Luiz roberto zanotti



Baixar 475.09 Kb.
Página1/15
Encontro20.03.2018
Tamanho475.09 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   15

LUIZ ROBERTO ZANOTTI

THOM PAIN (BASEADO EM NADA) DE WILL ENO:

O EXISTENCIALISMO STAND-UP NO TEXTO E NA ENCENAÇÃO

CURITIBA


2008

LUIZ ROBERTO ZANOTTI

THOM PAIN (BASEADO EM NADA) DE WILL ENO:

O EXISTENCIALISMO STAND-UP NO TEXTO E NA ENCENAÇÃO

Dissertação apresentada como requisito para a obtenção do Grau de Mestre ao Curso de Mestrado em Teoria Literária do Centro Universitário Campos de Andrade – UNIANDRADE.

Orientadora: Profa. Dra. Anna Stegh Camati

CURITIBA


2008

TERMO DE APROVAÇÃO

LUIZ ROBERTO ZANOTTI


THOM PAIN (BASEADO EM NADA) DE WILL ENO:

O EXISTENCIALISMO STAND-UP NO TEXTO E NA ENCENAÇÃO
Dissertação aprovada como requisito para obtenção do grau de Mestre pelo Curso de Mestrado em Teoria Literária do Centro Universitário Campos de Andrade – UNIANDRADE, pela seguinte banca examinadora:

Profa. Dra. Anna Stegh Camati


Profa. Dra. Célia Maria Arns de Miranda
Profa. Dra. Sigrid Renaux

Curitiba, 18 de junho de 2008.

Ao meu querido amigo,

Renato Cohen (in memoriam),

amante do teatro como eu.

AGRADECIMENTOS

À Profa. Dra. Anna Camati, pela sua orientação competente, paciência carinhosa e estímulos constantes.

À Profa. Dra. Sigrid Renaux, pela sua cuidadosa análise e sugestões oferecidas.

À Profa. Dra. Célia Maria Arns de Miranda por sua meticulosa avaliação e contribuições.

À Profa. Dra. Brunilda Reichmann pelo seu costumeiro incentivo e dedicação ao Programa de Mestrado em Teoria Literária da Uniandrade.

À Profa. Laís Cecatto por sua presteza e dedicação na revisão desse trabalho.

Ao Guilherme Weber, pela sua maravilhosa receptividade e franqueza.

À toda a minha família: Luiz e Florinda (in memoriam), Rozeane, Jheniffer, Pablo, Thiago, e especialmente à pequena Luiza, pela soma de olhares que fizeram eu me conhecer por inteiro.

De modo mais honesto e mais puro fala o corpo

são, perfeito, quadrado; e fala o sentido da terra.

Assim falou Zaratustra



Dos transmundanos

Friedrich Nietzsche

SUMÁRIO


RESUMO vii

ABSTRACT viii

INTRODUÇÃO 1

1 DO DRAMA AO PÓS- DRAMÁTICO 6

1.1 CONTEXTOS HISTÓRICOS E ESTÉTICOS 7

1.2 CONTEXTOS FILÓSOFICOS 12

1.3 OS PILARES DA PLURALIDADE DE ESTÉTICAS DO TEATRO PÓS-DRAMÁTICO: ARTAUD, BRECHT E BECKETT 16

1.4 TEATRO PÓS-DRAMÁTICO 21



2 THOM PAIN, DE WILL ENO: O MATERIAL TEXTUAL 27

2.1 TRAÇOS ESTILÍSTICOS PÓS-DRAMÁTICOS 27

2.2 INTERTEXTUALIDADE E METALINGUAGENS 35

2.3 A PRODUÇÃO DA PRESENÇA 56



3 A CONCRETIZAÇÃO CÊNICA DE THOM PAIN DE WILL ENO 69

3.1 SOBRE A ANÁLISE DO ESPETÁCULO 69

3.2 CONCEPÇÃO E PRODUÇÃO 74

3.2 CONCRETIZAÇÃO CÊNICA E RECEPTIVA 80

3.2.1 Cenário, iluminação e adereços cênicos 80

3.2.2 A performance do ator 84

3.2.3 A produção da presença dos objetos 88

3.2.4 Concretização receptiva 91

3.3 O TEATRO ENERGÉTICO 98

CONSIDERAÇÕES FINAIS 106



REFERÊNCIAS 118


RESUMO


Will Eno, um dos mais promissores dramaturgos estadunidenses de sua geração, cujas peças foram produzidas em diversos países, foi apontado pela crítica como o herdeiro da dramaturgia de Edward Albee e Samuel Beckett. Depois da produção brasileira de Temporada de Gripe, levado à cena pela Sutil Companhia de Teatro, Eno cedeu ao grupo os direitos de um novo texto intitulado Thom Pain (baseado em nada), uma peça que foi designada como sendo uma mistura da filosofia existencialista e da comédia stand-up. A proposta desse trabalho centralizou-se na análise da peça Thom Pain (baseado em nada), nos seus aspectos textuais e espetaculares, tomando como pano de fundo, toda uma discussão contemporânea a respeito da pós-modernidade no teatro. A forma “pós-dramática” foi problematizada através da reflexão sobre os contextos históricos, estéticos e filosóficos, o que possibilitou um embasamento teórico mais abrangente. A partir dessa base, buscamos identificar as principais características pós-dramáticas presentes no texto e no espetáculo que integram o corpus da nossa análise. A peça se insere no panorama do teatro pós-dramático da contemporaneidade, não só pelos acertos da encenação, que prioriza a produção de presença e desnuda os artifícios geradores da ilusão dramática, como também pela utilização de novas formulações como a comédia stand-up e o componente do teatro da energia. O ator que realiza o jogo performático conduz o público ao âmago do questionamento existencial ao se despir de todas as máscaras, ilusões e preconceitos. Mostra que os padrões da racionalidade não dão conta para explicar a realidade, e aponta o medo como um elemento desestabilizador do processo vital. Após a ativação de uma multiplicidade de interrogações, o público é tomado de surpresa, quando o monologador, contrariando todas as expectativas, anuncia que a vida merece ser vivida com intensidade. A conclusão do estudo visa mostrar que Will Eno, ao integrar de uma maneira inovadora a filosofia existencialista e a comédia stand-up, cria uma forma adequada para dramatizar as idéias que ele desejou projetar, conseguindo, assim, proporcionar um novo sopro de vida para o teatro contemporâneo.

ABSTRACT


Will Eno, one of the most promising American playwrights of his generation, whose plays have been produced in several countries, has been appointed as the heir of the dramaturgy of Edward Albee and Samuel Beckett by a great number of critics. After the Brazilian production of The Flu Season staged by the Sutil Companhia de Teatro, Eno released to the company the rights of a new text entitled Thom Pain (based on nothing), a play that has been referred to as a mixture of existentialist philosophy and stand-up comedy. This study investigates the textual aspects and the mise en scène of the stage concretization of Thom Pain (based on nothing), taking into account contemporary issues related to postmodern theories. The question of “postdramatic” theatre has been problematized by means of a reflection on the historical, aesthetic and philosophical contexts, providing critical instruments for the analysis. Departing from this theoretical basis, the main postdramatic characteristics of the text and its stage concretization were identified and analyzed. The play can be firmly grounded in the contemporary panorama of postdramatic theatre, not only because of the successful mise en scène, which gives priority to the production of presence and flaunts the artifices that produce dramatic illusion, but also for the use of new strategies such as the stand-up comedy and the energy component in the theatre. The actor who realizes the performance directs the audience to the core of existential questioning when he strips away masks, illusions and all kinds of prejudice. He shows that rational analysis is insufficient to apprehend reality, and appoints fear as a disruptive element in the vital process. After activating a multiplicity of interrogations, the spectators are shaken out of their complacency, when the monologuist, subverting all expectations, announces that life is worthwhile and must be lived with intensity. The conclusion of this study aims to show that Will Eno’s innovative integration of existential philosophy and stand-up comedy results in an adequate form to dramatize the ideas he has wished to project, thus contributing to the process of revitalization of contemporary drama.


Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   15


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal