Dengue avançado Sabin 2010-2013 (Ufmg 2013)



Baixar 83.28 Kb.
Encontro11.01.2018
Tamanho83.28 Kb.

DENGUE Avançado Sabin 2010-2013




1. (Ufmg 2013) Um Protocolo de Avaliação Rápida (PAR) foi aplicado em quatro trechos de um rio para monitorar a qualidade deste ecossistema fluvial, analisando-se a fauna de macroinvertebrados bentônicos e as quantidades de oxigênio dissolvido na água e matéria orgânica em suspensão.

No gráfico abaixo estão representados os resultados (unidades arbitrárias) referentes ao número de espécies de macroinvertebrados bentônicos; à abundância total de indivíduos (ind./m2); à quantidade de oxigênio dissolvido – OD (mg/L) – e à matéria orgânica em suspensão – MOS (g/L) – nos quatro trechos do rio.



a) CITE o trecho do rio que apresenta a maior quantidade de indivíduos. EXPLIQUE por que isso acontece.

b) INDIQUE se você concorda ou não com a afirmativa: “A poluição diminui no trajeto do trecho 3 em direção ao trecho 4.” JUSTIFIQUE sua resposta.

c) JUSTIFIQUE o fato de, no trecho 1, a abundância de macroinvertebrados bentônicos apresentar valor menor que nos outros trechos do rio.

d) CITE o(s) nível (is) trófico(s) mais abundante(s) no trecho 3. JUSTIFIQUE sua resposta.



2. (Ufmg 2013) Em 2012, presenciou-se um intenso debate sobre o Novo Código Florestal Brasileiro. Diversos setores da sociedade indicavam que era preciso integrar o crescimento socioeconômico à sustentabilidade ambiental.

a) Neste contexto, JUSTIFIQUE, do ponto de vista biológico, a importância da preservação do limite da reserva legal da Amazônia e dos manguezais.

b) Em relação à preservação de áreas ribeirinhas, um ponto polêmico do novo Código foi a alteração da medida da área a ser preservada. O texto aprovado no Senado delimitou a medida da área considerando o leito regular dos rios (curso do rio na maior parte do ano). EXPLIQUE por que esse ponto foi polêmico.

c) Uma das consequências do desmatamento e da ocupação desordenada do espaço é o aparecimento de doenças reemergentes. EXPLIQUE a relação que existe entre o desmatamento e a reemergência da dengue no Brasil.



3. (Ufmg 2013) Em maio de 2012, o Governo Federal enviou ao Congresso uma Medida Provisória com uma série de alterações no Código Florestal Brasileiro. Algumas dessas alterações foram criticadas pela comunidade científica nacional, entre elas a possibilidade de utilização de espécies de plantas exóticas para recuperar Áreas de Preservação Permanente (APP) de margens de rios e a restauração da floresta na faixa de 5 metros a partir da margem de pequenos rios (mata ciliar).

A figura abaixo ilustra uma situação típica de uma propriedade rural na Mata Atlântica, com a APP degradada e alguns remanescentes de floresta isolados, nos quais sobrevive uma espécie de primata ameaçada de extinção.



Considerando a figura e usando seus conhecimentos sobre o tema,

a) EXPLIQUE a importância da mata ciliar para a qualidade da água e a integridade dos rios.

b) CITE duas razões que apoiam as críticas feitas pela comunidade científica sobre a utilização de plantas exóticas para a recuperação da mata ciliar.

c) EXPLIQUE como a recuperação da mata ciliar pode contribuir para a diminuição da chance de extinção da espécie de primata ameaçada.



4. (Ufmg 2013) Protistas ciliados podem ser facilmente reconhecidos pela sua cobertura ciliar e pela presença de macronúcleo (regula o metabolismo) e micronúcleo (participa do processo reprodutivo sexuado).

A figura abaixo ilustra os dois tipos de reprodução em Paramecium sp.



Considere um experimento conduzido em dois tubos de ensaio com cultivo axênico (culturas puras) de Paramecium sp. com genomas idênticos, em que não ocorrem fenômenos mutagênicos. No tubo 1, os protistas se reproduzem por fissão binária e, no tubo 2, por fissão binária e por conjugação.
Com base na figura e em seus conhecimentos sobre o tema,

a) CITE o(s) tipo(s) de divisão celular que ocorre(m) nos tubos.

b) INDIQUE se, mantidas as mesmas condições de cultivo, é esperada alguma diferença entre a quantidade/densidade de indivíduos nos tubos 1 e 2, após cinco dias. JUSTIFIQUE sua resposta.

c) APRESENTE um argumento contrário à seguinte afirmativa: “Por serem culturas puras, os paramécios dos tubos 1 e 2 constituem populações clonais.

d) INDIQUE se a população do tubo 2 está sujeita à ocorrência de endogamia. JUSTIFIQUE sua resposta.

5. (Ufmg 2013) Um estudo publicado na revista Nature apresentou dados sobre a sensibilidade de plantas a variações na temperatura ambiente. Os pesquisadores analisaram a influência da temperatura sobre a época de início da floração e de início da queda de folhas em várias espécies de plantas na natureza. Esses dados foram comparados com dados obtidos em laboratório com as mesmas espécies de plantas.

O gráfico abaixo mostra essa variação em número de dias por grau centígrado de elevação na temperatura ambiente.



a) Uma reportagem sobre esse estudo, divulgada na mídia (Bol noticia, 24 jul. 2012), apresentou o seguinte título: “Impacto do aquecimento global nas plantas pode estar subestimado”. ARGUMENTE a favor ou contra o título dessa reportagem.

b) CITE uma consequência negativa para o ecossistema resultante da alteração de um dos parâmetros representados no gráfico. JUSTIFIQUE sua resposta.

c) NOMEIE um hormônio vegetal responsável pela queda de folhas das plantas. CITE outro processo fisiológico regulado por esse hormônio.
Em uma planta, o gene para a cor roxa (R) é dominante sobre o gene para a cor branca (r) da flor. Entretanto, existe um gene controlador e, somente se a planta possui um alelo dominante (C) desse gene, o gene para flor roxa será expresso. Se a planta é (cc), a cor roxa não se expressa e a planta é branca.

Considere o cruzamento de duas plantas: uma de flores roxas controladas e homozigotas para o gene da cor (planta 1) com outra de flores brancas não controladas (planta 2).


d) INDIQUE os possíveis genótipos para as duas plantas.

e) INDIQUE os genótipos que, se cruzados, poderão produzir plantas com flores roxas e brancas.



6. (Ufmg 2013) Sabe-se que a grande maioria dos micro-organismos não sobrevive em ambientes com pH muito baixo; sabe-se também que o contato de ácidos muito fortes com a pele causa a corrosão desta.
a) O pH do conteúdo estomacal é mantido entre 1 e 3 sem que ocorram danos ao epitélio que reveste o estômago. JUSTIFIQUE por que o epitélio do estômago não sofre lesão em um ambiente tão ácido.
A maioria das úlceras estomacais é causada por uma bactéria infecciosa chamada Helicobacter pylori, como mostrado na figura abaixo. Essa bactéria em meio de cultura apresenta crescimento ótimo em pH 7.

b) EXPLIQUE uma adaptação fisiológica que permite a sobrevivência de H. pylori no ambiente ácido do estômago.

c) Ao chegar ao intestino delgado, o quimo encontra um pH em torno de 8 a 8,5. EXPLIQUE como ocorre essa mudança de pH e sua importância no processo digestivo.



7. (Ufmg 2013) O sistema digestório desempenha papel importante na manutenção, crescimento e reprodução de animais invertebrados e vertebrados. A organização estrutural do sistema digestório reflete as necessidades energéticas do indivíduo, assim como o modo pelo qual extrai nutrientes do ambiente.

Na figura abaixo estão representadas características estruturais do tubo digestivo de diferentes grupos de invertebrados (1, 2 e 3) e vertebrados (4, 5 e 6).



a) ESTABELEÇA uma provável relação funcional entre o diâmetro do tubo digestivo e as duas características estruturais representadas na figura. JUSTIFIQUE sua resposta.
Uma das funções exercidas pelo intestino é a absorção de água e de eletrólitos. Observe, abaixo, a figura representativa dos tubos digestivos de um anfíbio e de uma ave.

b) ELABORE uma hipótese que poderia explicar a diferença na extensão do intestino grosso entre esses dois grupos de vertebrados.

c) Os vertebrados apresentam glândulas acessórias ao tubo digestivo. EXPLIQUE sua importância para a manutenção do estado nutricional dos vertebrados.



8. (Ufmg 2013) A importância do iodo na síntese de hormônios tireoidianos é representada na experiência abaixo (Figura I), em que dois grupos de animais foram submetidos a dietas diferentes: um grupo alimentado com uma dieta sem iodo (DSI), e o outro com a mesma dieta suplementada com iodeto de potássio (DSI + KI). A figura II ilustra a regulação da produção dos hormônios T3 e T4 pela tireoide.

Com base nos dados das figuras e em outros conhecimentos sobre o assunto,

a) CITE o hormônio que depende da presença de iodo na dieta para sua produção. JUSTIFIQUE.

b) EXPLIQUE por que a concentração plasmática de TSH é aumentada na ausência de iodo na dieta.

c) CITE duas consequências da carência de iodo na dieta para o organismo.



9. (Ufmg 2013) Aeritropoetina (Epo) é um hormônio sintetizado principalmente pelos rins, com função de estimular a produção de hemácias e de hemoglobina. A administração endovenosa de Epo é uma das formas conhecidas de doping em competições esportivas em que há exigência de elevado aporte de oxigênio aos tecidos.

Observe a figura abaixo:



Com base nessa figura e em seus conhecimentos sobre o tema,

a) CITE o nome do órgão que é alvo primário da eritropoetina. JUSTIFIQUE sua resposta.

b) EXPLIQUE como o aporte elevado de O2 aos tecidos pode melhorar o desempenho físico.

c) O uso frequente da Epo artificial pode trazer diversos efeitos colaterais indesejáveis. CITE um desses efeitos.


Na figura abaixo estão representadas hemácias de mamíferos e de outros vertebrados.

Com base nessa figura e em seus conhecimentos sobre o tema,

d) JUSTIFIQUE a seguinte afirmativa: “Hemácias de mamíferos possuem maior capacidade de transporte de O2 quando comparadas às hemácias de outros vertebrados.

e) Tendo em vista a estrutura das hemácias de mamíferos, EXPLIQUE a importância da Epo para a homeostase desse grupo de vertebrados.

10. (Unesp 2012) Em 2008, a Secretaria Estadual de Saúde e pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz, ambas do Rio de Janeiro, confirmaram um caso de dengue adquirida durante a gestação. A mãe, que havia adquirido dengue três dias antes do parto, deu à luz uma garotinha com a mesma doença. O bebê ficou internado quase um mês, e depois recebeu alta. Pode-se afirmar corretamente que esse caso

a) contradiz a hipótese de que a criança em gestação receba, por meio da barreira placentária, anticorpos produzidos pelo organismo materno.

b) contradiz a hipótese de que a dengue é uma doença viral, uma vez que pode ser transmitida entre gerações sem que haja a participação do Aedes aegypti.

c) confirma que a dengue é uma doença infecto-contagiosa, que só pode ser transmitida de pessoa para pessoa através de um vetor.

d) demonstra a possibilidade da transmissão vertical, de pessoa para pessoa, através do contato da pessoa sadia com secreções da pessoa doente.

e) demonstra a possibilidade de o vírus da dengue atravessar a barreira placentária, sem que seja necessária a presença de um vetor para sua transmissão.



11. (Unesp 2011) Uma novidade dos cientistas: Combate à dengue com a ajuda do próprio mosquito transmissor

Para os animais, o ato sexual é o caminho para a perpetuação da espécie. Um objetivo primordial que está se invertendo – pelo menos para o Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue. Por meio de manipulação genética, uma população de machos criada em laboratório recebeu um gene modificado que codifica uma proteína letal à prole.

Quando esses machos cruzam com fêmeas normais existentes em qualquer ambiente, transmitem o gene à prole, que morre ainda no estágio larval. A primeira liberação na natureza desses animais geneticamente modificados no Brasil foi aprovada em dezembro de 2010 pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio). A linhagem deverá ser liberada no município de Juazeiro, no estado da Bahia.
(Evanildo da Silveira. Pesquisa FAPESP, fevereiro de 2011. Adaptado.)
Sobre a notícia, pode-se afirmar corretamente que os mosquitos

a) transgênicos liberados no ambiente irão se reproduzir e aumentar em número, substituindo a população original.

b) criados em laboratório, quando liberados no ambiente, irão contribuir com a redução do tamanho populacional das gerações seguintes.

c) geneticamente modificados são resistentes à infecção pelo vírus causador da dengue, o que reduz a probabilidade de transmissão da doença.

d) são portadores de uma mutação em um gene relacionado à reprodução, tornando-os estéreis e incapazes de se reproduzirem e transmitirem a dengue.

e) modificados produzem prole viável somente se cruzarem com fêmeas, também modificadas, portadoras do mesmo gene.



12. (Mackenzie 2011) No Brasil, morre-se de dengue por atendimento inadequado
Levantamento do Ministério da Saúde traz 4 péssimas notícias sobre a presença da dengue no Brasil. A primeira delas é que este ano foi registrada, no Brasil, a pior epidemia da doença em todos os tempos.

[...] segundo as autoridades sanitárias federais, 19 estados apresentam risco muito alto ou alto de enfrentar uma epidemia de dengue ainda maior que a registrada de janeiro para cá.

A OMS garante que mortes provocadas pelo mosquito Aedes aegypti são facilmente evitáveis.

De acordo com o levantamento, neste ano, quase 70% dos pacientes que morreram de dengue no país, não foram tratados como deveriam ser.

[...] segundo o estudo, metade das mortes ocorreu em municípios com baixa cobertura do Programa Saúde da Família.
Jornal da Tarde, 14/09/2010
A respeito da dengue, considere as afirmações abaixo.
I. A melhor forma de combate à doença é o combate ao mosquito transmissor, esteja ele na fase adulta ou no estágio larval.

II. Pessoas com a doença não podem tomar medicamentos à base de ácido salicílico, que pode provocar quadro hemorrágico.

III. Tanto o mosquito macho quanto a fêmea são transmissores do vírus causador da doença.

IV. Todos os mosquitos dessa espécie são capazes de provocar a doença.


Assinale

a) se somente I e II estiverem corretas.

b) se somente I e III estiverem corretas.

c) se somente I e IV estiverem corretas.

d) se somente II e III estiverem corretas.

e) se somente II e IV estiverem corretas.



13. (Enem 2011) Durante as estações chuvosas, aumentam no Brasil as campanhas de prevenção à dengue, que têm como objetivo a redução da proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor do vírus da dengue. Que proposta preventiva poderia ser efetivada para diminuir a reprodução desse mosquito?

a) Colocação de telas nas portas e janelas, pois o mosquito necessita de ambientes cobertos e fechados para a sua reprodução.

b) Substituição das casas de barro por casas de alvenaria, haja vista que o mosquito se reproduz na parede das casas de barro.

c) Remoção dos recipientes que possam acumular água, porque as larvas do mosquito se desenvolvem nesse meio.

d) Higienização adequada de alimentos, visto que as larvas do mosquito se desenvolvem nesse tipo de substrato.

e) Colocação de filtros de água nas casas, visto que a reprodução do mosquito acontece em águas contaminadas.



14. (Ufjf 2011)

A dengue é uma virose que atinge 2,5 bilhões de pessoas no mundo, com mais de 50 milhões de novos casos a cada ano, para a qual ainda não existe vacina. Atualmente, estão sendo feitas pesquisas inovadoras para o combate a essa doença, como:

- desenvolvimento de bactérias que podem bloquear a duplicação do vírus;

- alteração genética de mosquitos machos que, ao cruzar com fêmeas selvagens, geram fêmeas incapazes de voar;

- alterações genéticas nas respostas imunes do mosquito, capazes de matar os parasitas;

- estudos de receptores olfativos em mosquitos transmissores, que podem ser alvos potenciais de ações para repelir, confundir ou atrair o mosquito para armadilhas.

Todavia, a medida mais eficaz ainda é a prevenção, como alerta a campanha “Brasil unido contra a dengue”, da Secretaria de Vigilância em Saúde. Para isso, é preciso conhecer o ciclo de vida do parasita e do mosquito transmissor, e suas preferências, além dos modos de transmissão.
a) Por que o doente não deve usar analgésicos à base de ácido acetilsalicílico no combate aos sintomas da dengue?

b) O mosquito é um inseto holometábolo; o que significa isso?

c) Por que o uso de inseticidas (como o famoso fumacê) e larvicidas não é suficiente para eliminar o mosquito transmissor da dengue?

d) É possível a transmissão por contato direto de um doente ou de suas secreções com uma pessoa sadia, ou por fontes de água ou alimento? Por quê?



15. (Ufu 2011) Na zona urbana, principalmente em grandes cidades, durante a época das chuvas, as inundações são o principal fator de risco para a ocorrência de surtos epidêmicos de leptospirose humana. Localidades com más condições de saneamento básico são acometidas por surtos da doença devido à presença de esgoto a céu aberto e lixões, próximos a córregos, os quais propiciam o contato direto entre o homem e a água contaminada com urina de roedores sinatrópicos (ratos e camundongos) e cães errantes. Outro problema causado pelo acúmulo de água parada é a dengue.
a) Do ponto de vista do agente etiológico, diferencie a leptospirose humana e a dengue.

b) Uma pessoa presenciou o momento em que foi picada pelo Aedes aegypti. Ela matou o inseto, mas está preocupada com a hipótese de vir a ter dengue. É possível afirmar que ela terá dengue? Por quê?

c) Qual a relação existente entre água parada e o mosquito Aedes aegypti?

16. (Enem 2010) Investigadores das Universidades de Oxford e da Califôrnia desenvolveram uma variedade de Aedes aegypti geneticamente modificada que é candidata para uso na busca de redução na transmissão do vírus da dengue. Nessa nova variedade de mosquito, as fêmeas não conseguem voar devido à interrupção do desenvolvimento do músculo das asas. A modificação genética introduzida é um gene dominante condicional, isso é, o gene tem expressão dominante (basta apenas uma cópia do alelo) e este só atua nas fêmeas.
FU, G. et al. Female-specific hightiess phenotype for mosquito control. PNAS 107 (10): 4550-4554, 2010.
Prevê-se, porém, que a utilização dessa variedade de Aedes aegypti demore ainda anos para ser implementada, pois há demanda de muitos estudos com relação ao impacto ambiental. A liberação de machos de Aedes aegypti dessa variedade geneticamente modificada reduziria o número de casos de dengue em uma determinada região porque

a) diminuiria o sucesso reprodutivo desses machos transgênicos.

b) restringiria a área geográfica de voo dessa espécie de mosquito.

c) dificultaria a contaminação e reprodução do vetor natural da doença.

d) tomaria o mosquito menos resistente ao agente etiológico da doença.

e) dificultaria a obtenção de alimentos pelos machos geneticamente modificados.



17. (Unesp 2010) Dengue tipo 4 reaparece após 25 anos

A dengue é causada por quatro tipos de vírus: DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4. O tipo DENV-4 não era encontrado no país desde 1982, mas exames de sangue feitos em Manaus mostram que a dengue tipo 4 está de volta ao país. Embora a infecção causada pelo DENV-4 não seja, por si só, muito agressiva, o retorno dela é, ainda assim, uma má notícia para a saúde pública brasileira. Isso porque aumenta a possibilidade de que as pessoas desenvolvam a forma hemorrágica da doença, muito mais letal.

(Notícia veiculada por diferentes agências, março de 2009.)

Em razão do contido na notícia, pode-se afirmar que, antes do reaparecimento do vírus DENV-4,

a) eram menores as possibilidades de as pessoas desenvolverem a forma hemorrágica da doença, pois os tipos virais, embora mais agressivos que o vírus DENV-4, raramente levavam ao quadro hemorrágico. Com o reaparecimento de uma quarta variante viral, menos agressiva, porém letal, a questão da dengue no Brasil agravou-se.

b) havia no Brasil apenas três tipos virais e, portanto, eram três as diferentes possibilidades de uma pessoa adquirir dengue. Com o reaparecimento de um quarto tipo, a possibilidade de se adquirir dengue passou a ser 25% maior. A dengue adquirida a partir de qualquer um desses quatro tipos de vírus, se não tratada pode evoluir para a forma hemorrágica da doença.

c) havia no Brasil apenas três tipos virais e, portanto, a possibilidade de as pessoas virem a adquirir a dengue era menor. O reaparecimento do vírus DENV-4 aumentou a possibilidade de as pessoas terem um primeiro contato com qualquer uma das variantes virais e, consequentemente, desenvolver a dengue, que, se não tratada, pode evoluir para a forma hemorrágica da doença.

d) uma pessoa que tenha adquirido dengue poderia vir a desenvolver a forma hemorrágica da doença se entrasse em contato com mais um dentre os dois outros tipos virais. Com o reaparecimento de um quarto tipo viral, aumenta a possibilidade de que esta pessoa entre em contato com um tipo diferente e desenvolva a forma hemorrágica da doença.

e) uma pessoa que tenha adquirido dengue poderia vir a desenvolver a forma hemorrágica da doença se entrasse novamente em contato com o tipo a partir da qual desenvolveu a doença. Com o reaparecimento de um quarto tipo viral, aumenta a possibilidade de que esta pessoa entre em contato com uma variante de mesmo tipo e desenvolva a forma hemorrágica da doença.


Gabarito:
Resposta da questão 1:
a) Trecho 3. Após o despejo do esgoto, o número de microrganismos decompositores aumentou.

b) O gráfico mostra que o nível de poluição no rio diminuiu do trecho 3 em direção ao trecho 4, porque a quantidade de oxigênio na água aumentou e a quantidade de matéria orgânica em suspensão diminuiu. Portanto, a afirmação é verdadeira.

c) Os trechos iniciais dos rios normalmente apresentam águas lóticas, isto é, águas correntes, devido à declividade relativa do terreno onde corre o leito do rio. Esse fato explica a menor abundância de macroinvertebrados vivendo no fundo (bentônicos) do que nos trechos com menor declividade.

d) Decompositores. O aumento da matéria orgânica favorece o crescimento populacional de bactérias e fungos decompositores.


Resposta da questão 2:
a) A preservação dos limites das comunidades florestais é fundamental para evitar a degradação de suas bordas e, consequentemente, evitar a perda da biodiversidade.

b) O curso dos rios varia ao longo das estações do ano e, portanto, a área a ser preservada é relativa e causa polêmica em relação ao tamanho a ser conservado.

c) O desmatamento elimina os predadores naturais do mosquito transmissor da dengue, bem como sua urbanização e domicialização nas cidades.
Resposta da questão 3:
a) A mata ciliar dificulta a erosão das margens dos rios e, portanto, diminui a possibilidade da ocorrência de assoreamento e eutrofização das águas dos rios.

b) Plantas exóticas podem eliminar, por competição, a mata nativa e não cumprir seu papel de manter a qualidade dos rios, lagos e outras coleções de águas continentais.

c) A recuperação da mata ciliar contribui para a manutenção dos recursos e condições necessárias para a sobrevivência e reprodução da espécie de primata ameaçada de extinção.
Resposta da questão 4:
a) tubo 1: mitose; tubo 2: mitose e meiose.

b) A população do tubo 1 será maior por ser a fissão binária um processo reprodutivo mais rápido.

c) A população do tubo 2 não é clonal por ser a conjugação um processo reprodutivo sexuado.

d) A população do tubo 2 não está sujeita à endogamia por ser constituída por organismos geneticamente distintos.


Resposta da questão 5:
a) O gráfico revela que dados experimentais mostram que a elevação da temperatura ambiental favorece a floração de determinadas espécies vegetais. Esse argumento é favorável ao título da reportagem.

b) A diminuição da temperatura impede a floração de determinadas plantas, o que impede sua reprodução. Além disso, a permanência das folhas nos períodos frios causa danos ao vegetal cujas folhas não caíram.

c) Etileno. Esse hormônio também é responsável pelo amadurecimento dos frutos das angiospermas.

d) CCRR x ccrr.

e) pais: CcRr x CcRr

filhos:


Resposta da questão 6:
a) O epitélio gástrico não é lesado pelo suco gástrico porque fica protegido pelo muco secretado por glândulas situadas na mucosa estomacal.

b) A bactéria Helicobacter pylori consegue transformar ureia em amônia que, sendo uma base, torna o ambiente alcalino em torno do microrganismo.

c) Ao chegar ao duodeno, o quimo estomacal ácido é neutralizado pelas secreções alcalinas biliar e pancreática. A bile e o suco pancreático são ricos em bicarbonato de sódio (NaHCO3) que, sendo uma base, eleva o pH intestinal para valores entre 8 e 9. O pH básico é essencial para a atividade digestória das enzimas dos sucos pancreático e entérico, que vão finalizar a digestão dos alimentos.
Resposta da questão 7:
a) O gráfico mostra que o diâmetro do tubo digestório dos invertebrados é menor que o observado nos animais vertebrados. O aumento do número de células ciliadas na mucosa do intestino dos invertebrados provoca a movimentação do alimento, compensando a menor quantidade de células musculares que determinam a motilidade intestinal. Nos animais vertebrados, observa-se geralmente o contrário. Com diâmetro maior, as fibras musculares determinam os movimentos peristálticos do intestino.

b) Os anfíbios adultos são animais carnívoros e ectotérmicos, fatos que podem justificar o intestino mais curto que o intestino das aves. As aves, por sua vez, são animais endotérmicos que dependem da energia dos alimentos para manter uma taxa metabólica elevada e sua temperatura corpórea estável.

c) As glândulas acessórias ao tubo digestivo ocorrentes em vertebrados produzem e secretam sucos que determinam e facilitam a digestão dos alimentos.
Resposta da questão 8:
a) Os hormônios tireoidianos T3 e T4 contêm iodo em sua composição. O gráfico mostra a queda no nível plasmático do T4 no animal cuja dieta não contém iodo.

b) A queda no nível plasmático do hormônio T4 estimula a adenohipófise a secretar o hormônio tireoestimulante (TSH). Na falta de iodo, a glândula tireoidea não pode sintetizar o hormônio tiroxina (T4).

c) A carência de iodo na dieta causa o aparecimento do bócio e a redução da taxa metabólica, entre outras consequências.
Resposta da questão 9:
a) Ossos. O tecido hematopoiético da medula óssea vermelha é o responsável pela produção das células do sangue.

b) O desempenho físico depende da energia fornecida pela respiração celular aeróbica que utiliza o oxigênio durante a oxidação de substâncias orgânicas, como açúcares e gorduras.

c) Aumento da pressão arterial e aumento da viscosidade sanguínea.

d) As hemácias maduras dos mamíferos não apresentam núcleo ou organelas. Consequentemente, elas possuem maior capacidade de transporte de O2, quando comparados com as hemácias de outros vertebrados que apresentam núcleo e organelas.

e) Sendo anucleadas, as hemácias dos mamíferos não se dividem e envelhecem. A Epo garante a contínua produção de hemácias novas no tecido hematopoiético da medula óssea vermelha.
Resposta da questão 10:
[E]
A situação referida no texto revela que é possível a transmissão do vírus da dengue da mãe para o filho, via placenta, sem que haja a presença do mosquito vetor para a passagem do agente etiológico para o hospedeiro humano.
Resposta da questão 11:
[B]
Os mosquitos machos Aedes Aegypti, geneticamente modificados e liberados no ambiente, vão contribuindo para a redução populacional da espécie. Eles transmitem aos descendentes um gene que provoca a morte dos jovens durante a fase larvária.
Resposta da questão 12:
[A]
Mosquitos (ou pernilongos) transmissores de doenças são sempre fêmeas. A dengue é provocada por diferentes subtipos de vírus e transmitida somente por mosquitos que sugaram o sangue de pessoas portadoras do vírus.
Resposta da questão 13:
[C]
Os mosquitos transmissores de doenças põem seus ovos na água e as larvas se desenvolvem nesse meio. Uma proposta para prevenir o aumento dessas doenças é evitar coleções de água parada onde seus insetos proliferam.
Resposta da questão 14:
a) Porque esta substância inibe a ação das plaquetas, podendo favorecer o aparecimento ou retardar o estancamento da hemorragia.

b) Significa que a metamorfose durante o ciclo de vida é completa, ou seja: ovo, larva, pupa e adulto.

c) Porque o ovo é uma fase de resistência por longo período (até um ano), ao qual o inseticida e o larvicida são inofensivos. Além disso, adultos e larvas adquirem resistência a esses produtos.

d) Não. Porque o vírus tem dois hospedeiros, sendo necessário o período de incubação extrínseco que ocorre no inseto que vai injetar o vírus na corrente sanguínea do ser humano.


Resposta da questão 15:
a) Com relação ao agente etiológico, a dengue é causada por vírus e a leptospirose por bactéria.

b) Não é possível afirmar que a pessoa terá dengue. Só seria possível afirmar isso, se o mosquito que a picou estivesse contaminado com o vírus, ou seja, tivesse, anteriormente, picado uma pessoa com dengue.



c) A água parada é fundamental para a reprodução do mosquito, pois é nesse ambiente que a fêmea deposita seus ovos e o inseto terá seu desenvolvimento realizado (ovo, larva, pupa e adulto).
Resposta da questão 16:
[C]
Como a fêmea mutante de Aedes Aegypti não pode voar, teria dificuldades em picar as pessoas e, portanto, de se contaminar. A sua reprodução seria também dificultada devido à impossibilidade da ocorrência do encontro com o macho voador.
Resposta da questão 17:
[D]
Se um indivíduo que já contraiu anteriormente um tipo de dengue contrair posteriormente um tipo diferente dessa virose, poderá desenvolver a forma hemorrágica da doença. Dessa forma, com o reaparecimento do quarto tipo de vírus da dengue, as probabilidades de uma pessoa adquirir dengue hemorrágica aumentam.



Página de





©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal