Jornal eletrônico da associaçÃo dos ex-alunos do instituto benjamin



Baixar 358.88 Kb.
Página1/6
Encontro13.06.2018
Tamanho358.88 Kb.
  1   2   3   4   5   6

CONTRAPONTO
JORNAL ELETRÔNICO DA ASSOCIAÇÃO DOS EX-ALUNOS DO INSTITUTO BENJAMIN

CONSTANT


ANO 2

SETEMBRO DE 2007

12ªEdição

Legenda: Jornal Eletrônico da Associação dos Ex-Alunos do I B C.

Patrocinadores:
XXXX
Editoração eletrônica: Gilka Fonseca

Distribuição: gratuita

CONTATOS:

Telefone: (0XX21) 2551-2833

Correspondência: Rua Marquês de Abrantes 168 Apto. 203 - Bloco A

CEP: 22230-061 Rio de Janeiro - RJ

e-mail: contraponto_jornal@yahoo.com.br

Site: www.exaluibc.notlong.com

EDITOR RESPONSÁVEL: VALDENITO DE SOUZA

e-mail: contraponto_jornal@yahoo.com.br

EDITA E SOLICITA DIFUSÃO NA INTERNET.

SUMÁRIO:
1. EDITORIAL: CONTRAPONTO, Um ano de existência


2.A DIRETORIA EM AÇÃO: Nossa agenda
3.O I B C EM FOCO # PAULO ROBERTO DA COSTA: Festa e luto
4.DV EM DESTAQUE# JOSÉ WALTER FIGUEREDO:

- Livro- digitais gratuitos

- Caravana do livro acessível

- Estudantes desenvolvem mundo virtual para internautas cegos

- Invisuais com informação braille nas linhas do S. T. C. P

- Sinalética para cegos identificarem passadeiras

- Dupla de cegos vai do interior ao litoral de SP de bicicleta

- Convenção dos direitos das pessoas com deficiência

- Cegueira atinge os pobres diz Conselho de Oftalmologia
5.DE ÔLHO NA LEI #DULAVIM DE OLIVEIRA: PL nº 00274/2007 - Prós e contras
6.TRIBUNA EDUCACIONAL # SALETE SEMITELA: Crianças Índigo (1ª parte)
7.ANTENA POLÍTICA # HERCEN HILDEBRANDT: Um ano de Contraponto um ano de imprensa livre
8.ETIQUETA # RITA OLIVEIRA: Os pratos e os talheres
9.PERSONA # IVONET SANTOS: Entrevista: Mayá Devi de Oliveira(MESTRA E POETISA)

10.DV-INFO # CLEVERSON CASARIN ULIANA: Novo sintetizador de voz para Dosvox e NVDA

11. O DV E A MÍDIA # VALDENITO DE SOUZA:

- PREFÁCIO ( Livro: Instituto Benjamin Constant 150 Anos)

- Projeto Postal Braille NAP - Núcleo de Atendimento Postal Braille

- Projeto de celular para cegos ganha prêmio na China

- Ouvir as informações contidas num livro ou numa revista, sem precisar que outra pessoa dite o texto, pode deixar de ser um sonho para os deficientes visuais

- Nova ferramenta ajuda deficientes visuais a assistir vídeos


12.REENCONTRO # : Aparecida Pereira Leite
13.TIRANDO DE LETRA #: Amostra da obra da poetisa Mayá Devi de Oliveira
14.BENGALA DE FOGO #:

- O estudante e o ledor;

- O porre (contribuição do leitor)
15. LENDO # MAURICIO ZENI: Apesar de Ser Cego: livro do César Gualberto

16.SAÚDE OCULAR #: HOB (Hospital Oftalmológico de Brasília): Descolamento de retina: tratamento exige urgência


17.CLASSIFICADOS CONTRAPONTO #: Clínica realiza exames de diagnósticos por imagem com cobrança simbólica
18. FALE COM O CONTRAPONTO#: Cartas dos leitores.

[ EDITORIAL]

NOSSA OPINIÃO:

O mundo está em constante mudança. Mudam crenças e costumes, muda o clima, os idiomas e cada um de nós é protagonista desse processo. Mas, para mudar, é preciso que mudemos duas vezes. Devemos mudar não apenas as coisas, mas também o modo como vemos as coisas, isto é: não basta mudar a realidade. É preciso mudar também a percepção dessa realidade.

Muitos já refletiram sobre o tema. Em O príncipe, publicado há 500 anos, Maquiavel afirma: “Nada é mais difícil que mudar a ordem das coisas”.

Bacon, no entanto, vai além e afirma que a mudança é inevitável, mas que sua natureza pode ser investigada por nós, que pode, até mesmo, por meio da experimentação, ser provocada.

Segundo LUC DE BRABANDERE, três fatores são indispensáveis para que mudanças ocorram de maneira ordenada e no sentido desejado:

1. Um objetivo. Uma necessidade é identificada e um grupo assume o projeto.

2. Uma tarefa. A tarefa é segmentada, ou configurada para favorecer a participação.

3. Os resultados. O resultado da colaboração passa a estar disponível a todos, e cabe a cada um tentar aperfeiçoamentos.


Contraponto nasceu da necessidade inevitável de mudar e do desejo de mudar para melhor. Com os pés firmes nos saberes do passado e o olhar no futuro, cada edição retrata o presente, com suas dúvidas e conflitos, perdas e conquistas. Com apenas um ano de existência e o esforço de um pequeno grupo, muitos já colhem belos frutos, que podem gerar novas sementes. Cultivá-las é responsabilidade de todos nós.

[A DIRETORIA EM AÇÃO]

ASSOCIAÇÃO DOS EX-ALUNOS DO INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT

Companheiros associados:

Saudações democráticas e libertárias!

A Diretoria Executiva da Associação vem estabelecendo uma agenda mínima de trabalho, com a definição de algumas prioridades requeridas pela necessidade de soluções mais urgentes.


1. Informes:


A Associação dos Ex-alunos do IBC, participou ativamente das festividades pelos 153 anos do nosso Educandário: Nossa participação se concentrou especialmente no próprio dia 17 de setembro, na solenidade de praxe, na parte da manhã, quando na oportunidade a nossa entidade se fez representar pela nossa valorosa associada, Aparecida Leite, cuja fala ardente, combativa e preocupada com os destinos da nossa casa de Ensino, nos fez refletir quanto ao futuro da chamada Educação Especializada no Brasil. Preocupante também, foi o aproveitamento da solenidade, para a

entrega de comendas à Direção do IBC, por parte da Vereadora Sílvia Pontes, ato de proselitismo político-partidário, entendido por nós, como impertinente e inoportuno; ainda mais que nunca tivemos conhecimento de que essa vereadora tivesse se envolvido alguma vez com as nossas causas, a não ser agora com a instalação da CPI da Câmara Municipal, relativa a alguns acontecimentos ocorridos no Parapan. Outro momento altamente relevante para nós, durante a solenidade, foi o instante da comemoração de 1 ano do jornal eletrônico Contraponto, quando a nossa representante na mesa, Cida Leite fez a entrega de placa comemorativa ao nosso redator chefe, Valdenito de Souza, justamente homenageado, por seu trabalho aglutinador junto à nossa lista de debates e de convivência virtual fraterna, o nosso amplo espaço interativo, e por garantir a disseminação livre da

informação, respeitando a diversidade, como sinaliza o nome do jornal, apropriadamente intitulado de: Contraponto, como um instrumento a serviço da coletividade das pessoas cegas e das de baixa visão, bem como de quem mais possa se interessar. O nosso jornal Contraponto alcançou um respeitável patamar de 140 assinantes diretos, além de ser distribuido por uma lista de discussão européia e duas brasileiras, até ao presente momento, abrangendo um público de leitores bastante diversificado, dentro e fora do Brasil.

À noite no saguão, tivemos o lançamento do livro da História do IBC, contando com a participação especial do Coral de Ex-alunos, regido por seu novo maestro, Marcelo de Matos Guimarães, que na ocasião, homenageou o seu antigo e inesquecível maestro, Sidnei Marzulo. Essa homenagem consistiu na execução de vários números de seus inconfundíveis arranjos, acrescido de um número com arranjo de autoria do nosso Marcelo, que tem conduzido sabiamente, o ressurgimento do coral, com suas vozes de ouro.

Mas como nem tudo são rosas, no início da semana do aniversário do IBC, dia 10, segunda-feira, à noite, veio a notícia que nos entristeceu a todos do nosso segmento: Faleceu a nossa querida Professora Mayá Devi de Oliveira, a nossa mestra que atravessou pelo menos 3 gerações, contribuindo com seu espírito humanista, para forjar cidadãos éticos e conscientes. A nossa Associação lamenta a perda irreparável de um de seus mais ilustres e corretos membros associados.

Ela era uma personalidade multifacetada: dominava a palavra, como poetisa, alimentando nossos sonhos, usava como arma, o exemplo, em suas ações, exercendo sempre o papel de educadora, dentro e fora da sala de aula. Com a mesma sabedoria, exerceu o papel de mediadora, atuando no Centro de Valorização da Vida, junto a todos que a ela recorriam, na esperança de obter o equilíbrio emocional tão necessário.

Por ocasião de sua despedida, a Associação se fez presente, colocando em seu caixão, junto com a Associação dos Docentes (ADIBC), uma coroa de flores, representando uma singela homenagem de seus ex-alunos e agora colegas, muitos deles.

2. Compromissos:


Metas previstas para este ano:
Atualização do nosso cadastro de associados, bem como de sua situação financeira, de modo a facilitar o trabalho da secretaria e da tesouraria. Esta medida visa proporcionar uma maior aproximação da Associação do seu associado. Para promover a volta de antigos associados hoje inadimplentes, definimos adotar uma estratégia de acordos, que permitam a médio prazo, a quitação de antigas dívidas. De um modo geral, os associados estão recebendo positivamente as nossas propostas, que sempre levam em conta, os limites financeiros de cada associado. Alimentamos a expectativa e temos mesmo a pretensão de colocar em dia, todos os atuais inadimplentes, até ao final da nossa gestão, em abril de 2009. O sistema de senhas para depósito permanecerá, enquanto não houver uma solução melhor que o substitua. Quem preferir depositar sem senha, deve guardar o comprovante de depósito.
A ampliação do quadro associativo está em nossos planos, visando o fortalecimento da nossa entidade.

Estamos mantendo a parceria iniciada na gestão anterior com o Conselho Brasileiro para o Bem-Estar dos Cegos, e IBC, na promoção de cursinhos que visam acesso a concursos públicos; presentemente as aulas visam a preparação para o concurso do TJ do RJ. Temos negociado com o IBC, a cessão de um espaço adequado, em face da grande demanda.


Mantemos uma política de apoio incondicional e valorização do coral dos ex-alunos em reconstrução, e em busca de sua própria identidade, em uma perspectiva de futuro promissor e duradouro, pelo que representou e representa em termos de realização e afirmação cultural para o nosso segmento.
Pretendemos estreitar os laços com as entidades congeneres, visando unificar as nossas frentes comuns de luta; é o caso do enfrentamento pelo livro acessível, pela questão dos transportes públicos, pela nossa participação adequada em concursos públicos, pela preparação profissional e conseqüente abertura do mercado de trabalho, sempre dialogando com as autoridades competentes, ou até mesmo pressionando-as, quando necessário.
A Diretoria está levando a cabo a reestruturação dos seus departamentos, visando sua ativação e funcionalidade. É o caso do Departamento de Comunicação Social, ainda trabalhando precariamente. O Departamento de Cultura está ganhando corpo e brevemente veremos sua atuação em alguns projetos previstos e em andamento.
Estamos criando um novo departamento vinculado a discussões sobre educação: Departamento de Ações Educativas.
A Comissão de reforma do estatuto desenvolve seus trabalhos, na expectativa do cumprimento dos prazos propostos para encaminhamento do novo texto à Assembléia Geral, para ser discutido e aprovado por ela.
Lembremos: A Associação somos todos nós, na luta e no prazer.

A Diretoria Executiva


Vitor Alberto da Silva Marques
Presidente.

[O I B C EM FOCO]


TITULAR: PAULO ROBERTO DA COSTA
Festa e luto
"Quisera bem mais, se mais eu pudesse querer!".

"Gostei muito da negra das argolas grandes; a negra do 107!".

"Pra nós Pra nós... Pra nós, uisque, cubalibre ou gin. Pra você que é tão direitinho, toma um cafezinho perto de mim".

"você não é de nada só faz-me rir, ahrra rra rra, não é de nada meu filho, é de guaraná".

Caros leitores(as),

me permitam, vou dividir essa coluna em duas partes. Na primeira quero abraçar a grande amiga e professora que nos deixou por ter cumprido sua etapa; quero prometer aqui nesse espaço que temos que virei em breve com a história dessa que foi um dos esteios de que já falei em outras oportunidades.

Maiá Devi de Oliveira, uma festa, uma amiga, colega na íntegra, dos mais velhos aos mais novos admiração é a expressão predominante.

Vai meu amor, fica aqui nosso agradecimento e o orgulho em saber que nossa alma contribuiu profundamente com sua veia poética, como você me revelou há bem pouco tempo nos bancos da cantina. Você nunca será passado pois o presente sempre nos trará você à nossa lembrança.

Na segunda, como a nossa amiga que se foi era uma festa permanente, peço licença aos pares, e em especial ao Antônio Carlos (o popular Guri), para reproduzir a sua exaltação ao nosso garboso IBC pela passagem de mais um aniversário. Faço isso por dois motivos:

Motivo primeiro: esse cidadão que permanece guri até nos dias de hoje é um dos grandes defensores do IBC.

Motivo segundo: bem sabemos que muitas pessoas que assinam o Contraponto não pertencem a nossa lista, inclusive pessoas de outros países.

Então vamos lá.


"Parabéns! Instituto Benjamin Constant!

O que parecia uma tremenda improvisação, transformou-se num retumbante sucesso.
Na noite do dia 17 de setembro, o saguão do Velho Casarão, acolheu com seus braços receptivos a grande galera que lá esteve. Apesar de eu estar me atendo ao período noturno, é claro que a festa já rolava desde as primeiras horas da manhã.

Nem mesmo a indisponibilidade do teatro, conseguiu empanar o grande brilho da comemoração. Os torcedores do Instituto Benjamin Constant, não mediram esforços para mostrar sua gratidão pelo muito que esta abençoada casa fez, faz e ainda fará pelos cegos em geral. Acreditamos piamente que os homens que promoveram o estabelecimento desta casa, o fizeram sob a inspiração de Deus, o criador de todas as coisas. O IBC é uma árvore, que apesar dos ventos da adversidade abaterem sobre ela, ela enverga mas não se parte.


A Professora Glorinha, como sempre imbatível na arte da oratória, deu início ao evento expondo com clareza e concisão os objetivos daquele encontro, que foram: o lançamento do livro INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT 150 anos. apresentação do Coral da Casa.
Ao longo de todo o evento, um cocktail de primeira qualidade era servido.
A disponibilização do livro em três formatos de leitura, foi um exemplo de esforço democrático. Acreditamos que ninguém tenha saído sem levar o seu no formato preferido. Para quem não pôde estar presente, informamos que o livro foi disponibilizado em Braille, no sistema comum e CD.
No tocante à apresentação do Coral, nada poderia ser mais emocionante. O Marcelo na regência do mesmo, é um exemplo inegável de capacidade. A homenagem prestada ao Sidney, foi de extrema felicidade. Por mais que passem os anos, a memória desse maestro jamais será esquecida. A performance do coral foi magistral.

O Coral que antes era de Prata, bem que agora poderia ser de Ouro.


Para aqueles, que por motivos imperiosos não puderam se fazer presentes, não podemos usar aquela conhecida frase: Você não sabe o quê perdeu. Porque eles realmente sabem o valor deste evento; e por certo, envidarão todos os esforços no sentido de não faltarem no próximo ano..

Antônio Carlos Torres #Hildebrand // (muita calma e muita tranqüilidade!!!)".

Paulo Roberto Costa, de frente para o otimismo e atento aos acontecimentos que envolvem ao nosso querido Instituto Benjamin Constant, I.B.C, para os mais íntimos!!!
aposto:

visitem a página do Instituto, procurem saber sobre as edições da revista Brasileira.

http://www.ibc.gov.br=Instituto Benjamin Constant
acesse a página da Associação dos Ex-alunos do I B C:

http://intervox.nce.ufrj.br/~exaluibc
Prestigiem a rádio dosvox:

Para ouvir com o Real player:http://intervox.nce.ufrj.br/radio.dv/radio.ram

para ouvir com Windows midia player:http://intervox.nce.ufrj.br/radio.dv/rdv.m3u

PAULO ROBERTO DA COSTA(PROBERTO@saci.org.br)


[ DV EM DESTAQUE]

TITULAR: JOSÉ WALTER FIGUEREDO
Livros digitais gratuitos
Os livros são de autores diversos, pensadores contemporâneos e das mais diferentes áreas
Nesta quarta, a Fundação Perseu Abramo coloca no ar - no portal FPA - a Biblioteca digital, com 43 títulos da editora. Os livros poderão ser baixados gratuitamente.

A biblioteca faz parte das comemorações dos 10 anos da Editora Fundação Perseu Abramo. A iniciativa, inédita em termos quantitativos, busca aumentar o alcance das publicações e incentivar a circulação e o debate de idéias.


Para tanto, foram selecionados títulos os mais diversos, de autores que vão de Celso Furtado e Mário Pedrosa a Mark Twain, passando por nomes importantes do pensamento contemporâneo, como Aloysio Biondi, Maria da Conceição Tavares, Paul Singer, Maria Victoria de Mesquita Benevides e Maria Rita Khel, entre outros.
Reflexões sobre o socialismo e sua história, o que inclui a trajetória do Partido dos Trabalhadores e outros movimentos sociais, além de visões críticas e aprofundadas do Brasil atual, estão entre os temas mais abordados nos livros. Mas há também espaço para estudos sobre manifestações culturais que vêm definindo a cara do novo século, casos do hip-hop e o software livre.
Os livros poderão ser baixados no portal da Fundação Perseu Abramo

( http://www.fpabramo.org.br/ )

a partir de hoje, 19 de setembro.
***

Dia 21 às 17 horas.


Dia 22 às 15 horas.
Bienal do livro Rio/2007
Caravana do livro acessível

Livro acessível já!


(Visita a feira: dia 21 e 22 setembro/2007 à tarde)
O que é um livro acessível?
O livro acessível é aquele que se adapta ao formato do desenho universal, podendo, assim, ser lido por todas as pessoas, com ou sem deficiência, de forma autônoma.
É preciso que esse livro seja sonoro. Desta forma, ele poderá ser ouvido por pessoas com deficiência visual. Além disso, o livro acessível deverá propiciar acesso ao texto de forma visual e digital, para que, de um lado, as pessoas cegas possam soletrá-lo, conhecendo a sua grafia e, de outro, as pessoas com baixa visão consigam lê-lo utilizando letras de tamanho aumentado.
O livro acessível, produzido com base no conceito do desenho universal, também é capaz de proporcionar a impressão do respectivo conteúdo em Braille, única forma de leitura possível para pessoas com surdo-cegueira, que lêem exclusivamente através do tato. O Braille também é utilizado por pessoas com deficiência visual.
Outras beneficiárias desse meio de acesso à leitura são as pessoas sem destreza manual, como alguns tetraplégicos e paralisados cerebrais, uma vez que poderão lê-lo sem a necessidade de virar folhas, bem como as pessoas com deficiência intelectual e disléxicas, que assimilam muito melhor a informação escrita quando acompanhada de sua forma falada.
Na Europa e nos EUA já são vendidos livros que atendem ao conceito do desenho universal, na medida em que o formato DAISY – acrônimo em inglês para Sistema Digital de Informação Acessível – é dotado de todas essas características. Os livros são distribuídos em CD-ROM, fazendo com que o seu conteúdo possa ser acessado por um cego, por exemplo, a partir de um computador. Além disso, o áudio pode ser reproduzido em qualquer tocador de mp3. Logo, mesmo pessoas que não necessitam de quaisquer desses recursos, usam esses livros quando estão em engarrafamentos, sendo, inclusive, um excelente meio de entretenimento.
Contudo, o verdadeiro acesso à leitura exige que toda a literatura esteja disponível para todos. Para tal, todos os níveis de governo devem agir, quer pelo fomento, quer pela fiscalização/normatização, fazendo com que as editoras dos livros comuns assumam a responsabilidade de fornecer o que produzem normalmente para todos, e não para as atuais instituições oficiais. Só desta forma conseguiremos ter acesso adequado à educação e à cultura, não apenas de forma livre e irrestrita, mas, acima de tudo, com dignidade.
Não é por outra razão que exigimos livros acessíveis comerciais, vendidos nas e pelas livrarias, comprados por nós, consumidores em potencial de acessibilidade e de meios alternativos, instrumentos de uma sociedade que pretende ser justa, solidária e igualitária.
Em nome da liberdade literária das pessoas com deficiência no Brasil, milhões de "brasileiros discriminados" gritam:
"LIVRO ACESSÍVEL JÁ!"
"Enquanto houver uma pessoa discriminada, todos seremos discriminados", porque "é mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito".
ASSOCIAÇÃO DOS EX-ALUNOS DO INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT
***
Estudantes desenvolvem mundo virtual para internautas cegos
A filial irlandesa do fabricante de computadores IBM anunciou que está trabalhando em um projeto que auxiliará na navegação de internautas cegos pelo chamado mundo virtual.
Um projeto realizado por estudantes com ajuda da empresa criou um sistema de áudio que utiliza sons para dar sensação de espaço no Active Worlds --um programa que recria na internet o mundo real.
Estimativas indicam que, em apenas quatro anos, 80% dos usuários de internet utilizarão aplicações que simulam a realidade, como o Second Life, que já tem quase 9,5 milhões de adeptos.
Para a IBM, é preciso garantir que pessoas com deficiência visual também tenham acesso a esse ambiente. "Quando o usuário entrar no mundo virtual, será informado dos objetos e suas posições", explicou Colm O'Brien, um dos quatro pesquisadores que trabalham no projeto. "Haverá também sons. Por exemplo, se o usuário passar ao lado de uma árvore, escutará o farfalhar das folhas."
A pesquisa desenvolveu softwares de conversão de texto em voz, para que os usuários cegos possam conhecer as inscrições de uma caixa de mensagens, por exemplo, ou conversar virtualmente com outro usuário.
Personagens virtuais também poderiam emitir sons, para avisar usuários cegos de que estão se aproximando e a que distância se encontram.
O projeto faz parte da iniciativa de pesquisas Extreme Blue, na qual a IBM reúne grupos de estudantes que buscam resolver, em 12 semanas, problemas colocados por pesquisadores avançados.
Uma equipe de consultores cegos em Dublin e nos Estados Unidos está aconselhando e avaliando a iniciativa.
A experiência será depois desenvolvida pelo Centro de Habilidade e Acessibilidade Humana da IBM, no Texas.
Fonte:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/bbc/ult272u329431.shtml


***
Invisuais com informação braille nas linhas do S. T. C. P
A Sociedade de Transportes Colectivos do Porto vai disponibilizar informação sobre as suas linhas em linguagem braille, uma medida que visa "promover a mobilidade dos cidadãos deficientes visuais", anunciou hoje fonte da empresa.
O folheto em braille dá "informação sobre as linhas da STCP, a sua origem e destino e por onde passam, bem como dá a conhecer quais as linhas que dispõem de autocarros com piso rebaixado e rampa de acesso para cadeiras de rodas", afirmou Rui Saraiva, da administração da STCP.
Este folheto em braille vai ser distribuído pela ACAPO - Associação de Cegos e Amblíopes de Portugal, bem como nas lojas da STCP e Andante.
A iniciativa surge no âmbito de uma parceria entre a STCP e a ACAPO, que hoje assinaram um protocolo de cooperação, assinalando a Semana Europeia da Mobilidade.
A ACAPO compromete-se a colaborar com a STCP no sentido de traduzir para linguagem braille a informação considerada essencial pela empresa e dirigida aos seus clientes.
A ACAPO irá também assegurar formação a motoristas da STCP, "com vista a melhorar o atendimento entre estes e os clientes com deficiência visual".
Em contrapartida, a empresa transportadora facilitará às suas estações de recolha o acesso da ACAPO, para que, nas acções de formação que promove, os deficientes visuais possam experimentar entrar e sair dos autocarros da empresa.
A STCP apoiará ainda a ACAPO na divulgação de iniciativas e programas especiais, disponibilizando para tal meios que estejam disponíveis.
Para "dar mais sentido à inclusão social e ao conceito de mobilidade", mais de 80 por cento da frota da STCP dispõe já de piso rebaixado e cerca de 70 por cento das suas viaturas têm rampa de acesso para cadeiras de roda.


Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal