DeterminaçÃo da massa específica do cimento (nbr-6474)



Baixar 14.32 Kb.
Encontro07.02.2018
Tamanho14.32 Kb.

DETERMINAÇÃO DA MASSA ESPECÍFICA DO CIMENTO (NBR-6474)

1-OBJETIVO
Este ensaio prescreve o método para determinação da massa específica (ρ) do cimento portland e outros materiais em pó por meio do frasco volumétrico de “Lê Chatelier”.
2- DEFINIÇÃO
Para definição deste ensaio é adotada a definição 2.1
2.1- Massa Específica (ρ)
2.1.1- Relação entre massa (M) de uma determinada quantidade de material e o volume (V) por ela ocupado.
ρ =

2.1.2- A unidade de massa específica é a megagrama por metro cúbico (Mg . m-3 ou Mg/m3).


3- APARELHAGEM
3.1- Frasco volumétrico de Lê Chatelier (ver figura)
3.1.1- Deve ser em vidro borosilicato, com 250mm de altura e bulbo com aproximadamente 250 cm3 de capacidade até a marca zero da escala. A escala deve ter graduação que permita leituras com erro inferior a 0,05 cm3 .
3.1.2- A escala deve ser aferida na temperatura em que será realizado o ensaio.
3.2- Balança
A balança deve ser capaz de determinar a massa da amostra com precisão de 0,01g.
3.3- Recipiente
Que seja capaz de conter a quantidade do material cuja massa será determinada.


FIGURA - Frasco Volumétrico de Lê Chatelier


3.4- Funis
3.4.1- O funil que auxiliará o lançamento do líquido no frasco volumétrico deve possuir colo longo, de maneira que sua extremidade fique situada no alargamento do colo do frasco.
3.4.2- O funil que auxiliará o lançamento do material a ser ensaiado deve ter colo curto, de maneira que o líquido deslocado não atinja sua extremidade inferior.
3.5- Termômetro
O termômetro deve estar graduado de forma a permitir leituras até 0,5ºC.
3.6- Banho termorregulador
3.6.1- Deve ter altura suficiente para que os frascos fiquem imersos até a graduação 24cm3.
3.6.2- A temperatura do banho não deve variar mais que 0,5ºC durante o ensaio.
3.7- Líquido para o ensaio
No ensaio deve ser utilizado que não reaja quimicamente com a substância a ser ensaiada e que tenha massa específica inferior a esta.
Nota: Para materiais que reajam com água, utilizar o xilol.
4- Preparação da Amostra
4.1- A amostra deve ser analisa como recebida, exceto se for constatada a presença de de corpos estranhos ao material.
4.2- No caso de haver corpos estranhos, a amostra dever ser peneirada em peneira de abertura de 0,15mm.
5- Execução do Ensaio
5.1- colocar no frasco com auxílio do funil descrito em 3.4.1, um dos líquidos citados em 3.7, em quantidade suficiente para que seu volume esteja compreendido entre as marcas 0cm3 e 1cm3 .
5.2- Secar o colo do frasco volumétrico, na parte acima do nível do líquido, com papel absorvente.
5.3- Submergir o frasco no banho termorregulador até que seja obtido o equilíbrio térmico. Anotar a leitura inicial (Vi).
5.4- Determinar a quantidade de amostra a ser ensaiada. Esta quantidade deve ser suficiente para causar um deslocamento do líquido entre as marcas de 18cm3 e 24cm3 .
5.5- Com auxílio do funil descrito em 3.4.2, lançar cuidadosamente a amostra no frasco volumétrico. Terminada esta operação, inclinar ligeiramente o frasco, que deve estar apoiado em uma superfície plana e horizontal e submete-lo a movimentos pendulares até que, voltando-se o frasco na posição vertical, não haja imersão de bolhas de ar do interior da camada do material depositado no fundo do frasco.
5.6- Submergir o frasco volumétrico no banho termorregulador até que seja atingido o equilíbrio. Anotar a leitura final (Vf).
6- Resultados
6.1- Cálculo
A massa específica do material é calculada pela expressão dada em 2.1.1, onde “M” é a massa da amostra ensaiada (ver 5.4), e “V” o volume da amostra obtido por Vf - Vi .
6.2- Expressão dos resultados
6.2.1- O resultado deve ser a média de pelo menos duas determinações que não diferem entre si mais que 0,01Mg . m3 .
6.2.2- O resultado deve ser expresso com três algarismos significativos.

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal