Disciplina: crítica literária brasileira



Baixar 19.96 Kb.
Encontro27.04.2018
Tamanho19.96 Kb.

DISCIPLINA: O ANTI-HERÓI NO ROMANCE: PÍCAROS E MALANDROS

NÚMERO DE CRÉDITOS: 08 créditos

CARGA HORÁRIA: 120 h/a

DOCENTE RESPONSÁVEL: Dra. Heloísa Costa Milton


EMENTA

Em perspectiva comparatista, a disciplina discute e analisa o romance picaresco espanhol e o romance brasileiro da malandragem, a partir da expansão dos seguintes tópicos: contexto histórico da Espanha do Renascimento; o pícaro na realidade social espanhola; gênero picaresco, paródia e intertextualidade; núcleo clássico da picaresca espanhola; pícaros e malandros, junções e disjunções; o malandro na cultura brasileira; romance brasileiro da malandragem, origens e transformações


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

  • O contexto histórico espanhol e o aparecimento do pícaro na realidade social;

  • O "gênero" picaresco e a construção do pícaro literário;

  • A origem do "gênero": Lazarillo de Tormes, de autor anônimo;

  • A maturidade do "gênero"; Guzmán de Alfarache, de Mateo Alemán;

  • A ruptura do "gênero": El Buscón, de Francisco de Quevedo;

  • Do pícaro espanhol ao estereótipo do malandro na novelística brasileira: Memória de um sargento de milícias, de Manuel Antonio de Almeida;

  • Tradição ibérica e romance brasileiro da malandragem: Macunaíma. O herói sem nenhum caráter, de Mário de Andrade;

  • Pícaros e malandros no romance brasileiro contemporâneo.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ANDRADE, Mario. Introdução à edição Martins de 1941. In: ALMEIDA, M. A. Memórias de um sargento de milícias. Ed. crít. de Cecília de Lara. Rio de Janeiro: LTC, 1979, p.303-315.

CAMPOS, Haroldo. Mofrologia de Macunaíma. São Paulo: Perspectiva, 1973.

CANDIDO, Antonio. Dialética da malandragem. In: Revista do Instituto de Estudos Brasileiros. 8: 67-89, 1970.

CASTRO, Américo. Hacia Cervantes. Madrid: Taurus, 1967.

CARRILLO, Francisco. Semiolingüística de la novela picaresca. Madrid: Cátedra, 1982.

GALVÃO, Walnice Nogueira. No tempo do rei. In: Saco de gatos. São Paulo: SCCTESP/Duas Cidades, 1976, p. 26-33.

GÓMEZ MORIANA, Antonio. La subversión del discurso ritual. Una lectura del Lazarillo de Tormes. In: imprévue, 1: 63-89, 1980.

GONZÁLEZ, Mario. A saga do anti-herói. São Paulo: Nova Alexandria, 1994.

KOTHE, Flávio R. Da brasilidade picaresca. In: O cânone imperial. Brasília: UNB, 2000.

MARAVALL, José Antonio. El concepto de pobreza y de pobres del Medievo a la primera modernidad. In: La literatura picaresca desde la historia social. Madrid: Taurus, 1986, p. 21-85.

MILTON, Heloisa C. Comparações plausíveis: uma leitura de Macunaíma à luz da picaresca clássica. In: Anuario brasileño de estudios hispánicos. Brasília: Consejeríade Educación de la Embajada de España, 1991, p. 179-192.

MILTON, Heloisa C. Romance picaresco e consagração do espaço anti-heróico .In: ANTUNES, Letizia Zini. Estudos de literatura e lingüística. São Paulo: Arte Ciência/UNESP-Assis, 1998, p. 159-178.

PARKER, Alexander. Los pícaros en la literatura. La novela picaresca en España y Europa (1599-1753). 2. ed. Trad. esp. R. Arévalo Mackry. Madrid: Gredos, 1975.

RICO, Francisco. La novela picaresca y el punto de vista. Barcelona: Seix Barral, 1973.

SANTIAGO, Silviano. Imagens do remediado. In: SCHWARZ, Roberto. Os pobres na literatura brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1983, p. 31-34.

SOUZA. Gilda de Melo e. O tupi e o alaúde. Uma interpretação de Macunaíma. São Paulo: duas Cidades, 1979.

SOUZA, Eneida Maria de. A pedra mágica do discurso. Jogo e linguagem em Macunaíma. Belo Horizonte: UFMG, 1986.

TALÉNS, Jenaro. Novela picaresca y práctica de la transgresión. Valencia: Jucar, 1975.

VILAR, Pierre. Historia de España. 19ª ed. Trad. esp. M. Tuñón de Lara e J. Suso Soria. Barcelona: Crítica, 1984.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
CISCATI, Márcia Regina. Malandros da terra do trabalho. Malandragem e boêmia na cidade de São Paulo (1930-1950). São Paulo: Anablume/FAPESP, 2000.

BATAILLON; Marcel. Pícaros e picaresca. Madrid: Taurus, 1969.

BORELLI, Sílvia Helena Simões. Gêneros, narrativas, ficcionalidades. In: Ação, suspense, emoção. Literatura e cultura de massa no Brasil. São Paulo: EDUC/Estação Liberdade, 1996.

BOSI, Alfredo (org.). Cultura brasileira. Temas e situações. São Paulo: Ática, 1992.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade. 2. ed. São Paulo: Nacional, 1967.

FAUNCE, María Casas de. La novela picaresca latinoamericana. Madrid: Cupsa, 1977.

FRANÇA, Jean M. Carvalho. Literatura e sociedade no Rio de Janeiro oitocentista. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1999.

FRANCIS, Alan. Picaresca, decadencia, historia. Madrid: Gredos, 1978.

FRYE, Northrop. Anatomia da crítica. Quatro ensaios. Trad. Péricles Eugênio da Silva Ramos. São Paulo: Cultrix, 1973.

GEREMEK, Bronislaw. Os filhos de Caim. Vagabundos e miseráveis na literatura européia (1400-1700). Trad. Henryk Siewierski. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

GOTO, Roberto. Malandragem revisitada: uma leitura ideológica da «Dialética da malandragem». Campinas: Pontes, 1988.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 7.ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1973.

LEITE, Dante Moreira. O caráter nacional brasileiro. 4.ed. São Paulo: Pioneira, 1983.

LOPEZ, Telê Porto Ancona. Macunaíma: a margem e o texto. São Paulo: Hucitec/SCET, 1974.

MATOS, Claudia. Acertei no milhar. Malandragem e samba no tempo de Getúlio. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

MATTA, Roberto da. Carnavais, malandros e heróis. Para uma sociologia do dilema brasileiro. 3ª ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

MILTON, Heloisa Costa. Picaresca espanhola e Macunaíma de Mário de Andrade. São Paulo: FFLCH-USP, 1986. (Dissertação de Mestrado).

MOLHO, Maurice. Introduction à la pensée picaresque. In: Romans picaresques espagnols. Paris: La Pléiade, 1968.

MONTE, Alberto del. Itinerario del romanzo oucaresco spagnolo. Firenze: 1957.

OLIVEIRA, Solange Ribeiro. De mendigos e malandros. Chico Buarque, Bertold Brecht e John Gay- uma leitura transcultural. Ouro Preto: UFOP, 1999.



PROENÇA, Cavalcanti. Roteiro de Macunaíma. 5.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

SCHWARZ, Roberto. Pressupostos, salvo engano, de «Dialética da malandragem». In: LAFER, Celso (org.). Esboço de figura. Homenagem a Antonio Candido. São Paulo: Duas Cidades, 1979, p. 133-151.

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal