Micheli fernanda sassá



Baixar 5.99 Kb.
Encontro07.02.2018
Tamanho5.99 Kb.

MICHELI FERNANDA SASSÁ
Título: AVALIAÇÃO DA CITOTOXICIDADE, NÍVEIS DE CITOCINAS, INTERMEDIÁRIOS REATIVOS DO NITROGÊNIO E OXIGÊNIO INDUZIDOS NA INFECÇÃO SISTÊMICA PELO FUNGO SPOROTHRIX SCHENCKII. 2004. 105p.

Data da defesa: 14/06/2004
RESUMO:

A esporotricose é uma infecção micótica provocada pelo fungo dimórfico Sporothrix schenckii. Apresenta em geral lesões cutâneas nodulares e/ou ulcerativas que proliferam via linfática, provocando em alguns casos, infecção sistêmica. As citocinas secretadas pelos macrófagos e pelas células T em resposta a estímulos inflamatórios ou antigênicos são componentes importantes da resposta imune inata e também da adaptativa, como moléculas pró-inflamatórias ou como ativadoras dos mecanismos microbicidas dos macrófagos. O óxido nítrico (NO) e o peróxido de hidrogênio (H2O2) representam dois importantes mediadores da atividade microbicida dos macrófagos, que contribuem para a resposta imune celular e para o processo inflamatório. Neste trabalho avaliou-se a suscetibilidade das células dos animais infectados às condições de cultura através do ensaio de viabilidade celular – MTT e observou-se que as células dos animais infectados são mais suscetíveis que as células dos animais não infectados, devido ao seu estado de ativação in vivo pelo contato com o fungo. Foram estudados a liberação de H2O2 através da oxidação do vermelho de fenol, NO, através da reação de Griess, as citocinas IL-1, IL-6, IL-12, IFN- pelo imunoenzimático Elisa, e TNF- pelo bioensaio usando as células L929. Observou-se que em presença do exoantígeno do fungo não há estímulo quanto à liberação de H2O2, provavelmente sendo esse um mecanismo de evasão do fungo. Verificou-se que no decorrer de dez semanas houve redução na liberação de IL-1 e TNF- entre a quarta e sexta semanas. A produção de NO ocorreu em maior quantidade neste mesmo período, estando provavelmente relacionado à sua função supressora na resposta imune, dependendo de sua concentração. Quanto à produção de IL-12 e IFN-, observou-se maior liberação de ambas as citocinas entre a quarta e sexta semanas, o que sugere que estejam favorecendo a imunossupressão observada na infecção por induzirem a síntese de NO. No entanto, quanto à liberação de IL-6, observou-se que o exoantígeno do fungo estimula sua produção, o que pode ser devido a uma função mitogênica apresentada por esse antígeno liberado do fungo.

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal