DeclaraçÃo universal dos direitos dos animais



Baixar 94.12 Kb.
Encontro27.12.2017
Tamanho94.12 Kb.




TESTES EM ANIMAIS






Teste em Animais

Hoje em dia, quase todas as experiências científicas são realizadas em animais. Experiências na área de genética, na àrea farmacêutica, nas descobertas de novos remédios e vacinas,na àrea estética, em escolas e universidades. Antes do ser humano ir ao espaço, um outro ser vivo foi enviado antes, como experiência. Empresas que fabricam perfumes, cosméticos, cremes, sabonetes realizam experiências em animais antes de lançarem suas mercadorias. Será que é justo que os animais de laboratório sofram para que possamos usufruir dos produtos que a vida moderna nos oferece?

Nós da AILA não somos contra o progresso nem contra a tecnologia, porém somos a favor do desenvolvimento sustentável, onde devemos buscar fórmulas que combinem conforto, desenvolvimento e equilíbrio do meio ambiente. Há produtos que são verificados quanto à segurança via modelos de computador, in vitro (tubo de ensaio) ou em pele humana clonada, ou usando ingredientes já listados no registro da FDA de substâncias consideradas seguros. Muitas vezes, as experiências em animais são praticadas com requintes de crueldade, causando sofrimento físico e psicológico para esses animais.

Os Testes Mais Comuns

Teste de Irritação dos Olhos

É utilizado para medir a ação nociva dos ingredientes químicos encontrados em produtos de limpeza e em cosméticos. São observadas as reações causadas na pela e nos olhos de animais. Em testes para a irritação dos olhos, os produtos são aplicados diretamente nos olhos dos animais conscientes. Durante o período do teste que normalmente dura uma semana, os animais


podem sofrer de dor extrema e mutilação e geralmente ocorre a cegueira. Para prevenir que os bichos arranhem os olhos, são imobilizados em suportes, de onde somente as suas cabeças se projetam. É comum que seus olhos sejam mantidos abertos permanentemente através de clips de metal que seguram suas pálpebras. O teste normalmente causa danos irreparáveis aos
olhos dos animais, deixando-os ulcerados. No final do período eles são mortos para averiguar os efeitos internos das substâncias experimentadas. Os coelhos são os animais mais utilizados nos testes Draize porque são baratos e fáceis de manusear: seus olhos grandes facilitam a observação dos resultados.

Teste Draize de Irritação Dermal



Consiste em imobilizar o animal enquanto substâncias são aplicadas em peles raspadas e feridas (fita adesiva é pressionada firmemente na pele do animal e arrancada violentamente; repete-se esse processo até que surjam camadas de carne viva). Substâncias aplicadas à pele tosada do animal.

Teste LD 50


Abreviatura do termo inglês Lethal Dose 50 Perercent (dose letal 50%). É o teste para detectar qual a quantidade de substância que matará a metade do grupo de animais, num tempo pré-determinado, se ingerida ou inalada forçadamente ou, exposta de alguma maneira. Criado em 1920, o teste serve para medir a toxicidade de certos ingredientes. Cada teste LD 50 é conduzido por alguns dias e utiliza 200 ou mais animais. Durante o período de teste, os animais normalmente sofrem de dores angustiantes, convulsões, diarréia, supuração e sangramento nos olhos e boca. No fim do teste, os animais que sobrevivem são sacrificados. Anualmente, cerca de 4 a 5 milhões de animais nos EUA são obrigados a inalar e a ingerir (por tubo inserido na garganta) loções para o corpo, pasta dental, amaciantes de roupa e outras substâncias potencialmente tóxicas. Mesmo quando o LD 50 é usado para testar substâncias claramente seguras, é praxe buscar a concentração que forçará a metade dos animais à morte. Assim os animais têm de ser expostos a exorbitantes quantidades da substâncias proporcionalmente impossíveis de serem ingeridas acidentalmente por um ser humano. Este teste prova ser ineficaz porque os resultados variam muito dependendo da espécie do animal utilizado. Um prognóstico seguro da dose letal para os humanos é impossível de ser detectado através dos animais.

Testes de toxidade alcoólica e tabaco

Animais são obrigados a inalar fumaça e se embriagar, para que depois sejam dissecados.



Experimentos na área da psicologia

Estudo comportamental, incluindo privação da proteção materna e privação social na inflição de dor, ou seja, afastar os animais da convivência de outros animais, para a observação do medo; no uso de estímulos aversivos, com choque elétricos para aprendizagem; e na indução dos animais a estados psicológicos estressantes, como afastando-se os filhotes recém nascidos de sua mãe, por exemplo.



Experimentos armamentistas

Os animais são submetidos a radiação de armas químicas e biológicas, assim como a descargas de armas tradicionais. São expostos, ainda, a gases e são baleados na cabeça, para estudo da velocidade dos mísseis.



Pesquisas dentárias

Os animais são forçados a manter uma dieta nociva com açúcares, e hábitos alimentares errôneos para, ao final, adquirirem cáries e terem gengivas descoladas e a arcada dentária removida.



Teste de colisão

Os animais são lançados contra paredes de concreto. Babuínos, fêmeas grávidas e outros animais são arrebentados e mortos nesta prática.



Dissecação
Animais são dissecados vivos nas universidades e outros centros de estudo.

Práticas médico-cirúrgicas

Milhões de animais são submetidos a cirurgias nas faculdades de medicina.



Alternativas

O que são alternativas?

Definimos alternativas como recursos educacionais ou abordagens educativas que substituam o uso


de animais ou complementem práticas humanitárias de ensino. A educação humanitária no ensino de ciências pode ser encontrada quando:
- estudantes são respeitados em sua liberdade de escolha e opinião
- animais não são submetidos a sofrimento ou mortos em praticas educativas
- os objetivos educacionais são obtidos utilizando-se métodos e abordagens alternativas
- a educação estimula a visão holística e o respeito à vida

Alternativas são inovadoras

A adoção de métodos alternativos mantém a educação atualizada e sincronizada com o progresso tecnológico, com o desenvolvimento de métodos de ensino e contribuem para o pensamento ético. Mostram o respeito para com as considerações éticas dos professores e estudantes, e para com os animais. Com várias alternativas, os estudantes podem aprender em seu próprio ritmo. A qualidade da educação é acentuada, criando um ambiente saudável de aprendizagem com o mínimo de conflitos negativos, distração ou complicação. Muitos métodos humanitários de ensino são simples, previsíveis e repetitíveis, de modo que princípios experimentais e objetivos posam ser aprendidos eficientemente. A auto-experimentação pode ser altamente memorizável e divertida, e alternativas avançadas como realidade virtual e multimídia são excitantes no uso.



Alternativas são eficientes

O uso de alternativas e uma combinação de cuidados específicos no ensino possibilitam o alcance dos objetivos de ensino de qualquer prática com animais. Além do mais, estudos publicados que têm avaliado a eficiência de métodos alternativos tem mostrado que os estudantes que optam por alternativas aprendem tão bem quanto, e em alguns casos melhor, que os estudantes que utilizam o método tradicional de experimentação animal. Alternativas são mais econômicas também: muitas alternativas e mesmo métodos de ensino são baratas quando comparadas ao gasto com a manutenção, compra ou criação de animais. Outras alternativas requerem um gasto inicial considerável, mas os benefícios do investimento são aparentemente imediatos, e os custos podem ser cobertos à longo prazo, pois poupam o gasto exigido com o uso de animais.



Modelos e simuladores

Modelos e simuladores mecânicos podem ser muito úteis ao estudo de anatomia, fisiologia e cirurgia. Eles vão de modelos simples e baratos à equipamentos computadorizados. Modelos mecânicos como simuladores de circulação podem oferecer uma excelente visão de processos fisiológicos, e simuladores de pacientes ligados à computadores e manequins, e controles sofisticados de operação estão substituindo cada vez mais o uso de animais no treinamento médico.



Filmes e vídeos interativos

Filmes são baratos, fáceis de se obter, duradouros e fáceis de usar. Eles oferecem a possibilidade de repetição, utilizando câmera lenta, e mostrando detalhes em closes. A adição de gráficos, animações e elementos interativos podem acentuar o seu valor educativo; e com faixas audio-visuais os estudantes podem acompanhar uma gravação de um experimento enquanto monitoram os equipamentos que registram os detalhes do experimento.



Simulação computadorizadas e realidade virtual

Alternativas computadorizadas podem ser altamente interativas e incorporar outros meios como gráficos de alta qualidade, filmes, e frequentemente CD Roms. Eles podem ser baseados em dados experimentais atuais ou serem gerados de equações clássicas, e podem incluir variação biológica. Alguns permitem a adaptação pelos professores, de modo a possibilitar os objetivos específicos da aula. A aprendizagem através de computadores não apenas permite a exploração de disciplinas por novos caminhos e em grande profundidade, como também capacita os estudantes para um futuro onde a Informação-Tecnologia terão um papel dominante. Desenvolvimentos no campo da realidade virtual têm possibilitado o uso de técnicas de imagem de alta qualidade no trabalho de diagnóstico e tratamento no estudo e prática de medicina humana. Com as técnicas disponíveis atualmente, o desenvolvimento de novas alternativas computadorizadas e o aperfeiçoamento de produtos existentes é quase ilimitado.



Auto-experimentação

Estudantes de biologia e medicina de muitas universidades participam ativamente em práticas cuidadosamente supervisionadas onde eles são os animais experimentais para o estudo de fisiologia, bioquímica e outras áreas. Ingerindo substâncias como café ou açúcar, administrando drogas como diuréticos, e usando eletrodos externos para a mensuração de velocidade de sinais nervosos estão entre os muitos testes que podem ser aplicados em si mesmo ou nos colegas.



Uso responsável de animais

Para estudantes que precisam de experiências práticas com animais, tais necessidades podem ser supridas de diversas maneiras humanitárias. Animais que morreram naturalmente, ou que sofreram eutanásia por motivos clínicos, ou que foram mortos em estradas, etc., são utilizados em algumas universidades para o estudo de anatomia e cirurgia. Para estudantes que precisam do uso de animais vivos, a prática clínica é o método mais aplicado e humanitário; em alguns cursos de veterinária, por exemplo, a habilidade cirúrgica é aprendida pelos estudantes através de operações severamente supervisionadas em pacientes animais, em clínicas veterinárias.



Estudos de campo e de observação

Existe uma gama ilimitada de práticas alternativas que podem ser aplicadas através do estudo em campo. Animais selvagens e domésticos, e obviamente humanos, oferecem oportunidades para o estudo prático não invasivo e não prejudicial no estudo de zoologia, anatomia, fisiologia, etologia, epidemiologia e ecologia. Tais métodos podem estimular os estudantes a reconhecerem suas responsabilidades sociais e ambientais.



Experiências in vitro

Muitos procedimentos bioquímicos envolvendo tecido animal podem ser adequadamente experimentados em cultura de tecidos. Outros métodos in vitro, particularmente em toxicologia, podem ser utilizados microorganismos, cultura de células, substituindo o uso de animais e oferecendo excelente preparação para profissões em pesquisas humanas.

Para saber mais acesse o site: www.internichebrasil.org

Avanços Médico-Científicos SEM a Experimentação em Animais

01) Descoberta da relação entre colesterol e doenças cardíacas.

02) Descoberta da relação entre o hábito de fumar e o câncer, e a nutrição e câncer.

03) Descoberta da relação entre hipertensão e ataques cardíacos.

04) Descoberta das causas de traumatismos e os meios de prevenção.

05) Elucidação das muitas formas de doenças respiratórias.

06) Isolamento do vírus da AIDS.

07) Descoberta dos mecanismos de transmissão da AIDS.

08) Descoberta da penicilina e seus efeitos terapêuticos em várias doenças.

09) Descoberta do Raio-X.

10) Desenvolvimento de drogas anti-depressivas e anti-psicóticas.

11) Desenvolvimento de vacinas, como a febre amarela.

12) Descobrimento da relação entre exposição química e seus efeitos nocivos.

13) Descoberta do Fator RH humano.

14) Descoberta do mecanismo de proteína química nas células, incluindo substâncias nucléicas.

15) Desenvolvimento do tratamento hormonal para o câncer de próstata.

16) Descoberta dos processos químicos e fisiológicos do olho.

17) Interpretação do código genético e sua função na síntese de proteínas.

18) Descoberta do mecanismo de ação dos hormônios.

19) Entendimento da bioquímica do colesterol e "hipercolesterolemia" familiar.

20) Produção de "humulina", cópia sintética da insulina humana, que causa menos reações alérgicas.

21) Entendimento da anatomia e fisiologia humana.



Fonte: "Physicians Committee for Responsible Medicine"

50 Conseqüências Fatais da Experimentação em Animais

01) Pensava-se que fumar não provocava câncer, porque câncer relacionado ao fumo é difícil de ser reproduzido em animais de laboratório. As pessoas continuam fumando e morrendo de câncer. (2)

02) Embora haja evidências clínicas e epidemiológicas de que a exposição à benzina causa leucemia em humanos, a substância não foi retida como produto químico industrial. Tudo porque testes apoiados pelos fabricantes para reproduzir leucemia em camundongos a partir da exposição à benzina falharam. (1)

03) Experimentos em ratos, hamsters, porquinhos-da-índia e macacos não revelaram relação entre fibra de vidro e câncer. Não até 1991, quando, após estudos em humanos, a OSHA - Occupational, Safety and Health Administration - os rotulou de cancerígenos (1)

04) Apesar de o arsênico ter sido reconhecido como substância cancerígena para humanos por várias décadas, cientistas encontraram poucas evidências em animais. Só em 1977 o risco para humanos foi estabelecido (6), após o câncer ter sido reproduzido em animais de laboratório. (7) (8) (9)

05) Muitas pessoas expostas ao amianto morreram, porque cientistas não conseguiram produzir câncer pela exposição da substância em animais de laboratório.

06) Marca-passos e válvulas para o coração tiveram seu desenvolvimento adiado, devido a diferenças fisiológicas entre humanos e os animais para os quais os aparelhos haviam sido desenhados.

07) Modelos animais de doenças cardíacas falharam em mostrar que colesterol elevado e dieta rica em gorduras aumentam o risco de doenças coronárias. Em vez de mudar hábitos alimentares para prevenir a doença, as pessoas mantiveram seus estilos de vida com falsa sensação de segurança.

08) Pacientes receberam medicamentos inócuos ou prejudiciais à saúde, por causa dos resultados de modelos de derrame em animais.

09) Erroneamente, estudos em animais atestaram que os Bloqueadores Beta não diminuiriam a pressão arterial em humanos, o que evitou o desenvolvimento da substância (10) (11) (12). Até mesmo os vivisseccionistas admitiram que os modelos de hipertensão em animais falharam nesse ponto. Enquanto isso, milhares de pessoas foram vítimas de derrame.

10) Cirurgiões pensaram que haviam aperfeiçoado a Keratotomia Radial (cirurgia para melhorar a visão) em coelhos, mas o procedimento cegou os primeiros pacientes humanos. Isso porque a córnea do coelho tem capacidade de se regenerar internamente, enquanto a córnea humana se regenera apenas superficialmente. Atualmente, a cirurgia é feita apenas na superfície da córnea humana.

11) Transplantes combinados de coração e pulmão também foram "aperfeiçoados" em animais, mas os primeiros três pacientes morreram nos 23 dias subseqüentes à cirurgia (13). De 28 pacientes operados entre 1981 e 1985, 8 morreram logo após a cirurgia, e 10 desenvolveram Bronquiolite Obliterante , uma complicação pulmonar que os cães submetidos aos experimentos não contraíram. Dos 10, 4 morreram e 3 nunca mais conseguiram viver sem o auxílio de um respirador artificial. Bronquiolite obliterante passou a ser o maior risco da operação (14)

12) Ciclosporin A inibe a rejeição de órgãos e seu desenvolvimento foi um marco no sucesso dos transplantes. Se as evidências irrefutáveis em humanos não tivessem derrubado as frágeis provas obtidas com testes em animais, a droga jamais teria sido liberada. (15)

13) Experimentos em animais falharam em prever toxidade nos rins do anestésico geral metoxyflurano. Muitas pessoas que receberam o medicamento perderam todas as suas funções renais.

14) Testes em animais atrasaram o início da utilização de relaxantes musculares durante anestesia geral.

15) Pesquisas em animais não revelaram que algumas bactérias causam úlceras, o que atrasou o tratamento da doença com antibióticos.

16) Mais da metade dos 198 medicamentos lançados entre 1976 e 1985 foram retirados do mercado ou passaram a trazer nas bulas efeitos colaterais, que variam de severos a imprevisíveis (16). Esses efeitos incluem complicações como disritmias letais, ataques cardíacos, falência renal, convulsões, parada respiratória, insuficiência hepática e derrame, entre outros.

17) Flosin (Indoprofeno), medicamento para artrite, testado em ratos, macacos e cães, que o toleraram bem. Algumas pessoas morreram após tomar a droga.

18) Zelmid, um antidepressivo, foi testado sem incidentes em ratos e cães. A droga provocou sérios problemas neurológicos em humanos.

19) Nomifensina, um outro antidepressivo, foi associado a insuficiência renal e hepática, anemia e morte em humanos. Testes realizados em animais não apontaram efeitos colaterais.

20) Amrinone, medicamento para insuficiência cardíaca, foi testado em inúmeros animais e lançado sem restrições. Humanos desenvolveram trombocitopenia, ou seja, ausência de células necessárias para coagulação.

21) Fialuridina, uma medicação antiviral, causou danos no fígado de 7 entre 15 pessoas. Cinco acabaram morrendo e as outras duas necessitaram de transplante de fígado. (17) A droga funcionou bem em marmotas. (18) (19)

22) Clioquinol, um antidiarréico, passou em testes com ratos, gatos, cães e coelhos. Em 1982 foi retirado das prateleiras em todo o mundo após a descoberta de que causa paralisia e cegueira em humanos.

23) A medicação para a doença do coração Eraldin provocou 23 mortes e casos de cegueira em humanos, apesar de nenhum efeito colateral ter sido observado em animais. Quando lançado, os cientistas afirmaram que houve estudos intensivos de toxidade em testes com cobaias. Após as mortes e os casos de cegueira, os cientistas tentaram sem sucesso desenvolver em animais efeitos similares aos das vítimas. (20)

24) Opren, uma droga para artrite, matou 61 pessoas. Mais de 3500 casos de reações graves têm sido documentados. Opren foi testado sem problemas em macacos e outros animais.

25) Zomax, outro medicamento para artrite, matou 14 pessoas e causou sofrimento a muitas.

26) A dose indicada de isoproterenol, medicamento usado para o tratamento de asma, funcionou em animais. Infelizmente, foi tóxico demais para humanos, provocando na Grã-Bretanha a morte de 3500 asmáticos por overdose. Os cientistas ainda encontram dificuldades de reproduzir resultados semelhantes em animais. (21) (22) (23) (24) (25) (26)

27) Metisergide, medicamento usado para tratar dor de cabeça, provoca fibrose retroperitonial ou severa obstrução do coração, rins e veias do abdômen. (27) Cientistas não estão conseguindo reproduzir os mesmos efeitos em animais. (28)

28) Suprofen, uma droga para artrite, foi retirada do mercado quando pacientes sofreram intoxicação renal. Antes do lançamento da droga, os pesquisadores asseguraram que os testes tiveram (29) (30) "perfil de segurança excelente, sem efeitos cardíacos, renais ou no SNC (Sistema Nervoso Central) em nenhuma espécie".

29) Surgam, outra droga para artrite, foi designada como tendo fator protetor para o estômago, prevenindo úlceras, efeito colateral comum de muitos medicamentos contra artrite. Apesar dos resultados em testes feitos em animais, úlceras foram verificadas em humanos (31) (32).

30) O diurético Selacryn foi intensivamente testado em animais. Em 1979, o medicamento foi retirado do mercado depois que 24 pessoas morrerem por insuficiência hepática causada pela droga. (33) (34)

31) Perexilina, medicamento para o coração, foi retirado do mercado quando produziu insuficiência hepática não foi prognosticada em estudos com animais. Mesmo sabendo que se tratava de um tipo de insuficiência hepática específica, os cientistas não conseguiram induzi-la em animais. (35)

32) Domperidone, droga para o tratamento de náusea e vômito, provocou batimentos cardíacos irregulares em humanos e teve que ser retirada do mercado. Cientistas não conseguiram produzir o mesmo efeito em cães, mesmo usando uma dosagem 70 vezes maior. (36) (37)

33) Mitoxantrone, usado em um tratamento para câncer, produziu insuficiência cardíaca em humanos. Foi testado extensivamente em cães, que não manifestaram os mesmos sintomas. (38) (39)

34) A droga Carbenoxalone deveria prevenir a formação de úlceras gástricas, mas causou retenção de água a ponto de causar insuficiência cardíaca em alguns pacientes. Depois de saber os efeitos da droga em humanos, os cientistas a testaram em ratos, camundongos, macacos e coelhos, sem conseguirem reproduzir os mesmos sintomas. (40) (41)

35) O antibiótico Clindamicyn é responsável por uma condição intestinal em humanos chamada colite

pseudomembranosa. O medicamento foi testado em ratos e cães, diariamente, durante um ano.

As cobaias toleraram doses 10 vezes maiores que os seres humanos. (42) (43) (44)

36) Experiências em animais não comprovaram a eficácia de drogas como o valium, durante ou depois de seu desenvolvimento (45) (46)

37) A companhia farmacêutica Pharmacia & Upjohn descontinuou testes clínicos dos comprimidos de Linomide (roquinimex) para o tratamento de esclerose múltipla, após oito dos 1200 pacientes sofrerem ataques cardíacos em conseqüência da medicação. Experimentos em animais não previram esse risco.

38) Cylert (pemoline), um medicamento usado no tratamento de Déficit de Atenção/Hiperatividade, causou insuficiência hepática em 13 crianças. Onze delas ou morreram ou precisaram de transplante de fígado.

39) Foi comprovado que o Eldepryl (selegilina), medicamento usado no tratamento de Doença de Parkinson, induziu um grande aumento da pressão arterial dos pacientes. Esse efeito colateral não foi observado em animais, durante o tratamento de demência senil e desordens endócrinas.

40) A combinação das drogas para dieta fenfluramina e dexfenfluramina - ligadas a anormalidades na válvula do coração humano - foram retiradas do mercado, apesar de estudos em animais nunca terem revelado tais anormalidades. (47)

41) O medicamento para diabetes troglitazone, mais conhecido como Rezulin, foi testado em animais sem indicar problemas significativos, mas causou lesão de fígado em humanos. O laboratório admitiu que ao menos um paciente morreu e outro teve que ser submetido a um transplante de fígado. (48)

42) Há séculos a planta Digitalis tem sido usada no tratamento de problemas do coração. Entretanto, tentativas clínicas de uso da droga derivada da Digitalis foram adiadas porque a mesma causava pressão alta em animais. Evidências da eficácia do medicamento em humanos acabaram invalidando a pesquisa em cobaias. Como resultado, a digoxina, um análogo da Digitalis,
tem salvo inúmeras vidas. Muitas outras pessoas poderiam ter sobrevivido se a droga tivesse sido lançada antes. (49) (50) (51) (52)

43) FK506, hoje chamado Tacrolimus, é um agente anti-rejeição que quase ficou engavetado antes de estudos clínicos, por ser extremamente tóxico para animais. (53) (54) Estudos em cobaias sugeriram que a combinação de FK506 com cyclosporin potencializaria o produto. (55) Em humanos ocorreu exatamente o oposto. (56)

44) Experimentos em animais sugeriram que os corticosteróides ajudariam em casos de choque séptico, uma severa infecção sang¸ínea causada por bactérias. (57) (58). Em humanos, a reação foi diferente, tendo o tratamento com corticosteróides aumentado o índice de mortes em casos de choque séptico. (59)

45) Apesar da ineficácia da penicilina em coelhos, Alexander Fleming usou o antibiótico em um paciente muito doente, uma vez que ele não tinha outra forma de experimentar. Se os testes iniciais tivessem sido realizados em porquinhos-da-índia ou em hamsters, as cobaias teriam morrido e talvez a humanidade nunca tivesse se beneficiado da penicilina. Howard Florey, ganhador do Premio Nobel da Paz, como co-descobridor e fabricante da penicilina, afirmou: "Felizmente não tínhamos testes em animais nos anos 40. Caso contrário, talvez nunca tivéssemos conseguido uma licença para o uso da penicilina e, possivelmente, outros antibióticos jamais tivessem sido desenvolvidos.

46) No início de seu desenvolvimento, o flúor ficou retido como preventivo de cáries, porque causou câncer em ratos. (60) (61) (62)

47) As perigosas drogas Talidomida e DES foram lançadas no mercado depois de serem testadas em animais. Dezenas de milhares de pessoas sofreram com o resultado (*nota do tradutor: A Talidomina foi desenvolvida em 1954 destinada a controlar ansiedade, tensão e náuseas. Em 1957 passou a ser comercializada e em 1960 foram descobertos os efeitos teratogênicos provocados pela droga, quando consumida por gestantes: durante os 3 primeiros meses de gestação interfere na formação do feto, provocando a focomelia que é o encurtamento dos membros junto ao tronco, tornando-os semelhantes aos de focas.)

48) Pesquisas em animais produziram dados equivocados sobre a rapidez com que o vírus HIV se reproduz. Por causa do erro de informação, pacientes não receberam tratamento imediato e tiveram suas vidas abreviadas.

49) De acordo com o Dr. Albert Sabin, pesquisas em animais prejudicaram o desenvolvimento da vacina contra o pólio. A primeira vacina contra pólio e contra raiva funcionou bem em animais, mas matou as pessoas que receberam a aplicação.

50) Muitos pesquisadores que trabalham com animais ficam doentes ou morrem devido à exposição a microorganismos e agentes infecciosos inofensivos para animais, mas que podem ser fatais para humanos, como por exemplo o vírus da Hepatite B.

Tempo, dinheiro e recursos humanos devotados aos experimentos com animais poderiam ter sido investidos em pesquisas com base em humanos. Estudos clínicos, pesquisas in-vitro, autópsias, acompanhamento da droga após o lançamento no mercado, modelos computadorizados e pesquisas em genética e epidemiologia não apresentam perigo para os seres humanos e propiciam resultados precisos.

Importante salientar que experiências em animais têm exaurido recursos que poderiam ter sido dedicados à educação do público sobre perigos para a saúde e como preservá-la, diminuindo assim a incidência de doenças que requerem tratamento.

Experimentação Animal não faz sentido. A prevenção de doenças e o lançamento de terapias eficazes para seres humanos está


na ciência que tem como base os seres humanos.

Referências:



1.Sax, N. Cancer-causing Chemicals Van Nostrand 1981
2.Lancet, June 25, 1977 p1348-9
3.The Guardian, July 20, 1991
4.Occupational Lung Disorders, Butterworth 1982
5.Toxicology & Industrial Health, 1990, vol.6, p293-307
6.J Nat Cancer Inst 1969, vol.42, 1045-52
7.Br J Cancer, 1947, vol.1, p 192-251
8.Advances in Modern Toxicology, vol.2, Wiley, 1977
9.J Nat Cancer Inst, 1962, vol.5, p 459
10.Fitzgerald, D. The development of new cardiovascular drugs in Recent Developments in Cardiovascular Drugs eds. Coltart and Jewitt, Churchill Livingstone 1981
11.Perspectives in Biology & Medicine, 1980 Part 2, S9-S24
12.Pharmacy International Feb. 1986; p33-37
13.Lancet, i, p 130-2, 1983
14.Lancet, 1, no. 8480 p 517-9, March 8, 1996
15.Annals of Internal Medicine 1984, vol.101, 667-682
16.GAO/PEMD-90-15 FDA Drug Review: Postapproval Risks 1976-1985
17.NEJM 333;1099-1105, 1995
18.J NIH Res, 1993, 5, 33-35
19.Nature, 1993, July 22, p 275
20.Nature, 1982, April 1, p 387-90 and Br Med J, 1983, Jan 15, p 199-202
and Drug Monitoring, 1977 and Pharmacologist, 1964, vol. 6, p 12-26 and Pharmacology: Drug Actions and Reac and Advances in Pharm, 1963, vol. 2, 1-112 and Nature, 1982, April 1, p 387-390
21.Pharmacologist, 1971, vol.18, p 272
22.Br J of Pharm 1969Vol. 36; p35-45
23.Inman, W. H. Monitoring for Drug Safety, MTP Press, 1980
24.Am Rev Resp Diseases, 1972, vol.105, p883-890
25.Lancet, 1979, Oct.27, p 896
26.Toxicology and Applied Pharmacology 1965, vol. 7; p1-8
27.Animal Toxicity Studies: Their Relevance for Man, Quay Pub. 1990
28.Br Med J, 1974, May 18, p 365-366
29.Drug Withdrawl from Sale PJB Publications, 1988
30.Pharmacology, 1983, vol.27(suppl 1), 87-94 and FDA Drug Review: Postapproval Risks 1976-1985 (US GAO April 1990
31.Gut, 1987, vol.28, 515-518
32.Lancet, Jan 10, 1987, 113-114
33.Toxicolo Letters, 1991, vol.55, p 287-93
34.Drug Withdrawl from Sale, PJB1988
35.Reg Tox & Pharm,1990,vol.11,288-307 and Postgraduate Med J, 1973, vol.49, April Suppl., 125-129 and 130
36. Drugs, 1982, vol.24, p 360-400
37.Animal Toxicity Studies Quay, 1990
38. Lancet, 1984, July 28, p 219-220
39. Matindale: The Extra Pharmacopoeia, 29th edition, Pharmaceutical Press, 1989)
40.Br Nat Form, no.26, 1993
41. Reg Tox & Pharm, 1990, vol.11, p 288-307
42. Br Med J, 1983, Jan 15, p 199-202
43. Br Nat Form, no.26, 1993
44.Tox & Appl Pharm, 1972, vol. 21, p 516-531
45. The Benzodiazepines MTP Press1978
46. Drugs and Therapeutics Bulletin,1989, vol.27, p 28
47. as quoted in Activate For Animals Oct. 1997 The American Antivivisection Society
48.Parke-Davis letter dated Oct. 31, 1996
49. Sneader, W. Drug Discovery: The Evolution of Modern Medicine Wiley, 1985
50. Lewis, T. Clinical Science Shaw & Sons Ltd. 1934
51. Federation Proceedings 1967, vol.26, 1125-30
52.Toxicology In Vitro 1992, vol.6, 47-52
53.JAMA, 1990, April 4, p1766
54. Lancet,1989, July 22, p 227
55. Lancet, 1989, Oct 28, p1000-1004
56.Hepatology,1991, vol.13, 1259-1260
57.Drugs and Therapeutics Bulletin, 1990, vol.28, p 74-75
58. Anesthesiology: Proceedings of the VI World Congress of Anesthesiology, Mexico City 1977
59. NEJM, 1987, Sep. 10, p 653-658
60. The Causes of Cancer, 1981, Oxford Press
61. J NIH Res, 1991, vol.3, p46
62.Nature, 1991, Feb 28, p732

Empresas que TESTAM em animais:

Das empresas citadas abaixo algumas:


- testam diretamente os seus produtos em animais;
- terceirizam laboratórios para a realização dos testes;
- fazem parte de um grupo empresarial que adota os testes em animais;
- podem fabricar algumas linhas de produtos sem testar em animais;
- marcas/fábricas não testam em animais, porém a empresa mãe testa.

* Empresas Nacionais



- Alberto-Culver (cosméticos e produtos alimentícios). Marcas: Alberto VO5, Bakers Joy, FDS, Just for Me, Molly McButter, Motions, Mrs. Dash, Soft & Beautifyl, Sonsorte, Static Guard, Sugar Twin, TCB, Tresemme

- Calvin Klein (jeans, roupa íntima e perfumes). Marcas: Calvin Klein, CK Be, CK One

-CheseBrough-Ponds (cométicos). Marcas: Fabergé, Ponds, Vaseline

-Church & Dwight (produtos de limpeza, higiene e para animais). Marcas: Advance White, Arm & Hammer, Brillo, Cameo, Delicare, Dental Care, Fresh'n Soft, Lambert Kay Pet, Parsoins, Peroxicare, RainDrops, Scrub, Snobol

-Clorox (produtos de limpeza, filtros de água, fósforos, produtos alimentícios). Marcas: Areia de Gatos ScoopAway, Armorall, Brita, FreshStep, Glad, Kings Ford, Liquid Plumber, MatchLight, Molhos HiddenValley, STP, Sun of a Gun, Tilex.

-Colgate-Palmolive (produtos de higiene, limpeza e nutrição animal). Marcas: Colgate (Ajax, Fab, Hills Pet Nutrition, Mennem, Palmolive, Pinho Sol, Plax, Protex, Ração Science Diet, Softsoap Enterprises, Sorriso, Speed Stick, Suavitel) Duraphat, Fabuloso, Feno de Portugal, Festa, Fluorgard, Kolynos, Ola, Periogard, Peroxyl, Platinum, Pom Pom, Prevent, Ração Canine, Ração Prescription Diet, Soflan, Super Pop, Tandy.

-Coty (cosméticos). Marcas: Adidas, Coty, Davidoff, Glow, Joop!, Jovan, Kenneth Cole, Lancaster, Marc Jacob, Rimmel, Stetson

-Dana (perfumes e cosméticos). Marcas: Alyssa Ashley, Canoe, Chantilly, Cosmair, English Leather, Heaven Sent, Love's Baby Soft, Musk, NaVy, Press & Go, Tabu, Tinkerbell

-Del Laboratories (cosméticos e produtos farmacêuticos) Marcas: Arthricare, CornSilk, LaCross, Naturistics, New York Color, Orajel, Pronto, Propa, Sally Hansen, Tanac

-Dial Corporation (produtos de limpeza e alimentícios) Marcas: AromaSense, Coast, Dial, Pure&Natural, Purex, Renuzit, Tone, Zout

- Ecolab (produtos de limpeza e higiene)Marcas: Airdefense, Airkem, Carpet Cleaner, Ecoflo, Epicare

-Erno Laszlo (cosméticos)Marcas: Erno Laszo

-Gessy Lever / Unilever (produtos alimentícios, de beleza, higiene e limpeza). Marcas: Ades, Ala, Arisco, Becel, Bertolli,
Brilhante, Brut, Campeiro, Cica, Cif, Claybon, Close Up, Comfort, Denim, Dimension, Domestos, Doriana, Elida Gibbs, Fofo,
Frisko, Gallo, Gessy, Gradina, Hellmann's, House of Cerruti, House of Valentino, Impulse, Kibon, Knor, Linic, Lipton Ice Tea,
Liptont, Lux, Maizena, Melhoradores, Mentadent, Minerva, Omo, Organics, Pepsodent, Pond´s, Rexona, Seda, Signal, Skip,
Suave, Sun, Sunsilk, Timotei, Tok, Unilever (Axe, Calvin Klein, Dove, Helene Curtis Industries (Finesse, Salon Selectives,
Termasilk), Lever Bros., Suave) Pinho, Vaseline, Vasenol, Vim, Vinólia

- Henkel (cosméticos, produtos de limpeza e escritório) Marcas: Diadermine, Duck, Fa, Glatt, Henkel, Ignora, Loctite, Neutrex, Patexx, Persil, Power Trape, Pritt, Schwarzkopf, Silhouette, Sonasol, Super Bonder, Tenaz, Theramed

-Johnson & Johnson (produtos de beleza, higiene e farmácia) Marcas: Acuvue, Band-Aid, Banho a Banho, Bem Estar, Brilho & Vida, Carefree, Clean & Clear, Cotonetes, Cross Hatch, Elubiol, Enidrial, Johnson & Tek, First Aid, Fluordent, Johnson & Johnson´s Reach, Johnson´s, Johnson´s Baby, Johnson´s Bio, Jontex, KY, Surevue, Massê, Minesol, Modess, Neutrogena, OB, Perfex, Protient Lift, Roc, Sabiá, Safe Cel, Sempre Livre, Serena, Stayfree, Sundown, Tek, Triatop

-Kimberly-Clark Co. (lenços, fraldas e papéis higiênicos)Marcas: Cotonelle, Depend, Huggies, Kleenex, Kotex Little Swimmers, Pull-Ups, Scott Paper, Viva

- Levi's Strauss Co. (roupas)Marcas: Levi's, Dockers

-L'Oréal (cosméticos)Marcas: Biotherm, Cacharel Perfumes (Amor Amor, Anais Anais, Eden, Lou Lou, Noa, Gloria), Garnier, Giorgio Armani, Helena Rubinstein, Kérastase, Kiehl´s, Lancôme (Oui, Ô de Lancôme, Miracle, Tresoi, Poeme, Magie Noire), La Roche Posay, Matrix Essentials, Maybelline, Ombrelle, Plenitude, RalphLauren Perfurmes (Polo, Romance, Glamorous), Redken, Soft Sheen, Studio Line, Vichy

-Mead (produtos para escola e escritório)Marcas: Mead

-Melaleuca (produtos de limpeza, farmacêuticos e cosméticos)Marcas: Mameluca

- Natura* (cosméticos). Marcas: Natura

-Neoteric Cosmetics. Marcas: Alpha Hydrox, Diabetic Skin Care, Face Food, Model Secrets, Montagne Jeunesse, RubOut,
Scott’s Liquid Gold, Touch of Scent Air Fresheners

- Nestlé (produtos alimentícios, bebidas, higiene pessoal e rações para animais)Marcas: AlconLabs (Clens100, Opti-Clean, Opti-Free, Opti-Soak, Opti-Tears, Supranettes, Unique PH), Nestlé, Purina (Alpo, Cat Chow, Deli Dog, Doguitos, Friskies, Linha Tratto, Pro Plan),

- Parker Pen (canetas e acessórios) Marcas: Paper Mate, Parker, Rotring, Waterman

- Pennex (alumínio). Marcas: Pennex

-Pfizer (produtos farmacêuticos e saúde animal). Marcas: BenGaby, Desitin, Listerine, Lubriderm, Plax, Visine

-Playtex Products (cosméticos). Marcas: Baby Magic, Banana Boat, Bínaca, Feminine Care, Gloves, Mr.Bubble, Ogilvie

-Procter & Gamble Co. (produtos alimentícios, higiene, limpeza e ração para animais). Marcas: A Touch of Sun, Ace, Actonel, Alldays, Always, Ariel, Asacol, Balsam Color, Beautiful Collection, Bold, Camay, Charmin, Cheer, Clairol (Aussie, Daily Defense, Herbal Essences, Infusium 23), CoverGirl (CG), Crest, Glide, Dryel, Ela, Fairy, Febreze, Fixodent, Giorgio Beverly Hills, Head&Shoulders, Hugo Boss, La'Neoblanc, Max Factor(MF), Millstone, Mr. Clean, Noxell, Olay Co./Oil of Olay, Old Spice,
Pampers, Pantene, Pepto Bismol, Pert, Pert Plus, Physique, Pop., Pringles, Puffs, Pur, Ração EUKANUBA, Ração IAMS, Richardson Vicks, Safeguard, Secret, Seiva de Alfazema, Sunny Delight, Tampax, Tide

-Reckitt Benckiser (produtos de limpeza)Marcas: Airwick, Bom Ar, Boyle Midway, Calgon, Colgonit, Coty, Dettol, Dettox, Disprin, Easy Mop, Electrasol, Finish, Flor, Frenchs Foods, Fresh´s, Gaviscon, Glassex, Harpic, Jet Dry, Jovan, Lancaster, Lemsip, Lysol, Mortein, Poliflor, Quanto, Red Hot, Sagrotan, Spray Wash, Veet (cera depilatória), Veja, Wick

-Schering-Plough (cosméticos e produtos farmacêuticos). Marcas: Afrin, Bain de Soleil, Banamine, Coppertone, Dr. Scholl´s, Vitamina C

-S.C. Johnson Wax (Ceras Johnson) (produtos de limpeza e inseticidas). Marcas: Drãno, Edge, Fantastik, Glade, Grand Pix, Off!, Pledge, Raid, Saran, Scrubbing Bubbles, Shout, Skintimate, Tempo, Vanish, Windex, Ziploc




-Scoth 3M (produtos para saúde, elétricos, escritório, transporte). Marcas: 3M, Acqua, Buf-Puf, Duralex, Esponjas Scotch-Brite, Ponjita, Post-It, Rust Avenger, Scotch

Empresas que NÃO testam em animais:

* Empresas que Pararam de Testar em Animais - Continuam sob Investigação



** Empresas Nacionais

- Abercrombie & Fitch (roupas e acessórios) Marcas: Abercrombie

- Ahava (cosméticos) Marcas: Ahava

- Amitée Cosmetics, Inc. (cosméticos) Marcas: Amitée, CitréShine, Clear Logix, Herbal Logix, Silver Brights, Thicker Fuller Hair, Zero Frizz

- Amway (suplementos vitamínicos, cosméticos, produtos de limpeza) - compra pelo site Marcas: All Fabric Bleach, Anticipate, Anticipate, Artistray, Body Series, Car Wash, Defiance, Dish Drops, Fabric Softner and Brightener, L.O.C, Melitta, Nutrilite, Occasion, Peter Island, Pré Wash Spray, Pursue, SA8 Premium, Santinique, Scrub Buds, See Spray, Srub Brite, Tri:Zyme, Wiser, Wiser

- Avalon Natural Products (cosméticos) Marcas: Alba Botânica, Alba Hawaiian, Avalon, Sanoma, Tisserand, Un-Petroleun

- Avon Products Inc (cosméticos) Marcas: Avon

- Beiersdorf (cosméticos) Marcas: Atrix, Basis, Eucerin, Labello, La Prairie, Nivea, 8x4

- Bic Co*. (canetas, lápis, isqueiros e lâminas de barbear) Marcas: Bic

- Carlson Laboratories (vitaminas)Marcas: Carlson

- Cassiopéia** (cosméticos, produto de limpeza e suco) Marcas: Veraloe, Bio Wash, Catu Moã

- Chanel, Inc. (perfumes, roupas, jóias, cosméticos)Marcas: Allure, Antaneus, Coco, nº 1 Collection, nº 5, nº19, nº22, Chance, Cristalle, Egoiste, Le Corps Actif, Platinum, Pour Monsier, Précision, Rue Cambon, Technique

- Christian Dior (perfumes e cosméticos)Marcas: Diorella, Dioressence, Diorissimo, Dolce Vita, Dune, Eau de Dolce Vita, Eau Fraiche, Forever and Ever, Hypnotic Poison, J'adore, J'adore Summer Fragrance, L'or j'adore, Miss Dior, Poison, Tendre Poison, The J'adore Perfumed Body Line, The perfumed Bath & Body Collection, Eau Sauvage, Eau Sauvage Extrême, Fahrenheit, Higher

- Clarins of Paris (cosméticos) Marcas: Clarins of Paris

- Clinique Labs (cosméticos) Marcas: Clinique

- Contém 1g** (perfumes e cosméticos) Marcas: Contém 1 g

- Contente** (Indústrias Suavetex Ltda. - produtos de higiene oral) Marcas: Contente

- Cosinter** (cosméticos) Marcas: Red Aple, Maxi Belle, Maxi Trat

- Davene** (cosméticos) Marcas: Davene, Leite de Aveia, Linha Bebê, Nova, Pólo By Kim, SunBlock

- Dr. Tozzi** (cosméticos) Marcas: Dr. Tozzi

- Ecover (produtos de limpeza) Marcas: Ecover

- Embelleze** (cosméticos e tinturas) Marcas: Afro Hair, Amaci Hair, Botanys, Cia. do Sol, Embelleze, Fleury, Frizzly, Hair Life, Hannaya, Lisa Hair, Maxton, Mocotó, Natucor, Novex, Permanete Afro, Rená, Selise, Semprebella, Stillus Afro, Toin!, Vivacci, Yes Color, Young Hair

- Estée Lauder Inc (cosméticos)Marcas: Clinique, Donna Karan Beaty, Estée Lauder, Jane, Origins

- Farmaervas** (cosméticos) Marcas: Celulan, Celulan, Farmaervas, Linha Infantil Barbie, Linha Infantil Looney Tunes, Total Block, Tracta, Tracta

- Florestas** (cosméticos) Marcas: Florestas

- Gillette Company* (pilhas, lâminas de barbear, produtos para escritório)Marcas: Braun, Duracell, Gillette, Liquid Paper, Oral-B, Parker Astra, Venus

Granado** (cosméticos, produtos para bebês e pets, produtos de limpeza, vitaminas)

Marcas: Granado, Pinho White, White

- Herbalife (suplementos, controladores de peso, cosméticos) Marcas: Herbalife

- Lavalma**Marcas: Lavalma

- L'anza Research International (cosméticos) Marcas: L'anza

- Lush (cosméticos) Marcas: Lush

- Mahogany** (cosméticos) Marcas: Mahogany, Lyoplant, Kevin Nickols

- Master Line do Brasil * - Cremes para Cabelo Bell Soft - a empresa inclusive, divulga que não testa em animais na embalagem.

- Norelco (barbeadores) Marcas: Norelco

- Revlon (cosméticos) Marcas: AquaMarine, Charlie, Colorsilk, Colorstay, Eterna 27, Flex, Fire & Ice, New Complexion

- Rosatex** (produtos de limpeza) Marcas: Urca, Texorin

- Santher** (papel higiênico, absorventes e lenços) Marcas: Charme, Gala Personal, Kiss, Pétala, Santepel, Snob, Sym

- Skala** (cosméticos) Marcas: Botany e Tree, Ki-Pasta, Skala

- St. Ives (cosméticos) Marcas: St. Ives

- The Body Shop International plc (cosméticos) Marcas: The Body Shop

- The Wella Corporation (tinturas e cosméticos) Marcas: Blondor, Color Charm, Crisan, Koleston, Soft Color, Wella Chic, Wellapon, Wellaton, Wellin

- Unisoap** (cosméticos) Marcas: Francis, Vilór, Savage

- Victoria Secrets (lingerie e cosméticos) Marcas: Victoria Secrets

- Welleda (cosméticos)Marcas: Welleda

- Ypê** (produtos de limpeza)Marcas: Holos, Ypê, Yes, Tixan

Para facilitar a vida dos consumidores, a PEA criou uma Lista de Compras baseada nas
empresas que não testam em animais. Essa lista está em Constante Atualização:

Imprima, divulgue, consuma produtos sem crueldades!



Os produtos estão descritos na ordem marca/empresa.
* Empresas que Pararam de Testar em Animais - Continuam sob Investigação
** Empresas Nacionais

Higiene Oral

- Anti-Séptico Bucal: Contente**
- Creme Dental: Contente**, Glister/Amway, Ki-Pasta/Skala**, Oral B/Gillette Company*, Tigrama, Welleda
- Escova de Dente/Fio Dental: Contente**, Glister/Amway, Oral B/Gillette Company*
- Refrescante Bucal: Glister/Amway

Utilidades

- Absorvente: Nova/Davene**, Sym/Santher**
- Guardanapo: Gala/Santher**, Santepel/Santher**, Snob/Santher**
- Lenço de Papel: Kiss/Santher**
- Papel Higiênico: Charme/Santher**, Personal/Santher**, Pétala/Santher**
- Repelente: Citronium/Weleda
- Toalha de Papel: Snob/Santher**
- Vaselina: Granado**

Cosméticos

- Creme de Barbear: Alba Botânica/Avalon, Clarins of Paris, Clinique, Nívea/Beiersdorf, Weleda, Wiser/Amway

- Creme Hidratante: Ahava, Alba Botânica/Avalon, Avon, Body Series/Amway, Clarins of Paris, Clinique, Herbalife, Le Corps Actif/Chanel, Leite de Aveia/Davene**, Maxi Belle/Cosinter**, Nívea/Beiersdorf, Red Aple/Cosinter**, Skala**, St Yves, Veraloe/Cassiopéia**, Victoria Secrets

- Desodorantes: Alba Botânica/Avalon, Avon, Body Series/Amway, Clarins of Paris, Clinique, Estée Lauder (EL), Granado**, Kevin Nichols/Mahogany**, Nívea/Beiersdorf, Nova/Davene**, Red Aple/Cosinter**, Pólo By Kim/Davene**

- Descolorante de Pêlos: Blondor/Wella, Cia. do Sol/Embeleze**

- Esmalte: Anticipate/Amway, Avon, Chanel, Estée Lauder (EL), Nívea/Beiersdorf, Revlon

- Maquiagem: Anticipate/Amway, Avon, Chanel, Christian Dior, Clarins of Paris, Clinique, ColorStay/Revlon, Contém 1g**, Estée Lauder (EL), NewComplexion/Revlon, Nívea/Beiersdorf, Revlon, The Body Shop, Tracta/Farmaervas**, Victoria Secrets

- Perfumes/Colônias: Alma Viva/Davene**, Avon, Chanel, Christian Dior, Clarins of Paris, Clinique, Contém 1g**, Donna Karan Beaty/Estée Lauder, Lauder Beaty/Estée Lauder Beaty/Estée Lauder Beaty/Estée Lauder Beaty/Estée Lauder Beaty/Estée Lauder Beauty Co., Occasion/Amway, Revlon, Victoria Secrets, Wiser/Amway

- Produtos Especiais Cabelo (Alisador, Anti-caspa, Cacheador, Gel, Fixador, Iluminador, Máscaras, Tonificante): AfroHair/Embeleze**, Alba Botânica/Avalon, AmaciHair/Embeleze**, Avon, Botanys/Embeleze**, Botany e Tree/Skala**, CitréShine/Amitée, Clinique, Estée Lauder (EL), Florestas**, HairLife/Embeleze**, L'anza, LisaHair/Embeleze**, Lush, LyoPlant/Mahogany**, Mahogany**, Maxi Belle/Cosinter**, Maxi Trat/Cosinter**, Nívea/Beiersdorf, Novex/Embeleze**, PermaneteAfro/Embeleze**, Rená/Embeleze**, Revlon, Santinique/Amway, Selise/Embeleze**, Silver Brights/Amitée, Skala**, St Yves, Stillus Afro/Embeleze**, Thicker Fuller Hair/Amitée, Toin!/Embeleze**, Vital/Wella, Vivacci/Embeleze**, Wellapon/Wella, Wellin WellaChic/Wella, WellinColor/Wella, Zero Frizz/Amitée

- Produtos Especiais Corpo (Anti-celulite, Anti-estria, Esfoliante, Óleo e Sais de Banho, Redução de Gorduras): Ahava, Alba Botânica/Avalon, Artistray/Amway, Avon, Celulan/Farmaervas**, Chanel, Clarins of Paris, Clear Logix/Amitée, Clinique, Defiance/Amway, Estée Lauder (EL), Florestas**, Herbal Logix/Amitée, Herbalife, Lush, Nívea/Beiersdorf, Revlon, Skala**,St Yves, Veraloe/Cassiopéia**, Weleda

- Produtos Especiais Rosto (Adstringente, Anti-acne, Anti-idade, Máscaras): Ahava, Alba Botânica/Avalon, Artistray/Amway,
Avon, Christian Dior, Clarins of Paris, Clinique, Defiance/Amway, Estée Lauder (EL), Eterna 27/Revlon, Florestas**, Lush, Nívea/Beiersdorf, nº 1 Collection/Chanel, Précision/Chanel, Revlon, St Yves, The Body Shop, Tracta/Farmaervas**, Veraloe/Cassiopéia**

- Tintura para Cabelos: Blondor/Wella, Color Charm/Wella, Fleury/Embeleze**, Hannaya/Embeleze**, Koleston/Wella, Maxton/Embeleze**, Natucor/Embeleze**, SoftColor/Wella, Wellaton/Wella, YesColor/Embeleze**, YoungHair/Embeleze**

Sol

- Protetor/Bronzeador Solar: Alba Botânica/Avalon, Avon, Cia. do Sol/Embeleze**, Clarins of Paris, Clinique, Estée Lauder (EL), Nívea/Beiersdorf, Peter Island/Amway, Red Aple/Cosinter**, SunBlock/Davene**, The Body Shop, Total Block/Farmaervas**

-Protetor/Hidratante Labial: Alba Botanica/Avalon, Lavalma**, Lush, Total Block/Farmaervas**, Veraloe/Cassiopéia


Casa


- Alvejante: All Fabric Bleach/Amway
-Amaciante/Abrilhantador: Ecover, Fabric Softner and Brightener/Amway, Urca/Rosatex**, Ypê**
- Aromatizante de Ambiente: Lavalma**
- Desinfetante: Ecover, Pinho White/Granado**, Pinho/Ypê**, Pursue/Amway, Urca/Rosatex**, White/Granado**
- Detergente (Roupa e Louças): Dish Drops/Amway, SA8 Premium/Amway, Ypê**
- Detergente Orgânico Multiuso: BioWash/Cassiopéia**
- Esponja de Aço: Scrub Buds/Amway
- Lava Carro: Car Wash/Amway
- Limpa Vidros: L.O.C/Amway, See Spray/Amway
- Limpador Multiuso: Ecover, Urca/Rosatex**, Ypê**
- Limpador Suave: Srub Brite/Amway
- Passa Roupas: Urca/Rosatex**
- Pré Lavagem de Tecidos em Spray: Pré Wash Spray/Amway
- Pré Lavagem e Ativador de Lava Roupas: Tri Zyme/Amway
- Removedor: Ecover
- Sabão em Barra: Urca/Rosatex**, Ypê**
- Sabão em Pó/Líquido: Ecover, Texan/Ypê**, Urca/Rosatex**, Yes/Ypê**, Ypê**
- Tira Ferrugem: Texorin/Rosatex**Alvejante: All Fabric Bleach/Amway

Bebês e Crianças

  • Colônia, Creme Dental, Óleo, Sabonete, Shampoo e Condicionador, Talco: Granado**, Linha Barbie/Farmaervas**, Linha Looney Tunes/Farmaervas**, Linha Bebê/Davene**, Weleda

Alimentos, Vitaminas e Suplementos


-Café: Melitta/Amway
- Controlador de Peso: Herbalife
- Suco: Veraloe/Cassiopéia**
- Vitaminas e Suplementos Alimentares: Carlson/Carlson Laboratories, Granado**, Herbalife, Nutrilite/Amway, CatuMoã/Cassiopéia**

Outros

- Barbeadores: Norelco
- Caneta/Lápis: Bic*
- Eletrodomésticos: Braun/Gillette Company*
- Lâminas de Barbear: Bic*
- Pilhas: Duracell/Gillette Company*
- Isqueiros: Bic*

Pets

Produtos para o seu bichinho de estimação!


- Sabonete: Granado**
- Shampoo/Condicionador: Granado**

Fontes: Peta: www.peta.org | Pea: www.pea.org.br | Vegan: Vegan - http://www.veganoutreach.org/whyvegan/prwvhealth.html







©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal