Licenciado em letras – LÍngua portuguesa licenciado em letras – LÍngua estrangeira 6



Baixar 1.2 Mb.
Página17/17
Encontro20.12.2017
Tamanho1.2 Mb.
1   ...   9   10   11   12   13   14   15   16   17

BIBLIOGRAFIA


ALMEIDA. Napoleão Mendes de. Gramática Latina. São Paulo : Saraiva.

BERGE, Dr. Fr. Damião, Q.F.M., et alii. Ars latina (tomo I). Petrópolis : Vozes.

______. Programa de Latim. (2º volume: Introdução aos Clássicos Latinos). São Paulo : Editora Salesiana. Bom Bosco.

______. Gramática Latina. São Paulo : Editora Salesiana. Bom Bosco.

CARDOSO, Zélia de Almeida. Iniciação do Latim. São Paulo : Ática.

COMBA, Pe. Júlio, SDB. Programa de Latim. (1º volume: Introdução aos Clássicos Latinos). São Paulo : Editora Salesiana. Bom Bosco.

COUTINHO, Ismael de Lima Coutinho. Gramática histórica.

FARIA, Ernesto. Gramática superior da língua latina. Rio de Janeiro : Livraria Acadêmica.

FURLAN, Oswaldo Antônio. Das letras latinas às luso-brasileiras. Florianópolis

FURLAN,Osvaldo Antônio,BUSSARELLO,Raulino. Gramática Básica do Latim. Florianópolis: Editora UFSC.

______. Latim para o português. Florianópolis, SC, Editora UFSC.

______. Dicionário Escolar Latino-Português. Rio de Janeiro, FAE.

RAVIZZA, Pe. João. Gramática Latina. Niterói : Escola Industrial Dom Bosco.

RÓNAI, Paulo. Curso Básico de Latim – gradus primus. São Paulo : Editora Cultrix.

______. Não perca o seu latim. Rio de Janeiro : Nova Fronteira.

TARALLO, Fernando. Tempos lingüísticos. São Paulo: Ática, 1990.

WILLIAMS, Edwin B. Do latim ao português. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1961.

LATIM II

EMENTA: Morfologia latina: nomes (4ª e 5ª declinações), pronomes, preposições, conjunções, advérbios, voz passiva, verbos irregulares, depoentes e semidepoentes. Sintaxe latina: emprego dos casos, a frase latina, discurso direto e discurso indireto. Contribuição do latim para o português: história externa do latim, história interna da língua latina, o alfabeto latino, ortoépia e ortografia. Evolução do latim clássico ao português: vocalismo e consonantismo, metaplasmos, os casos latinos e as funções sintáticas do português, as formas sintéticas e as formas analíticas, a redução dos casos, a formação do léxico português.



BIBLIOGRAFIA


ALMEIDA. Napoleão Mendes de. Gramática Latina. São Paulo : Saraiva.

BERGE, Dr. Fr. Damião, Q.F.M., et alii. Ars latina (tomo I). Petrópolis : Vozes.

______. Programa de Latim. (2º volume: Introdução aos Clássicos Latinos). São Paulo : Editora Salesiana. Bom Bosco.

______. Gramática Latina. São Paulo : Editora Salesiana. Bom Bosco.

CARDOSO, Zélia de Almeida. Iniciação do Latim. São Paulo : Ática.

COMBA, Pe. Júlio, SDB. Programa de Latim. (1º volume: Introdução aos Clássicos Latinos). São Paulo : Editora Salesiana. Bom Bosco.

COUTINHO, Ismael de Lima Coutinho. Gramática histórica.

FARIA, Ernesto. Gramática superior da língua latina. Rio de Janeiro : Livraria Acadêmica.

FURLAN, Oswaldo Antônio. Das letras latinas às luso-brasileiras. Florianópolis

FURLAN, Osvaldo Antônio, BUSSARELLO, Raulino. Gramática Básica do Latim. Florianópolis : Editora UFSC.

______. Latim para o português. Florianópolis, SC, Editora UFSC.

______. Dicionário Escolar Latino-Português. Rio de Janeiro, FAE.

RAVIZZA, Pe. João. Gramática Latina. Niterói : Escola Industrial Dom Bosco.

RÓNAI, Paulo. Curso Básico de Latim – gradus primus. São Paulo : Editora Cultrix.

______. Não perca o seu latim. Rio de Janeiro : Nova Fronteira.

TARALLO, Fernando. Tempos lingüísticos. São Paulo: Ática, 1990.

WILLIAMS, Edwin B. Do latim ao português. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1961.

LITERATURA BRASILEIRA MODERNA

EMENTA: A poesia romântica e suas fases no Brasil. Principais representantes e obras: Gonçalves Dias, Álvares de Azevedo, Castro Alves e outros. A prosa romântica em seus aspectos urbanos, indianistas e regionais. Principais autores e obras: José de Alencar, Joaquim Manuel de Macedo, Manuel Antônio de Almeida e outros. O teatro de Martins Pena. O traço naturalista do realismo brasileiro: o romance de Aluísio Azevedo. A poesia parnasiana: principais autores e obras.

BIBLIOGRAFIA

Básica


AMORA, Antônio Soares. O Romantismo. Col. A literatura brasileira. São Paulo:Cultrix,
1973, vol. II.

BOSI, Alfredo. História Concisa da Literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1986.

CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira. Belo Horizonte: Itatiaia, I976, vol. II.

CANDIDO, Antonio e CASTELLO, José Aderaldo. Presença da literatura brasileira.


Do Romantismo
ao Simbolismo. São Paulo: Difel, 1985.

COUTINHO, Afrânio (dir). A literatura no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1986, vols. III e IV.

MOISÉS, Massaud. História da literatura Brasileira. O Romantismo; O Realismo. São Paulo: Cultrix, 1985. Vol. II. , vol. III.

PACHECO, João. O realismo. Col. A literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1971, vol. III.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da literatura brasileira. Seus fundamentos econômicos
Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1976.

De apoio


BOSI, Alfredo e outros. Machado de Assis. Col. Escritores brasileiros. Antologia e
Estudos
. São Paulo: Ática.1982.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade. São Paulo: Ed. Nacional, 1985.

CANDIDO, Antonio. Na sala de aula. Caderno de análise literária. São Paulo : Ática, 1989.

CITELLI, Adilson. Romantismo. São Paulo: Perspectiva.

COUTINHO, Afrânio. Introdução à literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

GUINSBURG, J. O Romantismo. São Paulo: Perspectiva, 1978.

LIMA, Alceu Amoroso. Introdução à literatura brasileira. São Paulo: Agir, 1974.

LINHARES, Temístocles. História crítica do romance brasileiro. Belo Horizonte : Itatiaia;


São Paulo: Ed. da USP, 1987, vol. I.

LUCAS, Fábio. Do barroco ao moderno. São Paulo: Ática, 1976.

LUCAS, Fábio. O caráter social da literatura brasileira. São Paulo: Quíron, 1976.

MARTINS, Wilson. História da Inteligência brasileira. São Paulo: Cultrix. Vls. 3 e 4.

MERQUIOR, José Guilherme. De Anchieta a Euclides. Rio de Janeiro: José Olympio, 1977.
(Há edição recente).

RAMOS, Péricles Eugênio da Silva. Do Barroco ao Modernismo. Rio de Janeiro: Livros


Técnicos, s/d.

ROMERO, Sílvio. História da literatura brasileira. Rio de Janeiro: José Olympio, s/d.

VERÍSSIMO, José. História da literatura brasileira. Brasília: ed. da UnB, 1998.

OBSERVAÇÃO: Caberá ao docente a escolha dos textos literários a serem trabalhados, bem como a indicação bibliográfica desses textos aos alunos.


LITERATURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA I.

EMENTA: A poesia brasileira do Simbolismo. Cruz e Sousa e Alphonsus de Guimaraens. A poesia de Augusto dos Anjos. A poesia do Modernismo brasileiro em suas diferentes gerações. Principais autores e obras desses momentos: Oswald de Andrade, Mário de Andrade, Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, João Cabral de Melo Neto e outros. O Concretismo e suas ressonâncias no final do séc. XX.
BIBLIOGRAFIA

Básica


BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1986.

BOSI, Alfredo. O pré-Modernismo, Vol. V da Col. A literatura brasileira. São Paulo Cultrix, 1973.

CANDIDO, Antonio e CASTELLO, José Aderaldo. Presença da literatura brasileira Modernismo. São Paulo: Difel, 1977.

COUTINHO, Afrânio (dir.). A literatura no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1986. Vol. V.

MARTINS, Wilson. O Modernismo. Col. A literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1987. Vol. VI.

MOISÉS, Massaud. História da literatura Brasileira. Simbolismo; Modernismo. São Paulo: Cultrix, 1985, vols. IV. E V.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da literatura brasileira. Seus fundamentos Econômicos.
Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1976.

TELES, Gilberto Mendonça. Vanguarda européia e modernismo brasileiro. Petrópolis:


Vozes, 1985.

De apoio.

ALAMBERT, Francisco. A semana de 22. A aventura modernista no Brasil. São Paulo:

Scipione,1992.

AMARAL, Aracy. Artes plásticas na semana de 22. São Paulo: Perspectiva, 1975.

ANDRADE, Mário de. Aspectos da Literatura brasileira. São Paulo: Martins, 1974.

ÁVILA, Affonso. O poeta e a consciência crítica. São Paulo: Summus.

ÁVILA, Affonso. O Modernismo. São Paulo: Perspectiva. 1975.

BALAKIAN, Anna. O Simbolismo. São Paulo: Perspectiva, 1985.

BANDEIRA, Manuel. Itinerário de Pasárgada. Rio de Janeiro: José Olympio.

BOAVENTURA, Maria Eugênia. A vanguarda antropofágica. São Paulo: Ática.

BOSI, Alfredo (org.). O conto brasileiro contemporâneo. São Paulo: Cultrix, 1977.

BOSI, Alfredo. Céu, inferno. São Paulo: Ática, 1988.

BRAYNER, Sônia (org.). Carlos Drummond de Andrade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

BRASIL, Assis. A nova literatura. Rio de Janeiro: Cia Ed. Americana/INL.

BRITO, Mário da Silva. História do modernismo brasileiro. Antecedentes da Semana de arte Moderna. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1974.

CAMPOS, Augusto de. Balanço da bossa e outras bossas. São Paulo: Perspectiva.

CAMPOS, Augusto & Haroldo e PIGNATARI, Décio. Teoria da poesia concreta.

São Paulo: Duas Cidades.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade. São Paulo: Ed. Nacional, 1985.

______, Antonio. Na sala de aula. Caderno de análise literária. São Paulo:Ática, 1989.

______, Antonio. A educação pela noite e outros ensaios. São Paulo: Ática, 1987.

______, Antonio. Tese e antítese. São Paulo: Ed. Nacional, 1978.

______, Antonio. Ficção e confissão. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

COUTINHO, Afrânio. Introdução à literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 1978.

FAUSTINO, Mário. Poesia experiência. São Paulo: Perspectiva, 1977.

FILHO, Domício Proença. Estilos de época na literatura. São Paulo: Ática, 1985.

FRIEDRICH, Hugo. Estrutura da lírica moderna. São Paulo: duas Cidades, 1978.

HELENA, Lúcia. Movimentos da vanguarda européia. São Paulo: Scipione, 1993.

______, Lúcia. Totens e tabus da modernidade brasileira. Rio de Janeiro: Tempo


Brasileiro; Niterói: UFF, 1985.

JÚNIOR, Benjamim A. e CAMPEDELI, Samira Y. Tempos da literatura brasileira.


São Paulo: Ática.

LAFETÁ, João Luiz. 1930: a crítica e o Modernismo. São Paulo: Duas Cidades, 1974.

LIMA, Alceu Amoroso. Introdução à literatura brasileira. São Paulo: Agir, 1974.

______, Temístocles. História crítica do romance brasileiro. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Ed. da USP, 1987, vols. II. ; III.

LINHARES, Temístocles. Diálogos sobre a poesia brasileira. São Paulo: Melhoramentos.

LUCAS, Fábio. Do barroco ao moderno. São Paulo: Ática, 1976.

______, Fábio. O caráter social da literatura brasileira. São Paulo: Quíron, 1976.

MARTINS, Wilson. História da Inteligência brasileira. São Paulo: Cultrix, s/d. v. 5.

MERQUIOR, José Guilherme. De Anchieta a Euclides. Rio de Janeiro:
José Olympio, 1977.

NUNES, Benedito. O dorso do tigre. São Paulo: Perspectiva, 1976.

PAES, José Paulo e MASSAUD, Moisés. Pequeno dicionário da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1980.

PEREIRA, Lúcia Miguel. Prosa de ficção (1870/1920). Rio de Janeiro: José Olympio.

PROENÇA, M. Cavalcanti. Augusto dos Anjos e outros ensaios. Rio de Janeiro: Grifo/MEC.

______, M. Cavalcanti. Roteiro de Macunaíma. Rio de Janeiro: Civilização


Brasileira, 1977.

RAMOS, Péricles Eugênio da Silva. Do Barroco ao Modernismo. Rio de Janeiro:


Livros Técnicos, s/d.

RIBEIRO, Maria Lúcia. Oswald de Andrade: a caixa de invenção. MEC/SEC/SNT.

ROMERO, Sílvio. História da literatura brasileira. Rio de Janeiro: José Olympio, s/d.

SANTAELLA, Lúcia. Convergências – poesia concreta e tropicalismo. São Paulo: Nobel.

SECCHIN, Antônio Carlos. João Cabral: a poesia do menos. São Paulo: Duas Cidades.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão. Tensões sociais e criação cultural na


Primeira República
. São Paulo: Brasiliense, 1983.

SOUZA, Gilda de Mello e. O tupi e o alaúde. São Paulo: Duas Cidades, 1979.

VERÍSSIMO, José. História da literatura brasileira. Brasília: ed. da UnB, 1998.

OBSERVAÇÃO: Caberá ao docente a escolha dos textos literários a serem trabalhados, bem como a indicação bibliográfica desses textos aos aluno.



LITERATURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA II

EMENTA: A narrativa de ficção realista brasileira: Machado de Assis. A narrativa de ficção do Pré-Modernismo: Monteiro Lobato, Euclides da Cunha, Lima Barreto e outros. A narrativa de ficção do Modernismo em suas diferentes gerações. Principais autores e obras: Oswald de Andrade e Mário de Andrade; Graciliano Ramos, Dalcídio Jurandir e outros de 30; Guimarães Rosa e Clarice Lispector. A narrativa de ficção pós anos 50. Estudo de alguns cronistas e contistas.
BIBLIOGRAFIA

Básica


BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1986.

BOSI, Alfredo. O pré-Modernismo, Vol. V da Col. A literatura brasileira. São Paulo


Cultrix, 1973.

CANDIDO, Antonio e CASTELLO, José Aderaldo. Presença da literatura brasileira.


Modernismo.
São Paulo: Difel, 1977.

COUTINHO, Afrânio (dir.). A literatura no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1986. Vol. V.

MARTINS, Wilson. O Modernismo. Col. A literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1987. Vol. VI.

MOISÉS, Massaud. História da literatura Brasileira. Simbolismo; Modernismo. São Paulo: Cultrix, 1985, vols. IV. E V.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da literatura brasileira. Seus fundamentos Econômicos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1976.

TELES, Gilberto Mendonça. Vanguarda européia e modernismo brasileiro. Petrópolis:


Vozes, 1985.

De apoio


ALAMBERT, Francisco. A semana de 22. A aventura modernista no Brasil. São Paulo:

Scipione,1992.

AMARAL, Aracy. Artes plásticas na semana de 22. São Paulo: Perspectiva, 1975.

ANDRADE, Mário de. Aspectos da Literatura brasileira. São Paulo: Martins, 1974.

ÁVILA, Affonso. O poeta e a consciência crítica. São Paulo: Summus.

______, Affonso. O Modernismo. São Paulo: Perspectiva. 1975.

BALAKIAN, Anna. O Simbolismo. São Paulo: Perspectiva, 1985.

BANDEIRA, Manuel. Itinerário de Pasárgada. Rio de Janeiro: José Olympio.

BOAVENTURA, Maria Eugênia. A vanguarda antropofágica. São Paulo: Ática.

BOSI, Alfredo (org.). O conto brasileiro contemporâneo. São Paulo: Cultrix, 1977.

______, Alfredo. Céu, inferno. São Paulo: Ática, 1988.

BRAYNER, Sônia (org.). Carlos Drummond de Andrade. Rio de Janeiro:


Civilização Brasileira.

BRASIL, Assis. A nova literatura. Rio de Janeiro: Cia Ed. Americana/INL.

BRITO, Mário da Silva. História do modernismo brasileiro. Antecedentes da Semana de
arte Moderna
. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1974.

CAMPOS, Augusto de. Balanço da bossa e outras bossas. São Paulo: Perspectiva.

CAMPOS, Augusto & Haroldo e PIGNATARI, Décio. Teoria da poesia concreta.

São Paulo: Duas Cidades.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade. São Paulo: Ed. Nacional, 1985.

______, Antonio. Na sala de aula. Caderno de análise literária. São Paulo: Ática, 1989.

______, Antonio. A educação pela noite e outros ensaios. São Paulo: Ática, 1987.

______, Antonio. Tese e antítese. São Paulo: Ed. Nacional, 1978.

______, Antonio. Ficção e confissão. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

COUTINHO, Afrânio. Introdução à literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização


Brasileira, 1978.

FAUSTINO, Mário. Poesia experiência. São Paulo: Perspectiva, 1977.

FILHO, Domício Proença. Estilos de época na literatura. São Paulo: Ática, 1985.

FRIEDRICH, Hugo. Estrutura da lírica moderna. São Paulo: duas Cidades, 1978.

HELENA, Lúcia. Movimentos da vanguarda européia. São Paulo: Scipione, 1993.

______, Lúcia. Totens e tabus da modernidade brasileira. Rio de Janeiro: Tempo


Brasileiro; Niterói: UFF, 1985.

JÚNIOR, Benjamim A. e CAMPEDELI, Samira Y. Tempos da literatura brasileira.


São Paulo: Ática.

LAFETÁ, João Luiz. 1930: a crítica e o Modernismo. São Paulo: Duas Cidades, 1974.

LIMA, Alceu Amoroso. Introdução à literatura brasileira. São Paulo: Agir, 1974.

LINHARES, Temístocles. História crítica do romance brasileiro. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Ed. da USP, 1987, vols. II. ; III.

______, Temístocles. Diálogos sobre a poesia brasileira. São Paulo: Melhoramentos.

LUCAS, Fábio. Do barroco ao moderno. São Paulo: Ática, 1976.

______, Fábio. O caráter social da literatura brasileira. São Paulo: Quíron, 1976.

MARTINS, Wilson. História da Inteligência brasileira. São Paulo: Cultrix, s/d. v. 5.

MERQUIOR, José Guilherme. De Anchieta a Euclides. Rio de Janeiro:
José Olympio, 1977.

NUNES, Benedito. O dorso do tigre. São Paulo: Perspectiva, 1976.

PAES, José Paulo e MASSAUD, Moisés. Pequeno dicionário da literatura brasileira.
São Paulo: Cultrix, 1980.

PEREIRA, Lúcia Miguel. Prosa de ficção (1870/1920). Rio de Janeiro: José Olympio.

PROENÇA, M. Cavalcanti. Augusto dos Anjos e outros ensaios. Rio de Janeiro:
Grifo/MEC.

______, M. Cavalcanti. Roteiro de Macunaíma. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1977.

RAMOS, Péricles Eugênio da Silva. Do Barroco ao Modernismo. Rio de Janeiro:
Livros Técnicos, s/d.

RIBEIRO, Maria Lúcia. Oswald de Andrade: a caixa de invenção. MEC/SEC/SNT.

ROMERO, Sílvio. História da literatura brasileira. Rio de Janeiro: José Olympio, s/d.

SANTAELLA, Lúcia. Convergências – poesia concreta e tropicalismo. São Paulo: Nobel.

SECCHIN, Antônio Carlos. João Cabral: a poesia do menos. São Paulo: Duas Cidades.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão. Tensões sociais e criação cultural na


Primeira República
. São Paulo: Brasiliense, 1983.

SOUZA, Gilda de Mello e. O tupi e o alaúde. São Paulo: Duas Cidades, 1979.

VERÍSSIMO, José. História da literatura brasileira. Brasília: ed. da UnB, 1998.

OBSERVAÇÃO: Caberá ao docente a escolha dos textos literários a serem trabalhados, bem como a indicação bibliográfica desses textos aos aluno.



LITERATURA PORTUGUESA MEDIEVAL


EMENTA: Origens e periodizações da Literatura Portuguesa. A Literatura Portuguesa medieval: a poesia trovadoresca e a poética dos cancioneiros. O nascimento da prosa literária: os cronicões e as novelas de cavalaria. A literatura do século XV: O Cancioneiro Geral. A evolução da prosa quinhentista: a crônica palaciana e a prosa doutrinária.

BIBLIOGRAFIA


Textos teórico-críticos

BUESCU, Maria Gabriela Carvalhão. Perceval e Galaaz, cavaleiros do Graal. Lisboa: Instituto de Cultura e Literatura Portuguesa, 1991. 230p.

BUESCU, Maria Leonor. Literatura Portuguesa Medieval. Lisboa: Universidade
Aberta, 1990. 317p.

CIDADE, Hernâni. Lições de Cultura e Literatura Portuguesas. 6. ed. Coimbra:


Coimbra, 1975. v. 1. 550p.

COELHO, Jacinto do Prado (dir.). Dicionário de Literatura. 3. ed. Porto: Figueirinhas, 1979. 3v.

FIGUEIREDO, Fidelino. História da Literatura Portuguesa. 3. ed. São Paulo: Cia.
Ed. Nacional, 1966. 545p.

FERREIRA, Joaquim. História da Literatura Portuguesa. Porto: D. Barreira, 1951. 963p.

HAUSER, Arnold. História Social da Arte e da Literatura. Tradução por Álvaro Cabral. São Paulo: Martins Fontes, 1995. 1032p.

LANCIANI, Giulia, TAVANI, Giuseppe (coords.). Dicionário da literatura medieval galega e portuguesa. Lisboa: Caminho, 1993. 698p.

LAPA, M. Rodrigues. Lições de Literatura Portuguesa: época medieval. 10. ed. Coimbra:
Coimbra, 1981. 499p.

MOISÉS, Massaud. A Literatura Portuguesa. 24. ed. São Paulo: Cultrix, 1988. 387p.

REMÉDIOS, Joaquim Mendes. História da Literatura Portuguesa. 6. ed. Coimbra:
Atlântida, 1930. 708p.

SARAIVA, António José; LOPES, Óscar. História da Literatura Portuguesa. 15. ed. Porto:


Porto, 1989. 1263p.

SARAIVA, José Hermano. História Concisa de Portugal. 10. ed. Lisboa:


Europa-América, 1986. 367p.

SIMÕES, João Gaspar. História da Poesia Portuguesa. Lisboa: Empresa Nacional de Publicidade, 1955-1959. 3v.

SPINA, Segismundo. Era Medieval. In: AMORA, Antônio Soares (dir.). Presença da Literatura Portuguesa. 7. ed. São Paulo: DIFEL, s. d. 230p.

______, Segismundo. A Lírica Trovadoresca. 4. ed. São Paulo: EDUSP, 1996. 418p.




Textos literários


A DEMANDA do Santo Graal; texto sob os cuidados de Heitor Megale. São Paulo:
T. A. Queiroz, 1992. 538p.

AS CRÓNICAS de Fernando Lopes; seleccionadas, transpostas em português moderno por António José Saraiva. 2. ed. Lisboa: Portugália, 1969. 458p.

BRAGA, Marques (org.). Cancioneiro da Ajuda. Lisboa: Sá da Costa, 1945. 2v.

CORREIA,Natália.Cantares dos Trovadores Galego-Portugueses. Lisboa:Estampa,1976. 295p.

DUARTE, Dom. Leal Conselheiro; edição crítica, introdução e notas de Maria Helena Lopes de Castro. Lisboa: IN-CM, 1998. 380p.

FLORILÉGIO do Cancioneiro de Resende; selecção, prefácio e notas de Rodrigues Lapa.


Lisboa: s. ed., 1944. 102p.

LAPA, M. Rodrigues. Cantigas d’escarnho e de maldizer. Coimbra: Galáxia, 1965. 764p.

NUNES, José Joaquim. Crestomatia arcaica. 7. ed. Lisboa: Livraria Clássica, 1970. 479p.

______, José Joaquim. Cantigas d’Amigo dos Trovadores Galego-Portugueses. Lisboa: Centro do Livro Brasileiro, 1973. v. 2, 471p.

______, José Joaquim. Cantigas d’Amor dos Trovadores Galego-Portugueses. Lisboa: Centro do Livro Brasileiro, 1972. 562p. Cf. Introdução (p. XI-L).

O ROMANCE DE AMADIS; reconstituição do Amadis de Gaula dos Lobeiras (sécs. XIII-XIV) por Affonso Lopes Vieira. São Paulo: Martins Fontes, 1995. 134p.

TAVARES, José Pereira (sel.). Antologia de textos medievais; selecção, introdução e notas pelo prof. José Pereira Tavares. 2. ed. Lisboa: Sá da Costa, 1961. 323p.

www.ipn.pt/literatura/letras

www.bibvirt.futuro.usp.br/acervo/literatura/autores

www.instituto-camoes.pt/literatura


LITERATURA PORTUGUESA CLÁSSICA


EMENTA: O Renascimento português: origens e características. O Teatro de Gil Vicente. Poesia épica e lírica de Camões: importância e influência. Principais representantes do Maneirismo e do Barroco. O Neoclassicismo e suas repercussões na poesia, na oratória e no teatro.

BIBLIOGRAFIA


Textos téorico-críticos

AMORA, Antônio Soares (dir.). Presença da Literatura Portuguesa. 3. ed. São Paulo:


DIFEL, 1974. 5v.

BERARDINELLI, Cleonice. Estudos Camonianos. Ed. rev. Rio de Janeiro: Nova Fronteira / Cátedra Pe. Antônio Vieira, 2000. 329p.

BUESCU, Maria Leonor Carvalhão. Literatura Portuguesa Clássica. Lisboa: Universidade
Aberta, 1992. 245p.

CARVALHO, Joaquim Barradas de. O Renascimento Português: em busca de sua especificidade. Lisboa: IN-CM, 1980. 66p.

CIDADE, Hernâni. Lições de Literatura Portuguesa. 6. ed. Coimbra: Coimbra, 1975. v. 1, 550p.

______, Hernâni. Luís de Camões: o lírico. 3. ed. Lisboa: Presença, 1992. 308p.

______, Hernâni. Luís de Camões: o épico. Lisboa: Presença, 1985. 194p.

COELHO, Jacinto do Prado (dir.). Dicionário de Literatura. 3. ed. Porto: Figueirinhas, 1979. 3v.

______, Jacinto do Prado. O Velho do Restelo e as contra-dicções camonianas. In: Camões e Pessoa, poetas da utopia. Lisboa: Europa-América, 1983. p. 69-76.

FIGUEIREDO, Fidelino. História da Literatura Portuguesa. 3. ed. São Paulo: Cia.


Ed. Nacional, 1966. 540p.

______, Fidelino. História da Literatura Clássica. São Paulo: Anchieta, 1946. 3v.

FREIRE, Anselmo Braacamp. Vida e obras de Gil Vicente. 2 . ed. Lisboa:
Revista Ocidente, 1944. 632p.

GUINSBURG, J.(org.). Classicismo. São Paulo: Perspectiva, 1999. 489p.

HATZFELD, Helmut. Estudios sobre el Barroco. 2. ed. Madrid: Gredos, 1973. 561p.

HAUSER, Arnold. História Social da Arte e da Literatura. Tradução por Álvaro Cabral. São Paulo: Martins Fontes, 1995. 1032p.

______, Arnold. Maneirismo: a crise da Renascença e o surgimento da arte moderna. Tradução por Magda França. São Paulo: Perspectiva/Ed. da Universidade de São Paulo, 1976. 463p.

LOURENÇO, Eduardo. Poesia e metafísica: Camões, Antero, Pessoa. Lisboa:


Sá da Costa, 1983. 261p.

MOISÉS, Massaud. A Literatura Portuguesa. 24 .ed. São Paulo: Cultrix, 1988. 387p.

MONGELLI, Lênia Márcia. A estética da ilustração. São Paulo: Atlas, 1992. 160p.

RAMALHO, Américo da Costa et alii. Renascentismo e Maneirismo. Lisboa: Alfa, 2001. 656p.

SARAIVA, António José, LOPES, Óscar. História da Literatura Portuguesa.
15. ed. Porto: Porto, 1989. 1263p.

______, António José. Para a história da cultura em Portugal. 4. ed. Porto:


Europa-América, 1972. 2v.

SILVA, Vítor Manuel de Aguiar e. Maneirismo e Barroco na Poesia Lírica Portuguesa. Coimbra: Centro de Estudos Românicos, 1971. 594p.

SILVEIRA, Francisco Maciel, MONGELLI, Lênia, CUNHA, Maria Helena Ribeiro. Classicismo, Barroco e Arcadismo. São Paulo: Atlas, 1993. v. 2, 283p.

______, Francisco Maciel. Literatura Barroca. São Paulo: Global, 1987. 170p.

SIMÕES, João Gaspar. História da Poesia Portuguesa. Lisboa: Empresa Nacional de Publicidade, 1955-1959. 3v.


Textos literários


BERARDINELLI, Cleonice. Antologia do teatro de Gil Vicente; seleção, introdução, notas e glossários por Cleonice Berardinelli. 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; Brasília:
INL, 1984. 446p.

BOCAGE, Manuel Maria l’Hedoux Barbosa du. Opera Omnia. Lisboa: Bertrand, 1969-1973. 6v.

CAMÕES, Luís de. Os Lusíadas; ed. org. por Emanuel Paulo Ramos. Porto: Porto, 1985. 642p.

FALCÃO, Cristóvão. Crisfal. In: TEXTOS QUINHENTISTAS; estabelecidos e comentados por Sousa da Silveira. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1945. 380p. p. 59-142.

LOBO, Francisco Rodrigues. Poesias. Lisboa: Sá da Costa, 1940. 191p.

MELO, D. Francisco Manuel de. A tuba de Calíope. São Paulo: Brasiliense/EDUSP, 1988. 253p.

RIBEIRO, Bernardim. Menina e Moça. Lisboa: Sá da Costa, 1949. 335p.

SPINA, Segismundo; SANTILLI, Maria Aparecida. Apresentação da poesia barroca portuguesa. Assis: FFCL, 1967. 404p.

VICENTE, Gil. Obras Completas. Porto: Lello & Irmão, 1965. 1468p.

VICENTE, Gil. Obras de Gil Vicente; direcção científica de José Camões. Lisboa: In-CM, 2002. 5v.



www.ipn.pt/literatura/letras

www.bibvirt.futuro.usp.br/acervo/literatura/autores

www.instituto-camoes.pt/literatura

LITERATURA PORTUGUESA MODERNA


EMENTA: A prosa e a poesia românticas em Portugal. Autores e obras mais importantes e estudo das principais caracteríticas do período: Almeida Garrett, Alexandre Herculano e Camilo Castelo Branco. O romance realista de Eça de Queirós. A poesia realista de Antero de Quental e de Cesário Verde.

BIBLIOGRAFIA


Textos teórico-críticos

AMORA, Antônio Soares (dir.). Presença da Literatura Portuguesa. 3. ed. São Paulo:


DIFEL, 1974. 5v.

CIDADE, Hernâni. Lições de Literatura Portuguesa. 6. ed. Coimbra: Coimbra, 1975. v. 1, 550p.

COELHO, Jacinto do Prado. Problemática da história literária. 2. ed. Lisboa: Ática, 1961. 280p.

______, Jacinto do Prado. A letra e o leitor. 3. ed. Porto: Lello & Irmão, 1996. 347p.

COELHO, Jacinto do Prado (dir.). Dicionário de Literatura. 3. ed. Porto: Figueirinhas, 1979. 3 v.

______, Jacinto do Prado. A poesia ultra-romântica. Lisboa: Clássica, 1944. 2v.

D’ANGELO, Paolo. A Estética do Romantismo. Trad. Isabel Teresa Santos. Lisboa:
Estampa, 1997. 212p.

FRANÇA, José Augusto. O Romantismo em Portugal. 2. ed. Lisboa: Livros Horizonte, 1993. 605p.

GOMES, Álvaro Cardoso; VECHI, Carlos Alberto. A estética romântica: textos doutrinários comentados. São Paulo: Atlas, 1992. 186p.

GUINSBURG, J. (org.). O Romantismo. São Paulo: Perspectiva, 1978. 324p.

LIMA, Isabel Pires de (org.). Antero de Quental e o destino de uma geração.
Lisboa: Asa, 1994. 384p.

LOPES, Óscar. Modos de ler. 2. ed. Porto: Inova, 1972. 448p.

MAN, Paul de. The Rhetoric of romanticism. New York: Columbia University Press, 1984. 327p.

MACEDO, Helder. Nós — uma leitura de Cesário Verde. Lisboa: Plátano, 1975. 322p.

MOISÉS, Massaud. A Literatura Portuguesa. 24. ed. São Paulo: Cultrix, 1988. 387p.

REIS, Carlos. Conferências do Casino. Lisboa: Alfa, 1991. 180p.

______, Carlos. Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea. Lisboa: Universidade
Aberta, 1990. 369p.

REIS, Carlos. Estatuto e perspectiva do narrador na ficção de Eça de Queirós. Coimbra: Almedina, 1975. 226p.

______, Carlos; PIRES, Maria da Natividade. O Romantismo. In: REIS, Carlos (coord.). História crítica da literatura portuguesa — V. Lisboa: Verbo, 1993. 362p.

RIBEIRO, Maria Aparecida. Realismo e naturalismo. In: REIS, Carlos (coord.). História crítica da literatura portuguesa — VI. Lisboa: Verbo, 1994. 413p.

SANTILLI, Maria Aparecida. Júlio Dinis, romancista social. São Paulo: FFLCH/USP, s. d. 215p.

SARAIVA, António José, LOPES, Óscar. História da Literatura Portuguesa. 15. ed. Porto:


Porto, 1989. 1263p.

______, António José. Para a história da cultura em Portugal. 4. ed. Porto:


Europa-América, 1972. 2v.

SÉRGIO, António. Os dois Anteros (o luminoso e nocturno). In: Ensaios. 2. ed. Lisboa:


Guimarães, 1959. t. IV. 307p. p. 137-169.

SIMÕES, João Gaspar. História da Poesia Portuguesa. Lisboa: Empresa Nacional de Publicidade, 1955-1959. 3v.

______, João Gaspar. Vida e obra de Eça de Queirós. Amadora: Bertrand, 1973. 746p.

Textos literários


CASTELO BRANCO, Camilo. Obra Seleta. Rio de Janeiro: José Aguilar, 1960. 2v.

DEUS, João de. Campo de Flores. Lisboa: Europa-América, s. d. 2v.

DINIS, Júlio. Obras. Porto: Lello & Irmão, s. d. 2v.

GARRETT, Almeida. Folhas Caídas. 2. ed. Lisboa: Europa-América, s. d. 148p.

______, Almeida. Viagens na minha terra. Lisboa: Ulisseia, s. d. 254p.

______, Almeida. Viagens na minha terra; prefácio e notas de José Pereira Tavares. Lisboa: Sá da Costa, 1953. 332p.

GARRETT, Almeida. Frei Luís de Sousa. 2. ed. Lisboa: Ulisseia, s. d. 143p.

GARRETT, Almeida. Obras. Lisboa: Lello & Irmão, 1963. 2v.

HERCULANO, Alexandre. Eurico, o Presbítero. 7. ed. São Paulo: Ática, 1988. 112p.

______, Alexandre. Poesias Completas. Lisboa: IN-CM, 1981. 244p.

O LIVRO de Cesário Verde. Lisboa: Ulisseia, s. d. 174p.

PASSOS, A. A. Soares de. Poesias. 5. ed. Porto: Cruz Coutinho, 1870. 182p.

QUEIRÓS, Eça de. O Primo Basílio. 13. ed. São Paulo: Ática, 1992. 295p.

______, Eça de. O Mandarim; ed. de Beatriz Berrini. Lisboa: IN-CM, 1992. 207p.

QUENTAL, Antero de. Sonetos; ed. org., pref. e anotada por António Sérgio. 3. ed. Lisboa: Sá da Costa, 1968. 287p.

VERDE, Cesário. Obra completa; organ., pref. e anotada por Joel Serrão. Lisboa: Portugália,


imp. 1964. 259p.

www.ipn.pt/literatura/letras

www.bibvirt.futuro.usp.br/acervo/literatura/autores

www.instituto-camoes.pt/literatura

LITERATURA PORTUGUESA CONTEMPORÂNEA


EMENTA: Simbolismo, origem e características. Poesia e prosa simbolistas: Camilo Pessanha, Raul Brandão e outros. Modernismo, origem e características. Correntes literárias modernistas. Fernando Pessoa e a renovação da poesia portuguesa. O romance e o conto. Principais escritores da atualidade.

BIBLIOGRAFIA

Textos teórico-críticos


AMORA, Antônio Soares. Simbolismo. In: Presença da Literatura Portuguesa. 5. ed. São Paulo: DIFEL, 1974. 272p.

BALAKIAN, Anna. O simbolismo. Trad. José Bonifácio A. Caldas. São Paulo:


Perspectiva, 1985. 147p.

BERARDINELLI, Cleonice. Mário de Sá-Carneiro — poesia. 3. ed. Rio de Janeiro: Agir, 1974. 83p.

COELHO, Jacinto do Prado (dir.). Dicionário de Literatura. 3. ed. Porto: Figueirinhas, 1979. 3 v.

FRANÇA, José Augusto. A Arte em Portugal no século XX. 2. ed. Lisboa: Bertrand, 1985. 660p.

GARCEZ, Maria Helena Nery. “Bolor”. In: A ficção portuguesa contemporânea (1960-1970). São Paulo: Universidade de São Paulo, 1979. p. 80-92. [Boletim, n. º 16].

______, Maria Helena Nery. Trilhas em Fernando Pessoa e Mário de Sá-Carneiro. São Paulo: Moraes/Ed. da Universidade de São Paulo, 1989. 136p.

______, Maria Helena Nery. Alberto Caeiro descobridor da natureza?. Porto: Centro de Estudos Pessoanos, 1985. 211p.

GOMES, Álvaro Cardoso. Poesia Simbolista. São Paulo: Global, 1986. 136p.

______, Álvaro Cardoso. Simbolismo/Modernismo. In: MOISÉS, Massaud (org.). A Literatura Portuguesa em perspectiva. São Paulo: Atlas, 1994. 4 v., v. 4, 238p.

______, Álvaro Cardoso. A estética simbolista: textos doutrinários comentados. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1994. 167p.

GUIMARÃES, Fernando. Poética do Simbolismo em Portugal. Lisboa: IN-CM, 1990. 223p.

______, Fernando. Simbolismo, Modernismo e Vanguardas. Porto: Lello & Irmão, 1992. 268p.

HAUSER, Arnold. História Social da Literatura e da Arte. Tradução por Walter Geenen. 2. ed. São Paulo: Mestre Jou, 1972. 2v.

LEMOS, Esther. A “Clepsidra” de Camilo Pessanha. 2. ed. Lisboa: Verbo, 1981. 187p.

LOPES, Óscar. Ler e depois; crítica e interpretação literária. 2. ed. Porto: Inova, 1969. 387p.

LOURENÇO, Eduardo. Sentido e forma da poesia neo-realista. 2. ed. Lisboa:


Dom Quixote, 1983. 212p.

MACHADO, Álvaro Manuel (org.). Dicionário de Literatura. Lisboa: Presença, 1996. 567p.

MOISÉS, Massaud. A Literatura Portuguesa. 24 .ed. São Paulo: Cultrix, 1988. 387p.

PEREIRA, J. C. Seabra. Decadentismo e Simbolismo na Poesia Portuguesa. Coimbra: Centro de Estudos Românicos, 1975. 496p.

______, J. C. Seabra. Do Fim-de-Século ao Modernismo. In: REIS, Carlos (dir.). História Crítica da Literatura Portuguesa. Lisboa: Verbo, 1993. v. 7, 460p.

REIS, Carlos. O discurso ideológico do neo-realismo português. Coimbra: Almedina, 1983. 685p.

SARAIVA, António José; LOPES, Óscar. História da Literatura Portuguesa.
15. ed. Porto: Porto, 1989. 1263p.

SIMÕES, João Gaspar. História da Poesia Portuguesa. Lisboa: Empresa Nacional de Publicidade, 1955-1959. 3v.

SPAGGIARI, Barbara. O Simbolismo na obra de Camilo Pessanha. Tradução por Carlos Moura. Lisboa: Instituto de Cultura e Língua Portuguesa, 1982. 128p.

TORRES, Alexandre Pinheiro. Teses Neo-Realistas. In: O Romance: o mundo em equação. Lisboa: Portugália, 1967. p. 186-223.



Textos literários


BRANDÃO, Raul. A Farsa. 5. ed. Coimbra: Atlântida, 1974. 170p.

CASTRO, Eugénio de. Constança. In: Obras Poéticas. Lisboa: Lumen, 1929. v. 5, 184p. p. 1-72.

ESPANCA, Florbela. Sonetos. 6. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1991. 217p.

FERREIRA, José Gomes. Poesia — I. 5. ed. Lisboa: Portugália, 1972. 170p.

______, Vergílio. Aparição. 6. ed. Lisboa: Portugália, 1968. 284p.

FONSECA, Branquinho da. O Barão e outros contos. 2. ed. Lisboa: Europa-América, s. d.

HELDER, Herberto. Poesia Toda. Lisboa: Assírio & Alvim, 1990. 575p.

NOBRE, António. . 13. ed. Porto: Tavares Martins, 1966. 219p.

______, António. Primeiros Versos. Braga: Augusto Costa, 1945. 143p.

______, António. Despedidas. Porto: Lello & Irmão, 1985. 218p.



ORPHEU 1. 2. ed. Int. crítica de Maria Aliete Galhoz. Lisboa: Ática, 1959. 120p.

ORPHEU 2. 2. ed. Int. crítica de Maria Aliete Galhoz. Lisboa: Ática, 1976. 110p.

PESSANHA, Camilo. Clepsidra e outros poemas; estabelecimento de texto, introdução crítica, notas e comentários por Paulo Franchetti. Campinas: Ed. da UNICAMP, 1994. 262p.

PESSOA, Fernando. Obra Poética. 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1986. 842p.

REDOL, Alves. Gaibéus. 7. ed. Lisboa: Europa-América, 1969. 322p.

SÁ-CARNEIRO, Mário. Obra poética. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1995. p. 1101p.

SARAMAGO, José. Memorial do Convento. 12. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1994. 357p.



www.ipn.pt/literatura

www.bibvirt.futuro.usp.br/acervo/literatura


METODOLOGIA DA PESQUISA


EMENTA: Enfoca as diretrizes básicas para desenvolver atividades de pesquisa, articulando os fundamentos filosóficos, epistemológicos e éticos com as orientações técnicas.

BIBLIOGRAFIA


ALVES, Maria Bernadete Martins, ARRUDA, Susana, M. de. Como fazer referências (bibliográficas, eletrônicas e demais formas de documentos). Disponível em : http://www.ufsc.br.

ALVES-MAZZOTTI, Alda; GEWANDSNAJDER, Fernando. O método nas ciências naturais e sociais: a pesquisa quantitativa e qualitativa. São Paulo: Pioneira, 1998.

CASTRO, Cláudio de Moura. A prática da pesquisa. Sãp Paulo: Mc-Graw-Hil do Brasil, 1977.

DEMO, Pedro. Educar pela pesquisa. São Paulo: Editores Associados, 1996.

JAPIASSU, Hilton. O mito da neutralidade científica. Rio de Janeiro: Imago, 1975.

PÁDUA, Elisabete M. M. de. Metodologia da pesquisa: abordagem teórico-prática. 9 ed. Campinas: Papirus, 2000.

TARALLO, Fernando. A pesquisa sociolingüística. São Paulo: Ática, 1986.


MORFOLOGIA DO PORTUGUÊS


EMENTA: Vocábulos formais na língua portuguesa: classificação; funcionamento na frase e no discurso; estrutura e processo de formação vocabular; categorias do nome e do verbo.


BIBLIOGRAFIA


ALVES, Ieda Maria. Neologismo: criação lexical. São Paulo: Ática, 1990.

BACCEGA, Maria Aparecida. Artigo & Crase. São Paulo: Ática, 1989.

BASÍLIO, Margarida. Teoria lexical. São Paulo: Ática, 1987.

CÂMARA JR, Joaquim Mattoso. História da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Padrão, 1976.

______. Estrutura da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Vozes, 1970.

CARONE, Flávia de Barros. Morfossintaxe.São Paulo: Ática, 1986..

COSTA, Sônia Bastos Barbosa. O aspecto em português. São Paulo: Contexto, 1990.

FREITAS, Horácio Rolim. Princípios de morfologia. Rio de Janeiro: Presença, 1979.

FERREIRA, Maria Apparecida S. de Camargo. Teoria e formação de palavras; teoria e prática. São Paulo: Atual, 1988.

KHEDI, Valter. Morfemas do português. São Paulo: Ática, 1993.

LAROCA, Maria de Nazaré de Carvalho. Manual de morfologia do português. Campinas, Pontes; Juiz de Fora, UFJF, 1994.

MACAMBIRA, José Rebouças. A estrutura morfo-sintática do português. São Paulo:


Pioneira, 1974.

______. Português estrutural. São Paulo: Pioneira, 1988.

MACEDO, Walmírio. Elementos para uma estrutura da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Presença, 1976.

MELO, Gladstone Chaves de. “A classificação das palavras” In Iniciação à filologia e à lingüística portuguesa. Rio de Janeiro: Acadêmica, 1971.

MONTEIRO, José Lemos. Morfologia portuguesa. Fortaleza: EDUFC, 1987.

NEVES, Maria Helena de Moura. Gramática de usos do português. São Paulo: UNESP, 2000.

ROCHA, Luiz Carlos de Assis. Estruturas morfológicas do português. Belo Horizonte:
UFMG, 1998.

ROSA, Maria Carlota. Introdução à morfologia. São Paulo: Contexto, 2000.

SANDMANN, Antônio. Morfologia geral. São Paulo: Contexto, 1991. – (Coleção Repensando a língua portuguesa).

______. Morfologia lexical. São Paulo: Contexto, 1992. – (Coleção Repensando a língua portuguesa).

SILVA, M. Cecília P. de Souza e & KOCH, Ingedore Villaça. Lingüística aplicada ao português: morfologia. São Paulo: Cortez, 1983.

ZANOTO, Normélio. Estrutura mórfica da língua portuguesa. Caxias do Sul: EDUCS, 1986.

Gramáticas da língua portuguesa.

OFICINA DE AVALIAÇÃO EM PORTUGUÊS


EMENTA: Apresenta e discute as diferentes modalidades de avaliação da aprendizagem, mostrando como as práticas avaliativas se articulam a concepções subjacentes de língua e de ensino/aprendizagem de língua. Situa as atividades avaliativas nos diferentes planos de regulação do sistema educacional, da intervenção pedagógica e da aprendizagem, propondo atividades a partir dessas diferentes perspectivas para avaliação do ensino/aprendizagem da língua portuguesa.

BIBLIOGRAFIA


AFONSO, Almerindo Janela. Avaliação educacional: regulação e emancipação. São Paulo: Cortez, 2000.

ANTUNES, Irandé. Aula de português: encontro & interação. São Paulo: Parábola Editorial, 2003 – (Série Aula; 1).

BELTRAN, José Luís. A avaliação no ensino de português. In: O ensino de português: intenção ou realidade. São Paulo: Moraes, 1989. p. 129-138.

CAGLIARI, Luís Carlos. Ditados e Ditadores, entendidos e entendentes. In: TASCA, Maria (org.). Desenvolvendo a língua falada e escrita. Porto Alegre: Sagra, 1990.

CUNHA, Myriam Crestian Chaves da. A avaliação formativa: estratégia didática para ensino-aprendizagem da língua materna. Belém, Moara. (Revista dos Cursos de Pós-graduação), n. 09, 1998, p. 105-133.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar. São Paulo: Cortez, 1995.

PEREIRA, Ana Dilma de Almeida. A problemática da intervenção em uma abordagem interacional de ensino-aprendizagem da língua materna. Dissertação de mestrado. Belém, UFPA, 2001.

ROMÃO, José Eustáquio. Avaliação dialógica: desafios e perspectivas. São Paulo: Cortez, 1998.

RUIZ, Eliana. Como se corrige redação na escola. São Paulo: Mercado de Letras, 2001.

www.google.com.br/search?q=atitudes+ling%C3%BC%C3%ADsticas&ie=UTF-8&o

XAVIER, Maria Luísa; ZEN, Maria Isabel H. Dalla (org.). Ensino da língua materna: para além da tradição.Porto Alegre:Mediação,1998 123 p.(Cadernos de Educação Básica,vol. 3).

ZEN, Maria Isabel H. Dalla. Ensino da língua materna: princípios orientadores.


OFICINA DE COMPREENSÃO E PRODUÇÃO ESCRITA


EMENTA: Discussão das teorias de produção e compreensão textuais. Processo de ensino-aprendizagem da compreensão textual. O processo textual numa perspectiva enunciativa. Constituição e funcionamento do texto escrito.


BIBLIOGRAFIA


ANTUNES, Irandé. Aula de português: encontro & interação. São Paulo: Parábola Editorial,
2003 – (Série Aula; 1).

BRANDÂO, Helena Nagamine. Gêneros do discurso na escola: mito, conto, cordel, discurso político, divulgação científica. São Paulo: Cortez, 2001.

BASTOS, Lúcia K. Coesão e coerência em narrativas escolares. São Paulo;
Martins Fontes, 1994.

CUNHA, José Carlos Chaves da & CUNHA, Myriam Crestian Chaves da (org.). Pragmática Lingüística e ensino-aprendizagem do português: reflexão e ação. Belém: EDUFPA, 2000.

CHARMEUAUX, Eveline. Aprender a ler: vencendo o fracasso. 4a ed. (trad. de Maria José do Amaral Ferreira.) São Paulo: Cortez, 1997.

CHIAPPINI, Lígia (coord.) 4a ed. Aprender e ensinar com textos. São Paulo: Cortez, 2001. V. 1 (Aprender e ensinar com textos de alunos) e 2 (Aprender e ensinar com textos didáticos e paradidáticos)

DIONÍSIO, Angela Paiva; MACHADO, Anna Rachel; BEZERRA, Maria Auxiliadora (org.) Gêneros textuais e ensino. 2a ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002.

DIONÍSIO, Angela Paiva e BEZERRA, Maria Auxiliadora. O livro didático de português. Rio de Janeiro: Lucerna, 2001.

GALLO, Solange Leda. Discurso da escrita e ensino. Campinas-Sp: Ed. Da UNICAMP, 1995.

GREGOLIN, Maria do Rosário. Lingüística textual e ensino de língua: construindo a textualidade na escola. In: Letras de Hoje. Porto Alegre: PUC-RS, jun., 1981.

MANTENCIO, Maria de Lourdes. Leitura, produção de textos e a escola. Campinas-SP: Mercado de Letras, Ed. Autores Associados, 1994.

VAL, Maria da Graça Costa. Redação e textualidade. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

ZOZZOLI, Rita Maria Diniz. Ler e produzir: discurso, texto e formação do sujeito leitor/produtor. Maceió: EDUFAL, 2002.



www.google.com.br/search?q=atitudes+ling%C3%BC%C3%ADsticas&ie=UTF-8&o

OFICINA DE COMPREENSÃO E PRODUÇÃO ORAL


EMENTA: Reflexão sobre espaço das habilidades orais no ensino de línguas. Propõe uma abordagem pragmática sugerindo pistas e atividades para aperfeiçoar a interação e a produção oral em situações reais e simuladas de comunicação

BIBLIOGRAFIA


ANTUNES, Irandé. Aula de português: encontro & interação. São Paulo: Parábola Editorial, 2003 – (Série Aula; 1).

CAGLIARI, Luís Carlos. Ditados e Ditadores, entendidos e entendentes. In: TASCA, Maria (org.). Desenvolvendo a língua falada e escrita. Porto Alegre: Sagra, 1990.

CASTILHO, Ataliba de. A língua falada no ensino de português. São Paulo: Contexto, 1998.

CUNHA, José Carlos Chaves da & CUNHA, Myriam Crestian Chaves da (org.). Pragmática lingüística e ensino-aprendizagem do português: reflexão e ação. Belém: EDUFPA, 2000.

DIONÍSIO, Angela Paiva; MACHADO, Anna Rachel; BEZERRA, Maria Auxiliadora (org.) Gêneros textuais e ensino. 2a ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002.

DIONÍSIO, Angela Paiva e BEZERRA, Maria Auxiliadora. O livro didático de português. Rio de Janeiro: Lucerna, 2001.

MARCUSCHI, Luiz Antonio. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. São Paulo: Cortez, 2001.

NEVES, Maria Helena de Moura. Gramática de sso do português. São Paulo: Editora da


UNESP, 2000.

SIGNORINI, I. Investigando a relação oral/escrito. Campinas: Mercado de Letras, 2001.



www.google.com.br/search?q=atitudes+ling%C3%BC%C3%ADsticas&ie=UTF-8&o

OFICINA DE ENSINO DE LITERATURA


EMENTA: Discute a função do texto literário em aulas de língua portuguesa e propõe a elaboração de atividades voltadas para a sua utilização didática em sala de aula.

BIBLIOGRAFIA


BORDINI, M. G. & AGUIAR, V. T. Literatura - a formação do leitor: alternativas metodológicas. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1988.

CADERMATORI, Lígia. O que é literatura infantil? São Paulo: FFLCH-USP, 1987.

CANDIDO, Antonio. A literatura e a formação do homem. Ciência e Cultura, 24, 1972.

JOLIBERT, Josette. Formando crianças leitoras. Artmed: Porto Alegre, 2003.

PERROTI, Edmir. O texto sedutor na literatura infantil. São Paulo: Ícone, 1986.

ROCCO, Maria Thereza. Literatura e ensino: uma problemática. São Paulo: Ática, 1981.

ZILBERMAN, Regina. A leitura e o ensino da literatura. São Paulo: Contexto, 1988.

RECURSOS TECNOLÓGICOS NO ENSINO DE PORTUGUÊS


EMENTA: Disciplina de caráter teórico-prático que tem por objetivo discutir a importância do uso das novas tecnologias no ensino-aprendizagem de língua materna e sua contribuição para a formação de um leitor/produtor atualizado com as variadas formas de atuação nessa nova modalidade comunicacional. Avaliação e seleção de softwares que estejam em consonância com os objetivos educacionais previstos pelos PCNs referentes ao ensino de língua materna.

BIBLIOGRAFIA


BABIN, P & KOULOUMDJIAN, M. F.  Os novos modos de compreender. São Paulo:
Paulinas, 1989.

BASTOS, João Augusto de Souza Leão de Almeida. Educação e tecnologia. In: Educação & tecnologia. Revista Técnico Científica dos Programas de Pós-graduação em Tecnologias dos CEFETs PR/MG/RJ, Curitiba, Ano I, abr. 1997, p. 4-29.

CRYSTAL, David. O triunfo da indisciplina na evolução da linguagem web. Rio de Janeiro, 4 jan. 2002. Disponível em: http: // www. terra. com. br/ informática.

FARACO, Carlos Alberto; TEZZA, Cristóvão. Prática de ensino: para estudantes universitários. 9 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

FERRÉS, J. Vídeo e educação. Porto Alegre: Artes médicas, 1996.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

MACIEL, Ira Maria. EAD: construindo significados. Revista ADVIR, Rio de Janeiro,
p. 47-55, set. 2001.

PERRENOUD, Philippe. 10 competências para ensinar convite à viagem. Porto Alegre:


Artes Médicas, 2001.

SAMPAIO, Marisa Narciso & LEITE, Lígia Silva. Alfabetização tecnológica do professor. Petrópolis: Vozes, 1999.

VALENTE, José Armando. Informática na educação: uma questão técnica ou pedagógica. Porto Alegre: Artes Médicas. In: Revista Pátio: Tecnologias Educacionais – ano 3, no.
9 maio/julho, 1999.

SINTAXE DO PORTUGUÊS


EMENTA: Coordenação e subordinação; a estrutura frasal sob o aspecto sintático, semântico e informacional; frase ativa, passiva e predicativa; os processos sintáticos de configuração da frase: regência, concordância e ordem.


BIBLIOGRAFIA


ALI, M. Said. Dificuldades da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Acadêmica, 1966.

AZEREDO, José Carlos. Iniciação à sintaxe do português. Rio de Janeiro: Jorge Zahar


Editor, 1993.

BECHARA, Evanildo. Lições de português pela análise sintática. Rio de Janeiro: Grifo, 1978.

BOMFIM, Eneida. Advérbios. São Paulo: Ática, 1988.

BRITO, Célia Maria Coêlho. Sobre língua portuguesa. Belém: CEJUP, 1989.

______. Um estudo da regência na linguagem do vestibulando. Belém: Editora Universitária UFPA, 1995.

______. Funções pragmáticas extrafrases: um apelo interlocutivo na construção de narrativas orais do amazônida paraense. In GÄRTNER, Eberhard. Estudos de lingüística textual do português. Frankfurt: Publicações do Instituto Ibero-Americano, 2000.

CÂMARA JR, Joaquim Mattoso. Estrutura da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Vozes, 1970. .

______. História da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Padrão, 1976.

CARONE, Flávia de Barros. Subordinação e coordenação. São Paulo: Ática, 1988.

CASTILHO, Ataliba T. de. “O artigo no português culto em São Paulo”. In Português culto falado no Brasil. São Paulo: Editora da UNICAMP, 1989.

HAUY, Amini Boainain. Da necessidade de uma gramática padrão da língua portuguesa. São Paulo: Ática, 1996.

ILARI, Rodolfo. Perspectiva funcional da frase portuguesa. Campinas, SP: UNICAMP, 1992.

MACAMBIRA, José Rebouças. Estrutura do vernáculo. Fortaleza: secretaria de Cultura e Desporto, 1986.

______. A estrutura morfo-sintática do português. São Paulo: Pioneira, 1974.

NEVES, Maria Helena de Moura. Gramática de usos do português. São Paulo: UNESP, 2000.

PERINI, Mário A. Sintaxe portuguesa; metodologia e funções. São Paulo: Ática, 1989.

______ .Gramática descritiva do português. São Paulo: Ática, 1995.

Gramáticas da língua portuguesa



TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO


EMENTA: Monografia de iniciação científica de acordo com as diretrizes básicas para desenvolver atividades de pesquisa, articulando os fundamentos filosóficos, epistemológicos e éticos com as orientações técnicas.

Anexo

1. Decreto de autorização do Curso de Letras



Decreto No. 35.456 de 6 de maio de 1954.

Concede autorização para funcionamento dos cursos de filosofia, matemática, geografia e história, ciências sociais, letras clássicas e pedagogia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Belém.


O Presidente da República, usando da atribuição que lhe confere o artigo 87, item 1, da Constituição e nos termos do art. 23 do Decreto-Lei número 421, de 11 de maio de 1938, decreta:

Artigo único. É concedida autorização para o funcionamento dos cursos de filosofia, matemática, geografia e história, ciências sociais, letras clássicas e pedagogia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Belém, mantida pela Sociedade Civil de Agronomia e Veterinária e com sede em Belém, capital do Estado do Pará.


Rio de Janeiro, em 4 de maio de 1954; 133o. da Independência e 65o. da República.
Getúlio Vargas

Antonio Balbino



1 Cf. Parecer CNE/CES 492/2001

2 Anexo 1.

3 Cf. ARAÚJO, L.M.S., CERQUEIRA, M. N. S. Repensar das licenciaturas: o resgate do homem amazônico (manuscrito).

4 Para as licenciaturas, ver Lei 9394/96, Pareceres CNE/CP 028/2000, CNE/CP 009/2001, CNE/CES 492/2001 e Resoluções CNE/CP 1/2002, CNE/CP2/2002 e CNE/CES 18/2002.

5 Cf. Resolução CNE/CP1 de 18 de fevereiro de 2002.

6 Conforme Parecer CNE/CES 492/2001, p.30.

7 Self-learning center.

8 Ver Parecer CNE/CP009/2001, seção 3.

9 O aluno optará por uma das línguas estrangeiras instrumentais ofertadas.

10 Nesta e em todas as outras atividades de língua estrangeira, o aluno cursará aquela pertinente à habilitação de sua opção.

11 A organização do estágio curricular supervisionado aqui proposta está de acordo com o Parecer Nº CNE/CP 27/2001.



1   ...   9   10   11   12   13   14   15   16   17


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal