I justificativa



Baixar 1.16 Mb.
Página14/19
Encontro23.01.2018
Tamanho1.16 Mb.
1   ...   11   12   13   14   15   16   17   18   19

OFICINA 8

POETA DO POVO




OBJETIVOS


 Escrever acrósticos.

 Trabalhar com poema popular


ATIVIDADES


1ª etapa

☻Além de poetas clássicos e modernos, existem os chamados “poetas populares”, que compõe versos que encantam e emocionam o leitor, como o cordel.

☻Nesta oficina, os alunos vão conhecer um dos nossos maiores poetas populares: Patativa do Assaré. Além de folhetos de cordel, esse poeta tem inúmeros poemas publicados em livros, revistas e jornais.

☻Faça perguntas. Quem conhece um folheto de cordel? Vocês já ouviram ou leram cordel? Quais autores de cordel vocês conhecem?


Poemas pendurados no varal

Cordel é um estilo de poema popular da tradição nordestina.

Cantado ou declamado, ele está presente nos festejos da comunidade sertaneja: feiras, festas religiosas, comícios. É uma poesia narrativa, ou seja, conta uma história. Geralmente o tema é cotidiano, a denúncia dos sofrimentos do povo, a exaltação de heróis, as lendas nativas. Chama-se “cordel” porque, nos pontos de venda, os livretos costumam ser pendurados em um varal de fios de algodão – os cordéis.

Peça aos alunos que leiam o cordel “Emigração e as conseqüências”, de Patativa do Assaré. Explique que o poema conta a história da seca no Nordeste, do sofrimento do povo, das injustiças sociais, da migração para o sul. Fala da luta, do trabalho e do perigo da entrada dos filhos na marginalidade.

Emigração e as consequências

Nesse estilo popular


Nos meus singelos versinhos,

O leitor vai encontrar

Em vez de rosas espinhos

Na minha penosa lida

Conheço do mar da vida

As temerosas tormentas

Eu sou o poeta da roça

Tenho mão calosa e grossa

Do cabo das ferramentas.

Por força da natureza.

*********************************

Sou Poeta Nordestino

Porém só conta com a pobreza

Do meu mundo pequenino

Eu não sei contar as glórias

_______________________________________________________________

Nem também conto as vitórias

Do herói com seu brasão

Nem o mar com suas águas

Só sei contar minhas mágoas

E as mágoas do meu irmão

*************************************

Meu bom Jesus Nazareno

Pela vossa majestade

Fazei cada pequeno

Que vaga pela cidade

Tenha boa proteção

Tenha em vez de uma prisão

Aquele inferno medonho

Que revolta e desconsola

Bom conforto e boa escola

Um lápis e o caderno.

Patativa do Assaré. Uma voz do Nordeste. São Paulo, Hedra, 2000.

Mostre a eles que todo poema tem um tema, isto é, um assunto principal, e faça perguntos: Qual o tema dessa poema? Do que fala Patativa do Assaré?

Estilo versus Tema

Estilo = maneira de se expressar de um escritor ou de um grupo literário

Tema= principal assunto ou mensagem de um poema.

Leia os seguintes versos e pergunte aos alunos o que eles entenderam.

Nesse estilo popular

Nos meus singelos versinhos,

O leitor vai encontrar

Em vez de rosas espinhos

☻Comente que belos versos, como os de Patativa, também podem falar sobre sofrimento e dificuldades. Afinal, a poesia traduz a forma como o poeta vê o mundo. E no mundo também há coisas tristes.

☻Explique que nesses versos Patativa anuncia o estilo de poesia que ele faz, o popular.Ele avisa que o leitor não vai encontrar apenas “rosas” (coisas belas), mas também “espinhos” (tristeza e problemas)

☻Leia mais uma vez o poema em voz alta para eles. Peça a eles que fechem os olhos e escutem atentamente. Pergunte se percebem o ritmo do poema.
Como se fosse um tambor...

Muitos poetas querem que seus versos tenham ritmos e cadência, como se houvesse um tambor batendo a intervalos regulares. Patativa conseguiu esse efeito em seu poema. Chame a atenção dos alunos para o ritmo dos versos, mostrando como esse efeito encanta o leitor. Isso pode ajuda-los na hora de escrever poemas.

Transcreva na lousa mais alguns versos da Patativa do Assaré. Ressalte a primeira letra cada verso e lance o desafio. Quem descobre algo diferente nesse poema?

_______________________________________________________________

Posso dizer que cantei

Aquilo que observei

Tenho certeza que dei

Aprovada a relação

Tudo é tristeza e amargura

Indigência e desventura


Veja, leitor, quanto é dura

A seca no meu sertão.
Patativa do Assaré, ABC do Nordeste flagelado, São Paulo, Hedra, 2001.

☻Comente que Patativa do Assaré ordenou as letras iniciais dos versos para formar uma palavra. Nesse caso, o próprio nome do autor: Patativa. Esse recurso é chamado “acróstico”.


Mais um recurso poético

Acróstico é um recurso poético em que as letras iniciais dos versos formam uma palavra ou frase na vertical.Muitas vezes os acrósticos revelam um nome próprio. Os populares usam muito o recurso do acróstico com o próprio nome identificar seus textos.Assim, indicam que os cordéis expostos em espaços públicos, como feiras, são deles.

2ª etapa


☻Sugira a cada aluno que crie um acróstico com o nome deles. Para compor os versos, eles podem falar de suas características, seu jeito de ser, as coisas de que gostam.

☻Para ajudar, escreva a lousa as frases a seguir, e peça a eles que completem os espaços.

Eu sou _______________________________________

Eu gosto muito quando __________________________

Fico triste quando ______________________________

Meus amigos dizem que _________________________

Fico desanimado quando ________________________

Minha maior qualidade é ________________________

Às vezes eu __________________________________

Sonho com ___________________________________

☻Peça aos alunos que escrevam o nome deles na vertical. E depois procurem palavras e frases para contar um pouco sobre eles. Podem inspirar- se no exercício que acabaram de fazer da linha. Você pode usar este exemplo para auxiliar os alunos.
Pequena

Alegre

Um dia eu fui...

Livre, leve

Agora eu sou...

_______________________________________________________________

☻Agora é só finalizar os versos dos acrósticos e mostrar para o grupo. Escolha alguns acrósticos para colocar no mural.





Compartilhe com seus amigos:
1   ...   11   12   13   14   15   16   17   18   19


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal