Filosofia da Educação



Baixar 0.82 Mb.
Página9/12
Encontro05.12.2017
Tamanho0.82 Mb.
1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   12
4. A autoridade delegada

Jesus não veio ao mundo para fazer o trabalho por si mesmo. Ao contrário, ao treinar os 12 discípulos, foi –se ao céu para dirigir ao reino de lá. Pois, como relaciona – se nos céus e o reino na terra? Veremos que há uma ordem de delegação de responsabilidades. Este processo do reino começa com Deus o Pai e volta ao Pai. É um circulo que inclui a todos os cristãos.



  1. Do Pai (Atos 1:4)

  2. Pelo Filho (Atos 1: 1 – 2)

  3. Pelo Espírito santo (Atos 1:2,5,8 Atos 2)

  4. Com a Palavra de Deus (Atos 1: 1 –2 Atos 2:42)

  5. Aos líderes cristãos (Efésios 4:11), incluindo os professores.

  6. Para todos os cristãos (Efésios 4:12)

  7. Para o ministério de Cristo no mundo (Efésios 4:12)

  8. Para a glória de Deus (Romanos 11:36)

A Grande Comissão não é somente para os primeiros discípulos, como afirma o grande erudito, João Calvino, em seu contrário sobre Mateus 28:20. A Grande Comissão foi dada em forma de um mandado aos primeiros discípulos para que eles pudessem compartilha – la com os novos discípulos. Assim, a igreja apostólica passa uma geração à outra. Esta delegação é por meio do ensino. (II Timóteo 2:2).

Minha esposa, Sandra, foi usada por Deus para abrir um colégio cristão em Sabana Grande de Boya, República Dominicana em 1983. Antes de iniciar o colégio, no trabalho de implantar uma igreja, umas das primeiras convertidas foi Milagros Compres, professora em uma escola pública. Pouco tempo depois, Sandra e Milagros iniciaram as primeiras classes para o colégio. Sandra dedicou – se a escrever os planos dos professores para muitos professores novos. O colégio começou com pré – escola até o quinto ano. Cada ano uma classe nova surgia até chegar ao último ano. Em 1992 havia mais de 400 estudantes e todos os professores eram cristãos em plena comunicação em suas igrejas. Ao sair nossa família em 1993, Julio Vilches tomou o cargo de ser o pastor na igreja e continuou como diretor do colégio. Por sua dedicação e o apoio da associação de colégios cristãos, COCREF, outro colégio cristão, São Mateus, foi desenvolvimento no setor mais pobre de Sábana Grande de Boya. O colégio São Mateus será mais grande que o primeiro colégio. Sábana Grande de Boya tem mais ou menos de 15.000 – 18.000 habitantes. Pronto os dois colégios cristãos terão mais ou menos 20 – 25% da população dos estudantes no povo.

Todos os cristãos são delegados para transmitir o evangelho por todo o mundo e fazer discípulos. A nova geração nos espera.
B.O MINISTÉRIO DO DISCIPULADO

Em Mateus 28 entre os versículos 18 e 19 há uma locução conjuntiva, por tanto. Colocado que somos autorizados por Jesus para ir a todo o mundo, e a toda a gente, com todo a mensagem de Cristo, necessitamos usar todos os meios para faze – lo. O meio que Deus prove são os ministérios. Estes são definidos pela Palavra, implementados por Cristo, capacitados pelo Espírito Santo e que edificam ao povo de Deus. O ministério não é simplesmente uma estratégia colocada em marcha por agências humanas. É parte do plano e do poder e Deus para realizar a missão de Deus no mundo. A missão e os ministérios de Deus incluem as crianças e aos adultos.


1. Presença: a evangelização de todos

Para fazer discípulos há que busca – lo. Além de receber o mandado do Senhor há que localizar aos novos discípulos. Entre os discípulos há pessoas de menor idade. Onde podemos alcançar a maioria de crianças? Em nossa resposta há que incluir: o lar, as escolas e nas organizações sociais e recreativas.

A primeira etapa para a evangelização da nova geração é alcançar as famílias. A igreja tem a facilidade de convidar aos membros da família ao culto ou as atividades evangelizadoras e sociais. Quando um membro da família é evangelizado é importante que por meio dele a evangelização alcance a outros membros da família.

Os colégios cristãos têm sido úteis em varias nações, que permitem a organização dos tais, para evangelizar a estudantes não cristãos. A evangelização e educação bíblica têm sido permitido em escolas públicas em um número crescente de nações na América Latina. Dentre as que o autor conhecimento: Chie, Colômbia, República Dominicana e, Venezuela. Os evangélicos na Venezuela têm treinado mais de 3.000 professores para ensinar nas escolas públicas. O potencial é grande. Se cada professor tem uma classe de 25 estudantes cada um representa a 5 famílias ou a 5 amigos, como conseqüência os professores podem ter uma influencia na vida de mais de 750.000 pessoas.

Além do lar, os colégios e escolas, existe a oportunidade de estabelecer organizações voluntárias ou de participar em outras organizações, para alcançar e evangelizar a nova geração. As organizações tais como a escola dominical a nível local, acampamentos, associações desportivas, estudos bíblicos e outras atividades são desenvolvidas por cristãos. Alem do mais, existem ministérios tais como: APEN (Associação Pro – Evangelização de Crianças), associações de distribuições de Bíblia, e outros ministérios que prestam entretenimento e apoio para alcançar a nova geração.

Um dos ministérios mais necessários para alcançar a nova geração é o desenvolvimento de currículo para o discipulado de crianças. Este currículo é necessário para escolas dominicais, clubes de crianças, colégios e devocionais familiares. Os materiais devem ser de alta qualidade e a preços baixos. Não seria para a comercialização senão para ministrar.

Somos parte do esforço evangelistico para alcançar a nova geração? A visão e ministério para alcançar a nova geração é em obediência a Grande Comissão e vai necessitar de todos os recursos que temos.
2. A obra pastoral: Submissão ao Deus Trino

A tarefa pastoral da igreja é incorporar e manter aos discípulos em relação com Deus Trino e em comunicação com a igreja. Esta tarefa é facilitada pela celebração de cultos regulares,, ensinos doutrinal e a prática de companheirismo (koinonía). A juventude é uma parte integral da obra pastoral da igreja.

Qual é a relação entre o programa de crianças e sua participação na igreja? Nossa experiência em Sábana Grande de Boya é que os jovens que se converteram chegaram a ser professores na escola dominical e mais na frente professores e diretores nos colégios. Julio Vilches chegou a conhecer a Cristo aos 14 anos. Agora é um dos diretores do colégio que têm mais de 4.500 estudantes. As possibilidades não têm limites o reino de Deus, mas tem que ser cristão. Não há educação cristã sem professore, administradores e diretores cristãos.

O sermão no culto deve ser compreendido pela juventude. Há que estabelecer a escola dominical para jovens. As sociedades juvenis são de muita importância para promover a comunhão entre os jovens. A obra pastoral da igreja inclui buscar as ovelhas perdidas entre a nova geração.

A obra pastoral inclui a nova geração, todas as pessoas são chamadas para submeter –se ao Deus verdadeiro e estar em plena comunicação na igreja.
3. Pedagogia: Ensinando tudo o que Jesus ensinou

Outra parte principal d discipulado é o ensino. Jesus disse: Ensinando –os que guardem todas as coisas que os tem mandado. Observamos o seguinte:



        1. Há que ensinar todas as coisas e não só algumas delas. Não podemos estar satisfeitos com uma fórmula evangélica de doutrinas reduzidas. Ensinamos todo o conselho de Deus, desde a eleição antes da fundação do mundo ate a criação, caída, restauração em Cristo e a glorificação dos santos nos céus novos e na terra nova (Hebreus 20:227), Efésios 1:4 (Apocalipse 22). O ensino cristão inclui doutrina bíblica, ética moral, pressuposições cientificas e o senhorio de Jesus Cristo sobre todas as coisas. Por suposto, as verdades deste senhorio são contextualizadas ao nível educativo do estudante.

        2. Há que ensinar tudo o que Jesus mandou e não o que as tradições religiosas requerem (Gálatas 1, Colossenses 2:20 – 23). O professor distinguira entre ter uma relação de amor a Deus e as expressões religiosas do povo.

        3. Há que ensinar que guardem ou pratiquem tudo o que tem aprendido (Mateus 7:21 – 23). O professor mostra uma vida cristã integral r facilitará a ética cristã entre os estudantes.

        4. Se não há cristãos não há educação crista ou discípulo cristão. O professor deve crer em Cristo antes de adorar e seguir a Cristo. Um professor não cristão não pode fazer discípulos para Cristo. O discipulador e o discípulo estão abaixo do mandado de conhecer, crer, afirmar r praticar tudo que Jesus ensinou.É essencial ouvir que as instituições cristas encarregadas com o mandado de prepara aos professores cristãos para os colégios cristãos estão empregando a professores não cristãos para tal tarefa. Todavia, existem professores cristãos para a tarefa, mas a diretiva não deseja empregar a estes cristãos. A instituição de preparação de professores cristãos tem sido levada a colocar na frente interesses pessoais e econômicos e serve pouco para a extensão do reino de Deus por meio do ensino. Que vai ensinar em professor não cristão sobre a filosofia cristã, a pedagogia cristã, a administração de colégios cristãos, a ética cristã, a doutrina cristã a liderança cristã? Pior que tudo, vai ensinar o antiético e o sincrentismo. E nos perguntamos porque o reino de Deus avança por meio daquelas instituições pedagógicas.

A excusa é que não há cristãos suficientes para ensinar a outros cristãos é como dizer que não por ter suficientes policias para proteger o povo há que empregar aos cidadãos não preparados. Não seria uma solução responsável que a polícia prepara a mais polícias? A necessidade chama –nos a ser mais responsáveis.

Se não há professores cristãos não há educação cristã. Para fazer discípulos pra Cristo, há que ser um discípulo fiel. Jesus faz crescer o reino por meio do discipulado. Se Cristo não dirige a classe pela Palavra e o Espírito, há outro que está dirigindo abaixo a seu nome.

Estas contradições podem passar quando um ministério chega a ser um negócio humano ou uma instituição social. Para manter o negócio, há que empregar aos não crentes. É melhor fechar o negócio até que haja suficientemente fé e entendimento do discipulado para começar de ovo.
4. Poder: A promessa da presença de Jesus

Eu estou convosco todos os dias, até o fim do mundo. O discipulado é dirigido pela presença de Deus entre nós e em nós. A presença de Cristo é real no poder do Espírito Santo (Atos 1 – 2). Conhecemos a presença de Cristo pelo testemunho de Cristo e obediência a sua palavra pelos discípulos.

A presença de Deus na classe é notável pelas orações, as adorações, a presença da verdade e pela manifestação dos frutos e dons do Espírito Santo. A classe chega a sr um culto, onde Deus é glorificado pelas ciências, as artes e os ministérios

O discipulado não é possível sem a oração e a concentração para fazer a vontade de Deus.


IV CONCLUSÃO

Segundo Jesus Cristo, o pedagogo supremo, a Grande Comissão estabelece que o discipulado é um ministério autorizado por Deus para estabelecer seu reino no mundo. A chave para o estabelecimento do Reino de Deus é que os discípulos devem fazer outros discípulos. O reino de Cristo vem por meio da obediência fiel e a Palavra de Deus para evangelizar, para batizar, para ensinar, e para estar com Cristo. A grande comissão é conhecer a Cristo e sua Palavra e dar –lhe conhecer. Sem professores cristãos não há educação cristã.

Quem é nosso pedagogo? De quem estamos aprendendo? A qualidade de nossa vida depende de quem está ensinando como viver. Nossa vocação como professores cristãos depende de Cristo. Cristo é a razão da educação cristã.
NOTAS REFERÊNCIAIS


  1. James Dobson, “A vontade desafiante”, Como criar uma criança de vontade firme, (Miami: UNILIT,1998),p. 15, observa: ä tendência faz a vontade própria com o “pecado original”que se há infiltrado na família humana”.

  2. Conhecemos ao Aluno, (Miami: Caribe, 1983) demonstra em forma breve o desenvolvimento religioso da criança.

  3. Daniel S. Scipani, “O reino de Deus e o ministério educativo da igreja,”(Miami: Editorial Caribe, 1983)

  4. William Hendricks, “O evangelho segundo Lucas,”Comentário ao Novo Testamento, (Grande Rapids: Livros Desafio, 1996), p. 722: “... a única forma possível de entrar no reino é por meio de receber pronto e confiavelmente com uma criança que não tem vergonha de aceitar um presente!. R. C. Sproul, As grandes doutrinas da bíblia, (Miami: UNILIT, 1996), p. ix – x.,...”Há uma diferença muito grande sem dúvida entre uma fé como a de uma criança e uma fé infantil, ainda que muitas pessoas em ocasiões as confundam entre si. Uma fé infantil se deixa para trás se tem que aprender sobre Deus em profundidade. Afasta a carne do evangelho e a se apega a uma dieta unicamente de leite. Por dito motivo, este cristão infantil recebe uma advertência (Hebreus 5: 12 – 14)... o chamado do Novo Testamento é a maturidade (I Corintios 13:11).

5. Qual é a participação das crianças e jovens no culto? É nossa liturgia somente andragógica?

6. Uma motivação principal para o movimento de educação cristã formal e informal é responsabilizar aos pais, igrejas e associações cristãs da educação de seus filhos.

7. A lei da não contradição é fundamental para a epistemologia cristã. R. C.Sproul “Introduction to Logic”,(Orlando. Lingonier Ministries 1985).

8. Romanos 12 1-2

9. Robert W. Pazmino, Questões fundamentais na educação cristã, (Miami: Editorial Caribe, 1995) é um resumo muito amplo sobre aspectos filosóficos e práticos quanto à educação cristã.

10. Igreja Presbiteriana em Mérida, México.

11. As atividades da cruzada estudantil, Rússia por Cristo, e outros ministérios para eclesiásticos na Rússia são impressionantes.

12. João Calvino Harmony of the Evangelist, (Grand Rapids; Baker book house, 1980),pp.380-391

13. Entrevista com o Reverendo Jacó García do Conselho Evangélico da Venezuela, Julho, 1999

14. Howard Hendricks. Ensinado para mudar vidas, (Miami UNILIT, 1997) enfatiza que o professor deve ensinar com um coração transformado

15. Cornélio Hegeman, In Times of Revival, (guelph: Ligonier Ministries of Canadá, 1998) Movimentos de avivamento são acompanhados por tempos de orações intercessoras.
BIBLIOGRAFIA

João Calvino. Harmony of the Evangelists. Grand Rápids: Baker Book House, 1980. Conhecendo ao aluno. Miami: Caribe, 1983.

James Dobson. “A vontade desafiante”. Como criar uma criança de vontade firme. Miami: UNILIT, 1982

Cornélio Hegeman: Madeleine L’Engle’s. New Age Pluralism and Old time Christianity. Declaring and Defending. Truth in a Pluralistic Age Guelph: Ligonier Ministries of Canadá, 1997

Cornelio Hegeman. Ensinado para mudar vidas. Miami UNILIT, 1997.

William Hendricksen. “O evangelho Segundo Lucas”. Comentário ao Novo Testamento. Grand Rapids. Livros Desafio, 1996

Robert W. Pamino. Questões fundamentais na educação cristã. Miami: Editorial Caribe, 1995.

Daniel S. Schipan. “O Reino de Deus e o ministério educativo da igreja”. Miami: Editorial Caribe, 1983

R. C. Sproul. As Grandes doutrinas da Bíblia. Miami: UNILIT, 1996

R. C. Sproul. “Introduction to Logic”. Orlando Ligonier Ministries, 1985


VI. Avaliações

  1. Avaliação do ensaio acadêmico (2 pontos para cada categoria)

1. Conteúdo

Identificação do Tema

Desenvolvimento do Tema

Conclusão do Tema

Conteúdo educativo

Conteúdo teológico
2. Estilo

2.1 Página Titular

2.2 Índice

2.3 Títulos

2.4 Referências

2.5 Apresentação

3. Gramática

3.1 Gramática em geral

3.2 Vocabulário

3.3 Estrutura de parágrafos

3.4 Estrutura das orações

3.5 Pontuação

4. Verificação

4.1 Argumentação

4.2 Uso de fontes

4.3 Citações

4.4 Notas de Referência

4.5 Bibliografia

5. aplicação

5.1 Relevância para hoje

5.2 Relevância para a vida cristã

5.3 Identificação de problemas reais

5.4 Apresentação de soluções

5.5 Motivação para futuros estudos

Nota________
2. Avaliação da aula (1 ponto para cada categoria)
Orientação

Anúncios para promover assistência à classe.

Organização da classe de aula

Interação com os estudantes e facilitador

Explicação do curso aos estudantes

Anúncios de futuras atividades para a aula.


Administração da aula

Registro de assistência do estudante

Provisão de materiais para a classe

Registros de Notas

Provisão de exames a tempo

Cumprimento de pagamento dos estudantes


3 Conteúdo

3.1 Conhecer o conteúdo do guia de estudo

3.2 Conhecer o conteúdo do tema

3.3 Boas explicações do tema da lição

3.4 Boas explicações teológicas

3.5 Bons suportes educativos

4. Avaliação

4.1 Cumprimento da lição

4.2 Cumprimento das avaliações para a aula

4.3 Cumprimento das tarefas e projetos

4.4 Cumprimento do registro de assistência

4.5 Cumprimento do registro de qualificações (se há)

Total_________
Observações:

3. Avaliação para professor e matéria

Nome da matéria __________________

Horários dos encontros______________

Nome do professor (es)______________

Lugar onde se realizaram os encontros_______


Por favor avalie segundo os seguintes conceitos: deficiente, regular, bom, excelente.


  1. Preparação do professor para a matéria

Deficiente

Ruim


Bom

Excelente




  1. Apresentação da dissertação por parte do professor

Deficiente

Ruim


Bom

Excelente


Comentários


  1. Requisitos para a matéria (Conteúdos, leituras):

Deficiente

Ruim


Bom

Excelente


Comentários


  1. Importância da matéria para o ministério cristão:

Deficiente

Ruim


Bom

Excelente


Comentários


  1. O professor esteve disposto a escutar suas perguntas e dirigir-lhe em seu ministério?

Deficiente

Ruim


Bom

Excelente


Comentários


  1. Seu professor foi sensível aos estudantes que seguiam as aulas em um idioma estrangeiro?

Deficiente

Ruim


Bom

Excelente


Comentários


  1. A matéria motivou-lhe para dividir o evangelho com outros?

Deficiente

Ruim


Bom

Excelente


Comentários


  1. O professor e os materiais usados mostravam uma sensibilidade a assuntos de tipo étnico?

Deficiente

Ruim


Bom

Excelente


Comentários


  1. As instalações em que se realizaram os encontros eram adequadas?

Deficiente

Ruim


Bom

Excelente


Comentários


  1. O custo desta assinatura foi adequado?

Deficiente

Ruim


Bom

Excelente


Comentários
Favor de não escrever abaixo desta linha.
Qualificação dada pelo estudante________________
Programa seguido

  • Ouvinte

  • Licenciatura

  • Mestrado




  1. Avaliação do curso segundo as 7 leis do professor

Nome do professor:

Matéria:

Fecha:



  1. Lei do professor: “Se você cessa de crescer hoje, cessa de ensinar amanha”.

Pode ver em seu professor que ele também está aprendendo?

Sim


Não

Não sei



  1. Em sua opinião, o que aprendeu o professor?




  1. Lei de educação: “A maneira em que a gente aprende, determina como você ensina”. E o que você aprendeu durante essa matéria?

Sim

Não


Não sei


  1. Faça uma lista de cinco coisas novas que aprendeu:

A .

b.

c.



d.

e.



  1. A lei da atividade.”A aprendizagem máxima sempre é o resultado do envolvimento máximo”. O professor tem te ajudado a se envolver mais no serviço do Cristo?

Sim

Não


Não sei


  1. De que maneira você está mais envolvido no serviço de Cristo, por causa desta matéria?


  1. A lei da comunicação: Dividir verdadeiramente comunicação requer estabelecer pontes. O professor tem estabelecido pontes de comunicação entre ele e você?

Sim

Não


Não sei


  1. Identifique essas pontes de comunicação.




  1. A lei do coração: o mesmo que faz efeito não é de cabeça a cabeça, mas de coração a coração. O professor tem mostrado que seus ensinos vêm do seu coração, e tem chegado ao seu coração?

Sim

Não


Não sei


  1. Como o professor tem mostrado que suas emoções vêm do coração?



  1. A lei do estímulo: O ensino tem de ser mais efetivo quando o aluno é propriamente motivado. Fui motivado pela matéria?

Sim


Não

Não sei



  1. Que atividades têm feito devido aos estudos de motivação?


  1. A lei da preparação: O processo de ensino-aprendizagem será mais efetivo quando tanto o estudante como o professor se prepara adequadamente. Estavam o professor e os alunos preparados para participar?

Sim


Não

Não sei



  1. Quantas horas assistiu de estudo?

Hs


  1. Quantas horas usou para fazer as tarefas?

Hs


  1. Quantas horas estudou para o exame final?

Hs


  1. Quantas páginas leu para esta matéria ou equivalente?



  1. Que nível acadêmico estudou?

Certificado

Licenciatura

Mestrado


  1. Pagou a matéria? Quanto? Quando?



  1. Recomendaria esta matéria a outros?

Sim

Não


Não sei

VII – A-CLIR


Associação Autônoma de Credenciamento com fraternidade Latino Americana das Igrejas Reformadas.
A confraternidade Latino-Americana das Igrejas Reformadas(CLIR) existe para unificar e estender o reino de Deus por meio das igrejas e as missões reformadas na América Latina e o Caribe(ALC). Um braço sumamente importante para esta missão é a educação ministerial e teológica. Até agora, a maioria de nossas instituições teológicas não tem sido reconhecida fora de sua própria denominação. A presença e a missão de CLIR pode ser um instrumento para uma melhor cooperação entre as instituições educativas ministeriais e teológicas. Temos o mandado cultural de Deus para sermos bons administradores dos bens e responsabilidades que Deus nos tem dado (Gen 1:28). Segundo nossas responsabilidades religiosas a de interpretar e obedecer a Palavra de Deus fielmente. Nossa tarefa cristã é proclamar o evangelho de Jesus Cristo a toda a criatura, discipular e ministrar para a edificação do Corpo de Cristo, testificar a Cristo em todas as áreas da vida e preparar obreiros para o ministério local e internacional(Gen. 2:16-17 Mat 28:19-20; Mat 9:38). Para a busca da Glória de Deus e a preparação de líderes cristãos propomos a formação de uma Associação Autônoma de Credenciamento Acadêmica para CLIR(AAAA-CLIR ou A-CLIR).
Processo de Credenciamento
Status de Candidato Instituições que são membros de CLIR tem um ano para realizar a auto-avaliação, receber a visita da A-CLIR e ser aprovado.
Status de membro. Membresia é valida por 10 anos, condicionada a aprovação anual das mudanças feitas e declaradas a nível administrativo e educativo. Depois dos 10 anos a renovação de membresia requer outros estudos e uma visita da A-CLIR.
Documentação Necessária
Para documentar a visão e o desenvolvimento do processo educativo da instituição, os seguintes documentos são necessários:

Documentos públicos:




  1. Catálogo acadêmico

  2. Manual para a Junta e papeis oficiais

  3. Manual para a faculdade

  4. Materiais promocionais

Documentação interna




  1. Ata da junta

  2. Arquivos dos cursos: registro de estudantes, registro de notas, registro de pagamentos, avaliação.

  3. Revisão financeira.

  4. Documentação para credenciamento.

Este documento primeiro será avaliado.




1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   12


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal