Mini baja fesurv. IV copa jma 2014



Baixar 0.55 Mb.
Página2/5
Encontro11.02.2018
Tamanho0.55 Mb.
1   2   3   4   5

Figura 1 - Exemplos Aceitáveis de Ponto de Reboque Dianteiro



Figura 2 - Exemplos não aceitáveis de ponto de reboque dianteiro


5.15 PONTO DE REBOQUE TRASEIRO

A estrutura do engate deve respeitar os seguintes requisitos:

Espessura Máxima: 9,5 mm (0.375 in)

Diâmetro mínimo do furo: 25,4 mm (1 in)

Distância máxima do furo à borda: 25,4mm (1 in)



Figura 3 - Dimensões da Placa de Reboque

5.16 NUMERAÇÃO DO VEÍCULO

Todos os veículos devem mostrar seus números de identificação na frente, em

ambas laterais, na parte superior (acima dos 4 pontos da gaiola de proteção –

Roll Hoop Overhead – RHO – descrição no RMBF 7) e recomenda-se o uso na

parte traseira. A carenagem ou qualquer suporte usado para portar o número

de identificação acima da gaiola de proteção devem ser construídos em

material plástico flexível que não ofereça risco em caso de capotamento. Em

caso de perda acidental durante a competição, a peça de reposição deverá

atender também a este requisito.

O nome da equipe ou suas iniciais, desde que a equipe seja unicamente

reconhecida por ela, deve ser afixado nas laterais acompanhado do logotipo da

FESURV. Os demais espaços podem ser usados pelos patrocinadores das equipes desde que não sejam conflitantes com os interesses dos patrocinadores do evento. Caso a FESURV forneça os números de identificação, as equipes deverão proceder de acordo com as instruções que serão fornecidas.

Recomenda-se que equipes com dois veiculos pintem seus veículos com

cores distintas, visando facilitar a identificação dos mesmos.

É responsabilidade da equipe manter os números de identificação legíveis

durante todo o evento. Se os mesmos tornam-se ilegíveis ou caem do veículo,

a pontuação da equipe poderá ser afetada (exemplo: a não contagem de voltas

durante o enduro de resistência) e o veículo poderá ser retirado da competição

até que o reparo seja realizado. Recomenda-se que a identificação na parte

superior seja feita com números em formato de silhueta ou “vazado”.


5.17 BANDEIRA

Uma bandeira de cor laranja deve ser montada em uma haste entre 2,20m e

2,50m de distância do solo. A extremidade superior deve ser cega para evitar

ferimento. Recomenda-se a instalação de uma esfera de 50mm de diâmetro.

Uma flâmula ou bandeira da escola pode ser adicionada, porém a bandeira

laranja da FESURV deve ser a mais alta.

REGULAMENTO MINI BAJA FESURV

CAPÍTULO 7

REQUISITOS MÍNIMOS DE SEGURANÇA

7.1 APLICABILIDADE

Este Capítulo se aplica a todas as equipes que irão participar da Competição

MINI BAJA FESURV.


7.2 REQUISITOS MÍNIMOS DE SEGURANÇA

Este Capítulo reúne os requisitos mínimos de segurança que devem ser

avaliados nos veículos MINI BAJA FESURV. As equipes que se inscreverem para participar da Competição MINI BAJA FESURV devem atentar para o total

cumprimento dos requisitos aqui descritos.

Este Capítulo foi baseado originalmente nos regulamentos das competições

internacionais de Baja SAE. O texto é escrito em língua inglesa com o objetivo

de minimizar erros de tradução e interpretação.

As equipes devem realizar uma leitura criteriosa deste Capítulo, e atentar ao

fato de que existem diferenças entre o regulamento nacional e o internacional.

Algumas notas importantes são listadas abaixo:


• Technical Inspection = Inspeção Técnica e de Segurança;

• National Technical Inspectors or Technical Inspectors = Juizes

Credenciados de Segurança;

• A Prova de avaliação dinâmica de segurança e conforto do operador,

anteriormente denominada somente conforto do operador, é parte

integrante da Inspeção Técnica e de Segurança, portanto será realizada

por Juizes Credenciados de Segurança. Os mesmos podem solicitar

modificações em veículos que já passaram pela parte estática da

Inspeção Técnica e de Segurança caso uma condição insegura seja

identificada. Atentar para o item 7.3.1.4. (emenda 2, 01/Fev/2011)

• A avaliação da capacidade de frenagem do veículo será realizada

separadamente da prova de avaliação dinâmica de segurança e conforto

do operador. O veículo deve travar as quatro rodas para ser aprovado.

• Referente aos itens 7.4.2.4 e 7.4.2.7 – As barras RHO e FBM devem ser

construídas em tubo contínuo ligando os pontos B e SF com dobra no

ponto C. Não é mais permitida a construção com solda no ponto C.

• Referente ao item 7.4.2.7 – Um tubo lateral sob o banco (USM) deverá

ser acrescentado em posição imediatamente abaixo do ponto do

assento do piloto definida pelo gabarito conforme a Figure 7-4. (emenda

2, 01/Fev/2011)

• Referente ao item 7.4.2.9 – Todo o compartimento do motor incluindo o

tanque de combustível deve ser envolvido por elementos estruturais

independente da escolha do travamento dianteiro ou traseiro para a

gaiola de proteção. (emenda 2, 01/Fev/2011)

• Referente ao item 7.4.2.9.2 – Se for escolhido o contraventamento traseiro para o RRH, pelo menos uma das barras FABmid (a mais inferior) deve se conectar próxima a ponto S (conexão com a barra SIM) com tolerância de +/- 5.1 cm (2 pols) na vista lateral em cada lado. A barra FABlower deve se conectar ao RRH a distância de no máximo 5.1 cm (2pols) do ponto A de cada lado. O ângulo entre quaisquer dois lados dos triângulos que compõem o contraventamento deve ser maior que 25 graus. (emenda 2, 01/Fev/2011)

• Referente ao item 7.4.2.9.2 – Para o contraventamento traseiro como acima, as equipes podem aplicar soluções com tolerâncias maiores para os pontos S e A desde que seja provado por comparação teórica ou experimental que a estrutura proposta apresenta nível de segurança equivalente à solução requerida pela regra. O relatório de substanciação

deve ser apresentado anexo à Ficha de Especificação da Gaiola e sua

aprovação fica a critério dos Juizes Credenciados de Segurança.

(emenda 2, 01/Fev/2011)

• Referente ao item 7.4.4 – Somente elementos estruturais de aço podem

ser usados na gaiola de proteção (Roll Cage).

• Referente ao item 7.4.4 – É proibida a utilização de tubos de açocarbono

na gaiola de proteção com porcentagem de carbono abaixo de

0.18%.


• Referente ao item 7.4.4 – Caso sejam usados elementos estruturais

diferentes do tubo padrão [aço com mínimo de 0,18% de carbono,

diâmetro externo de 25,4 mm (1 pol) e espessura de parede 3,05 mm

(0,120 pol)], estes devem atender requisitos de rigidez e resistência

equivalente e a espessura de parede mínima deve ser de 1,57 mm

(0,062 pol). Em respeito ao parágrafo anterior a demonstração de

equivalência de rigidez e resistência não será aceita para aços carbono

com percentagem de carbono abaixo de 0.18%. (emenda 2,

01/Fev/2011)

• Referente ao item 7.4.4.1 – A apresentação da Ficha de Especificação

da Gaiola (ANEXO 7-1) é condição mínima para a participação da

equipe no evento e deve ser entregue aos Juizes Credenciados de

Segurança durante a Inspeção Técnica e de Segurança. A ficha deve

conter o carimbo da instituição de ensino e as assinaturas do capitão da

equipe e do professor orientador.

• Referente ao item 7.5.8.3 – A etiqueta exigida para as chaves gerais

deve indicar claramente o procedimento para ligar e desligar e não

somente “liga /desliga”.

• Referente ao item 7.5.9 – A fixação do extintor de incêndio deve ser

metálica e sua instalação no veículo deve ser robusta. (A fixação direta à

parede de fogo construída em chapa fina sem reforço local não será

aceita). Somente um extintor será exigido na Inspeção Técnica e de

Segurança. Entretanto, se o extintor for utilizado ao longo da

competição, a equipe deve ter um novo para reposição, sem o qual será

impedida de continuar.

• Referente ao item 7.5.10 – “Throttle” deve ser entendido como o

acionamento da borboleta do carburador.

• Referente ao item 7.6.1.2 – O prazo de validade do cinto de segurança é

de 2 (dois) anos, sendo que como anteriormente somente o ano de

validade será considerado.

• Referente ao item 7.6.2 – Caso as tiras do cinto de segurança sofram

desvio expressivo entre o ponto de fixação e o apoio no corpo piloto,

este deve ser feito através de um ponto na estrutura do veículo. Desvios

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL – CAPÍTULO 7

através do assento do piloto devem ser pequenos e serão submetidos a

julgamento com aceitação a critério dos Juízes Credenciados de

Segurança.

• Referente ao item 7.6.4.1 – O cinto de segurança pode ser afixado passando através da parede de fogo desde que haja proteção adicional contra fogo para a parte exposta deste ao compartimento do motor e tanque de combustível. A parede de fogo no entanto, deve manter a sua função básica de isolar o “cockpit” do compartimento do motor

• Referente aos itens 7.6.1.2, 7.6.6.2, 7.12.1 – Os elementos devem apresentar selo ou etiqueta com a validade declarada pelo fabricante, sendo que somente o ano de validade será considerado. Os itens que não possuírem tais selos ou etiquetas, que tenham sido “montados” com partes de outros ou que estejam com identificação adulterada serão rejeitados e confiscados.

• Referente aos itens 7.6.2, 7.6.3, 7.6.4 – O sistema de fixação das tiras do cinto de segurança foi padronizado. Para as tiras do ombro é exigida a fixação do tipo em que o cinto envolve o tubo e tem o movimento lateral restrito. Para as tiras abdominais é exigida a fixação através de chapa dobrada e soldada em torno do tubo LFS. Os detalhes do projeto padronizado são definidos nas seções aplicáveis.

• Referente ao item 7.6.6.2 – Da mesma forma que o cinto de segurança, o prazo de validade dos restritores de braço é de 2 (dois) anos, sendo que somente o ano de validade será considerado.

• Referente ao item 7.7.3 – A luz de freio deverá preferencialmente atender a norma SAE J759, classificações “S” ou “U”. Partes construídas pelas equipes deverão ser acompanhadas por documentação indicando o cumprimento da norma. Peças de procedência reconhecidamente automotiva poderão ser usadas. Não obstante todo sistema será submetido a julgamento a critério dos Juizes Credenciados de Segurança quanto à luminosidade mínima e integridade.

• Referente ao item 7.8.4 – A altura mínima de 38.1 mm para a proteção

contra derramamento a ser aplicada ao tanque de combustível se refere

ponto mais alto do bocal de abastecimento.

• Referente ao item 7.8.6 – O combustível durante a competição deve ser acomodado em recipientes apropriados. A aprovação dos recipientes fica a critério dos inspetores de segurança. Instruções mais detalhadas sobre o manuseio do combustível serão fornecidas através de informativos até a data da competição.

• Referente ao item 7.9.1 – Os batentes do sistema de direção não são mais exigidos. São porém considerados itens de boa prática de projeto.

• Referente ao item 7.10.1 – Porcas e parafusos usados somente para ajuste (ex. Barras de direção) também devem usar sistema de trava positiva (contra-porca, arame de freno, etc.)

• Referente ao item 7.11.1 – A demonstração de resistência equivalente das proteções aplicadas às partes rotativas construídas com materiais alternativos deve ser feita através de ensaios de absorção de energia (Charpy, Izod, etc.). Além desta demonstração, devido às deficiências inerentes ao processo de fabricação, as partes fabricadas com estes materiais deverão usar o dobro da espessura (2 x 1.524 mm).

• Referente ao item 7.12.1 – Serão aceitos capacetes homologados pelo

INMETRO com selo de aprovação e etiqueta de validade.

• Referente ao item 7.12.2 – recomendamos fortemente o uso de

vestimentas com selo de aprovação SFI ou FIA. O equipamento deve

ser resistente ao fogo (algodão, Nomex®, etc). OBSERVAÇÃO

IMPORTANTE: Alguns equipamentos não resistentes ao fogo tais como

vestimentas em poliamida (motocross, Kart) não serão aceitos mesmo

se aprovados com o selo SFI / FIA.

• NOTA IMPORTANTE: Os equipamentos de proteção do piloto (cinto de segurança, capacete, óculos de proteção, restritores de braço e vestimenta apropriada) são de uso obrigatório em qualquer momento que o veículo esteja em operação, inclusive deslocamentos em baixa velocidade.


REGULAMENTO

BAJA SAE BRASIL

CAPÍTULO 7

REQUISITOS MÍNIMOS DE

SEGURANÇA

RBSB 7 – EMENDA 2

DATA DE EFETIVIDADE: 01 DE FEVEREIRO DE 2011

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL – CAPÍTULO 7



CONTROLE DE REVISÃO

Emenda Data de Efetividade

Este conjunto de regras esta originalmente em inglês sendo uma tradução mais ou menos sendo apresentada no final. Caso haja duvida deve ser feito uma pesquisa nas imagens e testos, RBSB 7.

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL – CAPÍTULO 7

ÍNDICE

7.1 APLICABILIDADE................................................................................ 5

7.2 REQUISITOS MÍNIMOS DE SEGURANÇA......................................... 5

7.3 INTRODUCTION.................................................................................. 8

7.3.1 Rules Requirements and Restrictions........................................... 8

7.4 ROLL CAGE ........................................................................................ 9

7.4.1 Objective....................................................................................... 9

7.4.2 Roll Cage Requirements............................................................... 9

7.4.3 Driver Head Clearance ............................................................... 17

7.4.4 Roll Cage & Bracing Materials .................................................... 18

7.4.5 Bolted Roll Cages ....................................................................... 20

7.5 COCKPIT........................................................................................... 20

7.5.1 Design Objective......................................................................... 20

7.5.2 Driver Exit Time .......................................................................... 20

7.5.3 Firewall ....................................................................................... 21

7.5.4 Body Panels................................................................................ 21

7.5.5 Belly Pan..................................................................................... 21

7.5.6 Leg and Foot Shielding ............................................................... 22

7.5.7 Top cover (Roof) ......................................................................... 22

7.5.8 Kill Switches................................................................................ 22

7.5.9 Fire Extinguisher – Size and Location......................................... 24

7.5.10 Throttle........................................................................................ 24

7.6 DRIVER RESTRAINT ........................................................................ 24

7.6.1 Minimum Four Strap System Required ....................................... 24

7.6.2 Harness Attachment Points ........................................................ 25

7.6.3 Lap Belt....................................................................................... 26

7.6.4 Shoulder Belts............................................................................. 28

7.6.5 Belts – General ........................................................................... 29

7.6.6 Arm Restraints ............................................................................ 29

7.6.7 Installations - General ................................................................. 30

7.7 BRAKING SYSTEM........................................................................... 30

7.7.1 Foot Brake .................................................................................. 30

7.7.2 Independent Brake Circuits......................................................... 30

7.7.3 Brake Light.................................................................................. 30

7.7.4 Brake(s) Location........................................................................ 30

7.7.5 Cutting Brakes ............................................................................ 30

7.8 FUEL SYSTEM & Fuel....................................................................... 31

7.8.1 System Location ......................................................................... 31

7.8.2 Fuel Tank.................................................................................... 31

7.8.3 Fuel Lines ................................................................................... 31

7.8.4 Spill Prevention........................................................................... 31

7.8.5 Fuel............................................................................................. 33

7.8.6 Fuel Containers........................................................................... 33

7.8.7 Refueling System........................................................................ 33

7.9 STEERING and SUSPENSION ......................................................... 33

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL – CAPÍTULO 7

4/40

7.9.1 Wheel Stops................................................................................ 33



7.9.2 Tie Rod Protection ...................................................................... 33

7.9.3 Adjustable Tie Rod Ends ............................................................ 33

7.9.4 Steering and suspension components integrity .......................... 34

7.10 FASTENERS ..................................................................................... 34

7.10.1 Locking Requirements ................................................................ 34

7.10.2 Fastener Grade Requirements.................................................... 35

7.10.3 Thread Exposure ........................................................................ 36

7.10.4 Single Shear Connections .......................................................... 36

7.10.5 Ball Joints ................................................................................... 37

7.11 GUARDS............................................................................................ 37

7.11.1 Powertrain Guards...................................................................... 37

7.11.2 Factory Stock Guards ................................................................. 38

7.12 DRIVER EQUIPMENT REQUIREMENTS ......................................... 38

7.12.1 Helmet, Neck Support/Collar & Goggles..................................... 38

7.12.2 Clothing....................................................................................... 39

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL – CAPÍTULO 7

5/40

7.1 APLICABILIDADE

Este Capítulo se aplica a todas as equipes que irão participar da Competição

Baja SAE BRASIL.

7.2 REQUISITOS MÍNIMOS DE SEGURANÇA

Este Capítulo reúne os requisitos mínimos de segurança que devem ser

avaliados nos veículos Baja SAE. As equipes que se inscreverem para

participar da Competição Baja SAE BRASIL devem atentar para o total

cumprimento dos requisitos aqui descritos.

Este Capítulo foi baseado originalmente nos regulamentos das competições

internacionais de Baja SAE. O texto é escrito em língua inglesa com o objetivo

de minimizar erros de tradução e interpretação.

As equipes devem realizar uma leitura criteriosa deste Capítulo, e atentar ao

fato de que existem diferenças entre o regulamento nacional e o internacional.

Algumas notas importantes são listadas abaixo:

• Technical Inspection = Inspeção Técnica e de Segurança;

• National Technical Inspectors or Technical Inspectors = Juizes

Credenciados de Segurança;

• A Prova de avaliação dinâmica de segurança e conforto do operador,

anteriormente denominada somente conforto do operador, é parte

integrante da Inspeção Técnica e de Segurança, portanto será realizada

por Juizes Credenciados de Segurança. Os mesmos podem solicitar

modificações em veículos que já passaram pela parte estática da

Inspeção Técnica e de Segurança caso uma condição insegura seja

identificada. Atentar para o item 7.3.1.4. (emenda 2, 01/Fev/2011)

• A avaliação da capacidade de frenagem do veículo será realizada

separadamente da prova de avaliação dinâmica de segurança e conforto

do operador. O veículo deve travar as quatro rodas para ser aprovado.

• Referente aos itens 7.4.2.4 e 7.4.2.7 – As barras RHO e FBM devem ser

construídas em tubo contínuo ligando os pontos B e SF com dobra no

ponto C. Não é mais permitida a construção com solda no ponto C.

• Referente ao item 7.4.2.7 – Um tubo lateral sob o banco (USM) deverá

ser acrescentado em posição imediatamente abaixo do ponto do

assento do piloto definida pelo gabarito conforme a Figure 7-4. (emenda

2, 01/Fev/2011)

• Referente ao item 7.4.2.9 – Todo o compartimento do motor incluindo o

tanque de combustível deve ser envolvido por elementos estruturais

independente da escolha do travamento dianteiro ou traseiro para a

gaiola de proteção. (emenda 2, 01/Fev/2011)

• Referente ao item 7.4.2.9.2 – Se for escolhido o contraventamento

traseiro para o RRH, pelo menos uma das barras FABmid (a mais inferior)

deve se conectar próxima a ponto S (conexão com a barra SIM) com

tolerância de +/- 5.1 cm (2 pols) na vista lateral em cada lado. A barra

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL – CAPÍTULO 7

FABlower deve se conectar ao RRH a distância de no máximo 5.1 cm (2

pols) do ponto A de cada lado. O ângulo entre quaisquer dois lados dos

triângulos que compõem o contraventamento deve ser maior que 25

graus. (emenda 2, 01/Fev/2011)

• Referente ao item 7.4.2.9.2 – Para o contraventamento traseiro como

acima, as equipes podem aplicar soluções com tolerâncias maiores para

os pontos S e A desde que seja provado por comparação teórica ou

experimental que a estrutura proposta apresenta nível de segurança

equivalente à solução requerida pela regra. O relatório de substanciação

deve ser apresentado anexo à Ficha de Especificação da Gaiola e sua

aprovação fica a critério dos Juizes Credenciados de Segurança.

(emenda 2, 01/Fev/2011)

• Referente ao item 7.4.4 – Somente elementos estruturais de aço podem

ser usados na gaiola de proteção (Roll Cage).

• Referente ao item 7.4.4 – É proibida a utilização de tubos de açocarbono

na gaiola de proteção com porcentagem de carbono abaixo de 0.18%.

• Referente ao item 7.4.4 – Caso sejam usados elementos estruturais

diferentes do tubo padrão [aço com mínimo de 0,18% de carbono,

diâmetro externo de 25,4 mm (1 pol) e espessura de parede 3,05 mm

(0,120 pol)], estes devem atender requisitos de rigidez e resistência

equivalente e a espessura de parede mínima deve ser de 1,57 mm

(0,062 pol). Em respeito ao parágrafo anterior a demonstração de

equivalência de rigidez e resistência não será aceita para aços carbono

com percentagem de carbono abaixo de 0.18%. (emenda 2,

01/Fev/2011)

• Referente ao item 7.4.4.1 – A apresentação da Ficha de Especificação

da Gaiola (ANEXO 7-1) é condição mínima para a participação da

equipe no evento e deve ser entregue aos Juizes Credenciados de

Segurança durante a Inspeção Técnica e de Segurança. A ficha deve

conter o carimbo da instituição de ensino e as assinaturas do capitão da

equipe e do professor orientador.

• Referente ao item 7.5.8.3 – A etiqueta exigida para as chaves gerais

deve indicar claramente o procedimento para ligar e desligar e não

somente “liga /desliga”.

• Referente ao item 7.5.9 – A fixação do extintor de incêndio deve ser

metálica e sua instalação no veículo deve ser robusta. (A fixação direta à

parede de fogo construída em chapa fina sem reforço local não será

aceita). Somente um extintor será exigido na Inspeção Técnica e de

Segurança. Entretanto, se o extintor for utilizado ao longo da

competição, a equipe deve ter um novo para reposição, sem o qual será

impedida de continuar.

• Referente ao item 7.5.10 – “Throttle” deve ser entendido como o

acionamento da borboleta do carburador.

• Referente ao item 7.6.1.2 – O prazo de validade do cinto de segurança é

de 2 (dois) anos, sendo que como anteriormente somente o ano de

validade será considerado.

• Referente ao item 7.6.2 – Caso as tiras do cinto de segurança sofram

desvio expressivo entre o ponto de fixação e o apoio no corpo piloto,

este deve ser feito através de um ponto na estrutura do veículo. Desvios

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL – CAPÍTULO 7

através do assento do piloto devem ser pequenos e serão submetidos a

julgamento com aceitação a critério dos Juízes Credenciados de

Segurança.

• Referente ao item 7.6.4.1 – O cinto de segurança pode ser afixado

passando através da parede de fogo desde que haja proteção adicional

contra fogo para a parte exposta deste ao compartimento do motor e

tanque de combustível. A parede de fogo no entanto, deve manter a sua

função básica de isolar o “cockpit” do compartimento do motor

• Referente aos itens 7.6.1.2, 7.6.6.2, 7.12.1 – Os elementos devem

apresentar selo ou etiqueta com a validade declarada pelo fabricante,

sendo que somente o ano de validade será considerado. Os itens que

não possuírem tais selos ou etiquetas, que tenham sido “montados” com

partes de outros ou que estejam com identificação adulterada serão

rejeitados e confiscados.

• Referente aos itens 7.6.2, 7.6.3, 7.6.4 – O sistema de fixação das tiras

do cinto de segurança foi padronizado. Para as tiras do ombro é exigida

a fixação do tipo em que o cinto envolve o tubo e tem o movimento

lateral restrito. Para as tiras abdominais é exigida a fixação através de

chapa dobrada e soldada em torno do tubo LFS. Os detalhes do projeto

padronizado são definidos nas seções aplicáveis.

• Referente ao item 7.6.6.2 – Da mesma forma que o cinto de segurança,

o prazo de validade dos restritores de braço é de 2 (dois) anos, sendo

que somente o ano de validade será considerado.

• Referente ao item 7.7.3 – A luz de freio deverá preferencialmente

atender a norma SAE J759, classificações “S” ou “U”. Partes construídas

pelas equipes deverão ser acompanhadas por documentação indicando

o cumprimento da norma. Peças de procedência reconhecidamente

automotiva poderão ser usadas. Não obstante todo sistema será

submetido a julgamento a critério dos Juizes Credenciados de

Segurança quanto à luminosidade mínima e integridade.

• Referente ao item 7.8.4 – A altura mínima de 38.1 mm para a proteção

contra derramamento a ser aplicada ao tanque de combustível se refere

ponto mais alto do bocal de abastecimento.

• Referente ao item 7.8.6 – O combustível durante a competição deve ser

acomodado em recipientes apropriados. A aprovação dos recipientes

fica a critério dos inspetores de segurança. Instruções mais detalhadas

sobre o manuseio do combustível serão fornecidas através de

informativos até a data da competição.

• Referente ao item 7.9.1 – Os batentes do sistema de direção não são

mais exigidos. São porém considerados itens de boa prática de projeto.

• Referente ao item 7.10.1 – Porcas e parafusos usados somente para

ajuste (ex. Barras de direção) também devem usar sistema de trava

positiva (contra-porca, arame de freno, etc.)

• Referente ao item 7.11.1 – A demonstração de resistência equivalente

das proteções aplicadas às partes rotativas construídas com materiais

alternativos deve ser feita através de ensaios de absorção de energia

(Charpy, Izod, etc.). Além desta demonstração, devido às deficiências

inerentes ao processo de fabricação, as partes fabricadas com estes

materiais deverão usar o dobro da espessura (2 x 1.524 mm).

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL – CAPÍTULO 7

8/40

• Referente ao item 7.12.1 – Serão aceitos capacetes homologados pelo



INMETRO com selo de aprovação e etiqueta de validade.

• Referente ao item 7.12.2 – recomendamos fortemente o uso de

vestimentas com selo de aprovação SFI ou FIA. O equipamento deve

ser resistente ao fogo (algodão, Nomex®, etc). OBSERVAÇÃO

IMPORTANTE: Alguns equipamentos não resistentes ao fogo tais como

vestimentas em poliamida (motocross, Kart) não serão aceitos mesmo

se aprovados com o selo SFI / FIA.

• NOTA IMPORTANTE: Os equipamentos de proteção do piloto (cinto de

segurança, capacete, óculos de proteção, restritores de braço e

vestimenta apropriada) são de uso obrigatório em qualquer momento

que o veículo esteja em operação, inclusive deslocamentos em baixa

velocidade.


As regras abaixo se encontram no RBSB CAPITULO 7. NÃO TRADUZIDO PARA MANTER A ORIGINALIDADE DO TEXTO.
7.3 INTRODUCTION

The following design requirements apply to the “Competição Baja SAE

BRASIL”. The design and technical rules will be strictly enforced. It is the

responsibility of each team to meet all technical requirements using sound

engineering principles and construction done meeting proper fabrication

procedures. Failure to do so may mean disqualification from the competition;

final judgment rest with the National Technical Inspectors.

Vehicles presenting special design features, which are judged to affect safety

and are not matter of this section, will be submitted to evaluation and

acceptance will be on discretion of National Technical Inspectors board. If you

have any doubts about any technical requirement, post your questions to the

official forum on SAE Brasil site (http://www.saebrasil.org.br). National

Technical Inspectors will do their best to answer these questions within two

weeks. Please include your name, school, and the rule number in question.




1   2   3   4   5


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal