Engetron Engenharia Eletrônica Indústria e Comércio Ltda



Baixar 8.7 Kb.
Encontro14.05.2018
Tamanho8.7 Kb.



À

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL DE MINAS GERAIS

Prezados Senhores,


A Engetron Engenharia Eletrônica Indústria e Comércio Ltda., empresa  brasileira, presente no mercado brasileiro há mais de 36 anos, vem pela presente, solicitar esclarecimentos , visando apresentar melhores soluções de acordo com os padrões usuais de tecnologia de ponta para o mercado de no-breaks, conforme passa a expor abaixo:


  • O edital em seu item 1.1.1 e 1.2.2 solicita que os equipamentos sejam de dupla conversão e não possuam correção de tensão através de reles analógicos. Entendemos a importância do solicitado, contudo no mercado bancário nacional é comum o uso de equipamentos até 2kVA, on line com correção a rele quando em bypass. Seja para aplicação em PDV, ATM, etc. 

Desta forma, gostaríamos que fosse avaliado se poderá ser ofertado uma solução onde o equipamento trabalha pelo bypass, acionando o inversor em caso de alteração da rede elétrica. Sendo que neste caso, a transferência será sem interrupção (tempo de transferência igual a zero), atendendo plenamente ao solicitado no item 1.6.


Importante salientar que será mantido o transformador isolador para qualquer condição de funcionamento (por rede ou baterias). Pode-se observar que neste caso a estabilização do bypass será muito melhor que o solicitado, mantendo em 5%. Os equipamentos de mercado trabalham com 15% ou 20%.
Devemos salientar também que o rendimento será muito superior chegando a 95%, ou seja, uma economia de até 10% no consumo.
As versões mais atuais de topologias de nobreak possuem iGBT no retificador e inversor, usando dupla filtragem, evitando até o acoplamento capacitivo presente no transformador isolador, elevando a proteção das cargas critica a um nível acima do solicitado no edital. Isto fica claro quando observamos as soluções atuais para grandes datacenters, onde o uso atual é somente com retificadores a IGBT.
Gostaríamos de avaliar se será aceitos a solução com transformador isolador ou IGBT no retificador e inversor?


  • As normas IEC de avaliação dinâmica de funcionamento de equipamento determina ensaios com degrau de carga de 50%, devemos considerar o valor da normatização internacional ou os 100% solicitados?




  • A comunicação/gerenciamento do nobreak poderá ser realizado por hardware/software que não seja de fabricação do fornecedor do nobreak?




  • No caso de fornecimento por Licitante que não seja o Fabricante, e que os equipamentos sejam de origem externa (ex.: mercado asiático, como a kstarpower), como será tratado o treinamento técnico e a comprovação de atendimento ao edital? Será mediante CARTA DE SOLIDARIEDADE DO FRABICANTE, inclusive quanto a garantia exigida e fornecimento de peças, conforme determina a legislação nacional (5 anos)?







  • O item 2.3.1, indica que a CEF poderá solicitar ensaios de 1 equipamento de cada faixa. Estes ensaios serão obrigatórios, mesmo para solução fornecida recentemente ao banco? Ou seja, refazer um ensaio de validação já aprovado?

No aguardo de um breve posicionamento, agradecemos antecipadamente.


ENGETRON – Engenharia Eletrônica Indústria e Comércio Ltda.

e-mail: licita@engetron.com.br

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal