Feijão preto e carioca (Phaseolus vulgaris L.) Na região de lages, sc



Baixar 5.52 Kb.
Encontro02.02.2018
Tamanho5.52 Kb.

ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE FENOTÍPICA EM GENÓTIPOS DE

FEIJÃO PRETO E CARIOCA (Phaseolus vulgaris L.) NA REGIÃO DE LAGES, SC.1


Altamir Frederico Guidolin2, Pedro Patric Pinho Morais3
Palavras-chave: Adaptabilidade – Estabilidade – Phaseolus vulgaris.
A obtenção de novas cultivares de feijão (Phaseolus vulgaris L.) com características agronômicas desejáveis vem aumentando com o passar do tempo, o que evidencia maior preocupação com a interação entre genótipos x ambientes, isto é, com as diferenças no comportamento das linhagens e das cultivares, em diversos locais, anos agrícolas e épocas de semeadura. O objetivo deste trabalho foi avaliar genótipos de feijão que apresentam maior adaptabilidade e estabilidade de rendimento conduzidos em ensaio de valor de cultivo e uso em diferentes anos agrícolas, com vista a sua utilização em programas de melhoramento e também para indicação aos agricultores da região. Os ensaios foram conduzidos na área experimental do Instituto de Melhoramento e Genética Molecular da UDESC (IMEGEM), em Lages SC. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado com quatro repetições por tratamento [16 genótipos dos grupos preto e carioca, em três anos agrícolas (06/07, 07/08 e 08/09)], após a análise conjunta para todos os ambientes, foram determinados os parâmetros de adaptabilidade e estabilidade, conforme EBERHART & RUSSEL (1966). Sendo destaques de produção as cultivares IPR Graúna e BRS Campeiro para o grupo Preto, linhagem CHC 97-15 e cultivar BRS Horizonte para o grupo Carioca. Na análise de adaptabilidade destaca-se o FTs Soberano (grupo preto) e FTs Magnífico (grupo carioca). Os genótipos dos dois grupos não apresentaram diferenças significativas em relação à estabilidade, logo apresentam boa estabilidade em todos os ambientes testados.

1 Projeto de Pesquisa CAV/UDESC.



2 Orientador. Departamento de Agronomia, Instituto de Melhoramento e Genética Molecular da UDESC (IMEGEM), Programa de Pós Graduação em Produção Vegetal. Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) Lages, SC.

3 Acadêmico do Curso de Agronomia – CAV/UDESC, bolsista de iniciação científica do PIBIC.

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal