Ernesto Bozzano Fenomenos de Transporte



Baixar 446.27 Kb.
Página1/9
Encontro09.05.2018
Tamanho446.27 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9

www.autoresespiritasclassicos.com

Ernesto Bozzano
Fenômenos de “Transporte”

(Extraordinários e comentados casos de transporte

e de desintegração e reintegração da matéria)


A Escada do Céu


Conteúdo resumido
O ilustre professor e cientista italiano Ernesto Bozzano estudou os fenômenos de transporte, de objetos e pessoas, através de longos anos de experimentação. A presente obra é o resultado desse criterioso trabalho de pesquisa.

Fenômenos de “Transporte” é, como os outros livros do autor, um trabalho essencialmente científico. O fenômeno de transporte é um dos mais objetivos e também dos mais extraordinários de todos os fenômenos de além-túmulo.

No decorrer da obra Bozzano relata uma série de fatos, todos eles documentados, comprovados, capazes de enfrentar a crítica mais exigente, mais rigorosa.


Sumário


Sobre o Autor 4

Prefácio 8

Introdução 10

Categoria I

Transportes a pedido ou em que se encontram modalidades de produção que excluem toda possibilidade de fraude 28



Categoria II

Fenômenos obtidos em plena luz 90



Conclusões 139

Nota final 158



Sobre o Autor


Ernesto Bozzano foi um dos mais eruditos sábios dos últimos tempos. Nascido em Savona, província de Gênova, na Itália, no ano de 1861, ele veio a desencarnar em Gênova, no dia 7 de julho de 1943.

Dado o seu inusitado interesse pelo estudo do Espiritismo, em cujo afã dedicou metade de sua profícua existência de 81 anos, mereceu o cognome de “Grande Mestre da Ciência da Alma”. Trabalhando catorze horas diárias, durante cinqüenta e dois anos, elaborou um estudo que se fosse enfeixado num livro de tamanho médio, resultaria num volume de 15.000 páginas. Para colimar seus estudos contou com o concurso valioso de 76 médiuns, tendo ainda deixado nove monografias inconclusas.

Com apenas 16 anos de idade, Bozzano já se interessava por temas abrangendo assuntos filosóficos, psicológicos, astronômicos, ciências naturais e paleontológicas. Além disso, desde a sua juventude, sentia inusitada atração para os problemas da personalidade humana, principalmente os que conduziam às causas dos sofrimentos, a finalidade e a razão da vida humana.

O seu nome alcançou notável projeção internacional, tendo sido escolhido como Presidente de Honra do V Congresso Espírita Internacional, realizado em Barcelona, Espanha, de 1° a 10 de setembro de 1934.

Conforme notícia estampada no famoso jornal inglês Two Worlds, em sua edição de maio de 1939, os espíritas britânicos ofereceram-lhe belíssima medalha de ouro, tendo em uma de suas faces uma figura simbólica segurando uma coroa de louro na mão direita, com a divisa latina Aspera ad Astra, e na outra face uma legenda cuja tradução é a seguinte: “Ao Grande Mestre da Ciência da Alma, Ernesto Bozzano, que abriu novos horizontes à humanidade sofredora, seus amigos e admiradores.”

Bozzano foi intransigente defensor do Espiritismo, tendo tomado a incumbência de tamanha relevância após estudá-lo minuciosamente.

Numa época em que o Positivismo de Augusto Comte empolgava muitas consciências, Bozzano passou a engrossar suas fileiras, demonstrando nítida inclinação por todos os ramos do saber humano e entregando-se resolutamente ao estudo das obras dos grandes filósofos de todas as épocas. Dos postulados positivistas gravitou para uma forma intransigente de materialismo, o que o levou a proclamar, mais tarde: “Fui um positivista-materialista a tal ponto convencido, que me parecia impossível pudessem existir pessoas cultas, dotadas normalmente de sentido comum, que pudessem crer na existência e sobrevivência da alma.”

Nos idos de 1891, recebeu do professor Ribot, diretor da Revista Filosófica, a informação sobre o lançamento da revista Anais das Ciências Psíquicas, dirigida pelo Dr. Darieux, sob a égide de Charles Richet. A sua opinião inicial sobre essa publicação foi a pior possível, dada a circunstâncias de considerar verdadeiro escândalo o fato de representantes da Ciência oficial levarem a sério a possibilidade da transmissão do pensamento entre pessoas que vivem em continentes diferentes, a aparição de fantasmas e a existência das chamadas casas mal-assombradas.

Nessa mesma época, o professor Rosenbach, de S. Petersburgo (atual Leningrado), publicou violento artigo na Revista Filosófica, situando-se numa posição antagônica à introdução desse novo misticismo no domínio da psicologia oficial. Na edição subseqüente, o Dr. Charles Richet, refutou, ponto por ponto, as afirmações de Rosenbach, as quais reputava errôneas, mostrando em seguida as suas conclusões lógicas sobre a matéria. Esse artigo do sábio francês teve o mérito de diminuir as dúvidas de Bozzano.

Os últimos resquícios dessa dúvida foram completamente destruídos na mente de Bozzano, quando ele leu o livro Fantasmas dos Vivos, de autoria de Gurney, Podmore e Myers. As dúvidas que alimentava sobre os Fenômenos telepáticos foram assim completamente eliminadas. Dali por diante dedicou-se, com afinco e verdadeiro fervor, ao estudo aprofundado dos fenômenos espíritas, fazendo-o através das obras de Allan Kardec, Léon Denis, Gabriel Delanne, Paul Gibier, William Crookes, Russel Wallace, Du Prel, Alexander Aksakof e outros.

Como medida inicial para um estudo mais profundo, Bozzano organizou um grupo experimental, do qual participaram o Dr. Giuseppe Venzano, Luigi Vassalo e os professores Enrico Morselli e Francisco Porro da Universidade de Gênova.

No decurso de cinco anos consecutivos, graças ao intenso trabalho desenvolvido, esse pequeno grupo propiciou vasto material à imprensa italiana e, ultrapassando as fronteiras da península, chegou a vários países, pois praticamente havia-se objetivado a realização de quase todos os fenômenos, culminando com a materialização de seis Espíritos, de forma bastante visível e com a mais rígida comprovação.

O seu primeiro artigo intitulou-se Espiritualismo e Crítica Científica, porém o sábio levou cerca de nove anos estudando, comparando e analisando, antes de publicar as suas idéias. Polemista de vastos recursos, sustentou quatro acérrimas e importantes polêmicas com detratores do Espiritismo. A fim de pulverizar uma obra de ataque, publicada na época, fez editar um livro de duzentas páginas, o qual levou o título Em Defesa do Espiritismo.

A primeira obra por ele publicada, com o fito de sustentar a tese espírita foi a Hipótese Espírita e a Teoria Científica, à qual se seguiram outras não menos importantes: Dos Casos de Identificação Espírita, Dos Fenômenos Premonitórios, e A Primeira Manifestação de Voz Direta na Itália.

As seguintes obras de Bozzano foram vertidas para o português: Animismo ou Espiritismo?, Pensamento e Vontade, Os Enigmas da Psicometria, Metapsíquica Humana, A Crise da Morte, Xenoglossia, Fenômenos Psíquicos no Momento da Morte e Fenômenos de Transporte.

O seu devotamento ao trabalho fez com que o grande sábio italiano se tornasse de direito e de fato um dos mais salientes pesquisadores dos fenômenos espíritas, impondo-se pela projeção do seu nome e pelo acendrado amor que dedicou à causa que havia esposado e defendido com todas as forças de sua convicção inabalável.

Um fato novo veio contribuir para robustecer a sua crença no Espiritismo. A desencarnação da sua mãe, em julho de 1912, serviu de ponte para a demonstração da sobrevivência da alma. Bozzano realizava na época sessões semanais com um reduzido grupo de amigos e com a participação de famosa médium. Realizando uma sessão na data em que se comemorava o transcurso do primeiro aniversário de desencarnação da sua genitora, a médium escreveu umas palavras num pedaço de papel, as quais, depois de lidas por Bozzano o deixaram assombrado. Ali estavam escritos os dois últimos versos do epitáfio que naquele mesmo dia ele havia deixado no túmulo de sua mãe.

Durante os anos de 1906 e 1939, Bozzano colaborou intensamente na revista espírita Luce e Ombra, escrevendo também centenas de artigos para as revistas do gênero, que se publicavam na Itália, França, Inglaterra e outros países.




Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal