Inmetro programa de análise de produtos: relatório de vinho divisão de Orientação e Incentivo à Qualidade Diviq Diretoria da Qualidade Dqual Inmetro Índice



Baixar 302.87 Kb.
Página1/3
Encontro14.02.2018
Tamanho302.87 Kb.
  1   2   3



Serviço Público Federal

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR

INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL

INMETRO



PROGRAMA DE ANÁLISE DE PRODUTOS:



RELATÓRIO DE VINHO



Divisão de Orientação e Incentivo à Qualidade - Diviq

Diretoria da Qualidade - Dqual

Inmetro


ÍNDICE

1. Apresentação pág. 03

2. Justificativa pág. 04

3. Normas e documentos de referência pág. 06

4. Laboratório responsável pelos ensaios pág. 06

5. Amostras analisadas pág. 07

6. Ensaios realizados pág. 11

7. Resultado geral pág. 13

8. Posicionamento das Associações pág. 15

9. Posicionamento dos Fabricantes pág. 16

10. Informações úteis para os consumidores pág. 18

11. Contatos Úteis pág. 20

11. Conclusão pág. 21

  1. APRESENTAÇÃO

O Programa de Análise de Produtos, coordenado pela Diretoria da Qualidade do Inmetro, foi criado em 1996, sendo um desdobramento do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade – PBQP.

Um dos subprogramas do PBQP, denominado Conscientização e Motivação para a Qualidade e Produtividade, refletia a necessidade de criar, no país, uma cultura voltada para orientação e incentivo à Qualidade, e tinha a função de promover a educação do consumidor e a conscientização dos diferentes setores da sociedade.

Nesse contexto, o Programa de Análise de Produtos tem como objetivos principais:


  1. minimizar os efeitos nocivos da assimetria de informação existente entre consumidores e fornecedores de produtos e serviços, favorecendo o equilíbrio na relação de consumo e a concorrência leal no mercado;

  2. informar ao consumidor brasileiro sobre a adequação de produtos e serviços aos critérios estabelecidos em normas e regulamentos técnicos, contribuindo para que ele faça escolhas melhor fundamentadas em suas decisões de compra ao levar em consideração outros atributos além do preço e, por conseqüência, torná-lo parte integrante do processo de melhoria da indústria nacional;

  3. fornecer subsídios para o aumento da competitividade da indústria nacional;

A seleção dos produtos e serviços analisados tem origem, principalmente, nas sugestões, reclamações e denúncias de consumidores que entraram em contato com a Ouvidoria do Inmetro, 1 ou através do link “Indique! Sugestão para o Programa de Análise de Produtos”, 2 disponível na página do Instituto na internet.

Outras fontes também são utilizadas, como demandas do setor produtivo e dos órgãos regulamentadores, além de notícias sobre acidentes de consumo, reclamações e denúncias encontradas em páginas da imprensa dedicadas à proteção do consumidor.

Deve ser destacado que as análises conduzidas pelo Programa não têm caráter de fiscalização, e que esses ensaios não se destinam à aprovação de produtos ou serviços. O fato de um produto ou serviço analisado estar ou não de acordo com as especificações contidas em regulamentos e normas técnicas indica uma tendência em termos de qualidade. Sendo assim, as análises têm caráter pontual, ou seja, são uma “fotografia” da realidade, pois retratam a situação naquele período em que as mesmas são conduzidas.

Ao longo de sua atuação, o Programa de Análise de Produtos estimulou a adoção de diversas medidas de melhoria. Como exemplos, podem ser citados a criação e revisão de normas e regulamentos técnicos, programas de qualidade implementados pelo setor produtivo analisado, ações de fiscalização dos órgãos regulamentadores e a criação, por parte do Inmetro, de programas de certificação compulsória, bem como a certificação de produtos a partir de solicitações de empresas que foram analisadas e identificaram esta alternativa, que representa um forma de melhorar a qualidade do que é oferecido ao consumidor e também um diferencial em relação a seus concorrentes.





1 Ouvidoria do Inmetro: 0800-285-1818; ouvidoria@inmetro.gov.br

2 Indique! Sugestão para o Programa de Análise de Produtos: http://www.inmetro.gov.br/consumidor/formContato.asp

  1. JUSTIFICATIVA

O negócio vinícola movimenta aproximadamente US$ 180 bilhões no mercado mundial. Dentre os principais produtores destacam-se os países tradicionais do chamado “Velho Mundo” como França, Itália, Espanha, Portugal, Alemanha e, mais recentemente, os países do “Novo Mundo” como EUA, Chile, Austrália, Nova Zelândia, Argentina e África do Sul. 3

Segundo dados da Organização Internacional da Uva e do Vinho (OIV), em 2006 a estimativa de produção mundial de vinho esteve entre 27,5 bilhões e 28,6 bilhões de litros, e o consumo mundial foi de 23,8 bilhões de litros.

Já no Brasil, existe escassez de informações sobre produção e comercialização de vinho e de suco de uva. O único Estado que realiza e publica estimativas é o Rio Grande do Sul, responsável por cerca de 80% do volume da produção do País. O Vale do Rio São Francisco responde por 15%.

A vitivinicultura Brasileira constitui-se numa atividade agrícola de pequenas propriedades, com marcante característica de produção familiar e elevado número de variedades de uvas. Cerca de 65% dessa produção é destinado à elaboração de vinhos, sucos, destilados e outros derivados, sendo o restante desti­nado ao consumo in natura.



Dados preliminares da União Brasileira de Vitivinicultura - UVIBRA e do Instituto Brasileiro do Vinho - IBRAVIN registram que houve queda de quase 14% na produção de vinho de 2006 em relação a 2005. No mesmo período, houve tendência de queda na quantidade comercializada, com destaque para o vinho de mesa (9,35%) se comparado ao vinho fino (0,99%) (Tabelas 1 e 2).
Tabela 1 - Produção de Vinhos, Sucos e Derivados do Estado do Rio Grande do Sul, Período 2003-2006

Produto

2003

2004

2005

2006

Vinho de mesa

202.545.724

312.549.281

226.080.432

185.100.887

Tinto

155.513.687

252.979.739

180.698.666

149.527.555

Branco

40.861.639

51.497.025

39.212.146

31.738.390

Rosado

6.170.398

8.072.517

6.169.620

3.809.942

Vinho fino

29.551.457

43.084.644

45.453.898

32.168.976

Tinto

15.357.576

23.160.118

25.409.805

18.868.108

Branco

14.058.481

19.887.747

20.012.363

13.249.969

Rosado

-

-

31.730

50.900

Suco de uva simples

4.659.258

6.200.037

9.798.024

13.946.491

Suco concentrado1

55.241.820

89.390.375

97.566.220

87.073.025

Outros derivados

20.741.475

21.693.858

23.549.751

28.151.593

Total

312.819.734

472.918.195

402.448.325

346.415.973

1Transformado em litros de suco simples. Fonte: UVIBRA e IBRAVIN in: Anuário Brasileiro da Uva e do Vinho 2007.

3 Fonte: Instituto de Economia Agrícola – Disponível em: http://www.iea.sp.gov.br/out/verTexto.php?codTexto=8929 - Acesso em: 04/12/2007.

Tabela 2 - Comercialização de Vinhos, Sucos e Derivados do Estado do Rio Grande do Sul.

Produto

2003

2004

2005

2006

Vinho de mesa1

217.082.959

225.370.322

271.248.493

245.072.881

Tinto

179.225.328

186.598.797

227.987.457

208.951.066

Rosado

6.945.806

5.477.846

39.698.976

33.057.424

Branco

30.911.825

33.293.679

3.562.059

3.064.392

Vinho especial2

205.269

66.990

285.994

172.174

Tinto 

87.544

51.825

278.339

171.360

Branco

117.725

15.165

7.655

815

Vinho fino de mesa3

23.293.171

19.864.478

22.306.004

22.085.322

Tinto

12.559.693

10.859.722

13.335.767

13.590.710

Rosado

579.724

390.370

472.971

307.188

Branco

10.153.754

8.614.386

8.497.265

8.187.423

Espumantes

4.204.240

4.813.838

5.705.224

7.482.727

Espumante moscatel

594.044

691.059

1.071.448

1.277.312

Suco de uva integral

7.496.195

8.803.831

14.675.316

15.481.706

Suco de uva concentrado4

76.233.255

96.101.615

116.109.494

115.846.680

Outros derivados

21.130.535

40.107.837

39.757.825

35.724.878

Total

350.239.668

395.819.970

471.159.798

443.143.680


Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal