Data atualiz.: 11/11/2015 responsável



Baixar 13.44 Kb.
Encontro23.01.2018
Tamanho13.44 Kb.





CRITÉRIOS BÁSICOS DE EXECUÇÃO


DATA ATUALIZ.: 11/11/2015

RESPONSÁVEL: Engenheiros/Mestre de Obras / Encarregado


  1. Obra precisa ter organização e limpeza;

  2. A obra deve ser feita do tapume pra dentro, A vizinhança não pode nem precisa participar, assim não deve-se usar a frente do canteiro para depositar materiais, fazer massa, etc;

  3. Deve-se falar todos os dias sobre segurança do trabalho (cobrar e incentivar);

  4. Critique o projeto – use sua experiência para identificar e acusar o que falta, o que pode ser melhorado e o que não funciona.

  5. Sistema de Impermeabilização de Base ENTEC: A) 3 demãos de neltrol nos blocos e baldrames, sendo a última 1 dia antes no trecho que será iniciada alvenaria; B) Executar rede de drenagem (bidim / tubo Kanaflex / brita) ligando à rede de APluviais; C) Aplicar Colchão de brita (7 cm) e lona plástica preta antes do contrapiso do térreo;D) 3 primeiras fiadas de alvenaria c/ Sika 1.

  6. Testar obrigatoriamente a hidráulica antes de esconder as tubulações, mesmo que seja necessário usar caixa d’agua provisória. Cobrar teste do bombeiro.

  7. Testar antes da execução de forro, toda rede de APluviais, Esgoto e Incêndio. Todo ralo, Joelho, Curva, ou tubulação pendurada no teto deve ser presa com fita Walsiva.

  8. Testar obrigatoriamente por 48 horas, toda impermeabilização realizada. Subir as impermeabilizações, no mínimo 30 cm nas paredes.

  9. Após o teste das impermeabilizações a proteção mecânica deve ser feita com argamassa colante, antes de liberar a área para qualquer outro serviço ou para trânsito – ATENÇÃO: SEJA RIGOROSO!

  10. As descidas ou ralos de lajes impermeabilizadas devem ser feitos com joelho/conexão de 150 mm, de forma que a impermeabilização que vira dentro do ralo não prejudique a vazão/secção.

  11. Nunca se esqueça da impermeabilização externa da casa de máquinas.

  12. Testar com água em abundância os caimentos dos pisos para os ralos, assim que o acabamento for aplicado. A liberação de medições para fornecedores ou operários só deve ser feita após o teste de cada ambiente concluído.

  13. Usar pintura em esmalte sintético base d’água para toda tubulação e conexão de PVC que esteja exposta ao sol. Principalmente em coberturas.

  14. Tubulações que saiam na laje de cobertura devem ser em PVC Rígido ou Ferro Galvanizado, nunca em tubulações flexíveis ou outras que possam ressecar e permitir vazamentos. Caso haja necessidade de flexíveis, estes deve ser metálicos, ter isolamento e passar dentro de tubulação rígida ou galvanizada

  15. Tubulações que saiam na laje de cobertura devem sair na horizontal, ter cobertura e sifonamento para evitar retorno de água.

  16. Todo mármore e granito deverá ter seu fundo e laterais impermeabilizados antes da aplicação qdo aplicados no térreo ou área com ascendência de umidade. Para materiais claros utilizar impermeabilizante branco ou incolor.

  17. Leia sempre as instruções nas caixas dos materiais, principalmente, os pouco utilizados ou fora de padrão.

  18. Toda parede deve receber proteção sobre ela (Chapin), mesmo não constando em projeto. Este chapim deve ter caimento para dentro do telhado, a pingadeira que fica para fora deve ser em forma de “V” e não encostar na parede, para proteger realmente a parede.

  19. Aplicar peitoris em mármore/granito na parte inferior de janelas, antes das esquadrias.

  20. Executar em toda abertura de porta, verga em concreto, e toda abertura de janela, verga e contra-verga, com trespasso mínimo de 40 cm.

  21. Não fazer furos, onde exista impermeabilização, mínimo 20 cm acima.

  22. Todo telhado deve ser feito com critério: Pano do telhado bem encaixado e com caimento adequado, Cumeeira, Rufos, Calhas e descidas de águas pluviais suficientes. Mesmo que o telhado seja pequeno e que o projeto esteja indicando, nunca deixe apenas uma descida de AP numa calha, faça uma descida reserva. Preveja área técnica para ar condicionado, base de antenas, caixas, boyler.

  23. A Área Técnica para caixas d’água e Boyler deve obrigatoriamente ser impermeabilizada e ter ralo, como segurança para eventual problema de vazamento.

  24. As áreas técnicas devem ser executadas também com carinho e critério, sempre pensando na manutenção: Revestimento (simples) no piso e parede

  25. Devemos utilizar quadros elétricos prontos, que já venham conforme projeto.

  26. Checar se está previsto na obra: Pontos de água e elétrica para filtro em todas as bancadas, bebedouros; Infra-estrutura para CFTV (câmeras e alarmes); Pto de água atrás de geladeiras. Se não estiver, executar.

  27. Nas concretagens, não se esqueça do ensaio e mapeamento do concreto

  28. Avalie se sua obra precisa de um projeto de fachada c/ especificação do reboco, definição de juntas, teste de arranchamento, etc

Atenciosamente,


MARCONI EDSON FALEIRO FERREIRA

ENTEC – Consultoria e Engenharia

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal