Curso pré-nupcial um Manual para o Ministro



Baixar 132.71 Kb.
Página1/3
Encontro29.11.2017
Tamanho132.71 Kb.
  1   2   3

Curso Pré-Nupcial

Um manual para o Ministro

Sexo – Saúde – Filhos – Finanças – Família


Departamento Ministerial – 2003

Pr. Gilberto Fernandes Coelho

CURSO PRÉ-NUPCIAL - Um Manual para o Ministro

APRESENTAÇÃO
Num determinado tempo da história, Adão estava sozinho no Jardim do Éden. Deus viu a solidão do homem e decidiu: Vou fazer uma companheira para ele, uma auxiliadora à altura dele. (Gn 2:18 — BV). Feita da costela do homem, Eva foi conduzida por Deus à presença de Adão. Ao vê-la, ele exultou de alegria: Isto sim! ... Ela é parte dos meus ossos e da minha carne! (Gn 2:23 - BV). De acordo com a palavra de Deus, Esta é a razão porque o homem deixa de viver junto com seu pai e sua mãe e se une à mulher dele. E de tal maneira se unem os dois que se tornam uma só pessoa! (Gn 2:24 — BV). Essa é a verdade absoluta sobre a origem da família tradicional: com macho e fêmea.

Uma das tarefas da Igreja de Cristo é zelar pela pureza da família, de acordo com sua forma original (Hb 13:4). Para auxiliar no cumprimento dessa santa missão, a Diretoria Geral da Igreja Adventista da Promessa, através de seu Departamento Ministerial, lança o CURSO PRÉ-NUPCIAL, cujo objetivo é "ajudar os jovens noivos, prestes a contrair matrimônio, a refletirem sobre o casamento, a conhecerem o plano de Deus para ele, a base bíblica, as bênçãos ligadas a ele, direitos e obrigações".

Trata-se de um importante instrumento de orientação para a formação familiar, a ser utilizado pelos pastores e presbíteros da Igreja. Através deste curso, o consagrado saberá como orientar os noivos sobre os temas relevantes à nova vida que pretendem viver: desde paixão, amor, ciúmes, características da personalidade da pessoa amada, relacionamento interpessoal, do casal e de suas famílias, exames médicos necessários antes do casamento, companheirismo, procriação, prazer, tarefas domésticas, finanças, filhos, sexualidade, tabus, prática sexual, perversões sexuais, adultério, divórcio, aborto, cerimônia religiosa, até as questões legais sobre como agir corretamente, para que o casamento seja realizado de acordo com as leis civis brasileiras.

O autor deste curso, pastor Gilberto Fernandes Coelho, oferece ainda modelos de cerimônia e de sermão para serem utilizados nas Bodas de Prata e de Ouro, além de uma lista que determina os anos de casamento que poderão ser comemorados.

A Diretoria Geral espera que os pastores e os presbíteros da Igreja Adventista da Promessa coloquem em prática as orientações oferecidas no CURSO PRÉ- NUPCIAL, para que haja mais qualidade em todos os serviços que envolvem a formação e a manutenção da família cristã.

Diretoria Geral

Julho de 2003.

INTRODUÇÃO


O mundo convive com uma situação extremamente preocupante, que é o

enfraquecimento da relação conjugal, com a conseqüente desestruturação da fa-

mília. A Igreja, inserida nesse contexto, tem acompanhado com muita apreensão

e preocupação essa dura realidade que tem se abatido, também, no seio de algu-

mas famílias, dentro de seus arraiais. Para esses casos, tem sido dado um trata-

mento corretivo, e, para os casais, de um modo geral, um tratamento de manuten-

ção, através de aconselhamentos pastorais e de encontros de casais.

Por outro lado, a Igreja reconhece que o tratamento mais eficaz é o de caráter

preventivo, oferecendo antídotos contra toda a sorte de doenças que debilitam o

relacionamento conjugal e a família.

O presente trabalho foi elaborado com esta finalidade: ajudar os jovens noivos, prestes a contrair matrimônio a refletirem sobre o casamento, a conhecerem

o plano de Deus para ele, a base bíblica e as bênçãos para ele, bem como os

direitos e as obrigações de cada cônjuge.

Este Manual é dirigido a pastores e presbíteros, como instrumento de ensino

e de orientação. Assim, recomenda-se que nenhum casamento seja celebrado,

antes de os noivos serem submetidos ao curso pré-nupcial.

PASSOS A SEGUIR,

1) A partir do momento em que o pastor for comunicado sobre a data do enlace matrimonial, poderá agendar com os nubentes pelo menos dois encontros para a realização do "curso pré-nupcial".

2) As circunstâncias de datas e local devem ser estabelecidas em comum acordo com os noivos. O ideal é a própria igreja, numa sala de aulas, no gabinete pastoral ou mesmo no salão social, aos domingos, pela manhã, das 10 às 12h, por exemplo.

3) Na possibilidade de haver mais de um casal de noivos, o curso poderá ser realizado em grupo; isso enriquecerá em muito as discussões, tornando o encontro mais agradável e dinâmico.

4) E recomendável, na medida do possível, que a esposa do pastor o auxilie nessa agradável tarefa, compartilhando sua experiência de vida.

COMO INICIAR O CURSO

1) Preferencialmente, os encontros devem se iniciar com uma leitura bíblica, por exemplo: I Co 7:1-9, e uma oração.

2) O clima dos encontros deverá ser informal, leve, agradável e participativo.

3) A utilização de um flip-chart, como recurso visual, contribuirá para melhorar a didática de ensino.

4) O ministrante poderá iniciar com uma brincadeira saudável, por exemplo: uma "pegadinha" do tipo:

- VOCÊS SABEM A DIFERENÇA ENTRE O NAVIO, A TARTARUGA E A FAMÍLIA?

Dá-se um tempo para eles pensarem, estimulando-os a arriscarem uma res¬posta.

Após se esgotarem as possibilidades, você responde: "A DIFERENÇA ESTA EM QUE O NAVIO TEM O CASCO EM BAIXO E A TARTARUGA TEM O CASCO EM CIMA!"

Faz-se, então, uma pausa estratégica, para que alguém morda a isca. Ao mordê- la, o participante perguntará:

"E A FAMÍLIA?" Em seguida, você responderá, calma e sorridentemente: "A FAMÍLIA VAI BEM, OBRIGADO!"

OBS: Se o curso tiver a participação de mais de um casal e apenas uma pessoa souber da brincadeira, pede-se que ela conserve segredo para se alcançar o objetivo.

INDICAÇÃO DE LIVROS

Já de início, o ministrante do curso poderá indicar quatro opções de livros para leitura, que auxiliarão os noivos nesse período:

1) O Ato Conjugal - Autor: Tim Lahaye - Editora Betânia

2) Antes de Dizer Sim - Autor: Jaime Kemp - Editora Sepal/Mundo Cristão

3) O Lar Cristão - Autor: Jaime Kemp (apostila) - Editora Sepal

4) Como Salvar Seu Casamento - Autores: Dr. Les Parrot e Dra. Leslie Parrot - Editora Vida.

SEÇÃO 1: AUTOCONHECIMENTO E RELACIONAMENTO
ASSUNTOS A SEREM TRATADOS

1. DEFINIÇÃO DE CONCEITOS : PAIXÃO E AMOR

Estimule a participação de todos, pedindo a cada um que defina o conceito de paixão. Feito isso, trabalhe corretamente o seu verdadeiro significado.

1.1 PAIXÃO = Amor imaturo; sentimento passageiro; primitivo; meio irracional, pois leva a pessoa à pratica de comportamentos irresponsáveis. Exemplo: fugir com o namorado; casar sem o mínimo de recursos e de segurança, baseando-se em afirmações do tipo: "Vou viver de amor" etc.

"O relacionamento apaixonado dura no máximo quatro anos. Cientistas mais detalhistas estimam em dezoito meses para os homens e 36 para as mulheres. Pode ser muito menos em alguns casos". (VEJA-05/06/02).

Em seguida, peça a cada um o conceito de amor. Para fechar, trabalhe corretamente o seu verdadeiro significado, tomando como base bíblica I Co. 13:1 a 13.

1.2 AMOR = Sentimento maduro, responsável, duradouro, racional. (I Co 13:1-13)

SUGESTÃO: O que estimula bastante a participação é expor a seguinte pergunta:

EXISTE AMOR À PRIMEIRA VISTA?

Promova uma discussão interativa saudável, respeitando a opinião de cada um, sem pretender fechar questão.

1.3. SINAIS DE IDENTIFICAÇÃO

1.3.1 ASPECTOS EM COMUM

Ofereça uma folha em branco, um lápis ou uma caneta, a cada participante, solicitando que escreva os aspectos em comum, existentes entre ele (a) e seu (sua) noivo (a).

Exemplos: Eu e meu noivo apreciamos muito leitura.

Eu e minha noiva gostamos de viajar.

Eu e meu noivo gostamos de peixe assado, etc.

Na mesma folha, peça a cada um que responda a seguinte pergunta:
1.3.2 O QUE MAIS O (A) CHAMOU À ATENÇÃO EM SEU (SUA) NOIVO (A)?

Exemplos: Sorriso, simpatia, olhos, fidelidade, corpo, etc.

OBS: Concluída a tarefa, peça ao casal que troque os papéis, oferecendo tempo para que cada um leia o que seu (sua) noivo (a) escreveu a seu respeito. Pergunte se o casal gostaria de partilhar as informações com os participantes. Havendo interesse, aproveite a ocasião para trabalhar a interação entre todos.

O momento é importante para ressaltar o fato de que, apesar das diferenças existentes entre noivo e noiva, o amor, a fé e os demais aspectos em comum levantados são extremamente importantes, pois indicam uma forte tendência ao sucesso no casamento.

Nota: Poucos pontos em comum, ou seja, fracos sinais de identificação entre um casal são indícios de problemas à vista; significam que a relação precisa ser melhor trabalhada, refletida e amadurecida.

ATENÇÃO: Pode haver um desnível cultural entre os noivos, ou seja, um pode estar bem à frente do outro nos estudos. Isso se torna fator de incompatibilidade e causa desentendimentos e separações. Nesse caso, é recomendável que os nubentes ponderem entre si esse assunto, de maneira franca e respeitosa, visando a que entrem no casamento conscientes disso (estimule o investimento nessa área, para diminuir o desnível cultural ).

Cada pessoa tem o seu jeito próprio de ser: uma é calma, outra é agitada; uma é rápida, outra vagarosa; uma é sorridente, outra sisuda, etc.

O temperamento de cada pessoa foi forjado, estabelecido, durante os primeiros anos de vida, de acordo com a herança genética transmitida pelos pais e de acordo com o grau de relacionamento vivenciado, ao longo desse mesmo período.

Quanto ao temperamento, as pessoas podem ser: introvertidas e extrovertidas

Hipócrates (460 a 370 a.C.), médico da antiga Grécia, conhecido como "Pai da Medicina", classificou os temperamentos ou estados de humor, da seguinte forma:


1.4 TEMPERAMENTOS

SANGUÍNEO COLÉRICO

Qualidades e Defeitos Qualidades e Defeitos

comunicativo / pusilânime enérgico / iracundo

destacado / volúvel resoluto / sarcástico

entusiasta / indisciplinado independente / impaciente

afável / impulsivo otimista / prepotente

simpático / inseguro prático / intolerante

bom companheiro / egocêntrico eficiente / vaidoso

compreensivo/ barulhento decidido / autossuficiente

crédulo / exagerado líder / insensível

audacioso / astucioso


MELANCÓLICO FLEUMÁTICO

Qualidades e Defeitos Qualidades e Defeitos

habilidoso / egoísta calmo / calculista

minucioso / amuado tranquilo / temeroso

sensível / pessimista cumpridor / indeciso

perfeccionista / teórico eficiente / contemplativo

idealista / confuso conservador / desconfiado

leal / antissocial prático / pretensioso

dedicado / crítico líder / introvertido

inflexível diplomata / desmotivado

bem-humorado
Quadro extraído do livro TEMPERAMENTOS TRANSFORMADOS, Tim Lahaye: Mundo Cristão
Com base na descrição desses conceitos, você pode pedir a cada participante que identifique o seu temperamento predominante. E bom lembrar que, no plano de Deus, homem e mulher se completam: um compensa o outro; um equilibra o outro.

Acerca desse tema, não há como alterar o temperamento ou a personalidade de alguém, como num estalar de dedos, mas há como trabalhar isso. O primeiro passo a ser dado é a pessoa reconhecer que seu jeito de ser prejudica a si mesma e as demais pessoas que a cercam. O segundo passo é querer mudar para melhor, adotando uma postura de vida diferente e otimista. O terceiro passo é acreditar que isso é possível, sobretudo, porque o Espírito Santo é capaz de completar tal transformação.

1.5 RELACIONAMENTO INTERPESSOAL
1.5.1 Com o (a) noivo (a)

O cuidado nessa área da vida é determinante, ou seja: dele, dependem a qualidade de vida e a felicidade do casal.

O relacionamento poderá fazer da vida do casal o próprio céu ou o próprio inferno.

Pergunta:

Por que, durante o namoro e o noivado, as coisas foram tão bem para muitos casais, e, alguns anos após o casamento, tudo desmoronou?

Basicamente, foi pelo descuido que os casais deixaram de se enamorar, abandonaram o cultivo do tratamento romântico, respeitoso e não investiram na prática da comunhão com Deus.

Todos nós podemos aprender e desenvolver habilidades para mantermos um relacionamento saudável e profundo, principalmente com a pessoa que amamos e escolhemos para termos ao nosso lado, durante toda a vida.

Assim, precisamos nos esforçar para sermos mais humanos, mais sensíveis, mais gentis, mais alegres, mais otimistas, mais carinhosos; depende de nós!


1.5.2 Com os familiares

Deus diz assim: "Deixará o homem, pai e mãe e se unirá à sua mulher e serão ambos uma só carne" (Gn 2:24).


O verbo "deixar" tem implicações de ordem social, emocional e financeira: social, porque exige o afastamento do núcleo familiar de origem, da convivência diária na casa paterna; emocional, porque exige rompimento da dependência afetiva dos familiares; financeira, porque exige independência e autonomia para gerir seu próprio sustento e de sua nova família.
Trabalhe com os participantes a seguinte questão:

Muitos casais têm enfrentado sérias dificuldades em função de não terem cortado o cordão umbilical (compartilhe situações sem citar nomes).


Pontos a serem ressaltados:

- Não se trata de divorciar-se da família de origem.

- Não se trata de menosprezá-la.

- A questão é estabelecer limites, para que a família não interfira na convivência do casal.

1.5.3 Ciúme

Este é um sentimento que tem tornado a vida de muitos casais um verdadeiro tormento. Para discorrermos sobre esse assunto, é bom lembrarmos que todos nós, seres humanos, somos, até certo ponto, possessivos, ou seja, lutamos pelo que é "nosso" e defendemos, para que continue sendo "nosso". Todavia, o ciúme revela insegurança, egoísmo e possessividade:

Insegurança: Indica medo de perder a pessoa amada; sinal de que a relação ainda não encontrou a solidez e a maturidade necessárias para um passo mais sério em direção ao futuro.

Egoísmo: A insegurança se apóia no egoísmo, para que a pessoa amada esteja presa à pessoa egoísta.

Possessividade: É preciso exercer controle sobre a possessividade, não permitindo que ultrapasse o limite da fronteira que seria considerada "normal", a ponto de não tornar a relação ou o casamento uma jaula, em que a pessoa amada esteja sob constante vigilância, 24 horas por dia. Esse tipo de ciúme é doentio (patológico) e a pessoa portadora necessita ser tratada; caso contrário, viverá sofrendo e fará sofrer a pessoa amada.

Compartilhe exemplos de pessoas ou de casais extremamente ciumentos, citando determinados comportamentos reveladores de insegurança, egoísmo e de possessividade (sem mencionar nomes ).

SEÇÃO 2: SAÚDE

2. EXAMES MÉDICOS PRÉ-NUPCIAIS

Os jovens casais deverão ser orientados sobre a necessidade da realização de exames médicos, que têm caráter preventivo, no sentido de evitarem que possíveis problemas fisiológicos sejam detectados tardiamente e tragam tristezas, frustrações e até sequelas graves para o resto da vida.
2.1 Relação dos exames pré-nupciais rotineiros para a mulher:

- Hemograma completo.

- Tipagem sanguínea, conhecimento do Tipo Sanguíneo ABO e RH, pois pode haver incompatibilidade sanguínea.

- Reações Sorológicas para Sífilis: Este exame é importante, uma vez que a Sífilis pode existir sem que o paciente apresente sintomas.

- Sorologia para Rubéola: Identifica se a mulher está ou não imune à Rubéola; se não, deve ser vacinada antes da gravidez.

- Sorologia para Hepatite B e C: Se a mulher apresentar o vírus B ou C, deve ter acompanhamento de um infectologista, para saber dos riscos de transmissões. Somente para o vírus C não há vacina.

- Sorologia para HlV: fundamental para o início de qualquer tratamento e futuras gestações;

- Exame de Urina.

- Exame de Fezes.
2.2 Para os homens, os exames pré-nupciais são:

- Hemograma completo;

- Tipagem Sanguínea;

- Reações Sorológicas para Sífilis;

- Sorologia para Hepatites;

- Sorologia para HIV;

- Espermograma (avalia a fertilidade masculina)

- Exame de Urina;

- Exame de Fezes.

Relação dos exames pré-nupciais extraída do site: www.noivarecasar.com.br


Explicação: É possível detectar qualquer problema de infertilidade, tanto no homem quanto na mulher, antes do casamento, a ponto de poder corrigi-lo depressa.

2.3 Atividade sexual em períodos de Menstruação, Gravidez e Pós- Parto.


2.3.1 Menstruação: A relação sexual não é recomendada no período menstrual, por aumentar a possibilidade de infecção. O colo uterino fica entreaberto, para permitir a saída do sangue do útero para a vagina. O sangue, por ser rico em nutrientes e oxigênio, é ótimo meio de cultura para bactérias. A penetração do pênis na vagina "empurra" conteúdo vaginal para cima, no sentido do útero. Como foi exposto anteriormente, a proliferação bacteriana é facilitada pela permeabilidade do colo uterino.
2.3.2 Gravidez: A relação sexual durante a gravidez é permitida, desde que seja confortável para a gestante. Existem contra-indicações, como sangramento vaginal, dores e trabalho de parto prematuro. Já nas gestações que não têm problemas, o casal se sente confortável para a relação; recomenda-se interromper, quando se completarem 8 meses de gestação. A partir daí, a prostaglandina - uma substância presente no esperma - pode estimular a contração uterina, desencadeando trabalho de parto prematuro, ou, raramente, rotura da bolsa de águas.
2.3.3 Pós-Parto: No período pós-parto, a recomendação clássica é para só haver relação sexual após 40 dias. Esse número é aleatório. O puerpério vai de 4 a 8 semanas. A cesariana, como cirurgia abdominal, com manipulação uterina, pede repouso de 30 dias; portanto, não permitindo atividade sexual. Além disso, existe a "ferida placentária", que pode ser sede de infecção, pelos motivos já expostos, durante a menstruação. Nos partos vaginais, com episiotomia (corte que é feito na vulva e na vagina para facilitar a passagem do nenê), o período de cicatrização, e, portanto, de repouso é o mesmo da cesárea, pelos pontos que são dados na vagina. Exceção poderia ser feita nos casos de partos vaginais sem necessidade de pontos, quando se pode ter o retorno da vida sexual em torno de 30 dias.

Item 2.3 - Fonte: Dr. Márcio Reis Furtado (médico ginecologista )

2.4 ABORTO

Num momento como o de preparação para o casamento, torna-se necessário tratar, também, o aborto com os jovens casais.

No Brasil, o aborto intencional é proibido por lei, salvo em situações de gravidez resultante de estupro e em caso de gravidez que ofereça risco de vida para a mãe, conforme artigo 128 do Código Penal, incisos 1º e 2º.

É bom lembrar que as mulheres estão sujeitas a sofrerem abortos involuntários ou espontâneos, por questões de natureza orgânica. Nesse caso, as que forem vítimas de tal infelicidade não estarão sujeitas a nenhuma pena e nem deverão sofrer sentimento de culpa.


Em nossa Igreja, o aborto foi tema apreciado por uma comissão prévia e, depois, discutido na 35ª Assembleia Geral, com o seguinte parecer final:

a) Ratificamos o parecer contrário à realização do aborto, ainda que a gestação seja resultante de relação carnal mantida mediante constrangimento, violência ou grave ameaça à mulher — estupro;

b) a comissão é contrária à realização de toda maneira de aborto, exceto quando existe, de forma equivocada, a necessidade de salvaguardar a vida da mãe;

c) incesto: a comissão é de parecer desfavorável à realização do aborto, mesmo na ocorrência de incesto, para a preservação da nova vida. O infrator, entretanto, deverá ser punido.

SEÇÃO 3: PLANEJAMENTOS
3. PLANEJAMENTO

Planejar é traçar, projetar, submeter a um plano, programar.

Se queremos ser bem sucedidos na vida, precisamos traçar os nossos passos tendo consciência de onde estamos e aonde queremos chegar. Um casal, especialmente em início de vida conjugai, só alcançará uma vida equilibrada, feliz e próspera, se aprender a projetar o futuro, ou seja, se antecipar aos fatos.

3.1 Planejamento financeiro: Não havendo controle, por mais que se ganhe, nunca será suficiente. Para os projetos da casa própria, do carro, dos móveis e utensílios, das férias, etc. funcionarem, garantindo o alcance dos objetivos é indispensável planejar. Outro aspecto importante para dar certo é o casal compartilhar de tudo, a fim de que ambos estejam lutando pela mesma causa.


3.2 QUESTIONÁRIO SOBRE FINANÇAS (prioridades)
Marque a resposta que descreve o seu pensamento acerca do item.

Use os seguintes símbolos para representar seu sentimento.

E – Extra

D – Desejável

U – Útil

N - Necessário


ELA ITEM ELE

( ) Seguros de vida ( )

( ) Televisor a cores ( )

( ) Mobília nova ( )

( ) Aparelho de som de última geração ( )

( ) Um carro ( )

( ) Planejar orçamento familiar ( )

( ) Adquirir a casa própria em 5 anos ( )

( ) Devolver o dízimo ( )

( ) Uma lava-louça ( )

( ) Animais de estimação ( )

( ) Jogo completo de porcelana para jantar ( )

( ) Esposa trabalhar fora ( )

( ) Férias todos os anos ( )

( ) Ar condicionado ( )

( ) Continuar estudos após casamento ( )

( ) Plano de saúde ( )

( ) Cartões de crédito ( )

( ) Compras a prazo ( )

( ) Salão de beleza semanalmente ( )

NOTA: Através desse questionário, é possível identificar o grau de maturidade dos noivos, quanto às prioridades, nessa área. Para isso, tire uma cópia para cada participante do curso, solicitando que assinale cada item de acordo com o grau de importância. Em seguida, compare a do noivo com a da noiva. Havendo discrepância, será necessário ajudá-los a se ajustarem.

3.3 Orçamento doméstico


- Ajude os noivos a fazerem um orçamento doméstico.

- Prepare cópias do "modelo de orçamento doméstico", de acordo com o número de participantes.

- Na aula, dê uma cópia para cada um.

- Cada casal deverá preparar o orçamento do primeiro mês de casamento com base em dados mais próximos da realidade.


MODELO DE ORÇAMENTO DOMÉSTICO

ENTRADAS VALOR

Renda semanal ou mensal R$ ____________

Marido R$ ____________

Esposa R$ ____________

Outra Fonte R$ ____________
TOTAL DE RECEITAS R$ ____________
SAÍDAS

O SENHOR DEUS (DÍZIMO) R$ ____________

Alimento R$ ____________

Moradia (aluguel ou prestação) R$ ____________

Vestuário R$ ____________

Água, luz, gás, fone etc R$ ____________

Condução R$ ____________

Prestações diversas R$ ____________

Impostos R$ ____________

Diversões R$ ____________

Estudos R$ ____________

Poupança R$ ____________

Mobília R$ ____________

Seguros R$ ____________


TOTAL DE DESPESAS R$ ____________

SALDO R$ ____________

RECEITAS-DESPESAS R$ ____________

3.4 QUANDO OS DOIS TRABALHAM FORA

Anos atrás, o papel de provedor do lar era exercido, exclusivamente, pelo homem. Com o passar do tempo, a mulher foi ganhando o seu espaço no mercado de trabalho, tanto em nome da necessidade financeira quanto em nome de sua valorização e sua realização pessoal.

Hoje em dia, é comum o noivo e a noiva trabalharem fora e iniciarem a vida de casados nessa condição. Isso é um fator positivo e garante um melhor padrão de vida. Por outro lado, exige de ambos compreensão e colaboração na realização das tarefas domésticas, a menos que possam pagar alguém para isto.


3.4.1 Dividindo tarefas domésticas: Assim como o homem divide, hoje, com a mulher o sustento do lar, é justo que divida, também, algumas tarefas domésticas, como: auxiliar na limpeza da casa, lavar a louça, limpar o quintal, cuidar de um filho pequeno, etc.

Não é justo a mulher chegar do trabalho e arcar, sozinha, com os deveres domésticos, enquanto o homem toma o seu banho e senta-se no sofá, até aguardar o jantar. É atitude de amor, de cortesia, de cavalheirismo, de companheirismo, de reconhecimento ajudar a esposa nessas tarefas.


3.4.2 Administrando as finanças: o casamento é visto como uma sociedade, cuja cota de participação é igual para ambas as partes: 50% para cada um, tanto em relação aos direitos quanto em relação aos deveres. Tendo em vista que a maior motivação para o casamento é o amor, não há por que um olhar o outro com desconfiança e não há por que cada um querer administrar o seu ganho de maneira isolada ou individualizada. Essa tem sido a causa de desentendimentos, de tristezas e até de separações entre casais. O que deveria ser sinal de bênção, torna-se maldição, por isso, disse Paulo: "Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males..." - I Tm.6:10.
3.4.3 Não utilize o dinheiro como arma; a vítima poderá ser você!

Expressões do tipo: "Isso eu comprei com o meu dinheiro!", "Não dependo de homem para me sustentar!", têm contribuído para a destruição de vários casamentos.


3.4.4 Administrar conta bancária "conjunta" é sinal de confiança mútua

Quer a esposa trabalhe fora ou não, administrar conta com o marido é uma oportunidade de sentir-se útil e valorizada (lamentavelmente, há casos em que isso não é possível)


3.4.5 Dízimos e ofertas

Fidelidade a Deus, nessa área, também é fator de bênção e de prosperidade. (Ml3:10): Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós bênção sem medida.



Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal