EspecificaçÕes técnicas da 2ª etapa de construçÃo do almoxarifado e garagem da reitoria goiania-go. DescriçÃo do projeto



Baixar 295.89 Kb.
Página1/6
Encontro15.04.2018
Tamanho295.89 Kb.
  1   2   3   4   5   6



ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

DA 2ª ETAPA DE CONSTRUÇÃO DO ALMOXARIFADO E GARAGEM DA REITORIA

GOIANIA-GO.

DESCRIÇÃO DO PROJETO
O projeto proposto prevê o término da construção da Guarita, Garagem e Almoxarifado na cidade de Goiânia – GO – REITORIA IFG.

As etapas da construção deverão estar de acordo com os projetos técnicos apresentados, atendendo as orientações contidas nos seguintes capítulos:


- 1.0 - Serviços preliminares.

- 2.0 - Materiais básicos.

- 3.0 – Projeto.

- 4.0 - Instalação da obra.

- 5.0 - Movimento de terras.

- 6.0 - Fundações.

- 7.0 - Estrutura de concreto armado.

- 8.0 – Instalações Elétricas/Cabeamento/SPDA/Alarme.

- 9.0 – Instalações Hidro sanitárias.

- 10.0 - Alvenaria, observando-se as normas e dimensões da Cobracom e ABNT.

- 11.0 - Serralheria.

- 12.0 - Revestimento.

- 13.0 – Contenção.

- 14.0 - Pavimentação.

- 15.0 – Ferragens.

- 16.0 - Pintura.

- 17.0 – Alumínio/Vidraçaria.

- 18.0 - Serviços complementares.



1.0-SERVIÇOS PRELIMINARES:

Para a perfeita execução e completo acabamento das obras e serviços referidos no Caderno de Encargos, a Empreiteira se obriga sob as responsabilidades legais vigentes, a prestar toda a assistência técnica e administrativa necessária para imprimir andamento conveniente aos trabalhos.

A limpeza do terreno compreenderá os serviços de capina, limpeza, roçado, desmatamento, destocamento, queima e remoção, de forma a deixar a área livre de raízes e tocos de árvores;

Será procedida periódica remoção de todo entulho e detritos que venham a surgir no terreno.



2.0-MATERIAIS BÁSICOS:

Todos os materiais empregados serão de primeira qualidade e todos os serviços executados em completa obediência aos princípios de boa técnica, devendo ainda, satisfazer rigorosamente às Normas Brasileiras.



3.0-PROJETOS:

Os serviços deverão ser executados rigorosamente de acordo com os projetos. Caso, haja alguma interferência ou necessidade de mudança no mesmo, a Contratada deverá informar a questão ao Engenheiro Fiscal antes da execução.



4.0-INSTALAÇÃO DA OBRA:

As instalações provisórias deverão se estabelecer em local seguro, instalada de forma tal que permita o bom andamento da obra, como sejam: Barracão, escritório local, sanitários, água, energia elétrica, etc. Competirá a Empreiteira fornecer todo o instrumental e ferramenta, maquinaria e aparelhamento adequado a mais perfeita execução dos serviços contratados, bem como o equipamento de proteção individual (EPI)/PCMAT/PCMSO. Deve ser observado a segurança dos funcionários quanto a qualquer perigo iminente, sendo de inteira responsabilidade da empresa contratada a vigilância e guarda de todo o material e equipamento.


5.0-MOVIMENTO DE TERRA:
Para aterro ou corte deverá ser feito um controle tecnológico a ser definido pelo engenheiro fiscal da obra.

6.0-FUNDAÇÃO:
O projeto prevê tubulões de 0,6 m de diâmetro com profundidade de 2,0 m. Cada tubulão deverá atender integralmente o projeto fornecido pelo Instituto Federal de Goiás.

7.0-ESTRUTURA:



7.1 Normas, Especificações e Métodos Oficiais.

Esta especificação complementa as seguintes normas, especificações e métodos da ABNT em suas últimas edições:

NBR-6118 – Cálculo e execução de obras de concreto armado.

NBR-5732 – Cimento Portland comum.

NBR-7480 – Barras e fios de aço destinados a armaduras de concreto armado.

NBR-7211 – Agregados para concreto.

NBR-7112 – Concreto pré-misturado.

NBR-5738 – Moldagem e cura de corpos de prova cilíndricos de concreto.

NBR-5739 – Ensaio de compressão de corpos de prova cilíndricos de concreto.

NBR-15961_1 – Alvenaria estrutural – Blocos de concreto – Parte 1: Projeto.

NBR-15961_2 – Alvenaria estrutural – Blocos de concreto – Parte 2: Execução e controle de obras.

7.2 Em Concreto Armado

As estruturas serão executadas com rigorosa fidelidade ao projeto, não sendo tolerados alterações quanto à profundidade, dimensão, especificação e método executivo sem a expressa anuência da FISCALIZAÇÃO.



7.3 Cimento Portland

O cimento Portland a ser empregado deverá satisfazer a NBR-5732 e ao item 8.1.1.1 da NBR-6118.

O cimento acondicionado em sacos deverá ser recebido no invólucro original da fábrica, devidamente identificado com a marca do cimento, peso líquido, marca da fábrica, local e data de fabricação. Os invólucros deverão estar em perfeito estado de conservação, não sendo aceitos aqueles avariados ou que contiverem cimento empedrado.

O armazenamento do cimento deverá ser em local protegido da ação de intempéries, da umidade do solo e de outros agentes nocivos.

Os sacos contendo cimento deverão ser empilhados de maneira a permitir facilidades de contagens, inspeção e identificação de cada partida; cada pilha terá no máximo dez sacos.

Lotes de cimento de diferentes partidas não poderão ser misturados.



7.4 Agregado Miúdo

Poderão ser empregados dois tipos de agregado miúdo:

Tipo 01: Areia natural quartzosa, com diâmetro igual ou inferior a 4,8mm proveniente de britagem de rochas estáveis.

Tipo 02: O Agregado miúdo poderá ser constituído pela mistura de areia e brita indicada desde que a porcentagem de areia seja superior a 50% e mediante aprovação pela FISCALIZAÇÃO.

O agregado miúdo deverá obedecer ao item 08 da NBR-7211.

O Armazenamento deverá ser de modo a não haver mistura com outros tipos de agregados e ainda não haver contaminação por impurezas.

O agregado miúdo deverá chegar à betoneira com umidade uniforme.

7.5 Agregado Graúdo

O agregado graúdo deverá ser o pedregulho natural ou a pedra britada proveniente de britagem de rochas estáveis, com um máximo de 15%, passando pela peneira 4,8mm.

O agregado graúdo deverá obedecer ao item 09 da NBR-7211.

Os agregados a serem utilizados deverão estar classificados em tipos 1, 2 e 3, conforme o item 11 da NBR-7225.

Os diferentes tipos de agregados deverão chegar à betoneira separadamente com umidade uniforme.

Os agregados de diferentes tamanhos deverão ser armazenados em compartimentos separados. Se acontecer mistura de agregados de diferentes tipos, eles poderão ser aproveitados após serem peneirados e separados de acordo com a sua granulometria.

Deverão ser tomadas precauções para que materiais estranhos não se misturem com os agregados, vindo a prejudicar as suas características. Caso isso venha a acontecer, os agregados deverão ser lavados antes de serem utilizados, ou rejeitados.

7.6 Aços para Armaduras

Todo o aço das armaduras passivas das peças estruturais de concreto armado deve estar de acordo com o que prescreve a NBR-7480.

Para amarração das armaduras deverá ser usado arame recozido preto, bitola 18AWG.

7.7 Madeiras para Formas e Escoramentos

A madeira de uso provisório para a montagem de formas e escoramentos deverá ser o Pinho do Paraná ou equivalente, o tipo de madeira poderá ser substituído por uma de uso local, com resistência e finalidade equivalentes, tal como freijó, cupiúba, acapu, etc., com prévia aprovação da FISCALIZAÇÃO nas dimensões comerciais adequadas ao fim a que se destinem.

A madeira serrada e beneficiada deverá satisfazer a NBR-7201.

7.8 Execução de Formas e Escoramento

As formas deverão apresentar geometria, alinhamento e dimensões rigorosamente de acordo com as indicações dos desenhos.

As formas deverão ser dimensionadas para não apresentarem deformações substanciais sob ação de quaisquer causas, particularmente cargas que deverão ser suportadas; para tanto é necessário que as mesmas sejam suficientemente resistentes e rígidas, bem como adequadamente escoradas.

As fendas ou aberturas com mais de 3 mm de largura, através das quais possa haver vazamento de argamassa deverão ser preenchidas devidamente. As fendas com largura de 4 a 10 mm deverão ser calafetadas com estopa ou outro material que garanta estanqueidade.

Aquelas que apresentarem largura superior a 10 mm deverão ser fechadas com tiras de madeira.

As madeiras deverão ser de boa qualidade, sem apresentar curvaturas, sinais de apodrecimento ou nós soltos.

Antes do lançamento do concreto, as formas deverão ser molhadas até a saturação.

Os escoramentos deverão ser projetados e executados de modo a apresentarem segurança quanto à estabilidade e resistência.

Os escoramentos deverão obedecer às prescrições das Normas Brasileiras NBR-7190 e NBR-8800, respectivamente para estrutura de madeira e estruturas metálicas e ainda observar os itens 9.2.2., 9.2.1., 9.1.1. Da NBR-6118.

Os escoramentos deverão apresentar rigidez suficiente para não se deformarem em excesso sob ação das cargas e variações de temperatura e/ou umidade.

Sempre que necessário, as escoras deverão possuir em suas extremidades, dispositivos para distribuir as pressões de modo a não comprometerem a eficiência de seus pontos de apoio.

7.9 Preparo e Montagem das Armaduras

Nos desenhos de Armadura estão indicadas as categorias e classes de aços a serem utilizados nas diferentes partes da estrutura.

As barras de aço que não se apresentarem retas antes da preparação das armaduras, deverão ser alinhadas por método que mantenha inalteradas as características mecânicas do material.

O corte e dobramento das barras deverão ser executados por processos que não alterem as características mecânicas do material.

Os dobramentos e medidas das armaduras deverão estar rigorosamente de acordo com as indicações dos desenhos.

Os dobramentos para ganchos e estribos deverão ser feitos segundo os critérios especificados no item 6.1.4.1. Da NBR-6118 e os dobramentos de barras curvadas, segundo o que estabelece o item 6.1.4.2. Da mesma NBR-6118.

Para as barras que necessitem de emendas estas deverão ser executadas conforme os itens 6.1.5 e 10.4 da NBR-6118 e localizadas rigorosamente nas posições previstas nos desenhos.

Se os desenhos não indicarem as posições das emendas, estas deverão ser executadas, sempre que possível, em regiões de menor solicitação; porém, quando isso não for possível, as emendas deverão apresentar total garantia de eficiência e segurança.

A executante poderá substituir um tipo de emenda por outro, desde que previamente aprovado pela FISCALIZAÇÃO.

A montagem das barras das armaduras obedecerá sempre às posições indicadas nos desenhos.

As barras deverão ser devidamente amarradas a fim de não sofrerem deslocamentos de suas posições no interior das formas antes e durante a concretagem.

Quando os desenhos de armaduras não indicarem os espaçamentos entre barras paralelas, não deverão ser admitidas distâncias inferiores aos valores mínimos prescritos pela NBR-6118.

O cobrimento de concreto sobre as barras das armaduras não poderá ser inferior aos valores mencionados no item 6.1.1.1 da NBR-6118.

Havendo necessidade de se deslocar alguma armadura que interfira com tubulações, eletrodutos, chumbadores, insertos, etc., e se este deslocamento exceder um diâmetro da barra ou às tolerâncias permitidas por norma, à nova posição deverá ser comunicada à FISCALIZAÇÃO e submetida à sua aprovação, que poderá, se julgar necessário, exigir a colocação de armaduras adicionais de reforço na região afetada pelo deslocamento.

As armaduras deverão ser inspecionadas antes da concretagem a fim de constatar estarem corretas, devidamente montadas, isentas de escamas de laminação, terra, argamassa, óleo, escamas de ferrugem ou outro material que possa prejudicar sua aderência ao concreto.

Dosagem e controle do Concreto

O concreto poderá ser preparado na própria obra em central ou betoneira.

Para o concreto preparado na obra, por betoneira, os componentes deverão ser medidos em peso e separadamente.



7.10 Lançamento do concreto

A FISCALIZAÇÃO só poderá autorizar o lançamento do concreto nas formas após a verificação e aprovação de:

Geometria, prumos, níveis, alinhamentos e medidas das formas.

Montagem correta e completa das armaduras, bem como a suficiência de suas amarrações.

Montagem correta e completa de todas as peças embutidas na estrutura (tubulação, eletrodutos, chumbadores, insertos, etc.).

Estabilidade, resistência e rigidez dos escoramentos e seus pontos de apoio.

Rigorosa limpeza das formas e armaduras, bem como a necessária vedação das formas.

Não poderá ser utilizado o concreto que apresentar sinais de inicio de pega, segregação, ou desagregação dos componentes, não podendo ainda decorrer mais de uma hora desde o fim do amassamento até o fim do lançamento.

Para o lançamento do concreto, além do exposto nesta especificação, deverá ser seguido o item 11.2 da NBR-6118.

Para o concreto que for lançado em camadas, deverão ser tomadas precauções para que uma camada não seja lançada sobre a anterior parcialmente endurecida.

O concreto não poderá ser lançado com altura de queda livre superior a dois metros; em peças estreitas e altas o concreto deverá ser lançado por meio de funis ou trombas ou então por janelas abertas nas laterais das formas.

Durante e após o seu lançamento, o concreto deverá ser vibrado por meio de equipamento adequado para ficar assegurado o completo preenchimento das formas e a devida compactação do concreto.

Os equipamentos a empregar são os vibradores de agulha ou de superfície, dependendo da natureza da peça estrutural que esteja sendo concretada.

No adensamento com emprego de vibradores de agulha a espessura da camada de concreto a vibrar deverá ser da ordem de 75% do comprimento da agulha; não sendo satisfeita a condição anterior; as opções deverão ser o emprego da agulha em posição conveniente ou o emprego de vibradores de superfície.

O tempo de vibração do concreto não poderá ser excessivo, devendo ser o suficiente para assegurar a perfeita compactação de toda a massa de concreto sem a ocorrência de ninhos ou segregação dos materiais.

As armaduras não deverão ser vibradas para não acarretar prejuízos na aderência com o concreto em virtude de vazios que poderão surgir ao redor das mesmas.



7.11 Cura do Concreto

Depois de lançado nas formas e durante o período de endurecimento, o concreto deverá ser protegido contra secagem, chuva, variações de temperatura e outros agentes prejudiciais.

Durante o endurecimento o concreto não poderá sofrer vibrações ou choques que possam produzir fissuração na massa de concreto ou prejudicar a sua aderência com as armaduras.

Durante os primeiros sete dias após o lançamento o concreto deverá ser protegido contra a secagem prematura umedecendo-se a sua superfície exposta.

Juntas de Concretagem

Sempre que for necessário interromper a concretagem da estrutura, a interrupção deverá ocorrer em locais pré-determinados.

A concretagem só poderá ser interrompida fora dos locais indicados nos desenhos com o conhecimento e autorização da FISCALIZAÇÃO. Nestes casos, a interrupção deverá ser prevista de modo a formarem-se juntas de concretagem, na medida do possível, com a superfície normal à direção dos esforços de compressão, devendo ainda essas juntas ser armadas para resistir a eventuais esforços de cisalhamento, de modo a não diminuir a resistência da peça.

A concretagem de pilares e paredes que constituem apoio de vigas e lajes deverá ser interrompida no plano da face inferior da viga ou laje pelo tempo suficiente para ocorrer o assentamento do concreto, de modo a se evitar a formação de fissuras horizontais nas imediações do nível de apoio.



7.12 Retirada de Formas e Escoramento

As formas e escoramento só poderão ser retirados depois que o concreto estiver suficientemente endurecido de modo a apresentar resistência necessária as solicitações decorrentes das cargas que atuarão.

Nos casos normais os prazos mínimos para retirada de formas e escoramentos são os seguintes:

Faces laterais: 3 dias.

Faces inferiores, desde que deixem pontaletes bem encunhados e adequadamente espaçados: 14 dias.

Faces inferiores sem pontaletes: 21 dias.

As formas e escoramentos deverão ser retirados com cuidado de modo a não provocar choques e avarias na estrutura.
8.0 – INSTALAÇÕES ELÉTRICAS/CABEAMENTO/ALARME/SPDA

2.1 - Tipo de Edifício: Público – GUARITA – Goiânia – GO.

2.1.1 - Número de pavimentos: 01 (um).

Especificação técnica do Rack - 1:



  • Localização: SALA DO SEGURANÇA

  • Rack de piso com porta de Acrílico ou vidro e chave, altura minima 12Us, padrão 19, prof.570mm, cor cinza.

  • 1 x Switch Fast Ethernet (24 portas 10/100 Mbps (RJ-45) c/ 4 portas Combo Gigabit EDGE CORE ES3528M L2/L4

  • 2 x Patch Panel CAT-6 pinagem A para rack 19"- altura 1U - cor preta - GigaLan Furukawa.

  • 1xDIO A-270 – 12 portas.

  • Mini Gebic padrão ET420L 1000base-LX Edge-Core ou similar.

  • Estrutura soldada em aço sae 1020 1,5mm de espessura.

  • Porta frontal embutida, armação em aço 1,5mm de espessura, com visor em acrílico fumê 2,0mm de espessura, com fechadura escamoteável.

  • 04 pés niveladores confeccionados em aço (bitola 8mm).

  • Laterais e fundos removíveis 0,75mm de espessura com aletas de ventilação e fecho rápido.

  • Teto chanfrado (angulado) 0,9mm de espessura com abertura para 02 ou 04 ventiladores.

  • Kit de 1º e 2º plano móvel, 1,5mm de espessura com furos 9x9mm para porca gaiola.

  • Guia argolas soldadas internamente nas colunas traseiras para acomodação de cabos.

  • Base de 1,9mm de espessura com abertura na parte traseira para passagem de cabos.

  • Pintura epóxi-pó texturizada (estrutura grafite ral 13.701, laterais, porta e fundo bege ral 7032).

TOTAL DE PONTOS: 4 PONTOS ESTRUTURADOS SENDO 2 PTOS – DADOS E 2 PONTOS - VOZ.


2.2 - Tipo de Edifício: Público – GARAGEM – Goiânia – GO.

2.2.1 - Número de pavimentos: 01 (um).

Especificação técnica do Rack - 2:


  • Localização: REFEITÓRIO (A ALIMENTAÇÃO VEM DA GUARITA)

  • Rack de piso com porta de Acrílico ou vidro e chave, altura minima 18Us, padrão 19, prof.570mm, cor cinza.

  • 1 x Switch Fast Ethernet (24 portas 10/100 Mbps (RJ-45) c/ 4 portas Combo Gigabit EDGE CORE ES3528M L2/L4 (para sistema de dados e voz)

  • 1 x Switch PoE 24 Portas 10/100/1000 (para atendimento exclusivo do sistema de CFTV-digital)

  • 2 x Patch Panel CAT-6 pinagem A para rack 19"- altura 1U - cor preta - GigaLan Furukawa.

  • 1xDIO A-270 – 12 portas.

  • Mini Gebic padrão ET420L 1000base-LX Edge-Core ou similar.

  • Estrutura soldada em aço sae 1020 1,5mm de espessura.

  • Porta frontal embutida, armação em aço 1,5mm de espessura, com visor em acrílico fumê 2,0mm de espessura, com fechadura escamoteável.

  • 04 pés niveladores confeccionados em aço (bitola 8mm).

  • Laterais e fundos removíveis 0,75mm de espessura com aletas de ventilação e fecho rápido.

  • Teto chanfrado (angulado) 0,9mm de espessura com abertura para 02 ou 04 ventiladores.

  • Kit de 1º e 2º plano móvel, 1,5mm de espessura com furos 9x9mm para porca gaiola.

  • Guia argolas soldadas internamente nas colunas traseiras para acomodação de cabos.

  • Base de 1,9mm de espessura com abertura na parte traseira para passagem de cabos.

  • Pintura epóxi-pó texturizada (estrutura grafite ral 13.701, laterais, porta e fundo bege ral 7032).

TOTAL DE PONTOS: 14 PONTOS ESTRUTURADOS SENDO 10 PTOS – DADOS E 4 PONTOS - VOZ.

2.3 - Tipo de Edifício: Público – ALMOXARIFADO – Goiânia – GO.

2.3.1 - Número de pavimentos: 02 (dois).

Especificação técnica do Rack - 3:


  • Localização: SALA TÉCNICA (A ALIMENTAÇÃO VEM DA GUARITA)

  • Rack de piso com porta de Acrílico ou vidro e chave, altura minima 18Us, padrão 19, prof.570mm, cor cinza.

  • 2 x Switch Fast Ethernet (24 portas 10/100 Mbps (RJ-45) c/ 4 portas Combo Gigabit EDGE CORE ES3528M L2/L4

  • 3 x Patch Panel CAT-6 pinagem A para rack 19"- altura 1U - cor preta - GigaLan Furukawa.

  • 1xDIO A-270 – 12 portas.

  • Mini Gebic padrão ET420L 1000base-LX Edge-Core ou similar.

  • Estrutura soldada em aço sae 1020 1,5mm de espessura.

  • Porta frontal embutida, armação em aço 1,5mm de espessura, com visor em acrílico fumê 2,0mm de espessura, com fechadura escamoteável.

  • 04 pés niveladores confeccionados em aço (bitola 8mm).

  • Laterais e fundos removíveis 0,75mm de espessura com aletas de ventilação e fecho rápido.

  • Teto chanfrado (angulado) 0,9mm de espessura com abertura para 02 ou 04 ventiladores.

  • Kit de 1º e 2º plano móvel, 1,5mm de espessura com furos 9x9mm para porca gaiola.

  • Guia argolas soldadas internamente nas colunas traseiras para acomodação de cabos.

  • Base de 1,9mm de espessura com abertura na parte traseira para passagem de cabos.

  • Pintura epóxi-pó texturizada (estrutura grafite ral 13.701, laterais, porta e fundo bege ral 7032).

TOTAL DE PONTOS: 44 PONTOS ESTRUTURADOS SENDO 25 PTOS – DADOS E 19 PONTOS - VOZ.


GUARITA:
Na GUARITA, a estrutura a ser instalada será composta por 1 DG-INTERNO de entrada, localizado na Sala dos Seguranças, onde chega 1CB-CTP APL-50-40 pares derivado da sala técnica existente no campus, em 1x eletrodutos PVC rígido, Φ 3” (75mm), ao lado será instalado um Rack 1 – 19” – 12”U’s Fabricante Furukawa, composto por 01 x DIO A-270 e 1 x Mini Gebic padrão ET 420L 1000 base-LX Edge-Core ou similar, onde recebe a fibra 3 CFO MM 6FO-FIBRA ÓPTICA 62,5/125 MM.


  • Do DG-INTERNO na Sala dos Seguranças, saem 1CB – CI 50-10 (GARAGEM), 1CB – CI 50-20 (ALMOXARIFADO) e 2 CFO MM 6FO-FIBRA ÓPTICA 62,5/125 MM (GARAGEM E ALMOXARIFADO) conduzida ao RACK-01 19" - 12"U’s Fabricante Furukawa com portas de Acrílico ou vidro e chaves. Composto por;

  • 1 x Switch Fast Ethernet (24 portas 10/100 Mbps (RJ-45) c/ 4 portas Combo Gigabit EDGE CORE ES3528M L2/L4

  • 2 x Patch Panel CAT-6 pinagem A para rack 19"- altura 1U - cor preta - GigaLan Furukawa.

  • 1xDIO A-270 – 12 portas.

  • Mini Gebic padrão ET420L 1000base-LX Edge-Core ou similar.

  • estrutura soldada em aço sae 1020 1,5mm de espessura.

  • porta frontal embutida, armação em aço 1,5mm de espessura, com visor em acrílico fumê 2,0mm de espessura, com fechadura escamoteável.

  • 04 pés niveladores confeccionados em aço (bitola 8mm).

  • laterais e fundos removíveis 0,75mm de espessura com aletas de ventilação e fecho rápido.

  • teto chanfrado (angulado) 0,9mm de espessura com abertura para 02 ou 04 ventiladores.

  • kit de 1º e 2º plano móvel, 1,5mm de espessura com furos 9x9mm para porca gaiola.

  • guia argolas soldadas internamente nas colunas traseiras para acomodação de cabos.

  • base de 1,9mm de espessura com abertura na parte traseira para passagem de cabos.

  • pintura epóxi-pó texturizada (estrutura grafite ral 13.701, laterais, porta e fundo bege ral 7032).

A Sala dos Seguranças na GUARITA possuirá a seguinte estrutura para cabeamento estruturado:



  • DG-INTERNO (60x60x12)cm de instalação aparente– Chegada dos cabos 1#CB CTP– APL-50-40 pares que vêm da mureta.

  • CP(40X40X12)cm de instalação embutida– Caixa de passagem onde chegará cabos de dados para interligar o rack’ e o cabo de voz vindo do DG interno.

  • RACK-1 de instalação aparente sobre piso.

  • Caixa tipo Air Stop com uma Caixa de embutir, com um disjuntor unipolar 25A, curva C, padrão DIN, e uma tomada (2P+T) 20A, 220VAC, marca Pial Legrand. Para eventual manutenção de equipamentos da sala.

  • Caixa de equalização de potenciais contendo uma barra de cobre (mínimo 155x50x6)mm através dos isoladores. Esta barra será utilizada para a interligação dos sistemas de proteção do DG e equipamentos a serem aterrados.

O Rack-1 atenderá seus respectivos pontos estruturados com cabos (1 # Multilam Plus Cat – 06A - 4 pares Furukawa) cor azul para dados e vermelho para voz.
GARAGEM:
Na GARAGEM, a estrutura a ser instalada será composta por 1 RACK-2 de entrada, localizado no refeitório, onde chega 1CB-CTP APL-50-10 pares e 1 CFO MM 6FO-FIBRA ÓPTICA 62,5/125 MM derivado da GUARITA no campus, em 1x eletroduto PVC rígido, Φ 3” (75mm), ao lado será instalado um Rack 2 – 19” – 18”U’s Fabricante Furukawa, composto por 01 x DIO A-270 e 1 x Mini Gebic padrão ET 420L 1000 base-LX Edge-Core ou similar, onde recebe uma fibra da GUARITA.


  • Do DG-INTERNO na GUARITA, saem 1CB – CI 50-10 e 1 CFO MM 6FO-FIBRA ÓPTICA 62,5/125 MM conduzida ao RACK-02 19" - 18"U’s Fabricante Furukawa com portas de Acrílico ou vidro e chaves. Composto por;

  • 1 x Switch Fast Ethernet (24 portas 10/100 Mbps (RJ-45) c/ 4 portas Combo Gigabit EDGE CORE ES3528M L2/L4

  • 1 x Switch POE

  • 2 x Patch Panel CAT-6 pinagem A para rack 19"- altura 1U - cor preta - GigaLan Furukawa.

  • 1xDIO A-270 – 12 portas.

  • Mini Gebic padrão ET420L 1000base-LX Edge-Core ou similar.

  • estrutura soldada em aço sae 1020 1,5mm de espessura.

  • porta frontal embutida, armação em aço 1,5mm de espessura, com visor em acrílico fumê 2,0mm de espessura, com fechadura escamoteável.

  • 04 pés niveladores confeccionados em aço (bitola 8mm).

  • laterais e fundos removíveis 0,75mm de espessura com aletas de ventilação e fecho rápido.

  • teto chanfrado (angulado) 0,9mm de espessura com abertura para 02 ou 04 ventiladores.

  • kit de 1º e 2º plano móvel, 1,5mm de espessura com furos 9x9mm para porca gaiola.

  • guia argolas soldadas internamente nas colunas traseiras para acomodação de cabos.

  • base de 1,9mm de espessura com abertura na parte traseira para passagem de cabos.

  • pintura epóxi-pó texturizada (estrutura grafite ral 13.701, laterais, porta e fundo bege ral 7032).

A GARAGEM possuirá a seguinte estrutura para cabeamento estruturado:



  • CP(40X40X12)cm de instalação embutida– Caixa de passagem onde chegará cabos de dados para interligar o rack’ e o cabo de voz.

  • RACK-2 de instalação aparente sobre piso.

  • Caixa tipo Air Stop com uma Caixa de embutir, com um disjuntor unipolar 25A, curva C, padrão DIN, e uma tomada (2P+T) 20A, 220VAC, marca Pial Legrand. Para eventual manutenção de equipamentos da sala.

  • Caixa de equalização de potenciais contendo uma barra de cobre (mínimo 155x50x6)mm através dos isoladores. Esta barra será utilizada para a interligação dos sistemas de proteção do DG e equipamentos a serem aterrados.

O Rack-2 atenderá seus respectivos pontos estruturados com cabos (1 # Multilam Plus Cat – 06A - 4 pares Furukawa) cor azul para dados e vermelho para voz.
ALMOXARIFADO:
No ALMOXARIFADO, a estrutura a ser instalada será composta por 1 DG-INTERNO de entrada, localizado na GUARITA, onde chega 1CB-CTP APL-50-20 pares e 1 CFO MM 6FO-FIBRA ÓPTICA 62,5/125 MM derivado da guarita e no campus, em 1x eletroduto PVC rígido, Φ 3” (75mm), ao lado será instalado um Rack 3 – 19” – 18”U’s Fabricante Furukawa, composto por 01 x DIO A-270 e 1 x Mini Gebic padrão ET 420L 1000 base-LX Edge-Core ou similar, onde recebe uma fibra da GUARITA.


  • Do DG-INTERNO na GUARITA, saem 1CB – CI 50-20 e 1 CFO MM 6FO-FIBRA ÓPTICA 62,5/125 MM conduzida ao RACK-01 19" - 18"U’s Fabricante Furukawa com portas de Acrílico ou vidro e chaves. Composto por;

  • 2 x Switch Fast Ethernet (24 portas 10/100 Mbps (RJ-45) c/ 4 portas Combo Gigabit EDGE CORE ES3528M L2/L4

  • 3 x Patch Panel CAT-6 pinagem A para rack 19"- altura 1U - cor preta - GigaLan Furukawa.

  • 1xDIO A-270 – 12 portas.

  • Mini Gebic padrão ET420L 1000base-LX Edge-Core ou similar.

  • estrutura soldada em aço sae 1020 1,5mm de espessura.

  • porta frontal embutida, armação em aço 1,5mm de espessura, com visor em acrílico fumê 2,0mm de espessura, com fechadura escamoteável.

  • 04 pés niveladores confeccionados em aço (bitola 8mm).

  • laterais e fundos removíveis 0,75mm de espessura com aletas de ventilação e fecho rápido.

  • teto chanfrado (angulado) 0,9mm de espessura com abertura para 02 ou 04 ventiladores.

  • kit de 1º e 2º plano móvel, 1,5mm de espessura com furos 9x9mm para porca gaiola.

  • guia argolas soldadas internamente nas colunas traseiras para acomodação de cabos.

  • base de 1,9mm de espessura com abertura na parte traseira para passagem de cabos.

  • pintura epóxi-pó texturizada (estrutura grafite ral 13.701, laterais, porta e fundo bege ral 7032).

A Sala técnica do ALMOXARIFADO possuirá a seguinte estrutura para cabeamento estruturado:



  • CP(60X60X12)cm de instalação embutida– Caixa de passagem onde chegará cabos de dados para interligar o rack’ e o cabo de voz vindo do DG interno.

  • RACK-3 de instalação aparente sobre piso.

  • Caixa tipo Air Stop com uma Caixa de embutir, com um disjuntor unipolar 25A, curva C, padrão DIN, e uma tomada (2P+T) 20A, 220VAC, marca Pial Legrand. Para eventual manutenção de equipamentos da sala.

  • Caixa de equalização de potenciais contendo uma barra de cobre (mínimo 155x50x6)mm através dos isoladores. Esta barra será utilizada para a interligação dos sistemas de proteção do DG e equipamentos a serem aterrados.

O Rack-3 atenderá seus respectivos pontos estruturados com cabos (1 # Multilam Plus Cat – 06A - 4 pares Furukawa) cor azul para dados e vermelho para voz.
Aplicabilidade e normas pertinentes:


  1. Os Cabos de uso interno deverão exceder os requisitos standards de performance para Cat.6A da norma TIA/EIA-568-B.2. Deverão garantir sua aplicação para tráfego de voz, dados e imagem e sistemas que requeiram grande margem de segurança sobre as especificações normalizadas para garantir suporte às aplicações como Gigabit Ethernet, 100Base-Tx, 155 Mbps ATM, 100 Mbps TP-PMD, Token ring, ISDN, Vídeo analógico e digital e Voz sob IP (VoIP) analógico e digital. Para cabeamento primário e secundário entre os painéis de distribuição (Patch Panels) ou conectores nas áreas de trabalho, em sistemas que requeiram grande margem de segurança sobre as especificações normalizadas para garantia de suporte às aplicações futuras.


Requisitos mínimos obrigatórios:


  • Características elétricas e performance testada em freqüências de até 350 MHz;

  • Possuir certificação de performance elétrica e flamabilidade pela UL ou ETL conforme especificações da norma ANSI/TIA/EIA-568B.2;

  • Marcação seqüencial;

  • Possuir identificação nas veias brancas dos pares correspondente a cada par ;

  • Deverá ser apresentado através de catálogos, testes das principais características elétricas em transmissões de altas velocidades (valores típicos) de ATENUAÇÃO (dB/100m), NEXT (dB), PSNEXT(dB), SRL(dB), RL(dB), DELAY(ηs/100m) ELFEXT(dB), PSELFEXT(dB) ACR(dB), para freqüências de 100, 200, 250, 300, 350 Mhz.

  • Cabo par trançado, UTP (Unshielded Twisted Pair), 24 AWG x 4 pares, composto por condutores de cobre solido, isolamento em poliolefina e capa externa em PVC não propagante a chama na cor Azul;

  • Possuir classe de flamabilidade CM impressa na capa, com o correspondente número de registro (file number) da entidade Certificadora (UL);

  • Deve ter disponibilidade pelo fabricante em 4 cores, prevendo futuras necessidades;

  • A cor do produto a ser fornecida é Azul;

  • Possuir impresso na capa externa do cabo a marca do fabricante e sua respectiva categoria (cat-6A);

  • O fabricante deverá oferecer uma garantia do produto por 25 (vinte e cinco) anos contra defeito de fabricação. (Esta deverá ser comprovada através de carta de solidariedade assinada e reconhecida firma pelo representante legal do fabricante endereçada a esse certame, podendo no dia da licitação solicitar documentação que comprove se quem assinou foi o representante legal);

  • Deverá ser apresentado certificação ISO 9001 e ISO 14000 do fabricante do produto;

  • O fabricante deverá apresentar a UL do produto ou comprovar através da internet (site) imprimindo e informando neste o endereço completo (link) da página que mostre o código do produto do fabricante com o número da UL;

  • As comprovações técnicas deverão ser apresentadas em catálogos, declaração do fabricante ou em páginas (sites) da internet, oficiais do fabricante que produz o conector. Caso essa seja extraída da internet, essa deverá conter o URL(endereço da internet) para pesquisa on-line da respectiva documentação.

  • O fabricante do conector, deverá possuir fábrica no Brasil e Distribuidor com sede em Goiânia, para suporte ao produto caso seja necessário;


Embalagem do produto:


  • Caixa com no mínimo 300m por embalagem;

  • Deverá ter 1 (uma) etiqueta colada na embalagem impressa o código de comercialização do fabricante do produto para fácil identificação antes da instalação, em um eventual problema de qualidade, assim não necessitando a abertura da embalagem;

  • Deverá ter identificado nesta etiqueta o numero do lote que o produto foi produzido, sem a necessidade de abrir a embalagem;


Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal