Conheça o instituto de pesquisas rodoviárias ipr



Baixar 22.92 Kb.
Encontro27.02.2018
Tamanho22.92 Kb.


CONHEÇA O INSTITUTO DE PESQUISAS RODOVIÁRIAS - IPR

O Instituto de Pesquisas Rodoviárias – IPR encontra-se subordinado a Coordenação Geral de Estudos e Pesquisas CGESP, que está vinculada a DPP (Diretoria de Planejamento e Pesquisa). Sua sede está localizada na cidade do Rio de Janeiro/RJ.


MISSÃO
A missão institucional do Instituto de Pesquisas Rodoviárias – IPR compreende, em linhas gerais, a pesquisa, a normatização, a transferência de tecnologia e, a assistência técnica ao DNIT e ao Ministério dos Transportes.
O IPR tem como atribuições específicas a elaboração de normas e documentos técnicos, a realização de treinamentos e capacitação de pessoal, auditorias e suporte técnico a Administração Pública.
Os trabalhos do IPR seguem a metodologia do Ciclo de Desenvolvimento Tecnológico (CDT) e são consenso nacional para os projetos e obras rodoviárias do País.

Os principais objetivos do CDT do IPR são:
- Identificar novos produtos, serviços e materiais;

- Desenvolver estudos e pesquisas geradoras de novas tecnologias;

- Desenvolver estudos e pesquisas em novos materiais rodoviários;

- Realizar testes e ensaios em materiais;

- Realizar projetos de dosagem de concreto de cimento e de misturas asfálticas;

- Controles tecnológicos de materiais de pavimentação;

- Assessoramento às obras rodoviárias nacionais;

- grupo 4Seminários, cursos e treinamentos.



LINHAS DE PESQUISA
Além da participação do IPR nos Grupos de Trabalhos coordenados pela CGESP, referentes à pesquisa, atualização de manuais e criação de normativos, o Instituto também participa de estudos, como:
- Criação do método mecanístico para dimensionamento de pavimentos asfálticos do DNIT, desenvolvido pela UFRJ/COPPE;

- Fragmentação ressonante de pavimento rígido in loco, visando a reutilização do material na reabilitação do pavimento;

- Estudo e planejamento de levantamentos com o equipamento ECODIM (leituras de reflectância para sinalização horizontal), em parceria com a CGPERT e empresas envolvidas;

- Avaliação do equipamento Curviâmetro, utilizado para medição das deflexões máximas e bacias de deflexão nos pavimentos flexíveis;

- Pesquisa sobre envelhecimento de asfaltos;

- Avaliação do produto GSB – 88 (produto que rejuvenesce e estende a durabilidade do pavimento asfáltico), com objetivo de estabelecer os passos necessários para o seu reconhecimento técnico;

- Projeto de norma de sub-base e base de brita graduada tratada com cimento;

- Estudos e pesquisas sobre rotas de produtos perigosos.



- Termo de Cooperação entre PETROBRAS e o DNIT, que trata de investimentos na implantação de infraestrutura laboratorial para execução de atividades de pesquisa e desenvolvimento tecnológico.

HISTÓRIA
Fundado em 29 de agosto de 1957, o Instituto de Pesquisas Rodoviárias – IPR nasceu vinculado ao CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). A partir da sua criação foi formado um contingente de especialistas e técnicos que desenvolveram novos conhecimentos a partir de intercâmbios realizados com organismos internacionais. O IPR também promoveu muitos congressos, seminários, palestras e encontros técnicos.
O Instituto produz normas, manuais, instruções, diretrizes e outros tipos de publicações técnicas. Seu acervo compreende um total de 389 Normas Técnicas (Coletânea de Normas) e 746 publicações técnicas diversificadas (Manuais, Diretrizes, Guias, Glossários).
Os estudos das normas e manuais do IPR são referência para obras no país inteiro e consultados em todas as esferas de governo: municipal, estadual e federal. Um exemplo de aplicação dos estudos desenvolvidos pelo IPR é a Ponte Presidente Costa e Silva, denominada Ponte Rio-Niterói, que é considerada um dos maiores projetos do mundo na sua categoria, seja pela sua dimensão – 14 km de extensão, sendo 9,7 km sobre o mar –, seja pela sua concepção. Inaugurada em 4 de março de 1974, ela é um trecho da rodovia BR-101 e permite o acesso da cidade do Rio de Janeiro a Niterói por sobre a Baía de Guanabara.
Historicamente, a construção marcou a vitória do desafio de vencer a diversidade de situações encontradas nos diferentes trechos de seu percurso (mares rasos, ilhas e mares mais profundos) com o uso de diferentes soluções técnicas para a construção das fundações. Assim, foram de fundamental importância os estudos desenvolvidos pelo IPR, já que as especificações preliminares para a construção da ponte exigiam métodos de execução dos diferentes serviços, qualidade dos materiais e controles que atendessem às normas estabelecidas.
Como exemplo dos estudos preliminares realizados pelo IPR, destacam-se os ensaios de cabos de protensão (tecnologia que confere ao concreto maior resistência à tração); ensaios de apoios de neoprene para ensaios de durabilidade do concreto em água do mar; ensaios de carga (destrutivos e não-destrutivos); ensaios dos componentes do concreto, tais como: resistência, peso específico, porosidade, absorção, penetração de água, permeabilidade, carbonatação (processo em que altas concentrações de CO2 aumentam as chances de ataque ao concreto), resistividade, além de controle do comportamento estrutural da superestrutura de concreto e comportamento estrutural dos pilares e fundações, entre outros.
O acervo de Publicações Técnicas integrante da Biblioteca Especializada do IPR contém cerca de 5 mil Documentos Técnicos, 746 Publicações Técnicas numeradas (Manuais, Guias, Diretrizes, Glossários, etc) e 400 títulos de periódicos. Dentre as publicações do IPR mais consultadas estão a avaliação de desempenho de pavimentos típicos brasileiros; roteiro para monitoramento de obras rodoviárias; manual de projeto de obras-de-arte especiais; guia de redução de acidentes com base em medidas de engenharia de baixo custo; instruções para a fiscalização do transporte rodoviário de produtos perigosos no âmbito nacional; manual de conservação rodoviária; manual rodoviário de conservação, monitoramento e controle ambientais; manual de pavimentação; manual de pavimentos rígidos; manual de sinalização de obras e emergências em rodovias, entre outros. Este conhecimento, produzido e alimentado pelos pesquisadores e técnicos do IPR, estão à disposição para o uso por todos os segmentos da sociedade, além de compor um contingente de troca técnico-científica entre entidades de pesquisa públicas e privadas nacionais e internacionais.
NORMAS
Quanto à natureza, a coletânea de normas divide-se em Classificação (CLA), Especificação de Material (EM), Especificação de Serviço (ES), Instrução de Ensaio (IE), Método de Ensaio (ME), Padronização (PAD), Procedimento (PRO) e Terminologia (TER). Conheça a coletânea de normas produzidas pelo IPR e também a relação das Normas Vigentes e Substituídas.
Também é possível consultar a proposta de versão preliminar de projetos para a elaboração de normas. Está disponível a versão preliminar do Projeto de Norma DNIT que trata de pavimentação - Sub-base ou base de brita graduada tratada com cimento - Especificação de serviço. A data limite para a apresentação ao IPR de sugestões e críticas é 14/07/2015.
MANUAIS
O IPR coloca à disposição, para consulta, todos os seus manuais. Conheça a coletânea de publicações mais procuradas entre as normas e manuais.
Por meio do Termo de Cooperação - TC n° 497/2012, firmado entre o DNIT e a UFSC/Labtrans, serão atualizados o Manual de Pavimentação, os manuais de projetos geométricos (Manual Geométrico de Rodovias Rurais; Manual Geométrico de Travessias Urbanas; Manual de Projeto de Interseções e Acessos) e o Manual de Sinalização e Segurança Viária. O IPR participa com a CGESP nas discussões técnicas e na consolidação da revisão dessa vasta produção técnica.
QUEM É QUEM
Coordenadora Geral de Estudos e Pesquisas - CGESP

Luciana Michèlle Dellabianca Araújo,Dsc.



luciana.dellabianca@dnit.gov.br

tel: (61) 3315.4831


Coordenadora Geral Substituta de Estudos e Pesquisas - CGESP

Anna Karina Chaves Delgado, Dsc.



anna.karina@dnit.gov.br

tel: (61) 3315.4831


Coordenador do Instituto de Pesquisa Rodoviária - IPR

Antônio Maurício Ferreira Neto

tel: (21) 3545.4757
Coordenador Substituto do Instituto de Pesquisa Rodoviária - IPR

Pedro Mansour



pedro.mansour@dnit.gov.br

tel: (21) 3545.4757



PASSO A PASSO PARA A SOLICITAÇÃO DE NORMATIZAÇÃO
1. Contato Preliminar com a CGESP, via email coorporativo cgesp@dnit.gov.br

2. Avaliação da CGESP para verificação do objeto e interesse da Autarquia pelo tema.

3. Contato via email da CGESP com a instituição demandante. Solicitação de encaminhamento de carta contendo a motivação do objeto da normatização juntamente com os estudos já realizados.

4. Análise técnica do material efetuado pela CGESP e IPR.

5. Criação de Grupo de Trabalho, composto de servidores da autarquia, pesquisadores e interessados e coordenado pela CGESP.

6. Quando for o caso, haverá a necessidade de firmar parcerias, convênios e termos de cooperação para o desenvolvimento do normativo. Providências neste sentido serão tomadas pela CGESP junto a DPP.

7. Ensaios, levantamentos de campo complementares e visitas técnicas, se couber, podem ser demandados pelo Grupo de Trabalho ao longo do processo de normatização.

PASSO A PASSO PARA A SOLICITAÇÃO DE ENSAIOS TECNOLÓGICOS
1. Contato com o IPR, via email, com o Coordenador do Instituto.

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal