Evolução institucional do Estado brasileiro pós-1930



Baixar 23.62 Kb.
Encontro02.04.2018
Tamanho23.62 Kb.

Fundação Getulio Vargas – EAESP

Pós-Graduação em Administração Pública e Governo (APG)

Disciplina: "Evolução institucional do Estado brasileiro pós-1930"



Prof. Francisco Fonseca

Ementa:

A partir da problematização do conceito de “instituição”, a disciplina objetiva analisar a formação do Estado brasileiro entre 1930 aos dias de hoje. Para tanto, refletirá sobre a formação e desdobramentos do aparelho do Estado, sobre o papel dos três poderes na história recente do país (incluindo-se agências regulatórias) e sobre a criação das instituições de fomento e crédito, dado que cruciais ao desenvolvimento. Instituições específicas serão analisadas referentes a estas três dimensões.

A evolução institucional do Estado brasileiro será, por seu turno, refletida à luz da formação social brasileira, das classes sociais e de agrupamentos sócio/políticos em contenda.

Por se tratar de disciplina eletiva, questões de interesse dos alunos, e cabíveis na disciplina, poderão ser inseridas no curso.

Por fim, pretende-se que o trabalho final seja em forma de artigo com vistas a enviá-lo a revistas acadêmicas e também subsidiar possíveis participações em congressos acadêmicos, tais como Enanpad, Enapg, Anpocs, ABCP, entre outros.

Cronograma aula-a-aula


  1. AULA – Apresentação do curso e dos alunos

  2. AULA – Francisco Weffort – Texto: “Formação do Pensamento Político Brasileiro”

  3. AULA – Oliveira Viana – Texto: “Instituições Políticas Brasileiras”

  4. AULA – Edson Nunes – Texto: “Gramática Política do Brasil”

  5. AULA – Palestra Prof. Paulo Emílio, Ebape – formação do Estado brasileiro

  6. AULA – O poder executivo – texto a ser indicado

  7. AULA – Sônia Draibe – Texto: “Rumos e Metamorfoses”

  8. AULA – Luciano Martins – Texto: “Estado e Burocracia no Brasil Pós-1964”

  9. AULA – Evento sobre a crise da representação política contemporânea

  10. AULA – Os três poderes – texto a ser indicado

  11. AULA – Edson Nunes et. al. – Texto: “Agências Reguladoras”

  12. AULA – Instituições Econômicas do Estado – texto a ser indicado

  13. AULA – Palestra Prof. Eduardo Raposo, PUC/RJ (Banco Central)

  14. AULA – Apresentação de Trabalhos

  15. AULA – Apresentação de trabalhos

Obs.: trata-se de cronograma indicativo que, dependendo das necessidades dos alunos, poderá ser ajustado.

AVALIAÇÃO

40% - Prova

40% - Entrega do trabalho impresso

20% - Apresentação de trabalho em sala



METODOLOGIA

Aulas expositivas, debates em sala, palestras de convidados e exercícios.



BIBLIOGRAFIA GERAL

ALMINO, João. Os Democratas Autoritários. São Paulo, Brasiliense, 1980

AVRITZER, Leonardo (2002). Democracy and the Public Space. Princeton: Princeton University Press.

BETHEL, Leslie (org.). Brasil, Fardo do Passado, Promessa do Futuro – dez ensaios sobre política e sociedade brasileira. R. de Janeiro, Civilização Brasileira, 2002.

BIELSCHOWSKY, Roberto. O Pensamento Econômico Brasileiro. R. de Janeiro, IPEA/INPES, 1988.

BONFIM, Manoel. A América Latina. Rio de Janeiro: Topbooks Editora, 1993.

BRESSER PEREIRA, L. Carlos et. al (orgs.). Sociedade e Estado em Transformação. São Paulo, Unesp/ENAP, 2001.

BRUNHOFF, Suzanne de. A Hora do Mercado: Crítica do Liberalismo. São Paulo, Unesp, 1991

CALDEIRA, Jorge. Mauá, empresário do Império. S. Paulo, Cia. das Letras, 1997.

CARDOSO, Fernando Henrique “Livros que inventaram o Brasil”. Novos Estudos Cebrap 37: 21-35, 1993.

COCKETT, Richard. Thinking the Unthinkable (Think-Tanks and the Economic Counter-Revolution, 1931-1983). London, HarperCollins, 1995

COUTINHO, Carlos Nelson. Marxismo e Política: A Dualidade de Poderes e Outros Ensaios. São Paulo, Cortez, 1994

DEBRUN, Michel. A Conciliação e Outras Estratégias. São Paulo, Brasiliense, 1985.

DRAIBE, Sônia. "As Políticas Sociais e o Neoliberalismo” In Revista USP: Dossiê Liberalismo/Neoliberalismo, nº 17, março/abril/maio de 1993.

_____________ Rumos e Metamorfoses – Estado e industrialização no Brasil: 1930/1960. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1985.

ERICKSON, P. Kenneth. Sindicalismo no Processo Político no Brasil. R. de Janeiro, Paz e Terra, 1979.

FAORO, Raymundo. Os Donos do Poder. Porto Alegre/São Paulo: Editora Globo e Editora da Universidade de São Paulo, 1975.

FERNANDES, Florestan. A Revolução Burguesa no Brasil. Várias edições.

FIORI, José L. Em Busca do Dissenso Perdido. R. de Janeiro, Insight, 1995

FORRESTER, Viviane .O Horror Econômico. São Paulo , Unesp, 1997

FURTADO, Celso. Subdesenvolvimento e Estagnação na América Latina. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1966.

GENTILI, Pablo e SADER, Emir. Pós Neoliberalismo – As Políticas Sociais e o Estado Democrático. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1995

GUDIN, Eugênio e SIMONSEN, Roberto. A Controvérsia do Planejamento na Economia Brasileira. Rio. de Janeiro, IPEA/INPES, 1978.

HALL, Stuart & JACQUES, Martin (orgs). The Politics of Thatcherism. London, The Camelot Press, 1983.

HARDIN, Russel. Liberalism, Constitutionalism, and Democracy. Oxford, Oxford University Press, 1999.

HELLEINER, Eric. “From Bretton Woods to Global Finance: A World turned Upside Down” In Stubbs, R. e Undershill, R. (eds.). Political Economy and the Changing Global Order. St. Martins’s Press, New York, 1994



HOBSBAWM, Eric. A Era dos Extremos: O Breve Século XX (1914 1991). S. Paulo, Cia. das Letras, 1995

LAMOUNIER, B. (org.). De Geisel a Collor: O Balanço da Transição. S. Paulo, Sumaré, 1990.

LEAL, V. Nunes. Coronelismo, Enxada e Voto. S. Paulo, Alfa-Omega, 1978.

MARTINS, Luciano. Estado e Burocracia no Brasil pós-64. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1985.

MOTA, Carlos Guilherme. Ideologia da Cultura Brasileira. São Paulo: Ática, 1977.

MOTA, Lourenço Dantas (org.). Introdução ao Brasil: um Banquete no Trópico. São Paulo: Editora Senac, 1999.

NABUCO, Joaquim. Um Estadista no Império. Várias edições.

NUNES, Edson. A Gramática política no Brasil. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1997.

_____________ et. al. Agências Reguladoras e Reforma do Estado no Brasil – inovação e continuidade no sistema político institucional. R. de Janeiro, Garamond, 2007.

O´DONNELL, Guillermo et. al. (orgs.) Transições do Regime Autoritário. R. de Janeiro, Paz e Terra, 1986.

OLIVEIRA VIANNA, Francisco J. Instituições Políticas do Brasil. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, Editora da Universidade de São Paulo, Universidade Federal Fluminense, 1987.

PAIM, Antonio. A Querela do Estatismo. R. de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1978 .

REIS VELLOSO, J. P. (coord.). Brasil 500 anos. Futuro, Presente, Passado. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 2000.

REIS, Fábio Wanderly e O’DONNELL (orgs.). A Democracia no Brasil: Dilemas e Perspectivas. São Paulo, Vértice, Editora Revista dos Tribunais. 1988.

REIS, José Carlos. As Identidades do Brasil. 2 vol. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 2006.

ROTHERMUND, Dietmar. The Global Impact of the Great Depression (1929-1939). London/New York, Routledge, 1996.

SAES, Décio. A Formação do Estado Burguês no Brasil (1888-1891). São Paulo, Paz e Terra, 1985.

SALLUM JR, Brasílio e KUGELMAS, Eduardo. “O Leviatã Acorrentado: a Crise Brasileira dos Anos 80” in SOLA, Lourdes (orgª). Estado, Mercado e Democracia. São Paulo, Paz e Terra, 1993.

SANTOS, W. Guilherme. Cidadania e Justiça. R. de Janeiro, Campus, 1987.

SOLA, Lourdes (orgª). Estado, Mercado e Democracia. São Paulo, Paz e Terra, 1993.

SORJ, Bernardo. A Nova Sociedade Brasileira. R. de Janeiro, Jorge Zahar, 2002.

VELASCO E CRUZ, Sebastião C. “1975/1976. “Luzes e Sombras: O discurso antiestatizante.” In O Presente como História: Economia e Política no Brasil Pós-64. Campinas, Ed. Unicamp/IFCH, 1997, Coleção Trajetória 3

VIANNA, Luiz Werneck. A Revolução Passiva – Iberismo e americanismo no Brasil. R. de Janeiro, Revan, 1997.

WEFFORT, Francisco. Formação do Pensamento Político Brasileiro – idéias e personsagens. São Paulo, Ática, 2006.



Obs.: esta bibliografia poderá ser complementada. Leituras complementares serão sugeridas no decorrer do curso.



Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal