Faculdade de Tecnologia Estácio de Sá de Belo Horizonte



Baixar 278.84 Kb.
Página5/5
Encontro29.11.2017
Tamanho278.84 Kb.
1   2   3   4   5



Furrundum 6 porções | PANTANAL

1/2 mamão verde médio

1/2 rapadura



1 pedaço de gengibre, ralado

Retire as sementes do mamão e lave bem.

Rale num ralo grosso e ponha numa panela ou tacho, cubra com água e deixe ferver por 30 minutos no fogo forte. Escorra bem e lave em água corrente, espremendo bem até esfriar.

Volte ao fogo o mamão e a rapadura, mexendo até derreter. Deixe cozinhar em fogo baixo, até aparecer o fundo da panela. Acrescente um pouquinho de gengibre e retire do fogo. Deixe esfriar antes de servir.




Aberém 20 unidades | PANTANAL

1/2 kg de milho amarelo seco em grãos, de boa qualidade, de preferência orgânico

2 litros de água



6 cravos

1/2 xícara (chá) de açúcar

Folhas de bananeira


Lave o milho e coloque-o de molho em 2 litros de água. Deixe fermentar em recipiente fechado (um pote de barro seria o ideal), mantendo em temperatura ambiente por 4 dias.

Escorra, bata tudo no liquidificador com nova água, na proporção de 2 partes de água para 1 parte de milho.

Volte ao recipiente para fermentar por mais 2 dias. Coe em peneira fina e leve o líquido ao fogo com os cravos e o açúcar, mexendo sem parar até obter consistência de manjar.

Corte as folhas de bananeira em quadrados de 15 cm, passe-as pela chama do fogo para que amoleçam.

Enrole o manjar nas folhas fazendo os aberéns no formato de balas cilíndricas amarradas com embira (espécie de palha) nas pontas. Leve-os para ferver em água por 10 minutos. Depois de frio, mantenha na geladeira




Doce de abóbora glaçada 10 porções | CERRADO

1 kg de abóbora de pescoço bem madura, descascada e cortada em cubos bem regulares de 3 cm

5 colheres (sopa) de cal virgem



750 g de açúcar

1 pau de canela

10 cravos


Coloque os cubos de abóbora de molho e deixe durante uma três horas em uma solução de 3 litros de água e o cal virgem (este preparado deve ser suficiente para cobrir totalmente a abóbora). De vez em quando vire os pedaços de abóbora. Escorra a água, lave em água corrente e escalde com água quente. Com um garfo, faça furos em cada um dos pedaços.

Em um tacho de cobre, faça uma calda em ponto de fio leve com o açúcar, 1 1/2 litro de água e as especiarias. Coloque os pedaços de abóbora nesta calda, mantenha em fogo brando, sem mexer, até que fiquem translúcidos.

No dia seguinte, retire cuidadosamente a abóbora da calda e ponha para escorrer em peneira, deixando secar ao Sol. Está pronto para servir.




Alfenins 20 unidades | GOIÁS

1/2 kg de açúcar refinado

1 1/2 xícara (chá) de água



20 gotas de suco de limão

Polvilho doce (goma)



Numa panela, junte o açúcar, a água e as gotas de limão, misture bem e leve ao fogo forte. Não mexa para não açucarar. A calda irá formar uma espuma que subirá e descerá, suavizando a fervura, tornando-se ligeiramente amarelada.

Numa assadeira, espalhe uma boa quantidade de polvilho.

Numa panela grande, ponha água e bastante gelo.

Com uma colher (sopa) inclinada, tire um pouco da calda e deite na água gelada para testar o ponto. Pegue a calda com a mão e amasse. O fio formado deverá “triscar”, ficará quebradiço, estalando quando partido. Isso ocorrerá uns 25 minutos depois de iniciada a fervura da calda, que em Goiânia é chamada de melado.

Para esfriar mais rapidamente, divida a calda por 4 vasilhas e deixe descansar por uns 25 minutos, até esfriar e secar. Leve novamente ao fogo apenas para se tornar maleável.

Tire a calda de uma das vasilhas e comece a trabalhar puxando a massa com as duas mãos, puxando aquela massa elástica, tornando a ajuntá-la, afastando novamente, até ficar branda e ainda maleável, como se estivesse puxando uma massa de bala de coco.

Divida em bolinhas do tamanho de uma noz, deposite as bolinhas sobre a assadeira polvilhada. Comece então a formar as figuras desejadas, recortando com a tesourinha para ajudar a esculpir. Se a massa endurecer demais, umedeça ligeiramente os dedos para que amacie um pouco. Cada vez que apanhar uma nova bolinha, puxe-a até que volte a ficar firme e maleável.

Vá polvilhando as mãos e os dedos à medida que ficarem melados e difíceis de trabalhar. As caldas que ficam nas outras vasilhas ficam firmes e duras. Junte 1/2 colher (sopa) de água e leve ao fogo por uns 15 segundos apenas para que se torne maleável.

Para pintar os bichinhos use corante alimentício para bolo dissolvido em água adoçada com açúcar cristal para ficar mais firme e não escorrer. Como pincel, utilize um palito.

Leve ao sol da manhã para secar por 2 horas.





Pastelinhos 12 unidades | GOIÁS

200 g de farinha de trigo

20 g de manteiga

10 g de óleo

1 ovo


1 pitada de açúcar

Água para dar o ponto (aprox. 40 ml)

1 pitada de sal

140 g de doce de leite

Canela, para polvilhar



Para a massa, incorpore a farinha, a manteiga, o óleo, o ovo, o açúcar, uma pitada de sal e a água, sem trabalhar demais a massa.

Embrulhe em plástico e deixe descansar enquanto prepara o recheio.

Unte e forre forminhas pequenas para empadinhas com a massa, formando ondas ao redor.

Leve ao forno pré-aquecido a 180 ºC até a massa dourar.

Tire do forno, recheie com doce de leite e volte ao forno apenas para derreter o doce.

Sirva à temperatura ambiente, polvilhados com canela.





_________________________________________________________________________________________________



REGIÃO CENTRO-OESTE


Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal