Fontes para a historia da central unica dos trabalhadores



Baixar 0.57 Mb.
Página1/7
Encontro08.06.2018
Tamanho0.57 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7


FUNDO CUT

FONTES PARA A HISTORIA DA

CENTRAL UNICA DOS

TRABALHADORES

Documentos Organizados e Catálogo elaborado por:

DANIELA PEREIRA DA SIL V A

DENISE MERCEDES NÚNES N. LOPES

Orientação: MARIA CANDIDA RODRIGUES GONÇAL VES - Historiadora – AMORJ

FUNDO CUT - CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES

(Catálogo de Documentos, Livros e Periódicos)

Breve Histórico


A Central Única dos Trabalhadores foi fundada em 28 de agosto de 1983, último dia do

Congresso Nacional da Classe Trabalhadora - I CONCLAT, realizado em São Bernardo do

Campo/SP, nos dias 26, 27 e 28 de agosto.
Antecederam sua criação a I Conferência Nacional da Classe Trabalhadora, realizada entre

os dias 21 e 23 de agosto de 1981, em Praia Grande, Santos/SP. Foi precedida também de

numerosos Encontros Estaduais da Classe Trabalhadora (ENCLAT's), destinados a apresentar

propostas e eleger delegados para a CONCLAT


O I CONCLAT reuniu grande número de Confederações, Federações e Sindicatos, ao lado de

Associações Pré-Sindicais, Associações de Funcionários Públicos, indicando a presença de

representações de várias facções do sindicalismo brasileiro. Estiveram presentes 5.036

delegados e 1.091 entidades.


Na I CONCLAT foi decidida a formação de uma Comissão Nacional Pró-CUT, com a

incumbência de dar andamento às resoluções aprovadas e preparar a realização do 10

Congresso Nacional no ano seguinte. As divergências eram bastante explicitas no interior da

CONCLAT e da Comissão Pró-CUT Duas tendências principais se cristalizaram no interior

do movimento: uma, mais a esquerda, reunindo dirigentes sindicais do "bloco combativo ",

tendo a frente o Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e Diadema. A

segunda, "moderada", reunia sindicalistas da tendência "unidade sindical", que juntava

dirigentes de sindicatos, federações e confederações importantes, além de sindicais dos dois

partidos comunistas (PCB e PCdoB) e do MR-8.
Diante das divergências que foram se aprofundando no interior do movimento sindical, o

Congresso marcado para 1982 foi adiado. Um dos pontos mais importantes da divergência era

a idéia de deflagração de uma greve geral a fim de forçar o governo militar a atender um

conjunto de reivindicações a ser apresentado ao Presidente da República em outubro de 1982.

Os sindicalistas da "unidade sindical" opunham-se à greve geral convocada pela CONCLAT,

que deveria criar a CUT.


O Congresso que criou a CUT, em agosto de 1983, não contou com a participação dos

sindicalistas vinculados a "unidade sindical ". As resoluções aprovadas neste Congresso, em

seu artigo 39, das disposições transitórias e finais, dispôs sobre a aprovação dos Estatutos da

Entidade; sobre o mandato de um ano da direção eleita; sobre a realização de Congressos e

Plenárias Regionais e Estaduais até 15 de março de 1984. Tratou ainda da Plenária Nacional do mesmo ano (1983), e da realização do I CONCUT, a ser realizado em agosto de 1984, com

a eleição da nova direção.


O Estatuto Provisório da nova Central insistia em três pontos importantes: autonomia e

liberdade sindicais; organização por ramo de atividade produtiva; organização por local de

trabalho.
O Plano de Lutas aprovado misturava demandas de caráter trabalhista com outras de reforma

social mais radical. Entre as primeiras estão o salário desemprego, redução da jornada de

trabalho para 40 horas semanais, sem redução de salário, direito de sindicalização dos

funcionários públicos, estabilidade no emprego, eliminação das horas extras, criação de

comissões de trabalhadores por locais de trabalho, etc.

Entre as segundas, destacam-se "reforma agrária radical, ampla, massiva, sob o controle dos

trabalhadores, a partir da demarcação do uso coletivo da terra ", ocupação imediata das

terras dos grileiros, das terras do Estado, dos latifúndios improdutivos ou não, coletivização

das grandes empresas capitalistas nacionais e internacionais ".
A direção nacional da recém formada entidade ficou encarregada de encaminhar ao Governo

Federal um conjunto de exigências solicitando a retirada do Decreto-Lei n° 2.045, então em

vigor, o fim da política econômica do governo, o rompimento com o FMI, a liberdade e

autonomia sindicais, a liberdade de organização política, a reforma agrária sob o controle dos

trabalhadores, o nii.o pagamento da dívida externa, o fim da Lei de Segurança Nacional, o fim

do regime militar e um governo controlado pelos trabalhadores, eleições diretas para

Presidente da República e contra a intervenção nos sindicatos.
Apesar de todas as dificuldades iniciais à Central Única dos Trabalhadores foi conquistando

uma participação cada vez maior da classe trabalhadora e um papel crescente na política

nacional, tendo atuação destacada nas greves gerais, na Constituinte, na Câmara Setorial do

setor automotivo, etc.


O Arquivo de Memória Operária do Rio de Janeiro pretende, ao reunir os documentos da CUT

e sobre a Central, colocar à disposição de pesquisadores e estudiosos do trabalho no Brasil,

um material que apresenta as aspirações legítimas de uma parcela significativa da classe

trabalhadora brasileira, e a sua forma de organizar-se e lutar pelos seus direitos.


Descrição/Organização dos documentos:
O Fundo Central Única dos Trabalhadores contém documentos textuais (manuscritos e/ou

datilografados), documentos impressos (livros, títulos de jornais e revistas, panfletos, folhetos,

etc), documentos audio-visuais (fotografias, cartazes, adesivos, botons, fitas cassete e de

vídeo ).

O Acervo reúne documentos relativos à fundação da CUT, em 1983, à Conferência que

antecedeu sua criação em 1981. Destacam-se neste Fundo, o material da imprensa da Central,

bem como a documentação relativa aos diversos Congressos Nacionais e Estaduais, as

Direções Nacional e Estaduais, e àqueles de tendências, que resgatam de alguma forma, o

processo de discussão, bem como a distribuição do poder nas direções da CUT

Trata-se de um fundo aberto, produzido pelo AMOR! a partir de levantamentos realizados

junto à CUT Nacional e à CUT/RJ, com a colaboração de militantes sindicais, dos quais

podemos citar, como doador expressivo, o Sr. Leônidas Cardoso Júnior, sindicalista do

movimento de oposição do movimento de oposição da Construção Civil.

O arranjo deste fundo procura retratar a estrutura e as funções da CUT Para sua elaboração

foi necessário reconstruir a trajetória da Central, desde sua fundação até 1995. Os textos de

Leôncio Martins Rodrigues e de Iram Jacome Rodrigues, entre outros, e inúmeros documentos

do próprio fundo foram utilizados.

Optamos pela utilização de um método de arranjo misto, estrutural e funcional. Estrutural na

medida em que destaca as especificidades dos níveis nacional e regionais, e funcional, porque

pretende recuperar a dinâmica da atuação da CUT através de suas mais variadas funções.

O tratamento inicial do Fundo CUT, a partir da elaboração do arranjo, nos permitiu

identificar as lacunas na documentação. Pretendemos o seu preenchimento destas lacunas e a

permanente atualização, esforço para o qual se volta à equipe do AMOR!.

Os documentos estão dispostos em caixas de transferência e organizados em três grandes

séries: 1. CUT - Nacional; 2. CUT - Rio de Janeiro; 3. CUT - Outros Estados. Todas as

séries são subdivididas internamente.




INDICE

Parte 1. CUT – NACIONAL
1 Dos Congressos/Plenárias Nacional
Il Da Direção Nacional {inclui Executiva Nacional}
III Das Secretarias/Departamentos Nacionais
IV. De Tendências e Sobre Tendências

Parte 2. CUT - RIO DE JANEIRO
1 Dos Congressos/Plenárias Estaduais
Il Das Direções Regionais/Estaduais
III Das Secretarias Estaduais
IV. Das Tendências e Sobre as Tendências

Parte 3. CUT - OUTROS ESTADOS
1 Dos Congressos Estaduais/Regionais
11 Das Direções Regionais/Estaduais
III Das Secretarias Regionais/Estaduais
Iv. Das Tendências e Sobre Tendências

Parte 4. MATERIAL AUDIO-VISUAL, MUSEOLÓGICO

Parte 1. CUT NACIONAL

1- DOS CONGRESSOS / PLENÁRIAS NACIONAIS

1. DELIBERAÇÕES, RESOLUÇÕES POLÍTICAS.



I CONCLAT. RELATÓRIO GERAL DAS RESOLUÇÕES São Bernardo do Campo. 02 de

setembro de 1983.0 documento apresenta as questões aprovadas no congresso, bem como os

membros eleitos da Executiva Nacional.
RESOLUÇÕES DA PLENÁRIA NACIONAL DA CUT. São Paulo, 18 de maio de

1984.Documento que apresenta as propostas aprovadas na plenária, o quadro geral da

construção da CUT nas regiões e nos Estados, informações sobre a campanha "Diretas Já ",

algumas moções e proposta de greve geral.
3° CONCUT - REGISTRO E IMAGENS Setembro de 1988. Caderno que consta e mostra

(com fotos e tabelas) o 3° Congresso Nacional da CUT; a nova direção, os delegados e a

participação internacional.
3° CONCUT - RESOLUÇÕES Setembro de 1998. O documento apresenta as resoluções do 3°

Concut acerca dos seguintes pontos: concepção e prática sindical e porquê um novo estatuto.

RESOLUÇÕES DO 4°CONCUT. CONCUT BRASIL. São Paulo, setembro de 1991.Publicação

com as deliberações do congresso, os manifestos e a nova Executiva da CUT. Alguns temas

abordados: balanço político e organizativo, conjunturas internacional e nacional, plano de

ação e estatuto da CUT.
5a PLENÁRIA NACIONAL. DOSSIÊ. RESOLUÇÕES DA EXECUTIVA DA CUT NACIONAL.

São Paulo, julho de 1992.Seleção de matérias reftrentes as resoluções tomadas pela executiva

na plenária, publicadas pelos veículos de informação internos da central.
5 o CONGRESSO NACIONAL DA CUT-RESOLUÇÕES São Paulo, maio de 1994. Caderno que

traz um balanço da CUT em seus dez anos, fala da estratégia e plataforma da CUT, bem como

dos seguintes temas: mulher, criança e política racista. Apresenta também os membros da

Executiva Nacional e os delegados internacionais presentes no congresso.
RESOLUÇÃO À SER APRESENTADA AO 10 ENCONTRO DE TRABALHADORES CONTRA

A ESTRUTURA SINDICAL. SOBRE O CONCLAT. Rio de Janeiro. O documento apresenta

nomes de lideranças para participarem da organização do CONCLAT e se posiciona contra a

"unidade sindical".
CAMPANHA NACIONAL DE LUTA - ORIENTAÇÕES ÀS CUT'S ESTADUAIS E REGIONAIS

São Paulo. Documento que apresenta encaminhamento de campanha aprovada em plenária, e

contém calendário de atividades.
SEM TÍTULO. Documento que mostra a nova estruturação da CUT aprovada no 2 o Congresso

e comunica a criação de departamentos profissionais da CUT, suas ramificações e funções;

comentando as deficiências desta proposta.
2. ESTATUTOS, MANIFESTOS, REGIMENTOS

REGIMENTO DO CONCLAT Agosto de 1983.Redigido pela Comissão Nacional Pró-CUT
REGIMENTO INTERNO DO CONCLAT-83. O documento foi redigido pela comissão

organizadora do CONCLAT e abrange os objetivos, a organização e os participantes do

congresso.
ESTATUTO CUT 1 ° CONGRESSO NACIONAL DA CUT São Paulo, agosto de

1984.Estatuto aprovado no 1 ° congresso realizado em São Bernardo do Campo. Consta uma

relação nominal/cargo dos membros da Direção Nacional.
REGIMENTO INTERNO. São Paulo, agosto de 1984.Regimento do 1 ° Congresso Nacional da

CUT onde consta, além das disposições gerais do congresso, os nomes da comissão

organizadora do congresso.
COORDENAÇÃO NACIONAL DA CLASSE TRABALHADORA. Brasília. 09 de março de

1985.Manifesto das entidades sindicais reunidas em plenária nacional da CONCLAT, onde

pedem que o governo de Tancredo Neves atenda as reivindicações dos trabalhadores e propõe

um programa emergencial com relação à pontos tais como: política salarial e emprego, custo

de vida, previdência social, questão agrária e política sindical.
REGIMENTO INTERNO DA PLENÁRIA NACIONAL DA CUT São Paulo, dezembro de

1985.Documento que trata da organização e dos objetivos da Plenária e traz um cronograma

das atividades a serem realizadas.
PROPOSTA DE REGIMENTO INTERNO. 2 ° CONGRESSO NACIONAL.Rio de Janeiro, 30 de

julho de 1986.Documento elaborado pela Executiva Nacional com as disposições gerais do

congresso e um cronograma das atividades.
ESTATUTO DA CUT - 3 ° CONCUT 1988. Estatuto aprovado pelo 1 ° Congresso Nacional/1984

e emendado no 2 ° Congresso Nacional/1986.
REGIMENTO INTERNO DO 3° CONCUT Belo Horizonte, 08 de setembro de 1988.

Documento onde constam os objetivos e com se dará a organização do congresso.
ESTATUTO DA CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES. São Paulo, 1988. Estatuto

aprovado e construído pelos participantes do 3 ° Congresso Nacional da CUT em Belo

Horizonte (09/1988), que define e regula a estrutura e o fUncionamento interno da central.
ESTATUTO CUT Janeiro de 1989. Estatuto da Cut com as modificações aprovadas pelo 3°

Concut; marco na construção de uma nova Estrutura Sindical independente e c/assista.
REGIMENTO INTERNO DA 5 ° PLENÁRIA NACIONAL DA CUT. São Paulo, 15 de julho de

1992.Documento com as disposições gerais da Plenária e o quadro geral da composição dos

delegados.
REGIMENTO INTERNO DA 6° PLENÁRIA NACIONAL DA CUT São Paulo, 24 de agosto de

1993.Documento com as disposições gerais da Plenária e o quadro geral da composição dos

delegados.
REGIMENFO INFERNO DA 7° PLENARIA NACIONAL DA CUT. São Paulo, 30 de agosto de

1995.Documento com as disposições gerais da Plenária, o quadro geral da composição dos

delegados e o cronograma de atividades.
EM DEFESA DA DEMOCRACIA NA CUT E POR UMA POLÍTICA CLASSISTA. Manifesto

assinado por sindicalistas que se mostram insatisfeitos com a condução da CUT e pedem ao

congresso que eleja uma nova direção para a central, e defendem a proporcionalidade

qualificada.
3. ROTEIROS, MANUAIS, PROPOSTAS

TUDO SOBRE A I CONCLAT - À CAMINHO DA CENTRAL ÚNICA. São Paulo, outubro de

1981.Revista que conta a história do 1° CONCLAT através de reportagens, depoimentos e

fotografias do evento. Apresenta a lista de entidades presentes, os resumos dos ENCLAT's, o

regimento interno, entre outros.
CONCLAT 83. PRAIA GRANDE. São Paulo, novembro de 1983.Roteiro do congresso que

contém a convocatória do mesmo, o regimento interno, alguns documentos de apoio,

comunicados e a localização das comissões.
MANUAL DE ORIENTAÇÃO - 2° CONGRESSO NACIONAL DA CUT. São Paulo, maio de

1986.Documento de orientação aos participantes do congresso com o temário e informações.
ROTEIRO PARA A DISCUSSÃO DAS TESES. 2° CONGRESSO NACIONAL DA CUT Rio de

Janeiro, julho e agosto de 1986.Documento organizado e publicado pela Comissão de

Relatores e Assessoria de Mesa, referindo-se as teses e aos pontos polêmicos a serem

discutidos no evento.
ALTERAÇÃO NOS ESTATUTOS. POSIÇÃO DA EXECUTIVA NACIONAL DA CUT. 2 °

CONGRESSO NACIONAL DA CUT. São Paulo, 1986.Documento que apresenta os principais

pontos polêmicos na alteração dos estatutos e as propostas da executiva da central.

PROPOSTAS PARA O 2° CONGRESSO NACIONAL.Publicação com propostas de resolução

ao 2° CONCUT assinado por sindicalistas de vários Estados e com algumas fotos.
PROPOSTA DE RESOLUÇÃO APROVADA PELA DIREÇÃO EXECUTIVA NACIONAL- III

CONGRESSO NACIONAL DA CUT São Paulo, 08 de abril de 1988. O documento define local

e data do congresso e apresenta uma proposta de votação da pauta.
RUMO AO III CONCUT. CONSTRUIR A CUT PELA BASE. PROPOSTAS PARA

ALTERAÇÕES NOS ESTATUTOS. A proposta discute temas como a legalização da CUT,

expansão da estrutura horizontal da CUT, entre outros.
APEESEMG - ASSOCIAÇÃO PROFISSIONAL DOS EMPREGADOS EM ENFIDADES

SINDICAIS DO ESTADO DE MINAS GERAIS. PROPOSTA DE RESOLUÇÃO AO 3°

CONCUT Belo Horizonte, 07 de setembro de 1988.Proposta de resolução apresentada por

entidade sobre o ponto: organização e prática sindical.
RETRATO DA CUT DELEGADOS NO 3° CONCUT, REPRESENTAÇÃO NAS CATEGORIAS.

São Paulo. O documento é o resultado de pesquisa realizada com os delegados ao 3°CONCUT. Traz estatísticas desenvolvidas em questionários sobre vários temas, visando traçar

o perfil dos delegados.
PROPOSTA DE REGIMENTO INTERNO DO 4° CONCUT. São Paulo, setembro de

1991.Documento apresentado como proposta de regimento para o congresso.
5a PLENÁRIA NACIONAL. SISTEMATIZAÇÃO DAS EMENDAS AO TEXTO BASE DE

CONJUNTURA. São Paulo, julho de 1992.Documento que apresenta as emendas propostas ao

texto- base sobre conjuntura na Plenária, alguns anexos propostos e a proposta de

encaminhamento das votações sobre este tema.
5a PLENÁRIA NACIONAL. PROPOSTA DE RESOLUÇÃO BASTA DE CORRUPÇÃO,

IMPEACHMENT JÁ. CPI PRÁ VALER. PELO FIM DO GOVERNO COLLOR. São Paulo,

julho de 1992. O documento propõe uma jornada nacional contra o governo de Collor e traz

um roteiro de mobilizações.

5a PLENÁRIA NACIONAL. ORIENTAÇÕES PARA A IMPLANTAÇÃO DA ESTRUTURA

VERTICAL. São Paulo, julho de 1992.Documento de orientação sobre a implantação de uma

estrutura sindical vertical que defende uma orientação vertical por ramo.
6a PLENÁRIA NACIONAL. ORIENTAÇÃO AOS DELEGADOS. São Paulo, 24 de julho de

1993.Documento que traz informações gerais aos delegados que participarão da plenária.
7a PLENÁRIA NACIONAL. TEXTOS PARA DEBATE. São Paulo, agosto e setembro de

1995.Propostas de textos elaborados a partir de discussões entre membros da Executiva

Nacional a respeito de temas como conjuntura, balanço da situação nacional e internacional,

finanças e outros.
CUT - UM NOVO ESTATUTO? ( PARA ENTENDER AS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA

TESE 10). Caderno que explica detalhadamente as modificações propostas pela tese 10 ao 3°

CONCUT, além de fazer comentários e apresentar os pontos negativos desta tese.
PROPOSTAS QUANTO À ESTRUTURAÇÃO DA CUT E DAS CENTRAIS ESTADUAIS.

Proposta de criação da cut à ser apresentada no 11 Conelat, com questões referentes aos

estatutos. Assinam o documento cinco organizações sindicais.
CONSTRUIR UM MODELO SINDICAL CUTISTA. Documento apresentado na 7 Plenária

Nacional e apresenta a proposta de transformação dos sindicatos filiados em sindicatos orgânicos.
PROPOSTA DE RESOLUÇÕES PARA PLENCUT. Documento que trás propostas acerca de

vários temas para serem deliberados pela assembléia.
CONJUNTURA E PLANO DE AÇÃO. Caderno temático com diversas propostas a ser discutido em congresso.
DIVERGÊNCIAS DE PRINCÍPIOS. Quadro que demonstra divergências de princípios entre

Estado, PCB-CONCLAT e CUT; além de trazer outras informações acerca da organização da central.
ESTRUTURA SINDICAL. Propostas com relação às comissões sindicais de base, à estrutura sindical no campo e eleições sindicais.

ROTEIRO PARA DISCUSSÃO SOBRE CONJUNTURA E PLANO DE LUTAS. Roteiro que

discute temas tais como: A nova República e o movimento operário e popular, Os desafios ao

movimento sindical, etc.
4. PROGRAMAS, PROJETOS, RELATÓRIOS

RUMO À CONCLAT São Paulo, 1981. O documento, produzido pelo Correio Sindical de

Unidade, apresenta uma coletânea contendo algumas das principais resoluções firmadas em

diversos congressos de trabalhadores realizados nos últimos vinte anos.
PROJETO CONCLAT 83. São Bernardo do Campo, agosto de 1983. Projeto detalhado para a

realização do congresso com informações como: plenárias, locais para comissões de trabalho,

alimentação, alojamento etc.
O CONCLAT E A DMSÃO DO MOVIMENTO SINDICAL.São Paulo, outubro de 1983.

Relatório escrito por delegado de base que apresenta texto comentando todas as questões

ocorridas entre a convocação do congresso, a escolha dos delegados, a realização dos

ENCLAT's e a divisão interna da comissão Pró-CUT
CONCLAT-83. PROGRAMA. Praia Grande, novembro de 1983. Programação do congresso

com datas, horários e pauta das atividades.
PROGRAMAÇÃO GERAL DO 1° CONGRESSO NACIONAL DA CUT São Bernardo do

Campo, agosto de 1984. Apresenta as datas e horários das atividades.
RELATÓRiO SÍNTESE DAS COMISSÕES DE TRABALHO. TEMA : AVALIAÇÃO DA

ESTRUTURAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DA CUT 24 de agosto de 1984. documento tratando da

criação e reestruturação da CUT, da avaliação do encaminhamento do plano de lutas e das

perspectivas e propostas de implantação.
PROGRAMAÇÃO. 2 ° CONGRESSO NACIONAL DA CUT.Rio de Janeiro, julho e agosto de

1986. Documento com datas e atividades à serem realizadas e orientações aos delegados.

O 2 ° CONGRESSO NACIONAL DA CUT- RELATÓRiO DA COMISSÃO SINDICAL. Rio de

Janeiro, agosto de 1986. Relatório detalhado dos fatos ocorridos no congresso.

RELATÓRiO-TEMA: SOBRE O 2° CONGRESSO NACIONAL DA CUT 1986. Relatório dos

grupos de trabalho sobre critérios de participação de delegados e propostas a serem

analisadas sobre convocação do congresso, taxa de inscrição, organização de textos etc.
3 ° CONCUT RELATÓRiO DE ATUAÇÃO DA CUT 1986-1988. Belo Horizonte, setembro de

1988. Relatório que apresenta a atuação da CUT e um histórico da central para o 3 °



congresso.
3° CONCUT O PERFIL DE REPRESENTAÇÃO DA CENTRAL ÚNICA DOS

TRABALHADORES. São Paulo, setembro de 1988. Documento que traça o perfil da

representação da CUT a partir de dados quantitativos sobre a realidade dos trabalhadores no Brasil.
3 o CONCUT RELATÓRIO DA DISCUSSÃO DAS TESES NOS ESTADOS. Belo Horizonte,

setembro de 1988. Documento elaborado pela coordenação do congresso, que apresenta o

material aprovado nos Estados, em forma de relatório, a partir da discussão das teses ao 3 o

CONCUT
3 o CONGRESSO NACIONAL DA CUT 1988. Relatório geral dos resultados da dinâmica

realizada nos grupos que apresenta as votações e os parágrafos alterados no texto original. O

documento encontra-se subdividido tematicamente.
5 o PLENÁRIA NACIONAL. CUT- PLANEJAMENTO 92. São Paulo, julho de 1992. Documento

produzido para subsidiar a discussão de planejamento na Plenária, com um histórico do tema,

um balanço dos projetos, as perspectivas e o planejamento integrado da CUT.

ARTICULAÇÃO NACIONAL DE MOVIMENTOS POPULARES E SINDICAIS - ANAMPOS.

Olinda, Pernambuco. Resumo dos pontos discutidos no Encontro Nacional Sindical, entre eles:

propostas de luta, CONCLAT e CUT, sindicalismo de base.

RELATÓRIO ESTRUTURA SINDICAL. Relatório sobre a discussão da Estrutura Sindical que

informa as modificações deliberadas pelos grupos de discussão.

5. CORRESPONDÊNCIAS


a. Recebidas
ENCONTRO NACIONAL DE TRABALHADORES EM OPOSIÇÃO À ESTRUTURA

SINDICAL. RESOLUÇÕES DO PLENÁRIO. Rio de Janeiro, 30 de setembro de 1980.

Correspondência enviada pela Executiva do encontro que apresenta as resoluções gerais do

plenário e as propostas de luta.
À COMISSÃO NACIONAL PRÓ-CUT. São Paulo, 24 de agosto de 1983. Correspondência

enviada pelos metalúrgicos contra a divisão do CONCLAT e denunciando a direção do

sindicato dos metalúrgicos de São Paulo.
SEM TÍTULO. Carta dirigida: "Aos companheiros das Cut's Estaduais e Regionais." 21 de

agosto de 1986. Carta assinada por "encabeçadores" da chapa II do 2° Concut que denuncia

alguns erros ocorridos na convocação "para o dia 22" e informa sobre os acontecimentos que

envolveram os desdobramentos do 2° Concut.
PASTORAL DO TRABALHADOR. A V ALIAçÃO DA Ia CONCLAT. Informa avaliação feita por

esta entidade junto aos seus membros que participaram do CONCLAT

À COMISSÃO ORGANlZADORA DO Ir CONCLAT Rio de janeiro, 23 de agosto de 1983.

Correspondência enviada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes

Marítimos Fluviais e Aéreos reafirmando seu interesse no movimento e agradecendo sua

inclusão na comissão organizadora.
"PREZADO NINO CARTA DIRETOR DA REVISTA SENHOR.". São Paulo, 18 de agosto de

J 986. Carta enviada pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Material Plástico ao diretor da revista Senhor que visa dar uma resposta às "distorções"

publicadas por esta revista acerca do Ir CONCUT.
A EXECUTIVA NACIONAL DA CUT. São Paulo, agosto de 1986. Carta enviada por José

Alberto Reus Fortunatti lembrando resolução do Ir CONCUT de unificação das forças e

apresentando propostas à central.
COMPANHEIROS E COMPANHEIRAS PRESENTES AO 3° CONCUT. Belo Horizonte, 11 de

setembro de 1988. Saudação do presidente da CUT-MG aos participantes do Congresso.

A ACO PRESENTE NO CONGRESSO DA CUT. Panfleto em que a Ação Católica Operária

manifesta seu apoio aos participantes do 3° CONCUT.
AOS PETISTAS NO 3° CONCUT. Belo Horizonte. Circular enviada aos congressistas à

propósito da criação da secretaria de cultura do PT.
AOS DELEGADOS DO IV CONCUT. Rio de Janeiro, 03 de setembro de 1991.

Correspondência enviada pela executiva da CUT-RJ que abre discussão sobre a privatização

da USIMINAS e aponta a necessidade de contribuição financeira por parte dos sindicatos

filiados.
A PLENÁRIA NACIONAL DA CUT E TODOS OS SINDICATOS FILIADOS. São Paulo, julho

de 1992. Correspondência enviada pelo Sindicato dos Trabalhadores da USP sobre o apoio à

greve dos condutores de São Paulo e repúdio à atitude da Prefeitura de São Paulo pelas

demissões que esta têm realizado.
REUNIÃO DE INFORMAÇÃO E DEBATE SOBRE O ACORDO INTERNACIONAL DOS

TRABALHADORES. O documento é um convite feito aos participantes da 5° Plenária Nacional

para participarem da reunião que é promovida pelo PC e o PT.

TELEGRAMA. Enviado pelo presidente do PDT- SP convidando para encontro de sindicalistas

do partido.
b. Enviadas
CONCLAT EM SÃO BERNARDO DO CAMPO. São Paulo, 16 de agosto de 1983.

Correspondência confirmando e convocando delegados ao CONCLAT.
CONCLAT - CONVOCA TÓRIA. Praia Grande, novembro de 1983. Documento onde a

comissão organizadora informa os temas que serão tratados no congresso, dentre eles: os

problemas nacionais e as alternativas dos trabalhadores e o plano de lutas sindicais.
COMUNICADO N° 2 - ORGANIZAÇÃO DO CONCLAT. Instruções e informações sobre

inscrições e endereço para correspondência do Congresso.
MOÇÃO DE APOIO E SOLIDARiEDADE A LUTA DOS TRABALHADORES E DO POVO DO

IRÃ. São Bernardo do Campo, 15 de dezembro de 1985. Moção deliberada em Plenária

Nacional da CUT.

As CUT'S ESTADUAIS E REGIONAIS. São Paulo, 27 de janeiro de 1986. Documento

deliberado em Plenária que propõe algumas questões básicas sobre a situação do Irã.
CORRESPONDÊNCIA ENVIADA PELOS MEMBROS DA CHAPA 2 DO 2° CONCUT. São

Paulo, 21 de agosto de 1986. Carta que reclama o desrespeito aos estatutos pela chapa 1 e

que se posiciona contra a decisão da diretoria.
~

6. TESES, MANIFESTOS, MOÇÕES SINDICALISTAS E TENDÊNCIAS APRESENTADOS POR



ENTIDADES
a. ENTOES
TESES A SEREM APRESENTADAS AO 10 ENCONTRO DE TRABALHADORES CONTRA A

ESTRUTURA SINDICAL. Rio de Janeiro. 25/05/1980.

Tese elaborada por um grupo de metalúrgicos que define uma proposta para uma linha

sindical unitária e combativa e apresenta seus compromissos com o programa de lutas

sindicais.
TESES A SEREM APRESENTADAS AO 10 ENCONTRO DE TRABALHADORES CONTRA A

ESTRUTURA SINDICAL. Rio de Janeiro.
Tese apresentada por sindicalistas que analisam as lutas atuais como geradoras de um

sindicalismo novo, combativo e de massa e mostra a possibilidade de se utilizar dos sindicatos

atrelados ao Estado para um maior preparo e organização das lutas.
MOÇÃO DE REPÚDIO AO TERRORISMO. Belo Horizonte, 8 de setembro de 1980. Moção

apresentada por delegados mineiros aos ENTOES contra os atos terroristas do governo

militar.
O QUE FOI O ENTOES" in CONSTRUIR Informativo da Ação Católica Operária. Outubro

de 1980. Matéria sobre o Encontro Nacional dos Trabalhadores em Oposição à Atual

Estrutura Sindical com dados e apresentando algumas resoluções e a visão da Cut.

b. CONCLAT e 1º CONCUT
PARTICIPAR ATIVAMENTE DA CONCLAT. 1981. Documento assinado por alguns

sindicalistas convocando os sindicatos a se organizarem para o congresso. Indica os

principais pontos a serem discutidos e sugere a realização de encontros estaduais

preparatórios.
RESISTIR À CRISE E PREPARAR A GREVE GERAL. Bahia, julho de 1983. Documento

apresentado por sindicalista ao congresso contendo propostas relativas aos seguintes temas:

greve geral, por uma cut democrática e combativa e estatuto da cut.
VIVA A CUT 26 de agosto de 1983. Declaração do jornal Causa Operária sobre a fundação

da CUT. Apresenta propostas tais como: nacionalização do sistema financeiro, suspensão do

pagamento da dívida externa, controle operário da produção.
AOS DELEGADOS PARTICIPANTES DO CONGRESSO NACIONAL DA CLASSE

TRABALHADORA. São Paulo, 26 de agosto de 1983. Panfleto assinado pela comissão

nacional Pró- CUT que conclama a organização dos trabalhadores contra a política do

governo.

CONCLAT - 83: NÃO À CONCILIAÇÃO, FUNDAR A CUT, ORGANIZAR A GREVE GERAL

CONTRA A DITADURA. Manifesto assinado por alguns sindicalistas que se posicionam

contra a proposta de conciliação nacional e pedem união para a CUT
PLANO DE LUTAS. Plano de lutas proposto pela Comissão Nacional Pró - CUT para o

CONCLAT
"COMPANHEIROS" . São Bernardo do Campo. Maniftsto assinado por algumas categorias

de trabalhadores do Distrito Federal que apresenta algumas propostas ao CONCLAT - 83.
TESES PARA O ]O CONGRESSO DA CUT São Bernardo do Campo, agosto de 1984.

Documento apresentado como contribuição ao 1° CONCUT pela Regional 1, contém teses

apresentadas ao congresso por diversos sindicatos.
MANIFESTO AOS TRABALHADORES. São Bernardo do Campo, 25 de agosto de 1984.

Propostas para o congresso abrangendo os pontos: caráter da CUT, implantação, propostas

para desatrelamento, entre outros.

Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal