte ou até mesmo nos outdoors – dentre outros – sempre existe alguém que procura nos empurrar uma receita espiritual exótica goela abaixo. Eles acham que somos vasos sanitários capazes de recolher em si quaisquer excrementos, rotos existentes nesse planeta. Estão sempre tentando nos enfiar garganta abaixo suas ideologias de credos.

Até mesmo quando estamos sozinhos, somos assolados por setas espirituais que entram como veneno em nossa mente. Então, ficamos na dúvida acerca de qual poder está lutando por nós – e isso quando não somos traídos por nossa própria alma, ou nos entristecemos pelo choro do nosso espírito.

A verdade é que fomos criados para sermos os alvos; por isso, alguém sempre quer-nos “pegar”, e a luta é tão grande, que reflete no nosso modo de ser, de viver e até em nossa maneira de falar.

Há vastidões de conselhos e conselheiros físicos e espirituais que chegam a confundir nossas mentes. O fato é que, o desespero em que muitas vezes nos encontramos faz com que não percebamos que estamos caindo em mais um precipício chamado “sistema religioso”, sem ao menos dar-nos conta de que estamos diante de vários preâmbulos espirituais – pois, como diz o adágio popular: “De médico e louco todos [eles] têm um pouco”. Cada qual tenta nos indicar um “caminho”.

Se pesquisarmos a fundo, perceberemos que esses conselheiros também estavam perdidos um dia, e a crença que eles têm agora, é o resultado da “vitória” por parte da conquista de algum outro ser “espiritual” ou de outro malfadado líder. Assim, tais conselheiros afetados também querem nos impor suas verdades. Um círculo vicioso concêntrico vulgar.

Mas... Como acreditar? E por parte de quem, são eles representantes: De DEUS? De SATÃ? Dos ANJOS? GURUS ou do SISTEMA?

O mais ilógico de tudo é que Satanás não se considera um “deus”, mas o “deus todo-poderoso”. E há quem acredite. Pode? Então, concluímos que: nesse imenso Universo, somos e estamos à mercê da chamada “deusa sorte”. Ceará?... Belém... Eu acho que não.

Somos seres pensantes, mas nem isso, nós temos direito de fazer sozinhos, pois há sempre algum ser espiritual atropelando nossos pensamentos, seja para o bem ou para o mal.

Nosso homem interior (EGO), conhecido pela Ciência como SUBCONSCIENTE, parece estar dividido contra nós.

Dois pensamentos maléficos também nos assolam constantemente:


  1. O do nosso ego e,

  2. O das trevas.

Só que nosso “ego” se subdivide em vários egos. Em meu outro livro: O ENÍGMA DA VIDA, falo sobre tudo isso.

A verdade é que não nos pertencemos a nós mesmos, não temos direito algum sobre nós mesmos, e ainda existem estudiosos incautos – com base não sei em que – os quais afirmam que temos livre-arbítrio. Não existe o ficar em cima do muro; ou somos do diabo ou de Deus. Ou servimos a Satanás e aos seus deuses ou a Deus e Seu Filho.

Foi-nos tirado o direto de sermos livres, de pertencermos a nós mesmos, de escolhermos ou optarmos pela neutralidade, de pensarmos sozinhos. Ninguém pertence a si. Dois líderes, vários deuses e uma disputa... E nós, humanos: OBJETO dessa labuta.

Ou você segue a Deus ou a Satã. Não existe meio-termo. O homem não tem liberdade de escolha NUNCA. Você é obrigado a optar por alguém, mesmo que não queira ficar nem de um lado, nem do outro. Se não optar por nenhum dos dois, aparece qualquer um ‘deus’ e lhes arrebata “na marra”. Você tem que ser de alguém... E aí?

Assim, de nada adianta dizer: “Eu posso utilizar o meu livre-arbítrio de decidir se quero ir para o céu ou para o inferno?” Nem isso você pode escolher, pois até para uns povos hoje conhecidos como crentes evangélicos, Jesus disse: ‘Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei (João 15.16a).

Em outra passagem Ele diz: ‘Tudo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora (João 6.37).

Então, perceba que, até para ficar do lado de Deus, você tem de ser escolhido ou... FORA!

Essa conversa dos crentes lhes propor “aceitar Jesus como Salvador” é balela! Perceba, pelos versículos acima, que Deus é quem o escolhe, e o leva a Seu Filho em hipótese alguma é você quem se dá a Eles.

Poderia citar aqui vários versículos bíblicos pelos quais vemos que ninguém aceita Jesus como o suficiente Salvador (como pregam os crentes). É Deus quem primeiro escolhe “seu predileto!? ” Ou seja; aquele que ele já separara antes da fundação do mundo e... envia a Seu Filho.

O apóstolo Paulo vai ainda mais fundo em sua carta aos Efésios, capítulo 1, versículo 4. Ele diz: ‘Assim como nos escolheu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor’.

O povo de Deus na terra foi escolhido antes da fundação do mundo, logo; quando Jesus veio, e, até a época de hoje, Deus já tinha (tem) seus escolhidos. Ele o envia a Jesus e, se a pessoa crê... Aplausos!

Mas você pode me argüir: “Se eu não for um escolhido de Deus e não desejar Satã, tampouco querer ir para o inferno com ele, para onde vou?” Não adianta apelar, caro leitor. Ou vai... ou vai...

Sem essa de poder optar, porque ‘os prediletinhos Dele’ já foram escolhidos antes da fundação do mundo, e os únicos que tiveram livre-arbítrio foram: Adão e Eva e, posteriormente, o Filho de Deus, JESUS CRISTO.

Adão e Eva, infelizmente, escolheram a morte no lugar da vida e nos carregaram com eles nas coxas para o vale da incoerência (leia Gênesis capítulo 3). Eles transgrediram e a essência do mal adentrou, implantando em nós a genética da perfídia pecaminosa.

Jesus Cristo escolheu a vida, porque Ele é a Vida e o Autor da vida. Ele veio para dar vida, mas só para a vida que já esteja envolvida com Sua vida. E essas vidas já foram escolhidas antes de virmos à existência.
Uma das maiores investidas de Satã no nosso planeta foi à criação do seu próprio credo, ou seja, Satã criou a religião da inexistência. Ele elaborou uma fórmula inteligentíssima de fazer com que parte da população da Terra não acredite na sua existência como um ser vivo. Assim, os povos lhe dão abertura para fazer o que bem lhe aprouver, ou seja, escolher aqueles que sem livre-arbítrio ou conhecimento de causa não tenham direção.

Por outro lado, temos nossos mentores espirituais da fé, que insistem em gritar bem alto para o mundo à existência de Satanás, e isso com a conivência do próprio diabo.

Se satanás não existisse, não existiria tal mercantilista, os mercenários da fé. Os mentores da puberdade espiritual da grana. E é claro, não haveria seitas e os crentes e católicos deixariam de existir.

Você seguiria a Cristo se soubesse que não ia para o inferno? Sei...


JÁ TENTOU ENTENDER A SATÃ?
O cara é louco! Inventou mais de três milhões de seitas e heresias diferentes, classificou-as por ordem de credo e hierarquia e tem um dos maiores organogramas administrativos do universo para satisfazer todas as espécies de incautos espirituais.

Certa vez ele me disse:



  • Ajo de acordo com o querer e o pensar de cada um – Pode?

Por outro lado, Deus segue apenas uma linha de raciocínio. Mas...


JÁ TENTOU ENTENDER DEUS?
Você fica louco! Certa vez, Ele me disse:

  • Sedes santo, porque eu, o Senhor, sou santo...Pode?

*****


A sede de um desejo material provém de uma necessidade interna, ou seja, da sede espiritual. Mesmo quando nos encontramos firmados em qualquer segmento religioso, há algo em nosso interior que brota como uma sensação de “quero mais”. Necessitamos de um “deus” que preencha o nosso vazio e, por isso, vivemos em busca das enigmáticas da sobrevivência. É como existisse um vácuo enorme em nosso coração; percebemos que somos incompletos, que sempre nos falta algo.
Tantas e tantas vezes nos reunimos com amigos para contar piadas, brincar, passear, sorrir e nos divertir, tentando esquecer ou até mesmo transparecer a depressão ou a falta de algo em nosso interior, que nós mesmos não temos entendimento do que seja. Mas... quando estamos sós, no aconchego de nossa casa, prontos para dormir, o travesseiro chega a ser testemunha dos incômodos mentais, dentre os turbilhões de pensamentos que invadem e assolam nosso cérebro.
Então, buscamos entrar no tal sistema que a vida nos apresenta, para vermos se encontramos uma saída ou um escape de tudo aquilo que estamos passando.

Sabemos agora que já não somos mais crianças. Tornamo-nos adultos e, embora tenhamos “todo o bem material de que necessitemos” (apesar de que nem todos têm essa graça, o que os faz sentirem-se ainda pior), parece que algo mais nos falta. É como se o nosso interior fosse oco.

Sem falar daqueles que estão à deriva, sem rumo e direção. Não sabem sequer como iniciar um ponto de partida. Perderam-se. Alguns sem casa... Outros sem emprego. Há os que adentraram no vício e os que se marginalizaram. Segundo cada ser, cada fórmula e todas as indagações, tornam-se infelizes “com” ou até mesmo “sem” motivo.

Seria isso um Karma?... É o que dizem... Mas que bicho é esse? Isso morde? Tem mãe?

Vivemos nesse mundo como se faltasse uma grande conquista, que está além dos parâmetros de nossa consciência e do nosso entendimento. Tudo isso nos faz viver limitados. É como se, de fato, nada desse certo para nós. Parece que tudo o que almejamos ou sonhamos sempre ocorre ao contrário do que planejamos ou escapa-nos pelos dedos.

Não quero citar apenas bens materiais, mas é que, na maioria das vezes, parece que estamos dirigindo na contramão e não conseguimos coisa alguma (a maioria se encaixa neste contexto). Quando pensamos que acertamos aqui, caímos mais adiante.

Será que jogamos pedra na cruz, como afirmam alguns incautos? Será que estamos pagando por uma vida passada? Pelo desmazelo que cometemos em outras “Eras”? Isso já era...

Isso é uma mentira. Deus não seria tirano de fazer você pagar um preço por um ser que você nem sabe quem foi ou o que fez. Isso não seria cármico, nem cômico e sim sarcástico.

“Então – você se pergunta – como e o que fazer com esse ‘troço de vida’? Como obter uma satisfação interior e pessoal? Como alcançar êxito, ter sucesso, paz no coração e conquistar a felicidade que desejo nessa guerra física, mental e espiritual em que vivo?”.

Diante desses borbotões de pensamentos, surgem, novamente, àqueles nobres conselheiros milenares. Alguns dizem que você tem de fazer o seu mapa astral, pois a sua casa do zodíaco não está combinando com o seu modo de ser; e a sua linha da vida não está em paralelo com a do seu signo, ou, quem sabe, a de Júpiter não está cruzando com a de Plutão ou Netuno.

Bem... Na verdade, entre uma linha ou outra, embora você tente programar suas paralelas, você perceberá que o que houve foi um choque entre o que você acreditou e o que realmente está acontecendo com você, e essas linhas só serviu para deixá-lo um tanto embaraçado.

Talvez você até tenha tentado crer, mas as linhas deixaram suas intuições mais enroladas. Daí você percebe que isso de linhas astrais não deu muito certo. Surge então uma decepção.


“Vamos partir para outro propósito” – pensa você. “Uma cartomante, quem sabe, seja a solução para o problema. Vamos ver o que dizem as cartas, afinal: elas não mentem jamais” – afirmou algum filósofo mentiroso. Então, começa a explicação:

  • Bem... A dama de copas é uma mulher atrapalhando o seu caminho; o rei de ouro é um marido rico que está para surgir em sua vida e o ás de paus...

Entretanto, não é nada disso que você está querendo saber, porque tudo o que lhe interessa é ter sua alma em paz, alegre e feliz, e que as coisas andem conforme o seu coração pede. Você se encheu de esperança... Mas, como tudo, um dia, cansa, você se cansa de esperar por algo que nunca aparece.

Agora, as cartas parecem estar mais embaralhadas que você. O jogo acabou. Outra decepção, e você se sente como se fosse: “CARTA MARCADA”.


Nessa peregrinação pela busca de alguma satisfação pessoal, sempre alguém tenta apontar-lhe o caminho de um “centrinho” para buscar ajuda. Fazendo talvez alguma “obrigação” para os chamados “guias” (não é favor que eles pedem), quem sabe, talvez, possa surtir algum resultado.

E quando você faz o que eles querem e o que mandam, logo surge aquela afirmativa que não combina bem com a sua personalidade. Eles dizem:



  • Você agora é meu burro.

Isso não lhe traz qualquer satisfação. Afinal, você não deseja ser um animal idiota. E dizer que você é “burro”... Nem “por favor” você quer ouvir isso, quanto menos por “obrigação”!
Deus fez o seu povo a imagem e semelhança dEle, não é o que dizem as Santas Letras? Apenas creia.

Embora o diabo tente atribuir-lhe outra semelhança, o povo de Deus tem a forma e a semelhança Dele, e acredito que Ele não tenha aspecto animalesco ou bestial. Você não ouviu falar que a besta do apocalipse ainda virá? E quem será? Por que então querem comparar você com ela? Você é uma pessoa inteligente, dotada de razão, um ser pensante, e não vai ser por “obrigação” que vão transformá-lo em uma “besta” idiota ou em um malfadado “asno”!

Surge, mais uma tristeza por outra decepção. Você logo percebe que, por ser macumba, a coisa não surte um bom resultado – senão o nome seria “boa-cumba” (afirmou, certa vez, o filósofo preletor: Bispo Macedo).
De repente você se depara com uma cigana, fazendo uma suposta leitura de mãos. Será? Não dá... É mais uma ilusão. Você percebe que a linha da sua mão também não está costurando bem; precisa ser alinhavada.

Tenta, então, a brincadeira do copo (quebrou).

Vai a algumas seitas evangélicas, que levam sua grana toda. Não dá!

Vai à Igreja Católica, reza, faz promessas e amarra fitinha no braço para, quando ela ficar podre e arrebentar, os seus desejos serem atendidos. Mas logo você nota que sua esperança foi quem apodreceu. Já era... Aquela estátua de santo mudo, cego, surdo e louco nem prestou atenção em você. Mas também... Pedir a um boneco de madeira, gesso ou louça! Tem certeza de que você está bem da cabeça?

Faz o mantra, mas não surte efeito... A yoga, mas não funciona (que dor no corpo gente, posição infernal essa)...

Talvez, quem saiba, a sua resposta esteja nos extras terrestres! Viixi... Está muito distante disso! Quem sabe em um centro de mesa? Pode ser nos búzios... Mas “Búzios” como resultado satisfatório só mesmo na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, Brasil... Lá é lindo demais!

Quem sabe alguma fada, algum duende ou gnomo pode dar jeito?... Já até materializaram o lendário Papai Noel! Então, talvez...

Na verdade, você não sabe mais em que acreditar, porque complicou tudo, perdeu-se. A lenda se mesclou com a ignorância, e a mentira com fatos. O mito virou incógnito e a lenda trouxe verdades ilógicas. Novamente não foi dessa vez.

Mas espere aí! E a numerologia? Qual seria o seu número da sorte? De repente, você pode jogar no cavalo... Afinal, já descobriu que não é nenhum burro!

Com tantas coisas estranhas, pode ser que você deseje se esconder dentro de uma pirâmide. Talvez, quem diria, precise de um parapsicólogo!

Diante de tantos conselhos milenares como estes, é provável você parar no divã de um analista ou no consultório de um psiquiatra!
São tantas baboseiras que nos ensinam que, ao final, você já não sabe mais no que crer ou seguir. Embora tudo isso sejam sintomas de uma insatisfação da alma e do espírito, se você não despertar em tempo, poderá acabar num hospício!
UM LEMBRETE BASTANTE ESPECIAL PARA VOCÊ GUARDAR EM SEU CORAÇÃO
Deus é espírito, seus anjos são espíritos, satanás – o inimigo de Deus – é um espírito, todos os demônios seguidores do diabo são espíritos. Os deuses são espíritos. Nós, somos carne, mas com um espírito habitando em nós



  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   14


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal