Não há saber mais ou saber menos: Há saberes diferentes.”



Baixar 43.66 Kb.
Encontro06.04.2018
Tamanho43.66 Kb.





Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Centro de Ciências Humanas e da Educação – CCE





Antropologia da Educação - Plano de Ensino

Não há saber mais ou saber menos:

Há saberes diferentes.”(Paulo Freire)

“A humanidade do outro é uma possibilidade de mim mesmo”. (Lévi-Strauss)



DEPARTAMENTO:


DCH depto de ciências humanas

ANO/SEMESTRE:

2012/01

CURSO:


Pedagogia

FASE:

segunda

DISCIPLINA:

Antropologia da Educação

TURNO:

matutino

CARGA HORÁRIA:

60 horas

CRÉDITOS:

04

PROFESSOR(A):

Carmen Susana Tornquist ( susi)



1 EMENTA





EMENTA

História do pensamento antropológico. Conceito de cultura. Etnocentrismo e relativismo. Cultura popular e cultura de massas. Cultura brasileira: identidade nacional e novas identidades. Relações inter-étnicas, de gênero e de classe na escola. Abordagens etnográficas na educação.




2 HORÁRIO DAS AULAS

DIA DA SEMANA

HORÁRIO

CRÉDITOS

Segundas-feiras

11:00-11:50

04

terças

9:20-11:50




Sábados (a combinar)

9:00 às 12:00




OBS: viagens de campo serão feitas nos finais de semana, eventualmente

3.1 OBJETIVO GERAL



Caracterizar o olhar antropológico, tendo por eixo os conceitos de cultura, relativismo, etnocentrismo e método etnográfico.

Exercitar o método antropológico tendo por foco o trabalho integrado e os estudantes de EJA


Identificar em autores clássicos, temáticas atuais relacionadas à educação

Identificar elementos que permitam pensar a temática da escolaridade em sua relação com o mundo do trabalho, a partir de recursos antropológicos.



3.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

* desenvolver habilidades de interpretação de textos e filmes

- de * desenvolver a capacidade de produzir textos

- dese * desenvolver a capacidade de escuta em geral e escuta etnográfica, especificamente

- * desenvolver a capacidade de sistematização de categorias antropológicas para análise dos processos educa educativos, das sociabilidades e das relações entre famílias e instituições sociais, particularmente da escola




4 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO





  1. Introdução: o olhar antropológico, etnocentrismo, relativismo, cultura,observação participante

  2. O método antropológico( de Malinowski aos dias atuais)

  3. Aquestão indígena

  4. Etnografando o familiar: a EJA como um universo particular : trabalho, gênero e escolaridade






5 METODOLOGIA


LEITURAS

Seminários temáticos

Estudos dirigidos

Aulas expositivo-dialogadas a partir da leitura de textos

Exibição de filmes e debates

Exercício etnográfico: Trabalho integrado em EJA e o método antropológico




6. AVALIAÇÃO 1





ATIVIDADE

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

PESO

Prova(s)

Utilização dos conceitos; escrita clara e objetiva, referências a conteúdos

4

Relatórios parciais

Utilização de conceitos, escrita clara e objetiva, “enfocamento” nos tópicos abordados em aula

2

Trabalaho integrado EJA (final)

Utilização de conceitos, escrita clara e objetiva, “enfocamento” nos tópicos abordados em aula

2

Participação em sala




1

OBSERVAÇÃO 0: Não é permitido utilizar nenhuma fonte da itnernet, a não ser artigos retirados da base de publicações scielo, devidamente citadas ou outros documentos legais, desde que devidamente citados.

A utilização de referências biblitográfica devem respeitar as regras da ABNT e jamais serem cópias de trechos longos sem citação, o que caracateriza como plágio e requer procedimentos administrativos legais.

OBS 1: faltas em dias de provas e/ou apresentações só podem ser repostas por meios administrativos (ver as regras da INSTITUIÇÃO)

OBS 2: poderão ser feitas argüições de provas e /ou trabalhos, caso necessário.

OBS 3: a monitora da discplina estraá disponição para auxilir os alunos nas ativdades de suia alçada, e para informações na orgazniação das atividades. Além disso, será mantida forma de comunicação permanente entre os alunos, seja via correio eletrônico, seja via MURAIS.

OBS 4: Alunos e alunas que chegarem atradados, faltarem ou saírem mais cedo, devem RESPONSABILIZAR-SE por manter-se ao par dos acontecimentos escolares.

OBS 5: se houver problemas de saúde, por parte da professora, ou paralisações que impeçam a realização das atividades, as atividades previstas serão automaticamente transferidas para adta seguinte.

OBS 6: o trabalho integrado obedecerá cronograma especifcio, em acordo com as demais discplinas e será divulgado oportunamente

OBS7: a viagem de campo será marcada oportunamente e envolverá a

a entrega de relatório.


7. BIBLIOGRAFIA BÁSICA





ALBERT, Bruce. A queda do céu e o outro canibal.In: RAMOS, Alcida e ALBERT, Bruce. Pacificando o branco: cosmologias do contato no Norte Amazonico.SP, Editora da Unesp. 2000,p113-130.
BASTOS, Rafael. Dionísio em Santa Catarina. Ensaios sobre a farra do boi. FCC, Fpolis, 1994.
CAIAFA, Janice.Aventura nas cidades. Ensaios e etnografias.p.89-115..( capitulo 5: Conversações e 6: comuinicação e expressão nas viagens de ônibus).Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, 2007.(4).
CÓDIGO DE ÉTICA DA ABA.(mimeo).
FONSECA, Cláudia. A alteridade na sociedade de classes. In:Família, Fofoca e honra.Etnografia de relações de gênero e violência em grupos populares. Porto Alegre: Editora da UFRGS, p.209-228.
DIEHL, Eliana, MANIZINI, e BECKER..Minha melhor amiga se chama fluoxetina. In: MALUF, Sonia TORNQUIST, C. S (org) . Gênero, saúde e aflições. Florianópolis, Letras Contemporâneas, Fpolis, 2010,p. 331-366
DA MATTA, Roberto. Fé em deus e pé na tábua: ou como e porque o trânsito enlouquece no brasil Rio, Rocco, 2010.
DA MATTA, R. Como ter anthropological blues.Relativizando: ensaios de antropologia social. Petrópolis, Vozes, 1984.

_____Você tem cultura? Intepretando explorações. RJ,. Rocco, 1994.


FONSECA, Cláudia. Quando cada caso não é um caso. Revista da ANPED, 2002.
_____ Caminhos da Adoção. São Paulo, Cortez, 1997.
FOOT-WHITE,William. Treinando a observação participante. In NUNES, Edson(org)Desvendando máscaras sociais. São Paulo, s/d.

GALEANO, Eduardo. Ser como ellos. Montevideo, Católogo.


LARAIA, Roque. Cultura: um conceito antropológico.Rio de Janeiro: Zahar, 2000
LÉVI-STRAUSS, Claude.A eficácia simbólica. In Antropologia estrutural.Rio de Janeiro:Tempo Brasileiro, 1978.
MALINOWSKI, B. O objeto, o método e o objetivo desta investigação. In: MALINOWSKI. São Paulo: Ática,1986 ou (versión castellano) Los argonautas del pacifico occidental. Buenos Aires, 1972, p.19-42.( Introducción: objeto, método y finalidad de esa investigación) .
MAUSS, Marcel. As técnicas corporais e A expressão obrigatória dos sentimentos. Sociologia e Antropologia. São Paulo, Edusp/EPU, 1982.
WITMANN, Luiza T. Entre o Giz e a espada: educação civilizatória indígena em Blumenau.In:

DALLABRIDA, N.[org] Mosaico de Escolas. Fpolis: Cidade Futura, 2003.


ROCHA, Everardo. O que é etnocentrismo. São paulo: Brasiliense, 1987.
SILVA, Aracy Lopes e GRUPIONI,Luis. A temática Indígena na escola. Brasilia, UNESCO/MEC/MARI, 1995.
ROHDEN, Fabiola. O que se vê no cérebro: a pequena diferença entre os sexos ou a grande diferença entre os gêneros. In: CASTILHOS, C., LAGO,Mara . KLEBA, TORNQUIST, C. S. Leituras de resistências. Fpolis, Editora Mulheres, 2009.
PIMENTEL, Spensy, e MONCAU, Joana. O genocídio surreal dos guarani-kaiowá. São Paulo, Revista Caros Amigos, 2010, p.4-7.
VIVEIROS DE CASTRO, E. O Mármore e a murta. Mana: Revista de Antropologia. Rio de Janeiro: Museu Nacional,1999.
RAMOS, Alcida. Belo Monte: crônica de um desastre anunciado. ABA, mimeo, 2011.
VELHO, Gilberto. Individualismo e cultura. Rio de Janeiro,Paz e Terra, 1997.(Observando o familiar).
VIVEIROS DE CASTRO, E. O Mármore e a Murta. Rio, Mana: Revista de Antropologia.
TORNQUIST, Carmen Susana. Paradoxos da Humanização. Cadernos de saude pública. Rio de Janeiro, Fiocruz, 2002.
SIROTA, Régine. A escola primaria no cotidiano. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.
ZALUAR, Alba. Relativismo Cultural na cidade?In: NUNES, Edson(org)Desvendando máscaras sociais. São Paulo, s/d.
WILLIS, Paul. Aprendendo a ser trabalhaador. Porto Alegre:.Artes Médicas, 1997.


FILMOGRAFIA
Muita terra para pouco índio(ABA);

Ciranda, Cirandinha.

Narradores de javé.

Terra Vermelha.

Geração Roubada.

Edificio master.

Jogo de cena.

O garoto selvagem.



Brincando nos campos do senhor.


2. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR será distribuida oportunamente - incluindo livros para o trabalho integrado.


9. CRONOGRAMA DAS AULAS ( a ser entregue oportunamente)



1Para fins de arredondamento de média final, poderá ser atribuído até 01 pontos por participação dos alunos/as em aula


Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal