Lista de Exercícios 1ª prova de Imunologia e Virologia Clínica – 2016-1



Baixar 9.99 Kb.
Encontro11.03.2018
Tamanho9.99 Kb.

Lista de Exercícios - 1ª prova de Imunologia e Virologia Clínica – 2016-1

  1. A imunidade pode ser induzida de forma ativa ou de forma passiva num indivíduo. Comentar sobre uma forma de cada uma.



  1. O que é uma “célula apresentadora de Ag” (APC)? Sabendo que os macrófagos são APCs, como estas células “mostram” para os linfócitos T que elas estão infectadas (infecção no fagolisossomo)? Por que é importante a participação dos linfócitos T helper na resposta a Ag encontrados no fagolissomo dos macrófagos?



  1. Citar 4 vantagens de um tipo de imunidade em relação ao outro (imunidade inata versus imunidade adaptativa: observação: cada uma é vantajosa em um determinado aspecto).



  1. Após o contato com um agente infeccioso, pode-se detectar a presença de Ac específicos no sangue do paciente. Como é possível distinguir um paciente que foi infectado recentemente de um paciente infectado há mais tempo pelo perfil de anticorpos? Como saber através de um teste sorológico, qual a classe de Ac presente no sangue do paciente? O conhecimento sobre a estrutura dos Ac é importante para um farmacêutico que trabalhe numa firma que produz conjugados para testes sorológicos? Explicar.



  1. Por que não se detecta Ac específicos logo após o contato com um agente infeccioso?



  1. Quando falamos que o teste 1 é menos sensível do que o teste 2, o que isto quer dizer? Dar um exemplo.



  1. Sugerir um teste com diferentes pacientes em que você possa avaliar a ocorrência de reação cruzada de um teste de hemaglutinação para diagnóstico de infecção pelo Trypanosoma cruzi.



  1. O que é o VDRL? Em sua opinião, um paciente com VDRL positivo tem sífilis? Comentar.



  1. Por que é importante levar em conta a idade de um recém nascido quando se avalia o nível de imunoglobulinas presentes no sangue?



  1. Citar uma vantagem da imunoeletroforese em relação à eletroforese de proteínas.



  1. O que é fenômeno de pró zona? Por que ele pode gerar resultados falso negativos para anticorpo?



  1. Comentar sobre uma vantagem de um teste que use conjugado marcado em relação a um teste que não use (ex: aglutinação para detecção de Ac anti Leishmania). Dar um exemplo de um reagente que seja um conjugado usado no teste de ELISA.



  1. A reação de imunofluorescência pode ser feita em microscópio ótico comum? Explicar.



  1. Como determinar a reatividade de um soro pela reação de imunofluorescência? Explicar fazendo um desenho.

  2. Fazer um desenho mostrando as etapas do teste de ELISA desde a sensibilização dos poços até a leitura no aparelho.




  1. Explicar como é preparada uma placa para uma reação de difusão simples para pesquisa de um Ag. Como é possível saber a concentração deste Ag por esta técnica?



  1. Em sua opinião, é necessário fazer o pré-tratamento do soro dos pacientes com soro anti IgG (precipita IgG e deixa IgM no sobrenadante) para a determinação de IgM pelo método de captura de IgM? Explicar.



  1. Por que é importante estabelecer o cut-off (limiar de reatividade) para cada teste imunológico? Como isso é feito?



  1. A reação de ELISA é um imune ensaio que usa um reagente marcado. Que reagente é esse e como é possível verificar a ocorrência de uma reação Ag-Ag por esta técnica? Explicar como se consegue quantificar um Ag pela reação de ELISA. Comentar sobre 2 diferenças entre a reação de ELISA e a reação de Western Blot.

Bom estudo!!!

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal