Estado da arte 86-96; cod6n data de entrada: 03/12/92



Baixar 1.07 Mb.
Página1/24
Encontro23.03.2018
Tamanho1.07 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   24

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. As relações educação e trabalho na escola do “não-trabalho” : o aluno-trabalhador e o professor 'não-trabalhador'. Porto Alegre, 1989. 315 p. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

ORIENTADOR(A): SOLARI, Carmen Lins Baia de.
DESCRIÇÃO:

Parte dos discursos genéricos legal e teórico sobre educação e trabalho e, passando pela prática concreta vivenciada em determinada comunidade escolar constituída por trabalhadores, procura chegar a um entendimento do real significado da "preparação para o trabalho" de modo que esta possa corresponder às reais necessidades do aluno e da escola, em que o estudo se desenvolve. A teorização resultante, especifica para a realidade dessa escola, objetiva: re-estruturar seu programa de preparação para o trabalho, de forma que possa ser significativo para alunos e professores; aprender a utilizar metodologia de trabalho adequada aos fins a que se propõe.


METODOLOGIA:

Pesquisa qualitativa, denominada de construção ou reconstrução, cujo problema principal consiste em saber como alcançar determinados objetivos e produzir determinados efeitos, pois a intenção é a injeção de informações na configuração do projeto. A escola estudada foi selecionada por adotar em seu plano de trabalho princípios gerais face a questão da preparação profissional, anunciando uma linha transformadora. A amostra constituiu-se em estudantes trabalhadores, que cursavam em 1987 a terceira série do segundo grau, sendo 37 do curso de Auxiliar de Administração e 16 do Programa de Preparação para o Trabalho (PPT), assim como professores e corpo técnico-administrativo. Para a coleta de dados utilizou-se de observações de aulas, do cotidiano da escola e dos processos de relacionamento; entrevistas e análise de documentos (Referencial Teórico da Escola, Plano Global da Escola, Programa de Implantação da Lei 7044/82, atas da Escola e trabalhos dos alunos).


CONTEÚDO:

Tem por objetivo chegar a um entendimento real do significado da "preparação para o trabalho", analisando a relação educação e trabalho sob dois pontos de vista: 1) o da escola (pública e noturna), seu discurso teórico e sua prática de ensino e 2) os aspectos sócio-econômico-político-culturais do estudante trabalhador (matriculado em curso profissionalizante). Apresenta o referencial teórico na qual se aborda a sociedade e a escola brasileira, com ênfase no modo de produção e na estrutura social capitalista. Faz, ainda, uma revisão geral do estado da arte relativo à questão das relações educação/trabalho, bem como a legislação pertinente. Também enfoca a conceituação da educação e trabalho que norteou a análise do entendimento e da postura da escola pesquisada. Descreve os procedimentos adotados e a trajetória de ação da pesquisa de campo. Relata a história da escola, seu referencial teórico, plano global, regimento.


CONCLUSÃO E RECOMENDAÇÕES:

A escola estudada não foge a regra no que se refere aos aspectos contraditórios de uma preparação para o trabalho. Ela exclui o aluno de seu interior e não auxilia aquele que nela permanece no processo de construção de sua identidade, como pessoa e integrante da classe trabalhadora. Não permite ao trabalhador-aluno a apropriação dos princípios teóricos e metodológicos explicativos de suas atividades laborais e nem mesmo prepara estritamente para o trabalho por meio dos cursos de habilitação. Assim a escola deve construir sua identidade - escola da classe trabalhadora -, negando a unilateralidade e construindo sua existência omnilateral. Ficou evidente que nada na área legal ou no planejamento do órgão central tolhe ou cerceia algum tipo de iniciativa, sendo que cabe à escola o esforço para as mudanças. Esta deve resgatar a face positiva da escola e do trabalho, buscando um salto qualitativo. A instrução politécnica, respaldada na pedagogia marxista, encontra limitações numa sociedade capitalista em que a lógica do capital prescinde do homem omnilateral e politécnico, como também pela carência de recursos humanos e físicos, que acabam até inviabilizando a proposta de profissionalização da legislação vigente. O anúncio de uma utopia na educação do trabalhador voltado para o interesse de classe exige o reconhecimento e a efetivação da necessária autonomia da escola, juntamente com as condições imprescindíveis que a possibilitem firmar uma clara concepção de educação, de trabalho e da relação entre ambos, entendendo essas categorias em suas relações histórico-conjunturais.


Inclui bibliografia.

ABRANTES, Wanda Medrado. A didática da educação básica de jovens e adultos : uma construção a partir da prática do professor. Rio de Janeiro, 1991. 241 p. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

ORIENTADOR(A): SOUZA, Maria Inês G. F. M. de.
DESCRIÇÃO:

Com a finalidade de trazer elementos para a discussão em torno da didática da educação básica de jovens e adultos, que tem como maior desafio assegurar o domínio da leitura e da escrita, tem por objetivos específicos: identificar a intencionalidade do professor no processo ensino-aprendizagem da leitura e da escrita, na perspectiva da formação do leitor crítico (dimensão política); compreender como o professor trabalha o conteúdo da área de linguagem, especificamente a leitura e a produção de textos escritos, na perspectiva crítica desse processo (dimensão técnica); verificar como a relação de poder se estabelece na interação professores e alunos (dimensão humana).


METODOLOGIA:

O estudo é caracterizado como uma pesquisa qualitativa do tipo etnográfica, sendo que uma escola foi observada de abril a dezembro de 1990 e a outra de outubro a dezembro do mesmo ano. Foram utilizadas as técnicas de observação direta e sistemática das atividades de sala de aula, assim como entrevistas com professores, alunos, diretores e outros profissionais da escola.


CONTEÚDO:

Contribuir na construção da didática da educação básica de jovens e adultos, a partir da pratica pedagógica do professor "bem sucedido" em suas dimensões: política (a intencionalidade do professor no processo ensino-aprendizagem da leitura e da escrita, na perspectiva da formação do leitor critico); técnica ("como" o professor trabalha esse processo); humana (a relação professor x aluno). Confronta as práticas de duas professoras: uma de escola particular e religiosa e uma de estabelecimento público de caráter não educacional, ambas localizadas no Município do Rio de Janeiro. Tem como embasamento teórico a Didática Crítica atual. Os dados foram coletados através de observações diretas e entrevistas. Conclui que o que caracteriza a pratica de um bom professor e a articulação entre as dimensões política, técnica e humana, tendo o fazer pedagógico concreto como um campo de investigação e analise.


CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES:

O estudo, que inicialmente propunha-se analisar o fazer pedagógico, acabou por constituir-se em situação de capacitação, pois ao analisar sua prática, o professor teve a oportunidade de identificar e avaliar a teoria que a sustenta, para em seguida superar ou reforçar os procedimentos que utiliza nas aulas. A idéia central é que para que ocorram mudanças na prática deve-se partir dos dados concretos dessa prática; o professor precisa ser estimulado a investigá-la e analisá-la à luz de uma teoria crítica, visando transformar suas concepções. Essa proposta deve pautar qualquer programa de tenha por intenção capacitar professores. Quanto às escolas, a infra-estrutura que sustenta as práticas analisadas são consideradas atípicas, tanto no que se refere a parte física e financeira, como em relação a estrutura do curso e o apoio pedagógico. Entretanto, os resultados do processo ensino-aprendizagem apresentaram-se limitados devido as situações desfavoráveis da vida do aluno, como o cansaço. A evasão está relacionada com a troca de emprego e a distância da residência. Em relação ao fazer pedagógico, o que caracteriza a prática de um bom professor é a articulação entre as dimensões política, técnica e humana. Esta última está representada na relação de diálogo e participação entre professores e alunos no processo ensino-aprendizagem. A dimensão política consiste na capacidade de análise da estrutura e conjuntura da sociedade brasileira, identificando a posição dos alunos na estrutura social e suas implicações e o papel que assume a aprendizagem da leitura e da escrita. A dimensão técnica está em saber viabilizar a concepção democrática e crítica em ação pedagógica, ou seja, a utilização de procedimentos que levem o aluno a adquirir as habilidades necessárias para se constituírem em leitores críticos.


Inclui bibliografia.

ALBUQUERQUE, Maria Lucimar Miranda de. Uma experiência de educação comunitária no contexto da política social do Estado. Fortaleza, 1988. 181 p. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Ceará.

ORIENTADOR(A): DAMASCENO, Maria Nobre.
DESCRIÇÃO:

Analisar criticamente a prática pedagógica realizada pelo Projeto Rondon na área do Parque São Miguel, uma favela da periferia de Fortaleza, procurando verificar: que tipo de saber estava sendo gerado ou reproduzido; que há nesse saber que ajuda as classes populares; que relações de poder esta prática estaria produzindo; quais as conseqüências em termos da organização do grupo. Analisar, com base no conceito marxista das relações sociais e de produção, as condições sociais dos moradores da favela, tomando como ponto de partida suas necessidades e sua inserção no processo produtivo. Verificar o papel da prática pedagógica na formação da consciência política e social dos alunos, e até onde esta prática contribui para a construção de um projeto político voltado para a transformação da realidade desigual, injusta e opressora em que vive este grupo.


METODOLOGIA:

Utiliza o modelo de pesquisa participativa, que tem como perspectiva teórica a luta de classes, privilegiando os investigados como sujeitos, permitindo melhor apreensão da realidade pelo pesquisador. A escolha deste modelo se deu pela ênfase que dá à questão pedagógica. Para elaboração dos procedimentos da investigação buscou respaldo em Thiollent. Na delimitação da área de investigação escolhe a comunidade Parque São Miguel na periferia de Fortaleza. Trabalha com dois grupos: o primeiro constituído pelos moradores (diretores e sócios da Associação dos Moradores e pessoas que participaram do programa do Projeto Rondon desde o início); o segundo pelos agentes educadores do Projeto Rondon. Com os moradores foram realizadas reuniões, visitas domiciliares, encontros e atividades. Foram entrevistadas 15 pessoas (12 membros da diretoria e 3 moradores que participaram do trabalho desde o início). Os procedimentos utilizados para a investigação foram: estudo da documentação, observação-questionamento, entrevista e visitas domiciliares.


CONTEÚDO:

Pesquisa sobre educação popular, na qual se investigam os efeitos de uma prática educativa, desenvolvida dentro do Projeto Rondon, visando a formação do saber como instrumento de organização comunitária. O referencial teórico é de inspiração dietética. Usa o conceito operacional de educação popular, valorizando a produção e reelaboração do conhecimento pelas camadas populares. Toma como universo a Comunidade do Parque São Miguel, periferia de Fortaleza, CE. Foi escolhida uma amostra populacional, que se estudou pelo método de pesquisa participante, centrada nas técnicas de entrevistas semi-estruturadas, observação, questionário, conjugados a participação em eventos da comunidade e visitas domiciliares. Constata que os agentes do Projeto Rondon estavam comprometidos com a organização do grupo, buscando construir, junto a este, um saber que pudesse se tornar instrumento de afirmação de seus interesses. Foi estabelecida, na prática pedagógica, uma parceria entre agentes e comunitários, possibilitando mudanças no comportamento da comunidade e no seu processo de organização.


CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES:

Foi possível constatar que o trabalho mediado pelo Estado não é monolítico. A análise da prática indica o comprometimento dos agentes do Projeto Rondon com a organização do grupo com quem trabalham, na medida em que buscam, juntamente com este, construir um saber que se torne um instrumento de afirmação de seus interesses, se contrapondo, desta forma, a ideologia dominante. O resultado da análise da dimensão pedagógica mostra que são estabelecidas relações de parceria entre rondonistas e comunitários, supondo a existência do saber do agente externo e do saber do agente comunitário. Através do resultado da análise da dimensão política foi possível verificar que a prática deste grupo indica que seus componentes assimilam a idéia de coletivo e percebem que o fortalecimento do poder popular se dá mediante a apropriação do saber, que estimula a todos a se comprometerem com as lutas pela superação dos problemas comuns. Houve um aprendizado, que influiu significativamente nas atitudes e comportamentos da comunidade e no seu processo de organização.


Inclui bibliografia.

ALMEIDA, Elisabeth Gomes de. Na relação escola-trabalho, o sonho que ainda permanece : um estudo sobre a representação que alunos da suplência II da rede municipal de ensino fazem da socialização escolar. São Paulo, 1993. 97 p. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo.

ORIENTADOR(A): GOMES, Jerusa Vieira.
DESCRIÇÃO:

O trabalho se propõe a investigar a representação social construída pelos alunos do ensino supletivo da rede municipal de ensino do Município de São Paulo, quando referida a função socializadora da escola, tendo em vista a relação escola-trabalho. O aluno, ao apontar as qualidades e habilidades necessárias ao trabalho - exercido ou a exercer futuramente- e com quais delas a escola é responsável pelo seu desenvolvimento, explicitará os elementos que permitirão a construção das categorias de análise pertinente a representação da socialização promovida pela escola, por ele elaborado.


METODOLOGIA:

Para a obtenção dos dados foram realizadas entrevistas com a coordenadora pedagógica e com a diretora e foram aplicados questionários a 70 alunos, complementados por 12 entrevistas. A escolha dos alunos para serem entrevistados baseou-se nas respostas mais adequadas apresentadas ao questionário, tendo em vista o objetivo da pesquisa: as que revelaram a existência de um projeto de vida - escolaridade e ocupação -, vivência no mundo do trabalho, entre solteiros e casados, homens e mulheres, de modo a permitir a organização de subgrupos.


CONTEÚDO:

Analisa a representação social construída pelos alunos do último semestre (4º termo ou 8ª série) do curso de suplência II de uma escola da rede municipal de ensino da cidade de São Paulo, sobre a contribuição da escola para as exigências do mundo do trabalho. A pesquisa tem como referência teórica o conceito de sociabilização secundária de Peter Berger e Thomas Luckmann, o conceito de representação social de Denise Jodelet e estudos sobre a clientela do ensino supletivo e a relação escola-trabalho. Os dados foram obtidos através de questionários e entrevistas no período de outubro de 1991 a agosto de 1992. Os resultados confirmam que é atribuído a escola o mérito de possibilitar a superação de dificuldades impostas pelo mundo do trabalho e de ascensão social. Conclui que ao conhecer as representações sociais construídas pelos alunos sobre a relação escola/trabalho, a escola poderá melhor contribuir para a formação do trabalhador.


CONCLUSOES E RECOMENDAÇÕES:

Entre os alunos pesquisados, considerou-se as representações daqueles que estão fora do mercado de trabalho e que possuem diante da escola expectativas que nem sempre estão claras e os meandros do mundo trabalho que lhe são complexas. Os dados obtidos confirmam as características sócio-econômicas já apontadas por estudiosos da área. Atribui-se a escola o mérito de possibilitar a superação de dificuldades impostas pelo mundo do trabalho e de ascensão social. A intenção é sair das ocupações manuais para as consideradas intelectuais (apesar desses conceitos não conferirem com conceitos mais atuais sobre trabalho manual e intelectual). Reconhecem que a escola oferece habilidades básicas para a obtenção posterior de um conhecimento técnico, além de atribuírem a ela a qualificação social, ou seja, aprenderem tratar bem as pessoas, a defender seus direitos e discutir sobre vários assuntos. Ao conhecer as representações sociais construídas pelos alunos sobre a relação escola/trabalho, a escola poderá melhor contribuir para a formação do trabalhador.


Inclui bibliografia.

ALMEIDA, José Luís Vieira de. A questão pedagógica da educação popular : uma análise da prática educativa da educação popular no Brasil - período : décadas de 60 a 80. Campinas, 1988. 144 p. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual de Campinas.

ORIENTADOR(A): VIEIRA, Evaldo Amaro.
DESCRIÇÃO:

Discutir a questão pedagógica da educação popular a partir da análise histórica da ação dos educadores populares nas décadas de 60-80.


METODOLOGIA:

Análise das características dos documentos produzidos na área de educação popular, na época em questão. Reflexão acerca das características da direção em educação popular. Discussão e articulação das informações coletadas bem como das idéias apreendidas.


CONTEÚDO:

Pesquisa de cunho bibliográfico sobre a prática dos educadores populares brasileiros, com o objetivo de elaborar uma análise do processo histórico da ação desses profissionais, desde os anos 60 até os dias atuais, buscando desenvolver uma síntese da mesma. Elabora reflexão a partir da análise de textos e documentos produzidos nesse campo educacional no período, no sentido de captar a concepção de método e técnica dessas experiências. Destaca a importância de se realizar a análise desse processo (periodizado em décadas: 60, 70 e 80), dado que os princípios norteadores da prática de educação popular são muito diferentes nesses períodos. Conclui, discorrendo sobre a relação pedagógica estabelecida nas práticas educacionais populares e da necessidade de se reconstruir o vínculo entre o pedagógico e o político no processo educativo, enquanto via de superação dos problemas pelos quais passa a educação popular ao final dos anos 80.


CONCLUSOES E RECOMENDAÇÕES:

Discorre que o estudo da questão pedagógica na educação popular, concernente às décadas de 60 a 80, se caracteriza pela análise da relação educando-educador segundo dois enfoques: o das relações de poder, inerente a ação pedagógica; e o da distinção entre o pedagógico e o político na ação educativa. Estes enfoques, apesar de terem sido abordados separadamente nas décadas de 60 e 70, respectivamente, ainda se colocam enquanto questões a serem analisadas e superadas. Daí a busca de uma síntese que comporte esses enfoques, de maneira a se ter uma resposta, um caminho que aproxime a educação popular da educação escolar.


Inclui bibliografia.

ALMEIDA, Laurinda Ramalho de. O Projeto Noturno : incursões no vivido por educadores e alunos de escolas públicas paulistas que tentaram um jeito novo de caminhar. São Paulo, 1992. 212 p. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

ORIENTADOR(A): MAHONEY, Abigail Alvarenga.
DESCRIÇÃO:

Compreender o significado do Projeto Noturno a partir das impressões dos sujeitos envolvidos nessa experiência (diretores, coordenadores, professores e alunos), considerando ser essa uma proposta de reestruturação do ensino na qual coube a cada escola e sua equipe elaborar e efetivar seu próprio projeto.


METODOLOGIA:

Pesquisa qualitativa realizada por meio de entrevistas semidirigidas (individuais e coletivas), coleta de depoimentos e análise de discurso. Adota a linha de investigação proposta por Amedeo Giorgi, a qual estabelece relações entre os embasamentos fenomenológicos e os procedimentos de pesquisa na área da psicologia.


CONTEÚDO:

Pretende captar e compreender o significado da experiência de participação no Projeto Noturno a partir da visão dos sujeitos envolvidos. Adotou como universo de pesquisa algumas escolas que participaram, com êxito, do Projeto Reestruturação Técnico-Administrativa e Pedagógica do Ensino de 1º e 2º graus da rede estadual, Projeto Noturno, implantado pela Secretaria da Educação de São Paulo em 1984. A coleta de dados, ocorrida nos últimos quatro meses de 1986, foi realizada por meio de entrevistas e questionários destinados a diretores, coordenadores, professores e alunos. Conclui destacando que a análise dos depoimentos revelou a trama das relações interpessoais que se estabeleceu no interior das escolas como conseqüência da forma de apresentação do Projeto pela Secretaria. Revelou, também, que cada escola desenvolveu seu próprio projeto pedagógico, tendo as relações interpessoais desempenhado um papel importante na realização das intenções propostas.


CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES:

Houve uma mudança profunda e total na política dos relacionamentos interpessoais dos sujeitos envolvidos nas experiências bem sucedidas do Projeto Noturno. Essas conseguiram abranger toda a escala de relações existentes dentro do universo escolar, fazendo com que professores e alunos passassem por um processo de aprendizagem significativa, baseado na qualidade do envolvimento pessoal que modificou profundamente as atitudes e provocou a formação de novos valores de convívio. Considera que o verdadeiro ganho do Projeto Noturno está no fato de ter possibilitado a construção de uma nova identidade aos que dele participaram com sucesso.


Inclui bibliografia.

ALVARENGA, Márcia Soares de. A inter-relação entre educação popular e organização comunitária como um fator de contribuição da cidadania : um estudo de caso. Rio de Janeiro, 1991. 120 p. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

ORIENTADOR(A): LESBAUPIN, Yves do Amaral.
DESCRIÇÃO:

Investiga em que medida o Projeto de Educação Básica para a Baixada Fluminense, desenvolvido pela Associação de Moradores do Bar dos Cavaleiros e conveniado a Fundação Educar/UNICEF até 1989, contribuiu para concretização e construção de um projeto de cidadania para a comunidade que atendeu.


METODOLOGIA:

Análise de discurso e representações. Coleta de dados através de entrevistas. Análise dos discursos a partir de estrutura metodológica desenvolvida por Lesbaupin em pesquisa sobre os direitos humanos na perspectiva das classes trabalhadoras, cuja conclusão indica que os direitos são fundamentalmente necessidades ou exigências não atendidas e que, muitas vezes, a descrição de um problema é uma comprovação implícita da existência de um direito.


CONTEÚDO:

Investiga em que medida um programa de educação popular implantado na Baixada Fluminense em 1986, organizado pela Fundação EDUCAR e co-gestionado por Associações de Moradores, contribuiu para a construção de um projeto de cidadania nessas comunidades. Realizou coleta de dados através de entrevista com sujeitos envolvidos no projeto, assim agrupados: 35 alunos, 4 professores e 7 líderes da associação de moradores. Conclui chamando a atenção para o fato de que para os alunos, a condição de cidadão esta vinculada ao elemento econômico. Destaca, ainda, que a associação de moradores pesquisada apresenta-se como uma das bases para as transformações democráticas na sociedade.


CONCLUSÃO E RECOMENDAÇÕES:

Discorre sobre algumas dificuldades da pesquisa e sobre os resultados do Projeto Baixada naquela comunidade, no sentido de constatar o êxito ou não de uma proposta de construção da cidadania. Constata que os alunos vinculam o exercício da cidadania ao elemento econômico e que a associação de moradores ainda é tida como espaço e via para as transformações democráticas. Confirma a realidade de que o povo brasileiro não atingiu o estágio de cidadania na medida em que sua grande maioria se encontra excluída dos mais elementares direitos sociais, sem acesso aos bens materiais, culturais e tecnológicos produzidos pela sociedade. Destaca a idéia de que caberia aos movimentos populares organizados a tarefa política de, redimensionando a sua prática, atuar pela ampliação da democracia e lutar progressivamente pelos direitos que compõem, concretamente, o estado de cidadania da população brasileira.


Inclui bibliografia.

ALVARIM, Vânia Maria de Souza.



Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   24


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal